SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Baixar para ler offline
Visão Espírita do
Natal
PROFECIAS SOBRE O MESSIAS
“Eis que uma virgem
conceberá e dará luz a um
filho e será o seu nome
Emanuel.”
(Isaías, 07:14)
“E tu, Belém Efrata, (...) de
ti sairá o que será Senhor
em Israel.”
(Isaías, 07:14)
O NASCIMENTO DE JESUS
“Jesus nasceu em Nazaré, pequena cidade da
Galiléia, que antes desse importante
acontecimento não teve nenhuma celebridade.
Toda a sua vida foi designado por “Nazareno” , e
só após entrarmos num atalho bem complicado é
que seremos capazes de entender o porquê da lenda
que diz ter ele nascido em Belém”
(RENAN, Ernest, in “Vida de Jesus”)
(RENAN, Ernest, in “Vida de Jesus”)
O NATAL
“A festa do Natal foi
instituída oficialmente
pelo bispo romano
Libério no ano 354.”
(“Essência do Natal” – Editora Martin Claret)
(“Enciclopédia Barsa”)
25 de dezembro
Solstício
6 de janeiro
Epifania
17 de dezembro
Saturnália
SÍMBOLOS DO NATAL
“(...) Papai Noel é uma
adaptação das tradições
concernentes a São
Nicolau.(...) ficou associado ao
Natal, mais que a 6 de
dezembro, seu tradicional dia
de festa e tornou-se uma
figura puramente secular.(...).”
(“Essência do Natal” – Editora Martin Claret)
“(...) Bonifácio disse que o
pinheiro seria sua nova
árvore sagrada. Sua
madeira seria utilizada na
construção de casas e o
pinheiro era a árvore da
paz e do Cristo.”
(“Essência do Natal” – Editora Martin Claret)
“(...) Onde está o rei dos
Judeus que acaba de
nascer? Porque vimos
sua estrela no Oriente e
viemos adorá-lo”
(Mateus, 2:1-2)
“O primeiro cartão de
desenhado especialmente
com o intuito comercial
foi criado em 1843 pelo
artista John Calcott
Horsley”
(“Essência do Natal” – Editora Martin Claret)
“O presépio foi
introduzido no
século XII por S.
Francisco de Assis.”
(“Enciclopédia Barsa”)
A DIDÁXIS SIMBÓLICA DO NATAL
“A criança divina entre as palhas da manjedoura
era como a mônada celeste lançada no seio da
matéria. (...) A centelha celeste era assim envolvida
na ganga da encarnação terrestre, com os instintos
animais da carne a prendê-la ao chão do mundo.”
(PIRES, J. Herculano in “O Infinito e o Finito”, Ed. Paideia)
Os estábulos
(PIRES, J. Herculano in “O Infinito e o Finito”, Ed. Paideia)
Visita dos reis magos
“A visita dos Magos, relatada por Mateus,
mostra-nos a sabedoria terrena curvando-se
reverente ante o saber celeste e prestando-lhe
as suas homenagens.”
(PIRES, J. Herculano in “O Infinito e o Finito”, Ed. Paideia)
A fúria de Herodes
“A fúria de Herodes, o Grande, e de
Jerusalém com ele revela-nos a
hostilidade ciumenta dos grandes da
Terra contra os verdadeiros emissários
do Alto.”
(PIRES, J. Herculano in “O Infinito e o Finito”, Ed. Paideia)
O NATAL ESPÍRITA
“(...) e tem (o Espiritismo) o mais profundo
respeito pelo sentido alegórico de episódios
como o do Natal. Por isso o Natal espírita não
se reveste de formalidades exteriores, mas não
deixa de considerar o sentido espiritual do
grande evento cristão.”
(PIRES, J. Herculano in “O Infinito e o Finito”, Ed. Paideia)
“O que importa é compreender que a história do
Natal, profundamente ligada à tradição
espiritualista da evolução terrena, traz para o
homem de hoje a mensagem eterna da renovação
humana, através dos séculos pelo
desenvolvimento das forças do espírito.”
(PIRES, J. Herculano in “O Infinito e o Finito”, Ed. Paideia)
“(...) – Cada Espírito é um mundo onde o
Cristo deve nascer...
Fora loucura esperar a reforma do mundo,
sem o homem reformado. Jamais
conheceremos povos cristãos, sem
edificarmos a alma cristã...
Eis porque o Natal do Senhor se reveste de
profunda importância para cada um de nós em
particular.” (Espírito Irmão X)
(XAVIER, Francisco C. in “Pontos e Contos”)
Diante do Natal, que te lembra a
glória na manjedoura, nós te
agradecemos:
a música da oração;
o regozijo da fé;
a mensagem de amor;
a alegria do lar;
ALGO MAIS NO NATAL
Pelo Espírito Emmanuel
o apelo à fraternidade;
o júbilo da esperança;
a benção do trabalho;
a confiança no bem;
o tesouro da tua paz;
a palavra da Boa Nova
e a confiança no futuro!...
Entretanto, oh Divino Mestre, de
corações voltados para o teu coração,
nós te suplicamos algo mais!
Concede-nos, Senhor, o dom inefável
da humildade para que tenhamos a
precisa coragem de seguir-te os
exemplos!
(XAVIER, Francisco C. in “Antologia Espírita do Natal”)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismoPalestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
Jose Ferreira Almeida
 
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildadeCapítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
alice martins
 
Muitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
Muitos os Chamados, Poucos os EscolhidosMuitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
Muitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
Almir Silva
 

Mais procurados (20)

Palestra a reencarnacao
Palestra   a reencarnacaoPalestra   a reencarnacao
Palestra a reencarnacao
 
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
 
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismoPalestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
Palestra 18 o evangelho segundo o espiritismo
 
Lei de causa e efeito
Lei de causa e efeitoLei de causa e efeito
Lei de causa e efeito
 
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildadeCapítulo vii – o orgulho e a humildade
Capítulo vii – o orgulho e a humildade
 
Muitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
Muitos os Chamados, Poucos os EscolhidosMuitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
Muitos os Chamados, Poucos os Escolhidos
 
Objetivo da encarnação
Objetivo da encarnaçãoObjetivo da encarnação
Objetivo da encarnação
 
Capítulo VI - O Cristo Consolador
Capítulo VI - O Cristo ConsoladorCapítulo VI - O Cristo Consolador
Capítulo VI - O Cristo Consolador
 
O Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro EspíritaO Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro Espírita
 
Aula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliAula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – lili
 
Mediunidade com Jesus
Mediunidade com JesusMediunidade com Jesus
Mediunidade com Jesus
 
Da encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritosDa encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritos
 
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismoCapítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIII
 
AULA- Lei do trabalho
AULA- Lei do trabalhoAULA- Lei do trabalho
AULA- Lei do trabalho
 
091028 conclusão de o livro dos espíritos
091028 conclusão de o livro dos espíritos091028 conclusão de o livro dos espíritos
091028 conclusão de o livro dos espíritos
 
Bezerra de-menezes
Bezerra de-menezesBezerra de-menezes
Bezerra de-menezes
 
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de VidaJesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
 
Meu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundoMeu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundo
 
APEGO E LIBERTAÇÃO VISÃO ESPÍRITA
APEGO E LIBERTAÇÃO VISÃO ESPÍRITA APEGO E LIBERTAÇÃO VISÃO ESPÍRITA
APEGO E LIBERTAÇÃO VISÃO ESPÍRITA
 

Semelhante a VISÃO ESPÍRITA DO NATAL

Simbolos 131127042118-phpapp01a
Simbolos 131127042118-phpapp01aSimbolos 131127042118-phpapp01a
Simbolos 131127042118-phpapp01a
Anabela Barreira
 
De onde vem, para onde vai a Igreja Cristã?
De onde vem, para onde vai a Igreja Cristã?De onde vem, para onde vai a Igreja Cristã?
De onde vem, para onde vai a Igreja Cristã?
Ramon S da Costa
 
Folha Dominical - 02.01.11 Nº354
Folha Dominical - 02.01.11 Nº354Folha Dominical - 02.01.11 Nº354
Folha Dominical - 02.01.11 Nº354
Comunidades Vivas
 

Semelhante a VISÃO ESPÍRITA DO NATAL (20)

Simbolos 131127042118-phpapp01a
Simbolos 131127042118-phpapp01aSimbolos 131127042118-phpapp01a
Simbolos 131127042118-phpapp01a
 
Natal - Nascimento de Jesus
Natal - Nascimento de JesusNatal - Nascimento de Jesus
Natal - Nascimento de Jesus
 
Natal e seus Significados
Natal e seus SignificadosNatal e seus Significados
Natal e seus Significados
 
O significado do natal
O significado do natalO significado do natal
O significado do natal
 
O nascimento de jesus e o Natal
O nascimento de jesus e o NatalO nascimento de jesus e o Natal
O nascimento de jesus e o Natal
 
A VERDADE SOBRE O NATAL
A VERDADE SOBRE O NATALA VERDADE SOBRE O NATAL
A VERDADE SOBRE O NATAL
 
Símbolos de natal
Símbolos de natalSímbolos de natal
Símbolos de natal
 
Pentecostes
PentecostesPentecostes
Pentecostes
 
Solenidade de Pentecostes
Solenidade de PentecostesSolenidade de Pentecostes
Solenidade de Pentecostes
 
PENTECOSTES
PENTECOSTESPENTECOSTES
PENTECOSTES
 
AUTO-DE-FÉ DE BARCELONA
AUTO-DE-FÉ DE BARCELONAAUTO-DE-FÉ DE BARCELONA
AUTO-DE-FÉ DE BARCELONA
 
AS PREDIÇÕES DE JESUS SEGUNDO O ESPIRITISMO
AS PREDIÇÕES DE JESUS SEGUNDO O ESPIRITISMOAS PREDIÇÕES DE JESUS SEGUNDO O ESPIRITISMO
AS PREDIÇÕES DE JESUS SEGUNDO O ESPIRITISMO
 
De onde vem, para onde vai a Igreja Cristã?
De onde vem, para onde vai a Igreja Cristã?De onde vem, para onde vai a Igreja Cristã?
De onde vem, para onde vai a Igreja Cristã?
 
O verdadeiro sentido da páscoa (2)
O verdadeiro sentido da páscoa (2)O verdadeiro sentido da páscoa (2)
O verdadeiro sentido da páscoa (2)
 
Folha Dominical - 02.01.11 Nº354
Folha Dominical - 02.01.11 Nº354Folha Dominical - 02.01.11 Nº354
Folha Dominical - 02.01.11 Nº354
 
A_Verdade_a_Cerca_do_Natal.pdf
A_Verdade_a_Cerca_do_Natal.pdfA_Verdade_a_Cerca_do_Natal.pdf
A_Verdade_a_Cerca_do_Natal.pdf
 
411 an 26_dezembro_2012.ok
411 an 26_dezembro_2012.ok411 an 26_dezembro_2012.ok
411 an 26_dezembro_2012.ok
 
Natal uma festa bonita, mas perigosa
Natal  uma festa bonita, mas perigosaNatal  uma festa bonita, mas perigosa
Natal uma festa bonita, mas perigosa
 
O paganismo é algo sutil, vem bem disfarçado, aparentemente inocente mas tem ...
O paganismo é algo sutil, vem bem disfarçado, aparentemente inocente mas tem ...O paganismo é algo sutil, vem bem disfarçado, aparentemente inocente mas tem ...
O paganismo é algo sutil, vem bem disfarçado, aparentemente inocente mas tem ...
 
O IMPOSTOR e a verdadeira história do natal.
O IMPOSTOR e a verdadeira história do natal.O IMPOSTOR e a verdadeira história do natal.
O IMPOSTOR e a verdadeira história do natal.
 

Mais de Jorge Luiz dos Santos

Mais de Jorge Luiz dos Santos (20)

O ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHO
O ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHOO ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHO
O ESPIRITISMO E A NECESSIDADE DO TRABALHO
 
O ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS
O ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAISO ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS
O ESPIRITISMO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS
 
A VERDADE QUE LIBERTA
A VERDADE QUE LIBERTAA VERDADE QUE LIBERTA
A VERDADE QUE LIBERTA
 
A ALMA DA TERRA
A ALMA DA TERRAA ALMA DA TERRA
A ALMA DA TERRA
 
MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO
MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMOMILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO
MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
 
OS MÉDIUNS
OS MÉDIUNSOS MÉDIUNS
OS MÉDIUNS
 
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOSAMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
 
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEASMANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
 
LIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMO
LIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMOLIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMO
LIVRE -ARBÍTRIO E DETERMINISMO
 
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
QUAL O TAMANHO DE VOSSA FÉ?
 
O CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDOO CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDO
 
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
 
PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)
PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)
PERISPÍRITO - MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO (MOB)
 
REENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAIS
REENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAISREENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAIS
REENCARNAÇÃO - ASPECTOS CIENTÍFICOS, FILOSÓFICOS E MORAIS
 
O DUELO
O DUELOO DUELO
O DUELO
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
 
COMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULO
COMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULOCOMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULO
COMODISMO, O GRANDE OBSTÁCULO
 
A VIDA CONTRA O ABORTO
A VIDA CONTRA O ABORTOA VIDA CONTRA O ABORTO
A VIDA CONTRA O ABORTO
 
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNOO TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
O TEMPO - PRESENTE DO ETERNO
 

Último

Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
StelaWilbert
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
MilyFonceca
 

Último (14)

Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 

VISÃO ESPÍRITA DO NATAL

  • 2. PROFECIAS SOBRE O MESSIAS “Eis que uma virgem conceberá e dará luz a um filho e será o seu nome Emanuel.” (Isaías, 07:14)
  • 3. “E tu, Belém Efrata, (...) de ti sairá o que será Senhor em Israel.” (Isaías, 07:14)
  • 4. O NASCIMENTO DE JESUS “Jesus nasceu em Nazaré, pequena cidade da Galiléia, que antes desse importante acontecimento não teve nenhuma celebridade. Toda a sua vida foi designado por “Nazareno” , e só após entrarmos num atalho bem complicado é que seremos capazes de entender o porquê da lenda que diz ter ele nascido em Belém” (RENAN, Ernest, in “Vida de Jesus”)
  • 5. (RENAN, Ernest, in “Vida de Jesus”)
  • 6. O NATAL “A festa do Natal foi instituída oficialmente pelo bispo romano Libério no ano 354.” (“Essência do Natal” – Editora Martin Claret)
  • 8. 25 de dezembro Solstício 6 de janeiro Epifania 17 de dezembro Saturnália
  • 9. SÍMBOLOS DO NATAL “(...) Papai Noel é uma adaptação das tradições concernentes a São Nicolau.(...) ficou associado ao Natal, mais que a 6 de dezembro, seu tradicional dia de festa e tornou-se uma figura puramente secular.(...).” (“Essência do Natal” – Editora Martin Claret)
  • 10. “(...) Bonifácio disse que o pinheiro seria sua nova árvore sagrada. Sua madeira seria utilizada na construção de casas e o pinheiro era a árvore da paz e do Cristo.” (“Essência do Natal” – Editora Martin Claret)
  • 11. “(...) Onde está o rei dos Judeus que acaba de nascer? Porque vimos sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo” (Mateus, 2:1-2)
  • 12. “O primeiro cartão de desenhado especialmente com o intuito comercial foi criado em 1843 pelo artista John Calcott Horsley” (“Essência do Natal” – Editora Martin Claret)
  • 13. “O presépio foi introduzido no século XII por S. Francisco de Assis.” (“Enciclopédia Barsa”)
  • 14. A DIDÁXIS SIMBÓLICA DO NATAL “A criança divina entre as palhas da manjedoura era como a mônada celeste lançada no seio da matéria. (...) A centelha celeste era assim envolvida na ganga da encarnação terrestre, com os instintos animais da carne a prendê-la ao chão do mundo.” (PIRES, J. Herculano in “O Infinito e o Finito”, Ed. Paideia) Os estábulos
  • 15. (PIRES, J. Herculano in “O Infinito e o Finito”, Ed. Paideia)
  • 16. Visita dos reis magos “A visita dos Magos, relatada por Mateus, mostra-nos a sabedoria terrena curvando-se reverente ante o saber celeste e prestando-lhe as suas homenagens.” (PIRES, J. Herculano in “O Infinito e o Finito”, Ed. Paideia)
  • 17. A fúria de Herodes “A fúria de Herodes, o Grande, e de Jerusalém com ele revela-nos a hostilidade ciumenta dos grandes da Terra contra os verdadeiros emissários do Alto.” (PIRES, J. Herculano in “O Infinito e o Finito”, Ed. Paideia)
  • 18. O NATAL ESPÍRITA “(...) e tem (o Espiritismo) o mais profundo respeito pelo sentido alegórico de episódios como o do Natal. Por isso o Natal espírita não se reveste de formalidades exteriores, mas não deixa de considerar o sentido espiritual do grande evento cristão.” (PIRES, J. Herculano in “O Infinito e o Finito”, Ed. Paideia)
  • 19. “O que importa é compreender que a história do Natal, profundamente ligada à tradição espiritualista da evolução terrena, traz para o homem de hoje a mensagem eterna da renovação humana, através dos séculos pelo desenvolvimento das forças do espírito.” (PIRES, J. Herculano in “O Infinito e o Finito”, Ed. Paideia)
  • 20. “(...) – Cada Espírito é um mundo onde o Cristo deve nascer... Fora loucura esperar a reforma do mundo, sem o homem reformado. Jamais conheceremos povos cristãos, sem edificarmos a alma cristã... Eis porque o Natal do Senhor se reveste de profunda importância para cada um de nós em particular.” (Espírito Irmão X) (XAVIER, Francisco C. in “Pontos e Contos”)
  • 21. Diante do Natal, que te lembra a glória na manjedoura, nós te agradecemos: a música da oração; o regozijo da fé; a mensagem de amor; a alegria do lar; ALGO MAIS NO NATAL Pelo Espírito Emmanuel
  • 22. o apelo à fraternidade; o júbilo da esperança; a benção do trabalho; a confiança no bem; o tesouro da tua paz; a palavra da Boa Nova e a confiança no futuro!...
  • 23. Entretanto, oh Divino Mestre, de corações voltados para o teu coração, nós te suplicamos algo mais! Concede-nos, Senhor, o dom inefável da humildade para que tenhamos a precisa coragem de seguir-te os exemplos! (XAVIER, Francisco C. in “Antologia Espírita do Natal”)