08 leonir-modelo de comercialização são paulo

316 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
316
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
22
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

08 leonir-modelo de comercialização são paulo

  1. 1. Modelo de Comercialização Frigorífico-ProdutorVisando Fidelização e Qualidade.São  Paulo,  abril  de  2013  Leonir  Luiz  Pascoal     Professor  da  UFSM  -­‐  Santa  Maria,  RS     Diretor-­‐sócio-­‐consultor  da  Progepec  Assessoria  Rural       Empresa  responsável  pela  compra  de  gado  do  Frigorífico  Silva  
  2. 2. produtor de boipecuaristaeficiência produtiva x comercializar bemprodutor de carneeficiência industrial x comercializar bemindústria
  3. 3. 0  20000  40000  60000  80000  100000  120000  140000  2002   2003   2004   2005   2006   2007   2008   2009   2010   2011   2012  Figura. Cabeças industrializadas no Frigorífico Silva nos últimos 11 anos.
  4. 4. DENTE DE LEITE2 DENTES4 e 6 DENTES165 kg 200 kg 220 kg 240 kg260 kgbônus 3% bônus 7% bônus 8% bônus 10%280 kgPESO DE CARCAÇACentral  de  Compra  de  Gado  Para  serem  bonificados  no  Programas  das  carnes  Britânicas  do  Frigorífico  Silva,  precisam  ser  enquadrados   no   padrão   racial,   denOção,   acabamento   mínimo   =   3,   conforme   avaliação   dos  técnicos  das  respecOvas  associações  Fêmeas   classificadas   no   programa,   passam   para   preço   base   de   macho   quando   o   peso   de  carcaça  for  inferior  a  165  kg.Pesos  maior  ou  igual  a  165  kg  são  bonificadas,  conforme  a  tabela.  
  5. 5. O  MELHOR  NO  ABATE  DE  ANIMAIS  Prêmio  oferecido  pela  Revista  Globo  Rural  como  melhor  empresa  brasileira  do  Setor  Frigorífico  DESTAQUE  EXPORTAÇÃO  do  Setor  Frigorífico  Rio  Grande  do  Sul  
  6. 6. 24  
  7. 7. Figura. Custo do transporte do boi em R$/kg de carcaça
  8. 8. Figura. Distância média percorrida pelos caminhões boiadeiros
  9. 9. Figura. Classes de peso de carcaça fria por mês
  10. 10. Pontos  de  conflito  entre    Frigorífico  e  Pecuarista  •  1)  rendimento  de  carcaça  •  2)  preço  pago  pela  carcaça  fria  •  3)  classificação  ou  @pificação  da  carcaça  •   desconfiança    •   carência        
  11. 11. Rendimento  •  1)  pesagens  •  2)  toalete  •  3)  sistema  de  informação  •   desconfiança    •   carência        
  12. 12. Figura  1  -­‐  Rendimentos  médios  mensais  de  carcaça  fria  de  machos  e  fêmeas,  com  base  no  peso  de  origem  e  de  chegada  ao  frigorífico,  ano  2010.  
  13. 13. Preço  pago  ao  pecuarista  •  1)  cartel  •  2)  concentração  da  indústria  •  3)  mercado  •  4)  sazonalidade  •   desconfiança    •   carência        
  14. 14. 9- quantidade 10- constânciaFormação do preço de compra do gado em função decaracterísticas do animal e do produtorAnimal1- categoria 2- raça3- contusões 4- sanidade5- nutricional 6- acabamento7- peso 8- conformaçãoProdutor11- distância 12- acesso13- rastreabilidade 14- relacionamento15- cooperação 16- confiança
  15. 15. Classificação  das  carcaças  •  1)  era  realizada  unicamente  pelo  frigorífico  •  2)  é  realizada  pelas  3  associações  de  raça  e  frigorífico  •   pra@camente  desaparece  a  desconfiança  •   pra@camente  desaparece  a  carência  •   conflito  pra@camente  não  existe        
  16. 16. Planejamento  estratégico  •  1)  Remuneração  por  qualidade  do  couro  •  2)  Remuneração  por  sanidade  das  vísceras  •  3)Convite  individual  para  assis@r  ao  abate  •  4)Ter  no  mínimo  20  escritórios  fortes  de  corretagem  •  5)Não  ter  mais  que  um  corretor  por  município  ou  região  •  6)Palestras  anuais  para  fornecedores  em  10  municípios  •  7)Visitas  anuais  a  10  produtor  nas  fazendas  •  8)  Visitas  a  10  potenciais  fornecedores  anualmente  •  9)  Receber  no  frigorífico  10  grupos  de  produtores  anualmente  •  10)  Realizar  dois  concursos  de  carcaça  ao  ano  
  17. 17. Planejamento  estratégico  •  11)  Treinamento  dos  corretores  •  12)  Treinamento  dos  caminhoneiros  (horários  e  abordagem)  •  13)  Treinamento  dos  mangueiristas  •  14)  Treinamento  no  escritório  na  central  de  compras    •  15)  Romaneio  e  contra-­‐nota  as  10  hs  do  dia  seguinte  ao  abate  •  16)  Romaneio  completo  e  claro  (individual  e  condenações)  •  17)  Nunca  atrasar  um  pagamento  (buscar  a  cc,  procurar  alguém)  •  18)  Negociação  30  dias,  mas  paga  em  qualquer  momento  (-­‐1,49%)  •  19)  Tabelas  de  bonificações  e  fêmeas  recebem  como  macho    •  20)    Reuniões  semestrais  de  realinhamento  •  “proprietário  do  frigorífico  deve  falar  com  o  proprietário  do  gado”  •  “  compra  direta  passou  de  13%  em  2008  para  28%  em  2012”  
  18. 18. Figura. A ciência determina os melhores caminhos.Obrigado

×