SlideShare uma empresa Scribd logo
Reprodução
O QUE É REPRODUÇÃO ? em biologia, refere-se à função através da qual os seres vivos produzem descendentes, dando continuidade à  sua espécie
FORMAS DE REPRODUÇÃO:                        Não há troca de gametas  o corre com a participação de um único indivíduo dá origem  a  outros que são geneticamente idênticos não há troca de material genético não há variabilidade genética                            ASSEXUADA OU AGÂMICA
DIVISÃO SIMPLES OU CISSIPARIDADE Ocorre em organismos unicelulares, onde um divisão simples pode dar origem a dois novos indivíduos com composição genética idênticas à célula mãe. São considerados organismos imortais. ameba Eucarionte unicelular em processo de bipartição ou divisão binária
BROTAMENTO OU GEMIPARIDADE Nesta forma de reprodução um indivíduo adulto emite de seu corpo um "broto" que cresce e forma um novo organismo. Este novo indivíduo formado pode ou não desprender-se do indivíduo que lhe deu origem. Este tipo de reprodução ocorre em organismos que formam colônias, como em espongiários, e cnidários  (corais) . hidra
ESPORULAÇÃO Corresponde a formação de células para reprodução, as quais não necessitam realizar fecundação. Ex. Fungos, bactérias e protozoários. Fotografia de um  Zigomycete,  evidenciando os esporos
REGENERAÇÃO Alguns animais possuem um extraordinário poder de regeneração. A planária, verme platelminto, pode ter sua cabeça cortada e mesmo assim não morrerá, pois a cabeça pode regenerar um corpo novo e vice vers a.
Plasmodium , causador da malária . ESQUIZOGONIA Tipo de reprodução típica dos protozoários esporozoários; a célula sofre sucessivas divisões do seu núcleo, acompanhadas, depois,  d e idêntico número de divisões no citoplasma. Ex.  Plasmodium malariae
Na reprodução sexuada há três características básicas:  Produção de células haplóides por meiose (gametas)  União de 2 células haplóides para formar um novo indivíduo diplóide.  Formação de seres geneticamente diferente dos genitores.  Do ponto de vista evolutivo, este tipo de reprodução pode aumentar a probabilidade de uma espécie sobreviver as modificações do meio ambiente (capacidade adaptativa).  A união dos gametas (cariogamia) provoca novas combinações de cromossomos, no descendente, levando variações nas suas características aumentando a possibilidade de evolução de espécie .  REPRODUÇÃO SEXUADA  OU GÂMICA Ocorre com o envolvimento de gametas
SERES VIVOS SEXO GÔNADAS GAMETAS Animais Masculino Testículo Espermatozóide Feminino Ovário  Óvulo Vegetais Masculino Anterídeo   Anterozóide feminino   Arquegônio Oosfera  
METAGÊNESE OU ALTERNÂNCIA DE GERAÇÕES: é uma forma de reprodução encontrada nas briófitas, pteridófitas e nos celenterado/cnidários.  Nesses organismos ocorre uma reprodução por via assexuada (não ocorre troca de gametas) e uma fase sexuada (ocorre troca de gametas).
TIPOS DE REPRODUÇÃO SEXUADA
POLIOVULAÇÃO É a situação em que encontramos mais de uma cria em cada ninhada, cada uma originada por múltiplos óvulos fecundados por diferentes espermatozóides. A maioria dos mamíferos que gestam mais de um filhote apresentam-se com esse quadro, inclusive na espécie humana, quando nascem os gêmeos fraternos ou bivitelínicos
POLIEMBRIONIA A  fecundação ocorre em um único óvulo que parte-se posteriormente após as clivagens iniciais originando dois ou mais novos indivíduos .  Ocorre sempre com o tatu e muito mais raramente na espécie humana, originando os gêmeos univitelínicos ou idênticos.  Estes apresentarão sempre o mesmo sexo e o mesmo material genético (DNA).
CICLOS  DE  VIDA  DE  SERES  COM  REPRODUÇÃO  SEXUADA
O QUE É GAMETOGÊNESE?  Processo de formação dos gametas e ocorre nas gônadas masculinas e femininas No macho:  nos testículos  – espermatozóide (espermatogênese) Na fêmea:  nos ovários  – óvulos (ovulogênese)
ESPERMATOGÊNESE É uma seqüência  de eventos pelos quais as células germinativas primitivas se transformam em espermatozóides, tem início na puberdade (quando o organismo começa a secretar altos níveis de testosterona) e vai até a velhice. Na  infância  -  os testículos do menino  estão  inativos  com  grande quantidade de células germinativas primordiais  (2n).   Aos  sete anos de idade  -  as células germinativas primordiais  iniciam a  espermatogênese .
Gametogênese (espermatogênese) Células germinativas (2n) Período germinativo Período de crescimento Período de maturação Período de diferenciação Espermatozóides Mitoses 2n Mitose 2n 2n Meiose n n n n n n n n n n 2n Crescimento sem divisão celular Espermatogônia Espermatócito I (2n) Espermatócitos II (n cromossomos duplicados) Espermátides   (n)
Portanto, cada espermatócito primário diplóide (2N) que participa da espermatogênese origina, ao final do processo, quatro espermatozóides haplóides. Isso justifica o grande número de espermatozóides encontrados no esperma, em cada ejaculação, com um número oscilante entre 300 a 500 milhões.
ESPERMATOZÓIDE   Espermatozóide é a célula reprodutora masculina formada por uma cabeça e uma cauda ou flagelo. A fecundação, principal objetivo do espermatozóide, ocorre no momento que esse entra no óvulo, formando o embrião. A cabeça forma o maior volume do espermatozóide, essa constitui o núcleo, onde se encontra o material genético.  Esse material faz com que as características do filho sejam semelhantes as do pai. A cauda ou flagelo proporciona ao espermatozóide a capacidade de locomoção.  Transformação do complexo de Golgi onde estão situados enzimas que irão digerir os envoltórios do ovócito II Rico em mitocôndrias
OVULOGÊNESE   Seqüência de eventos através dos quais as células germinativas primitivas, denominadas ovogônias se transformam em ovócitos maduros.  Tem início antes do nascimento e termina após a maturação sexual. Após o nascimento as ovogônias já se diferenciaram em ovócitos primários (cuja meiose está interrompida em prófase I), que são envolvidos por uma camada única de células epiteliais achatadas constituindo o folículo primordial .   Na puberdade, o ovócito cresce e as células foliculares tornam-se cubóides e depois colunares formando o folículo primário.  O ovócito passa a ser envolvido por uma camada de glicoproteínas chamado zona pelúcida.  Quando adquire mais uma camada de células foliculares passa a se chamar folículo secundário ou em maturação.
Gametogênese (ovulogênese) Células germinativas (2n) Meiose II ( só se completa se ocorre fecundação ) São formados eventualmente Período germinativo Período de crescimento Período de maturação Ovogônias (2n) 2n Crescimento  sem divisão celular Ovócito I (2n)  células que aumentam de tamanho Meiose I 2n Ovócito II  (n cromossomos duplicados) n Primeiro glóbulo polar ( n cromossomos duplicados) n n n glóbulos polares (n) n n Óvulo (n)
O QUE É OVULAÇÃO? Na fase de maturação, cada ovócito I (diplóide) dá, por meiose I (reducional) duas células haplóides: o ovócito II (secundário), relativamente grande, e o 1º glóbulo polar, de tamanho reduzido. A ovulação começa no início da puberdade, geralmente com a maturação de um folículo por  mês  retomando o processo que ocorreu antes do nascimento da menina .  É o amadurecimento do óvulo dentro do ovário. A mulher possui dois ovários e, a ovulação acontece normalmente em um dos ovários. Em condições especiais pode ocorrer a ovulação nos dois ovários ao mesmo tempo. Estima-se que a ovulação se dá no meio do ciclo
Portanto, cada ovócito I dará origem a um óvulo e a três glóbulos polares, geralmente estéreis.  Algumas vezes, o 1º glóbulo polar também se divide por meiose II. A ovótide se transforma em óvulo.  Logo a seguir, o ovócito II se divide por meiose, dando duas células também diferentes em tamanho: ovótide, bem desenvolvida, e o 2º glóbulo polar, muito menor.
MATURAÇÃO DO ÓVULO Os  ovários alternam-se na maturação dos seus folículos , ou seja, a cada ciclo menstrual, a liberação de um óvulo, ou ovulação, acontece em um dos dois ovários
O corpo lúteo aparece após a ovulação, permanecendo nos ovários durante 14 dias (fase luteínica) até degenerar Folículo portador do ovócito secundário, precedente à ovulação do mesmo. Folículo (anatomia) - um pequeno grupo esférico de células que delimita uma cavidade. .
O QUE É MENSTRUAÇÃO? é a descamação do útero . Mens  vem do grego e significa lua. Assim, a cada volta completa da lua, de mês em mês, temos o ciclo menstrual. Em geral a menstruação ocorre de 28 em 28 dias.
As glândulas mamárias começam a se desenvolver, a cintura afina, o quadril ganha forma, os pêlos pubianos e axilares cre scem.  Quando ocorre a primeira  menstruação? A primeira menstruação é chamada Menarca e inicia na puberdade, de 9 a 16 anos, em média aos 13 anos.
 
Os hormônios da hipófise (pituitária) produzem o FSH que estimula o amadurecimento dos folículos ovarianos e o LH que estimula a ovulação. Que hormônios promovem a menstruação? Mariel Hidalgo -  Porto Alegre/RS
 
O FSH faz crescer um folículo que contém o óvulo e secreta  estrógeno.
O LH age no folículo do ovário rompendo-o e liberando  o óvulo (ovócito II). O folículo se transforma em  Corpo Lúteo ou corpo-amarelo, que produz Progesterona.
Ovulação  é a liberação do óvulo do ovário para a tuba uterina
Com a produção de progesterona,  o endométrio cresce e posteriormente será eliminado.
De 3 a 5 dias ocorre o a descamação do Endométrio.
7ºdia ao 14º dia * * O VU L A Ç Ã O * * 22º dia
 
 
CICLO  OVULATÓRIO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
Gametogênese, Fecundação e Embriologia HumanaGametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
Gametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
3 biologia do-desenvolvimento_animal_comparado
3 biologia do-desenvolvimento_animal_comparado3 biologia do-desenvolvimento_animal_comparado
3 biologia do-desenvolvimento_animal_comparado
Beatriz COUTINHO
 
Trabalho de biologia 12º reprodução e manipulação da fertilidade
Trabalho de biologia 12º   reprodução e manipulação da fertilidadeTrabalho de biologia 12º   reprodução e manipulação da fertilidade
Trabalho de biologia 12º reprodução e manipulação da fertilidade
rui
 
5 -adolescencia_e_puberdade
5  -adolescencia_e_puberdade5  -adolescencia_e_puberdade
5 -adolescencia_e_puberdade
Joana Cunha
 
Embriogenese
EmbriogeneseEmbriogenese
Embriogenese
Jolealpp
 
Embriologia geral
Embriologia geralEmbriologia geral
Embriologia geral
alinesantana1422
 
Continuidade Da Vida
Continuidade Da VidaContinuidade Da Vida
Continuidade Da Vida
Nuno Correia
 
Introdução a embriologia aula oficial
Introdução a embriologia aula  oficialIntrodução a embriologia aula  oficial
Introdução a embriologia aula oficial
Daiane Costa
 
Embriologia valendo
Embriologia valendoEmbriologia valendo
Embriologia valendo
Péricles Penuel
 
Tipos de ovos e clivagem. pptx
Tipos de ovos e clivagem. pptxTipos de ovos e clivagem. pptx
Tipos de ovos e clivagem. pptx
Domenica Palomaris
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
Equipe Bio
 
Aula gametogênese, fertilização, segmentação
Aula gametogênese, fertilização, segmentaçãoAula gametogênese, fertilização, segmentação
Aula gametogênese, fertilização, segmentação
Pedro Lopes
 
29514984 introducao-a-embriologia
29514984 introducao-a-embriologia29514984 introducao-a-embriologia
29514984 introducao-a-embriologia
Maria Jaqueline Mesquita
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
denilsonbio
 
Introdução ao estudo de embriologia
Introdução ao estudo de embriologiaIntrodução ao estudo de embriologia
Introdução ao estudo de embriologia
Pedro Lopes
 
Biologia reproducao
Biologia reproducaoBiologia reproducao
Biologia reproducao
Joseane Pasini CB
 
Aula embriologia
Aula embriologiaAula embriologia
Aula embriologia
Vicente Medeiros
 
Reprodução e desenvolvimento dos animais
Reprodução e desenvolvimento dos animaisReprodução e desenvolvimento dos animais
Reprodução e desenvolvimento dos animais
Ivaristo Americo
 
Desenvolvimento embrionário dos animais 2
Desenvolvimento embrionário dos animais 2Desenvolvimento embrionário dos animais 2
Desenvolvimento embrionário dos animais 2
letyap
 
ReproduçãO Humana
ReproduçãO HumanaReproduçãO Humana
ReproduçãO Humana
António Machado
 

Mais procurados (20)

Gametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
Gametogênese, Fecundação e Embriologia HumanaGametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
Gametogênese, Fecundação e Embriologia Humana
 
3 biologia do-desenvolvimento_animal_comparado
3 biologia do-desenvolvimento_animal_comparado3 biologia do-desenvolvimento_animal_comparado
3 biologia do-desenvolvimento_animal_comparado
 
Trabalho de biologia 12º reprodução e manipulação da fertilidade
Trabalho de biologia 12º   reprodução e manipulação da fertilidadeTrabalho de biologia 12º   reprodução e manipulação da fertilidade
Trabalho de biologia 12º reprodução e manipulação da fertilidade
 
5 -adolescencia_e_puberdade
5  -adolescencia_e_puberdade5  -adolescencia_e_puberdade
5 -adolescencia_e_puberdade
 
Embriogenese
EmbriogeneseEmbriogenese
Embriogenese
 
Embriologia geral
Embriologia geralEmbriologia geral
Embriologia geral
 
Continuidade Da Vida
Continuidade Da VidaContinuidade Da Vida
Continuidade Da Vida
 
Introdução a embriologia aula oficial
Introdução a embriologia aula  oficialIntrodução a embriologia aula  oficial
Introdução a embriologia aula oficial
 
Embriologia valendo
Embriologia valendoEmbriologia valendo
Embriologia valendo
 
Tipos de ovos e clivagem. pptx
Tipos de ovos e clivagem. pptxTipos de ovos e clivagem. pptx
Tipos de ovos e clivagem. pptx
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Aula gametogênese, fertilização, segmentação
Aula gametogênese, fertilização, segmentaçãoAula gametogênese, fertilização, segmentação
Aula gametogênese, fertilização, segmentação
 
29514984 introducao-a-embriologia
29514984 introducao-a-embriologia29514984 introducao-a-embriologia
29514984 introducao-a-embriologia
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Introdução ao estudo de embriologia
Introdução ao estudo de embriologiaIntrodução ao estudo de embriologia
Introdução ao estudo de embriologia
 
Biologia reproducao
Biologia reproducaoBiologia reproducao
Biologia reproducao
 
Aula embriologia
Aula embriologiaAula embriologia
Aula embriologia
 
Reprodução e desenvolvimento dos animais
Reprodução e desenvolvimento dos animaisReprodução e desenvolvimento dos animais
Reprodução e desenvolvimento dos animais
 
Desenvolvimento embrionário dos animais 2
Desenvolvimento embrionário dos animais 2Desenvolvimento embrionário dos animais 2
Desenvolvimento embrionário dos animais 2
 
ReproduçãO Humana
ReproduçãO HumanaReproduçãO Humana
ReproduçãO Humana
 

Semelhante a Reprodução

Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humana
Claudia Leite
 
Biologia reproducao
Biologia reproducaoBiologia reproducao
Biologia reproducao
Marcos Elias
 
Ppoint.bio.reprodução
Ppoint.bio.reproduçãoPpoint.bio.reprodução
Ppoint.bio.reprodução
Albano Novaes
 
AULA 2, REPRODUÇÃO.pptx
AULA 2, REPRODUÇÃO.pptxAULA 2, REPRODUÇÃO.pptx
AULA 2, REPRODUÇÃO.pptx
EduardoFatdukbrGonal
 
Aula 3- ZG.pptx55555555555555675&6&&&&'-
Aula 3- ZG.pptx55555555555555675&6&&&&'-Aula 3- ZG.pptx55555555555555675&6&&&&'-
Aula 3- ZG.pptx55555555555555675&6&&&&'-
agrapacanatejuga
 
Aula de gametogenese
Aula de gametogeneseAula de gametogenese
Aula de gametogenese
Fatima Comiotto
 
UCM-FCS-Enfermagem-Palestra de Gametogenese-Filipe Gustavo, Enf..pptx
UCM-FCS-Enfermagem-Palestra de Gametogenese-Filipe Gustavo, Enf..pptxUCM-FCS-Enfermagem-Palestra de Gametogenese-Filipe Gustavo, Enf..pptx
UCM-FCS-Enfermagem-Palestra de Gametogenese-Filipe Gustavo, Enf..pptx
Filipe Francisco
 
Gametogenese
GametogeneseGametogenese
Gametogenese
Altair Hoepers
 
Reproduçao humana
Reproduçao humanaReproduçao humana
Reproduçao humana
Carla Gomes
 
Principios do desenvolvimento embrionário
Principios do desenvolvimento embrionárioPrincipios do desenvolvimento embrionário
Principios do desenvolvimento embrionário
bioemanuel
 
Embriologia básica
Embriologia básicaEmbriologia básica
Embriologia básica
Marco Antonio
 
Gametogênese
GametogêneseGametogênese
59212842 texto-fecundacao
59212842 texto-fecundacao59212842 texto-fecundacao
59212842 texto-fecundacao
Maria Jaqueline Mesquita
 
Desenen. embri
Desenen. embriDesenen. embri
Desenen. embri
Alisson pereira
 
segundo W Inglesh trablho Sifa.docx
segundo  W Inglesh trablho Sifa.docxsegundo  W Inglesh trablho Sifa.docx
segundo W Inglesh trablho Sifa.docx
abondio
 
Mapa conceitual embriologia
Mapa conceitual embriologiaMapa conceitual embriologia
Mapa conceitual embriologia
Alisson pereira
 
Sistema Reprodutor
Sistema ReprodutorSistema Reprodutor
Sistema Reprodutor
Évelin Souza
 
Gametogênese
GametogêneseGametogênese
Gametogênese
Carla Costa
 
Aula teórica 3 e 4 Gametogênese
Aula teórica 3 e 4 GametogêneseAula teórica 3 e 4 Gametogênese
Aula teórica 3 e 4 Gametogênese
orildo santos
 

Semelhante a Reprodução (20)

Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humana
 
Biologia reproducao
Biologia reproducaoBiologia reproducao
Biologia reproducao
 
Ppoint.bio.reprodução
Ppoint.bio.reproduçãoPpoint.bio.reprodução
Ppoint.bio.reprodução
 
AULA 2, REPRODUÇÃO.pptx
AULA 2, REPRODUÇÃO.pptxAULA 2, REPRODUÇÃO.pptx
AULA 2, REPRODUÇÃO.pptx
 
Aula 3- ZG.pptx55555555555555675&6&&&&'-
Aula 3- ZG.pptx55555555555555675&6&&&&'-Aula 3- ZG.pptx55555555555555675&6&&&&'-
Aula 3- ZG.pptx55555555555555675&6&&&&'-
 
Aula de gametogenese
Aula de gametogeneseAula de gametogenese
Aula de gametogenese
 
UCM-FCS-Enfermagem-Palestra de Gametogenese-Filipe Gustavo, Enf..pptx
UCM-FCS-Enfermagem-Palestra de Gametogenese-Filipe Gustavo, Enf..pptxUCM-FCS-Enfermagem-Palestra de Gametogenese-Filipe Gustavo, Enf..pptx
UCM-FCS-Enfermagem-Palestra de Gametogenese-Filipe Gustavo, Enf..pptx
 
Gametogenese
GametogeneseGametogenese
Gametogenese
 
Reproduçao humana
Reproduçao humanaReproduçao humana
Reproduçao humana
 
Principios do desenvolvimento embrionário
Principios do desenvolvimento embrionárioPrincipios do desenvolvimento embrionário
Principios do desenvolvimento embrionário
 
Embriologia básica
Embriologia básicaEmbriologia básica
Embriologia básica
 
Gametogênese
GametogêneseGametogênese
Gametogênese
 
59212842 texto-fecundacao
59212842 texto-fecundacao59212842 texto-fecundacao
59212842 texto-fecundacao
 
Desenen. embri
Desenen. embriDesenen. embri
Desenen. embri
 
segundo W Inglesh trablho Sifa.docx
segundo  W Inglesh trablho Sifa.docxsegundo  W Inglesh trablho Sifa.docx
segundo W Inglesh trablho Sifa.docx
 
Mapa conceitual embriologia
Mapa conceitual embriologiaMapa conceitual embriologia
Mapa conceitual embriologia
 
Sistema Reprodutor
Sistema ReprodutorSistema Reprodutor
Sistema Reprodutor
 
Gametogênese
GametogêneseGametogênese
Gametogênese
 
Aula teórica 3 e 4 Gametogênese
Aula teórica 3 e 4 GametogêneseAula teórica 3 e 4 Gametogênese
Aula teórica 3 e 4 Gametogênese
 

Mais de Daniela Silveira

Embriologia
Embriologia Embriologia
Embriologia
Daniela Silveira
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
Daniela Silveira
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
Daniela Silveira
 
Sistema reprodutor feminino
Sistema reprodutor femininoSistema reprodutor feminino
Sistema reprodutor feminino
Daniela Silveira
 
Sistema reprodutor masculino
Sistema reprodutor masculinoSistema reprodutor masculino
Sistema reprodutor masculino
Daniela Silveira
 
Estruturas Celulares
Estruturas CelularesEstruturas Celulares
Estruturas Celulares
Daniela Silveira
 
Organelas avaliação ii
Organelas   avaliação iiOrganelas   avaliação ii
Organelas avaliação ii
Daniela Silveira
 
Organelas avaliação II
Organelas   avaliação IIOrganelas   avaliação II
Organelas avaliação II
Daniela Silveira
 
Organelas avaliação ii
Organelas   avaliação iiOrganelas   avaliação ii
Organelas avaliação ii
Daniela Silveira
 
Organelas avaliação II
Organelas   avaliação IIOrganelas   avaliação II
Organelas avaliação II
Daniela Silveira
 
Eu Amo Aulas de Biologia
Eu Amo Aulas de BiologiaEu Amo Aulas de Biologia
Eu Amo Aulas de Biologia
Daniela Silveira
 

Mais de Daniela Silveira (11)

Embriologia
Embriologia Embriologia
Embriologia
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Sistema reprodutor feminino
Sistema reprodutor femininoSistema reprodutor feminino
Sistema reprodutor feminino
 
Sistema reprodutor masculino
Sistema reprodutor masculinoSistema reprodutor masculino
Sistema reprodutor masculino
 
Estruturas Celulares
Estruturas CelularesEstruturas Celulares
Estruturas Celulares
 
Organelas avaliação ii
Organelas   avaliação iiOrganelas   avaliação ii
Organelas avaliação ii
 
Organelas avaliação II
Organelas   avaliação IIOrganelas   avaliação II
Organelas avaliação II
 
Organelas avaliação ii
Organelas   avaliação iiOrganelas   avaliação ii
Organelas avaliação ii
 
Organelas avaliação II
Organelas   avaliação IIOrganelas   avaliação II
Organelas avaliação II
 
Eu Amo Aulas de Biologia
Eu Amo Aulas de BiologiaEu Amo Aulas de Biologia
Eu Amo Aulas de Biologia
 

Último

Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
sesiomzezao
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 

Último (20)

Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 

Reprodução

  • 2. O QUE É REPRODUÇÃO ? em biologia, refere-se à função através da qual os seres vivos produzem descendentes, dando continuidade à sua espécie
  • 3. FORMAS DE REPRODUÇÃO:                        Não há troca de gametas o corre com a participação de um único indivíduo dá origem a outros que são geneticamente idênticos não há troca de material genético não há variabilidade genética                            ASSEXUADA OU AGÂMICA
  • 4. DIVISÃO SIMPLES OU CISSIPARIDADE Ocorre em organismos unicelulares, onde um divisão simples pode dar origem a dois novos indivíduos com composição genética idênticas à célula mãe. São considerados organismos imortais. ameba Eucarionte unicelular em processo de bipartição ou divisão binária
  • 5. BROTAMENTO OU GEMIPARIDADE Nesta forma de reprodução um indivíduo adulto emite de seu corpo um "broto" que cresce e forma um novo organismo. Este novo indivíduo formado pode ou não desprender-se do indivíduo que lhe deu origem. Este tipo de reprodução ocorre em organismos que formam colônias, como em espongiários, e cnidários (corais) . hidra
  • 6. ESPORULAÇÃO Corresponde a formação de células para reprodução, as quais não necessitam realizar fecundação. Ex. Fungos, bactérias e protozoários. Fotografia de um Zigomycete, evidenciando os esporos
  • 7. REGENERAÇÃO Alguns animais possuem um extraordinário poder de regeneração. A planária, verme platelminto, pode ter sua cabeça cortada e mesmo assim não morrerá, pois a cabeça pode regenerar um corpo novo e vice vers a.
  • 8. Plasmodium , causador da malária . ESQUIZOGONIA Tipo de reprodução típica dos protozoários esporozoários; a célula sofre sucessivas divisões do seu núcleo, acompanhadas, depois, d e idêntico número de divisões no citoplasma. Ex. Plasmodium malariae
  • 9. Na reprodução sexuada há três características básicas: Produção de células haplóides por meiose (gametas) União de 2 células haplóides para formar um novo indivíduo diplóide. Formação de seres geneticamente diferente dos genitores. Do ponto de vista evolutivo, este tipo de reprodução pode aumentar a probabilidade de uma espécie sobreviver as modificações do meio ambiente (capacidade adaptativa). A união dos gametas (cariogamia) provoca novas combinações de cromossomos, no descendente, levando variações nas suas características aumentando a possibilidade de evolução de espécie . REPRODUÇÃO SEXUADA OU GÂMICA Ocorre com o envolvimento de gametas
  • 10. SERES VIVOS SEXO GÔNADAS GAMETAS Animais Masculino Testículo Espermatozóide Feminino Ovário  Óvulo Vegetais Masculino Anterídeo   Anterozóide feminino   Arquegônio Oosfera  
  • 11. METAGÊNESE OU ALTERNÂNCIA DE GERAÇÕES: é uma forma de reprodução encontrada nas briófitas, pteridófitas e nos celenterado/cnidários. Nesses organismos ocorre uma reprodução por via assexuada (não ocorre troca de gametas) e uma fase sexuada (ocorre troca de gametas).
  • 13. POLIOVULAÇÃO É a situação em que encontramos mais de uma cria em cada ninhada, cada uma originada por múltiplos óvulos fecundados por diferentes espermatozóides. A maioria dos mamíferos que gestam mais de um filhote apresentam-se com esse quadro, inclusive na espécie humana, quando nascem os gêmeos fraternos ou bivitelínicos
  • 14. POLIEMBRIONIA A fecundação ocorre em um único óvulo que parte-se posteriormente após as clivagens iniciais originando dois ou mais novos indivíduos . Ocorre sempre com o tatu e muito mais raramente na espécie humana, originando os gêmeos univitelínicos ou idênticos. Estes apresentarão sempre o mesmo sexo e o mesmo material genético (DNA).
  • 15. CICLOS DE VIDA DE SERES COM REPRODUÇÃO SEXUADA
  • 16. O QUE É GAMETOGÊNESE? Processo de formação dos gametas e ocorre nas gônadas masculinas e femininas No macho: nos testículos – espermatozóide (espermatogênese) Na fêmea: nos ovários – óvulos (ovulogênese)
  • 17. ESPERMATOGÊNESE É uma seqüência de eventos pelos quais as células germinativas primitivas se transformam em espermatozóides, tem início na puberdade (quando o organismo começa a secretar altos níveis de testosterona) e vai até a velhice. Na infância - os testículos do menino estão inativos com grande quantidade de células germinativas primordiais (2n). Aos sete anos de idade - as células germinativas primordiais iniciam a espermatogênese .
  • 18. Gametogênese (espermatogênese) Células germinativas (2n) Período germinativo Período de crescimento Período de maturação Período de diferenciação Espermatozóides Mitoses 2n Mitose 2n 2n Meiose n n n n n n n n n n 2n Crescimento sem divisão celular Espermatogônia Espermatócito I (2n) Espermatócitos II (n cromossomos duplicados) Espermátides (n)
  • 19. Portanto, cada espermatócito primário diplóide (2N) que participa da espermatogênese origina, ao final do processo, quatro espermatozóides haplóides. Isso justifica o grande número de espermatozóides encontrados no esperma, em cada ejaculação, com um número oscilante entre 300 a 500 milhões.
  • 20. ESPERMATOZÓIDE Espermatozóide é a célula reprodutora masculina formada por uma cabeça e uma cauda ou flagelo. A fecundação, principal objetivo do espermatozóide, ocorre no momento que esse entra no óvulo, formando o embrião. A cabeça forma o maior volume do espermatozóide, essa constitui o núcleo, onde se encontra o material genético. Esse material faz com que as características do filho sejam semelhantes as do pai. A cauda ou flagelo proporciona ao espermatozóide a capacidade de locomoção. Transformação do complexo de Golgi onde estão situados enzimas que irão digerir os envoltórios do ovócito II Rico em mitocôndrias
  • 21. OVULOGÊNESE Seqüência de eventos através dos quais as células germinativas primitivas, denominadas ovogônias se transformam em ovócitos maduros. Tem início antes do nascimento e termina após a maturação sexual. Após o nascimento as ovogônias já se diferenciaram em ovócitos primários (cuja meiose está interrompida em prófase I), que são envolvidos por uma camada única de células epiteliais achatadas constituindo o folículo primordial . Na puberdade, o ovócito cresce e as células foliculares tornam-se cubóides e depois colunares formando o folículo primário. O ovócito passa a ser envolvido por uma camada de glicoproteínas chamado zona pelúcida. Quando adquire mais uma camada de células foliculares passa a se chamar folículo secundário ou em maturação.
  • 22. Gametogênese (ovulogênese) Células germinativas (2n) Meiose II ( só se completa se ocorre fecundação ) São formados eventualmente Período germinativo Período de crescimento Período de maturação Ovogônias (2n) 2n Crescimento sem divisão celular Ovócito I (2n) células que aumentam de tamanho Meiose I 2n Ovócito II (n cromossomos duplicados) n Primeiro glóbulo polar ( n cromossomos duplicados) n n n glóbulos polares (n) n n Óvulo (n)
  • 23. O QUE É OVULAÇÃO? Na fase de maturação, cada ovócito I (diplóide) dá, por meiose I (reducional) duas células haplóides: o ovócito II (secundário), relativamente grande, e o 1º glóbulo polar, de tamanho reduzido. A ovulação começa no início da puberdade, geralmente com a maturação de um folículo por mês retomando o processo que ocorreu antes do nascimento da menina . É o amadurecimento do óvulo dentro do ovário. A mulher possui dois ovários e, a ovulação acontece normalmente em um dos ovários. Em condições especiais pode ocorrer a ovulação nos dois ovários ao mesmo tempo. Estima-se que a ovulação se dá no meio do ciclo
  • 24. Portanto, cada ovócito I dará origem a um óvulo e a três glóbulos polares, geralmente estéreis. Algumas vezes, o 1º glóbulo polar também se divide por meiose II. A ovótide se transforma em óvulo. Logo a seguir, o ovócito II se divide por meiose, dando duas células também diferentes em tamanho: ovótide, bem desenvolvida, e o 2º glóbulo polar, muito menor.
  • 25. MATURAÇÃO DO ÓVULO Os ovários alternam-se na maturação dos seus folículos , ou seja, a cada ciclo menstrual, a liberação de um óvulo, ou ovulação, acontece em um dos dois ovários
  • 26. O corpo lúteo aparece após a ovulação, permanecendo nos ovários durante 14 dias (fase luteínica) até degenerar Folículo portador do ovócito secundário, precedente à ovulação do mesmo. Folículo (anatomia) - um pequeno grupo esférico de células que delimita uma cavidade. .
  • 27. O QUE É MENSTRUAÇÃO? é a descamação do útero . Mens vem do grego e significa lua. Assim, a cada volta completa da lua, de mês em mês, temos o ciclo menstrual. Em geral a menstruação ocorre de 28 em 28 dias.
  • 28. As glândulas mamárias começam a se desenvolver, a cintura afina, o quadril ganha forma, os pêlos pubianos e axilares cre scem. Quando ocorre a primeira menstruação? A primeira menstruação é chamada Menarca e inicia na puberdade, de 9 a 16 anos, em média aos 13 anos.
  • 29.  
  • 30. Os hormônios da hipófise (pituitária) produzem o FSH que estimula o amadurecimento dos folículos ovarianos e o LH que estimula a ovulação. Que hormônios promovem a menstruação? Mariel Hidalgo - Porto Alegre/RS
  • 31.  
  • 32. O FSH faz crescer um folículo que contém o óvulo e secreta estrógeno.
  • 33. O LH age no folículo do ovário rompendo-o e liberando o óvulo (ovócito II). O folículo se transforma em Corpo Lúteo ou corpo-amarelo, que produz Progesterona.
  • 34. Ovulação é a liberação do óvulo do ovário para a tuba uterina
  • 35. Com a produção de progesterona, o endométrio cresce e posteriormente será eliminado.
  • 36. De 3 a 5 dias ocorre o a descamação do Endométrio.
  • 37. 7ºdia ao 14º dia * * O VU L A Ç Ã O * * 22º dia
  • 38.  
  • 39.