SlideShare uma empresa Scribd logo
O Mundo Romano
• Direito PrivadoDireito Privado: leis relacionadas com aspetos
da vida privada: casamentos, divórcios,
contratos, testamentos, etc.
• Direito PúblicoDireito Público: leis relacionadas com a
organização e funcionamento do Estado.
2
O Legado da Civilização Romana
DIREITO ROMANODIREITO ROMANO
DIREITODIREITO – Regulava todos os aspetos da vida dos cidadãos
e dividia-se em:
3
O Legado da Civilização Romana
URBANISMOURBANISMO
DIREITODIREITO – Planeamento ordenado das cidades tendo em conta
as necessidades dos seus habitantes.
• Todas as cidades do Império seguiam o modelo deTodas as cidades do Império seguiam o modelo de
RomaRoma (Ruas perpendiculares e rede de esgotos).
• O centro da cidade era o FórumFórum (Praça Central)
onde estavam os edifícios ligados à administração
da cidade e templos.
Planta de uma Cidade RomanaPlanta de uma Cidade Romana
4
Coliseu
Templo
Forum
Panorama da cidade de Roma
Colunas
O Legado da Civilização Romana
O Mundo Romano…
5
Na cidade existiam ainda…
Teatros Anfiteatros
6
O Legado da Civilização Romana
Hipódromos
Circus MaximusCircus Maximus
Termas e banhos públicos
7
O Legado da Civilização Romana
Existiam também zonas residenciais, com dois tipos de casas:
InsulaeInsulae - Blocos de apartamentos com vários andares
onde viviam os romanos mais pobres.
DomusDomus - casa particular pertencente aos
romanos mais ricos.
8
O Legado da Civilização Romana
Fontes históricas para o estudo de
Roma
 Literárias, cultural material (obras), moedas.
9
 vídeo
10
A civilização romana desenvolveu-se a partir da cidade de
Roma, localizada na Península ItálicaPenínsula Itálica. Esta fica localizada no
Sul da Europa, na região central do Mediterrâneo.
11
Localização Geográfica
Sua formação: no séc. VIII a.C., Roma seria
apenas uma aldeia de pastores, mas os Romanos
atribuíam a fundação da sua cidade a Rómulo e Remo,
dois gémeos filhos do deus Marte.
12
Segundo a mitologia romana, Rómulo e Remo
eram dois irmãos gêmeos filhos de Marte e Réia
Silva, descendentes de Eneias que tinham sido
amamentados por uma loba.
Rómulo, foi o fundador da cidade de Roma,
criada no dia 21 de abril de 753 antes de Cristo.
A Fundação de Roma (Mitologia)
13
• Por volta do ano 1000 a.C., nasceu de
um pequeno povoado nas terras
férteis do Lácio,
• À sua volta juntaram-se outros
povos: Sabinos, Etruscos, etc.
A Origem Histórica (Século VIII a.C.)
14
15
16
17
Monarquia
Rei: acumulava funções executivas, judiciais e religiosas 
poder limitado pelo senado (patrícios)
Assembleia Curiata ( Cúria): conjunto de
cidadãos, em idade militar, ratificar ou não as leis
determinadas pelo senado.
18
Dominaram Roma e passaram dominar os rei de Roma. O ultimo rei Tarquínio, o
Soberbo, foi deposto por um insurreição liderada pelos patrícios.
A Monarquia foi abolida e o Senado passou a
representar o poder supremo  REPÚBLICA.
19
Sociedade: continuava dividia entre patrícios e plebeus.
Estrutura do poder: concentrado em instituições como o Senado, as Assembleias ou
Comícios e as Magistraturas
O Senado:
300 membros vitalícios , escolhido entre os cidadãos mais
importantes
Responsáveis por propostas de leis, pelas finanças, declaração de
guerra e tratados de paz
20
Assembleia por
centúrias:
Modelo: militar
Ações: votava
declaração de guerra
ou de paz, elegia as
magistraturas mais
elevadas ( cônsules,
pretores e tribunos
militares)
Participação dos cidadãos: ( responsáveis pela votação de
projetos, assuntos religiosos e a nomeação de representantes a cargo público
Assembleias por tribos
Membros: os cidadãos
eram classificados e
distribuídos de acordo
com sua origem ou
local de residência
( censores)
Ações: eleição de
magistraturas inferiores
Assembleia da plebe
( concilium plebis)
Ações: votavam leis
relativas à plebe, os
plebiscitos, e se
elegiam tribunos e
edis.
21
22
As magistraturas: altos funcionários da República
23
Motivador: a desigualdade politica entre patrícios e plebeus. ( marca a república)
494 a. C: levante de plebeus, se retiraram para o Monte Sagrado (Aventino),
ameaçando não lutar mais no exército, caso suas reivindicações não fosse atendidas
24
25
26
Direito de eleger seus
próprios magistrados
(inviolável e com
poder de veto), os
tribunos da
plebe
450 a. C. publicação das
leis escritas, gravada em
placas de bronze e
exposta, que
asseguravam a igualdade
jurídica, as Leis das
Doze Tábuas
Lei Canuléia: permissão do casamento entre patrícios e plebeus ( a expansão
comercial fez muitos plebeus enriquecerem, numerosas famílias patrícias
empobreciam)  nascia uma nova aristocracia : NOBILITAS (os notáveis)
27
367 a. C: Lei Licínia: o direito de
participar do consulado, regulamentação da
exploração das terras públicas
Obs.: dos dois cônsules eleitos anualmente,
um seria patrícios e o outro, plebeu.
326 a. C.: Lei Poetélia Papíria:
abolição da escravidão por dívida ( trabalhar
pra pagar sua dívida)
28
Motivos para a expansão: defesa diante de povos vizinhos rivais e
obtenção de terras necessárias à agricultura e pastoreio
29
Ampliação na
“cidadania”
(magistraturas locais)
 pagar impostos e
ser recrutados
Arrecadação de
impostos 
publicanos
Expansão da Ager
públicus ( terra do
Estado) /
desenvolvimento de
latifúndios ( mão de
obra escrava)
Ampliação do número de
escravos ( prisioneiros de
guerra)
Contato cultural 
influências de outras
culturas
Ampliação do luxo e da
corrupção
Despovoamento do campo
(plebeus)  ida para
cidade ( artesão,
comerciantes,
desempregados -
problemas)
30
A Nobilitas foi o principal
grupo que saiu ganhando
com o intenso fluxo de
riquezas para Roma de
espólios de guerra e tributos.
31
32
33
O problema da terra
Os irmãos Tibério e Caio Graco eleitos sucessivamente tribunos da plebe,
procuraram promover reformas que atendessem às reivindicações populares
133 a. C: Tibério Graco consegue aprovar uma lei que limitou a extensão das
propriedades fundiárias da nobreza e autorizou a distribuição de terras
públicas para os cidadãos com menos posses  desagradou aos grandes
proprietários  132 a. C. Tibério Graco e mais 500 partidários foram
assassinados.
34
Caio Graco
retoma o projeto de reforma agrária em 123 a. C.
Aprova a lei fumentária ( baixou o preço do trigo para os pobres)
Tentou estender a cidadania romana para a populações latinas ( para diminuir
a oposição)  rejeição  partidários da reforma X senado  Caio Graco é
assassinado
35
PROBLEMA: Séc I a. C.: uma cidade controlava um império em crescimento, as
instituições concebidas Não funcionavam mais. (clima de instabilidade e disputa
de poder)
Governos autoritários:
Generais Mário e Silas
( se tornou ditador
vitalício, abdicou em 79
a. C.)  até 59 a. C.
crises caminho para os
triunviratos
36
Composto por políticos de prestigio: Pompeu, Crasso e Júlio César
37
Pompeu (regimento da Espanha) e Crasso ( forças do Oriente) reputação militar
César exercia o consulado e ocupava o cargo de Pontífice Máximo ( sacerdote supremo
do colégio dos sacerdotes, a mais alta dignidade na religião romana), comandou o exército
da Gália
53 a. C.: Crasso morre, fracasso na Mesopotâmia  senado aproxima-se de Pompeu 
Afastando César do Governo  crise: permitiu a César e suas legiões a tomada de poder
Obs. Senado sem escolha: conferiu a César o título de Ditador Vitalício (46 a.C.)
38
Acumulou poderes: cônsul, tribuno, sumo sacerdote, comandante do exército
Promoveu:
•Reforma política-administrativa
•Distribui terras entre soldados
•Impulsionou a colonização das províncias
•Construiu obras públicas
•Reformulou o calendário
Oposição de alguns senadores (inveja de seus poderes)  assassina
em 44 a. C.
Os conspiradores não conseguiram restabelecer as instituições republicanas
39
O cônsul Marco Antônio no Oriente; Lépido, chefe da ordem dos cavaleiros com o
cargo de Pontífice Máximo; Otávio, sobrinho adotivo de César no Ocidente.
INTENSA
RTIVALID
ADE
40
32 a. C. : guerra entre os
governantes Otávio e Marco
Antônio  poder concentrado
nas mãos de Otávio.
41
Motivos: profundas transformações sociais, econômicas, militares, administrativas
proporcionadas por um império.
Otávio acumulou os títulos de: Augusto (divino, majestade ou venerável)  passou a
deter um poder político superior ao do Senado e demais
magistrados
Consequências:
•Queda na participação popular
•Atribuições das assembleias
•Os magistrados eram indicados pelo imperador
Senado Romano: (individualmente) passaram a ocupar a maioria dos cargos
criados pelo novo regime  AMIZADE E CLIENTELISMO
42
Abandono da política agressiva de conquistas, período de tranquilidade  PAX
ROMANA.
Pão e Circo – expressão do satirista latino Juvenal ( 60 – 140 d. C)
1 milhão de
pessoas
43
Augusto morre em 14 d. C. até 235 d. C.: sucessão de imperadores destaque:
Calígula, Nero e Cômodo.
Teria nomeado seu
cavalo Incitatus como
cônsul, alto cargo de
oficial público que tinha
como principal função
comandar exércitos.
ficou famoso por sua
crueldade e pelas
baixarias. Ele teria
determinado que
criminosos fossem
servidos vivos como
refeição para animais
selvagens e foi acusado
de ter transado com suas
três irmãs.
Teria nomeado seu
cavalo Incitatus como
cônsul, alto cargo de
oficial público que tinha
como principal função
comandar exércitos.
ficou famoso por sua
crueldade e pelas
baixarias. Ele teria
determinado que
criminosos fossem
servidos vivos como
refeição para animais
selvagens e foi acusado
de ter transado com suas
três irmãs.
foi responsabilizado pela
morte de sua própria mãe,
de sua primeira esposa e de
ter mandado envenenar um
meio-irmão.
incêndio arrasador em
Roma.
hábito macabro de lançar
cristãos a cães ferozes e
esfomeados, que os
despedaçavam vivos.
foi responsabilizado pela
morte de sua própria mãe,
de sua primeira esposa e de
ter mandado envenenar um
meio-irmão.
incêndio arrasador em
Roma.
hábito macabro de lançar
cristãos a cães ferozes e
esfomeados, que os
despedaçavam vivos.
costumava descer à
arena para lutar como
gladiador em violentos
espetáculos públicos.
Se achava um gladiador
invencível, Cômodo
acreditava ser o
semideus Hércules e
exigia que o adorassem
como tal.
costumava descer à
arena para lutar como
gladiador em violentos
espetáculos públicos.
Se achava um gladiador
invencível, Cômodo
acreditava ser o
semideus Hércules e
exigia que o adorassem
como tal.
44
45
Estado: não
conseguiu manter a
unidade política e
administrativa
Fronteiras:
necessidade de manter
grandes contingentes
militares  despesas
Esgotamento do
escravismo 
Colonato ( trabalho
compulsório,
camponeses
empobrecidos
passaram a
trabalhar como
colonos nos domínios
dos grandes
proprietários
Desequilíbrio entre
receita e despesas
públicas  inflação
Política: luta pelo
poder:
chefes militares
X
senado
Pressão dos povos
germânicos sobre as
fronteiras
46
284, Diocleciano foi proclamado imperador:
•Introduziu uma reforma conhecida como tetrarquia ( dois co-imperadores,
Augustos, governariam as metades oriental e ocidental)
306, Constantino:
•Consciente da importância das províncias do Oriente – estabeleceu suas capital nacapital na
cidade de Constantinoplacidade de Constantinopla ( atual Istambul)
•Início das grandes migrações dos povos bárbaros ( pacífico – violento)
•313: publicou o Edito de Milãopublicou o Edito de Milão – liberdade de culto e de crença para
os cristãos.
47
378, Teodósio:
•Conseguiu pacificar os visigodos, cedendo-lhes territórios
•391: Edito de Tessalônica:Edito de Tessalônica: tornou o cristianismo religião oficial
•395: Dividiu o Império Romano em Império do Oriente, capital Constantinopla, e
Império do Ocidente, capital Roma.
476: (Ocidente) Golpe fatal deposição do seu
ultimo imperador Rômulo Augústulo.
Oriente: se manteve por centenas de anos
48
• Surgiu na Galileia ( anexada por
romanos 40 a. C.)
• Baseava-se nos ensinamentos de
Jesus ( nascido em Belém –
Governo de Otávio Augusto) -
promessas do judaísmo
• 31 d. C. pregações, apóstolos 
desafio as autoridades romanas e
elite religiosas judaica
• Difusão pelo Império Romano –
camadas populares – palavras de
esperança
•
49
• Governo de Nero: perseguição aos
Cristãos
• Aumento do número de cristãos
• 313: Edito de Milão
• 391: oficialização
•
50
Religião Romana:
•Desprovida de
dogmas
•Imediatista
•Culto: aos
antepassados e aos
deuses
•Manifestação
divinas através dos
fenômenos da
natureza
•Incorporação de
deus e culto de
origens grega e
oriental
51
52
(Enem 2012)
53
 A figura apresentada é de um mosaico, produzido por volta do ano 300
d.C., encontrado na cidade de Lod, atual Estado de Israel. Nela,
encontram-se elementos que representam uma característica política dos
romanos no período, indicada em:
 a) Cruzadismo — conquista da terra santa.
 b) Patriotismo — exaltação da cultura local.
 c) Helenismo — apropriação da estética grega.
 d) Imperialismo — selvageria dos povos dominados.
 e) Expansionismo — diversidade dos territórios conquistados.


54
 [E]

 O período destacado foi marcado pelo apogeu do expansionismo romano,
época do Império, quando Roma dominava todos os territórios ao redor
do Mediterrâneo, incluindo a Palestina. O mosaico de animais demonstra
a quantidade e diversidade desses territórios.
55
56
(Pucrs 2014) As relações sociopolíticas conflitivas entre patrícios e plebeus marcaram o
período histórico da República, na Roma Antiga. Nesse contexto, a permissão de
casamentos entre membros desses dois grupos sociais, a partir de 445 a.C., produziu
]
a) o enfraquecimento do poder político dos patrícios, que
contribuiu para a extinção do Senado.
b) o aumento da população na península, que resultou na
diminuição das guerras de conquista para recrutamento de
escravos.
c) o desaparecimento da instituição dos Tribunos da Plebe, em
função da progressiva perda da identidade política plebeia.
d) o surgimento de uma nova aristocracia, que passou a controlar o
acesso aos cargos públicos mais elevados.
e) a relativa decadência do latifúndio escravista, devido à
ampliação do acesso às terras do ager publicus aos novos grupos
familiares.
57
Resposta:
[D]
A partir do fim da proibição do casamento entre plebeus e patrícios, em
445 a.C., essa união se tornou comum, mas apenas entre plebeus com
posses e patrícios em decadência financeira. Essas uniões fizeram surgiu
uma “nova aristocracia híbrida”, que passou a controlar os principais
cargos públicos de Roma
58
3 (Fuvest 2013) A escravidão na Roma antiga
a) permaneceu praticamente inalterada ao longo dos séculos, mas
foi abolida com a introdução do cristianismo.
b) previa a possibilidade de alforria do escravo apenas no caso da
morte de seu proprietário.
c) era restrita ao meio rural e associada ao trabalho braçal, não
ocorrendo em áreas urbanas, nem atingindo funções intelectuais ou
administrativas.
d) pressupunha que os escravos eram humanos e, por isso, era
proibida toda forma de castigo físico.
e) variou ao longo do tempo, mas era determinada por três critérios:
nascimento, guerra e direito civil.
59
Resposta:
[E]
Questão que demanda conhecimentos específicos sobre a escravidão na
Roma Antiga. Nessa civilização – embora tenha variado ao longo do
tempo, conforme afirma a alternativa correta –, os critérios que
determinaram a escravização foram basicamente o nascimento, a guerra
e o direito civil. A condição à qual estava submetido o escravo era a de
ser "propriedade" do seu senhor; sendo assim, o dono de um escravo
tinha sobre ele o direito de vida e morte.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa
Daniel Alves Bronstrup
 
A crise do império romano
A crise do império romanoA crise do império romano
A crise do império romano
Fátima da História
 
Republica velha resumão
Republica velha resumãoRepublica velha resumão
Republica velha resumão
Fabio Santos
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
Douglas Barraqui
 
Brasil Império
Brasil ImpérioBrasil Império
Brasil Império
Munis Pedro
 
O egito antigo
O egito antigoO egito antigo
O egito antigo
Espanhol Puríssimo
 
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Daniel Alves Bronstrup
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
Daniel Alves Bronstrup
 
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romanoRoma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
Munis Pedro
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
luizmourao23
 
Egito e Mesopotâmia - Antiguidade Oriental
Egito e Mesopotâmia  - Antiguidade OrientalEgito e Mesopotâmia  - Antiguidade Oriental
Egito e Mesopotâmia - Antiguidade Oriental
Valéria Shoujofan
 
Imperialismo - Neocolonialismo - Partilha da África e da Ásia
Imperialismo - Neocolonialismo - Partilha da África e da ÁsiaImperialismo - Neocolonialismo - Partilha da África e da Ásia
Imperialismo - Neocolonialismo - Partilha da África e da Ásia
Portal do Vestibulando
 
O Estado Moderno
O Estado ModernoO Estado Moderno
O Estado Moderno
Aulas de História
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
Simone P Baldissera
 
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Edenilson Morais
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Fabiana Tonsis
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
Marilia Pimentel
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
Edenilson Morais
 
Republica velha
Republica velhaRepublica velha
Republica velha
Fabiana Tonsis
 
1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
Daniel Alves Bronstrup
 

Mais procurados (20)

1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa
 
A crise do império romano
A crise do império romanoA crise do império romano
A crise do império romano
 
Republica velha resumão
Republica velha resumãoRepublica velha resumão
Republica velha resumão
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
 
Brasil Império
Brasil ImpérioBrasil Império
Brasil Império
 
O egito antigo
O egito antigoO egito antigo
O egito antigo
 
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romanoRoma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
 
Egito e Mesopotâmia - Antiguidade Oriental
Egito e Mesopotâmia  - Antiguidade OrientalEgito e Mesopotâmia  - Antiguidade Oriental
Egito e Mesopotâmia - Antiguidade Oriental
 
Imperialismo - Neocolonialismo - Partilha da África e da Ásia
Imperialismo - Neocolonialismo - Partilha da África e da ÁsiaImperialismo - Neocolonialismo - Partilha da África e da Ásia
Imperialismo - Neocolonialismo - Partilha da África e da Ásia
 
O Estado Moderno
O Estado ModernoO Estado Moderno
O Estado Moderno
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
 
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
 
Republica velha
Republica velhaRepublica velha
Republica velha
 
1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
 

Semelhante a Roma Antiga

Apresentaçãohistdir12
Apresentaçãohistdir12Apresentaçãohistdir12
ImpéRio Romano Blog
ImpéRio Romano BlogImpéRio Romano Blog
ImpéRio Romano Blog
vaniareginahistoria1
 
ImpéRio Romano Blog
ImpéRio Romano BlogImpéRio Romano Blog
ImpéRio Romano Blog
vaniareginahistoria1
 
ImpéRio Romano Blog
ImpéRio Romano BlogImpéRio Romano Blog
ImpéRio Romano Blog
vaniareginahistoria1
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
Carlos Zaranza
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
Carlos Zaranza
 
C:\fakepath\aula i imperio_romano
C:\fakepath\aula i imperio_romanoC:\fakepath\aula i imperio_romano
C:\fakepath\aula i imperio_romano
Professor Duda - História
 
Aula i imperio_romano
Aula i imperio_romanoAula i imperio_romano
Aula i imperio_romano
Professor Duda - História
 
Império Romano - Resumo.
Império Romano - Resumo.Império Romano - Resumo.
Império Romano - Resumo.
Élen Vanessa Silva
 
ROMA ANTIGA.pdf
ROMA ANTIGA.pdfROMA ANTIGA.pdf
ROMA ANTIGA.pdf
GEILSONJOSEDASILVA
 
Aula I Imperio Romano
Aula I Imperio RomanoAula I Imperio Romano
Aula I Imperio Romano
guest12728e
 
Roma prof. andre teixeira
Roma prof. andre teixeiraRoma prof. andre teixeira
Roma prof. andre teixeira
Tâmara Almeida
 
Roma - República e início do Império
Roma - República e início do ImpérioRoma - República e início do Império
Roma - República e início do Império
Elaine Bogo Pavani
 
2 roma
2 roma2 roma
2 roma
profrogerio1
 
Roma antiga- Monarquia, República e Império
Roma antiga- Monarquia, República e Império Roma antiga- Monarquia, República e Império
Roma antiga- Monarquia, República e Império
RmuloSilvrio
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Roma Antiga
Elton Zanoni
 
Mundo Romano
Mundo RomanoMundo Romano
Mundo Romano
aninhaoliveeeira
 
02 1 a_cultura_do_senado
02 1 a_cultura_do_senado02 1 a_cultura_do_senado
02 1 a_cultura_do_senado
Vítor Santos
 
Módulo 2 contextualização
Módulo 2   contextualizaçãoMódulo 2   contextualização
Módulo 2 contextualização
cattonia
 
Esquema resumo roma antiga
Esquema resumo roma antigaEsquema resumo roma antiga
Esquema resumo roma antiga
luzia Camilo lopes
 

Semelhante a Roma Antiga (20)

Apresentaçãohistdir12
Apresentaçãohistdir12Apresentaçãohistdir12
Apresentaçãohistdir12
 
ImpéRio Romano Blog
ImpéRio Romano BlogImpéRio Romano Blog
ImpéRio Romano Blog
 
ImpéRio Romano Blog
ImpéRio Romano BlogImpéRio Romano Blog
ImpéRio Romano Blog
 
ImpéRio Romano Blog
ImpéRio Romano BlogImpéRio Romano Blog
ImpéRio Romano Blog
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
C:\fakepath\aula i imperio_romano
C:\fakepath\aula i imperio_romanoC:\fakepath\aula i imperio_romano
C:\fakepath\aula i imperio_romano
 
Aula i imperio_romano
Aula i imperio_romanoAula i imperio_romano
Aula i imperio_romano
 
Império Romano - Resumo.
Império Romano - Resumo.Império Romano - Resumo.
Império Romano - Resumo.
 
ROMA ANTIGA.pdf
ROMA ANTIGA.pdfROMA ANTIGA.pdf
ROMA ANTIGA.pdf
 
Aula I Imperio Romano
Aula I Imperio RomanoAula I Imperio Romano
Aula I Imperio Romano
 
Roma prof. andre teixeira
Roma prof. andre teixeiraRoma prof. andre teixeira
Roma prof. andre teixeira
 
Roma - República e início do Império
Roma - República e início do ImpérioRoma - República e início do Império
Roma - República e início do Império
 
2 roma
2 roma2 roma
2 roma
 
Roma antiga- Monarquia, República e Império
Roma antiga- Monarquia, República e Império Roma antiga- Monarquia, República e Império
Roma antiga- Monarquia, República e Império
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Roma Antiga
 
Mundo Romano
Mundo RomanoMundo Romano
Mundo Romano
 
02 1 a_cultura_do_senado
02 1 a_cultura_do_senado02 1 a_cultura_do_senado
02 1 a_cultura_do_senado
 
Módulo 2 contextualização
Módulo 2   contextualizaçãoMódulo 2   contextualização
Módulo 2 contextualização
 
Esquema resumo roma antiga
Esquema resumo roma antigaEsquema resumo roma antiga
Esquema resumo roma antiga
 

Último

educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
MariaFatima425285
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
ssuser701e2b
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
WelidaFreitas1
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Luana Neres
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
MatildeBrites
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 

Último (20)

educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 

Roma Antiga

  • 2. • Direito PrivadoDireito Privado: leis relacionadas com aspetos da vida privada: casamentos, divórcios, contratos, testamentos, etc. • Direito PúblicoDireito Público: leis relacionadas com a organização e funcionamento do Estado. 2 O Legado da Civilização Romana DIREITO ROMANODIREITO ROMANO DIREITODIREITO – Regulava todos os aspetos da vida dos cidadãos e dividia-se em:
  • 3. 3 O Legado da Civilização Romana URBANISMOURBANISMO DIREITODIREITO – Planeamento ordenado das cidades tendo em conta as necessidades dos seus habitantes. • Todas as cidades do Império seguiam o modelo deTodas as cidades do Império seguiam o modelo de RomaRoma (Ruas perpendiculares e rede de esgotos). • O centro da cidade era o FórumFórum (Praça Central) onde estavam os edifícios ligados à administração da cidade e templos. Planta de uma Cidade RomanaPlanta de uma Cidade Romana
  • 4. 4 Coliseu Templo Forum Panorama da cidade de Roma Colunas O Legado da Civilização Romana
  • 6. Na cidade existiam ainda… Teatros Anfiteatros 6 O Legado da Civilização Romana
  • 7. Hipódromos Circus MaximusCircus Maximus Termas e banhos públicos 7 O Legado da Civilização Romana
  • 8. Existiam também zonas residenciais, com dois tipos de casas: InsulaeInsulae - Blocos de apartamentos com vários andares onde viviam os romanos mais pobres. DomusDomus - casa particular pertencente aos romanos mais ricos. 8 O Legado da Civilização Romana
  • 9. Fontes históricas para o estudo de Roma  Literárias, cultural material (obras), moedas. 9
  • 11. A civilização romana desenvolveu-se a partir da cidade de Roma, localizada na Península ItálicaPenínsula Itálica. Esta fica localizada no Sul da Europa, na região central do Mediterrâneo. 11 Localização Geográfica
  • 12. Sua formação: no séc. VIII a.C., Roma seria apenas uma aldeia de pastores, mas os Romanos atribuíam a fundação da sua cidade a Rómulo e Remo, dois gémeos filhos do deus Marte. 12 Segundo a mitologia romana, Rómulo e Remo eram dois irmãos gêmeos filhos de Marte e Réia Silva, descendentes de Eneias que tinham sido amamentados por uma loba. Rómulo, foi o fundador da cidade de Roma, criada no dia 21 de abril de 753 antes de Cristo. A Fundação de Roma (Mitologia)
  • 13. 13 • Por volta do ano 1000 a.C., nasceu de um pequeno povoado nas terras férteis do Lácio, • À sua volta juntaram-se outros povos: Sabinos, Etruscos, etc. A Origem Histórica (Século VIII a.C.)
  • 14. 14
  • 15. 15
  • 16. 16
  • 17. 17 Monarquia Rei: acumulava funções executivas, judiciais e religiosas  poder limitado pelo senado (patrícios) Assembleia Curiata ( Cúria): conjunto de cidadãos, em idade militar, ratificar ou não as leis determinadas pelo senado.
  • 18. 18 Dominaram Roma e passaram dominar os rei de Roma. O ultimo rei Tarquínio, o Soberbo, foi deposto por um insurreição liderada pelos patrícios. A Monarquia foi abolida e o Senado passou a representar o poder supremo  REPÚBLICA.
  • 19. 19 Sociedade: continuava dividia entre patrícios e plebeus. Estrutura do poder: concentrado em instituições como o Senado, as Assembleias ou Comícios e as Magistraturas O Senado: 300 membros vitalícios , escolhido entre os cidadãos mais importantes Responsáveis por propostas de leis, pelas finanças, declaração de guerra e tratados de paz
  • 20. 20 Assembleia por centúrias: Modelo: militar Ações: votava declaração de guerra ou de paz, elegia as magistraturas mais elevadas ( cônsules, pretores e tribunos militares) Participação dos cidadãos: ( responsáveis pela votação de projetos, assuntos religiosos e a nomeação de representantes a cargo público Assembleias por tribos Membros: os cidadãos eram classificados e distribuídos de acordo com sua origem ou local de residência ( censores) Ações: eleição de magistraturas inferiores Assembleia da plebe ( concilium plebis) Ações: votavam leis relativas à plebe, os plebiscitos, e se elegiam tribunos e edis.
  • 21. 21
  • 22. 22 As magistraturas: altos funcionários da República
  • 23. 23 Motivador: a desigualdade politica entre patrícios e plebeus. ( marca a república) 494 a. C: levante de plebeus, se retiraram para o Monte Sagrado (Aventino), ameaçando não lutar mais no exército, caso suas reivindicações não fosse atendidas
  • 24. 24
  • 25. 25
  • 26. 26 Direito de eleger seus próprios magistrados (inviolável e com poder de veto), os tribunos da plebe 450 a. C. publicação das leis escritas, gravada em placas de bronze e exposta, que asseguravam a igualdade jurídica, as Leis das Doze Tábuas Lei Canuléia: permissão do casamento entre patrícios e plebeus ( a expansão comercial fez muitos plebeus enriquecerem, numerosas famílias patrícias empobreciam)  nascia uma nova aristocracia : NOBILITAS (os notáveis)
  • 27. 27 367 a. C: Lei Licínia: o direito de participar do consulado, regulamentação da exploração das terras públicas Obs.: dos dois cônsules eleitos anualmente, um seria patrícios e o outro, plebeu. 326 a. C.: Lei Poetélia Papíria: abolição da escravidão por dívida ( trabalhar pra pagar sua dívida)
  • 28. 28 Motivos para a expansão: defesa diante de povos vizinhos rivais e obtenção de terras necessárias à agricultura e pastoreio
  • 29. 29 Ampliação na “cidadania” (magistraturas locais)  pagar impostos e ser recrutados Arrecadação de impostos  publicanos Expansão da Ager públicus ( terra do Estado) / desenvolvimento de latifúndios ( mão de obra escrava) Ampliação do número de escravos ( prisioneiros de guerra) Contato cultural  influências de outras culturas Ampliação do luxo e da corrupção Despovoamento do campo (plebeus)  ida para cidade ( artesão, comerciantes, desempregados - problemas)
  • 30. 30 A Nobilitas foi o principal grupo que saiu ganhando com o intenso fluxo de riquezas para Roma de espólios de guerra e tributos.
  • 31. 31
  • 32. 32
  • 33. 33 O problema da terra Os irmãos Tibério e Caio Graco eleitos sucessivamente tribunos da plebe, procuraram promover reformas que atendessem às reivindicações populares 133 a. C: Tibério Graco consegue aprovar uma lei que limitou a extensão das propriedades fundiárias da nobreza e autorizou a distribuição de terras públicas para os cidadãos com menos posses  desagradou aos grandes proprietários  132 a. C. Tibério Graco e mais 500 partidários foram assassinados.
  • 34. 34 Caio Graco retoma o projeto de reforma agrária em 123 a. C. Aprova a lei fumentária ( baixou o preço do trigo para os pobres) Tentou estender a cidadania romana para a populações latinas ( para diminuir a oposição)  rejeição  partidários da reforma X senado  Caio Graco é assassinado
  • 35. 35 PROBLEMA: Séc I a. C.: uma cidade controlava um império em crescimento, as instituições concebidas Não funcionavam mais. (clima de instabilidade e disputa de poder) Governos autoritários: Generais Mário e Silas ( se tornou ditador vitalício, abdicou em 79 a. C.)  até 59 a. C. crises caminho para os triunviratos
  • 36. 36 Composto por políticos de prestigio: Pompeu, Crasso e Júlio César
  • 37. 37 Pompeu (regimento da Espanha) e Crasso ( forças do Oriente) reputação militar César exercia o consulado e ocupava o cargo de Pontífice Máximo ( sacerdote supremo do colégio dos sacerdotes, a mais alta dignidade na religião romana), comandou o exército da Gália 53 a. C.: Crasso morre, fracasso na Mesopotâmia  senado aproxima-se de Pompeu  Afastando César do Governo  crise: permitiu a César e suas legiões a tomada de poder Obs. Senado sem escolha: conferiu a César o título de Ditador Vitalício (46 a.C.)
  • 38. 38 Acumulou poderes: cônsul, tribuno, sumo sacerdote, comandante do exército Promoveu: •Reforma política-administrativa •Distribui terras entre soldados •Impulsionou a colonização das províncias •Construiu obras públicas •Reformulou o calendário Oposição de alguns senadores (inveja de seus poderes)  assassina em 44 a. C. Os conspiradores não conseguiram restabelecer as instituições republicanas
  • 39. 39 O cônsul Marco Antônio no Oriente; Lépido, chefe da ordem dos cavaleiros com o cargo de Pontífice Máximo; Otávio, sobrinho adotivo de César no Ocidente. INTENSA RTIVALID ADE
  • 40. 40 32 a. C. : guerra entre os governantes Otávio e Marco Antônio  poder concentrado nas mãos de Otávio.
  • 41. 41 Motivos: profundas transformações sociais, econômicas, militares, administrativas proporcionadas por um império. Otávio acumulou os títulos de: Augusto (divino, majestade ou venerável)  passou a deter um poder político superior ao do Senado e demais magistrados Consequências: •Queda na participação popular •Atribuições das assembleias •Os magistrados eram indicados pelo imperador Senado Romano: (individualmente) passaram a ocupar a maioria dos cargos criados pelo novo regime  AMIZADE E CLIENTELISMO
  • 42. 42 Abandono da política agressiva de conquistas, período de tranquilidade  PAX ROMANA. Pão e Circo – expressão do satirista latino Juvenal ( 60 – 140 d. C) 1 milhão de pessoas
  • 43. 43 Augusto morre em 14 d. C. até 235 d. C.: sucessão de imperadores destaque: Calígula, Nero e Cômodo. Teria nomeado seu cavalo Incitatus como cônsul, alto cargo de oficial público que tinha como principal função comandar exércitos. ficou famoso por sua crueldade e pelas baixarias. Ele teria determinado que criminosos fossem servidos vivos como refeição para animais selvagens e foi acusado de ter transado com suas três irmãs. Teria nomeado seu cavalo Incitatus como cônsul, alto cargo de oficial público que tinha como principal função comandar exércitos. ficou famoso por sua crueldade e pelas baixarias. Ele teria determinado que criminosos fossem servidos vivos como refeição para animais selvagens e foi acusado de ter transado com suas três irmãs. foi responsabilizado pela morte de sua própria mãe, de sua primeira esposa e de ter mandado envenenar um meio-irmão. incêndio arrasador em Roma. hábito macabro de lançar cristãos a cães ferozes e esfomeados, que os despedaçavam vivos. foi responsabilizado pela morte de sua própria mãe, de sua primeira esposa e de ter mandado envenenar um meio-irmão. incêndio arrasador em Roma. hábito macabro de lançar cristãos a cães ferozes e esfomeados, que os despedaçavam vivos. costumava descer à arena para lutar como gladiador em violentos espetáculos públicos. Se achava um gladiador invencível, Cômodo acreditava ser o semideus Hércules e exigia que o adorassem como tal. costumava descer à arena para lutar como gladiador em violentos espetáculos públicos. Se achava um gladiador invencível, Cômodo acreditava ser o semideus Hércules e exigia que o adorassem como tal.
  • 44. 44
  • 45. 45 Estado: não conseguiu manter a unidade política e administrativa Fronteiras: necessidade de manter grandes contingentes militares  despesas Esgotamento do escravismo  Colonato ( trabalho compulsório, camponeses empobrecidos passaram a trabalhar como colonos nos domínios dos grandes proprietários Desequilíbrio entre receita e despesas públicas  inflação Política: luta pelo poder: chefes militares X senado Pressão dos povos germânicos sobre as fronteiras
  • 46. 46 284, Diocleciano foi proclamado imperador: •Introduziu uma reforma conhecida como tetrarquia ( dois co-imperadores, Augustos, governariam as metades oriental e ocidental) 306, Constantino: •Consciente da importância das províncias do Oriente – estabeleceu suas capital nacapital na cidade de Constantinoplacidade de Constantinopla ( atual Istambul) •Início das grandes migrações dos povos bárbaros ( pacífico – violento) •313: publicou o Edito de Milãopublicou o Edito de Milão – liberdade de culto e de crença para os cristãos.
  • 47. 47 378, Teodósio: •Conseguiu pacificar os visigodos, cedendo-lhes territórios •391: Edito de Tessalônica:Edito de Tessalônica: tornou o cristianismo religião oficial •395: Dividiu o Império Romano em Império do Oriente, capital Constantinopla, e Império do Ocidente, capital Roma. 476: (Ocidente) Golpe fatal deposição do seu ultimo imperador Rômulo Augústulo. Oriente: se manteve por centenas de anos
  • 48. 48 • Surgiu na Galileia ( anexada por romanos 40 a. C.) • Baseava-se nos ensinamentos de Jesus ( nascido em Belém – Governo de Otávio Augusto) - promessas do judaísmo • 31 d. C. pregações, apóstolos  desafio as autoridades romanas e elite religiosas judaica • Difusão pelo Império Romano – camadas populares – palavras de esperança •
  • 49. 49 • Governo de Nero: perseguição aos Cristãos • Aumento do número de cristãos • 313: Edito de Milão • 391: oficialização •
  • 50. 50 Religião Romana: •Desprovida de dogmas •Imediatista •Culto: aos antepassados e aos deuses •Manifestação divinas através dos fenômenos da natureza •Incorporação de deus e culto de origens grega e oriental
  • 51. 51
  • 52. 52
  • 54.  A figura apresentada é de um mosaico, produzido por volta do ano 300 d.C., encontrado na cidade de Lod, atual Estado de Israel. Nela, encontram-se elementos que representam uma característica política dos romanos no período, indicada em:  a) Cruzadismo — conquista da terra santa.  b) Patriotismo — exaltação da cultura local.  c) Helenismo — apropriação da estética grega.  d) Imperialismo — selvageria dos povos dominados.  e) Expansionismo — diversidade dos territórios conquistados.   54
  • 55.  [E]   O período destacado foi marcado pelo apogeu do expansionismo romano, época do Império, quando Roma dominava todos os territórios ao redor do Mediterrâneo, incluindo a Palestina. O mosaico de animais demonstra a quantidade e diversidade desses territórios. 55
  • 56. 56 (Pucrs 2014) As relações sociopolíticas conflitivas entre patrícios e plebeus marcaram o período histórico da República, na Roma Antiga. Nesse contexto, a permissão de casamentos entre membros desses dois grupos sociais, a partir de 445 a.C., produziu ] a) o enfraquecimento do poder político dos patrícios, que contribuiu para a extinção do Senado. b) o aumento da população na península, que resultou na diminuição das guerras de conquista para recrutamento de escravos. c) o desaparecimento da instituição dos Tribunos da Plebe, em função da progressiva perda da identidade política plebeia. d) o surgimento de uma nova aristocracia, que passou a controlar o acesso aos cargos públicos mais elevados. e) a relativa decadência do latifúndio escravista, devido à ampliação do acesso às terras do ager publicus aos novos grupos familiares.
  • 57. 57 Resposta: [D] A partir do fim da proibição do casamento entre plebeus e patrícios, em 445 a.C., essa união se tornou comum, mas apenas entre plebeus com posses e patrícios em decadência financeira. Essas uniões fizeram surgiu uma “nova aristocracia híbrida”, que passou a controlar os principais cargos públicos de Roma
  • 58. 58 3 (Fuvest 2013) A escravidão na Roma antiga a) permaneceu praticamente inalterada ao longo dos séculos, mas foi abolida com a introdução do cristianismo. b) previa a possibilidade de alforria do escravo apenas no caso da morte de seu proprietário. c) era restrita ao meio rural e associada ao trabalho braçal, não ocorrendo em áreas urbanas, nem atingindo funções intelectuais ou administrativas. d) pressupunha que os escravos eram humanos e, por isso, era proibida toda forma de castigo físico. e) variou ao longo do tempo, mas era determinada por três critérios: nascimento, guerra e direito civil.
  • 59. 59 Resposta: [E] Questão que demanda conhecimentos específicos sobre a escravidão na Roma Antiga. Nessa civilização – embora tenha variado ao longo do tempo, conforme afirma a alternativa correta –, os critérios que determinaram a escravização foram basicamente o nascimento, a guerra e o direito civil. A condição à qual estava submetido o escravo era a de ser "propriedade" do seu senhor; sendo assim, o dono de um escravo tinha sobre ele o direito de vida e morte.