SlideShare uma empresa Scribd logo
1

            SISTEMA DE INJEÇÃO ELETRÔNICA DE COMBUSTÍVEL       MI

         UNIDADE DE COMANDO ELETRÔNICA
 Pino 21 ⇒ Alimentação 12V (direto da bateria)
 Pino 23 ⇒ Alimentação 12V (após chave de ignição ligada)
 Pino 1 ⇒ Massa
     SENSOR HALL ( ROTAÇÃO , FASE E PMS )
 A tensão de alimentação entre os pinos 1 e 3 do conector do sensor HALL deve
  ser de 12V.
 Encoste a caneta de polaridade no fio correspondente ao pino 2 do conector do
  sensor HALL ( o conector deve estar ligado no sensor). De a partida no motor e
  observe que o led da caneta de polaridade deve estar pulsando.
SENSOR DE PRESSÃO E TEMPERATURA DE AR ‘’MAF’’
VERIFICAÇÕES A SEREM FEITAS

 Alimentação pinos 1( negativo) e 3 (positivo) do conector. O valor encontrado
  deve ser 5V .
 Remova o sensor do seu alojamento e mantendo a conecção ligada , instale o
  vacômetro no sensor. Selecione o multímetro em volts e ligue uma das pontas
  no fio (MR/VM), vai para o pino 4 do sensor. E a outra ponta no negativo da
  bateria. Para cada pressão terá uma tensão diferente no pino 4 como pode ser
  visto na tabela.
PRESSÃO ( mmhg)                             TENSÃO ( V)        NO PINO 4
                   100                                 2.7 a 3.6
                   200                                 2.2 a 2.9
                   300                                 1.3 a 2.3
                   400                                 1.1 a 1.6
                   500                                0.40 a 0.86
                   600                                0.23 a 0.35

TABELA DO SENSOR DE TEMPERATURA DO AR

TEMPERATURA (°C) DO MOTOR               RESISTÊNCIA NOS PINOS 1 e 2
             25                                   1740 a 2350
             40                                    350 a 460
             85                                    240 a 270
            100                                    160 a 180
2
       SENSOR DE TEMPERATURA DO MOTOR
 Ligue a ignição e verifique se no conector do sensor de temperatura
  (pinos 1 e 3) tem 5V.
 Desligue o conector do sensor de temperatura , meça a temperatura do motor e
  compare com a resistência do sensor ( pinos 1 e 3 ) , conforme tabela abaixo.

TEMPERATURA (°C ) DO MOTOR               RESISTÊNCIA (Ω) PINOS 1 e 3
            25                                     1800 a 2350
            40                                     1000 a 1500
            60                                      380 a 630
            80                                      290 a 330
            90                                      200 a 240
           100                                      160 a 200

               SENSOR DE OXIGÊNIO ( HEGO )
 Para testar o sinal que a sonda envia para o módulo de injeção sobre a situação
  da mistura, funcione o motor, espere até que o motor atinja aproximadamente
  90°C e com o motor em marcha lenta , meça a tensão nos pinos 3 (- )
  (cinza) e 4 ( sinal)(preto) do sensor. O valor medido deve estar oscilando entre
  100mV a 900mV.

                   SENSOR DE VELOCIDADE
VERIFICAÇÕES A SEREM FEITAS
 Alimentação pinos 1 ( + ) e 3 ( - ) do conector. O valor encontrado deve ser de
  12V.
 Para testar o sinal de saída do sensor VSS , ligue a chave de ignição ,deixe o
  conector ligado ao sensor VSS , encoste a caneta de polaridade no fio
  correspondente ou pino 2 do sensor de velocidade. ligue a chave de ignição e
  deixe o veículo em ponto morto. Levante a roda esquerda do veículo e gire-a
  com as mãos. O led da caneta de polaridade deverá oscilar ( piscar ).
                    SENSOR DE DETONAÇÃO
VERIFICAÇÕES A SEREM FEITAS:
 O torque de aperto é 2 Kgfm (nunca utilize arruelas ).
OBS: Detonação persistente indica possível mau funcionamento do sensor. Para
verificar o componente substitua-o e reavalie o comportamento do motor (em
temperatura normal e combustível). Testes específicos requerem equipamentos
caros, de resultados pouco esclarecedores. Não podemos descartar que problemas
no motor como : fora de ponta, carbonização , combustível com octanagem
diferente da usual, podem ser as causas da denoção.
3
              MÓDULO DE CONTROLE DE AR
VERIFICAÇÕES A SEREM FEITAS
Antes de testar o MCA , verifique se está chegando alimentação para o mesmo.
Nos pinos 4( + ) e 7 ( - ) do conector do MCA deve ter com a ignição ligada 5 V.
              Teste do sensor TPS (sensor de posição da borboleta)
Os pinos que envolvem o TPS são : 4 , 5 e 7 .
 Desligue o conector do módulo de controle de ar , ligue a ignição e meça a
   tensão nos pinos 4 (positivo) e 7 (negativo).O valor encontrado é 5V.
 Para verificar a resposta do TPS correta nos regimes de marcha lenta e plena
   carga e ligue a ignição .
Deixe a borboleta de aceleração em posição de marcha lenta e meça a tensão nos
pinos 4(positivo) e 5(negativo) , com o conector ligado ao MCA ( módulo de
controle de ar ).
    O valor encontrado é de 0.70 a 0.75V.
Deixe a borboleta de aceleração em posição de totalmente aberta e meça a tensão
nos pinos 4 (positivo) e 5 (negativo), com o conector ligado ao MCA .
     O valor encontrado é de 4.0 a 4.2 V.
                          Teste do interruptor de mínima
Os pinos que envolvem o interruptor de mínima são : 3 e 7
 Com a ignição ligada , e a borboleta de aceleração fechada , meça a tensão nos
   pinos 3 e 7. O valor encontrado deve ser de 0V. Abrindo um pouco a borboleta
   este valor de tensão deve ir para 12V. OBS :O conector deve estar ligado ao
   MCA.
                          Teste do motor de passo ( IAC )
 Os pinos que envolvem o motor de passo são : 1 e 2 .
 Desligue o conector do MCA e meça a resistência nos pinos 1 e 2 do sensor. O
valor encontrado deve ser de : 3 Ω a 6Ω .
 Com o sensor ligado e motor funcionando, coloque a caneta de polaridade no
   pino 1 do conector do MCA. Ao acelerar e desacelerar, o led começa a oscilar
                   Teste do sensor de correção da marcha lenta
Os pinos que envolvem o sensor de correção da marcha lenta são : 4 , 7 e 8 .
 Para testar se o sensor de correção da marcha lenta apresenta valores corretos
   nos regimes de marcha lenta e plena carga, funcione o motor e deixe em marcha
   lenta ( 850 a 950 rpm ). Faça a leitura de tensão nos pinos 4 e 8 do MCA .
   O valor encontrado deve ser de 1.3 a 1.6 V.
Aumente a rotação até atingir 3000 rpm e meça a tensão nos pinos 4 e 8 do MCA.
   O valor encontrado deve ser de 1.6 a 1.9V.
Aumente a rotação até atingir 4000 rpm e meça a tensão nos pinos 4 e 8 do MCA
   O valor encontrado deve ser de 1.9 a 2.1 V .
4
                     REGULAGEM BÁSICA
     Procedimento de identificação da posição da borboleta de aceleração.
Esta opção permite ao módulo de controle identificar os valores de operação do
corpo de borboleta e gravá-los na memória. O ajuste básico deve ser realizado
sempre que o módulo ou corpo de borboleta forem substituído ou desligados por
um período maior que 2 minutos.

Procedimento para realizar a regulagem básica :
 Conecte o terminal elétrico do modulo de controle da marcha lenta (MCA) e o
  chicote da central de comando.
 Desligue o terminal positivo da bateria por 2 minutos (este procedimento é
  usado para apagar a memória de manutenção , pois não pode haver falhas
  registradas).
 Ligue a chave de ignição sem pisar na acelerador
 Espere por 15 segundos. Durante este período serão ouvidos ruídos provenientes
  da borboleta do acelerador.
 Dê partida no motor.

O motor deve operar em regime estável, indicando o sucesso do procedimento de
ajuste básico.

OBS.: O ajuste básico também pode ser feito com a ajuda de um SCANNER.



ESPAÇO RESERVADO PARA OBSEVAÇÃO SOBRE O AJUSTE BÁSICO


             VÁLVULA DO CANISTER ( CANP)

VERIFIÇÕES A SEREM FEITAS:
 Para testar a alimentação da válvula CANP, desconecte o terminal elétrico da
  válvula, ligue a chave de ignição e meça a tensão entre os pinos 2 (+) do
  conector da válvula e o negativo da bateria. O valor encontrado é de 12V.
 Meça a resistência da válvula entre os pinos 1 e 2. O valor encontrado é de
  20Ω a 30 Ω .
5
          INTERRUPTOR DE AJUSTE DE PONTO

       O interruptor de ajuste de ponto (shorting plug), permite o ajuste do ponto .
Para isso, siga os passos a seguir:
1° - Aqueça o motor em temperatura operacional
2° - Deixe-o em posição de marcha lenta
3° - Retire o interruptor de ajuste de ponto( a rotação será elevada para 1200 rpm.)
4° - Ajuste o distribuidor para obter 6 graus APMS(1.0) e 9 grau ( 1.6, 1.8 e 2.0 )
5° - Recoloque o interruptor.
                    BOMBA DE COMBUSTÍVEL
   Instalar o manômetro na linha de combustível e verificar se a pressão está entre
    2.5 Bar a 3.2 Bar.
       VÁLVULA DE INJEÇÃO DE COMBUSTÍVEL
VERIFICAÇÕES A SEREM FEITAS
 A válvula injetora tem que ter um uma resistência entre 10 a 15 Ω ( medir em
  temperatura ambiente).Se não atingir este valor substitua o eletroinjetor.

     SENSOR DE TEMP. DO MOTOR (1.6 , 1.8 e 2.0 )

TEMPERATURA (°C ) DO MOTOR                 RESISTÊNCIA (Ω) PINOS 1 e 2
            25                                       2850 a 3150
            40                                       1510 a 1670
            80                                        350 a 380
           100                                        190 a 210

Motor quente entre 80°C e 90°C , aproximadamente 0.5 a 0.8V


        SENSOR DE POSIÇÃO DA BORBOLETA DE
                   ACELERAÇÃO
VERIFICAÇÕES A SEREM FEITAS:
 Ligue a ignição e verifique se nos pinos 2(positivo) e 3(negativo) do conector do
  sensor TPS tem 5V.
 BORBOLETA FECHADA (1 e 3 ). O valor encontrado é de 0.45V a 0.75V.
 BORBOLETA ABERTA (1 e 3 ). O valor encontrado é de 4.0V a 5.0V.
6
                   MOTOR DE PASSO ( IAC )
VERIFICAÇÕES A SEREM FEITAS

 Remova o motor de passo e analise o estado da ponta cônica, fazendo uma
  limpeza se necessário.

   Meça a resistência entre os pinos (18 e 19 ) e (21 e 22 ). O valor encontrado
    deve ser de 45Ω a 65Ω.

 Dê a partida no motor e encoste a caneta de polaridade em cada um dos fios
  ligados ao motor de passo. Ao acelerar e desacelerar o motor, o led deverá
  oscilar( piscar).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tabela de pressão de combustivel
Tabela de pressão de combustivelTabela de pressão de combustivel
Tabela de pressão de combustivel
Sergio Favaro
 
Tabela sonda universal_mte-thomson
Tabela sonda universal_mte-thomsonTabela sonda universal_mte-thomson
Tabela sonda universal_mte-thomson
Jose Pires
 
Manual de serviço cb600 f hornet interruptores
Manual de serviço cb600 f hornet interruptoresManual de serviço cb600 f hornet interruptores
Manual de serviço cb600 f hornet interruptores
Thiago Huari
 
Manual de serviço cg150 titan ks es esd diagrama
Manual de serviço cg150 titan ks es esd diagramaManual de serviço cg150 titan ks es esd diagrama
Manual de serviço cg150 titan ks es esd diagrama
Thiago Huari
 
Apostila arquivo carro pinagem nacional
Apostila arquivo carro pinagem nacionalApostila arquivo carro pinagem nacional
Apostila arquivo carro pinagem nacional
LucianoFreitas58
 
37893755 manual-trator-tobata
37893755 manual-trator-tobata37893755 manual-trator-tobata
37893755 manual-trator-tobata
cristiano mota
 
306337501 diagrama-eletrico-amarok-motor
306337501 diagrama-eletrico-amarok-motor306337501 diagrama-eletrico-amarok-motor
306337501 diagrama-eletrico-amarok-motor
noturno_noturno
 
Manual de serviço cb600 f hornet defeitos
Manual de serviço cb600 f hornet defeitosManual de serviço cb600 f hornet defeitos
Manual de serviço cb600 f hornet defeitos
Thiago Huari
 
Manual fittipaldi
Manual fittipaldiManual fittipaldi
Manual fittipaldi
Senac
 
Manual de serviço cargotod cabecote
Manual de serviço cargotod cabecoteManual de serviço cargotod cabecote
Manual de serviço cargotod cabecote
Thiago Huari
 
Manual de serviço cb600 f hornet imobilizador
Manual de serviço cb600 f hornet imobilizadorManual de serviço cb600 f hornet imobilizador
Manual de serviço cb600 f hornet imobilizador
Thiago Huari
 
Manual de serviço cg150 titan ks es esd ignicao
Manual de serviço cg150 titan ks es esd ignicaoManual de serviço cg150 titan ks es esd ignicao
Manual de serviço cg150 titan ks es esd ignicao
Thiago Huari
 
Manual de serviço cg125 titan ks es kse cg125 cargo (2002) luzes
Manual de serviço cg125 titan  ks es kse cg125 cargo (2002) luzesManual de serviço cg125 titan  ks es kse cg125 cargo (2002) luzes
Manual de serviço cg125 titan ks es kse cg125 cargo (2002) luzes
Thiago Huari
 
Manual de serviço xl250 r (1983) mskb7831p manutenc
Manual de serviço xl250 r (1983)   mskb7831p manutencManual de serviço xl250 r (1983)   mskb7831p manutenc
Manual de serviço xl250 r (1983) mskb7831p manutenc
Thiago Huari
 
Manual de Servico CG 125 Titan KS-ES-Cargo 2004 (1).pdf
Manual de Servico CG 125 Titan KS-ES-Cargo 2004 (1).pdfManual de Servico CG 125 Titan KS-ES-Cargo 2004 (1).pdf
Manual de Servico CG 125 Titan KS-ES-Cargo 2004 (1).pdf
WellingtonVictor8
 
Manual de serviço ms cg150 sport suplemento 00 x6b-krm-003
Manual de serviço ms cg150 sport suplemento   00 x6b-krm-003Manual de serviço ms cg150 sport suplemento   00 x6b-krm-003
Manual de serviço ms cg150 sport suplemento 00 x6b-krm-003
Thiago Huari
 
Manual de sintomas e falhas
Manual de sintomas e falhasManual de sintomas e falhas
Manual de sintomas e falhas
Robson Cavalheiro
 
TABELA APLICAÇÃO BICO INJETORES
TABELA APLICAÇÃO BICO INJETORESTABELA APLICAÇÃO BICO INJETORES
TABELA APLICAÇÃO BICO INJETORES
Kesley de Souza
 
Valores rochestes
Valores rochestesValores rochestes
Valores rochestes
Andre Cardoso
 
Manual de serviço xr250 ignicao
Manual de serviço xr250 ignicaoManual de serviço xr250 ignicao
Manual de serviço xr250 ignicao
Thiago Huari
 

Mais procurados (20)

Tabela de pressão de combustivel
Tabela de pressão de combustivelTabela de pressão de combustivel
Tabela de pressão de combustivel
 
Tabela sonda universal_mte-thomson
Tabela sonda universal_mte-thomsonTabela sonda universal_mte-thomson
Tabela sonda universal_mte-thomson
 
Manual de serviço cb600 f hornet interruptores
Manual de serviço cb600 f hornet interruptoresManual de serviço cb600 f hornet interruptores
Manual de serviço cb600 f hornet interruptores
 
Manual de serviço cg150 titan ks es esd diagrama
Manual de serviço cg150 titan ks es esd diagramaManual de serviço cg150 titan ks es esd diagrama
Manual de serviço cg150 titan ks es esd diagrama
 
Apostila arquivo carro pinagem nacional
Apostila arquivo carro pinagem nacionalApostila arquivo carro pinagem nacional
Apostila arquivo carro pinagem nacional
 
37893755 manual-trator-tobata
37893755 manual-trator-tobata37893755 manual-trator-tobata
37893755 manual-trator-tobata
 
306337501 diagrama-eletrico-amarok-motor
306337501 diagrama-eletrico-amarok-motor306337501 diagrama-eletrico-amarok-motor
306337501 diagrama-eletrico-amarok-motor
 
Manual de serviço cb600 f hornet defeitos
Manual de serviço cb600 f hornet defeitosManual de serviço cb600 f hornet defeitos
Manual de serviço cb600 f hornet defeitos
 
Manual fittipaldi
Manual fittipaldiManual fittipaldi
Manual fittipaldi
 
Manual de serviço cargotod cabecote
Manual de serviço cargotod cabecoteManual de serviço cargotod cabecote
Manual de serviço cargotod cabecote
 
Manual de serviço cb600 f hornet imobilizador
Manual de serviço cb600 f hornet imobilizadorManual de serviço cb600 f hornet imobilizador
Manual de serviço cb600 f hornet imobilizador
 
Manual de serviço cg150 titan ks es esd ignicao
Manual de serviço cg150 titan ks es esd ignicaoManual de serviço cg150 titan ks es esd ignicao
Manual de serviço cg150 titan ks es esd ignicao
 
Manual de serviço cg125 titan ks es kse cg125 cargo (2002) luzes
Manual de serviço cg125 titan  ks es kse cg125 cargo (2002) luzesManual de serviço cg125 titan  ks es kse cg125 cargo (2002) luzes
Manual de serviço cg125 titan ks es kse cg125 cargo (2002) luzes
 
Manual de serviço xl250 r (1983) mskb7831p manutenc
Manual de serviço xl250 r (1983)   mskb7831p manutencManual de serviço xl250 r (1983)   mskb7831p manutenc
Manual de serviço xl250 r (1983) mskb7831p manutenc
 
Manual de Servico CG 125 Titan KS-ES-Cargo 2004 (1).pdf
Manual de Servico CG 125 Titan KS-ES-Cargo 2004 (1).pdfManual de Servico CG 125 Titan KS-ES-Cargo 2004 (1).pdf
Manual de Servico CG 125 Titan KS-ES-Cargo 2004 (1).pdf
 
Manual de serviço ms cg150 sport suplemento 00 x6b-krm-003
Manual de serviço ms cg150 sport suplemento   00 x6b-krm-003Manual de serviço ms cg150 sport suplemento   00 x6b-krm-003
Manual de serviço ms cg150 sport suplemento 00 x6b-krm-003
 
Manual de sintomas e falhas
Manual de sintomas e falhasManual de sintomas e falhas
Manual de sintomas e falhas
 
TABELA APLICAÇÃO BICO INJETORES
TABELA APLICAÇÃO BICO INJETORESTABELA APLICAÇÃO BICO INJETORES
TABELA APLICAÇÃO BICO INJETORES
 
Valores rochestes
Valores rochestesValores rochestes
Valores rochestes
 
Manual de serviço xr250 ignicao
Manual de serviço xr250 ignicaoManual de serviço xr250 ignicao
Manual de serviço xr250 ignicao
 

Semelhante a Resumo mi

Manual de serviço cr80 r ignicao
Manual de serviço cr80 r ignicaoManual de serviço cr80 r ignicao
Manual de serviço cr80 r ignicao
Thiago Huari
 
Voyage
Voyage Voyage
Voyage
kardozgm
 
Manual de serviço cb600 f hornet ignicao
Manual de serviço cb600 f hornet ignicaoManual de serviço cb600 f hornet ignicao
Manual de serviço cb600 f hornet ignicao
Thiago Huari
 
Manual de serviço cr250 99 ignicao
Manual de serviço cr250 99 ignicaoManual de serviço cr250 99 ignicao
Manual de serviço cr250 99 ignicao
Thiago Huari
 
Deve se substituir um solenóide sempre que o código de falhas acusar defeito ...
Deve se substituir um solenóide sempre que o código de falhas acusar defeito ...Deve se substituir um solenóide sempre que o código de falhas acusar defeito ...
Deve se substituir um solenóide sempre que o código de falhas acusar defeito ...
fabio
 
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) ignicao
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) ignicaoManaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) ignicao
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) ignicao
Thiago Huari
 
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 ignicao
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 ignicaoManual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 ignicao
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 ignicao
Thiago Huari
 
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) sistema_ignicao
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) sistema_ignicaoManaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) sistema_ignicao
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) sistema_ignicao
Thiago Huari
 
Manual de serviço cr250 00 ignicao
Manual de serviço cr250 00 ignicaoManual de serviço cr250 00 ignicao
Manual de serviço cr250 00 ignicao
Thiago Huari
 
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) ignicao
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) ignicaoManaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) ignicao
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) ignicao
Thiago Huari
 
Tabela fire
Tabela fireTabela fire
Tabela fire
Andre Cardoso
 
Manual de serviço cr125 00 ignicao
Manual de serviço cr125 00 ignicaoManual de serviço cr125 00 ignicao
Manual de serviço cr125 00 ignicao
Thiago Huari
 
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 ignicao
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 ignicaoManual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 ignicao
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 ignicao
Thiago Huari
 
Manual de serviço nx 4 falc ignicao
Manual de serviço nx 4 falc ignicaoManual de serviço nx 4 falc ignicao
Manual de serviço nx 4 falc ignicao
Thiago Huari
 
010178 ignicao
010178 ignicao010178 ignicao
010178 ignicao
Digossound
 
Exercícios Sinalização Automatismos I.pptx
Exercícios Sinalização Automatismos I.pptxExercícios Sinalização Automatismos I.pptx
Exercícios Sinalização Automatismos I.pptx
OctavioSPereira
 
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) ignicao
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) ignicaoManaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) ignicao
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) ignicao
Thiago Huari
 
Manual serviço c 100 biz c-100 biz es c-100 biz+ (2002) - 00 x6b-gce-763 sist...
Manual serviço c 100 biz c-100 biz es c-100 biz+ (2002) - 00 x6b-gce-763 sist...Manual serviço c 100 biz c-100 biz es c-100 biz+ (2002) - 00 x6b-gce-763 sist...
Manual serviço c 100 biz c-100 biz es c-100 biz+ (2002) - 00 x6b-gce-763 sist...
Thiago Huari
 
Manual de serviço cr125 99 ignicao
Manual de serviço cr125 99 ignicaoManual de serviço cr125 99 ignicao
Manual de serviço cr125 99 ignicao
Thiago Huari
 
Manual de serviço xlr125 00 x6b-kfc-601 ignicao
Manual de serviço xlr125   00 x6b-kfc-601 ignicaoManual de serviço xlr125   00 x6b-kfc-601 ignicao
Manual de serviço xlr125 00 x6b-kfc-601 ignicao
Thiago Huari
 

Semelhante a Resumo mi (20)

Manual de serviço cr80 r ignicao
Manual de serviço cr80 r ignicaoManual de serviço cr80 r ignicao
Manual de serviço cr80 r ignicao
 
Voyage
Voyage Voyage
Voyage
 
Manual de serviço cb600 f hornet ignicao
Manual de serviço cb600 f hornet ignicaoManual de serviço cb600 f hornet ignicao
Manual de serviço cb600 f hornet ignicao
 
Manual de serviço cr250 99 ignicao
Manual de serviço cr250 99 ignicaoManual de serviço cr250 99 ignicao
Manual de serviço cr250 99 ignicao
 
Deve se substituir um solenóide sempre que o código de falhas acusar defeito ...
Deve se substituir um solenóide sempre que o código de falhas acusar defeito ...Deve se substituir um solenóide sempre que o código de falhas acusar defeito ...
Deve se substituir um solenóide sempre que o código de falhas acusar defeito ...
 
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) ignicao
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) ignicaoManaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) ignicao
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) ignicao
 
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 ignicao
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 ignicaoManual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 ignicao
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 ignicao
 
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) sistema_ignicao
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) sistema_ignicaoManaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) sistema_ignicao
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) sistema_ignicao
 
Manual de serviço cr250 00 ignicao
Manual de serviço cr250 00 ignicaoManual de serviço cr250 00 ignicao
Manual de serviço cr250 00 ignicao
 
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) ignicao
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) ignicaoManaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) ignicao
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) ignicao
 
Tabela fire
Tabela fireTabela fire
Tabela fire
 
Manual de serviço cr125 00 ignicao
Manual de serviço cr125 00 ignicaoManual de serviço cr125 00 ignicao
Manual de serviço cr125 00 ignicao
 
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 ignicao
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 ignicaoManual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 ignicao
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 ignicao
 
Manual de serviço nx 4 falc ignicao
Manual de serviço nx 4 falc ignicaoManual de serviço nx 4 falc ignicao
Manual de serviço nx 4 falc ignicao
 
010178 ignicao
010178 ignicao010178 ignicao
010178 ignicao
 
Exercícios Sinalização Automatismos I.pptx
Exercícios Sinalização Automatismos I.pptxExercícios Sinalização Automatismos I.pptx
Exercícios Sinalização Automatismos I.pptx
 
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) ignicao
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) ignicaoManaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) ignicao
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) ignicao
 
Manual serviço c 100 biz c-100 biz es c-100 biz+ (2002) - 00 x6b-gce-763 sist...
Manual serviço c 100 biz c-100 biz es c-100 biz+ (2002) - 00 x6b-gce-763 sist...Manual serviço c 100 biz c-100 biz es c-100 biz+ (2002) - 00 x6b-gce-763 sist...
Manual serviço c 100 biz c-100 biz es c-100 biz+ (2002) - 00 x6b-gce-763 sist...
 
Manual de serviço cr125 99 ignicao
Manual de serviço cr125 99 ignicaoManual de serviço cr125 99 ignicao
Manual de serviço cr125 99 ignicao
 
Manual de serviço xlr125 00 x6b-kfc-601 ignicao
Manual de serviço xlr125   00 x6b-kfc-601 ignicaoManual de serviço xlr125   00 x6b-kfc-601 ignicao
Manual de serviço xlr125 00 x6b-kfc-601 ignicao
 

Mais de Andre Cardoso

EST3 Forms.pdf
EST3 Forms.pdfEST3 Forms.pdf
EST3 Forms.pdf
Andre Cardoso
 
Curso Certificacão EST3 - Livro do Estudante.pdf
Curso Certificacão EST3 - Livro do Estudante.pdfCurso Certificacão EST3 - Livro do Estudante.pdf
Curso Certificacão EST3 - Livro do Estudante.pdf
Andre Cardoso
 
caderno de estudante painel EST3 - 270412 R4[1].0 EST3 SelfStudy.pdf
caderno de estudante painel EST3 - 270412 R4[1].0 EST3 SelfStudy.pdfcaderno de estudante painel EST3 - 270412 R4[1].0 EST3 SelfStudy.pdf
caderno de estudante painel EST3 - 270412 R4[1].0 EST3 SelfStudy.pdf
Andre Cardoso
 
EST3 Installation and Service Manual.pdf
EST3 Installation and Service Manual.pdfEST3 Installation and Service Manual.pdf
EST3 Installation and Service Manual.pdf
Andre Cardoso
 
my17-spin-52136793-por-20160808-v05-baixa.pdf
my17-spin-52136793-por-20160808-v05-baixa.pdfmy17-spin-52136793-por-20160808-v05-baixa.pdf
my17-spin-52136793-por-20160808-v05-baixa.pdf
Andre Cardoso
 
Como Ouvir Pessoas
Como  Ouvir  PessoasComo  Ouvir  Pessoas
Como Ouvir Pessoas
Andre Cardoso
 
MICROBIOLOGIA BÁSICA
MICROBIOLOGIA BÁSICAMICROBIOLOGIA BÁSICA
MICROBIOLOGIA BÁSICA
Andre Cardoso
 
Trabalho Em Equipe
Trabalho Em  EquipeTrabalho Em  Equipe
Trabalho Em Equipe
Andre Cardoso
 
Imobilizadores
ImobilizadoresImobilizadores
Imobilizadores
Andre Cardoso
 
Mi 2
Mi 2Mi 2
Apostila do stilo
Apostila do stiloApostila do stilo
Apostila do stilo
Andre Cardoso
 
Resumo todas as injeções
Resumo todas as injeçõesResumo todas as injeções
Resumo todas as injeções
Andre Cardoso
 
Especificações de tipos de injeção
Especificações de tipos de injeçãoEspecificações de tipos de injeção
Especificações de tipos de injeção
Andre Cardoso
 
Rede can
Rede canRede can
Rede can
Andre Cardoso
 
Veículos e seu modelo de injeção
Veículos e seu modelo de injeçãoVeículos e seu modelo de injeção
Veículos e seu modelo de injeção
Andre Cardoso
 
Gol total flex
Gol total flexGol total flex
Gol total flex
Andre Cardoso
 
Códigos de falhas gm
Códigos de falhas gmCódigos de falhas gm
Códigos de falhas gm
Andre Cardoso
 
Macetes injeção
Macetes injeçãoMacetes injeção
Macetes injeção
Andre Cardoso
 
Resumo stilo 2.4 16 v
Resumo stilo 2.4 16 vResumo stilo 2.4 16 v
Resumo stilo 2.4 16 v
Andre Cardoso
 

Mais de Andre Cardoso (20)

EST3 Forms.pdf
EST3 Forms.pdfEST3 Forms.pdf
EST3 Forms.pdf
 
Curso Certificacão EST3 - Livro do Estudante.pdf
Curso Certificacão EST3 - Livro do Estudante.pdfCurso Certificacão EST3 - Livro do Estudante.pdf
Curso Certificacão EST3 - Livro do Estudante.pdf
 
caderno de estudante painel EST3 - 270412 R4[1].0 EST3 SelfStudy.pdf
caderno de estudante painel EST3 - 270412 R4[1].0 EST3 SelfStudy.pdfcaderno de estudante painel EST3 - 270412 R4[1].0 EST3 SelfStudy.pdf
caderno de estudante painel EST3 - 270412 R4[1].0 EST3 SelfStudy.pdf
 
EST3 Installation and Service Manual.pdf
EST3 Installation and Service Manual.pdfEST3 Installation and Service Manual.pdf
EST3 Installation and Service Manual.pdf
 
my17-spin-52136793-por-20160808-v05-baixa.pdf
my17-spin-52136793-por-20160808-v05-baixa.pdfmy17-spin-52136793-por-20160808-v05-baixa.pdf
my17-spin-52136793-por-20160808-v05-baixa.pdf
 
As Plantas Magicas
As  Plantas  MagicasAs  Plantas  Magicas
As Plantas Magicas
 
Como Ouvir Pessoas
Como  Ouvir  PessoasComo  Ouvir  Pessoas
Como Ouvir Pessoas
 
MICROBIOLOGIA BÁSICA
MICROBIOLOGIA BÁSICAMICROBIOLOGIA BÁSICA
MICROBIOLOGIA BÁSICA
 
Trabalho Em Equipe
Trabalho Em  EquipeTrabalho Em  Equipe
Trabalho Em Equipe
 
Imobilizadores
ImobilizadoresImobilizadores
Imobilizadores
 
Mi 2
Mi 2Mi 2
Mi 2
 
Apostila do stilo
Apostila do stiloApostila do stilo
Apostila do stilo
 
Resumo todas as injeções
Resumo todas as injeçõesResumo todas as injeções
Resumo todas as injeções
 
Especificações de tipos de injeção
Especificações de tipos de injeçãoEspecificações de tipos de injeção
Especificações de tipos de injeção
 
Rede can
Rede canRede can
Rede can
 
Veículos e seu modelo de injeção
Veículos e seu modelo de injeçãoVeículos e seu modelo de injeção
Veículos e seu modelo de injeção
 
Gol total flex
Gol total flexGol total flex
Gol total flex
 
Códigos de falhas gm
Códigos de falhas gmCódigos de falhas gm
Códigos de falhas gm
 
Macetes injeção
Macetes injeçãoMacetes injeção
Macetes injeção
 
Resumo stilo 2.4 16 v
Resumo stilo 2.4 16 vResumo stilo 2.4 16 v
Resumo stilo 2.4 16 v
 

Resumo mi

  • 1. 1 SISTEMA DE INJEÇÃO ELETRÔNICA DE COMBUSTÍVEL MI UNIDADE DE COMANDO ELETRÔNICA  Pino 21 ⇒ Alimentação 12V (direto da bateria)  Pino 23 ⇒ Alimentação 12V (após chave de ignição ligada)  Pino 1 ⇒ Massa SENSOR HALL ( ROTAÇÃO , FASE E PMS )  A tensão de alimentação entre os pinos 1 e 3 do conector do sensor HALL deve ser de 12V.  Encoste a caneta de polaridade no fio correspondente ao pino 2 do conector do sensor HALL ( o conector deve estar ligado no sensor). De a partida no motor e observe que o led da caneta de polaridade deve estar pulsando. SENSOR DE PRESSÃO E TEMPERATURA DE AR ‘’MAF’’ VERIFICAÇÕES A SEREM FEITAS  Alimentação pinos 1( negativo) e 3 (positivo) do conector. O valor encontrado deve ser 5V .  Remova o sensor do seu alojamento e mantendo a conecção ligada , instale o vacômetro no sensor. Selecione o multímetro em volts e ligue uma das pontas no fio (MR/VM), vai para o pino 4 do sensor. E a outra ponta no negativo da bateria. Para cada pressão terá uma tensão diferente no pino 4 como pode ser visto na tabela. PRESSÃO ( mmhg) TENSÃO ( V) NO PINO 4 100 2.7 a 3.6 200 2.2 a 2.9 300 1.3 a 2.3 400 1.1 a 1.6 500 0.40 a 0.86 600 0.23 a 0.35 TABELA DO SENSOR DE TEMPERATURA DO AR TEMPERATURA (°C) DO MOTOR RESISTÊNCIA NOS PINOS 1 e 2 25 1740 a 2350 40 350 a 460 85 240 a 270 100 160 a 180
  • 2. 2 SENSOR DE TEMPERATURA DO MOTOR  Ligue a ignição e verifique se no conector do sensor de temperatura (pinos 1 e 3) tem 5V.  Desligue o conector do sensor de temperatura , meça a temperatura do motor e compare com a resistência do sensor ( pinos 1 e 3 ) , conforme tabela abaixo. TEMPERATURA (°C ) DO MOTOR RESISTÊNCIA (Ω) PINOS 1 e 3 25 1800 a 2350 40 1000 a 1500 60 380 a 630 80 290 a 330 90 200 a 240 100 160 a 200 SENSOR DE OXIGÊNIO ( HEGO )  Para testar o sinal que a sonda envia para o módulo de injeção sobre a situação da mistura, funcione o motor, espere até que o motor atinja aproximadamente 90°C e com o motor em marcha lenta , meça a tensão nos pinos 3 (- ) (cinza) e 4 ( sinal)(preto) do sensor. O valor medido deve estar oscilando entre 100mV a 900mV. SENSOR DE VELOCIDADE VERIFICAÇÕES A SEREM FEITAS  Alimentação pinos 1 ( + ) e 3 ( - ) do conector. O valor encontrado deve ser de 12V.  Para testar o sinal de saída do sensor VSS , ligue a chave de ignição ,deixe o conector ligado ao sensor VSS , encoste a caneta de polaridade no fio correspondente ou pino 2 do sensor de velocidade. ligue a chave de ignição e deixe o veículo em ponto morto. Levante a roda esquerda do veículo e gire-a com as mãos. O led da caneta de polaridade deverá oscilar ( piscar ). SENSOR DE DETONAÇÃO VERIFICAÇÕES A SEREM FEITAS:  O torque de aperto é 2 Kgfm (nunca utilize arruelas ). OBS: Detonação persistente indica possível mau funcionamento do sensor. Para verificar o componente substitua-o e reavalie o comportamento do motor (em temperatura normal e combustível). Testes específicos requerem equipamentos caros, de resultados pouco esclarecedores. Não podemos descartar que problemas no motor como : fora de ponta, carbonização , combustível com octanagem diferente da usual, podem ser as causas da denoção.
  • 3. 3 MÓDULO DE CONTROLE DE AR VERIFICAÇÕES A SEREM FEITAS Antes de testar o MCA , verifique se está chegando alimentação para o mesmo. Nos pinos 4( + ) e 7 ( - ) do conector do MCA deve ter com a ignição ligada 5 V. Teste do sensor TPS (sensor de posição da borboleta) Os pinos que envolvem o TPS são : 4 , 5 e 7 .  Desligue o conector do módulo de controle de ar , ligue a ignição e meça a tensão nos pinos 4 (positivo) e 7 (negativo).O valor encontrado é 5V.  Para verificar a resposta do TPS correta nos regimes de marcha lenta e plena carga e ligue a ignição . Deixe a borboleta de aceleração em posição de marcha lenta e meça a tensão nos pinos 4(positivo) e 5(negativo) , com o conector ligado ao MCA ( módulo de controle de ar ). O valor encontrado é de 0.70 a 0.75V. Deixe a borboleta de aceleração em posição de totalmente aberta e meça a tensão nos pinos 4 (positivo) e 5 (negativo), com o conector ligado ao MCA . O valor encontrado é de 4.0 a 4.2 V. Teste do interruptor de mínima Os pinos que envolvem o interruptor de mínima são : 3 e 7  Com a ignição ligada , e a borboleta de aceleração fechada , meça a tensão nos pinos 3 e 7. O valor encontrado deve ser de 0V. Abrindo um pouco a borboleta este valor de tensão deve ir para 12V. OBS :O conector deve estar ligado ao MCA. Teste do motor de passo ( IAC ) Os pinos que envolvem o motor de passo são : 1 e 2 .  Desligue o conector do MCA e meça a resistência nos pinos 1 e 2 do sensor. O valor encontrado deve ser de : 3 Ω a 6Ω .  Com o sensor ligado e motor funcionando, coloque a caneta de polaridade no pino 1 do conector do MCA. Ao acelerar e desacelerar, o led começa a oscilar Teste do sensor de correção da marcha lenta Os pinos que envolvem o sensor de correção da marcha lenta são : 4 , 7 e 8 .  Para testar se o sensor de correção da marcha lenta apresenta valores corretos nos regimes de marcha lenta e plena carga, funcione o motor e deixe em marcha lenta ( 850 a 950 rpm ). Faça a leitura de tensão nos pinos 4 e 8 do MCA . O valor encontrado deve ser de 1.3 a 1.6 V. Aumente a rotação até atingir 3000 rpm e meça a tensão nos pinos 4 e 8 do MCA. O valor encontrado deve ser de 1.6 a 1.9V. Aumente a rotação até atingir 4000 rpm e meça a tensão nos pinos 4 e 8 do MCA O valor encontrado deve ser de 1.9 a 2.1 V .
  • 4. 4 REGULAGEM BÁSICA Procedimento de identificação da posição da borboleta de aceleração. Esta opção permite ao módulo de controle identificar os valores de operação do corpo de borboleta e gravá-los na memória. O ajuste básico deve ser realizado sempre que o módulo ou corpo de borboleta forem substituído ou desligados por um período maior que 2 minutos. Procedimento para realizar a regulagem básica :  Conecte o terminal elétrico do modulo de controle da marcha lenta (MCA) e o chicote da central de comando.  Desligue o terminal positivo da bateria por 2 minutos (este procedimento é usado para apagar a memória de manutenção , pois não pode haver falhas registradas).  Ligue a chave de ignição sem pisar na acelerador  Espere por 15 segundos. Durante este período serão ouvidos ruídos provenientes da borboleta do acelerador.  Dê partida no motor. O motor deve operar em regime estável, indicando o sucesso do procedimento de ajuste básico. OBS.: O ajuste básico também pode ser feito com a ajuda de um SCANNER. ESPAÇO RESERVADO PARA OBSEVAÇÃO SOBRE O AJUSTE BÁSICO VÁLVULA DO CANISTER ( CANP) VERIFIÇÕES A SEREM FEITAS:  Para testar a alimentação da válvula CANP, desconecte o terminal elétrico da válvula, ligue a chave de ignição e meça a tensão entre os pinos 2 (+) do conector da válvula e o negativo da bateria. O valor encontrado é de 12V.  Meça a resistência da válvula entre os pinos 1 e 2. O valor encontrado é de 20Ω a 30 Ω .
  • 5. 5 INTERRUPTOR DE AJUSTE DE PONTO O interruptor de ajuste de ponto (shorting plug), permite o ajuste do ponto . Para isso, siga os passos a seguir: 1° - Aqueça o motor em temperatura operacional 2° - Deixe-o em posição de marcha lenta 3° - Retire o interruptor de ajuste de ponto( a rotação será elevada para 1200 rpm.) 4° - Ajuste o distribuidor para obter 6 graus APMS(1.0) e 9 grau ( 1.6, 1.8 e 2.0 ) 5° - Recoloque o interruptor. BOMBA DE COMBUSTÍVEL  Instalar o manômetro na linha de combustível e verificar se a pressão está entre 2.5 Bar a 3.2 Bar. VÁLVULA DE INJEÇÃO DE COMBUSTÍVEL VERIFICAÇÕES A SEREM FEITAS  A válvula injetora tem que ter um uma resistência entre 10 a 15 Ω ( medir em temperatura ambiente).Se não atingir este valor substitua o eletroinjetor. SENSOR DE TEMP. DO MOTOR (1.6 , 1.8 e 2.0 ) TEMPERATURA (°C ) DO MOTOR RESISTÊNCIA (Ω) PINOS 1 e 2 25 2850 a 3150 40 1510 a 1670 80 350 a 380 100 190 a 210 Motor quente entre 80°C e 90°C , aproximadamente 0.5 a 0.8V SENSOR DE POSIÇÃO DA BORBOLETA DE ACELERAÇÃO VERIFICAÇÕES A SEREM FEITAS:  Ligue a ignição e verifique se nos pinos 2(positivo) e 3(negativo) do conector do sensor TPS tem 5V.  BORBOLETA FECHADA (1 e 3 ). O valor encontrado é de 0.45V a 0.75V.  BORBOLETA ABERTA (1 e 3 ). O valor encontrado é de 4.0V a 5.0V.
  • 6. 6 MOTOR DE PASSO ( IAC ) VERIFICAÇÕES A SEREM FEITAS  Remova o motor de passo e analise o estado da ponta cônica, fazendo uma limpeza se necessário.  Meça a resistência entre os pinos (18 e 19 ) e (21 e 22 ). O valor encontrado deve ser de 45Ω a 65Ω.  Dê a partida no motor e encoste a caneta de polaridade em cada um dos fios ligados ao motor de passo. Ao acelerar e desacelerar o motor, o led deverá oscilar( piscar).