THAINÃ NAYARA FERNANDES BARBOSA
THAYZE MARIA DO NACIMENTO
CONCEIÇÃO APARECIDA DE CARVALHO
DISLEXIA
SANTO ANDRÉ
2013
THAINÃ NAYARA FERNANDES BARBOSA
THAYZE MARIA DO NACIMENTO
CONCEIÇÃO APARECIDA DE CARVALHO
DISLEXIA
Data de entrega 06 de j...
Grupo Educacional Uniesp
União Nacional das Instituições Ensino Superior Privada
Curso de pedagogia, 1°Matutino.
Thaina Na...
RESUMO
A maioria das pessoas pensa que a dislexia faz com que alguém veja palavras ou
frases de forma inversa, ou que indu...
summary
Most peoplethinkthat dyslexiacauses someone toseewords orphrasesin reverse, orinducesa
person toreplacethe letter"...
INTRODUÇÃO
Dislexia
A dislexia afeta um grande número de pessoas.Ela pode se manifestar de várias
maneiras de pessoa para ...
Sumário
1 Intrudução.........................................................................................................
REFERÊNCIABIBLIOGRÁFICAS
Livros
Terezinha Nunes , ed. São Paulo , Dislexia: Psicologia 157 p
AndréRochLecours , Maria Alic...
Dislexia
Transtorno de Défit de atenção com hiperatividade
Há diversas maneiras de examinar a natureza exata das dificulda...
Em síntese sabemos que o sistema escolar está hoje concebido de tal forma que se pratica
implicitamente,a seletividade soc...
DISLEXIASE DISGRAFIAS
Mais de cinco milhões doanos após a fundação de Uruk,a mais frequente das alexias e a daquelesque
nã...
enunciar palavras por soletração em voz alta, comportamento que pode ser qualificado como
leitura auditiva.
Distúrbios da ...
Dislexia
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Dislexia

1.391 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.391
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
43
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dislexia

  1. 1. THAINÃ NAYARA FERNANDES BARBOSA THAYZE MARIA DO NACIMENTO CONCEIÇÃO APARECIDA DE CARVALHO DISLEXIA SANTO ANDRÉ 2013
  2. 2. THAINÃ NAYARA FERNANDES BARBOSA THAYZE MARIA DO NACIMENTO CONCEIÇÃO APARECIDA DE CARVALHO DISLEXIA Data de entrega 06 de junho de 2013 Resultado:____________________________ Banca Examinadora: Miriam Prof.ª:____________________________ Grupo Educacional Uniesp
  3. 3. Grupo Educacional Uniesp União Nacional das Instituições Ensino Superior Privada Curso de pedagogia, 1°Matutino. Thaina Nayara RA 0050060409 Thayse Maria RA 0050063885 Conceição Aparecida RA 0050059141 DISLEXIA SANTO ANDRÉ 2013
  4. 4. RESUMO A maioria das pessoas pensa que a dislexia faz com que alguém veja palavras ou frases de forma inversa, ou que induz a pessoa a trocar a letra "b" pela "d" “d”. mais isso é só uma das formas de dislexia conhecidas, no caso a fonética. A dislexia, também conhecida como Distúrbio do Desenvolvimento da leitura, afeta a capacidade da pessoa de compreender a linguagem escritas ou a oral, em alguns casos, ambas. Em outra palavras, é um distúrbio geral de aprendizado, relacionado á linguagem. Tarefas e atividades que nos são familiares, como escrever uma lista de compras, ler o jornal ou um livro, podem ser problemáticas para as pessoas disléxicas. Embora as doenças do cérebro possam causar a dislexia e outro distúrbio de leitura como discalculia e disgrafia: discalculia pessoas que sofre desse problema encontram dificuldade para resolver exercícios com números e entender conceitos matemáticos. Disgrafia-pessoas que sofrem desse problema encontram dificuldades para escrever letras ou até mesmo para escrever dentro de um espaço determinado. Pesquisas médicas indicam que, para a maioria das pessoas, estes são resultados de uma disfunção (e não doença) do cérebro. Estudos de imagens de cérebros mostraram que os cérebros dos disléxicos se desenvolvem e funcionam diferentemente dos cérebros de pessoas que não são disléxicas. Além do mais, a dislexia pode ser herdada. Em muitos casos, descobre-se que um ou ambos os pais de uma criança disléxicatambém sofre desse distúrbio de aprendizado.
  5. 5. summary Most peoplethinkthat dyslexiacauses someone toseewords orphrasesin reverse, orinducesa person toreplacethe letter"b" for"d" "d". morethat's justone of theknownformsof dyslexia, in casethe phonetics. Dyslexia, also known asDevelopmental Disordersof reading, affectsa person's abilityto understand the languagewrittenororal, in some cases, both. Inotherwords,is agenerallearningdisorder, relatedto language.Tasksand activitiesthat are familiar, such as writing a shopping list, read the newspaper ora book, can be problematicfor peoplewith dyslexia. Althoughdiseasesof the brainmay causedyslexiaandotherreading disorderasdyscalculiaanddysgraphia: dyscalculiapeoplesuffering from thisproblemfinddifficulty solvingexerciseswith numbersand understandmathematical concepts. Dysgraphia, people whosuffer from thisproblemfind it difficultto writelettersor evenwritingwithin acertain space. Medical research indicatesthat formost people, these are the result ofa dysfunction(notdisease)in the brain.Brainimaging studieshave shownthat the brainsof dyslexicsdevelop and functiondifferently from thebrainsof people whoare notdyslexic. Moreover, dyslexia canbe inherited. In manycases, it turns out thatone orboth parentsof adyslexic childalsosuffers from thisdisorderlearning.
  6. 6. INTRODUÇÃO Dislexia A dislexia afeta um grande número de pessoas.Ela pode se manifestar de várias maneiras de pessoa para pessoa. Alguns sinais comuns que devem ser pesquisados em crianças mais novas são: dificuldades para pronunciar palavras, não ser capaz de fazer a conexão entre letras esons, dificuldades de aprender o alfabeto, números, ou outras importantes listas sequenciais como osdos dias da semana, dificuldades em ver as horas. Os mais velhos e crianças em idade escolar, podem apresentar alguns dos seguintes sintomas:- dificuldadeem soletrar, soletrando frequentemente a mesma palavra de maneiras diferentes- Revertersequencia de números e letras, ou trocar símbolos matemáticos, não gostar ou evitar leitura em voz alta, dificuldades para escrever-Ler com dificuldades acima de esperada para seu nível escolar,Ter dificuldades para memorizar não é raro a dislexia ser diagnosticada durante o colegial ou até mesmo em adultos. Alguns sinais a serem observados nessas idades são: - dificuldades em organizar seu tempo, problemas em soletrar palavras corretamente, ser mais hábil na linguagem oral que na escrita ou evitar completamente a escrita, não ser capaz de compreender conceitos abstratos, problemas com planejamento e organização, dificuldades em resumir ou estruturar pensamentos.Os indivíduos podem mostrar qualquer um desses sinais ou outros possíveis sintomas. Fato de alguém apresentar alguns deles, no entanto não significa que a pessoa tenha dislexia. A pessoa deve passar por uma série de testes antes do diagnostico. Um consultor educacional qualificado, um terapeuta ou outro especialista, aplicará uma bateria de testes para avaliar soletração, matemática, desenho, sequenciamente, acuidade visual e capacidade de exploração. Muitas crianças com dislexia relatam um sentimento de inadequação sentir-se "burro”. É importante notar que pessoas muito inteligentes podem ser dislexias se sobressaem em áreas que não exigem grandes habilidades de linguagem. Há uma quantidade de pessoas notáveis nos campos da ciência, entretenimento,esportes e politicas que são disléxicas. Distúrbio de aprendizado como a dislexia são para toda vida,o que significa que nunca desaparecerão. Um tratamento que tem alcançado sucesso conta com uma abordagem de ensino estruturada e multisensorial. estudos sugerem que o processo de aprendizado para disléxicos é aperfeiçoamento quando os sentidos auditivo, visual e tátio podem ser combinados na experiência de aprendizado de alguém.
  7. 7. Sumário 1 Intrudução........................................................................................................................07 2Dislexia ..............................................................................................................................09 2.1 Transtorno de Défit de atenção........................................................................09 3 Dislexia disgrafica ..........................................................................................................11 3.1Disturbios Perifericos........................................................................................11 3.2 Disturbios da triagem.......................................................................................11 4Disturbios da triagem da informação..............................................................................12 4.1 Lesões Funcionais Multiplas............................................................................12
  8. 8. REFERÊNCIABIBLIOGRÁFICAS Livros Terezinha Nunes , ed. São Paulo , Dislexia: Psicologia 157 p AndréRochLecours , Maria Alice de Mattos Pimenta Parente , Dislexia, Implicações do Sistema de Escrita do Português, ed. Porto Alegre , 1997.
  9. 9. Dislexia Transtorno de Défit de atenção com hiperatividade Há diversas maneiras de examinar a natureza exata das dificuldades que as crianças dislexicas têm ao ler,mas a mais popular tem sido atravéz de experimentos psicológicos. Uma grande variedade desses experimentos já foi realizada,mas a sua logica é sempre a mesma.O pesquisador tem uma hipótese sobre a natureza da diferênça entre crianças disléxicas e normais.Usualmente essa hipótese é da natureza qualitativa e pressupõe que as crianças disléxicas não tem alguma das habilidades essencias á aprendizagem da leitura que as outras crianças tem.Assim para as crianças disléxicas, os problemas de leitura resultariam do fato de que elas não dispõe de uma habilidade importante para a aquisição da leitura. essa hipótese é, então testada num experimento em que um grupo de crianças que leêm normalmente são avaliadas em testes que medem a habilidade em questão. Se as crianças do grupo disléxicos obtiverem resultados significativamente inferiores aos das crianças, os experimentadores concluem que encontrarão evidências em favor de sua hipótese relativa á diferênça entre as crianças disléxicas e as outras crianças.Umadiferênça que pode explicar as dificuldades que as crianças disléxicas encontram ao aprender a ler e escrever .As crianças dixléxicas tem maiores dificuldades em dois tipos de atividades relacionados ao sucesso na aprendizagem da leitura,primeiro, sua compreensão explicita das regras gramaticas é mais fraca e, consequentemente ,elas tem maior dificuldades em utilizar as indicações gramaticais durante a leitura. Segundo sua conciência da estrutura fonológica das palavras é limitada,o que resulta em dificuldades na utilização de correspondências letra-som.Os experimento sugerem que ambas as dificuldades podem representar fatores causais na produção da dilexia.Finalmente,considerações e natureza social, essenciais a compreenção do fracasso da criança,na aprendizagem da leitura e escrita,serão representadas, a fim de colocar em perpectiva a idéia de dificuldade e fracasso no sistema escolar público brasileiro. As orientações sobre tratamento incluiam sempre no caso dos diagnósticos processados em instituiçõespublicas,recomendações de atendimento individualizados e acompanhamentos de natureza pedagógica. Em sintese,as dificuldades deaprendizagem da leitura e escrita foram tratados como relacionadas ao nível intectual ou a motricidade,ainda que ocasionalmente surgissem indicações sobre a troca de fonemas na fala.Os diagnósticos não podiam apoiar-se na defasagem emtre o desempenho esperado a partir do nível intectual e o observado uma vez que não existem parâmetros para a avaliação destas defasagem no Brasil. Os fatores ligados á habilidade de realizar fonológica usualmente associadas á dislexia,não foram avaliados no diagnósticos considerados demonstrando o pequeno impacto dos estudos naaréa pobre a pratica é necessário considerar a quase total ausência de estudos brasileiros que possibilitem o conhecimento da epidemiologia das dificuldades da aprendizagem da leitura e escrita no Brasil e as dificuldades resultantes do fato de que uma parte consideravel da população inbfantil fracassa na alfabetização por causa de problemas de ordem social,o que dificulta a criação de medidas padronizadas analize da dislexia em nosso meio. Como os estudos endicam que, quanto maior o desenvolvimento da conciênciafonolôgica,maior o progresso da criança nas habilidades de leitura e escrita,independentemente da fase em que está criança se encontra,as atividades que proporcionarem ás crianças a oportunidade de realizar análises fonológicas com maior facilidade seráo benéficas a todas as crianças em diversas fases da alfabetização.
  10. 10. Em síntese sabemos que o sistema escolar está hoje concebido de tal forma que se pratica implicitamente,a seletividade social. As crianças das camadas populares que vêm á escola com menor conhecimento da norma padrão e com menos oportunidades anteriores de se envolver em diversos usos da leitura e escrita, não encontram na escola na escola atividades que lhes possam proporcionar esse conhecimento em consequência fracassam em proporções muito maiores na alfabetização do que aquelas crianças que já dominam oportunidades de encontrar a leitura e a escrita significativamente. No entanto,sabentemos que esse desconhecimento de alguns aspectos da língua não pode de forma alguma ser interpretado como uma dificuldade de aprendizagem.O conceito de dislexia relaciona-se a diferenças individuais independentes da escassez de oportunidades de aprendizagem e não a diferença no nível de conhecimento da língua que grupos socioculturais distintos possam mostrar ao iniciar o processo de alfabetização. A dislexia pode coexistir ou mesmo confundir-se com características de vários outros fatores de dificuldade de aprendizagem, tais como o déficit de atenção/hiperatividade,dispraxia, discalculia, e/ou disgrafia. Contudo a dislexia e as desordens do déficit de atenção e hiperatividade não estão correlacionados com problemas dedesenvolvimento.
  11. 11. DISLEXIASE DISGRAFIAS Mais de cinco milhões doanos após a fundação de Uruk,a mais frequente das alexias e a daquelesque não tiveram o aprendizado da escrita. Em locais onde se fala só tem valor com sua escrita correspondente, suavida apresenta desvantagens social e talvez , também , peculiaridades neurológicas. Do ladosocial, o analfabetismo significa , frequentemente , um empobrecimento intelectual e econômico. O termo dislexia de evolução , engloba , ao mesmo tempo , diversos distúrbios de leitura e de escrita. Alemde certa aversão a este termo , o sinal mais aparente da dislexia de evolução é a “dissortografia”. Segundo Hallgren (1950) , as dilexias de evolução dificultarão a vida escolar de aproximadamente 10% de crianças em certos países ocidentais.Pode ser que elas ocorram com mais frenquencia que antigamente , devido a determinismos genéticos cujas manifestações histológicas ocorrem bem antes do nascimento (Galaburda,1989;Galaburda & kemper,1979). Por fim ,as dislexias e disgrafias adquiridas afetam algumas pessoas que tiveram o infortúnio de ver desmoronar seu aprendiz recebido durante a escolarização,o método anatomoclínico não trouxe nada de novo ao saber quanto aos disturbios adquirido da língua escrita. Discutiremos , agora os diversos distúrbios de leitura e escrita que foram documentados durante o ultimo quarto de século , através do método congnitivista. Distúrbios Periféricos A leitura em voz alta e a escrita sob ditado pressupõem a codificação e a descodificação da informação , que corresponde aos estoque e aos procedimentos de nossos modelos;na entrada , um filtro gnóstico , e na saída , um dispositivo práxico .Estes foram denominados ,respectivamente , tratamento da informação aferente e programação da informação eferente.A função dos dispositivos praxicos é planificar os movimentos fonocinésicos ou quirocinésicos subjacentes a emissão de sinais potencialmente linguístico. Disturbio da Triagem de Informação Visual Este quadro clinico e conhecido como cegueira verbalpura (CVP),ou ainda alexia pura, alexia agnosica ou alexia sem grafia .A leitura de palavras regulares e irregulares , assim como a leitura de neologismos estão também falhas. A CVP e um do mais conhecidodistúrbios de leitura e o único sem nenhum outro distúrbiolinguístico se por razõesde naturezaanatomoclinica.Aconteceque alguns destes pacientes acomodam se a sua hemianopsia de forma que o seu único problema cognitivo e a dificuldade de leitura. Apesarde a alfabetização no Brasil não focalizar a soletração, um usuário de um código alfabético que apresenta uma CVP não devera terdificuldade em
  12. 12. enunciar palavras por soletração em voz alta, comportamento que pode ser qualificado como leitura auditiva. Distúrbios da triagem da informaçãoauditiva Paul Sérieux(1893; Dejerine&Sérieux, 1897) foi certamente um dos primeiros a mostra um caso onde as lesões celebrais causaram um dano linguístico limitado,inicialmente, a graves distúrbiosda linguagem oral, a escrita sob ditado e da repetição, quadro clinico conhecido como “surdez verbal pura”. Uma vez que a discriminação auditivanão linguística nãoestá afetada, assim como as informações visuais em geral, a surdez verbal pura pode ser atribuída a uma lesão funcional. Lesões Funcionais Múltiplas Tentar atribuir à dislexia profunda a uma falha funcional única e o principal obstáculo das arquiteturascognitivas. A maioria das interpretações supõe, de fato, três lesões teóricas (Bub&Lecours, 1987). Em relação ao nosso modelo, a primeira dessas lesõestorna falha à via Peri lexical, responsável pela incapacidade de ler as não palavras; a segunda bloqueia o processo de emparelhamento entre os léxicos.

×