SlideShare uma empresa Scribd logo
ANGLO ENEM 2014 – AULA 7 
“REVOLUÇÃO INDUSTRIAL:MEMÓRIA E 
HISTÓRIA.” 
 COMPETÊNCIA 1: COMPREENDER OS ELEMENTOS 
CULTURAIS QUE CONSTITUEM AS IDENTIDADES; 
 HABILIDADE 2: ANALISAR A PRODUÇÃO DA 
MEMÓRIA PELAS SOCIEDADES HUMANAS. 
PROFESSORA BRUNA CAMARGO
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 
Revolução - do latim revolutio – “uma volta”. 
Conjunto de transformações da estrutura 
econômica, social e política. 
COMO? 
POR MEIO DO PROCESSO DE ACELERAÇÃO DA PRODUÇÃO 
CARACTERIZADO PELA SUBSTITUIÇÃO DA FERRAMENTA 
MANUAL POR MÁQUINAS MOVIDAS POR FORÇA MOTRIZ; 
SUBSTITUIÇÃO DE OFICINAS ARTESANAIS DOMÉSTICAS 
PELO SISTEMA FABRIL DE PRODUÇÃO
O QUE MUDA? 
• SISTEMA DE PRODUÇÃO; 
• NOÇÃO DE TRABALHO HUMANO; 
• EFEITOS SOCIAIS.
• DO ARTESANATO A MANUFATURA: 
- ARTESANATO: Sem divisão do trabalho. Todas as etapas do 
processo produtivo são realizadas pela mesma pessoa 
- MANUFATURA: Divisão do trabalho, produção em maior 
escala, artesão não participa de todas as etapas. 
- MAQUINOFATURA: Mantém-se a divisão de trabalho, mas 
a transformação da matéria-prima é feita pela máquina.
REFRESCANDO A MEMÓRIA... 
ETAPAS DA INDUSTRIALIZAÇÃO 
• 1º FASE : SÉCULO XVIII – INGLATERRA – 
MÁQUINA A VAPOR. 
• 2ºFASE: SÉCULO XIX – EUROPA, E.U.A E JAPÃO. 
• 3ºFASE: SÉCULO XX E XXI...
Artesãos
POR QUE? 
MOTIVOS POLÍTICOS: 
• Revolução Gloriosa 
MOTIVOS ECONÔMICOS 
• Liderança comércio europeu ; 
• Desenvolvimento mercantilista e uma forte frota naval; 
• Acumulação de capitais – Banco da Inglaterra; 
• Rico depósito de ferro e carvão; 
• Inúmeras colônias ao redor do mundo supriam o país com 
matérias-primas; 
MOTIVOS SOCIAIS 
• Lei dos Cercamentos(enclosure) – exôdo rual; 
• Puritanismo/calvinismo: estimulavam o trabalho e a acumulação de 
riquezas como formas de obter a salvação; 
• Afirmação da burguesia – classe econômica dominante;
Revolução industrial
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E FORMAÇÃO DO 
OPERARIADO 
ÊXODO RURAL 
CERCAMENTOS 
• VIOLÊNCIA URBANA. 
INCHAÇO DAS CIDADES 
MÃO –DE – OBRA BARATA 
MANUFATURA - MAQUINOFATURA 
DESEMPREGO. 
ALIENAÇÃO : ESPECIALIZAÇÃO DE TAREFAS. 
PROSTITUIÇÃO. 
USO DE DROGAS. 
LONGAS JORNADAS DE TRABALHO 
INSANIDADE
Revolução industrial
NOVO MÉTODO DE PRODUÇÃO 
CAPITAL(PROPRIETÁRIOS) X TRABALHO(EMPREGADOS) 
(DETENTOR OS MEIOS DE PRODUÇÃO) X(VENDE A FORÇA DE 
TRABALHO)
Revolução industrial
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E MEMÓRIA DOS 
OPERÁRIOS
A REAÇÃO DO PROLETARIADO 
REVOLTA CONTRA OS BAIXOS SALÁRIOS, CONDIÇÕES 
INSALUBRES E DESEMPREGO: 
 LUDISMO: DESTRUIÇÃO DE MÁQUINAS E FÁBRICAS NO 
SÉC. XIX 
 CARTISMO: FORMA DE NEGOCIAÇÃO DOS OPERÁRIOS 
POR MEIO DE CARTAS. 
 TRADE-UNIONS: ASSOCIAÇÃO DE TRABALHADORES 
QUE LUTAVAM POR MELHORES SALÁRIOS, CONDIÇÕES 
DE TRABALHO E LEGISLAÇÃO TRABALHISTA.
Trabalho ou 
distúrbio de uma 
ou da outra! 
1811 – LUDISMO! 
DESTRUIÇÃO DAS MÁQUINAS
A INDÚSTRIA DA PROPAGANDA - 
1970: O CONSUMISMO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2 america portuguesa
2 america portuguesa2 america portuguesa
2 america portuguesa
Paulo Alexandre
 
Da espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquicaDa espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquica
Douglas Barraqui
 
Primeira República (República Velha)
Primeira República (República Velha)Primeira República (República Velha)
Primeira República (República Velha)
Elton Zanoni
 
Revoluçao industrial
Revoluçao industrialRevoluçao industrial
Revoluçao industrial
Paulo Alexandre
 
Prova de 1 anohistoria 3 bimestre
Prova de 1 anohistoria 3 bimestreProva de 1 anohistoria 3 bimestre
Prova de 1 anohistoria 3 bimestre
Atividades Diversas Cláudia
 
Revoltas e Conspirações Coloniais
Revoltas e Conspirações ColoniaisRevoltas e Conspirações Coloniais
Revoltas e Conspirações Coloniais
Prof Vaguito Sobrenome
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
Marcos Mamute
 
agrarian reform policies.pptx
agrarian reform policies.pptxagrarian reform policies.pptx
agrarian reform policies.pptx
IrwinFajarito2
 
Mineração no Brasil - Século XVIII
Mineração no Brasil - Século XVIIIMineração no Brasil - Século XVIII
Mineração no Brasil - Século XVIII
Valéria Shoujofan
 
Aula períodos da pré história
Aula períodos da pré históriaAula períodos da pré história
Aula períodos da pré história
Bruno Machado
 
Guerra do contestado
Guerra do contestadoGuerra do contestado
Guerra do contestado
Vivian Lorena Pimentel Maia
 
Independência dos Estados Unidos
Independência dos Estados UnidosIndependência dos Estados Unidos
Independência dos Estados Unidos
Alexandre Guanaes Buongermino
 
A crise do sistema colonial e a independência
A crise do sistema colonial e a independênciaA crise do sistema colonial e a independência
A crise do sistema colonial e a independência
Andreia Regina Moura Mendes
 
Historia-9os-semana1-Brasil A República das Oligarquias.ppt
Historia-9os-semana1-Brasil A República das Oligarquias.pptHistoria-9os-semana1-Brasil A República das Oligarquias.ppt
Historia-9os-semana1-Brasil A República das Oligarquias.ppt
Gisele Finatti Baraglio
 
Coluna Prestes
Coluna PrestesColuna Prestes
Coluna Prestes
Gabriela Martins
 
Povos Bárbaros.
Povos Bárbaros.Povos Bárbaros.
Povos Bárbaros.
Joemille Leal
 
Imperio do brasil primeiro reinado
Imperio do brasil   primeiro reinadoImperio do brasil   primeiro reinado
Imperio do brasil primeiro reinado
Carlos Zaranza
 
Independência das 13 colônias
Independência das 13 colôniasIndependência das 13 colônias
Independência das 13 colônias
José Gomes
 
Aula família real portuguesa no brasil
Aula família real portuguesa no brasilAula família real portuguesa no brasil
Aula família real portuguesa no brasil
seixasmarianas
 
Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
luizmourao23
 

Mais procurados (20)

2 america portuguesa
2 america portuguesa2 america portuguesa
2 america portuguesa
 
Da espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquicaDa espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquica
 
Primeira República (República Velha)
Primeira República (República Velha)Primeira República (República Velha)
Primeira República (República Velha)
 
Revoluçao industrial
Revoluçao industrialRevoluçao industrial
Revoluçao industrial
 
Prova de 1 anohistoria 3 bimestre
Prova de 1 anohistoria 3 bimestreProva de 1 anohistoria 3 bimestre
Prova de 1 anohistoria 3 bimestre
 
Revoltas e Conspirações Coloniais
Revoltas e Conspirações ColoniaisRevoltas e Conspirações Coloniais
Revoltas e Conspirações Coloniais
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
agrarian reform policies.pptx
agrarian reform policies.pptxagrarian reform policies.pptx
agrarian reform policies.pptx
 
Mineração no Brasil - Século XVIII
Mineração no Brasil - Século XVIIIMineração no Brasil - Século XVIII
Mineração no Brasil - Século XVIII
 
Aula períodos da pré história
Aula períodos da pré históriaAula períodos da pré história
Aula períodos da pré história
 
Guerra do contestado
Guerra do contestadoGuerra do contestado
Guerra do contestado
 
Independência dos Estados Unidos
Independência dos Estados UnidosIndependência dos Estados Unidos
Independência dos Estados Unidos
 
A crise do sistema colonial e a independência
A crise do sistema colonial e a independênciaA crise do sistema colonial e a independência
A crise do sistema colonial e a independência
 
Historia-9os-semana1-Brasil A República das Oligarquias.ppt
Historia-9os-semana1-Brasil A República das Oligarquias.pptHistoria-9os-semana1-Brasil A República das Oligarquias.ppt
Historia-9os-semana1-Brasil A República das Oligarquias.ppt
 
Coluna Prestes
Coluna PrestesColuna Prestes
Coluna Prestes
 
Povos Bárbaros.
Povos Bárbaros.Povos Bárbaros.
Povos Bárbaros.
 
Imperio do brasil primeiro reinado
Imperio do brasil   primeiro reinadoImperio do brasil   primeiro reinado
Imperio do brasil primeiro reinado
 
Independência das 13 colônias
Independência das 13 colôniasIndependência das 13 colônias
Independência das 13 colônias
 
Aula família real portuguesa no brasil
Aula família real portuguesa no brasilAula família real portuguesa no brasil
Aula família real portuguesa no brasil
 
Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
 

Destaque

Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Janaína Tavares
 
Revolução Industrial, Neoclassicismo, Estilo Vitoriano e Panorama de estilos
Revolução Industrial, Neoclassicismo, Estilo Vitoriano e Panorama de estilosRevolução Industrial, Neoclassicismo, Estilo Vitoriano e Panorama de estilos
Revolução Industrial, Neoclassicismo, Estilo Vitoriano e Panorama de estilos
angelicaferraz
 
Slides revolução industrial
Slides revolução industrialSlides revolução industrial
Slides revolução industrial
Julia Selistre
 
As invenções e a revolução industrial
As invenções e a revolução industrialAs invenções e a revolução industrial
As invenções e a revolução industrial
Universidade Federal Fluminense
 
RevoluçAo Industrial
RevoluçAo IndustrialRevoluçAo Industrial
RevoluçAo Industrial
Ana Batista
 
Surgimento dos Sindicatos na Revolução Industrial
Surgimento dos Sindicatos na Revolução IndustrialSurgimento dos Sindicatos na Revolução Industrial
Surgimento dos Sindicatos na Revolução Industrial
Jeferson Romão
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Edenilson Morais
 
Slides revolução industrial
Slides revolução industrialSlides revolução industrial
Slides revolução industrial
Maria Inês de Souza Vitorino Justino
 

Destaque (8)

Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Revolução Industrial, Neoclassicismo, Estilo Vitoriano e Panorama de estilos
Revolução Industrial, Neoclassicismo, Estilo Vitoriano e Panorama de estilosRevolução Industrial, Neoclassicismo, Estilo Vitoriano e Panorama de estilos
Revolução Industrial, Neoclassicismo, Estilo Vitoriano e Panorama de estilos
 
Slides revolução industrial
Slides revolução industrialSlides revolução industrial
Slides revolução industrial
 
As invenções e a revolução industrial
As invenções e a revolução industrialAs invenções e a revolução industrial
As invenções e a revolução industrial
 
RevoluçAo Industrial
RevoluçAo IndustrialRevoluçAo Industrial
RevoluçAo Industrial
 
Surgimento dos Sindicatos na Revolução Industrial
Surgimento dos Sindicatos na Revolução IndustrialSurgimento dos Sindicatos na Revolução Industrial
Surgimento dos Sindicatos na Revolução Industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Slides revolução industrial
Slides revolução industrialSlides revolução industrial
Slides revolução industrial
 

Semelhante a Revolução industrial

Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
Julia Selistre
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
seixasmarianas
 
Aula 01 02 3 médio sas
Aula 01 02 3 médio sasAula 01 02 3 médio sas
Aula 01 02 3 médio sas
Camila Brito
 
Revolução Industrial
Revolução Industrial Revolução Industrial
Revolução Industrial
paramore146
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Pérysson Nogueira
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
segundocol
 
Revolucao industrial.filé
Revolucao industrial.filéRevolucao industrial.filé
Revolucao industrial.filé
mundica broda
 
Revolucao industrial 2013
Revolucao industrial 2013Revolucao industrial 2013
Revolucao industrial 2013
Fabio Salvari
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
ressurreicaorecreio
 
Processo de trabalho 2 formação da classe operaria - rev. industrial
Processo de trabalho 2   formação da classe operaria - rev. industrialProcesso de trabalho 2   formação da classe operaria - rev. industrial
Processo de trabalho 2 formação da classe operaria - rev. industrial
Daniele Rubim
 
A construção do sistema capitalista mundial.pptx
A construção do sistema capitalista mundial.pptxA construção do sistema capitalista mundial.pptx
A construção do sistema capitalista mundial.pptx
MuniqueGomes1
 
O mundo industrializado no séc
O mundo industrializado no sécO mundo industrializado no séc
O mundo industrializado no séc
Dora Alexandra Batista de Sousa Rocha
 
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO  GEOGRÁFICO MUNDIAL.docA INDÚSTRIA NO ESPAÇO  GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
AlfredoFilho18
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. ano
Fatima Freitas
 
2015 revolução industrial
2015  revolução industrial2015  revolução industrial
2015 revolução industrial
MARIANO C7S
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Rose Vital
 
APRESENTACAO_ANDREY el at_PARTE 4 - 21-05.pptx
APRESENTACAO_ANDREY el at_PARTE 4 - 21-05.pptxAPRESENTACAO_ANDREY el at_PARTE 4 - 21-05.pptx
APRESENTACAO_ANDREY el at_PARTE 4 - 21-05.pptx
MiltonVasconcellos2
 
20061025082704 revolucaoindustrial 1
20061025082704 revolucaoindustrial 120061025082704 revolucaoindustrial 1
20061025082704 revolucaoindustrial 1
Lemos de Castro
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Valeria Kosicki
 
Caderno diário As Transformações Económicas na Europa e no Mundo n.º10 1415
Caderno diário As Transformações Económicas na Europa e no Mundo n.º10 1415Caderno diário As Transformações Económicas na Europa e no Mundo n.º10 1415
Caderno diário As Transformações Económicas na Europa e no Mundo n.º10 1415
Laboratório de História
 

Semelhante a Revolução industrial (20)

Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Aula 01 02 3 médio sas
Aula 01 02 3 médio sasAula 01 02 3 médio sas
Aula 01 02 3 médio sas
 
Revolução Industrial
Revolução Industrial Revolução Industrial
Revolução Industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
 
Revolucao industrial.filé
Revolucao industrial.filéRevolucao industrial.filé
Revolucao industrial.filé
 
Revolucao industrial 2013
Revolucao industrial 2013Revolucao industrial 2013
Revolucao industrial 2013
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Processo de trabalho 2 formação da classe operaria - rev. industrial
Processo de trabalho 2   formação da classe operaria - rev. industrialProcesso de trabalho 2   formação da classe operaria - rev. industrial
Processo de trabalho 2 formação da classe operaria - rev. industrial
 
A construção do sistema capitalista mundial.pptx
A construção do sistema capitalista mundial.pptxA construção do sistema capitalista mundial.pptx
A construção do sistema capitalista mundial.pptx
 
O mundo industrializado no séc
O mundo industrializado no sécO mundo industrializado no séc
O mundo industrializado no séc
 
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO  GEOGRÁFICO MUNDIAL.docA INDÚSTRIA NO ESPAÇO  GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. ano
 
2015 revolução industrial
2015  revolução industrial2015  revolução industrial
2015 revolução industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
APRESENTACAO_ANDREY el at_PARTE 4 - 21-05.pptx
APRESENTACAO_ANDREY el at_PARTE 4 - 21-05.pptxAPRESENTACAO_ANDREY el at_PARTE 4 - 21-05.pptx
APRESENTACAO_ANDREY el at_PARTE 4 - 21-05.pptx
 
20061025082704 revolucaoindustrial 1
20061025082704 revolucaoindustrial 120061025082704 revolucaoindustrial 1
20061025082704 revolucaoindustrial 1
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Caderno diário As Transformações Económicas na Europa e no Mundo n.º10 1415
Caderno diário As Transformações Económicas na Europa e no Mundo n.º10 1415Caderno diário As Transformações Económicas na Europa e no Mundo n.º10 1415
Caderno diário As Transformações Económicas na Europa e no Mundo n.º10 1415
 

Mais de Bruna Camargo

EUA: Expansão territorial; Guerra de Secessão; Imperialismo
EUA: Expansão territorial; Guerra de Secessão; ImperialismoEUA: Expansão territorial; Guerra de Secessão; Imperialismo
EUA: Expansão territorial; Guerra de Secessão; Imperialismo
Bruna Camargo
 
éTica e moral enem 2014
éTica e moral enem 2014éTica e moral enem 2014
éTica e moral enem 2014
Bruna Camargo
 
Feliz dia dos professores!
Feliz dia dos professores!Feliz dia dos professores!
Feliz dia dos professores!
Bruna Camargo
 
GRANDES NAVEGAÇÕES
GRANDES NAVEGAÇÕESGRANDES NAVEGAÇÕES
GRANDES NAVEGAÇÕES
Bruna Camargo
 
Jk e janio correção de atividades
Jk e janio correção de atividadesJk e janio correção de atividades
Jk e janio correção de atividades
Bruna Camargo
 
áFrica diversidade e grandes realizações
áFrica diversidade e grandes realizaçõesáFrica diversidade e grandes realizações
áFrica diversidade e grandes realizações
Bruna Camargo
 
Brasil império
Brasil impérioBrasil império
Brasil império
Bruna Camargo
 
Enem história e imagem
Enem história e imagemEnem história e imagem
Enem história e imagem
Bruna Camargo
 
Década de 60 anos rebeldes
Década de 60 anos rebeldesDécada de 60 anos rebeldes
Década de 60 anos rebeldes
Bruna Camargo
 
Antecedentes do golpe de 1964
Antecedentes do golpe de 1964Antecedentes do golpe de 1964
Antecedentes do golpe de 1964
Bruna Camargo
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
Bruna Camargo
 
Absolutismo inglês
Absolutismo inglêsAbsolutismo inglês
Absolutismo inglês
Bruna Camargo
 
Brasil republica
Brasil republicaBrasil republica
Brasil republica
Bruna Camargo
 
Brasil e europa no seculo XIX e movimentos messiânicos
Brasil e europa no seculo XIX e movimentos messiânicosBrasil e europa no seculo XIX e movimentos messiânicos
Brasil e europa no seculo XIX e movimentos messiânicos
Bruna Camargo
 
SÉCULO XIX
SÉCULO XIXSÉCULO XIX
SÉCULO XIX
Bruna Camargo
 
Socialismo utópico
Socialismo utópicoSocialismo utópico
Socialismo utópico
Bruna Camargo
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Bruna Camargo
 
Islã
IslãIslã

Mais de Bruna Camargo (18)

EUA: Expansão territorial; Guerra de Secessão; Imperialismo
EUA: Expansão territorial; Guerra de Secessão; ImperialismoEUA: Expansão territorial; Guerra de Secessão; Imperialismo
EUA: Expansão territorial; Guerra de Secessão; Imperialismo
 
éTica e moral enem 2014
éTica e moral enem 2014éTica e moral enem 2014
éTica e moral enem 2014
 
Feliz dia dos professores!
Feliz dia dos professores!Feliz dia dos professores!
Feliz dia dos professores!
 
GRANDES NAVEGAÇÕES
GRANDES NAVEGAÇÕESGRANDES NAVEGAÇÕES
GRANDES NAVEGAÇÕES
 
Jk e janio correção de atividades
Jk e janio correção de atividadesJk e janio correção de atividades
Jk e janio correção de atividades
 
áFrica diversidade e grandes realizações
áFrica diversidade e grandes realizaçõesáFrica diversidade e grandes realizações
áFrica diversidade e grandes realizações
 
Brasil império
Brasil impérioBrasil império
Brasil império
 
Enem história e imagem
Enem história e imagemEnem história e imagem
Enem história e imagem
 
Década de 60 anos rebeldes
Década de 60 anos rebeldesDécada de 60 anos rebeldes
Década de 60 anos rebeldes
 
Antecedentes do golpe de 1964
Antecedentes do golpe de 1964Antecedentes do golpe de 1964
Antecedentes do golpe de 1964
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
 
Absolutismo inglês
Absolutismo inglêsAbsolutismo inglês
Absolutismo inglês
 
Brasil republica
Brasil republicaBrasil republica
Brasil republica
 
Brasil e europa no seculo XIX e movimentos messiânicos
Brasil e europa no seculo XIX e movimentos messiânicosBrasil e europa no seculo XIX e movimentos messiânicos
Brasil e europa no seculo XIX e movimentos messiânicos
 
SÉCULO XIX
SÉCULO XIXSÉCULO XIX
SÉCULO XIX
 
Socialismo utópico
Socialismo utópicoSocialismo utópico
Socialismo utópico
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Islã
IslãIslã
Islã
 

Último

Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 

Revolução industrial

  • 1. ANGLO ENEM 2014 – AULA 7 “REVOLUÇÃO INDUSTRIAL:MEMÓRIA E HISTÓRIA.”  COMPETÊNCIA 1: COMPREENDER OS ELEMENTOS CULTURAIS QUE CONSTITUEM AS IDENTIDADES;  HABILIDADE 2: ANALISAR A PRODUÇÃO DA MEMÓRIA PELAS SOCIEDADES HUMANAS. PROFESSORA BRUNA CAMARGO
  • 2. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL Revolução - do latim revolutio – “uma volta”. Conjunto de transformações da estrutura econômica, social e política. COMO? POR MEIO DO PROCESSO DE ACELERAÇÃO DA PRODUÇÃO CARACTERIZADO PELA SUBSTITUIÇÃO DA FERRAMENTA MANUAL POR MÁQUINAS MOVIDAS POR FORÇA MOTRIZ; SUBSTITUIÇÃO DE OFICINAS ARTESANAIS DOMÉSTICAS PELO SISTEMA FABRIL DE PRODUÇÃO
  • 3. O QUE MUDA? • SISTEMA DE PRODUÇÃO; • NOÇÃO DE TRABALHO HUMANO; • EFEITOS SOCIAIS.
  • 4. • DO ARTESANATO A MANUFATURA: - ARTESANATO: Sem divisão do trabalho. Todas as etapas do processo produtivo são realizadas pela mesma pessoa - MANUFATURA: Divisão do trabalho, produção em maior escala, artesão não participa de todas as etapas. - MAQUINOFATURA: Mantém-se a divisão de trabalho, mas a transformação da matéria-prima é feita pela máquina.
  • 5. REFRESCANDO A MEMÓRIA... ETAPAS DA INDUSTRIALIZAÇÃO • 1º FASE : SÉCULO XVIII – INGLATERRA – MÁQUINA A VAPOR. • 2ºFASE: SÉCULO XIX – EUROPA, E.U.A E JAPÃO. • 3ºFASE: SÉCULO XX E XXI...
  • 7. POR QUE? MOTIVOS POLÍTICOS: • Revolução Gloriosa MOTIVOS ECONÔMICOS • Liderança comércio europeu ; • Desenvolvimento mercantilista e uma forte frota naval; • Acumulação de capitais – Banco da Inglaterra; • Rico depósito de ferro e carvão; • Inúmeras colônias ao redor do mundo supriam o país com matérias-primas; MOTIVOS SOCIAIS • Lei dos Cercamentos(enclosure) – exôdo rual; • Puritanismo/calvinismo: estimulavam o trabalho e a acumulação de riquezas como formas de obter a salvação; • Afirmação da burguesia – classe econômica dominante;
  • 9. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E FORMAÇÃO DO OPERARIADO ÊXODO RURAL CERCAMENTOS • VIOLÊNCIA URBANA. INCHAÇO DAS CIDADES MÃO –DE – OBRA BARATA MANUFATURA - MAQUINOFATURA DESEMPREGO. ALIENAÇÃO : ESPECIALIZAÇÃO DE TAREFAS. PROSTITUIÇÃO. USO DE DROGAS. LONGAS JORNADAS DE TRABALHO INSANIDADE
  • 11. NOVO MÉTODO DE PRODUÇÃO CAPITAL(PROPRIETÁRIOS) X TRABALHO(EMPREGADOS) (DETENTOR OS MEIOS DE PRODUÇÃO) X(VENDE A FORÇA DE TRABALHO)
  • 13. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E MEMÓRIA DOS OPERÁRIOS
  • 14. A REAÇÃO DO PROLETARIADO REVOLTA CONTRA OS BAIXOS SALÁRIOS, CONDIÇÕES INSALUBRES E DESEMPREGO:  LUDISMO: DESTRUIÇÃO DE MÁQUINAS E FÁBRICAS NO SÉC. XIX  CARTISMO: FORMA DE NEGOCIAÇÃO DOS OPERÁRIOS POR MEIO DE CARTAS.  TRADE-UNIONS: ASSOCIAÇÃO DE TRABALHADORES QUE LUTAVAM POR MELHORES SALÁRIOS, CONDIÇÕES DE TRABALHO E LEGISLAÇÃO TRABALHISTA.
  • 15. Trabalho ou distúrbio de uma ou da outra! 1811 – LUDISMO! DESTRUIÇÃO DAS MÁQUINAS
  • 16. A INDÚSTRIA DA PROPAGANDA - 1970: O CONSUMISMO