SlideShare uma empresa Scribd logo
SISTEMA
CARDIOVASCULAR


    SANGUE
INTRODUÇÃ
        O
   O sistema cardiovascular ou
    circulatório é formado por
    uma vasta rede de tubos de
    vários tipos e calibres, que
    põe em comunicação todas
    as partes do corpo.
   Dentro desses tubos circula o
    sangue, impulsionado pelas
    contrações    rítmicas     do
    coração.
INTRODUÇÃ
        O
   Circulação         humana:
    fechada, dupla e completa.
     Fechada: sangue circula
    no interior dos vasos.
     Dupla: sangue passa
    duas vezes pelo coração
    (oriundo dos tecidos e dos
    pulmões).
     Completa: sangue venoso
    (rico em CO2) não se
    mistura com o sangue
    arterial (rico em O2).
COMPONENTES
SANGUE
 Plasma
 Elementos figurados:
 Hemácias (eritrócitos, glóbulos vermelhos)
 Leucócitos (glóbulos brancos)
 Plaquetas (trombócitos)

 CORAÇÃO
 VASOS SANGUÍNEOS
 Artérias
 Veias
 Capilares
FUNÇÕES
                                SISTEMA
Transporte de nutrientes     CIRCULATÓRIO        Transporte de gases; O2
absorvidos pelo trato                            dos órgãos respiratórios
gastrointestinal para o                          para os tecidos e CO2 no
resto do corpo.                                  sentido oposto.

Transporte de produtos de                   Transporte de hormônios e
excreção das células ou                     produtos metabólicos de
órgãos onde são formadas                    uma parte do corpo para a
para os órgãos excretores.                  outra.



 Regulação da temperatura            Defesa contra agentes patogênicos,
 corpórea (principalmente nos        permitindo a ação de processos
 endotérmicos), transferindo         imuno-celulares desempenhados
 calor das partes mais internas      pelo sangue por todo organismo e
 para a superfície, onde o           coagulação sangüínea
 mesmo pode ser dissipado.
SANGUE
SANGUE
 PLASMA SANGUÍNEO: parte líquida,                   que
  compreende 55% do volume total.
  Obs: plasma é a parte líquida com fibrinogênio e soro
  é a parte líquida sem fibrinogênio*.
  *Fibrinogênio: glicoproteína envolvida nas etapas finais
  da coagulação sanguínea.
 ELEMENTOS     FIGURADOS:      células              que
  compreendem 45% do volume total.
SANGUE
SANGUE: Plasma
   Líquido amarelado que consiste de água (91,5%) e
    solutos.
O solutos incluem:
   Proteínas    plasmáticas       -     7%     (albumina,
    imunoglobulinas, fibrinogênio...),
    1,5% - nutrientes, gases, íons (Na+,Cl-, K+, Ca++, Mg+
    +
      ,HCO3-), restos metabólicos,lipídios, vitaminas,
    enzimas e hormônios.
   Albumina e fibrinogênio são produzidos no fígado. As
    imunoglobulinas são produzidas no tecido linfático.
SANGUE: Hemácias
   Não possuem núcleo ou outras
    organelas;    formam     um    disco
    bicôncavo.
     Produzidas no interior dos ossos
    (medula óssea vermelha).
   Contêm       pigmento       vermelho
    (hemoglobina).
   A hemoglobina transporta O2 e parte
    do CO2.
   Duração: em torno de 120 dias, as
    hemácias        danificadas      são
    fagocitadas por macrófagos no baço,
    no fígado e na medula óssea.
Sistema cardiovascular   sangue (1)
Eritropenia:    redução de hemácias ou
    queda na concentração de hemoglobina
   Anemia é a condição na qual a capacidade do sangue
    transportar O2 está reduzida.
   Anemia ferropriva: por deficiência de Fe na alimentação.
   Anemia perniciosa: não absorção de B12.
   Anemia hemorrágica: perda de sangue por meio de
    sangramentos.
   Anemia hemolítica: destruição prematura por parasitas,
    toxinas e anticorpos.
   Anemia falciforme: produção de hemoglobinas anormais
    que dão à hemácia uma forma de foice. Causa genética.
   Talassemias: desequilíbrio na produção das cadeias
    beta da hemoglobina, causando a produção deficiente
    de moléculas normais. Causa genética.
Eritrocitose
   Aumento no nº de hemácias no sangue.
    Adaptação fisiológica do organismo a locais de altitude
    elevada.
   Ar rarefeito.
   Necessidade de otimizar o transporte de O2.
   Quanto maior o nº de hemácias no sangue, maior a
    distribuição de O2 nos tecidos.
Hipoxia
   Deficiência de O2 no sangue.
   Distribuição deficiente de O2 pode ocorrer devido a anemias
    ou a problemas circulatórios, que reduzem o fluxo de sangue
    aos tecidos.
   Aumento na liberação do hormônio eritropoietina (EPO) pelos
    rins.
    EPO estimula a formação de hemácias (eritropoiese) na
    medula óssea vermelha*.
   *Local de formação das células sanguíneas. Ocupa a
    cavidade dos ossos (esterno e bacia). São encontradas as
    células precursoras, que originam os elementos figurados do
    sangue.
Ação da
Eritropoietina
Hematopoiese
Eritropoiese
SANGUE:
    Leucócitos
   Células nucleadas, sem hemoglobina, forma
    arredondada e variável, maiores que as
    hemácias.
   PROPRIEDADES: diapedese* e fagocitose.
   FUNÇÃO: defesa (sistema imulogógico)
   Variação:
 Leucocitose (excesso)
 Leucopenia (diminuição)
Diapedese
SANGUE:
Leucócitos
Granulócitos:
    Neutrófilos
   60 a 70% de todos os leucócitos.
   Núcleo geralmente trilobado.
    Citoplasma com grânulos pequenos e finos
    (lisossomos).
   Função: Fagocitose, destruição de bactérias
    por meio de lisozimas.
   Aumentam nas infecções agudas.
Granulócitos:
    Eosinófilos
   2- 4% de todos os leucócitos.
   Núcleo geralmente com 2 lobos, grânulos grandes no
    citoplasma.
   Liberam enzimas que combatem o efeito da histamina* em
    reações alérgicas, fagocitam complexo antígeno-anticorpo e
    destroem certos vermes parasitas.
     *Histamina: Mediador das respostas alérgicas na pele, no
    nariz e nos olhos. Causa vasodilatação, aumento da
    permeabilidade vascular (edema) e contração da musculatura
    lisa (brônquica e gastrointestinal).
   N° aumentado em alergias e verminoses.
Granulócitos: Basófilos
   0,5 a 1% de todos os leucócitos.
   Núcleo bilobado, de forma irregular, grânulos
    citoplasmáticos grandes que encobrem o núcleo.
   Liberam heparina (anticoagulante) e histamina
    (vasodiladora) em reações alérgicas que
    intensificam a resposta inflamatória como um
    todo.
   Não fagocitam e não realizam diapedese.
   Aumentam de n° em casos de leucemias*.
Leucemia
 Doença maligna dos tecidos hematopoiéticos.
 Origem: na maioria das vezes, não conhecida.
 Produção descontrolada e acúmulo de leucócitos imaturos. (AGUDA)
 Acúmulo de leucócitos maduros no sangue, que não morrem quando
chegam ao final do seu tempo de vida normal. (CRÔNICA)
 Sintomas: decorrem do acúmulo dessas células na medula óssea,
prejudicando ou impedindo a produção e/ou a circulação dos glóbulos
vermelhos (causando anemia), dos glóbulos brancos (causando infecções)
e das plaquetas (causando hemorragias).
 Depois de instalada, a doença progride rapidamente, exigindo com isso
que o tratamento seja iniciado logo após o diagnóstico e a classificação da
leucemia.
Agranulócitos: Linfócitos

    LINFÓCITOS (células B, T e NK).
   20-25% de todos os leucócitos.
   São pequenos, núcleo redondo e muito condensado,
    ocupando quase toda a célula.
   Citoplasma escasso.
   Realizam fagocitose e diapedese.
Agranulócitos: Linfócitos
 LINFÓCITOS       B:   transformam-se    em
  plasmócitos, que secretam anticorpos.
 LINFÓCITOS     T: atacam vírus, células
  cancerosas     e  células de    tecidos
  transplantados. Aumentam nas infecções
  crônicas.
 NK:    atacam     células infectadas por
  microrganismos patogênicos diversos e
  células tumorais.
Sistema cardiovascular   sangue (1)
Agranulócitos: Monócitos

 Núcleo grande, em forma de ferradura ou
    rim.
   Realizam diapedese.
   Originam macrófagos e osteoclastos.
   Fagocitam bactérias, vírus e fungos.
   Aumentam de n° em casos de tuberculose e
    malária.
SANGUE: Plaquetas
 Fragmentos de megacariócitos envolvidos por membrana.
 Estruturas discóides anucleadas, com muitos grânulos.
 Só existem nos mamíferos.
 Duração: cinco a nove dias.
 Iniciam uma cadeia de reações envolvendo proteínas
  plasmáticas que resulta na coagulação do sangue.
 N° médio normal: 250.000 – 400.000/ mm³
 Plaquetopenia (diminuição), plaquetocitose (excesso).
Sistema cardiovascular   sangue (1)
Sistema cardiovascular   sangue (1)
Sistema cardiovascular   sangue (1)
Sistema cardiovascular   sangue (1)
Coagulação
 Mecanismo de hemostasia, que cessa o sangramento
  quando ocorre algum dano aos vasos sanguíneos.
 (1) espasmo vascular: imediatamente após a ruptura ou o
  corte de um vaso sanguíneo ocorre vasoconstrição
  (contração) do vaso sanguíneo lesado.

 (2) formação de tampão plaquetário: acúmulo de
  plaquetas para formar um tampão no vaso lesado
  (adesividade das plaquetas no local da lesão e aderência
  das plaquetas entre si).
Coagulação
 (3)  coagulação sanguínea: substâncias ativadoras provenientes
  tanto da parede vascular traumatizada quanto das plaquetas (enzima
  tromboplastina) dão início a uma complexa rede de reações químicas
  que, na presença de íons cálcio, culmina na conversão da proteína
  plasmática protrombina em enzima ativa trombina. A trombina, por sua
  vez, converte o fibrinogênio em fibrina, que forma uma rede de
  filamentos que retém plaquetas, células sanguíneas e plasma,
  formando o coágulo.
 A síntese de alguns fatores de coagulação ocorre no fígado e é
  dependente de vitamina K, cuja deficiência pode provocar
  hemorragias. De forma semelhante, para a conversão de protrombina
  em trombina é necessária a presença de íons cálcio.
  Consequentemente, a falta de vitamina K e/ou de cálcio pode
  comprometer a coagulação sanguínea, resultando em tendência a
  hemorragias.
Coagulação
 (4) regeneração: crescimento de tecidos fibrosos no coágulo
  sanguíneo, para obturar o orifício do vaso.
 Obs: os fatores de coagulação do sangue são, em sua maioria, formas
  inativas de enzimas proteolíticas. Quando convertidas nas suas
  formas ativas, suas reações enzimáticas causam as sucessivas
  reações em cascata do processo de coagulação.
 A hemofilia é uma doença hereditária que afeta a coagulação do
  sangue devido à não produção de algum fator de coagulação.
 Como a coagulação é uma reação em cascata, a falta de qualquer
  componente provoca interrupção do processo.
Sistema cardiovascular   sangue (1)
Sistema cardiovascular   sangue (1)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tecido Sanguíneo
Tecido SanguíneoTecido Sanguíneo
Tecido Sanguíneo
Hemilly Rayanne
 
Hematopoiese
HematopoieseHematopoiese
Hematopoiese
Max Sousa
 
1 a 6-tecidos hematopoieticos
1 a 6-tecidos hematopoieticos1 a 6-tecidos hematopoieticos
1 a 6-tecidos hematopoieticos
professorfabiovalente
 
O Sangue
O SangueO Sangue
Tecido sanguineo
Tecido sanguineoTecido sanguineo
Tecido sanguineo
Marcia Bantim
 
Hemocitopoese
HemocitopoeseHemocitopoese
Hemocitopoese
Marcos Anicio
 
Tecido sanguineo
Tecido sanguineoTecido sanguineo
Tecido sanguineo
Milena de Azevedo
 
Tecido Sanguineo
Tecido SanguineoTecido Sanguineo
Tecido Sanguineo
rdsantos
 
Células do sangue
Células do sangueCélulas do sangue
Células do sangue
Marcos Anicio
 
Sangue e hematopoiese
Sangue e hematopoieseSangue e hematopoiese
Sangue e hematopoiese
Lucas Almeida Sá
 
Aula 3-eritropoiese
Aula 3-eritropoieseAula 3-eritropoiese
Aula 3-eritropoiese
rasg75
 
Fisiologia do sangue
Fisiologia do sangueFisiologia do sangue
Fisiologia do sangue
Safia Naser
 
Módulo iii órgãos linfáticos
Módulo iii órgãos linfáticosMódulo iii órgãos linfáticos
Módulo iii órgãos linfáticos
John Rock
 
O Sangue Humano
O Sangue HumanoO Sangue Humano
O Sangue Humano
Ubirajara Neves
 
Hematopoiese
HematopoieseHematopoiese
Hematopoiese
Renata Souza
 
tecido hematopoiético
 tecido hematopoiético tecido hematopoiético
tecido hematopoiético
wellison nascimento
 
03 sangue e hematopoese
03 sangue e hematopoese03 sangue e hematopoese
03 sangue e hematopoese
ÁreadaSaúde
 
1a aula sangue (composição, caracterização geral e origem das células sangü...
1a aula   sangue (composição, caracterização geral e origem das células sangü...1a aula   sangue (composição, caracterização geral e origem das células sangü...
1a aula sangue (composição, caracterização geral e origem das células sangü...
Rodolfo Pimentel Oliveira
 
Sistema hematológico
Sistema hematológicoSistema hematológico
Sistema hematológico
Denise Terenzi
 
A ..A Fisiologia do sangue (2)
A ..A Fisiologia do sangue (2)A ..A Fisiologia do sangue (2)
A ..A Fisiologia do sangue (2)
Adry Sifhord
 

Mais procurados (20)

Tecido Sanguíneo
Tecido SanguíneoTecido Sanguíneo
Tecido Sanguíneo
 
Hematopoiese
HematopoieseHematopoiese
Hematopoiese
 
1 a 6-tecidos hematopoieticos
1 a 6-tecidos hematopoieticos1 a 6-tecidos hematopoieticos
1 a 6-tecidos hematopoieticos
 
O Sangue
O SangueO Sangue
O Sangue
 
Tecido sanguineo
Tecido sanguineoTecido sanguineo
Tecido sanguineo
 
Hemocitopoese
HemocitopoeseHemocitopoese
Hemocitopoese
 
Tecido sanguineo
Tecido sanguineoTecido sanguineo
Tecido sanguineo
 
Tecido Sanguineo
Tecido SanguineoTecido Sanguineo
Tecido Sanguineo
 
Células do sangue
Células do sangueCélulas do sangue
Células do sangue
 
Sangue e hematopoiese
Sangue e hematopoieseSangue e hematopoiese
Sangue e hematopoiese
 
Aula 3-eritropoiese
Aula 3-eritropoieseAula 3-eritropoiese
Aula 3-eritropoiese
 
Fisiologia do sangue
Fisiologia do sangueFisiologia do sangue
Fisiologia do sangue
 
Módulo iii órgãos linfáticos
Módulo iii órgãos linfáticosMódulo iii órgãos linfáticos
Módulo iii órgãos linfáticos
 
O Sangue Humano
O Sangue HumanoO Sangue Humano
O Sangue Humano
 
Hematopoiese
HematopoieseHematopoiese
Hematopoiese
 
tecido hematopoiético
 tecido hematopoiético tecido hematopoiético
tecido hematopoiético
 
03 sangue e hematopoese
03 sangue e hematopoese03 sangue e hematopoese
03 sangue e hematopoese
 
1a aula sangue (composição, caracterização geral e origem das células sangü...
1a aula   sangue (composição, caracterização geral e origem das células sangü...1a aula   sangue (composição, caracterização geral e origem das células sangü...
1a aula sangue (composição, caracterização geral e origem das células sangü...
 
Sistema hematológico
Sistema hematológicoSistema hematológico
Sistema hematológico
 
A ..A Fisiologia do sangue (2)
A ..A Fisiologia do sangue (2)A ..A Fisiologia do sangue (2)
A ..A Fisiologia do sangue (2)
 

Semelhante a Sistema cardiovascular sangue (1)

Tec Sanguineo
Tec SanguineoTec Sanguineo
Tec Sanguineo
Natalianeto
 
Tec Sanguineo
Tec SanguineoTec Sanguineo
Tec Sanguineo
Natalianeto
 
Aulas sistema cardiovascular_1
Aulas sistema cardiovascular_1Aulas sistema cardiovascular_1
Aulas sistema cardiovascular_1
Maria Santos
 
Um Breve Manual Prático de Hematologia.pdf
Um Breve Manual Prático de Hematologia.pdfUm Breve Manual Prático de Hematologia.pdf
Um Breve Manual Prático de Hematologia.pdf
AfonsoGomesQuilalo
 
Sangue e hêmoderivâdos. Slideshare. Medi
Sangue e hêmoderivâdos. Slideshare. MediSangue e hêmoderivâdos. Slideshare. Medi
Sangue e hêmoderivâdos. Slideshare. Medi
Isaias Mavunice
 
O Plasma e os Elementos figurados do sangue.pptx
O Plasma e os Elementos figurados do sangue.pptxO Plasma e os Elementos figurados do sangue.pptx
O Plasma e os Elementos figurados do sangue.pptx
MARIAAPARECIDAMOTASO
 
tecidosanguineo-121109174442-phpapp02.pdf
tecidosanguineo-121109174442-phpapp02.pdftecidosanguineo-121109174442-phpapp02.pdf
tecidosanguineo-121109174442-phpapp02.pdf
Nome Sobrenome
 
Tecido sanguineo
Tecido sanguineoTecido sanguineo
Tecido sanguineo
Jamille Nunez
 
1 9ºano o sangue
1 9ºano o sangue1 9ºano o sangue
1 9ºano o sangue
Maria Rocha R
 
Resumo hemato
Resumo hematoResumo hemato
Resumo hemato
Anderson Galvao
 
3ano 1bi pga-2_bio_quim
3ano 1bi pga-2_bio_quim3ano 1bi pga-2_bio_quim
3ano 1bi pga-2_bio_quim
takahico
 
Manual de hematologia
Manual de hematologiaManual de hematologia
Manual de hematologia
Priscila Oliveira
 
Sepse E DisfunçãO Aguda De óRgãO
Sepse E DisfunçãO Aguda De óRgãOSepse E DisfunçãO Aguda De óRgãO
Sepse E DisfunçãO Aguda De óRgãO
Rodrigo Biondi
 
Tecido sanguíneo.pdf
Tecido sanguíneo.pdfTecido sanguíneo.pdf
Tecido sanguíneo.pdf
RonaldianeSilva
 
Aula_Sangue e Coagulação_Parte 1 Slides (1).pptx
Aula_Sangue e Coagulação_Parte 1 Slides (1).pptxAula_Sangue e Coagulação_Parte 1 Slides (1).pptx
Aula_Sangue e Coagulação_Parte 1 Slides (1).pptx
eumarcia461
 
Tecido sanguineo
Tecido sanguineoTecido sanguineo
Tecido sanguineo
Marcia Bantim
 
Liga acadêmica de emergências clínicas - EXAMES LABORATORIAIS COMO AUXILIO EM...
Liga acadêmica de emergências clínicas - EXAMES LABORATORIAIS COMO AUXILIO EM...Liga acadêmica de emergências clínicas - EXAMES LABORATORIAIS COMO AUXILIO EM...
Liga acadêmica de emergências clínicas - EXAMES LABORATORIAIS COMO AUXILIO EM...
LAEC UNIVAG
 
2016 Frente 2 módulo 7 o sangue
2016 Frente 2 módulo 7 o sangue2016 Frente 2 módulo 7 o sangue
2016 Frente 2 módulo 7 o sangue
Colégio Batista de Mantena
 
aula 1 - Sangue e Hematopoese - aspectos gerais.ppt
aula 1 - Sangue e Hematopoese - aspectos gerais.pptaula 1 - Sangue e Hematopoese - aspectos gerais.ppt
aula 1 - Sangue e Hematopoese - aspectos gerais.ppt
LUCIANOCESARSILVADOS
 
CN9-constituintes do sangue
CN9-constituintes do sangueCN9-constituintes do sangue
CN9-constituintes do sangue
Rita Rainho
 

Semelhante a Sistema cardiovascular sangue (1) (20)

Tec Sanguineo
Tec SanguineoTec Sanguineo
Tec Sanguineo
 
Tec Sanguineo
Tec SanguineoTec Sanguineo
Tec Sanguineo
 
Aulas sistema cardiovascular_1
Aulas sistema cardiovascular_1Aulas sistema cardiovascular_1
Aulas sistema cardiovascular_1
 
Um Breve Manual Prático de Hematologia.pdf
Um Breve Manual Prático de Hematologia.pdfUm Breve Manual Prático de Hematologia.pdf
Um Breve Manual Prático de Hematologia.pdf
 
Sangue e hêmoderivâdos. Slideshare. Medi
Sangue e hêmoderivâdos. Slideshare. MediSangue e hêmoderivâdos. Slideshare. Medi
Sangue e hêmoderivâdos. Slideshare. Medi
 
O Plasma e os Elementos figurados do sangue.pptx
O Plasma e os Elementos figurados do sangue.pptxO Plasma e os Elementos figurados do sangue.pptx
O Plasma e os Elementos figurados do sangue.pptx
 
tecidosanguineo-121109174442-phpapp02.pdf
tecidosanguineo-121109174442-phpapp02.pdftecidosanguineo-121109174442-phpapp02.pdf
tecidosanguineo-121109174442-phpapp02.pdf
 
Tecido sanguineo
Tecido sanguineoTecido sanguineo
Tecido sanguineo
 
1 9ºano o sangue
1 9ºano o sangue1 9ºano o sangue
1 9ºano o sangue
 
Resumo hemato
Resumo hematoResumo hemato
Resumo hemato
 
3ano 1bi pga-2_bio_quim
3ano 1bi pga-2_bio_quim3ano 1bi pga-2_bio_quim
3ano 1bi pga-2_bio_quim
 
Manual de hematologia
Manual de hematologiaManual de hematologia
Manual de hematologia
 
Sepse E DisfunçãO Aguda De óRgãO
Sepse E DisfunçãO Aguda De óRgãOSepse E DisfunçãO Aguda De óRgãO
Sepse E DisfunçãO Aguda De óRgãO
 
Tecido sanguíneo.pdf
Tecido sanguíneo.pdfTecido sanguíneo.pdf
Tecido sanguíneo.pdf
 
Aula_Sangue e Coagulação_Parte 1 Slides (1).pptx
Aula_Sangue e Coagulação_Parte 1 Slides (1).pptxAula_Sangue e Coagulação_Parte 1 Slides (1).pptx
Aula_Sangue e Coagulação_Parte 1 Slides (1).pptx
 
Tecido sanguineo
Tecido sanguineoTecido sanguineo
Tecido sanguineo
 
Liga acadêmica de emergências clínicas - EXAMES LABORATORIAIS COMO AUXILIO EM...
Liga acadêmica de emergências clínicas - EXAMES LABORATORIAIS COMO AUXILIO EM...Liga acadêmica de emergências clínicas - EXAMES LABORATORIAIS COMO AUXILIO EM...
Liga acadêmica de emergências clínicas - EXAMES LABORATORIAIS COMO AUXILIO EM...
 
2016 Frente 2 módulo 7 o sangue
2016 Frente 2 módulo 7 o sangue2016 Frente 2 módulo 7 o sangue
2016 Frente 2 módulo 7 o sangue
 
aula 1 - Sangue e Hematopoese - aspectos gerais.ppt
aula 1 - Sangue e Hematopoese - aspectos gerais.pptaula 1 - Sangue e Hematopoese - aspectos gerais.ppt
aula 1 - Sangue e Hematopoese - aspectos gerais.ppt
 
CN9-constituintes do sangue
CN9-constituintes do sangueCN9-constituintes do sangue
CN9-constituintes do sangue
 

Mais de Alpha Colégio e Vestibulares

Separação de misturas
Separação de misturasSeparação de misturas
Separação de misturas
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Estudo da Química
Estudo da QuímicaEstudo da Química
Estudo da Química
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Bioenergética i respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética i   respiração celular - aulas 31 e 32Bioenergética i   respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética i respiração celular - aulas 31 e 32
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Bioenergética respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética  respiração celular - aulas 31 e 32Bioenergética  respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética respiração celular - aulas 31 e 32
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianasBiologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino moneraBiologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Vírus - Tipos e Doenças Virais - Biologia A - Profª Lara
Vírus  - Tipos e Doenças Virais -  Biologia A - Profª LaraVírus  - Tipos e Doenças Virais -  Biologia A - Profª Lara
Vírus - Tipos e Doenças Virais - Biologia A - Profª Lara
Alpha Colégio e Vestibulares
 
O Sistema Endócrino
O Sistema EndócrinoO Sistema Endócrino
O Sistema Endócrino
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Diversidade da vida - Reinos e domínios
Diversidade da vida - Reinos e domíniosDiversidade da vida - Reinos e domínios
Diversidade da vida - Reinos e domínios
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Os vírus - características e ação
Os vírus  - características e açãoOs vírus  - características e ação
Os vírus - características e ação
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Gabarito caderno de exercícios 2
Gabarito caderno de exercícios 2Gabarito caderno de exercícios 2
Gabarito caderno de exercícios 2
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Gabarito Caderno de Exercícios 2
Gabarito Caderno de Exercícios 2Gabarito Caderno de Exercícios 2
Gabarito Caderno de Exercícios 2
Alpha Colégio e Vestibulares
 
A origem da vida
A origem da vidaA origem da vida
Sistemas de transporte
Sistemas de transporteSistemas de transporte
Sistemas de transporte
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e VerminosesProfª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
 Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Bioenergética II - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Bioenergética II  - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.Bioenergética II  - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Bioenergética II - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Alpha Colégio e Vestibulares
 

Mais de Alpha Colégio e Vestibulares (20)

Separação de misturas
Separação de misturasSeparação de misturas
Separação de misturas
 
Estudo da Química
Estudo da QuímicaEstudo da Química
Estudo da Química
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Bioenergética i respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética i   respiração celular - aulas 31 e 32Bioenergética i   respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética i respiração celular - aulas 31 e 32
 
Bioenergética respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética  respiração celular - aulas 31 e 32Bioenergética  respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética respiração celular - aulas 31 e 32
 
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianasBiologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
 
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino moneraBiologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
 
Vírus - Tipos e Doenças Virais - Biologia A - Profª Lara
Vírus  - Tipos e Doenças Virais -  Biologia A - Profª LaraVírus  - Tipos e Doenças Virais -  Biologia A - Profª Lara
Vírus - Tipos e Doenças Virais - Biologia A - Profª Lara
 
O Sistema Endócrino
O Sistema EndócrinoO Sistema Endócrino
O Sistema Endócrino
 
Diversidade da vida - Reinos e domínios
Diversidade da vida - Reinos e domíniosDiversidade da vida - Reinos e domínios
Diversidade da vida - Reinos e domínios
 
Os vírus - características e ação
Os vírus  - características e açãoOs vírus  - características e ação
Os vírus - características e ação
 
Gabarito caderno de exercícios 2
Gabarito caderno de exercícios 2Gabarito caderno de exercícios 2
Gabarito caderno de exercícios 2
 
Gabarito Caderno de Exercícios 2
Gabarito Caderno de Exercícios 2Gabarito Caderno de Exercícios 2
Gabarito Caderno de Exercícios 2
 
A origem da vida
A origem da vidaA origem da vida
A origem da vida
 
Sistemas de transporte
Sistemas de transporteSistemas de transporte
Sistemas de transporte
 
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e VerminosesProfª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
 
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
 Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
 
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
 
Bioenergética II - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Bioenergética II  - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.Bioenergética II  - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Bioenergética II - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
 

Sistema cardiovascular sangue (1)

  • 2. INTRODUÇÃ O  O sistema cardiovascular ou circulatório é formado por uma vasta rede de tubos de vários tipos e calibres, que põe em comunicação todas as partes do corpo.  Dentro desses tubos circula o sangue, impulsionado pelas contrações rítmicas do coração.
  • 3. INTRODUÇÃ O  Circulação humana: fechada, dupla e completa.  Fechada: sangue circula no interior dos vasos.  Dupla: sangue passa duas vezes pelo coração (oriundo dos tecidos e dos pulmões).  Completa: sangue venoso (rico em CO2) não se mistura com o sangue arterial (rico em O2).
  • 4. COMPONENTES SANGUE  Plasma  Elementos figurados:  Hemácias (eritrócitos, glóbulos vermelhos)  Leucócitos (glóbulos brancos)  Plaquetas (trombócitos)  CORAÇÃO  VASOS SANGUÍNEOS  Artérias  Veias  Capilares
  • 5. FUNÇÕES SISTEMA Transporte de nutrientes CIRCULATÓRIO Transporte de gases; O2 absorvidos pelo trato dos órgãos respiratórios gastrointestinal para o para os tecidos e CO2 no resto do corpo. sentido oposto. Transporte de produtos de Transporte de hormônios e excreção das células ou produtos metabólicos de órgãos onde são formadas uma parte do corpo para a para os órgãos excretores. outra. Regulação da temperatura Defesa contra agentes patogênicos, corpórea (principalmente nos permitindo a ação de processos endotérmicos), transferindo imuno-celulares desempenhados calor das partes mais internas pelo sangue por todo organismo e para a superfície, onde o coagulação sangüínea mesmo pode ser dissipado.
  • 7. SANGUE  PLASMA SANGUÍNEO: parte líquida, que compreende 55% do volume total. Obs: plasma é a parte líquida com fibrinogênio e soro é a parte líquida sem fibrinogênio*. *Fibrinogênio: glicoproteína envolvida nas etapas finais da coagulação sanguínea.  ELEMENTOS FIGURADOS: células que compreendem 45% do volume total.
  • 9. SANGUE: Plasma  Líquido amarelado que consiste de água (91,5%) e solutos. O solutos incluem:  Proteínas plasmáticas - 7% (albumina, imunoglobulinas, fibrinogênio...),  1,5% - nutrientes, gases, íons (Na+,Cl-, K+, Ca++, Mg+ + ,HCO3-), restos metabólicos,lipídios, vitaminas, enzimas e hormônios.  Albumina e fibrinogênio são produzidos no fígado. As imunoglobulinas são produzidas no tecido linfático.
  • 10. SANGUE: Hemácias  Não possuem núcleo ou outras organelas; formam um disco bicôncavo.  Produzidas no interior dos ossos (medula óssea vermelha).  Contêm pigmento vermelho (hemoglobina).  A hemoglobina transporta O2 e parte do CO2.  Duração: em torno de 120 dias, as hemácias danificadas são fagocitadas por macrófagos no baço, no fígado e na medula óssea.
  • 12. Eritropenia: redução de hemácias ou queda na concentração de hemoglobina  Anemia é a condição na qual a capacidade do sangue transportar O2 está reduzida.  Anemia ferropriva: por deficiência de Fe na alimentação.  Anemia perniciosa: não absorção de B12.  Anemia hemorrágica: perda de sangue por meio de sangramentos.  Anemia hemolítica: destruição prematura por parasitas, toxinas e anticorpos.  Anemia falciforme: produção de hemoglobinas anormais que dão à hemácia uma forma de foice. Causa genética.  Talassemias: desequilíbrio na produção das cadeias beta da hemoglobina, causando a produção deficiente de moléculas normais. Causa genética.
  • 13. Eritrocitose  Aumento no nº de hemácias no sangue.  Adaptação fisiológica do organismo a locais de altitude elevada.  Ar rarefeito.  Necessidade de otimizar o transporte de O2.  Quanto maior o nº de hemácias no sangue, maior a distribuição de O2 nos tecidos.
  • 14. Hipoxia  Deficiência de O2 no sangue.  Distribuição deficiente de O2 pode ocorrer devido a anemias ou a problemas circulatórios, que reduzem o fluxo de sangue aos tecidos.  Aumento na liberação do hormônio eritropoietina (EPO) pelos rins.  EPO estimula a formação de hemácias (eritropoiese) na medula óssea vermelha*.  *Local de formação das células sanguíneas. Ocupa a cavidade dos ossos (esterno e bacia). São encontradas as células precursoras, que originam os elementos figurados do sangue.
  • 18. SANGUE: Leucócitos  Células nucleadas, sem hemoglobina, forma arredondada e variável, maiores que as hemácias.  PROPRIEDADES: diapedese* e fagocitose.  FUNÇÃO: defesa (sistema imulogógico)  Variação:  Leucocitose (excesso)  Leucopenia (diminuição)
  • 21. Granulócitos: Neutrófilos  60 a 70% de todos os leucócitos.  Núcleo geralmente trilobado.  Citoplasma com grânulos pequenos e finos (lisossomos).  Função: Fagocitose, destruição de bactérias por meio de lisozimas.  Aumentam nas infecções agudas.
  • 22. Granulócitos: Eosinófilos  2- 4% de todos os leucócitos.  Núcleo geralmente com 2 lobos, grânulos grandes no citoplasma.  Liberam enzimas que combatem o efeito da histamina* em reações alérgicas, fagocitam complexo antígeno-anticorpo e destroem certos vermes parasitas.  *Histamina: Mediador das respostas alérgicas na pele, no nariz e nos olhos. Causa vasodilatação, aumento da permeabilidade vascular (edema) e contração da musculatura lisa (brônquica e gastrointestinal).  N° aumentado em alergias e verminoses.
  • 23. Granulócitos: Basófilos  0,5 a 1% de todos os leucócitos.  Núcleo bilobado, de forma irregular, grânulos citoplasmáticos grandes que encobrem o núcleo.  Liberam heparina (anticoagulante) e histamina (vasodiladora) em reações alérgicas que intensificam a resposta inflamatória como um todo.  Não fagocitam e não realizam diapedese.  Aumentam de n° em casos de leucemias*.
  • 24. Leucemia  Doença maligna dos tecidos hematopoiéticos.  Origem: na maioria das vezes, não conhecida.  Produção descontrolada e acúmulo de leucócitos imaturos. (AGUDA)  Acúmulo de leucócitos maduros no sangue, que não morrem quando chegam ao final do seu tempo de vida normal. (CRÔNICA)  Sintomas: decorrem do acúmulo dessas células na medula óssea, prejudicando ou impedindo a produção e/ou a circulação dos glóbulos vermelhos (causando anemia), dos glóbulos brancos (causando infecções) e das plaquetas (causando hemorragias).  Depois de instalada, a doença progride rapidamente, exigindo com isso que o tratamento seja iniciado logo após o diagnóstico e a classificação da leucemia.
  • 25. Agranulócitos: Linfócitos  LINFÓCITOS (células B, T e NK).  20-25% de todos os leucócitos.  São pequenos, núcleo redondo e muito condensado, ocupando quase toda a célula.  Citoplasma escasso.  Realizam fagocitose e diapedese.
  • 26. Agranulócitos: Linfócitos  LINFÓCITOS B: transformam-se em plasmócitos, que secretam anticorpos.  LINFÓCITOS T: atacam vírus, células cancerosas e células de tecidos transplantados. Aumentam nas infecções crônicas.  NK: atacam células infectadas por microrganismos patogênicos diversos e células tumorais.
  • 28. Agranulócitos: Monócitos  Núcleo grande, em forma de ferradura ou rim.  Realizam diapedese.  Originam macrófagos e osteoclastos.  Fagocitam bactérias, vírus e fungos.  Aumentam de n° em casos de tuberculose e malária.
  • 29. SANGUE: Plaquetas  Fragmentos de megacariócitos envolvidos por membrana.  Estruturas discóides anucleadas, com muitos grânulos.  Só existem nos mamíferos.  Duração: cinco a nove dias.  Iniciam uma cadeia de reações envolvendo proteínas plasmáticas que resulta na coagulação do sangue.  N° médio normal: 250.000 – 400.000/ mm³  Plaquetopenia (diminuição), plaquetocitose (excesso).
  • 34. Coagulação  Mecanismo de hemostasia, que cessa o sangramento quando ocorre algum dano aos vasos sanguíneos.  (1) espasmo vascular: imediatamente após a ruptura ou o corte de um vaso sanguíneo ocorre vasoconstrição (contração) do vaso sanguíneo lesado.  (2) formação de tampão plaquetário: acúmulo de plaquetas para formar um tampão no vaso lesado (adesividade das plaquetas no local da lesão e aderência das plaquetas entre si).
  • 35. Coagulação  (3) coagulação sanguínea: substâncias ativadoras provenientes tanto da parede vascular traumatizada quanto das plaquetas (enzima tromboplastina) dão início a uma complexa rede de reações químicas que, na presença de íons cálcio, culmina na conversão da proteína plasmática protrombina em enzima ativa trombina. A trombina, por sua vez, converte o fibrinogênio em fibrina, que forma uma rede de filamentos que retém plaquetas, células sanguíneas e plasma, formando o coágulo.  A síntese de alguns fatores de coagulação ocorre no fígado e é dependente de vitamina K, cuja deficiência pode provocar hemorragias. De forma semelhante, para a conversão de protrombina em trombina é necessária a presença de íons cálcio. Consequentemente, a falta de vitamina K e/ou de cálcio pode comprometer a coagulação sanguínea, resultando em tendência a hemorragias.
  • 36. Coagulação  (4) regeneração: crescimento de tecidos fibrosos no coágulo sanguíneo, para obturar o orifício do vaso.  Obs: os fatores de coagulação do sangue são, em sua maioria, formas inativas de enzimas proteolíticas. Quando convertidas nas suas formas ativas, suas reações enzimáticas causam as sucessivas reações em cascata do processo de coagulação.  A hemofilia é uma doença hereditária que afeta a coagulação do sangue devido à não produção de algum fator de coagulação.  Como a coagulação é uma reação em cascata, a falta de qualquer componente provoca interrupção do processo.

Notas do Editor

  1. O Fibrinogênio converte-se em fibrina pela ação da enzima trombina. É originado no fígado.
  2. A talassemia é um problema  quantitativo   de globinas pouco sintetizadas, enquanto que a anemia falciforme é um problema  qualitativo  na síntese e de um funcionamento incorreto da globina. Talassemia geralmente resulta na deficiente produção de globina normal, muitas vezes através de mutações em genes reguladores.
  3. Processo de formação, maturação e liberação na corrente sanguínea das células do sangue. Tecido conjuntivo hemocitopoético ou reticular: produtor de leucócitos e hemácias. Esse tecido aparece na medula óssea vermelha (tecido mielóide), no baço, no timo e nos nódulos linfáticos (tecido linfóide).
  4. Lisozima: enzima que destrói a parede celular bacteriana.
  5. Os megacariócitos são células da medula óssea responsáveis pela produção de plaquetas sanguíneas. A produção de plaquetas ocorre quando o citoplasma de um megacariócito se fragmenta. O megacariócito é originado pelo progenitor mielóide da célula tronco, fenômeno conhecido por megacariocitopoiese. Ademais, se caracteriza por ser a maior célula sanguinea encontrada no corpo humano.