SlideShare uma empresa Scribd logo
CURSAN – CIA. CUBATENSE DE URBANIZAÇÃO E SANEAMENTO CURSAN
 
É todo  dispositivo ou produto, de uso individual, utilizado pelo trabalhador, destinado a proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.
Adquirir o adequado ao risco da atividade; Exigir seu uso; Fornecer somente o EPI aprovado pelo órgão nacional competente; Orientar e treinar o trabalhador quanto a seu uso, guarda e conservação; Substituir imediatamente  quando extraviado ou danificado; Responsabilizar-se por sua manutenção e higienização; Comunicar ao MTE  qualquer irregularidade observada.
Usar, utilizando-o apenas para a finalidade a que se destina; responsabilizar-se por sua guarda e conservação; comunicar qualquer alteração que o torne impróprio para uso; cumprir as determinações do empregador sobre seu uso adequado.
FICHA PARA REGISTRO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL NOME:   FUNÇÃO:   REG:   CÓDIGOS:  A=AQUISIÇÃO  B=DEVOLUÇÃO  C=EXTRAVIO  D=DESGATE Declaro para os devidos fins ter recebido os E.P.I. constantes nesta ficha,bem como intruções corretas quanto ao uso  (portaria 3214 NR-6 item 6.6),responsabilisando-me por sua guarda e conservação (item 6.7). DATA QUANT. CÓD. EQUIPAMENTO ASSINATURA                                                                                                                                                                                              
 
LUVA DE LÁTEX
ÓCULOS INCOLOR RJ
BOTA DE PVC  CANO LONGO SAPATO DE SEGURANÇA DE COURO
TIPO PLUG (INSERÇÃO) SILICONE
 
CONHECENDO O RISCO O que é o Ruído? O Ruído é uma mistura de tons, cujas freqüências não seguem lei precisa e que diferem entre si por valores imperceptíveis ao ouvido humano, ou seja é “qualquer sensação sonora indesejável”. O que é o Som ? O som é  uma vibração  que  se  propaga pelo ar em forma  de ondas e que é percebida pelo ouvido  humano.  É uma sensação agradável em nível suportável e que não irrita.
EFEITOS AO ORGANISMO Nervosismo Contração dos músculos Estreitamento dos vasos sanguíneos Zumbidos   Apreensão Insônia
EFEITOS NO TRABALHO Nervosismo Problemas na comunicação Falta de concentração Desconforto e cansaço Nervosismo Baixo rendimento Acidentes EFEITOS NO TRABALHO
Utilizado por pessoas de cabelos compridos, barba, cicatriz; Compatível com outros equipamentos; Descartáveis; Pequenos e facilmente transportados e guardados; Boa adaptação a ambientes com calor e umidade excessiva; Não restringe movimentos em áreas muito pequenas. VANTAGENS DOS PLUGS
Menor atenuação: movimentos (fala, mastigação) podem  deslocar o plug; Necessidade de treinamento específico; Bons níveis de atenuação dependem da boa colocação; Menos higiênicos; Só pode ser utilizado em canais auditivos saudáveis;; Fáceis de perder; Menor durabilidade. DESVANTAGENS DOS PLUGS
INSTRUÇÕES PARA O USO CORRETO DO  PROTETOR AUDITIVO Passe a mão por cima da cabeça, puxe a orelha levemente e abra a boca a fim de abrir o canal auditivo; Introduza o protetor segurando firmemente pela haste, observando que os três flanges estejam inseridos no canal auditivo( veja o desenho); Utilize-o durante todo o período de trabalho.
Não o manuseie com as mãos sujas; Após o uso, guarde-o na embalagem; Lave diariamente com água e sabão, enxaguando com água corrente e seque delicadamente. CUIDADOS COM O PROTETOR AUDITIVO
É aquele que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte, perda, redução permanente ou temporária da capacidade para o trabalho. LESÃO CORPORAL :  qualquer dano anatômico. PERTURBAÇÃO FUNCIONAL :  prejuízo ao funcionamento de qualquer órgão ou sentido. CONCEITO LEGAL DE  ACIDENTE DO TRABALHO
TÍPICO :  É todo o acidente com lesão. DE TRAJETO : É o acidente sofrido pelo empregado no percurso da residência para o trabalho ou vice versa. CLASSIFICAÇÃO DOS  ACIDENTES DO TRABALHO
CAUSAS DOS  ACIDENTES DO TRABALHO CONDIÇÕES INSEGURAS : Problemas de iluminação; Ruídos e trepidações em excesso; Falta de limpeza e de ordem; Passagens obstruídas; Pisos escorregadios ou esburacados; Escadas entre pavimentos sem proteções; Condições sanitárias insatisfatórias; Ventilação deficiente ou imprópria; Ferramentas defeituosas.
CAUSAS DOS  ACIDENTES DO TRABALHO ATOS INSEGUROS : Atos imprudentes; Recusa de utilização de EPI; Operação de máquinas e equipamentos sem habilitação; Brincadeira; Levantamento de cargas inadequadamente; Fumar em locais onde há perigo de fogo; Consumir bebida alcoólica durante o trabalho; Executar o serviço com pressa.
CAUSAS DOS  ACIDENTES DO TRABALHO FATOR PESSOAL DE INSEGURANÇA : Problemas pessoais do indivíduo. Problemas de saúde não tratados; Conflitos familiares; Falta de interesse pela atividade que desempenha; Alcoolismo; Uso de substâncias tóxicas; Falta de conhecimento; Falta de experiência; Desajustamento físico, mental ou emocional.
CONSEQUÊNCIAS DOS  ACIDENTES DO TRABALHO Lesões pessoais Perda de tempo Danos Materiais
COMUNICAÇÃO DE ACIDENTES É obrigação legal; O acidentado ou seu representante deve comunicar de imediato; A Empresa deve fazer a comunicação à Previdência Social em até 24 horas; Deverá ser preenchida em 06 vias: 1- INSS 2- Segurado ou dependente 3- Sindicato da categoria 4- Empresa 5- SUS 6- Delegacia Regional do Trabalho
 
PROCEDIMENTOS APÓS UM A.T. Encaminhamento do funcionário ao PS Central de Cubatão; Consulta; Encaminhamento ao Setor de Acidente de Trabalho (Hospital Modelo); Marcação do retorno ao Médico; Documentação ao SESMT; Investigação do acidente; Caracterização ou não do A.T.; Preenchimento da C.A.T. (Depende do resultado da investigação).
AFASTAMENTO POR  ACIDENTE DE TRABALHO Acontece automaticamente após a emissão da C.A.T.; O funcionário fica afastado até o seu retorno ao médico.
RETORNO MÉDICO Médico terá em mãos a C.A.T.; Consulta ao funcionário; Decidirá sobre a aptidão ou não do funcionário. APTO : Devolve a C.A.T. ao funcionário e emite o comunicado de alta médica. INAPTO : Marca novo retorno e fica com a C.A.T. até a alta.
ALTA MÉDICA É a data do término do afastamento do acidentado a qual corresponde àquela em que o acidentado foi considerado APTO a retornar ao trabalho. PROCEDIMENTO: LEVAR O COMUNICADO JUNTO COM AS VIAS DA CAT À SEGURANÇA NO TRABALHO PARA FINALIZAÇÃO.
COMO SE PROTEGER DAS FEZES DE POMBOS
POMBOS - “COLUMBIA LIVIA” ave vinda da Europa,  hoje presente em  todas as cidades brasileiras; é fiel ao seu parceiro, podendo viver até 35 anos; possui uma visão muito aguçada, chegando a localizar um grão de milho a 200m de distância; se alimenta de grãos e lixo.
FEZES muito ácidas, estragam monumentos de metal e bronze, veículos e equipamentos, causam apodrecimento de madeira além de contaminar a  água e alimentos. PENAS   entopem calhas   e provocam alergias. DOENÇAS  Salmonelose:  transmitida pela ingestão de alimentos ou água contaminados, provocada por bactérias, gera febre alta, súbita, dores de cabeça e diarréia; Ornitose : provocada por bactérias, afeta o pulmão, provoca secreções e afeta o sistema nervoso central; Toxoplasmose : causada por um protozoário que afeta a visão;  além da  histoplasmose, criptococose, psitacose, dermatites, asma  dentre outras tantas já catalogadas.
LOCAIS ONDE OS POMBOS SE ALOJAM Beirais; Vãos de acesso a forros e telhados; Desvãos; Parapeitos; Jardineiras; Saídas de tubulações; Vigas; Frestas; Caixas de ar condicionado; Caixa d´água; Etc.
VIAS DE TRANSMISSÃO DAS DOENÇAS Inalação de poeiras, contendo partículas de fezes secas, contaminadas por fungos; Ingestão de alimentos e água contaminada por fezes, contendo agentes infecciosos; Contato com resíduos de penas ou fezes.
COMO PODEMOS CONTRIBUIR  PARA O CONTROLE  DESSAS AVES Não oferecer alimentos para as aves; Acondicionar adequadamente, em sacos plásticos ou recipientes fechados, todo e qualquer tipo de lixo; Criar barreiras que impossibilite o abrigo para as aves.
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
DENNIS ARAUJO LACERDA MOLITERNO MAIARA OLIVEIRA FERREIRA DOS SANTOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA NO TRABALHO (13) 3361-8323 [email_address]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Segurança do trabalho
Segurança do trabalhoSegurança do trabalho
Segurança do trabalho
Mauricio Cesar Soares
 
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPITreinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Sergio Silva
 
GERENCIAMENTO EPI CONSCIENTIZAÇÃO E USO – NR 6
GERENCIAMENTO EPI CONSCIENTIZAÇÃO E USO – NR 6GERENCIAMENTO EPI CONSCIENTIZAÇÃO E USO – NR 6
GERENCIAMENTO EPI CONSCIENTIZAÇÃO E USO – NR 6
GAC CURSOS ONLINE
 
EPC - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVA
EPC - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVAEPC - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVA
EPC - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVA
Luiz Antonio Funabashi
 
Prevenção de Acidentes de Trabalho
Prevenção de Acidentes de TrabalhoPrevenção de Acidentes de Trabalho
Prevenção de Acidentes de Trabalho
IZAIAS DE SOUZA AGUIAR
 
NR-1
NR-1NR-1
Treinamento NR-6 - LIMPEZA.ppt
Treinamento NR-6 - LIMPEZA.pptTreinamento NR-6 - LIMPEZA.ppt
Treinamento NR-6 - LIMPEZA.ppt
flávio barbosa
 
Integração de Segurança
Integração de SegurançaIntegração de Segurança
Integração de Segurança
Sergio Roberto Silva
 
Campanha adornos
Campanha adornosCampanha adornos
Campanha adornos
Ane Costa
 
Treinamento nr 20
Treinamento nr 20Treinamento nr 20
Treinamento nr 20
André Luís Siqueira
 
Aula 2 - Normas Regulamentadoras
Aula 2 - Normas RegulamentadorasAula 2 - Normas Regulamentadoras
Aula 2 - Normas Regulamentadoras
Ghiordanno Bruno
 
Apresentação nr10
Apresentação nr10Apresentação nr10
Apresentação nr10
foxtray
 
Integração de Segurança do Trabalho NOVO
Integração de Segurança do Trabalho NOVOIntegração de Segurança do Trabalho NOVO
Integração de Segurança do Trabalho NOVO
Sergio Silva
 
Aula 7 gestão de riscos
Aula 7   gestão de riscosAula 7   gestão de riscos
Aula 7 gestão de riscos
Daniel Moura
 
Treinamento sobre epi
Treinamento sobre epiTreinamento sobre epi
Treinamento sobre epi
Nathanael Rodrigues
 
Programa 5S
Programa 5SPrograma 5S
Programa 5S
Nyedson Barbosa
 
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalhoMedidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
Thaysa Brito
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
HP Safety Engenharia
 
Nr 6 treinamento
Nr 6 treinamentoNr 6 treinamento
Nr 6 treinamento
André Kovtun Sliachticas
 
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Ana Paula Santos de Jesus Souza
 

Mais procurados (20)

Segurança do trabalho
Segurança do trabalhoSegurança do trabalho
Segurança do trabalho
 
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPITreinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPI
 
GERENCIAMENTO EPI CONSCIENTIZAÇÃO E USO – NR 6
GERENCIAMENTO EPI CONSCIENTIZAÇÃO E USO – NR 6GERENCIAMENTO EPI CONSCIENTIZAÇÃO E USO – NR 6
GERENCIAMENTO EPI CONSCIENTIZAÇÃO E USO – NR 6
 
EPC - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVA
EPC - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVAEPC - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVA
EPC - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVA
 
Prevenção de Acidentes de Trabalho
Prevenção de Acidentes de TrabalhoPrevenção de Acidentes de Trabalho
Prevenção de Acidentes de Trabalho
 
NR-1
NR-1NR-1
NR-1
 
Treinamento NR-6 - LIMPEZA.ppt
Treinamento NR-6 - LIMPEZA.pptTreinamento NR-6 - LIMPEZA.ppt
Treinamento NR-6 - LIMPEZA.ppt
 
Integração de Segurança
Integração de SegurançaIntegração de Segurança
Integração de Segurança
 
Campanha adornos
Campanha adornosCampanha adornos
Campanha adornos
 
Treinamento nr 20
Treinamento nr 20Treinamento nr 20
Treinamento nr 20
 
Aula 2 - Normas Regulamentadoras
Aula 2 - Normas RegulamentadorasAula 2 - Normas Regulamentadoras
Aula 2 - Normas Regulamentadoras
 
Apresentação nr10
Apresentação nr10Apresentação nr10
Apresentação nr10
 
Integração de Segurança do Trabalho NOVO
Integração de Segurança do Trabalho NOVOIntegração de Segurança do Trabalho NOVO
Integração de Segurança do Trabalho NOVO
 
Aula 7 gestão de riscos
Aula 7   gestão de riscosAula 7   gestão de riscos
Aula 7 gestão de riscos
 
Treinamento sobre epi
Treinamento sobre epiTreinamento sobre epi
Treinamento sobre epi
 
Programa 5S
Programa 5SPrograma 5S
Programa 5S
 
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalhoMedidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
 
Nr 6 treinamento
Nr 6 treinamentoNr 6 treinamento
Nr 6 treinamento
 
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
 

Destaque

Seminario epi e epc
Seminario epi e epcSeminario epi e epc
Seminario epi e epc
jaquelinemalta
 
treinamento ruido
treinamento ruido treinamento ruido
treinamento ruido
Ane Costa
 
Epi's e epc- Farmácia
Epi's e epc- FarmáciaEpi's e epc- Farmácia
Epi's e epc- Farmácia
nenhuma
 
1. treinamento pca
1. treinamento pca1. treinamento pca
1. treinamento pca
Nilton Goulart
 
Projeto de redução de Ruido
Projeto de redução de RuidoProjeto de redução de Ruido
Projeto de redução de Ruido
Alexandre Roque
 
171 nr122-110911200456-phpapp01
171 nr122-110911200456-phpapp01171 nr122-110911200456-phpapp01
171 nr122-110911200456-phpapp01
Nilton Goulart
 

Destaque (6)

Seminario epi e epc
Seminario epi e epcSeminario epi e epc
Seminario epi e epc
 
treinamento ruido
treinamento ruido treinamento ruido
treinamento ruido
 
Epi's e epc- Farmácia
Epi's e epc- FarmáciaEpi's e epc- Farmácia
Epi's e epc- Farmácia
 
1. treinamento pca
1. treinamento pca1. treinamento pca
1. treinamento pca
 
Projeto de redução de Ruido
Projeto de redução de RuidoProjeto de redução de Ruido
Projeto de redução de Ruido
 
171 nr122-110911200456-phpapp01
171 nr122-110911200456-phpapp01171 nr122-110911200456-phpapp01
171 nr122-110911200456-phpapp01
 

Semelhante a TREINAMENTO AOS FUNCIONÁRIOS DA LIMPEZA DA CURSAN

TREINAMENTO DE NR32.ppt
TREINAMENTO DE NR32.pptTREINAMENTO DE NR32.ppt
TREINAMENTO DE NR32.ppt
JEFFERSON CHIESE DO CARMO
 
Das Imagens Feias
Das Imagens FeiasDas Imagens Feias
Das Imagens Feias
Ainoan
 
MANUAL PARA FUNCIONÁRIOS DA MERENDA ESCOLAR DA CURSAN
MANUAL PARA FUNCIONÁRIOS DA MERENDA ESCOLAR DA CURSANMANUAL PARA FUNCIONÁRIOS DA MERENDA ESCOLAR DA CURSAN
MANUAL PARA FUNCIONÁRIOS DA MERENDA ESCOLAR DA CURSAN
Dennis Moliterno
 
Nr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaNr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completa
Daniel Lira
 
Nr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaNr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completa
Daniel Lira
 
NR06 - EPI.pptx
NR06 - EPI.pptxNR06 - EPI.pptx
NR06 - EPI.pptx
AlfaTreinamentoseAss
 
NR 6.pdf
NR 6.pdfNR 6.pdf
NR 6.pdf
RosinaldoSena
 
temas de dssTemas novos para dds
temas de dssTemas novos para ddstemas de dssTemas novos para dds
temas de dssTemas novos para dds
Thais Pererira
 
*Equipamento de Proteção Individual-NR 6
*Equipamento de Proteção Individual-NR 6*Equipamento de Proteção Individual-NR 6
*Equipamento de Proteção Individual-NR 6
AmarildoSanttos
 
Os aux.limpeza e higiene (1) (1)
Os  aux.limpeza e higiene (1) (1)Os  aux.limpeza e higiene (1) (1)
Os aux.limpeza e higiene (1) (1)
EVALDO JUNIO SILVA DA GAMA
 
Os aux.limpeza e higiene (1) (1)
Os  aux.limpeza e higiene (1) (1)Os  aux.limpeza e higiene (1) (1)
Os aux.limpeza e higiene (1) (1)
EVALDO JUNIO SILVA DA GAMA
 
Introdução higiene e seguranca
Introdução higiene e segurancaIntrodução higiene e seguranca
Introdução higiene e seguranca
Thiago Brito
 
Dds.livro.zip
Dds.livro.zipDds.livro.zip
Dds.livro.zip
nicobelo
 
Integração NR 18 e NR 06 EPI_Slides. SESMT-Qualidade.pptx
Integração NR 18 e NR 06 EPI_Slides. SESMT-Qualidade.pptxIntegração NR 18 e NR 06 EPI_Slides. SESMT-Qualidade.pptx
Integração NR 18 e NR 06 EPI_Slides. SESMT-Qualidade.pptx
VitorSimes25
 
Politica de saude e segurana do trabalho
Politica de saude e segurana do trabalhoPolitica de saude e segurana do trabalho
Politica de saude e segurana do trabalho
Eber B. de Oliveira
 
Segurança do trabalho
Segurança do trabalhoSegurança do trabalho
Segurança do trabalho
Claudia araujo
 
DDS - Dialogo Diario de Segurança
DDS - Dialogo Diario de SegurançaDDS - Dialogo Diario de Segurança
DDS - Dialogo Diario de Segurança
Tuany Caldas
 
Formação HST - Módulo I.pptx
Formação HST - Módulo I.pptxFormação HST - Módulo I.pptx
Formação HST - Módulo I.pptx
RuiTorres25
 
Apresentação para treinamento de Integração com Incêndio.ppt
Apresentação para treinamento de Integração com Incêndio.pptApresentação para treinamento de Integração com Incêndio.ppt
Apresentação para treinamento de Integração com Incêndio.ppt
ReniltonGomes1
 
Biossegurança faculdade católica
Biossegurança faculdade católica Biossegurança faculdade católica
Biossegurança faculdade católica
Hygor Malheiros
 

Semelhante a TREINAMENTO AOS FUNCIONÁRIOS DA LIMPEZA DA CURSAN (20)

TREINAMENTO DE NR32.ppt
TREINAMENTO DE NR32.pptTREINAMENTO DE NR32.ppt
TREINAMENTO DE NR32.ppt
 
Das Imagens Feias
Das Imagens FeiasDas Imagens Feias
Das Imagens Feias
 
MANUAL PARA FUNCIONÁRIOS DA MERENDA ESCOLAR DA CURSAN
MANUAL PARA FUNCIONÁRIOS DA MERENDA ESCOLAR DA CURSANMANUAL PARA FUNCIONÁRIOS DA MERENDA ESCOLAR DA CURSAN
MANUAL PARA FUNCIONÁRIOS DA MERENDA ESCOLAR DA CURSAN
 
Nr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaNr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completa
 
Nr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaNr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completa
 
NR06 - EPI.pptx
NR06 - EPI.pptxNR06 - EPI.pptx
NR06 - EPI.pptx
 
NR 6.pdf
NR 6.pdfNR 6.pdf
NR 6.pdf
 
temas de dssTemas novos para dds
temas de dssTemas novos para ddstemas de dssTemas novos para dds
temas de dssTemas novos para dds
 
*Equipamento de Proteção Individual-NR 6
*Equipamento de Proteção Individual-NR 6*Equipamento de Proteção Individual-NR 6
*Equipamento de Proteção Individual-NR 6
 
Os aux.limpeza e higiene (1) (1)
Os  aux.limpeza e higiene (1) (1)Os  aux.limpeza e higiene (1) (1)
Os aux.limpeza e higiene (1) (1)
 
Os aux.limpeza e higiene (1) (1)
Os  aux.limpeza e higiene (1) (1)Os  aux.limpeza e higiene (1) (1)
Os aux.limpeza e higiene (1) (1)
 
Introdução higiene e seguranca
Introdução higiene e segurancaIntrodução higiene e seguranca
Introdução higiene e seguranca
 
Dds.livro.zip
Dds.livro.zipDds.livro.zip
Dds.livro.zip
 
Integração NR 18 e NR 06 EPI_Slides. SESMT-Qualidade.pptx
Integração NR 18 e NR 06 EPI_Slides. SESMT-Qualidade.pptxIntegração NR 18 e NR 06 EPI_Slides. SESMT-Qualidade.pptx
Integração NR 18 e NR 06 EPI_Slides. SESMT-Qualidade.pptx
 
Politica de saude e segurana do trabalho
Politica de saude e segurana do trabalhoPolitica de saude e segurana do trabalho
Politica de saude e segurana do trabalho
 
Segurança do trabalho
Segurança do trabalhoSegurança do trabalho
Segurança do trabalho
 
DDS - Dialogo Diario de Segurança
DDS - Dialogo Diario de SegurançaDDS - Dialogo Diario de Segurança
DDS - Dialogo Diario de Segurança
 
Formação HST - Módulo I.pptx
Formação HST - Módulo I.pptxFormação HST - Módulo I.pptx
Formação HST - Módulo I.pptx
 
Apresentação para treinamento de Integração com Incêndio.ppt
Apresentação para treinamento de Integração com Incêndio.pptApresentação para treinamento de Integração com Incêndio.ppt
Apresentação para treinamento de Integração com Incêndio.ppt
 
Biossegurança faculdade católica
Biossegurança faculdade católica Biossegurança faculdade católica
Biossegurança faculdade católica
 

Último

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 

Último (20)

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 

TREINAMENTO AOS FUNCIONÁRIOS DA LIMPEZA DA CURSAN

  • 1. CURSAN – CIA. CUBATENSE DE URBANIZAÇÃO E SANEAMENTO CURSAN
  • 2.  
  • 3. É todo dispositivo ou produto, de uso individual, utilizado pelo trabalhador, destinado a proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.
  • 4. Adquirir o adequado ao risco da atividade; Exigir seu uso; Fornecer somente o EPI aprovado pelo órgão nacional competente; Orientar e treinar o trabalhador quanto a seu uso, guarda e conservação; Substituir imediatamente quando extraviado ou danificado; Responsabilizar-se por sua manutenção e higienização; Comunicar ao MTE qualquer irregularidade observada.
  • 5. Usar, utilizando-o apenas para a finalidade a que se destina; responsabilizar-se por sua guarda e conservação; comunicar qualquer alteração que o torne impróprio para uso; cumprir as determinações do empregador sobre seu uso adequado.
  • 6. FICHA PARA REGISTRO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL NOME:   FUNÇÃO:   REG:   CÓDIGOS: A=AQUISIÇÃO B=DEVOLUÇÃO C=EXTRAVIO D=DESGATE Declaro para os devidos fins ter recebido os E.P.I. constantes nesta ficha,bem como intruções corretas quanto ao uso (portaria 3214 NR-6 item 6.6),responsabilisando-me por sua guarda e conservação (item 6.7). DATA QUANT. CÓD. EQUIPAMENTO ASSINATURA                                                                                                                                                                                              
  • 7.  
  • 10. BOTA DE PVC CANO LONGO SAPATO DE SEGURANÇA DE COURO
  • 12.  
  • 13. CONHECENDO O RISCO O que é o Ruído? O Ruído é uma mistura de tons, cujas freqüências não seguem lei precisa e que diferem entre si por valores imperceptíveis ao ouvido humano, ou seja é “qualquer sensação sonora indesejável”. O que é o Som ? O som é uma vibração que se propaga pelo ar em forma de ondas e que é percebida pelo ouvido humano. É uma sensação agradável em nível suportável e que não irrita.
  • 14. EFEITOS AO ORGANISMO Nervosismo Contração dos músculos Estreitamento dos vasos sanguíneos Zumbidos Apreensão Insônia
  • 15. EFEITOS NO TRABALHO Nervosismo Problemas na comunicação Falta de concentração Desconforto e cansaço Nervosismo Baixo rendimento Acidentes EFEITOS NO TRABALHO
  • 16. Utilizado por pessoas de cabelos compridos, barba, cicatriz; Compatível com outros equipamentos; Descartáveis; Pequenos e facilmente transportados e guardados; Boa adaptação a ambientes com calor e umidade excessiva; Não restringe movimentos em áreas muito pequenas. VANTAGENS DOS PLUGS
  • 17. Menor atenuação: movimentos (fala, mastigação) podem deslocar o plug; Necessidade de treinamento específico; Bons níveis de atenuação dependem da boa colocação; Menos higiênicos; Só pode ser utilizado em canais auditivos saudáveis;; Fáceis de perder; Menor durabilidade. DESVANTAGENS DOS PLUGS
  • 18. INSTRUÇÕES PARA O USO CORRETO DO PROTETOR AUDITIVO Passe a mão por cima da cabeça, puxe a orelha levemente e abra a boca a fim de abrir o canal auditivo; Introduza o protetor segurando firmemente pela haste, observando que os três flanges estejam inseridos no canal auditivo( veja o desenho); Utilize-o durante todo o período de trabalho.
  • 19. Não o manuseie com as mãos sujas; Após o uso, guarde-o na embalagem; Lave diariamente com água e sabão, enxaguando com água corrente e seque delicadamente. CUIDADOS COM O PROTETOR AUDITIVO
  • 20. É aquele que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte, perda, redução permanente ou temporária da capacidade para o trabalho. LESÃO CORPORAL : qualquer dano anatômico. PERTURBAÇÃO FUNCIONAL : prejuízo ao funcionamento de qualquer órgão ou sentido. CONCEITO LEGAL DE ACIDENTE DO TRABALHO
  • 21. TÍPICO : É todo o acidente com lesão. DE TRAJETO : É o acidente sofrido pelo empregado no percurso da residência para o trabalho ou vice versa. CLASSIFICAÇÃO DOS ACIDENTES DO TRABALHO
  • 22. CAUSAS DOS ACIDENTES DO TRABALHO CONDIÇÕES INSEGURAS : Problemas de iluminação; Ruídos e trepidações em excesso; Falta de limpeza e de ordem; Passagens obstruídas; Pisos escorregadios ou esburacados; Escadas entre pavimentos sem proteções; Condições sanitárias insatisfatórias; Ventilação deficiente ou imprópria; Ferramentas defeituosas.
  • 23. CAUSAS DOS ACIDENTES DO TRABALHO ATOS INSEGUROS : Atos imprudentes; Recusa de utilização de EPI; Operação de máquinas e equipamentos sem habilitação; Brincadeira; Levantamento de cargas inadequadamente; Fumar em locais onde há perigo de fogo; Consumir bebida alcoólica durante o trabalho; Executar o serviço com pressa.
  • 24. CAUSAS DOS ACIDENTES DO TRABALHO FATOR PESSOAL DE INSEGURANÇA : Problemas pessoais do indivíduo. Problemas de saúde não tratados; Conflitos familiares; Falta de interesse pela atividade que desempenha; Alcoolismo; Uso de substâncias tóxicas; Falta de conhecimento; Falta de experiência; Desajustamento físico, mental ou emocional.
  • 25. CONSEQUÊNCIAS DOS ACIDENTES DO TRABALHO Lesões pessoais Perda de tempo Danos Materiais
  • 26. COMUNICAÇÃO DE ACIDENTES É obrigação legal; O acidentado ou seu representante deve comunicar de imediato; A Empresa deve fazer a comunicação à Previdência Social em até 24 horas; Deverá ser preenchida em 06 vias: 1- INSS 2- Segurado ou dependente 3- Sindicato da categoria 4- Empresa 5- SUS 6- Delegacia Regional do Trabalho
  • 27.  
  • 28. PROCEDIMENTOS APÓS UM A.T. Encaminhamento do funcionário ao PS Central de Cubatão; Consulta; Encaminhamento ao Setor de Acidente de Trabalho (Hospital Modelo); Marcação do retorno ao Médico; Documentação ao SESMT; Investigação do acidente; Caracterização ou não do A.T.; Preenchimento da C.A.T. (Depende do resultado da investigação).
  • 29. AFASTAMENTO POR ACIDENTE DE TRABALHO Acontece automaticamente após a emissão da C.A.T.; O funcionário fica afastado até o seu retorno ao médico.
  • 30. RETORNO MÉDICO Médico terá em mãos a C.A.T.; Consulta ao funcionário; Decidirá sobre a aptidão ou não do funcionário. APTO : Devolve a C.A.T. ao funcionário e emite o comunicado de alta médica. INAPTO : Marca novo retorno e fica com a C.A.T. até a alta.
  • 31. ALTA MÉDICA É a data do término do afastamento do acidentado a qual corresponde àquela em que o acidentado foi considerado APTO a retornar ao trabalho. PROCEDIMENTO: LEVAR O COMUNICADO JUNTO COM AS VIAS DA CAT À SEGURANÇA NO TRABALHO PARA FINALIZAÇÃO.
  • 32. COMO SE PROTEGER DAS FEZES DE POMBOS
  • 33. POMBOS - “COLUMBIA LIVIA” ave vinda da Europa, hoje presente em todas as cidades brasileiras; é fiel ao seu parceiro, podendo viver até 35 anos; possui uma visão muito aguçada, chegando a localizar um grão de milho a 200m de distância; se alimenta de grãos e lixo.
  • 34. FEZES muito ácidas, estragam monumentos de metal e bronze, veículos e equipamentos, causam apodrecimento de madeira além de contaminar a água e alimentos. PENAS entopem calhas e provocam alergias. DOENÇAS Salmonelose: transmitida pela ingestão de alimentos ou água contaminados, provocada por bactérias, gera febre alta, súbita, dores de cabeça e diarréia; Ornitose : provocada por bactérias, afeta o pulmão, provoca secreções e afeta o sistema nervoso central; Toxoplasmose : causada por um protozoário que afeta a visão; além da histoplasmose, criptococose, psitacose, dermatites, asma dentre outras tantas já catalogadas.
  • 35. LOCAIS ONDE OS POMBOS SE ALOJAM Beirais; Vãos de acesso a forros e telhados; Desvãos; Parapeitos; Jardineiras; Saídas de tubulações; Vigas; Frestas; Caixas de ar condicionado; Caixa d´água; Etc.
  • 36. VIAS DE TRANSMISSÃO DAS DOENÇAS Inalação de poeiras, contendo partículas de fezes secas, contaminadas por fungos; Ingestão de alimentos e água contaminada por fezes, contendo agentes infecciosos; Contato com resíduos de penas ou fezes.
  • 37. COMO PODEMOS CONTRIBUIR PARA O CONTROLE DESSAS AVES Não oferecer alimentos para as aves; Acondicionar adequadamente, em sacos plásticos ou recipientes fechados, todo e qualquer tipo de lixo; Criar barreiras que impossibilite o abrigo para as aves.
  • 39. DENNIS ARAUJO LACERDA MOLITERNO MAIARA OLIVEIRA FERREIRA DOS SANTOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA NO TRABALHO (13) 3361-8323 [email_address]