SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 60
Baixar para ler offline
A GENTE PROMOVE A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL!
APOIO E DIVULGAÇÃO:
CLIQUE AQUI E FAÇA
PARTE VOCÊ TAMBÉM!
Ficha
técnica
Realização:
Vindi
Apoio e divulgação:
Insurtech Brasil
Redação:
Daniel Silvestre
Efrain Corleto
Lidiane Oliveira
Mariana Cremonesi
Rodrigo Dantas
Revisão:
Efrain Corleto
Lidiane Oliveira
Mariana Cremonesi
Rodrigo Dantas
Dados e informações:
Daniel Silvestre
Hugo Oliveira
Diagramação:
Pedro Paulo Almeida
Arte e produção gráfica:
Pedro Paulo Almeida
4
Sumário
1. Introdução........................................................................................................................................05
2. O que é transformação digital?.........................................................................................06
3. Sobre o mercado de seguros no Brasil..........................................................................17
4. Transformação digital em seguros e as insurtechs.............................................38
5. Seguradoras na Vindi...............................................................................................................49
6. Bônus de leitura (Cases)..........................................................................................................52
5
Antes que os céticos digam algo: existe,
sim, uma transformação digital em andamento
no Brasil e no mundo. E, com seguros, não é
diferente.
Mas, antes, uma coisa: transformação
digital não é mais uma buzzword (palavras
usadas para vender um conceito através de
um barulho na mídia e afins) que soltam para
vender cursos, eventos e consultoria. O mundo é
uma grande transformação e as empresas estão
inseridas, diretamente, no meio das revoluções.
Especialmente depois da digitalização e do
advento da internet.
A transformação digital mudou a
comunicação, a tecnologia e a forma como
consumimos produtos e serviços. E, neste material,
você vai adentrar um pouco mais neste mundo.
1
Introdução
6
2
O que é
transformação
digital?
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 7
Transformação digital é um termo amplo, mas você vai ver
aqui alguns exemplos com as principais definições para ilustrar que
barulho é esse. A melhor definição para transformação digital está
no próprio nome: transformação das relações. Seja de empresas,
países, culturas e pessoas. Parte importante das relações humanas,
da compra de serviços e de produtos, passam pela digitalização da
comunicação e negócios.
Novos consumidores e novos mercados já nascem digitais.
Porém, algumas empresas estão na vida dessas pessoas e da
sociedade de forma muito presente. Por isso, empresas com algum
tempo de vida estão passando ou já passaram por essa chamada
“transformação digital”. Não tem mais jeito de se começar
um negócio de alta escala, atualmente, sem ser digital. Essa
transformação mudou rumos de empresas como Microsoft, Adobe,
Nike, Fender, Ambev, Google e todos os maiores conglomerados do
mundo.
Para entender essa transformação digital, na prática, vale
entender também que, muitas gerações nasceram sem a tecnologia
tão presente e evidente nos dias de hoje. Máquinas de fotocópias
(da Xerox), tratores da Caterpillar, carros da Ford e o refrigerante
Coca-Cola, não nasceram digitais. Mas, essas empresas têm, hoje,
grande atuação na digitalização de seus produtos. No momento de
suas criações, ainda não existia a internet e, mesmo que existisse
tecnologia embarcada nesses produtos, a comunicação com o
cliente, a distribuição, a venda e o atendimento do serviço prestado,
eram estritamente humanos. Ainda dependiam de uma relação
tradicional para se relacionar com o consumidor. Hoje não mais.
É uma nova forma das empresas atuarem.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 8
Empresas com bons exemplos
de transformação digital
Adobe
Nike
Microsoft
SAP
Netflix
Spotify
IBM
Youse
do software de caixinhas para acesso do serviço no cloud.
da venda de atacado para o consumidor, diretamente.
de empresas de computadores pessoais para serviços online.
de softwares on-premisse para o software as a service (SaaS).
das locações de VHS e DVDs para o streaming de vídeo.
dos CDs das gravadoras para o streaming de música.
dos hardwares para serviços digitais de todos os tipos.
ilustramos nesse exemplo, o case de transformação recente na indústria de seguros.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 9
“A transformação digital é o movimento
natural e indispensável da forma como as
empresas se conectam e se comportam
nas relações com os clientes. É a
digitalização dos serviços, da cultura da
empresa e da mentalidade de como o
cliente é visto.
É uma nova forma de resolver
problemas das pessoas.
Rodrigo Dantas, CEO da Vindi
Consultorias como a Accenture, McKinsey entre outras, ajudam empresas no mundo todo a encontrarem um caminho
para a transformação digital, mas o processo de entendimento dessa nova forma de encarar o mercado, tem que partir
de dentro. Empresas nesse processo de mudança, mudam suas culturas, pessoas, foco, modo de vender, jeito de atender
clientes e até como se comunicam de fora para dentro. É realmente uma transformação.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 10
Principais setores que aderiram
à digitalização dos negócios
Alguns setores saíram na frente na transformação digital, talvez por necessidade ou por sobrevivência
e, alguns outros, por fazerem a leitura certa do que estava por vir. Você pode ver abaixo algumas empresas que tiveram
essa boa leitura:
Bancos e finanças – os bancos precisaram digitalizar serviços
desde os anos 80. Trabalharam fortemente para atender clientes
por meios digitais. Com o advento dos novos bancos e das contas
digitais, essa transformação acelerou.
Varejo – o e-commerce impulsionou milhares de marcas
e varejistas para a venda online.
Saúde – grandes redes de hospitais e empresas de saúde
no mundo todo são referência em digitalizar operações.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 11
Esses são apenas alguns exemplos de como indústrias já estão inseridas nesta mudança.
Um erro grande, cometido pelas empresas, é tentar conectar esse tipo de transformação com áreas de tecnologia (ou
departamentos de TI). Erro grave, na verdade. Mais do que se tratar de uma mentalidade de áreas, todas as empresas do futuro
serão empresas de tecnologia. Portanto, todas operações dessas instituições deverão aderir à digitalização de processos. Grande
parte dessa digitalização é eliminar processos manuais e desenvolver as relações cliente-empresa de forma inteligente: com
robôs, automação, inteligência artificial, reconhecimento de voz, entre outros tipos de tecnologia que podem ser aplicadas.
No fim, o exercício da transformação digital é encontrar um caminho digital para impactar, conectar, vender, se relacionar
e resolver os problemas das pessoas. Em seguros, é basicamente oferecer novos serviços e caminhos para acessar os clientes
que demandam esse tipo de serviço.
Não é simples, mas é viável.
Telefonia – foram pioneiros na digitalização e ainda
navegam no protagonismo.
Mídia – o efeito Netflix e Disney entre as grandes mídias
aconteceu fortemente no mundo.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 12
Principais erros cometidos pelas
empresas na transformação digital
As empresas, recebendo insights e inputs de todos os lados, começaram a buscar cegamente a transformação digital.
De bancos às empresas de saúde, instituições de todos os tipos seguem desesperadas por mudar seus rumos e contratam
consultorias, especialistas e elegem CIO’s (diretores de inovação). Mas, isso deveria ser bem diferente.
Empresas com a vontade genuína de transformar seus negócios devem, na verdade, remodelar a forma como resolvem
problemas com clientes. Isso não tem a ver, exclusivamente, com tecnologia. Tem a ver com cultura, cloud computing,
redes sociais, inteligência artificial, mobilidade, internet das coisas (IOT), data science, machine learning, entre outros termos.
Têm a ver com o transformação digital e renovação, porém são apenas ferramentas para se obter essa mudança.
Por isso, também, as empresas erram em contratar consultorias que prometem modelos milagrosos de transformação
digital. Mas, não é somente esse erro que impede empresas de mudarem, vamos a alguns pontos importantes que travam a
transformação:
Não irrigar a mentalidade de transformar
toda a cultura na empresa;
Não identificar os detratores e
missionários do tema dentro da empresa;
Achar que a consultoria vai resolver tudo;
C-Levels e fundadores não
engajados no tema;
Achar que usar uma nova tecnologia vai
ingressar a empresa na transformação;
Acreditar demais no modelo estabelecido atual.
x
x
x
x
x
x
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 13
A transformação digital muda países, economias e ecossistemas. Barreiras culturais e fronteiras são quebradas quando
isso acontece. A sociedade é impactada como um todo. A McKinsey, tem um documento que ilustra bem o processo de teste
e implementação de transformação digital em finanças. Apesar de ser um estudo de apenas uma indústria, esse é o guia.
Veja na ilustração abaixo:
Roadmap para a transformação digital da Mckinsey.
Esse roadmap elabora os 10 passos para essa meta ser atingida:
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 14
Um artigo da Harvard Business Review, ilustra bem que a tecnologia não é o principal assunto para as empresas
começarem a verdadeira transformação. Mas, sim, mudar a cultura dentro de casa. Veja algumas dicas como:
Esses elementos citados acima, combinados com as ferramentas certas, são os principais pontos e respostas para
as empresas realmente conseguirem mudar, segundo o pesquisador Tabrizi Behnam – autor bestseller e professor de
Stanford sobre organizações e cultura.
TRAZER A CULTURA DO SILICON
VALLEY PARA DENTRO
NÃO MANTER COLABORADORES
COM MEDO DA TRANSFORMAÇÃO
RECONHECER OS VERDADEIROS
TRANSFORMADORES DENTRO DE CASA
CONHECER O CLIENTE
PROPOR UMA NOVA EXPERIÊNCIA
NO PRODUTO/SERVIÇO
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 15
Maturidade digital e
aceleradores da transformação
Algumas consultorias analisaram a maturidade digital de mercados para identificar os aceleradores da transformação
digital (técnicas e tecnologias aplicadas que criam atalhos para atingir essa maturidade). Os itens que foram analisados
por essas pesquisas foram: segurança digital, acesso, uso, cultura digital e criação. Esses pontos analisados em conjunto,
gerou um índice de maturidade digital de mercados e países. Já os principais aceleradores dessa maturidade foram:
API- application programming interface (Interface de Programação de Aplicações)
são conectores que juntam pontas de tecnologias e sistemas. São grandes aceleradoras
da transformação. Na Vindi, todas seguradoras que atendemos, estão conectadas via API;
Metodologias ágeis - metodologias que implementam
soluções com a agilidade na empresa. São os novos modelos de gestão de projetos
baseados em pequenas entregas e testes;
Validação de identidade - ter uma identidade digital
única será um dos grandes aceleradores da transformação digital. Empresas como a
Idwall, por exemplo, conseguem acelerar o contrato de validação de documentos.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 16
Cultura Devops - união de pessoas, processos e tecnologias a
fim de proporcionar a entrega contínua do valor para os clientes (definição Microsoft). O
termo Dev vem de development e o Ops vem de operations;
Aceleradores de negócios - empresas como a Vindi,
idwall, Arquivei, Konduto entre outras, são as chamadas de “aceleradoras de negócios”,
porque promovem o lançamento de projetos e melhoria na gestão de soluções internas
A transformação digital é importante, de fato, para a evolução do mundo, das sociedades e das pessoas. E sua
empresa, está pronta para essa revolução?
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 17
3
Sobre o mercado
de seguros no
Brasil.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 18
A oportunidade em seguros se assemelha ao mercado
financeiro em geral, especialmente o bancário. No Brasil,
existem cerca de 120 seguradoras (de 80 grupos) mas, esse
ambiente, representa apenas 1,65% do PIB no país. A evolução
do faturamento segurador só cresce, mesmo tendo ainda o
modelo principal de corretores como elo entre o consumidor
e a seguradora. No Brasil, existem atualmente, cerca de 98
mil corretores de seguros. É um mercado que cresce cerca de
8 a 9% ao ano.
Em 2018 esse setor faturou R$154 bilhões.
Embora gigante, o setor de seguros ainda está nas mãos
de grupos formados por conglomerados globais e grandes
bancos no nosso país. Ao listar as startups brasileiras de
seguros na base de dados da Insurtech Brasil, identificamos
62 que se auto denominam insurtechs. Se pesquisarmos o
termo genérico de seguros + insurtechs (de imóveis, autos
e afins) o número sobe para mais de 100 startups brasileiras
desse setor.
Os números de investimentos não são tão
surpreendentes como outros setores como fintechs ou SaaS,
mas mostra que tem algo por vir nesse setor de seguros.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 19
Das insurtechs listadas, o funding já mostra parte
da tendência de que seguros serão negócios digitais. As
insurtechs outliers da lista são Thinkseg, que tem fome
de aquisições e que formou, na primeira etapa, um capital
social de R$50 milhões. A Too Seguros (anteriormente Pan
Seguros), que passa por uma verdadeira transformação
digital, a Youse (com mais de R$500 milhões de
investimentos), a Pitzi (seguros para celulares) que tem um
mercado gigante e acabou de anunciar rodada de R$60
milhões de investimentos, e a Pier, startup que também
tem um seguro para celulares e que já atingiu mais de 5 mil
clientes.
Em 8 aquisições, o destaque vai para as aquisições
da Bidu, pela Thinkseg (valor não divulgado), da
PraxisSolutions pela Qualicorp por R$24 milhões, da IT’sSEG
pelo fundo Actis, por U$100 milhões. O acordo pioneiro foi o
da CortaContas, insurtech fundada em 2009, em São Paulo,
do grupo Buscapé, que foi adquirida pelo portal chileno
ComparaOnline em 2013.
Nesses dados de aquisições e fusões, desconsideramos
os casos de Admix (adquirida pela AON em 2017, por
R$1,7 bilhão) e a aquisição da operação brasileira da
Multiasistencia, pela Allianz, por se tratarem de empresas
tradicionais do setor, não caracterizando uma insurtech, em
suas naturezas.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 20
Concentração de Seguradoras no mercado
Desde 2002, o cenário de monopólio das maiores seguradoras não sofreu grandes alterações. As 5 maiores empresas
do setor oscilam com uma porcentagem que beira os 50% desde aquela época. Confira o gráfico abaixo.
Fonte: SUSEP, base por Faturamento
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 21
Os maiores players (base 2018)
A Susep, Superintendência de Seguros Privados, uma autarquia da Administração Pública Federal brasileira,
divulgou as 10 maiores empresas do ramo de seguros em 2018. É possível notar que, os primeiros colocados, pertencem
aos grandes bancos do país.
Fonte: SUSEP, base por Faturamento
BBMAPFRE
BRADESCO
CAIXA +22% EM 2 ANOS
ITAÚ
TALANX AG (HDI)
PORTO SEGURO
ZURICH
TOKIO MARINE
SUL AMERICA
LIBERTY
R$ 16.723.542.070
R$ 9.789.834.698
R$ 6.434.248.238
R$ 4.919.601.842
R$ 3.845.962.282
R$ 12.191.958.464
R$ 9.048.579.998
R$ 5.154.868.909
R$ 4.152.240.332
R$ 3.599.711.620
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 22
Tipos de seguros mais buscados
Como já falado, alguns tipos de seguros estão em constante crescimento, como os de saúde e os seguros de vida.
Abaixo, você vai conhecer quais são os tipos de seguros mais buscados.
Fonte: SUSEP, base por Faturamento
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 23
Qual o tamanho
da mudança?
82% dos executivos de seguros concordam que a
revolução digital vai modificar a estrutura econômica
das corporações.
Fonte: Deloitte (2018)
82%
Quais caminhos
o mercado de
seguros está tomando?
Em meio a tantas mudanças, o cenário das
seguradoras está evoluindo. E, grande prova disso,
é a transformação digital pela qual o segmento está
passando. Acima, você pôde ver um pouco sobre a
mudança do cenário. Mas, abaixo, você vai conhecer
mais sobre os caminhos percorridos pelas seguradoras.
Seguros + Digital
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 24
O que é Transformação
Digital em Seguros, na
prática?
Conselheiro Virtual
Integra linguagem natural, machine learning e apps de
pesquisa com voz. Ideal não só para novas vendas, mas
para Customer Success também.
Ecossistema
Cerca de 76% das seguradoras concordam que a vantagem
competitiva não será determinada pela empresa sozinha,
mas pela força que parceiros e ecossistemas que
escolheram.
Coach de riscos
A big data pode converter tanto informação em
recomendações, alertas e intervenções.
O papel proativo traz benefícios para clientes e empresas.
Seguros de vida e automóveis (com IoT) são os mais
impactados.
Seguro Plug-n-Play
Garantia estendida com parceiros como a indústria e
varejistas, a partir de dados dos produtos e pessoas.
Seguros com o mínimo de fricção para compra.
Operador P2P
A democratização dos dados abertos, tais como o Cadastro
Positivo, e de avanços em Data Analytics, podem gerar
oportunidades de negócio para intermediar seguros em
grupo, onde todos são co-participantes e obtêm ajuda
mútua, criando também um senso de comunidade.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 25
Números gerais da
Indústria de seguros
A indústria de seguros tem crescido bastante nos últimos tempos. Isso
se deve, de certa forma, ao fato de que as pessoas estão mais preocupadas
em se protegerem de possíveis riscos. Além de sofrer grande influência do
atual momento econômico e político pelo qual o nosso país está passando.
O setor de seguros está crescendo como um todo, mas existem alguns
segmentos dentro dele que se destacam mais, também como um reflexo da
situação atual do Brasil. Em 2019, o setor de seguros residenciais evoluiu
muito. O crescimento, nos nove primeiros meses do ano foi de 5,70%,
alcançando 14% em setembro.
Para 2020, a aposta é nos planos previdenciários, que lideram o
mercado de seguros. Devido às mudanças que a Reforma da Previdência
está trazendo para a vida dos brasileiros, a previdência privada vai ter um
destaque ainda maior nos próximos anos.
Mas, apesar dos brasileiros estarem se preocupando mais com seus
bens e o futuro, uma pesquisa feita pela Federação Nacional de Previdência
Privada e Vida, a FenaPrevi, apontou que apenas 18% da população brasileira
compra algum tipo de seguro.
Em contrapartida, dados da Confederação Nacional das Empresas
de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar
e Capitalização - Confederação nacional das Seguradoras (Cnseg), o
faturamento da indústria de seguros cresceu bastante em setembro de 2019,
em comparação ao mesmo mês de 2018. O valor ultrapassou os R$ 21,805
bilhões. Nas próximas páginas você irá conseguir ter uma visão maior sobre
o cenário das seguradoras no Brasil, confira!
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 26
Estrutura do
mercado de seguros
Vamos entender como funciona a estrutura do
mercado de seguros hoje no Brasil.
▶ Resseguradores;
▶ CNSP - Conselho Nacional de Seguros Privados;
▶ SUSEP - Superintendência de Seguros Privados;
▶ Sociedades autorizadas a operar em seguros privados;
▶ Corretores habilitados.
Além dessas instituições, existem outras três entidades
importantes que também fazem parte do mercado de seguros,
capitalização e previdência complementar aberta:
▶ Escola Nacional de Seguros;
▶ ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar;
▶ IRB Brasil Re - IBR Brasil Resseguros S/A.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 27
Resseguros
Os resseguros são, basicamente, o seguro dos riscos de uma
seguradora. Servem, principalmente, para ajudar a cobrir sinistros de alto
risco que as mesmas assumem.
CNSP
O CNSP, ou Conselho Nacional de Seguros Privados é o órgão normativo
das atividades de seguros no Brasil, vinculado ao Ministério da Fazenda. Ele
é responsável pela demanda das diretrizes e normas políticas de seguros
privados. Foi criado em Decreto-Lei nº 73, de 21 de Novembro de 1966.
SUSEP
A SUSEP é a Superintendência de Seguros Privados, ou seja, o órgão
responsável pela fiscalização e controle do mercado de seguros, capitalização,
resseguros e previdência privada aberta.
Em, Novembro de 2019, a SUSEP informou que, por meio de Medida
Provisória expedida pela Presidência da República, deixou de regular a
categoria de corretores de seguros. O que isso significa? Que agora a
categoria irá se autorregular, trazendo mais eficiência e liberdade para o
setor de seguros.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 28
Responsabilidades da SUSEP
1. Fiscalizar a constituição, organização, funcionamento e operação das
Sociedades Seguradoras, de Capitalização, Entidades de Previdência
Privada Aberta e Resseguradores, na qualidade de executora da
política traçada pelo CNSP;
2. Proteger a captação de poupança popular, que é feita através das
operações de seguro, previdência privada aberta, de capitalização e
resseguro;
3. Defender os interesses dos consumidores dos mercados
supervisionados;
4. Visar maior eficiência do Sistema Nacional de Seguros Privados e do
Sistema Nacional de Capitalização;
5. Promover a estabilidade dos mercados sob sua jurisdição, assegurando
sua expansão e o funcionamento das entidades que neles operem;
6. Zelar pela liquidez e solvência das sociedades que integram o mercado;
7. Disciplinar e acompanhar os investimentos daquelas entidades, em
especial os efetuados em bens garantidores de provisões técnicas;
8. Cumprir e fazer cumprir as deliberações do CNSP e exercer as
atividades que por este forem delegadas;
9. Prover os serviços de Secretaria Executiva do CNSP.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 29
Faturamento do setor x PIB
Como você já viu, o cenário está favorável para a indústria das seguradoras no Brasil. O aumento, de setembro
de 2018 a setembro de 2019, chegou a 18,6%, o que corresponde a R$ 21,805 bilhões. Isso, segundo dados da Confederação
Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização - Confederação
Nacional das Seguradoras (Cnseg). Além disso, o PIB também vem demonstrando um crescimento significativo. Em 2000,
ele estava em 2%, já em 2017, o salto foi para 6%. Em 2018, o setor de seguros fechou o ano com uma arrecadação que
ultrapassou os R$ 245 bilhões.
Atualmente, o setor de seguros no Brasil corresponde a 6,6% do PIB da nossa economia, ficando na 14ª posição
mundial do segmento. A aposta é que, para 2020, o mercado de seguradoras brasileiras consiga atingir a 8ª posição global.
No primeiro quadrimestre de 2019, o faturamento das seguradoras alcançou a marca de R$ 81 bilhões. O que significa um
aumento de 4.9% quando comparado ao mesmo período de 2018.
Mas, este resultado exclui algumas áreas, como a de saúde complementar e o Seguro de Danos Pessoais causados
por Automotores de Via Terrestre, o famoso DPVAT.
Ramos de seguro que tiveram forte crescimento em 2019
Por outro lado, alguns ramos de seguros tiveram grande destaque relativo ao seu crescimento até abril de 2019.
52,5% 38,4% 16,1% 14,8%
Seguros Marítimos
e Aeronáuticos
Créditos
e garantias
Patrimoniais Planos de risco em
cobertura de pessoas
A expectativa da Cnseg é que, em 2019, haja um crescimento em torno de 6,9% para o mercado de seguradoras do
Brasil. Dessa forma, o Produto Interno Bruno (PIB), teria um crescimento de 1,3% ao ano. Atualmente, o PIB do mercado de
seguros representa 6,6% do PIB dos Consumidores
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 30
Market Share das seguradoras brasileiras
Atualmente, no Brasil, existem 98 mil corretoras que vendem os planos de seguro de 119 seguradoras.
Quase metade de volume processado pelo mercado de seguros, 43%, ficou concentrado com as 5 maiores
seguradoras do Brasil em 2018. Os 57% restantes estão divididos entre as demais empresas de seguros, segundo a Susep.
Esses 5 maiores players são:
▶ BB/MAPFRE, COM UM MARKET SHARE DE R$ 16.723.542.070;
▶ PORTO SEGURO, COM UM MARKET SHARE DE R$ 12.191.958.464;
▶ BRADESCO, COM UM MARKET SHARE DE R$ 9.789.834.698;
▶ ZURICH, COM UM MARKET SHARE DE R$ 9.048.579.998;
▶ CAIXA, COM UM MARKET SHARE DE R$ 6.434.248.238.
Tirando a Porto Seguro e a Zurich, os outros três grandes players do mercado estão ligados a grandes bancos. Para
manter o monopólio, os bancos estão em busca de parcerias e fusões para ganhar mais competitividade no mercado.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 31
Categorização de tipos de seguro
Existem, no Brasil, cerca de 95 ramos de seguro. Dentre eles, alguns mais específicos e pouco conhecidos, como os
seguros de responsabilidade civil, que possuem, ao todo, 12 diferentes ramos. Mas, a Superintendência de Seguros privados,
a Susep, que regula o setor, classifica os seguros em 16 grupos, que você vai conferir logo abaixo:
Patrimonial:
Seguros contra incêndios e roubo de imóveis, além dos seguros compreensivos residenciais, condominiais e empresariais.
Riscos especiais:
Seguros contra riscos de petróleo, nucleares e satélites.
Responsabilidades:
Seguros contra indenizações por danos materiais ou lesões corporais a terceiros por culpa involuntária do segurado.
Cascos (em “run off”):
Seguros contra riscos marítimos, aeronáuticos e de hangar.
Automóvel:
Seguros contra roubos e acidentes de carros, de responsabilidade civil contra terceiros.
Transporte:
Seguros de transporte nacional e internacional e de responsabilidade civil de cargas, do transportador e do operador.
Riscos financeiros:
Seguros diversos de garantia de contratos e de fiança locatícia.
Crédito (em “run off”):
Seguros de crédito à exportação e contra riscos comerciais e políticos.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 32
Pessoas coletivo:
Seguros coletivos de vida e acidentes pessoais, vida com cobertura para risco de sobrevivência, prestamista e educacional.
Habitacional:
Seguros contra risco de morte e invalidez do devedor e de danos ao imóvel financiado.
Rural:
Seguros agrícola, pecuário, de florestas e penhor rural.
Outros:
Seguros no exterior e de sucursais de seguradoras no exterior.
Pessoas individuais:
Seguros individuais de vida e acidentes pessoais, vida com cobertura para risco de sobrevivência, prestamista e educacional.
Marítimos:
Seguros compreensivos para operadores portuários, responsabilidade civil facultativa para embarcações e marítimos.
Aeronáutico:
Seguros de responsabilidade civil facultativa para aeronaves, aeronáuticos, responsabilidade civil de hangar e
responsabilidade do explorador ou transportador aéreo.
Microsseguros:
Microsseguros de pessoas ou danos.
Saúde:
Seguros de saúde.
A esses grupos, ainda deve-se acrescentar mais um, o grupo agregado relativo aos seguros de saúde, que atualmente
é regulado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar, a ANS. Um dos ramos de seguro que tem mostrado grande adesão
dos brasileiros é o de seguro de vida. Até março de 2019, ele estava em 9,9%, subindo para 11,5% em junho e atingindo 12,6%
até setembro. Isso, se comparado ao mesmo período de 2018.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 33
Principais dores desse mercado
Quando falamos em seguros, a primeira coisa que vem à cabeça é burocracia: “a papelada”. Inclusive, esse é um
grande bloqueio para uma futura contratação. Sendo a falta de inovação a principal dor deste mercado. Em um mundo onde
as pessoas estão acostumadas com melhorias tecnológicas, deixar de olhar para esses comportamentos na transformação
digital pode ser fatal para qualquer empresa, até mesmo as mais consolidadas.
É nesse ponto que as insurtechs ganham força. Pois, chegam com toda tecnologia e melhoria de produtos que
faltam nas seguradoras tradicionais. Antigamente, o perfil dos segurados era analisado de uma forma geral, muitas vezes,
fazendo com que pessoas com perfis totalmente diferentes pagassem o mesmo valor pelo seguro, sem antes, analisar
variáveis que fazem toda a diferença para a empresa como para o consumidor.
Hoje, por exemplo, algumas insurtechs de seguro de carro, com a ajuda de tecnologia, conseguem fazer essas
análises, por meio de inteligência artificial e levantam pontos mais críticos, como a forma com que seu cliente dirige.
Assim, é possível fazer uma análise mais assertiva do perfil do segurado.
A transformação tecnológica chega para ajudar em todo ecossistema de seguros:
▶ Na análise do perfil do segurado;
▶ Na melhoria dos processos operacionais (sinistros, contratação, etc.);
▶ Na facilidade em aquisição de novos clientes;
▶ Na gestão da cobrança;
▶ Na redução de inadimplência.
Por exemplo: a solução da Vindi ajudou seus clientes no setor de
seguros a recuperarem aproximadamente 1 milhão de reais em inadimplência.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 34
Distribuição geográfica
Ao analisarmos a distribuição geográfica do mercado de seguros no Brasil, notamos que a região Sudeste
possui mais de 60% do faturamento, seguida da região Sul, com 18%, somando mais de 78% entre as duas regiões.
(Dados Sincor/ Neste cálculo foram excluídos o VGBL e o seguro saúde)
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 35
Eventos de Inovação para Seguradoras
Os eventos são importantíssimos para estabelecer networking e estar a par de todas as novidades do mercado de
seguradoras, além do conteúdo, claro. Por isso, separamos alguns eventos que podem ajudar na transformação digital que
sua empresa precisa.
COMPRE COM 15% DE DESCONTO!
Código: VINDI
Insurtech Brasil
O evento, realizado pelo site Conexão Fintech, une
startups e seguradoras. Além desses setores, também
é ideal para empresas de tecnologia, reguladores,
distribuidores, prestadores de serviço e demais agentes
da cadeia. Considerado o maior evento de insurtechs
da América Latina e o ponto de encontro anual das
insurthecs no Brasil, visa desenvolver um ecossistema
entre a tecnologia e a inovação em seguros.
Edição: 4º.
Público: aproximadamente 1.600 pessoas.
Duração: aproximadamente 1 dia.
Recorrência
Antes, o evento era chamado de Assinaturas Day e
teve sua primeira edição realizada em 2014. Surgiu com
o intuito de reunir as principais empresas do segmento
para discutir as tendências e o rumo dos modelos de
negócio baseados na recorrência, modelo que permite
que toda empresa venda de forma recorrente para
seus clientes, baseando o consumo em acesso, não em
propriedade.
Edição: 8º.
Público: aproximadamente 1.000 pessoas.
Duração: 1 dia.
FAÇA PARTE DESSA TRANSFORMAÇÃO!
www.sympla.com.br/insurtech-brasil-2020 www.recorrencia.com.br/evento
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 36
Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros
Realizado pela Fenacor (Federação Nacional dos
Corretores de Seguros Privados e de Resseguros, de
Capitalização, de Previdência Privada, das Empresas
Corretoras de Seguros e de Resseguros), é um evento
que visa discutir os principais assuntos de interesse dos
corretores de seguros e do mercado, novidades em produtos
e serviços, como um espaço para proporcionar networking.
A última edição foi realizada em um resort na Bahia.
Edição: 22º.
Público: aproximadamente 3.500 pessoas.
Duração: aproximadamente 3 dias.
Outros eventos da Fenacor.
Insurance Service Meeting
O evento, realizado pela CNseg, é ideal para
executivos e especialistas das áreas de TI, Negócios,
Produtos e Serviços das empresas do setor de seguros
- especialmente para quem busca inovação e avanços
tecnológicos no setor. Com palestrantes de diversas
áreas, o evento traz assuntos em vendas, tecnologia,
criatividades, desafios regulatórios, entre outros.
Edição: 13º.
Público: aproximadamente 500 pessoas.
Duração: aproximadamente. 2 dias.
Outros eventos da CNseg.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 37
Global Insurtech Summit.
Realizado pela Fintech Global e AltAssets, este
evento é indicado para líderes de empresas no segmento
de seguros. Sendo um dos eventos mais completos do
mundo, traz assuntos como problemas críticos que
impactam o mercado de seguros e insurtechs, tendências
no mundo digital, competitividade, tecnología, modelos
de negócios, entre outros assuntos.
Edição: -.
Local: Londres, UK,
Público: aproximadamente 1.000 empresas.
Duração: aproximadamente 5 dias.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 38
4
Transformação
digital em
seguros e as
insurtechs.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 39
Transformação digital em seguros
Assim como o advento das fintechs (startups de tecnologia financeira), as insurtechs são grandes motores para
a transformação digital dos seguros no mundo. Insurtechs são, na sua essência, toda empresa inserida na indústria de
seguros que se propõe a uma nova experiência na hora de vender esse tipo de serviço.
O que são insurtechs?
Os termos insurance (seguro) e technology (tecnologia) deram nome a esse novo tipo de empresa, que usa
tecnologia para prestar um serviço tão importante: assegurar pessoas, empresas, contratos e etc. Empresas como a
americana Lemonade, e a a inglesa Neos, são algumas das insurtechs que impulsionam todo o mercado de seguros para
uma digitalização e transformação.
Em uma pesquisa feita pela nossa equipe no Crunchbase (base de dados do Techcrunch), listamos cerca de 788
insurtechs no mundo, com 857 rodadas de investimento (até 31/10/2019) e com U$8,1 bilhões de “grana” recebida por essas
insurtechs.
Fonte: Crunchbase
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 40
Essas rodadas de investimento das insurtechs começaram a se intensificar e aumentar de patamares (em termos
de volume) à partir de 2016. Duas insurtechs foram ao IPO (oferta pública inicial de ações): a americana Scor e a francesa
Guidewire Software. Ao mesmo tempo, 50 foram adquiridas e/ou adquiriram soluções complementares dentre essa lista
de 857 insurtechs do Crunchbase.
E, o maior valor envolvendo uma transação de compra e venda de uma insurtech, foi em 2011, quando a Scor
adquiriu a Transamerica Reinsurance por U$913 milhões.
No Google Trends, a busca pelo termo “insurtechs” cresceu muito nos últimos 5 anos, mostrando o real interesse do
mercado nesse assunto.
Fonte: Crunchbase
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 41
U$913 MILHÕES
MILHÕES FOI O MAIOR VALOR DE UMA TRANSAÇÃO
ENVOLVENDO UMA INSURTECH
(A SCOR ADQUIRIU A TRANSAMERICA REINSURANCE).
Dados insurtechs internacionais
Fonte: Crunchbase
788
INSURTECHS
50 AQUISIÇÕES
857 RODADAS DE
INVESTIMENTOS
2 IPO´S
U$8,1 BILHÕES DE
INVESTIMENTO
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 42
Top 10 insuterchs
globais
Em uma pesquisa interna, fizemos uma lista de
insurtechs globais que merecem atenção e que estão
revolucionando seus mercados. A lista de top 10 insurtechs
globais dá uma visão do que está acontecendo em outros
lugares. Veja a seguir.
▶ BIMA
Cidade: Estocolmo
País: Suécia
Fundada em: 2010
Site: www.bimamobile.com
Sobre: especializada em microsseguros, a Bima
é fantástica! Oferece seguros e serviço de saúde
através de smartphones.
▶ Oscar
Cidade: Nova York
País: EUA
Fundação: 2013
Site: www.hioscar.com
Sobre: a fantástica Oscar é uma americana que está
revolucionando o seguro de saúde nos EUA.
▶ Acko
Cidade: Mumbai
País: Índia
Fundada em: 2017
Site: www.acko.com
Sobre: a indiana Acko oferece um serviço de seguros
de carros, motos e bicicletas muito acessível
- e inteligente.
▶ Zhong An
Cidade: Shanghai
País: China
Fundação: 2013
Site: www.zhongan.com
Sobre: a Zhong An é a primeira seguradora totalmente
online da China, com todos os tipos de seguro.
▶ Shift Technology
Cidade: Paris
País: França
Fundada em: 2014
Site: www.shift-technology.com
Sobre: a francesa Shit Tecnhology presta um serviço
crítico: seguro contra fraudes. Usa inteligência
artificial nos produtos e serviços oferecidos.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 43
▶ Neos
Cidade: Londres
País: Reino Unido
Fundação: 2016
Site: www.neos.co.uk
Sobre: a Neos é uma das maiores do mundo e
também resolve a questão de seguros residenciais
de uma forma muito inteligente.
▶ Quantemplate
Cidade: Londres
País: Reino Unido
Fundação: 2013
Site: www.quantemplate.com
Sobre: outra infraestrutura poderosa para insurtechs.
A “Quant” é um SaaS que possibilita análise de dados
muito poderosas.
▶ Lemonade
Cidade: Nova York
País: EUA
Fundada em: 2015
Site: www.lemonade.com
Sobre: seguros para aluguéis e donos de imóveis
nunca foram os mesmos desde a chegada da
Lemonade.
▶ Trōv
Cidade: Danville
País: EUA
Fundada em: 2012
Site: www.trov.com
Sobre: a Trov é uma das mais completas. Oferece,
digitalmente, seguros residenciais, para carros,
eletrônicos e contrato de aluguéis.
▶ Slice
Cidade: Nova York
País: EUA
Fundada em: 2015
Site: www.slice.is
Sobre: embora não ofereça seguros, a Slice é uma
poderosa infraestrutura (SaaS) para insurtechs em
todos os lugares.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 44
E no Brasil, como andam as insurtechs?
Por aqui, o negócio de seguros é dos mais promissores do mundo. Porém, o PIB de seguros ainda está nas mãos dos
grandes bancos e grandes conglomerados. Cerca de 80 grupos, controlam a maior fatia da economia de seguros no Brasil.
Mas há uma grande possibilidade de inovação. Existe uma transformação digital de seguros no Brasil nascendo.
Desde o surgimento de startups como Bidu e Minuto Seguros, o país fez um ensaio para a digitalização de venda e
negociação de seguros. Mas, nada foi tão importante para uma transformação quanto o nascimento e chegada da Youse.
A empresa, nascida de uma união com a Caixa Seguradora, mudou a dinâmica do seguros no país. A Youse é, de fato, um
dos maiores cases de transformação digital que temos por aqui.
Insurtechs brasileiras: funding e aquisições.
Em uma pesquisa entre as plataformas Crunchbase e CBInsights, encontramos apenas 15 empresas que se auto
intitulam insurtechs. Já quanto às empresas digitais relacionadas aos seguros e seguro saúde, encontramos 101 empresas
listadas, com funding (investimento recebido) de R$187,5 milhões. O caso mais recente foi o da Pitzi, startup de seguros de
celulares, que recebeu R$60 milhões de investimento, liderado pelo fundo QED. A Pitzi, é um dos bons casos de que seguros
não se limitam a vida e automóveis. Para se ter uma ideia, apenas 4% dos smartphones no país possuem algum tipo de
seguro.
Tem tanto espaço no Brasil para inovação em seguros, que fica até difícil fazer uma leitura de qual segmento dessa
indústria irá tomar a dianteira em transformação. Alguns reports recentes feitos pelo Distrito, e por consultorias globais,
apontam que a grande oportunidade esteja em seguros de vida. Outras pesquisas apontam os seguros saúde e assim
por diante. Outra fonte importante é o evento Insurtech Brasil, que reúne as principais novidades e iniciativas do setor. O
evento, capitaneado pelo site Conexão Fintech, ilustrou um mapa das insurtechs no Brasil, veja o link.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 45
R$500 MILHÕES
FOI O MAIOR VALOR DE UMA TRANSAÇÃO
ENVOLVENDO UMA INSURTECH
(VOLUME DE RECURSOS INVESTIDOS NA YOUSE)
Dados de insurtechs brasileiras
Fonte: Insurtech Basil | Crunchbase
62 INSURTECHS
BRASILEIRAS
8 AQUISIÇÕES
44 RODADAS DE
INVESTIMENTOS
2 IPO´S
U$187,5 MILHÕES
DE INVESTIMENTO
(CERCA DE R$787 MILHÕES)
DATA REFERÊNCIA - NOV/19
É um mercado pronto para um verdadeiro disrtupt (ser transformado).
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 46
▶ Health 4 Pet
Cidade: São Paulo
Fundada em: 2013
Site: www.health4pet.com.br
Sobre: plano de saúde para cães e gatos. Alia
cuidados e tecnologia no acesso ao que há de melhor
na medicina veterinária.
▶ Thinkseg
Cidade: São Paulo
Fundação: 2016
Site: www.thinkseg.com
Sobre: inovadora e com fome em aquisições, a
Thinkseg é primeiro seguro auto do Brasil, em que
você paga o quanto usa.
▶ Youse Seguros
Cidade: São Paulo
Fundada em: 2015
Site: www.youse.com.br
Sobre: a Youse (grande case brasileiro) reinventou a
forma como pessoas compram seguros.
10 Insurtechs Brasileiras
que mudam o setor
Em uma pesquisa interna, fizemos uma lista de
insurtechs globais que merecem atenção e que estão
revolucionando seus mercados. A lista de top 10 insurtechs
brasileiras dá uma visão do que está acontecendo em outros
lugares. Veja a seguir.
▶ No Faro
Cidade: Porto Alegre
Fundada em: 2015
Site: www.nofaro.com
Sobre: a excelente No Faro é um plano de saúde
Pet para cachorros e gatos, com contratação e
acompanhamento online. E é 100% digital!
▶ Cilia
Cidade: Goiânia
Fundação: 2012
Site: www.cilia.com.br
Sobre: focada em oficinas, a Cilia ajuda seguradoras
e reguladoras a fazer a gestão de sinistros e
orçamentos. Vendeu participação para a Thinkseg.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 47
▶ TEx
Cidade: São Paulo
Fundação: 2009
Site: www.textecnologia.com.br
Sobre: a TEx é um SaaS que permite a gestão de
cálculos, de mensagens, comissões e diversos
serviços para corretores e seguradoras.
▶ Pitzi
Cidade: São Paulo
Fundação: 2012
Site: www.pitzi.com.br
Sobre: pioneira em seus serviços, a Pitzi é um seguro
para smartphones contra acidentes.
▶ Pier
Cidade: São Paulo
Fundada em: 2018
Site: www.pier.digital
Sobre: a Pier é uma insurtech que oferece seguros
digitais para celulares.
▶ Suthub
Cidade: São Paulo
Fundada em: 2017
Site: www.suthub.com
Sobre: a Suthub é uma das plataformas pioneiras em
fornecer soluções e integrações para o mercado de
seguros.
▶ Ciclic
Cidade: São Paulo
Fundada em: 2017
Site: www.ciclic.com.br
Sobre: a Ciclic é uma plataforma 100% digital que
oferece seguros viagens, celular, previdência privada
entre outros serviços.
Distribuição por
vertical no Brasil:
FONTE: Conexão Fintech
Agregador
Distribuição e Subscrição
Corretores online
Seguro online
Saúde
Assistência
Infraestrutura
10%
17%
19%
2%
10%
12%
31%
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 48
Mapeamento de Insurtechs no Brasil:
FONTE: Insurtech Brasil
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 49
5
Seguradoras
na Vindi.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 50
Seguradoras na Vindi
A Vindi, é uma plataforma especializada em receber
pagamentos. Possuímos um software de gestão que ajuda a
sua empresa a automatizar todo o seu processo de cobrança.
Com a plataforma Vindi, é possível tornar mais fácil a emissão
de notas fiscais, realizar a conciliação bancária e criar soluções
financeiras em diversos segmentos. E, para as as seguradoras
que estão em processo de transformação, não seria diferente!
Nossos clientes do segmento de seguros contam com
mais de 330 mil assinantes e, quando olhamos para todos
os segmentos, temos mais de 10 milhões de assinantes que
saíram do modelo tradicional de pagamentos e estão usando
a Vindi. Para o segmento de seguros, utilizar uma plataforma
de pagamentos é ainda mais importante. Imagine o seguinte
caso: seu cliente esquece de realizar o pagamento do seguro e
algo acontece, o carro bate, o celular é roubado ou um acidente
ocorre. Se o seguro estiver atrasado, seu cliente vai ter problemas
ainda maiores.
Em contraponto, os clientes das seguradoras que cobram
com a Vindi nem sabem o que é isso. Eles efetuam o pagamento
sem atraso e podem desfrutar sem problemas dos benefícios
do seguro, seja qual for. Com a Vindi, seu cliente pode pagar
através da recorrência, um modelo de pagamentos baseado
em assinaturas, planos ou mensalidades, fazendo com que o
atraso e a inadimplência da sua empresa diminua. E por falar
em inadimplência, você já deve ter lido por aí que ela pode ser
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 51
uma das principais causas que levam um negócio à falência.
Por isso mesmo, é preciso dar atenção ao assunto e trabalhar
para reduzir os números negativos. Assim, você pode direcionar
seus esforços para atrair novos clientes, ou na retenção dos já
existentes.
No segmento de seguradoras, a Vindi já conseguiu ajudar
nossos clientes a recuperarem mais de R$ 1 milhão de reais em
inadimplência e, quando olhamos todos os segmentos, mais de
R$ 116 milhões de reais. Sem nossos recursos de recuperação
de inadimplência, essas empresas não teriam recuperado todo
esse valor e, muito provavelmente, seus clientes teriam entrado
nas estatísticas de churn.
Por aqui, já processamos no segmento 225 milhões de
reais, sendo distribuídos em cartão de crédito (93%), boleto
bancário (6,8%) e débito em conta (0,2%). Não à toa, o cartão
de crédito é a forma de pagamento mais utilizada em qualquer
segmento. Essa é a forma mais eficaz e segura de fazer cobranças
recorrentes. Isso porque favorece aos seus clientes ao não
comprometer o limite de seu crédito e, também, porque não
exige nenhuma ação por parte do assinante para processar
o pagamento, evitando a inadimplência por esquecimento,
por exemplo.
Em 2018, o segmento de seguro, aqui na Vindi, teve
um ticket médio de R$ 310 no ano, mas esse número pode
chegar até R$ 3.000 quando falamos em seguro automotivo,
por exemplo. A taxa média de aprovação dessas cobranças
é de 78,48% e o método de pagamento que mais aprova é o
cartão de crédito, com 83,44%, seguido de boleto bancário
com 52%. Isso comprova que o cartão de crédito ainda é
método de pagamento mais eficaz para diminuir as taxas de
inadimplência e cancelamentos.
Um dos maiores desafios do mercado de seguros no
Brasil é abrir as possibilidades das soluções que já estão
disponíveis no mercado, e que podem trazer benefícios
para o setor. A Vindi, é um dos melhores cases, que, como
uma plataforma de pagamentos, gera sinergia com as
seguradoras.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 52
6
Bônus de
leitura
(Cases)
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 53
YOUSE
A Youse chegou ao mercado brasileiro com uma proposta
inovadora: fazer a venda de seguros da Caixa Seguradora
exclusivamente por meio das plataformas digitais. Além do processo
de compra 100% online (via desktop ou mobile), o consumidor tem
a liberdade de personalizar a apólice, combinando seguros para
carro, casa e vida. Além disso, o serviço é cobrado mensalmente
(olha a recorrência aí de novo).
Para ter uma ideia do potencial desse mercado, apenas um
em cada três carros possui seguro automotivo no País e, apenas
uma em cada dez casas, está protegida com seguro residencial.
A partir desse momento, a Youse dava os seus primeiros passos
dentro do prédio da própria Caixa Seguradora, em Brasília. E, após
alguns meses, a operação se mudaria para São Paulo já sob o nome
Youse e com o trabalho de concepção de marca concluído.
Os seguros online são uma nova categoria e, a Youse,
tem conseguido atrair pessoas que estão contratando esse tipo
de serviço pela primeira vez - e que valorizam as facilidades
proporcionadas pela tecnologia. Hoje, o produto, que já foi
chamado de Uber dos Seguros, inova no mercado com uma
proposta de seguradora 100% digital. Ela cresce 25% ao mês em
faturamento — uma performance que coloca a Youse no caminho
de ser um unicórnio brasileiro.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 54
Além do DNA digital da seguradora, outro ingrediente de
todo esse sucesso é o marketing orientado a dados. O marketing
é o ponto de entrada do processo de aquisição de clientes. Logo,
não é apenas uma base de comunicação. Toda a geração de leads e
prospecção ocorre por meio de uma ação de marketing orientada
pelos dados, seja no digital ou no offline. Tudo o que é feito é
baseado em dados, e não em suposições.
Falando em dados, a Youse também investe em outras
tecnologias disruptivas, como Telemetria e IA, para melhorar a
experiência de seus usuários, coletando e analisando seus dados.
De acordo com Loren Monteiro, gerente de produtos da Youse,
outra novidade que a empresa está preparando é o botão de
pânico para o seu app principal, o YouSe Hero, que avisará três
pessoas pré-selecionadas pelo segurado em caso de emergência.
A inteligência artificial é outra etapa que as empresas de
segurança visualizam em suas plataformas mobile. A Youse já
utiliza a tecnologia em sua funcionalidade de vistoria de carros.
Mas, em breve, pretende adicionar um chatbot para facilitar
a comunicação com o cliente, além de machine learning na
precificação.
BRASIL
4 ANOS
WWW.YOUSE.COM.BR
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 55
GENERALI
A Generali é um dos maiores grupos globais de gestão de
ativos e seguros. Fundada em 1831, está presente em 50 países no
mundo, com uma receita total de prêmios de mais de € 66 bilhões
em 2018. Com quase 71.000 funcionários e 61 milhões de clientes,
tem uma posição de liderança na Europa e presença crescente
na Ásia e na América Latina. O Grupo Generali pretende ser o
parceiro vitalício de seus clientes, oferecendo soluções inovadoras
e personalizadas graças a uma inigualável rede de distribuição.
Nos últimos tempos, o Grupo Generali vem buscando se
posicionar como uma companhia mais simples e mais inteligente.
A proposta é atuar de forma rápida, trazendo inovações no
âmbito tecnológico. Prova disso é que, o MIT Technology
Review, importante publicação do Instituto de Tecnologia de
Massachusetts, reconheceu o Grupo Generali, em 2015, como uma
das 50 empresas mais inteligentes do mundo - sendo a única
seguradora neste ranking.
Com as operações equilibradas em países financeiramente
maduros, como Itália, Alemanha e França, além da Europa Centro-
Oriental, o Grupo Generali tem buscado expandir a sua atuação
em mercados com grande potencial de crescimento, como a Ásia
e a América Latina.
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 56
A Generali foi ranqueada como o melhor grupo mundial de
seguros, segundo a lista “Empresas mais Conceituadas do Mundo”
desenvolvida pela Forbes em colaboração com a “Statista”, líder
em análise de mercado e consumo global. A Generali ocupa a mais
alta classificação em comparação com qualquer outro grande
grupo de seguros no mundo.
Um dos principais pilares da empresa para sustentar todo
esse crescimento, é investir na transformação digital do grupo,
construindo e implementando uma plataforma de mobilidade
por toda a Europa, além de desenvolver ecossistemas B2B2C
para digitalizar o relacionamento entre o agente e o cliente. A
Generali é outro player que pretende aumentar a automação e
a inteligência artificial em operações essenciais, assim como a
participação de políticas digitais de ponta a ponta.
ITÁLIA
188 ANOS
WWW.GENERALI.COM.BR
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 57
AMAR ASSIST
A Amar Assist é uma empresa 100% digital,
especializada em serviços de atendimento pós-saúde (funeral)
e recomposição de renda baseada em saúde. A empresa
surgiu em 2013 e possui atuação preventiva e emergencial em
todos os municípios do Brasil. Com crescimento de 185% ao
ano, a insurtech vem facilitando a vida de milhares de pessoas
através do Plano Funerário Familiar, e ganhou destaque no
setor funerário, que antes era visto como tabu.
Todo o processo, desde a contratação até o acionamento,
é feito de forma online e com procedimentos simples, trazendo
para às famílias uma honrosa despedida quando ocorre a
perda de um ente querido.
Por meio de uma plataforma tecnológica, cada associado
consegue acompanhar, em tempo real, o status do seu contrato,
bem como sinistros, irregularidades e informações pessoais. O
associado também pode alterar dados ou contatar a empresa
por meio do site a qualquer momento que for preciso.
Ampliando seu compromisso com as famílias, a startup
também pensou nos bichinhos de estimação. A despedida aos
animais de estimação é sempre um processo muito doloroso,
tanto para crianças, jovens ou adultos e, a Amar Assist, tenta
minimizar essa dor.
Para muitos, os animais são tidos como membros da
família, além de melhores amigos. Pensando nisso, a startup
criou uma opção que vem ganhando notoriedade entre os
donos de animais de estimação, que é a cremação pet: um
procedimento 100% ecológico, prático e econômico.
Cada vez mais, as famílias têm buscado opções que
facilitem esse processo, com a contratação de planos funerários
que incluem os pets.
A Amar Assist também utiliza o modelo de recorrência
para cobranças automatizadas, tanto para cartão de crédito,
quanto para boleto digital. Por meio da plataforma Vindi, a
empresa facilita a vida de milhares de clientes em todo Brasil.
BRASIL
7 ANOS
AMARASSIST.COM.BR
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 58
HEALTH FOR PET
A Health For Pet foi o primeiro plano de saúde para
cães e gatos brasileiro. Ela é fruto de um profundo estudo
para elaborar um plano de saúde para animais que unisse
qualidade, equipamentos de última geração, atendimento
personalizado e uma equipe pronta para proporcionar aos cães
e gatos uma vida mais saudável e feliz - com todo o carinho e
comprometimento que eles merecem.
Atualmente, a HFP disponibiliza praticamente todos
os recursos oferecidos pela medicina humana, incluindo
tomógrafos, ressonâncias magnéticas, UTIs veterinárias,
tratamentos oncológicos e ortopédicos, entre outros.
Todos os veterinários, clínicas e hospitais credenciados
na HFP recebem o DigiPet, que nada mais é do que um tablet
configurado com um software personalizado, que permite
o armazenamento de todas as informações do animal em
um arquivo eletrônico. Isso inclui: dados sobre vacinação,
procedimentos, resultados de exames clínicos e de imagem,
cirurgias e todo histórico veterinário.
Essa inovação, utilizada hoje nos melhores hospitais do
mundo, promove mais agilidade e segurança no atendimento.
Tudo isso só é possível graças a implantação de um microchip
para registro e acompanhamento do pet.
Outra inovação da HFP foi criar um clube de vantagens,
que oferece diversos descontos em produtos e serviços que não
são cobertos pelos planos veterinários, como medicamentos,
banho, tosa, hotel, daycare, escolas, alimentação, snacks,
acessórios e brinquedos. O PetClub acaba ajudando a
economizar e rentabilizar o investimento mensal dos planos
e mensalidades, deixando tudo mais barato e vantajoso.
Falando em mensalidades, a Health For Pet também utiliza a
plataforma Vindi para potencializar a recorrência e facilitar a
vida dos seus clientes.
BRASIL
5 ANOS
HEALTH4PET.COM.BR
(PORTO SEGURO)
T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 59
MINUTO SEGUROS
Criada em 2010 por Marcelo Blay e Manes Erlichman, a Minuto
Seguros é a pioneira em implementar o modelo de corretora online no
país. Além de ser a maior corretora de seguros de carros do Brasil, a
Minuto Seguros está entre as 100 insurtechs mais inovadoras do mundo,
segundo a Fintech Global.
Com o objetivo de trazer mais praticidade tecnológica, aliada à
conveniência do atendimento humanizado, a Minuto Seguros conta
com quase 500 funcionários e mais de 120 mil clientes, além de um
crescimento de 35% ao ano.
A corretora possui diversas integrações de sua plataforma com
seguradoras do mercado, entre elas: Azul, Allianz, Aliro, Bradesco,
HDI, Itaú Seguros, Liberty, Mapfre, Mitsui Sumitomo, Porto Seguro,
SulAmérica, Sompo e Tokio Marine.
Essa automatização oferece uma experiência rápida e eficiente para o
consumidor que busca fazer a cotação do seu seguro de forma online. A
Minuto Seguros exibe os valores
e indica um plano adequado para o cliente, além de possibilitar
personalização do plano de acordo com as necessidades do contratante.
BRASIL
10 ANOS
MINUTOSEGUROS.COM.BR
Vindi - 2019 - Todos os direitos reservados - MADE WITH LOVE IN SAO PAULO
AJUDANDO EMPRESAS E EMPREENDEDORES A VENDER MAIS E SEMPRE
comercial@vindi.com.br filial.campinas@vindi.com.br
Filial - Campinas
Rua Antônio Lapa, 280
Cambuí
Matriz - São Paulo
Rua do Paraíso, 148
Liberdade
DESCUBRA MAIS SOBRE A VINDI.
FALE COM A GENTE.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a VND_EBOOK_TRANSFORMAÇÃO_DIGITAL_SEGUROS_FINAL-1.pdf

E-Book Tendências Digitais E-Consulting Corp. 2010
 E-Book Tendências Digitais E-Consulting Corp. 2010 E-Book Tendências Digitais E-Consulting Corp. 2010
E-Book Tendências Digitais E-Consulting Corp. 2010
E-Consulting Corp.
 

Semelhante a VND_EBOOK_TRANSFORMAÇÃO_DIGITAL_SEGUROS_FINAL-1.pdf (20)

Transformação Digital - Pré, durante e pós-pandemia.
Transformação Digital - Pré, durante e pós-pandemia.Transformação Digital - Pré, durante e pós-pandemia.
Transformação Digital - Pré, durante e pós-pandemia.
 
Tendências mundiais que ajudarão a aumentar as Vendas Digitais
Tendências mundiais que ajudarão a aumentar as Vendas DigitaisTendências mundiais que ajudarão a aumentar as Vendas Digitais
Tendências mundiais que ajudarão a aumentar as Vendas Digitais
 
TrendsBook: Tendências de Marketing para 2020
TrendsBook: Tendências de Marketing para 2020TrendsBook: Tendências de Marketing para 2020
TrendsBook: Tendências de Marketing para 2020
 
Administrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no Brasil
Administrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no BrasilAdministrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no Brasil
Administrador 5.0: Protagonista da Transformação Digital no Brasil
 
The digital enterprise - reflexões e ações
The digital enterprise - reflexões e açõesThe digital enterprise - reflexões e ações
The digital enterprise - reflexões e ações
 
Transformação digital: os mais aptos sobrevivem - Léo Vitor Redondo (Softplan)
Transformação digital: os mais aptos sobrevivem - Léo Vitor Redondo (Softplan)Transformação digital: os mais aptos sobrevivem - Léo Vitor Redondo (Softplan)
Transformação digital: os mais aptos sobrevivem - Léo Vitor Redondo (Softplan)
 
Verdades e Mitos sobre TRANSFORMAÇÃO DIGITAL.pdf
Verdades e Mitos sobre TRANSFORMAÇÃO DIGITAL.pdfVerdades e Mitos sobre TRANSFORMAÇÃO DIGITAL.pdf
Verdades e Mitos sobre TRANSFORMAÇÃO DIGITAL.pdf
 
Directorio-das-TIC-2017
Directorio-das-TIC-2017Directorio-das-TIC-2017
Directorio-das-TIC-2017
 
1º Congresso da Transformação Digital & ExpoTD - Paulo Kendzerski
1º Congresso da Transformação Digital & ExpoTD - Paulo Kendzerski1º Congresso da Transformação Digital & ExpoTD - Paulo Kendzerski
1º Congresso da Transformação Digital & ExpoTD - Paulo Kendzerski
 
Abertura do 1º Congresso da Transformação Digital & ExpoTD - Paulo Kendzerski
Abertura do 1º Congresso da Transformação Digital & ExpoTD - Paulo KendzerskiAbertura do 1º Congresso da Transformação Digital & ExpoTD - Paulo Kendzerski
Abertura do 1º Congresso da Transformação Digital & ExpoTD - Paulo Kendzerski
 
Aula uva economia digital
Aula uva economia digitalAula uva economia digital
Aula uva economia digital
 
Processos Digitais como alicerce da Transformação Digital
Processos Digitais como alicerce da Transformação DigitalProcessos Digitais como alicerce da Transformação Digital
Processos Digitais como alicerce da Transformação Digital
 
As Business Trends 2016-2025, HSM Management Ed 115
As Business Trends 2016-2025, HSM Management Ed 115As Business Trends 2016-2025, HSM Management Ed 115
As Business Trends 2016-2025, HSM Management Ed 115
 
Fsb interna-fsbtrocas-silviomeira1-200701225351
Fsb interna-fsbtrocas-silviomeira1-200701225351Fsb interna-fsbtrocas-silviomeira1-200701225351
Fsb interna-fsbtrocas-silviomeira1-200701225351
 
FSB Trocas - Hakeamos silvio meira
FSB Trocas - Hakeamos silvio meira FSB Trocas - Hakeamos silvio meira
FSB Trocas - Hakeamos silvio meira
 
Fsb Trocas Silvio Meira
Fsb Trocas Silvio Meira Fsb Trocas Silvio Meira
Fsb Trocas Silvio Meira
 
ScrumRio: Transformação Digital e o Futuro do Trabalho: como se preparar?
ScrumRio: Transformação Digital e o Futuro do Trabalho: como se preparar?ScrumRio: Transformação Digital e o Futuro do Trabalho: como se preparar?
ScrumRio: Transformação Digital e o Futuro do Trabalho: como se preparar?
 
Marketing Digital
Marketing DigitalMarketing Digital
Marketing Digital
 
E-Book Tendências Digitais E-Consulting Corp. 2010
 E-Book Tendências Digitais E-Consulting Corp. 2010 E-Book Tendências Digitais E-Consulting Corp. 2010
E-Book Tendências Digitais E-Consulting Corp. 2010
 
Fundamentos da Gestão de TI
Fundamentos da Gestão de TIFundamentos da Gestão de TI
Fundamentos da Gestão de TI
 

VND_EBOOK_TRANSFORMAÇÃO_DIGITAL_SEGUROS_FINAL-1.pdf

  • 1.
  • 2. A GENTE PROMOVE A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL! APOIO E DIVULGAÇÃO: CLIQUE AQUI E FAÇA PARTE VOCÊ TAMBÉM!
  • 3. Ficha técnica Realização: Vindi Apoio e divulgação: Insurtech Brasil Redação: Daniel Silvestre Efrain Corleto Lidiane Oliveira Mariana Cremonesi Rodrigo Dantas Revisão: Efrain Corleto Lidiane Oliveira Mariana Cremonesi Rodrigo Dantas Dados e informações: Daniel Silvestre Hugo Oliveira Diagramação: Pedro Paulo Almeida Arte e produção gráfica: Pedro Paulo Almeida
  • 4. 4 Sumário 1. Introdução........................................................................................................................................05 2. O que é transformação digital?.........................................................................................06 3. Sobre o mercado de seguros no Brasil..........................................................................17 4. Transformação digital em seguros e as insurtechs.............................................38 5. Seguradoras na Vindi...............................................................................................................49 6. Bônus de leitura (Cases)..........................................................................................................52
  • 5. 5 Antes que os céticos digam algo: existe, sim, uma transformação digital em andamento no Brasil e no mundo. E, com seguros, não é diferente. Mas, antes, uma coisa: transformação digital não é mais uma buzzword (palavras usadas para vender um conceito através de um barulho na mídia e afins) que soltam para vender cursos, eventos e consultoria. O mundo é uma grande transformação e as empresas estão inseridas, diretamente, no meio das revoluções. Especialmente depois da digitalização e do advento da internet. A transformação digital mudou a comunicação, a tecnologia e a forma como consumimos produtos e serviços. E, neste material, você vai adentrar um pouco mais neste mundo. 1 Introdução
  • 7. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 7 Transformação digital é um termo amplo, mas você vai ver aqui alguns exemplos com as principais definições para ilustrar que barulho é esse. A melhor definição para transformação digital está no próprio nome: transformação das relações. Seja de empresas, países, culturas e pessoas. Parte importante das relações humanas, da compra de serviços e de produtos, passam pela digitalização da comunicação e negócios. Novos consumidores e novos mercados já nascem digitais. Porém, algumas empresas estão na vida dessas pessoas e da sociedade de forma muito presente. Por isso, empresas com algum tempo de vida estão passando ou já passaram por essa chamada “transformação digital”. Não tem mais jeito de se começar um negócio de alta escala, atualmente, sem ser digital. Essa transformação mudou rumos de empresas como Microsoft, Adobe, Nike, Fender, Ambev, Google e todos os maiores conglomerados do mundo. Para entender essa transformação digital, na prática, vale entender também que, muitas gerações nasceram sem a tecnologia tão presente e evidente nos dias de hoje. Máquinas de fotocópias (da Xerox), tratores da Caterpillar, carros da Ford e o refrigerante Coca-Cola, não nasceram digitais. Mas, essas empresas têm, hoje, grande atuação na digitalização de seus produtos. No momento de suas criações, ainda não existia a internet e, mesmo que existisse tecnologia embarcada nesses produtos, a comunicação com o cliente, a distribuição, a venda e o atendimento do serviço prestado, eram estritamente humanos. Ainda dependiam de uma relação tradicional para se relacionar com o consumidor. Hoje não mais. É uma nova forma das empresas atuarem.
  • 8. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 8 Empresas com bons exemplos de transformação digital Adobe Nike Microsoft SAP Netflix Spotify IBM Youse do software de caixinhas para acesso do serviço no cloud. da venda de atacado para o consumidor, diretamente. de empresas de computadores pessoais para serviços online. de softwares on-premisse para o software as a service (SaaS). das locações de VHS e DVDs para o streaming de vídeo. dos CDs das gravadoras para o streaming de música. dos hardwares para serviços digitais de todos os tipos. ilustramos nesse exemplo, o case de transformação recente na indústria de seguros.
  • 9. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 9 “A transformação digital é o movimento natural e indispensável da forma como as empresas se conectam e se comportam nas relações com os clientes. É a digitalização dos serviços, da cultura da empresa e da mentalidade de como o cliente é visto. É uma nova forma de resolver problemas das pessoas. Rodrigo Dantas, CEO da Vindi Consultorias como a Accenture, McKinsey entre outras, ajudam empresas no mundo todo a encontrarem um caminho para a transformação digital, mas o processo de entendimento dessa nova forma de encarar o mercado, tem que partir de dentro. Empresas nesse processo de mudança, mudam suas culturas, pessoas, foco, modo de vender, jeito de atender clientes e até como se comunicam de fora para dentro. É realmente uma transformação.
  • 10. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 10 Principais setores que aderiram à digitalização dos negócios Alguns setores saíram na frente na transformação digital, talvez por necessidade ou por sobrevivência e, alguns outros, por fazerem a leitura certa do que estava por vir. Você pode ver abaixo algumas empresas que tiveram essa boa leitura: Bancos e finanças – os bancos precisaram digitalizar serviços desde os anos 80. Trabalharam fortemente para atender clientes por meios digitais. Com o advento dos novos bancos e das contas digitais, essa transformação acelerou. Varejo – o e-commerce impulsionou milhares de marcas e varejistas para a venda online. Saúde – grandes redes de hospitais e empresas de saúde no mundo todo são referência em digitalizar operações.
  • 11. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 11 Esses são apenas alguns exemplos de como indústrias já estão inseridas nesta mudança. Um erro grande, cometido pelas empresas, é tentar conectar esse tipo de transformação com áreas de tecnologia (ou departamentos de TI). Erro grave, na verdade. Mais do que se tratar de uma mentalidade de áreas, todas as empresas do futuro serão empresas de tecnologia. Portanto, todas operações dessas instituições deverão aderir à digitalização de processos. Grande parte dessa digitalização é eliminar processos manuais e desenvolver as relações cliente-empresa de forma inteligente: com robôs, automação, inteligência artificial, reconhecimento de voz, entre outros tipos de tecnologia que podem ser aplicadas. No fim, o exercício da transformação digital é encontrar um caminho digital para impactar, conectar, vender, se relacionar e resolver os problemas das pessoas. Em seguros, é basicamente oferecer novos serviços e caminhos para acessar os clientes que demandam esse tipo de serviço. Não é simples, mas é viável. Telefonia – foram pioneiros na digitalização e ainda navegam no protagonismo. Mídia – o efeito Netflix e Disney entre as grandes mídias aconteceu fortemente no mundo.
  • 12. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 12 Principais erros cometidos pelas empresas na transformação digital As empresas, recebendo insights e inputs de todos os lados, começaram a buscar cegamente a transformação digital. De bancos às empresas de saúde, instituições de todos os tipos seguem desesperadas por mudar seus rumos e contratam consultorias, especialistas e elegem CIO’s (diretores de inovação). Mas, isso deveria ser bem diferente. Empresas com a vontade genuína de transformar seus negócios devem, na verdade, remodelar a forma como resolvem problemas com clientes. Isso não tem a ver, exclusivamente, com tecnologia. Tem a ver com cultura, cloud computing, redes sociais, inteligência artificial, mobilidade, internet das coisas (IOT), data science, machine learning, entre outros termos. Têm a ver com o transformação digital e renovação, porém são apenas ferramentas para se obter essa mudança. Por isso, também, as empresas erram em contratar consultorias que prometem modelos milagrosos de transformação digital. Mas, não é somente esse erro que impede empresas de mudarem, vamos a alguns pontos importantes que travam a transformação: Não irrigar a mentalidade de transformar toda a cultura na empresa; Não identificar os detratores e missionários do tema dentro da empresa; Achar que a consultoria vai resolver tudo; C-Levels e fundadores não engajados no tema; Achar que usar uma nova tecnologia vai ingressar a empresa na transformação; Acreditar demais no modelo estabelecido atual. x x x x x x
  • 13. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 13 A transformação digital muda países, economias e ecossistemas. Barreiras culturais e fronteiras são quebradas quando isso acontece. A sociedade é impactada como um todo. A McKinsey, tem um documento que ilustra bem o processo de teste e implementação de transformação digital em finanças. Apesar de ser um estudo de apenas uma indústria, esse é o guia. Veja na ilustração abaixo: Roadmap para a transformação digital da Mckinsey. Esse roadmap elabora os 10 passos para essa meta ser atingida:
  • 14. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 14 Um artigo da Harvard Business Review, ilustra bem que a tecnologia não é o principal assunto para as empresas começarem a verdadeira transformação. Mas, sim, mudar a cultura dentro de casa. Veja algumas dicas como: Esses elementos citados acima, combinados com as ferramentas certas, são os principais pontos e respostas para as empresas realmente conseguirem mudar, segundo o pesquisador Tabrizi Behnam – autor bestseller e professor de Stanford sobre organizações e cultura. TRAZER A CULTURA DO SILICON VALLEY PARA DENTRO NÃO MANTER COLABORADORES COM MEDO DA TRANSFORMAÇÃO RECONHECER OS VERDADEIROS TRANSFORMADORES DENTRO DE CASA CONHECER O CLIENTE PROPOR UMA NOVA EXPERIÊNCIA NO PRODUTO/SERVIÇO
  • 15. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 15 Maturidade digital e aceleradores da transformação Algumas consultorias analisaram a maturidade digital de mercados para identificar os aceleradores da transformação digital (técnicas e tecnologias aplicadas que criam atalhos para atingir essa maturidade). Os itens que foram analisados por essas pesquisas foram: segurança digital, acesso, uso, cultura digital e criação. Esses pontos analisados em conjunto, gerou um índice de maturidade digital de mercados e países. Já os principais aceleradores dessa maturidade foram: API- application programming interface (Interface de Programação de Aplicações) são conectores que juntam pontas de tecnologias e sistemas. São grandes aceleradoras da transformação. Na Vindi, todas seguradoras que atendemos, estão conectadas via API; Metodologias ágeis - metodologias que implementam soluções com a agilidade na empresa. São os novos modelos de gestão de projetos baseados em pequenas entregas e testes; Validação de identidade - ter uma identidade digital única será um dos grandes aceleradores da transformação digital. Empresas como a Idwall, por exemplo, conseguem acelerar o contrato de validação de documentos.
  • 16. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 16 Cultura Devops - união de pessoas, processos e tecnologias a fim de proporcionar a entrega contínua do valor para os clientes (definição Microsoft). O termo Dev vem de development e o Ops vem de operations; Aceleradores de negócios - empresas como a Vindi, idwall, Arquivei, Konduto entre outras, são as chamadas de “aceleradoras de negócios”, porque promovem o lançamento de projetos e melhoria na gestão de soluções internas A transformação digital é importante, de fato, para a evolução do mundo, das sociedades e das pessoas. E sua empresa, está pronta para essa revolução?
  • 17. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 17 3 Sobre o mercado de seguros no Brasil.
  • 18. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 18 A oportunidade em seguros se assemelha ao mercado financeiro em geral, especialmente o bancário. No Brasil, existem cerca de 120 seguradoras (de 80 grupos) mas, esse ambiente, representa apenas 1,65% do PIB no país. A evolução do faturamento segurador só cresce, mesmo tendo ainda o modelo principal de corretores como elo entre o consumidor e a seguradora. No Brasil, existem atualmente, cerca de 98 mil corretores de seguros. É um mercado que cresce cerca de 8 a 9% ao ano. Em 2018 esse setor faturou R$154 bilhões. Embora gigante, o setor de seguros ainda está nas mãos de grupos formados por conglomerados globais e grandes bancos no nosso país. Ao listar as startups brasileiras de seguros na base de dados da Insurtech Brasil, identificamos 62 que se auto denominam insurtechs. Se pesquisarmos o termo genérico de seguros + insurtechs (de imóveis, autos e afins) o número sobe para mais de 100 startups brasileiras desse setor. Os números de investimentos não são tão surpreendentes como outros setores como fintechs ou SaaS, mas mostra que tem algo por vir nesse setor de seguros.
  • 19. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 19 Das insurtechs listadas, o funding já mostra parte da tendência de que seguros serão negócios digitais. As insurtechs outliers da lista são Thinkseg, que tem fome de aquisições e que formou, na primeira etapa, um capital social de R$50 milhões. A Too Seguros (anteriormente Pan Seguros), que passa por uma verdadeira transformação digital, a Youse (com mais de R$500 milhões de investimentos), a Pitzi (seguros para celulares) que tem um mercado gigante e acabou de anunciar rodada de R$60 milhões de investimentos, e a Pier, startup que também tem um seguro para celulares e que já atingiu mais de 5 mil clientes. Em 8 aquisições, o destaque vai para as aquisições da Bidu, pela Thinkseg (valor não divulgado), da PraxisSolutions pela Qualicorp por R$24 milhões, da IT’sSEG pelo fundo Actis, por U$100 milhões. O acordo pioneiro foi o da CortaContas, insurtech fundada em 2009, em São Paulo, do grupo Buscapé, que foi adquirida pelo portal chileno ComparaOnline em 2013. Nesses dados de aquisições e fusões, desconsideramos os casos de Admix (adquirida pela AON em 2017, por R$1,7 bilhão) e a aquisição da operação brasileira da Multiasistencia, pela Allianz, por se tratarem de empresas tradicionais do setor, não caracterizando uma insurtech, em suas naturezas.
  • 20. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 20 Concentração de Seguradoras no mercado Desde 2002, o cenário de monopólio das maiores seguradoras não sofreu grandes alterações. As 5 maiores empresas do setor oscilam com uma porcentagem que beira os 50% desde aquela época. Confira o gráfico abaixo. Fonte: SUSEP, base por Faturamento
  • 21. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 21 Os maiores players (base 2018) A Susep, Superintendência de Seguros Privados, uma autarquia da Administração Pública Federal brasileira, divulgou as 10 maiores empresas do ramo de seguros em 2018. É possível notar que, os primeiros colocados, pertencem aos grandes bancos do país. Fonte: SUSEP, base por Faturamento BBMAPFRE BRADESCO CAIXA +22% EM 2 ANOS ITAÚ TALANX AG (HDI) PORTO SEGURO ZURICH TOKIO MARINE SUL AMERICA LIBERTY R$ 16.723.542.070 R$ 9.789.834.698 R$ 6.434.248.238 R$ 4.919.601.842 R$ 3.845.962.282 R$ 12.191.958.464 R$ 9.048.579.998 R$ 5.154.868.909 R$ 4.152.240.332 R$ 3.599.711.620
  • 22. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 22 Tipos de seguros mais buscados Como já falado, alguns tipos de seguros estão em constante crescimento, como os de saúde e os seguros de vida. Abaixo, você vai conhecer quais são os tipos de seguros mais buscados. Fonte: SUSEP, base por Faturamento
  • 23. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 23 Qual o tamanho da mudança? 82% dos executivos de seguros concordam que a revolução digital vai modificar a estrutura econômica das corporações. Fonte: Deloitte (2018) 82% Quais caminhos o mercado de seguros está tomando? Em meio a tantas mudanças, o cenário das seguradoras está evoluindo. E, grande prova disso, é a transformação digital pela qual o segmento está passando. Acima, você pôde ver um pouco sobre a mudança do cenário. Mas, abaixo, você vai conhecer mais sobre os caminhos percorridos pelas seguradoras. Seguros + Digital
  • 24. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 24 O que é Transformação Digital em Seguros, na prática? Conselheiro Virtual Integra linguagem natural, machine learning e apps de pesquisa com voz. Ideal não só para novas vendas, mas para Customer Success também. Ecossistema Cerca de 76% das seguradoras concordam que a vantagem competitiva não será determinada pela empresa sozinha, mas pela força que parceiros e ecossistemas que escolheram. Coach de riscos A big data pode converter tanto informação em recomendações, alertas e intervenções. O papel proativo traz benefícios para clientes e empresas. Seguros de vida e automóveis (com IoT) são os mais impactados. Seguro Plug-n-Play Garantia estendida com parceiros como a indústria e varejistas, a partir de dados dos produtos e pessoas. Seguros com o mínimo de fricção para compra. Operador P2P A democratização dos dados abertos, tais como o Cadastro Positivo, e de avanços em Data Analytics, podem gerar oportunidades de negócio para intermediar seguros em grupo, onde todos são co-participantes e obtêm ajuda mútua, criando também um senso de comunidade.
  • 25. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 25 Números gerais da Indústria de seguros A indústria de seguros tem crescido bastante nos últimos tempos. Isso se deve, de certa forma, ao fato de que as pessoas estão mais preocupadas em se protegerem de possíveis riscos. Além de sofrer grande influência do atual momento econômico e político pelo qual o nosso país está passando. O setor de seguros está crescendo como um todo, mas existem alguns segmentos dentro dele que se destacam mais, também como um reflexo da situação atual do Brasil. Em 2019, o setor de seguros residenciais evoluiu muito. O crescimento, nos nove primeiros meses do ano foi de 5,70%, alcançando 14% em setembro. Para 2020, a aposta é nos planos previdenciários, que lideram o mercado de seguros. Devido às mudanças que a Reforma da Previdência está trazendo para a vida dos brasileiros, a previdência privada vai ter um destaque ainda maior nos próximos anos. Mas, apesar dos brasileiros estarem se preocupando mais com seus bens e o futuro, uma pesquisa feita pela Federação Nacional de Previdência Privada e Vida, a FenaPrevi, apontou que apenas 18% da população brasileira compra algum tipo de seguro. Em contrapartida, dados da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização - Confederação nacional das Seguradoras (Cnseg), o faturamento da indústria de seguros cresceu bastante em setembro de 2019, em comparação ao mesmo mês de 2018. O valor ultrapassou os R$ 21,805 bilhões. Nas próximas páginas você irá conseguir ter uma visão maior sobre o cenário das seguradoras no Brasil, confira!
  • 26. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 26 Estrutura do mercado de seguros Vamos entender como funciona a estrutura do mercado de seguros hoje no Brasil. ▶ Resseguradores; ▶ CNSP - Conselho Nacional de Seguros Privados; ▶ SUSEP - Superintendência de Seguros Privados; ▶ Sociedades autorizadas a operar em seguros privados; ▶ Corretores habilitados. Além dessas instituições, existem outras três entidades importantes que também fazem parte do mercado de seguros, capitalização e previdência complementar aberta: ▶ Escola Nacional de Seguros; ▶ ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar; ▶ IRB Brasil Re - IBR Brasil Resseguros S/A.
  • 27. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 27 Resseguros Os resseguros são, basicamente, o seguro dos riscos de uma seguradora. Servem, principalmente, para ajudar a cobrir sinistros de alto risco que as mesmas assumem. CNSP O CNSP, ou Conselho Nacional de Seguros Privados é o órgão normativo das atividades de seguros no Brasil, vinculado ao Ministério da Fazenda. Ele é responsável pela demanda das diretrizes e normas políticas de seguros privados. Foi criado em Decreto-Lei nº 73, de 21 de Novembro de 1966. SUSEP A SUSEP é a Superintendência de Seguros Privados, ou seja, o órgão responsável pela fiscalização e controle do mercado de seguros, capitalização, resseguros e previdência privada aberta. Em, Novembro de 2019, a SUSEP informou que, por meio de Medida Provisória expedida pela Presidência da República, deixou de regular a categoria de corretores de seguros. O que isso significa? Que agora a categoria irá se autorregular, trazendo mais eficiência e liberdade para o setor de seguros.
  • 28. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 28 Responsabilidades da SUSEP 1. Fiscalizar a constituição, organização, funcionamento e operação das Sociedades Seguradoras, de Capitalização, Entidades de Previdência Privada Aberta e Resseguradores, na qualidade de executora da política traçada pelo CNSP; 2. Proteger a captação de poupança popular, que é feita através das operações de seguro, previdência privada aberta, de capitalização e resseguro; 3. Defender os interesses dos consumidores dos mercados supervisionados; 4. Visar maior eficiência do Sistema Nacional de Seguros Privados e do Sistema Nacional de Capitalização; 5. Promover a estabilidade dos mercados sob sua jurisdição, assegurando sua expansão e o funcionamento das entidades que neles operem; 6. Zelar pela liquidez e solvência das sociedades que integram o mercado; 7. Disciplinar e acompanhar os investimentos daquelas entidades, em especial os efetuados em bens garantidores de provisões técnicas; 8. Cumprir e fazer cumprir as deliberações do CNSP e exercer as atividades que por este forem delegadas; 9. Prover os serviços de Secretaria Executiva do CNSP.
  • 29. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 29 Faturamento do setor x PIB Como você já viu, o cenário está favorável para a indústria das seguradoras no Brasil. O aumento, de setembro de 2018 a setembro de 2019, chegou a 18,6%, o que corresponde a R$ 21,805 bilhões. Isso, segundo dados da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização - Confederação Nacional das Seguradoras (Cnseg). Além disso, o PIB também vem demonstrando um crescimento significativo. Em 2000, ele estava em 2%, já em 2017, o salto foi para 6%. Em 2018, o setor de seguros fechou o ano com uma arrecadação que ultrapassou os R$ 245 bilhões. Atualmente, o setor de seguros no Brasil corresponde a 6,6% do PIB da nossa economia, ficando na 14ª posição mundial do segmento. A aposta é que, para 2020, o mercado de seguradoras brasileiras consiga atingir a 8ª posição global. No primeiro quadrimestre de 2019, o faturamento das seguradoras alcançou a marca de R$ 81 bilhões. O que significa um aumento de 4.9% quando comparado ao mesmo período de 2018. Mas, este resultado exclui algumas áreas, como a de saúde complementar e o Seguro de Danos Pessoais causados por Automotores de Via Terrestre, o famoso DPVAT. Ramos de seguro que tiveram forte crescimento em 2019 Por outro lado, alguns ramos de seguros tiveram grande destaque relativo ao seu crescimento até abril de 2019. 52,5% 38,4% 16,1% 14,8% Seguros Marítimos e Aeronáuticos Créditos e garantias Patrimoniais Planos de risco em cobertura de pessoas A expectativa da Cnseg é que, em 2019, haja um crescimento em torno de 6,9% para o mercado de seguradoras do Brasil. Dessa forma, o Produto Interno Bruno (PIB), teria um crescimento de 1,3% ao ano. Atualmente, o PIB do mercado de seguros representa 6,6% do PIB dos Consumidores
  • 30. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 30 Market Share das seguradoras brasileiras Atualmente, no Brasil, existem 98 mil corretoras que vendem os planos de seguro de 119 seguradoras. Quase metade de volume processado pelo mercado de seguros, 43%, ficou concentrado com as 5 maiores seguradoras do Brasil em 2018. Os 57% restantes estão divididos entre as demais empresas de seguros, segundo a Susep. Esses 5 maiores players são: ▶ BB/MAPFRE, COM UM MARKET SHARE DE R$ 16.723.542.070; ▶ PORTO SEGURO, COM UM MARKET SHARE DE R$ 12.191.958.464; ▶ BRADESCO, COM UM MARKET SHARE DE R$ 9.789.834.698; ▶ ZURICH, COM UM MARKET SHARE DE R$ 9.048.579.998; ▶ CAIXA, COM UM MARKET SHARE DE R$ 6.434.248.238. Tirando a Porto Seguro e a Zurich, os outros três grandes players do mercado estão ligados a grandes bancos. Para manter o monopólio, os bancos estão em busca de parcerias e fusões para ganhar mais competitividade no mercado.
  • 31. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 31 Categorização de tipos de seguro Existem, no Brasil, cerca de 95 ramos de seguro. Dentre eles, alguns mais específicos e pouco conhecidos, como os seguros de responsabilidade civil, que possuem, ao todo, 12 diferentes ramos. Mas, a Superintendência de Seguros privados, a Susep, que regula o setor, classifica os seguros em 16 grupos, que você vai conferir logo abaixo: Patrimonial: Seguros contra incêndios e roubo de imóveis, além dos seguros compreensivos residenciais, condominiais e empresariais. Riscos especiais: Seguros contra riscos de petróleo, nucleares e satélites. Responsabilidades: Seguros contra indenizações por danos materiais ou lesões corporais a terceiros por culpa involuntária do segurado. Cascos (em “run off”): Seguros contra riscos marítimos, aeronáuticos e de hangar. Automóvel: Seguros contra roubos e acidentes de carros, de responsabilidade civil contra terceiros. Transporte: Seguros de transporte nacional e internacional e de responsabilidade civil de cargas, do transportador e do operador. Riscos financeiros: Seguros diversos de garantia de contratos e de fiança locatícia. Crédito (em “run off”): Seguros de crédito à exportação e contra riscos comerciais e políticos.
  • 32. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 32 Pessoas coletivo: Seguros coletivos de vida e acidentes pessoais, vida com cobertura para risco de sobrevivência, prestamista e educacional. Habitacional: Seguros contra risco de morte e invalidez do devedor e de danos ao imóvel financiado. Rural: Seguros agrícola, pecuário, de florestas e penhor rural. Outros: Seguros no exterior e de sucursais de seguradoras no exterior. Pessoas individuais: Seguros individuais de vida e acidentes pessoais, vida com cobertura para risco de sobrevivência, prestamista e educacional. Marítimos: Seguros compreensivos para operadores portuários, responsabilidade civil facultativa para embarcações e marítimos. Aeronáutico: Seguros de responsabilidade civil facultativa para aeronaves, aeronáuticos, responsabilidade civil de hangar e responsabilidade do explorador ou transportador aéreo. Microsseguros: Microsseguros de pessoas ou danos. Saúde: Seguros de saúde. A esses grupos, ainda deve-se acrescentar mais um, o grupo agregado relativo aos seguros de saúde, que atualmente é regulado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar, a ANS. Um dos ramos de seguro que tem mostrado grande adesão dos brasileiros é o de seguro de vida. Até março de 2019, ele estava em 9,9%, subindo para 11,5% em junho e atingindo 12,6% até setembro. Isso, se comparado ao mesmo período de 2018.
  • 33. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 33 Principais dores desse mercado Quando falamos em seguros, a primeira coisa que vem à cabeça é burocracia: “a papelada”. Inclusive, esse é um grande bloqueio para uma futura contratação. Sendo a falta de inovação a principal dor deste mercado. Em um mundo onde as pessoas estão acostumadas com melhorias tecnológicas, deixar de olhar para esses comportamentos na transformação digital pode ser fatal para qualquer empresa, até mesmo as mais consolidadas. É nesse ponto que as insurtechs ganham força. Pois, chegam com toda tecnologia e melhoria de produtos que faltam nas seguradoras tradicionais. Antigamente, o perfil dos segurados era analisado de uma forma geral, muitas vezes, fazendo com que pessoas com perfis totalmente diferentes pagassem o mesmo valor pelo seguro, sem antes, analisar variáveis que fazem toda a diferença para a empresa como para o consumidor. Hoje, por exemplo, algumas insurtechs de seguro de carro, com a ajuda de tecnologia, conseguem fazer essas análises, por meio de inteligência artificial e levantam pontos mais críticos, como a forma com que seu cliente dirige. Assim, é possível fazer uma análise mais assertiva do perfil do segurado. A transformação tecnológica chega para ajudar em todo ecossistema de seguros: ▶ Na análise do perfil do segurado; ▶ Na melhoria dos processos operacionais (sinistros, contratação, etc.); ▶ Na facilidade em aquisição de novos clientes; ▶ Na gestão da cobrança; ▶ Na redução de inadimplência. Por exemplo: a solução da Vindi ajudou seus clientes no setor de seguros a recuperarem aproximadamente 1 milhão de reais em inadimplência.
  • 34. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 34 Distribuição geográfica Ao analisarmos a distribuição geográfica do mercado de seguros no Brasil, notamos que a região Sudeste possui mais de 60% do faturamento, seguida da região Sul, com 18%, somando mais de 78% entre as duas regiões. (Dados Sincor/ Neste cálculo foram excluídos o VGBL e o seguro saúde)
  • 35. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 35 Eventos de Inovação para Seguradoras Os eventos são importantíssimos para estabelecer networking e estar a par de todas as novidades do mercado de seguradoras, além do conteúdo, claro. Por isso, separamos alguns eventos que podem ajudar na transformação digital que sua empresa precisa. COMPRE COM 15% DE DESCONTO! Código: VINDI Insurtech Brasil O evento, realizado pelo site Conexão Fintech, une startups e seguradoras. Além desses setores, também é ideal para empresas de tecnologia, reguladores, distribuidores, prestadores de serviço e demais agentes da cadeia. Considerado o maior evento de insurtechs da América Latina e o ponto de encontro anual das insurthecs no Brasil, visa desenvolver um ecossistema entre a tecnologia e a inovação em seguros. Edição: 4º. Público: aproximadamente 1.600 pessoas. Duração: aproximadamente 1 dia. Recorrência Antes, o evento era chamado de Assinaturas Day e teve sua primeira edição realizada em 2014. Surgiu com o intuito de reunir as principais empresas do segmento para discutir as tendências e o rumo dos modelos de negócio baseados na recorrência, modelo que permite que toda empresa venda de forma recorrente para seus clientes, baseando o consumo em acesso, não em propriedade. Edição: 8º. Público: aproximadamente 1.000 pessoas. Duração: 1 dia. FAÇA PARTE DESSA TRANSFORMAÇÃO! www.sympla.com.br/insurtech-brasil-2020 www.recorrencia.com.br/evento
  • 36. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 36 Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros Realizado pela Fenacor (Federação Nacional dos Corretores de Seguros Privados e de Resseguros, de Capitalização, de Previdência Privada, das Empresas Corretoras de Seguros e de Resseguros), é um evento que visa discutir os principais assuntos de interesse dos corretores de seguros e do mercado, novidades em produtos e serviços, como um espaço para proporcionar networking. A última edição foi realizada em um resort na Bahia. Edição: 22º. Público: aproximadamente 3.500 pessoas. Duração: aproximadamente 3 dias. Outros eventos da Fenacor. Insurance Service Meeting O evento, realizado pela CNseg, é ideal para executivos e especialistas das áreas de TI, Negócios, Produtos e Serviços das empresas do setor de seguros - especialmente para quem busca inovação e avanços tecnológicos no setor. Com palestrantes de diversas áreas, o evento traz assuntos em vendas, tecnologia, criatividades, desafios regulatórios, entre outros. Edição: 13º. Público: aproximadamente 500 pessoas. Duração: aproximadamente. 2 dias. Outros eventos da CNseg.
  • 37. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 37 Global Insurtech Summit. Realizado pela Fintech Global e AltAssets, este evento é indicado para líderes de empresas no segmento de seguros. Sendo um dos eventos mais completos do mundo, traz assuntos como problemas críticos que impactam o mercado de seguros e insurtechs, tendências no mundo digital, competitividade, tecnología, modelos de negócios, entre outros assuntos. Edição: -. Local: Londres, UK, Público: aproximadamente 1.000 empresas. Duração: aproximadamente 5 dias.
  • 38. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 38 4 Transformação digital em seguros e as insurtechs.
  • 39. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 39 Transformação digital em seguros Assim como o advento das fintechs (startups de tecnologia financeira), as insurtechs são grandes motores para a transformação digital dos seguros no mundo. Insurtechs são, na sua essência, toda empresa inserida na indústria de seguros que se propõe a uma nova experiência na hora de vender esse tipo de serviço. O que são insurtechs? Os termos insurance (seguro) e technology (tecnologia) deram nome a esse novo tipo de empresa, que usa tecnologia para prestar um serviço tão importante: assegurar pessoas, empresas, contratos e etc. Empresas como a americana Lemonade, e a a inglesa Neos, são algumas das insurtechs que impulsionam todo o mercado de seguros para uma digitalização e transformação. Em uma pesquisa feita pela nossa equipe no Crunchbase (base de dados do Techcrunch), listamos cerca de 788 insurtechs no mundo, com 857 rodadas de investimento (até 31/10/2019) e com U$8,1 bilhões de “grana” recebida por essas insurtechs. Fonte: Crunchbase
  • 40. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 40 Essas rodadas de investimento das insurtechs começaram a se intensificar e aumentar de patamares (em termos de volume) à partir de 2016. Duas insurtechs foram ao IPO (oferta pública inicial de ações): a americana Scor e a francesa Guidewire Software. Ao mesmo tempo, 50 foram adquiridas e/ou adquiriram soluções complementares dentre essa lista de 857 insurtechs do Crunchbase. E, o maior valor envolvendo uma transação de compra e venda de uma insurtech, foi em 2011, quando a Scor adquiriu a Transamerica Reinsurance por U$913 milhões. No Google Trends, a busca pelo termo “insurtechs” cresceu muito nos últimos 5 anos, mostrando o real interesse do mercado nesse assunto. Fonte: Crunchbase
  • 41. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 41 U$913 MILHÕES MILHÕES FOI O MAIOR VALOR DE UMA TRANSAÇÃO ENVOLVENDO UMA INSURTECH (A SCOR ADQUIRIU A TRANSAMERICA REINSURANCE). Dados insurtechs internacionais Fonte: Crunchbase 788 INSURTECHS 50 AQUISIÇÕES 857 RODADAS DE INVESTIMENTOS 2 IPO´S U$8,1 BILHÕES DE INVESTIMENTO
  • 42. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 42 Top 10 insuterchs globais Em uma pesquisa interna, fizemos uma lista de insurtechs globais que merecem atenção e que estão revolucionando seus mercados. A lista de top 10 insurtechs globais dá uma visão do que está acontecendo em outros lugares. Veja a seguir. ▶ BIMA Cidade: Estocolmo País: Suécia Fundada em: 2010 Site: www.bimamobile.com Sobre: especializada em microsseguros, a Bima é fantástica! Oferece seguros e serviço de saúde através de smartphones. ▶ Oscar Cidade: Nova York País: EUA Fundação: 2013 Site: www.hioscar.com Sobre: a fantástica Oscar é uma americana que está revolucionando o seguro de saúde nos EUA. ▶ Acko Cidade: Mumbai País: Índia Fundada em: 2017 Site: www.acko.com Sobre: a indiana Acko oferece um serviço de seguros de carros, motos e bicicletas muito acessível - e inteligente. ▶ Zhong An Cidade: Shanghai País: China Fundação: 2013 Site: www.zhongan.com Sobre: a Zhong An é a primeira seguradora totalmente online da China, com todos os tipos de seguro. ▶ Shift Technology Cidade: Paris País: França Fundada em: 2014 Site: www.shift-technology.com Sobre: a francesa Shit Tecnhology presta um serviço crítico: seguro contra fraudes. Usa inteligência artificial nos produtos e serviços oferecidos.
  • 43. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 43 ▶ Neos Cidade: Londres País: Reino Unido Fundação: 2016 Site: www.neos.co.uk Sobre: a Neos é uma das maiores do mundo e também resolve a questão de seguros residenciais de uma forma muito inteligente. ▶ Quantemplate Cidade: Londres País: Reino Unido Fundação: 2013 Site: www.quantemplate.com Sobre: outra infraestrutura poderosa para insurtechs. A “Quant” é um SaaS que possibilita análise de dados muito poderosas. ▶ Lemonade Cidade: Nova York País: EUA Fundada em: 2015 Site: www.lemonade.com Sobre: seguros para aluguéis e donos de imóveis nunca foram os mesmos desde a chegada da Lemonade. ▶ Trōv Cidade: Danville País: EUA Fundada em: 2012 Site: www.trov.com Sobre: a Trov é uma das mais completas. Oferece, digitalmente, seguros residenciais, para carros, eletrônicos e contrato de aluguéis. ▶ Slice Cidade: Nova York País: EUA Fundada em: 2015 Site: www.slice.is Sobre: embora não ofereça seguros, a Slice é uma poderosa infraestrutura (SaaS) para insurtechs em todos os lugares.
  • 44. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 44 E no Brasil, como andam as insurtechs? Por aqui, o negócio de seguros é dos mais promissores do mundo. Porém, o PIB de seguros ainda está nas mãos dos grandes bancos e grandes conglomerados. Cerca de 80 grupos, controlam a maior fatia da economia de seguros no Brasil. Mas há uma grande possibilidade de inovação. Existe uma transformação digital de seguros no Brasil nascendo. Desde o surgimento de startups como Bidu e Minuto Seguros, o país fez um ensaio para a digitalização de venda e negociação de seguros. Mas, nada foi tão importante para uma transformação quanto o nascimento e chegada da Youse. A empresa, nascida de uma união com a Caixa Seguradora, mudou a dinâmica do seguros no país. A Youse é, de fato, um dos maiores cases de transformação digital que temos por aqui. Insurtechs brasileiras: funding e aquisições. Em uma pesquisa entre as plataformas Crunchbase e CBInsights, encontramos apenas 15 empresas que se auto intitulam insurtechs. Já quanto às empresas digitais relacionadas aos seguros e seguro saúde, encontramos 101 empresas listadas, com funding (investimento recebido) de R$187,5 milhões. O caso mais recente foi o da Pitzi, startup de seguros de celulares, que recebeu R$60 milhões de investimento, liderado pelo fundo QED. A Pitzi, é um dos bons casos de que seguros não se limitam a vida e automóveis. Para se ter uma ideia, apenas 4% dos smartphones no país possuem algum tipo de seguro. Tem tanto espaço no Brasil para inovação em seguros, que fica até difícil fazer uma leitura de qual segmento dessa indústria irá tomar a dianteira em transformação. Alguns reports recentes feitos pelo Distrito, e por consultorias globais, apontam que a grande oportunidade esteja em seguros de vida. Outras pesquisas apontam os seguros saúde e assim por diante. Outra fonte importante é o evento Insurtech Brasil, que reúne as principais novidades e iniciativas do setor. O evento, capitaneado pelo site Conexão Fintech, ilustrou um mapa das insurtechs no Brasil, veja o link.
  • 45. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 45 R$500 MILHÕES FOI O MAIOR VALOR DE UMA TRANSAÇÃO ENVOLVENDO UMA INSURTECH (VOLUME DE RECURSOS INVESTIDOS NA YOUSE) Dados de insurtechs brasileiras Fonte: Insurtech Basil | Crunchbase 62 INSURTECHS BRASILEIRAS 8 AQUISIÇÕES 44 RODADAS DE INVESTIMENTOS 2 IPO´S U$187,5 MILHÕES DE INVESTIMENTO (CERCA DE R$787 MILHÕES) DATA REFERÊNCIA - NOV/19 É um mercado pronto para um verdadeiro disrtupt (ser transformado).
  • 46. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 46 ▶ Health 4 Pet Cidade: São Paulo Fundada em: 2013 Site: www.health4pet.com.br Sobre: plano de saúde para cães e gatos. Alia cuidados e tecnologia no acesso ao que há de melhor na medicina veterinária. ▶ Thinkseg Cidade: São Paulo Fundação: 2016 Site: www.thinkseg.com Sobre: inovadora e com fome em aquisições, a Thinkseg é primeiro seguro auto do Brasil, em que você paga o quanto usa. ▶ Youse Seguros Cidade: São Paulo Fundada em: 2015 Site: www.youse.com.br Sobre: a Youse (grande case brasileiro) reinventou a forma como pessoas compram seguros. 10 Insurtechs Brasileiras que mudam o setor Em uma pesquisa interna, fizemos uma lista de insurtechs globais que merecem atenção e que estão revolucionando seus mercados. A lista de top 10 insurtechs brasileiras dá uma visão do que está acontecendo em outros lugares. Veja a seguir. ▶ No Faro Cidade: Porto Alegre Fundada em: 2015 Site: www.nofaro.com Sobre: a excelente No Faro é um plano de saúde Pet para cachorros e gatos, com contratação e acompanhamento online. E é 100% digital! ▶ Cilia Cidade: Goiânia Fundação: 2012 Site: www.cilia.com.br Sobre: focada em oficinas, a Cilia ajuda seguradoras e reguladoras a fazer a gestão de sinistros e orçamentos. Vendeu participação para a Thinkseg.
  • 47. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 47 ▶ TEx Cidade: São Paulo Fundação: 2009 Site: www.textecnologia.com.br Sobre: a TEx é um SaaS que permite a gestão de cálculos, de mensagens, comissões e diversos serviços para corretores e seguradoras. ▶ Pitzi Cidade: São Paulo Fundação: 2012 Site: www.pitzi.com.br Sobre: pioneira em seus serviços, a Pitzi é um seguro para smartphones contra acidentes. ▶ Pier Cidade: São Paulo Fundada em: 2018 Site: www.pier.digital Sobre: a Pier é uma insurtech que oferece seguros digitais para celulares. ▶ Suthub Cidade: São Paulo Fundada em: 2017 Site: www.suthub.com Sobre: a Suthub é uma das plataformas pioneiras em fornecer soluções e integrações para o mercado de seguros. ▶ Ciclic Cidade: São Paulo Fundada em: 2017 Site: www.ciclic.com.br Sobre: a Ciclic é uma plataforma 100% digital que oferece seguros viagens, celular, previdência privada entre outros serviços. Distribuição por vertical no Brasil: FONTE: Conexão Fintech Agregador Distribuição e Subscrição Corretores online Seguro online Saúde Assistência Infraestrutura 10% 17% 19% 2% 10% 12% 31%
  • 48. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 48 Mapeamento de Insurtechs no Brasil: FONTE: Insurtech Brasil
  • 49. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 49 5 Seguradoras na Vindi.
  • 50. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 50 Seguradoras na Vindi A Vindi, é uma plataforma especializada em receber pagamentos. Possuímos um software de gestão que ajuda a sua empresa a automatizar todo o seu processo de cobrança. Com a plataforma Vindi, é possível tornar mais fácil a emissão de notas fiscais, realizar a conciliação bancária e criar soluções financeiras em diversos segmentos. E, para as as seguradoras que estão em processo de transformação, não seria diferente! Nossos clientes do segmento de seguros contam com mais de 330 mil assinantes e, quando olhamos para todos os segmentos, temos mais de 10 milhões de assinantes que saíram do modelo tradicional de pagamentos e estão usando a Vindi. Para o segmento de seguros, utilizar uma plataforma de pagamentos é ainda mais importante. Imagine o seguinte caso: seu cliente esquece de realizar o pagamento do seguro e algo acontece, o carro bate, o celular é roubado ou um acidente ocorre. Se o seguro estiver atrasado, seu cliente vai ter problemas ainda maiores. Em contraponto, os clientes das seguradoras que cobram com a Vindi nem sabem o que é isso. Eles efetuam o pagamento sem atraso e podem desfrutar sem problemas dos benefícios do seguro, seja qual for. Com a Vindi, seu cliente pode pagar através da recorrência, um modelo de pagamentos baseado em assinaturas, planos ou mensalidades, fazendo com que o atraso e a inadimplência da sua empresa diminua. E por falar em inadimplência, você já deve ter lido por aí que ela pode ser
  • 51. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 51 uma das principais causas que levam um negócio à falência. Por isso mesmo, é preciso dar atenção ao assunto e trabalhar para reduzir os números negativos. Assim, você pode direcionar seus esforços para atrair novos clientes, ou na retenção dos já existentes. No segmento de seguradoras, a Vindi já conseguiu ajudar nossos clientes a recuperarem mais de R$ 1 milhão de reais em inadimplência e, quando olhamos todos os segmentos, mais de R$ 116 milhões de reais. Sem nossos recursos de recuperação de inadimplência, essas empresas não teriam recuperado todo esse valor e, muito provavelmente, seus clientes teriam entrado nas estatísticas de churn. Por aqui, já processamos no segmento 225 milhões de reais, sendo distribuídos em cartão de crédito (93%), boleto bancário (6,8%) e débito em conta (0,2%). Não à toa, o cartão de crédito é a forma de pagamento mais utilizada em qualquer segmento. Essa é a forma mais eficaz e segura de fazer cobranças recorrentes. Isso porque favorece aos seus clientes ao não comprometer o limite de seu crédito e, também, porque não exige nenhuma ação por parte do assinante para processar o pagamento, evitando a inadimplência por esquecimento, por exemplo. Em 2018, o segmento de seguro, aqui na Vindi, teve um ticket médio de R$ 310 no ano, mas esse número pode chegar até R$ 3.000 quando falamos em seguro automotivo, por exemplo. A taxa média de aprovação dessas cobranças é de 78,48% e o método de pagamento que mais aprova é o cartão de crédito, com 83,44%, seguido de boleto bancário com 52%. Isso comprova que o cartão de crédito ainda é método de pagamento mais eficaz para diminuir as taxas de inadimplência e cancelamentos. Um dos maiores desafios do mercado de seguros no Brasil é abrir as possibilidades das soluções que já estão disponíveis no mercado, e que podem trazer benefícios para o setor. A Vindi, é um dos melhores cases, que, como uma plataforma de pagamentos, gera sinergia com as seguradoras.
  • 52. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 52 6 Bônus de leitura (Cases)
  • 53. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 53 YOUSE A Youse chegou ao mercado brasileiro com uma proposta inovadora: fazer a venda de seguros da Caixa Seguradora exclusivamente por meio das plataformas digitais. Além do processo de compra 100% online (via desktop ou mobile), o consumidor tem a liberdade de personalizar a apólice, combinando seguros para carro, casa e vida. Além disso, o serviço é cobrado mensalmente (olha a recorrência aí de novo). Para ter uma ideia do potencial desse mercado, apenas um em cada três carros possui seguro automotivo no País e, apenas uma em cada dez casas, está protegida com seguro residencial. A partir desse momento, a Youse dava os seus primeiros passos dentro do prédio da própria Caixa Seguradora, em Brasília. E, após alguns meses, a operação se mudaria para São Paulo já sob o nome Youse e com o trabalho de concepção de marca concluído. Os seguros online são uma nova categoria e, a Youse, tem conseguido atrair pessoas que estão contratando esse tipo de serviço pela primeira vez - e que valorizam as facilidades proporcionadas pela tecnologia. Hoje, o produto, que já foi chamado de Uber dos Seguros, inova no mercado com uma proposta de seguradora 100% digital. Ela cresce 25% ao mês em faturamento — uma performance que coloca a Youse no caminho de ser um unicórnio brasileiro.
  • 54. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 54 Além do DNA digital da seguradora, outro ingrediente de todo esse sucesso é o marketing orientado a dados. O marketing é o ponto de entrada do processo de aquisição de clientes. Logo, não é apenas uma base de comunicação. Toda a geração de leads e prospecção ocorre por meio de uma ação de marketing orientada pelos dados, seja no digital ou no offline. Tudo o que é feito é baseado em dados, e não em suposições. Falando em dados, a Youse também investe em outras tecnologias disruptivas, como Telemetria e IA, para melhorar a experiência de seus usuários, coletando e analisando seus dados. De acordo com Loren Monteiro, gerente de produtos da Youse, outra novidade que a empresa está preparando é o botão de pânico para o seu app principal, o YouSe Hero, que avisará três pessoas pré-selecionadas pelo segurado em caso de emergência. A inteligência artificial é outra etapa que as empresas de segurança visualizam em suas plataformas mobile. A Youse já utiliza a tecnologia em sua funcionalidade de vistoria de carros. Mas, em breve, pretende adicionar um chatbot para facilitar a comunicação com o cliente, além de machine learning na precificação. BRASIL 4 ANOS WWW.YOUSE.COM.BR
  • 55. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 55 GENERALI A Generali é um dos maiores grupos globais de gestão de ativos e seguros. Fundada em 1831, está presente em 50 países no mundo, com uma receita total de prêmios de mais de € 66 bilhões em 2018. Com quase 71.000 funcionários e 61 milhões de clientes, tem uma posição de liderança na Europa e presença crescente na Ásia e na América Latina. O Grupo Generali pretende ser o parceiro vitalício de seus clientes, oferecendo soluções inovadoras e personalizadas graças a uma inigualável rede de distribuição. Nos últimos tempos, o Grupo Generali vem buscando se posicionar como uma companhia mais simples e mais inteligente. A proposta é atuar de forma rápida, trazendo inovações no âmbito tecnológico. Prova disso é que, o MIT Technology Review, importante publicação do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, reconheceu o Grupo Generali, em 2015, como uma das 50 empresas mais inteligentes do mundo - sendo a única seguradora neste ranking. Com as operações equilibradas em países financeiramente maduros, como Itália, Alemanha e França, além da Europa Centro- Oriental, o Grupo Generali tem buscado expandir a sua atuação em mercados com grande potencial de crescimento, como a Ásia e a América Latina.
  • 56. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 56 A Generali foi ranqueada como o melhor grupo mundial de seguros, segundo a lista “Empresas mais Conceituadas do Mundo” desenvolvida pela Forbes em colaboração com a “Statista”, líder em análise de mercado e consumo global. A Generali ocupa a mais alta classificação em comparação com qualquer outro grande grupo de seguros no mundo. Um dos principais pilares da empresa para sustentar todo esse crescimento, é investir na transformação digital do grupo, construindo e implementando uma plataforma de mobilidade por toda a Europa, além de desenvolver ecossistemas B2B2C para digitalizar o relacionamento entre o agente e o cliente. A Generali é outro player que pretende aumentar a automação e a inteligência artificial em operações essenciais, assim como a participação de políticas digitais de ponta a ponta. ITÁLIA 188 ANOS WWW.GENERALI.COM.BR
  • 57. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 57 AMAR ASSIST A Amar Assist é uma empresa 100% digital, especializada em serviços de atendimento pós-saúde (funeral) e recomposição de renda baseada em saúde. A empresa surgiu em 2013 e possui atuação preventiva e emergencial em todos os municípios do Brasil. Com crescimento de 185% ao ano, a insurtech vem facilitando a vida de milhares de pessoas através do Plano Funerário Familiar, e ganhou destaque no setor funerário, que antes era visto como tabu. Todo o processo, desde a contratação até o acionamento, é feito de forma online e com procedimentos simples, trazendo para às famílias uma honrosa despedida quando ocorre a perda de um ente querido. Por meio de uma plataforma tecnológica, cada associado consegue acompanhar, em tempo real, o status do seu contrato, bem como sinistros, irregularidades e informações pessoais. O associado também pode alterar dados ou contatar a empresa por meio do site a qualquer momento que for preciso. Ampliando seu compromisso com as famílias, a startup também pensou nos bichinhos de estimação. A despedida aos animais de estimação é sempre um processo muito doloroso, tanto para crianças, jovens ou adultos e, a Amar Assist, tenta minimizar essa dor. Para muitos, os animais são tidos como membros da família, além de melhores amigos. Pensando nisso, a startup criou uma opção que vem ganhando notoriedade entre os donos de animais de estimação, que é a cremação pet: um procedimento 100% ecológico, prático e econômico. Cada vez mais, as famílias têm buscado opções que facilitem esse processo, com a contratação de planos funerários que incluem os pets. A Amar Assist também utiliza o modelo de recorrência para cobranças automatizadas, tanto para cartão de crédito, quanto para boleto digital. Por meio da plataforma Vindi, a empresa facilita a vida de milhares de clientes em todo Brasil. BRASIL 7 ANOS AMARASSIST.COM.BR
  • 58. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 58 HEALTH FOR PET A Health For Pet foi o primeiro plano de saúde para cães e gatos brasileiro. Ela é fruto de um profundo estudo para elaborar um plano de saúde para animais que unisse qualidade, equipamentos de última geração, atendimento personalizado e uma equipe pronta para proporcionar aos cães e gatos uma vida mais saudável e feliz - com todo o carinho e comprometimento que eles merecem. Atualmente, a HFP disponibiliza praticamente todos os recursos oferecidos pela medicina humana, incluindo tomógrafos, ressonâncias magnéticas, UTIs veterinárias, tratamentos oncológicos e ortopédicos, entre outros. Todos os veterinários, clínicas e hospitais credenciados na HFP recebem o DigiPet, que nada mais é do que um tablet configurado com um software personalizado, que permite o armazenamento de todas as informações do animal em um arquivo eletrônico. Isso inclui: dados sobre vacinação, procedimentos, resultados de exames clínicos e de imagem, cirurgias e todo histórico veterinário. Essa inovação, utilizada hoje nos melhores hospitais do mundo, promove mais agilidade e segurança no atendimento. Tudo isso só é possível graças a implantação de um microchip para registro e acompanhamento do pet. Outra inovação da HFP foi criar um clube de vantagens, que oferece diversos descontos em produtos e serviços que não são cobertos pelos planos veterinários, como medicamentos, banho, tosa, hotel, daycare, escolas, alimentação, snacks, acessórios e brinquedos. O PetClub acaba ajudando a economizar e rentabilizar o investimento mensal dos planos e mensalidades, deixando tudo mais barato e vantajoso. Falando em mensalidades, a Health For Pet também utiliza a plataforma Vindi para potencializar a recorrência e facilitar a vida dos seus clientes. BRASIL 5 ANOS HEALTH4PET.COM.BR (PORTO SEGURO)
  • 59. T R A N S F O R M A Ç Ã O D I G I T A L D E S E G U R O S | 59 MINUTO SEGUROS Criada em 2010 por Marcelo Blay e Manes Erlichman, a Minuto Seguros é a pioneira em implementar o modelo de corretora online no país. Além de ser a maior corretora de seguros de carros do Brasil, a Minuto Seguros está entre as 100 insurtechs mais inovadoras do mundo, segundo a Fintech Global. Com o objetivo de trazer mais praticidade tecnológica, aliada à conveniência do atendimento humanizado, a Minuto Seguros conta com quase 500 funcionários e mais de 120 mil clientes, além de um crescimento de 35% ao ano. A corretora possui diversas integrações de sua plataforma com seguradoras do mercado, entre elas: Azul, Allianz, Aliro, Bradesco, HDI, Itaú Seguros, Liberty, Mapfre, Mitsui Sumitomo, Porto Seguro, SulAmérica, Sompo e Tokio Marine. Essa automatização oferece uma experiência rápida e eficiente para o consumidor que busca fazer a cotação do seu seguro de forma online. A Minuto Seguros exibe os valores e indica um plano adequado para o cliente, além de possibilitar personalização do plano de acordo com as necessidades do contratante. BRASIL 10 ANOS MINUTOSEGUROS.COM.BR
  • 60. Vindi - 2019 - Todos os direitos reservados - MADE WITH LOVE IN SAO PAULO AJUDANDO EMPRESAS E EMPREENDEDORES A VENDER MAIS E SEMPRE comercial@vindi.com.br filial.campinas@vindi.com.br Filial - Campinas Rua Antônio Lapa, 280 Cambuí Matriz - São Paulo Rua do Paraíso, 148 Liberdade DESCUBRA MAIS SOBRE A VINDI. FALE COM A GENTE.