SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Unidade
5 Direitos, cidadania e
movimentos sociais
Há registros de movimentos sociais no Brasil
desde o primeiro século da colonização até
nossos dias. Esses movimentos demonstram que
os que viviam e os que vivem no Brasil nunca
foram passivos e sempre procuraram, de uma
ou de outra forma, lutar em defesa de suas
ideias e interesses.
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
Lutas no período colonial
Durante o período colonial (1500-1822), os movimentos
sociais mais significativos foram:
os de independência em relação a Portugal: a
Inconfidência Mineira (1789-1792) e a Conjuração
Baiana (1796-1799).
os dos povos indígenas, que lutaram para não ser
escravizados e para manter suas terras e seu
modo de vida;
os dos escravos africanos, cuja principal forma de
resistência eram as revoltas localizadas e a formação
de quilombos;
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
Revoltas regionais, abolicionismo e republicanismo
No período imperial (1822-1889),
ocorreram movimentos pelo fim da
escravidão e contra a monarquia,
objetivando a instauração de uma
república no Brasil ou a proclamação
de repúblicas isoladas. Todos foram
reprimidos. Edição de 15 de julho de 1848 do jornal A
voz do Brasil, de Recife, que incitava a
radicalização da luta popular contra o
poder da aristocracia provincial.
AcervoIconographia
Ocorreram ainda movimentos em
que se lutou por questões específicas,
contra as decisões vindas dos
governantes, percebidas como autoritárias.
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
A partir de 1850, dois grandes movimentos sociais
alcançaram âmbito nacional: o movimento abolicionista
e o republicano.
Desenvolvidos paralelamente, e com composições
diferentes, esses movimentos foram fundamentais
para a queda do império e a instauração da república
no Brasil.
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
O movimento abolicionista agregou políticos,
intelectuais, poetas e romancistas, mas também
muitos negros e pardos libertos. Cresceu lentamente,
pois sofria a oposição dos grandes proprietários de
terras e escravos.
Charge A pátria repele os escravocratas,
de Angelo Agostini, publicada na revista
Illustrada em cerca de 1880.
FundaçãoBibliotecaNacional,RiodeJaneiro
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
O movimento republicano foi dominado pelos
segmentos mais ricos da sociedade. A organização
buscava uma nova forma de acomodar os grupos que
desejavam o poder sem a presença do imperador e da
monarquia.
Participaram desse movimento liberais que defendiam
uma república democrática, mas eles foram afastados
e os conservadores se apossaram do poder.
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
De Canudos à Coluna Prestes
Os movimentos que ocorreram entre o fim do século XIX
e o início do século XX revelavam um caráter político e
social marcante.
Dois deles podem ser lembrados pela denúncia da
miséria, da opressão e das injustiças da República
dos Coronéis: a Guerra de Canudos e a Guerra do
Contestado.
Após anos de resistência e muitas batalhas, os
participantes desses movimentos foram massacrados
pelo Exército nacional.
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
Liderados por Antônio
Conselheiro, sertanejos baianos
estabeleceram-se em Canudos.
Ali, cerca de 30 mil habitantes
viviam em sistema comunitário,
no qual não havia propriedade
privada e todos os frutos do
trabalho eram repartidos.
Igreja de Santo Antônio, Canudos, 1897.
MuseudaRepública,RiodeJaneiro
Guerra de Canudos (1893-1897), Bahia
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
Guerra do Contestado (1912-1916), Paraná e Santa Catarina
Seus integrantes eram sertanejos revoltados com as
condições de opressão impostas pelos coronéis locais,
posseiros expulsos de suas terras pela empresa britânica
Brazil Railway Company e ex-empregados que haviam
sido demitidos sumariamente dessa companhia.
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
Outros movimentos sociais, de caráter urbano,
marcaram as primeiras décadas do século XX.
Greves operárias
No Rio de Janeiro e em São Paulo, eram comandadas
principalmente por imigrantes italianos com forte
influência anarquista.
Mesmo proibidas por lei, as greves operárias tomaram
conta das fábricas no Sudeste do país e denunciavam
as péssimas condições de vida dos trabalhadores.
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
Tenentismo
Tenentes rebelados na avenida Atlântica,
no Rio de Janeiro, em 1922.
CPDOC/FGV
O primeiro levante ocorreu em julho
de 1922 no Rio de Janeiro. Para
tentar impedir a posse do presidente
eleito Arthur Bernardes, os oficiais
rebelados ameaçaram bombardear
o Rio de Janeiro. O movimento foi
controlado pelo Exército.
Movimento político-militar com o objetivo de conquistar
o poder para promover as reformas necessárias à
modernização da sociedade.
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
O segundo levante ocorreu em 1924, em São Paulo, e
reuniu cerca de mil homens. Esse movimento também
foi controlado pelo Exército.
O líder da revolta, general Isidoro Dias Lopes, dirigiu-se
com uma tropa para o Sul do país e se uniu a outros
militares revoltosos, liderados por Luís Carlos Prestes,
formando a Coluna Prestes.
A Coluna Prestes percorreu mais de 20 mil quilômetros
do território brasileiro, com o objetivo de levantar a
população contra o poder das oligarquias regionais.
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
A República varguista
O período de 1930 a 1945 foi marcado por um forte
controle do Estado sobre a sociedade. Mesmo assim,
dois movimentos buscaram alcançar o poder.
Movimento da Ação Integralista Nacional
Congresso integralista em Santa Catarina, 1935.
Ao centro, sentado, Plínio Salgado.
CPDOC/FGV
De tendência fascista, foi liderado
por Plínio Salgado. Tentou um
golpe, fracassado, em 1938.
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
Aliança Nacional Libertadora (ANL)
Rebeldes da Aliança Nacional Libertadora.
Rio de Janeiro, novembro de 1935.
AcervoIconographia
O movimento, liderado por Luís Carlos Prestes, tinha
tendência socialista. Em 1935, a ANL foi proibida por
Vargas e tentou dar um golpe militar, mas fracassou.
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
No período de 1946 a 1964, eclodiram vários movimentos:
“O petróleo é nosso” (1948-1953)
Campanha de cunho nacionalista que
culminou na criação da estatal Petrobras.
Movimentos grevistas
Em 1962, ocorreu a primeira greve nacional
contra o custo de vida, pela realização do
plebiscito para o retorno ao presidencialismo
e por reformas de base.
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
Movimentos agrários
Manifestação de trabalhadores rurais em Santa Catarina, 1955.
ANotíciadeJoinville/AE
De 1955 a 1964, organizaram-se as
Ligas Camponesas (PE).
Denunciavam as condições
precárias da população
rural, bem como a
estrutura da propriedade
rural no Brasil.
Na década de 1950, os mais
expressivos ocorreram em
Porecatu (PR), Trompas e Formoso (GO).
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
A República fardada
Mesmo com o golpe militar de 1964, os movimentos dos
trabalhadores e estudantes continuaram atuantes, até
dezembro de 1968, quando foi decretado o AI-5.
Rio de Janeiro, junho de 1968.
Passeata dos Cem Mil: a maior manifestação pública
até então realizada contra a ditadura militar.
ChicoNelson/EditoraAbril
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
Apesar da violenta repressão pelos militares, surgiram
os movimentos armados de contestação ao regime.
Nas cidades, os sequestros e os roubos a bancos
foram as ações mais utilizadas.
No campo, foram montados movimentos de
guerrilheiros – o mais conhecido é a Guerrilha
do Araguaia.
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
Após o governo de Ernesto Geisel, foram organizados
grandes movimentos políticos pela democratização
da sociedade:
movimento pela Anistia
(1978-1979);
movimento pelas eleições
diretas – Diretas Já (1983-
1984);
movimento pela
Constituinte (1985-1986).
Thinkstock/GettyIamges
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST)
Movimentos grevistas no ABCD paulista
Nesse período, outros movimentos também foram
importantes:
Questionavam as condições salariais e de trabalho,
e a legislação que não permitia a livre
organização e manifestação de
trabalhadores.
Questionava da estrutura da propriedade da terra no
Brasil e a situação dos trabalhadores rurais.
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
Movimentos sociais hoje
De 1988 aos dias atuais, observa-se uma série de
movimentos pela efetivação dos direitos existentes
e pela conquista de novos direitos.
Os movimentos dos negros, das mulheres, dos
indígenas, dos ambientalistas, dos sem-terra e dos
sem-teto, por exemplo, não têm a preocupação de
alcançar o poder do Estado. Procuram construir
espaços políticos públicos nos quais possam ser
debatidas as questões importantes para uma
sociedade politizada.
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
Exercício
1. Junte-se a um colega e:
a) consultem os mapas da página 162 e pesquisem dois
movimentos de resistência dos povos indígenas e
dos africanos escravizados ocorridos durante o
período colonial no Brasil;
b) procurem em jornais, em revistas e na internet
informações sobre a atuação dos movimentos
dos povos indígenas e negros na atualidade.
Os movimentos sociais no Brasil
17
Capítulo
2. Com base nas informações levantadas no exercício 1,
elaborem um texto considerando:
as causas da luta desses movimentos no período
colonial e nos dias atuais;
como eles se manifestaram/manifestam;
quem os apoiou/apoia;
quais foram/são as consequências de suas ações;
como a sociedade reagiu/reage a eles.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O que é sociologia - AM_261 - IFRJ_1º semestre
O que é sociologia - AM_261 - IFRJ_1º semestreO que é sociologia - AM_261 - IFRJ_1º semestre
O que é sociologia - AM_261 - IFRJ_1º semestre
Carmem Rocha
 
Simulado ensino médio sociologia (salvo automaticamente)
Simulado ensino médio  sociologia (salvo automaticamente)Simulado ensino médio  sociologia (salvo automaticamente)
Simulado ensino médio sociologia (salvo automaticamente)
Atividades Diversas Cláudia
 
Sociologia Capítulo 15-os movimentos sociais
Sociologia Capítulo 15-os movimentos sociaisSociologia Capítulo 15-os movimentos sociais
Sociologia Capítulo 15-os movimentos sociais
Miro Santos
 
A divisão social do trabalho émile durkheim
A divisão social do trabalho  émile durkheimA divisão social do trabalho  émile durkheim
A divisão social do trabalho émile durkheim
Lucio Braga
 
Movimentos Sociais
Movimentos SociaisMovimentos Sociais
Movimentos Sociais
marifonseca
 

Mais procurados (20)

Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 22 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 22 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 22 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 22 do Tomazi
 
O que é sociologia - AM_261 - IFRJ_1º semestre
O que é sociologia - AM_261 - IFRJ_1º semestreO que é sociologia - AM_261 - IFRJ_1º semestre
O que é sociologia - AM_261 - IFRJ_1º semestre
 
Anarquismo
AnarquismoAnarquismo
Anarquismo
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 01 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 01 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 01 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 01 do Tomazi
 
Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais
 
Movimento negro brasil
Movimento negro  brasilMovimento negro  brasil
Movimento negro brasil
 
Sociologia - Os Movimentos Sociais
Sociologia  - Os Movimentos SociaisSociologia  - Os Movimentos Sociais
Sociologia - Os Movimentos Sociais
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 18 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 18 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 18 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 18 do Tomazi
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Democracia, cidadania e direitos humanos
Democracia, cidadania e direitos humanos Democracia, cidadania e direitos humanos
Democracia, cidadania e direitos humanos
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 09 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 09 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 09 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 09 do Tomazi
 
Simulado ensino médio sociologia (salvo automaticamente)
Simulado ensino médio  sociologia (salvo automaticamente)Simulado ensino médio  sociologia (salvo automaticamente)
Simulado ensino médio sociologia (salvo automaticamente)
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 06 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 06 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 06 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 06 do Tomazi
 
Sociologia Capítulo 15-os movimentos sociais
Sociologia Capítulo 15-os movimentos sociaisSociologia Capítulo 15-os movimentos sociais
Sociologia Capítulo 15-os movimentos sociais
 
A divisão social do trabalho émile durkheim
A divisão social do trabalho  émile durkheimA divisão social do trabalho  émile durkheim
A divisão social do trabalho émile durkheim
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Movimentos Sociais
Movimentos SociaisMovimentos Sociais
Movimentos Sociais
 
Sonhos de civilização
Sonhos de civilizaçãoSonhos de civilização
Sonhos de civilização
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 20 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 20 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 20 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 20 do Tomazi
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 12 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 12 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 12 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 12 do Tomazi
 

Destaque

História da sociologia
História da sociologiaHistória da sociologia
História da sociologia
Tiago Lacerda
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
Alison Nunes
 

Destaque (13)

Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 07 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 07 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 07 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 07 do Tomazi
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 02 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 02 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 02 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 02 do Tomazi
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 03 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 03 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 03 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 03 do Tomazi
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 21 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 21 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 21 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 21 do Tomazi
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 19 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 19 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 19 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 19 do Tomazi
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 05 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 05 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 05 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 05 do Tomazi
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 04 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 04 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 04 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 04 do Tomazi
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 08 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 08 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 08 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 08 do Tomazi
 
Slide sociologia 1
Slide sociologia 1Slide sociologia 1
Slide sociologia 1
 
1. O indivíduo, sua história e a sociedade
1. O indivíduo, sua história e a sociedade1. O indivíduo, sua história e a sociedade
1. O indivíduo, sua história e a sociedade
 
História da sociologia
História da sociologiaHistória da sociologia
História da sociologia
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
 
O QUE É SOCIOLOGIA?
O QUE É SOCIOLOGIA?O QUE É SOCIOLOGIA?
O QUE É SOCIOLOGIA?
 

Semelhante a Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 17 do Tomazi

Movimentos sociais no brasil colonia, imperio e republica
Movimentos sociais no brasil colonia, imperio e republicaMovimentos sociais no brasil colonia, imperio e republica
Movimentos sociais no brasil colonia, imperio e republica
Atividades Diversas Cláudia
 
O Declínio Das Oligarquias (1914 30) Conclusão
O Declínio Das Oligarquias (1914 30) ConclusãoO Declínio Das Oligarquias (1914 30) Conclusão
O Declínio Das Oligarquias (1914 30) Conclusão
dayanbotelho2
 
2º ano brasil império
2º ano brasil império2º ano brasil império
2º ano brasil império
Rafael Noronha
 
Ligas camponesas
Ligas camponesasLigas camponesas
Ligas camponesas
Evelin T.
 

Semelhante a Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 17 do Tomazi (20)

Os Movimentos Sociais no Brasil
Os Movimentos Sociais no BrasilOs Movimentos Sociais no Brasil
Os Movimentos Sociais no Brasil
 
Mov soc
Mov socMov soc
Mov soc
 
Movimentos-sociais, como acontecem na sociedade-2.pdf
Movimentos-sociais, como acontecem na sociedade-2.pdfMovimentos-sociais, como acontecem na sociedade-2.pdf
Movimentos-sociais, como acontecem na sociedade-2.pdf
 
Movimentos sociais no brasil colonia, imperio e republica
Movimentos sociais no brasil colonia, imperio e republicaMovimentos sociais no brasil colonia, imperio e republica
Movimentos sociais no brasil colonia, imperio e republica
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)
Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)
Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)
 
Tenentismo
TenentismoTenentismo
Tenentismo
 
O Declínio Das Oligarquias (1914 30) Conclusão
O Declínio Das Oligarquias (1914 30) ConclusãoO Declínio Das Oligarquias (1914 30) Conclusão
O Declínio Das Oligarquias (1914 30) Conclusão
 
Taylorismo e Fordismo _ Movimento operário brasileiro.pptx
Taylorismo e Fordismo _ Movimento operário brasileiro.pptxTaylorismo e Fordismo _ Movimento operário brasileiro.pptx
Taylorismo e Fordismo _ Movimento operário brasileiro.pptx
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASILBRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
 
Greve - O Movimento Social dos Trabalhadores
Greve - O Movimento Social dos TrabalhadoresGreve - O Movimento Social dos Trabalhadores
Greve - O Movimento Social dos Trabalhadores
 
Revolução de 1930
Revolução de 1930Revolução de 1930
Revolução de 1930
 
2º ano brasil império
2º ano brasil império2º ano brasil império
2º ano brasil império
 
era_vargas.pdf
era_vargas.pdfera_vargas.pdf
era_vargas.pdf
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Aaa[1]
Aaa[1]Aaa[1]
Aaa[1]
 
Ligas camponesas
Ligas camponesasLigas camponesas
Ligas camponesas
 
A crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilA crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasil
 

Mais de pascoalnaib

Progressão 2º Bimestre 1º ano humanas
Progressão 2º Bimestre 1º ano humanasProgressão 2º Bimestre 1º ano humanas
Progressão 2º Bimestre 1º ano humanas
pascoalnaib
 
Progressão natureza 1º ANO
Progressão natureza 1º ANOProgressão natureza 1º ANO
Progressão natureza 1º ANO
pascoalnaib
 
Linguagens e códigos 1º ano
Linguagens e códigos 1º anoLinguagens e códigos 1º ano
Linguagens e códigos 1º ano
pascoalnaib
 
Progressão natureza 2º ano
Progressão natureza 2º anoProgressão natureza 2º ano
Progressão natureza 2º ano
pascoalnaib
 
Progressão natureza 1º ano
Progressão natureza 1º anoProgressão natureza 1º ano
Progressão natureza 1º ano
pascoalnaib
 
Progressão matemática 2º ano
Progressão matemática 2º anoProgressão matemática 2º ano
Progressão matemática 2º ano
pascoalnaib
 
Progressão matemática 1º ano
Progressão matemática 1º anoProgressão matemática 1º ano
Progressão matemática 1º ano
pascoalnaib
 

Mais de pascoalnaib (10)

Progressão 2º Bimestre 1º ano humanas
Progressão 2º Bimestre 1º ano humanasProgressão 2º Bimestre 1º ano humanas
Progressão 2º Bimestre 1º ano humanas
 
Progressão natureza 1º ANO
Progressão natureza 1º ANOProgressão natureza 1º ANO
Progressão natureza 1º ANO
 
Linguagens e códigos 1º ano
Linguagens e códigos 1º anoLinguagens e códigos 1º ano
Linguagens e códigos 1º ano
 
Progressão natureza 2º ano
Progressão natureza 2º anoProgressão natureza 2º ano
Progressão natureza 2º ano
 
Progressão natureza 1º ano
Progressão natureza 1º anoProgressão natureza 1º ano
Progressão natureza 1º ano
 
Progressão matemática 2º ano
Progressão matemática 2º anoProgressão matemática 2º ano
Progressão matemática 2º ano
 
Progressão matemática 1º ano
Progressão matemática 1º anoProgressão matemática 1º ano
Progressão matemática 1º ano
 
Progressão disciplinas 2º ano Ciências Humanas
Progressão disciplinas 2º ano Ciências HumanasProgressão disciplinas 2º ano Ciências Humanas
Progressão disciplinas 2º ano Ciências Humanas
 
Progressão disciplinas Ciências Humanas 1º ano
Progressão disciplinas Ciências Humanas 1º anoProgressão disciplinas Ciências Humanas 1º ano
Progressão disciplinas Ciências Humanas 1º ano
 
Parecer que define carga horária do Professor na Educação Básica.
Parecer que define carga horária do Professor na Educação Básica.Parecer que define carga horária do Professor na Educação Básica.
Parecer que define carga horária do Professor na Educação Básica.
 

Último

AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 

Último (20)

TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 

Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 17 do Tomazi

  • 1. Unidade 5 Direitos, cidadania e movimentos sociais Há registros de movimentos sociais no Brasil desde o primeiro século da colonização até nossos dias. Esses movimentos demonstram que os que viviam e os que vivem no Brasil nunca foram passivos e sempre procuraram, de uma ou de outra forma, lutar em defesa de suas ideias e interesses.
  • 2. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo Lutas no período colonial Durante o período colonial (1500-1822), os movimentos sociais mais significativos foram: os de independência em relação a Portugal: a Inconfidência Mineira (1789-1792) e a Conjuração Baiana (1796-1799). os dos povos indígenas, que lutaram para não ser escravizados e para manter suas terras e seu modo de vida; os dos escravos africanos, cuja principal forma de resistência eram as revoltas localizadas e a formação de quilombos;
  • 3. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo Revoltas regionais, abolicionismo e republicanismo No período imperial (1822-1889), ocorreram movimentos pelo fim da escravidão e contra a monarquia, objetivando a instauração de uma república no Brasil ou a proclamação de repúblicas isoladas. Todos foram reprimidos. Edição de 15 de julho de 1848 do jornal A voz do Brasil, de Recife, que incitava a radicalização da luta popular contra o poder da aristocracia provincial. AcervoIconographia Ocorreram ainda movimentos em que se lutou por questões específicas, contra as decisões vindas dos governantes, percebidas como autoritárias.
  • 4. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo A partir de 1850, dois grandes movimentos sociais alcançaram âmbito nacional: o movimento abolicionista e o republicano. Desenvolvidos paralelamente, e com composições diferentes, esses movimentos foram fundamentais para a queda do império e a instauração da república no Brasil.
  • 5. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo O movimento abolicionista agregou políticos, intelectuais, poetas e romancistas, mas também muitos negros e pardos libertos. Cresceu lentamente, pois sofria a oposição dos grandes proprietários de terras e escravos. Charge A pátria repele os escravocratas, de Angelo Agostini, publicada na revista Illustrada em cerca de 1880. FundaçãoBibliotecaNacional,RiodeJaneiro
  • 6. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo O movimento republicano foi dominado pelos segmentos mais ricos da sociedade. A organização buscava uma nova forma de acomodar os grupos que desejavam o poder sem a presença do imperador e da monarquia. Participaram desse movimento liberais que defendiam uma república democrática, mas eles foram afastados e os conservadores se apossaram do poder.
  • 7. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo De Canudos à Coluna Prestes Os movimentos que ocorreram entre o fim do século XIX e o início do século XX revelavam um caráter político e social marcante. Dois deles podem ser lembrados pela denúncia da miséria, da opressão e das injustiças da República dos Coronéis: a Guerra de Canudos e a Guerra do Contestado. Após anos de resistência e muitas batalhas, os participantes desses movimentos foram massacrados pelo Exército nacional.
  • 8. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo Liderados por Antônio Conselheiro, sertanejos baianos estabeleceram-se em Canudos. Ali, cerca de 30 mil habitantes viviam em sistema comunitário, no qual não havia propriedade privada e todos os frutos do trabalho eram repartidos. Igreja de Santo Antônio, Canudos, 1897. MuseudaRepública,RiodeJaneiro Guerra de Canudos (1893-1897), Bahia
  • 9. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo Guerra do Contestado (1912-1916), Paraná e Santa Catarina Seus integrantes eram sertanejos revoltados com as condições de opressão impostas pelos coronéis locais, posseiros expulsos de suas terras pela empresa britânica Brazil Railway Company e ex-empregados que haviam sido demitidos sumariamente dessa companhia.
  • 10. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo Outros movimentos sociais, de caráter urbano, marcaram as primeiras décadas do século XX. Greves operárias No Rio de Janeiro e em São Paulo, eram comandadas principalmente por imigrantes italianos com forte influência anarquista. Mesmo proibidas por lei, as greves operárias tomaram conta das fábricas no Sudeste do país e denunciavam as péssimas condições de vida dos trabalhadores.
  • 11. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo Tenentismo Tenentes rebelados na avenida Atlântica, no Rio de Janeiro, em 1922. CPDOC/FGV O primeiro levante ocorreu em julho de 1922 no Rio de Janeiro. Para tentar impedir a posse do presidente eleito Arthur Bernardes, os oficiais rebelados ameaçaram bombardear o Rio de Janeiro. O movimento foi controlado pelo Exército. Movimento político-militar com o objetivo de conquistar o poder para promover as reformas necessárias à modernização da sociedade.
  • 12. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo O segundo levante ocorreu em 1924, em São Paulo, e reuniu cerca de mil homens. Esse movimento também foi controlado pelo Exército. O líder da revolta, general Isidoro Dias Lopes, dirigiu-se com uma tropa para o Sul do país e se uniu a outros militares revoltosos, liderados por Luís Carlos Prestes, formando a Coluna Prestes. A Coluna Prestes percorreu mais de 20 mil quilômetros do território brasileiro, com o objetivo de levantar a população contra o poder das oligarquias regionais.
  • 13. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo A República varguista O período de 1930 a 1945 foi marcado por um forte controle do Estado sobre a sociedade. Mesmo assim, dois movimentos buscaram alcançar o poder. Movimento da Ação Integralista Nacional Congresso integralista em Santa Catarina, 1935. Ao centro, sentado, Plínio Salgado. CPDOC/FGV De tendência fascista, foi liderado por Plínio Salgado. Tentou um golpe, fracassado, em 1938.
  • 14. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo Aliança Nacional Libertadora (ANL) Rebeldes da Aliança Nacional Libertadora. Rio de Janeiro, novembro de 1935. AcervoIconographia O movimento, liderado por Luís Carlos Prestes, tinha tendência socialista. Em 1935, a ANL foi proibida por Vargas e tentou dar um golpe militar, mas fracassou.
  • 15. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo No período de 1946 a 1964, eclodiram vários movimentos: “O petróleo é nosso” (1948-1953) Campanha de cunho nacionalista que culminou na criação da estatal Petrobras. Movimentos grevistas Em 1962, ocorreu a primeira greve nacional contra o custo de vida, pela realização do plebiscito para o retorno ao presidencialismo e por reformas de base.
  • 16. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo Movimentos agrários Manifestação de trabalhadores rurais em Santa Catarina, 1955. ANotíciadeJoinville/AE De 1955 a 1964, organizaram-se as Ligas Camponesas (PE). Denunciavam as condições precárias da população rural, bem como a estrutura da propriedade rural no Brasil. Na década de 1950, os mais expressivos ocorreram em Porecatu (PR), Trompas e Formoso (GO).
  • 17. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo A República fardada Mesmo com o golpe militar de 1964, os movimentos dos trabalhadores e estudantes continuaram atuantes, até dezembro de 1968, quando foi decretado o AI-5. Rio de Janeiro, junho de 1968. Passeata dos Cem Mil: a maior manifestação pública até então realizada contra a ditadura militar. ChicoNelson/EditoraAbril
  • 18. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo Apesar da violenta repressão pelos militares, surgiram os movimentos armados de contestação ao regime. Nas cidades, os sequestros e os roubos a bancos foram as ações mais utilizadas. No campo, foram montados movimentos de guerrilheiros – o mais conhecido é a Guerrilha do Araguaia.
  • 19. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo Após o governo de Ernesto Geisel, foram organizados grandes movimentos políticos pela democratização da sociedade: movimento pela Anistia (1978-1979); movimento pelas eleições diretas – Diretas Já (1983- 1984); movimento pela Constituinte (1985-1986). Thinkstock/GettyIamges
  • 20. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) Movimentos grevistas no ABCD paulista Nesse período, outros movimentos também foram importantes: Questionavam as condições salariais e de trabalho, e a legislação que não permitia a livre organização e manifestação de trabalhadores. Questionava da estrutura da propriedade da terra no Brasil e a situação dos trabalhadores rurais.
  • 21. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo Movimentos sociais hoje De 1988 aos dias atuais, observa-se uma série de movimentos pela efetivação dos direitos existentes e pela conquista de novos direitos. Os movimentos dos negros, das mulheres, dos indígenas, dos ambientalistas, dos sem-terra e dos sem-teto, por exemplo, não têm a preocupação de alcançar o poder do Estado. Procuram construir espaços políticos públicos nos quais possam ser debatidas as questões importantes para uma sociedade politizada.
  • 22. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo Exercício 1. Junte-se a um colega e: a) consultem os mapas da página 162 e pesquisem dois movimentos de resistência dos povos indígenas e dos africanos escravizados ocorridos durante o período colonial no Brasil; b) procurem em jornais, em revistas e na internet informações sobre a atuação dos movimentos dos povos indígenas e negros na atualidade.
  • 23. Os movimentos sociais no Brasil 17 Capítulo 2. Com base nas informações levantadas no exercício 1, elaborem um texto considerando: as causas da luta desses movimentos no período colonial e nos dias atuais; como eles se manifestaram/manifestam; quem os apoiou/apoia; quais foram/são as consequências de suas ações; como a sociedade reagiu/reage a eles.