SlideShare uma empresa Scribd logo
GAMETOGÊNESE
Professora: Alana Martins
Vieira
GAMETOGÊNESE
• A REPRODUÇÃO SEXUADA SE
INICIA COM A FORMAÇÃO DOS
GAMETAS, PROCESSO
DENOMINADO
GAMETOGÊNESE.
Gametogênese
–Mecanismo de produção de gametas e
abrange:
•Espermatogênese – formação de
espermatozóide.
•Ovogênese – formação de óvulos.
• Meiose I – uma célula diploide origina
duas células haploides;
• Meiose II – cada uma das células
haploides divide-se originando, cada uma
delas, duas células haploides.
Então, na meiose (I e II), a partir de uma
célula diplóide formam-se quatro células
haploides.
7ª aula   gametogênese
ESPERMATOGÊNESE
• Ocorre nos tubos seminíferos,das paredes para
a luz de cada tubo.
Etapas da Espermatogênese
• Mitoses na fase de multiplicação que dura
a vida inteira.
• Fase de Crescimento sem divisões
celulares.
• Meiose somente na fase de maturação
que origina espermátides que se
transformarão em espermatozóides
• Espermiogênese
ESPERMATOGÊNESE:
• Na infância - os testículos do menino estão
inativos com grande quantidade de células
germinativas primordiais (2n).
• Aos sete anos de idade - as células
germinativas primordiais iniciam a
espermatogênese.
• Espermatogênese - É uma seqüência de
eventos pelos quais as células germinativas
primitivas se transformam em espermatozoides,
tem início na puberdade (quando o organismo
começa a secretar altos níveis de testosterona) e
vai até a velhice.
Espermatozóides são
formados e lançados no
espaço do tubos
Células em divisão
(mitose x meiose)
Testículo
Epidídimo
Tubos Seminíferos
Espermatócito
secundário
Espermatides
Espermatózóides
Espermatogônias
Espermatócito
primário
Gametogênese (espermatogênese)
Células germinativas (2n)
Período
germinativo
Período de
crescimento
Período de
maturação
Período de
diferenciação
Espermatozóides
Mitoses
2n
Mitose
2n 2n
Meiose
n n
nnnn
n n n n
2n
Crescimento
sem divisão
celular
Espermatogônia
Espermatócito I (2n)
Espermatócitos
II (n
cromossomos
duplicados)
Espermátides (n)
– ocorre divisões
mitóticas de espermatogônias;
– crescimento das
espermatogônias; no final dessa fase tem-
se os espermatócitos primários;
– conjunto de
processos envolvidos desde o início da
meiose no espermatócito primário até a
formação dos espermatozóides.
Portanto, cada espermatócito primário diplóide que
participa da espermatogênese origina, ao final do processo,
quatro espermatozóides haplóides. Isso justifica o grande
número de espermatozóides encontrados no esperma, em
cada ejaculação, com um número oscilante entre 300 a 500
milhões.
Durante a ejaculação os espermatozóides são
propelidos ao longo dos vasos deferentes e uretra e são
misturados com secreções provenientes das vesículas
seminais, próstata e glândulas bulbouretrais.
Dos milhões de espermatozóides que são depositados
na vagina, mas apenas algumas centenas atingirão as tubas
uterinas, onde podem manter a sua capacidade fertilizante
por até 3 dias.
OVULOGÊNESE
• Sequência de eventos através dos quais as células
germinativas primitivas, denominadas ovogônias se
transformam em ovócitos maduros. Tem início antes do
nascimento e termina após a maturação sexual.
• Após o nascimento as ovogônias já se diferenciaram
em ovócitos primários (cuja meiose está interrompida em
prófase I), que são envolvidos por uma camada única de
células epiteliais achatadas constituindo o folículo
primordial.
• Na puberdade, o ovócito cresce e as células
foliculares tornam-se cubóides e depois colunares
formando o folículo primário. O ovócito passa a ser
envolvido por uma camada de glicoproteínas chamado
zona pelúcida. Quando adquire mais uma camada de
células foliculares passa a se chamar folículo secundário
ou em maturação.
Gametogênese (ovulogênese)
Células germinativas (2n)
Meiose II (só se completa se ocorre fecundação)
São formados
eventualmente
Período
germinativo
Período de
crescimento
Período de
maturação
Ovogônias (2n)2n
Mitose
Ovogônias (2n)2n 2n
Crescimento
sem divisão
celular
Ovócito I (2n)
Meiose I
2n
Ovócito II (n
cromossomos
duplicados)
n
Primeiro glóbulo polar (n
cromossomos duplicados)n
n n glóbulos polares (n)n nÓvulo (n)
Tubas uterinas Ovidutos
Ovário
Ovário
Colo do útero
Vagina
Sitema reprodutor
feminino
Ovogênese
46Ovogônia
Ovócito secundário
1º glóbulos
polares
23Óvulo
2º glóbulos polares
Ovócito primário 2 x 46
23
Se degeneram
1º divisão meiótica
2º divisão meiótica
7ª aula   gametogênese
OVULAÇÃO
•A ovulação começa no início da puberdade,
geralmente com a maturação de um folículo por
mês retomando o processo que ocorreu antes do
nascimento da menina.
•A longa duração da primeira divisão meiótica,
até 45 anos, pode ser responsável pela frequência
relativamente alta de erros na meiose.
•A primeira divisão meiótica se completa um
pouco antes da ovulação, com a maturação do
folículo – a divisão de citoplasma é desigual.
•Na fase de maturação, cada ovócito I (diplóide)
dá, por meiose I (reducional) duas células
haplóides: o ovócito II (secundário), relativamente
grande, e o 1º glóbulo polar, de tamanho reduzido.
•Logo a seguir, o ovócito II se divide por meiose
II, dando duas células também diferentes em
tamanho: óvulo, bem desenvolvida, e o 2º glóbulo
polar, muito menor. Essa fase acontece caso venha
a ocorrer a fecundação. Algumas vezes, o 1º
glóbulo polar também se divide por meiose II.
•Portanto, cada ovócito I dará origem a um óvulo
e a três glóbulos polares, geralmente estéreis.
Diferenças
1. A espermatogênese é um processo contínuo,
enquanto a ovogênese está relacionada ao ciclo
reprodutivo da mulher;
2. Na espermatogênese, cada espermatogônia
produz 4 espermatozóides. Na ovogênese, cada
ovogônia dá origem a apenas um ovócito e células
inviáveis denominadas corpúsculos polares;
3. A produção de gametas masculinos é um
processo que se continua até a velhice, enquanto
que a produção de gametas femininos cessa com
a menopausa;
Diferenças
4.O espermatozóide é uma célula pequena e
móvel, enquanto que o ovócito é uma célula
grande e sem mobilidade;
5.Quanto à constituição cromossômica, existem
dois tipo de espermatozóides: 23,X ou 23,Y. A
mulher só produz um tipo de gameta quanto à
constituição cromossômica: 23,X.
•Obrigada pela
atenção!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Embriologia - Espermatogênese
Embriologia - EspermatogêneseEmbriologia - Espermatogênese
Embriologia - Espermatogênese
Julia Berardo
 
Gametogênese
GametogêneseGametogênese
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
Fabiano Reis
 
Embriogenese
EmbriogeneseEmbriogenese
Embriogenese
César Milani
 
Embriologia básica
Embriologia básicaEmbriologia básica
Embriologia básica
Marco Antonio
 
Embriologia
Embriologia Embriologia
Embriologia
Daniela Silveira
 
Embriologia slides
Embriologia  slidesEmbriologia  slides
Embriologia slides
Gabriel de Oliveira
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
Killer Max
 
Introdução a embriologia aula oficial
Introdução a embriologia aula  oficialIntrodução a embriologia aula  oficial
Introdução a embriologia aula oficial
Daiane Costa
 
Fecundação e Desenvolvimento Embrionário
Fecundação e Desenvolvimento EmbrionárioFecundação e Desenvolvimento Embrionário
Fecundação e Desenvolvimento Embrionário
marco :)
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
guest51ff04
 
Produção de gâmetas
Produção de gâmetasProdução de gâmetas
Produção de gâmetas
Tânia Reis
 
Aula sobre sistema reprodutor feminino e masculino
Aula sobre   sistema reprodutor feminino e masculinoAula sobre   sistema reprodutor feminino e masculino
Aula sobre sistema reprodutor feminino e masculino
Marcionedes De Souza
 
Embriogênese
EmbriogêneseEmbriogênese
Embriogênese
Gessica Sousa
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
Sofia Mendes
 
Tecidos do corpo humano
Tecidos do corpo humanoTecidos do corpo humano
Tecidos do corpo humano
Lilia Nascimento
 
Sistema Genital Masculino
Sistema Genital MasculinoSistema Genital Masculino
Sistema Genital Masculino
Marcia Regina
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
emanuel
 
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humana
Bio Sem Limites
 
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Bruno Djvan Ramos Barbosa
 

Mais procurados (20)

Embriologia - Espermatogênese
Embriologia - EspermatogêneseEmbriologia - Espermatogênese
Embriologia - Espermatogênese
 
Gametogênese
GametogêneseGametogênese
Gametogênese
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Embriogenese
EmbriogeneseEmbriogenese
Embriogenese
 
Embriologia básica
Embriologia básicaEmbriologia básica
Embriologia básica
 
Embriologia
Embriologia Embriologia
Embriologia
 
Embriologia slides
Embriologia  slidesEmbriologia  slides
Embriologia slides
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Introdução a embriologia aula oficial
Introdução a embriologia aula  oficialIntrodução a embriologia aula  oficial
Introdução a embriologia aula oficial
 
Fecundação e Desenvolvimento Embrionário
Fecundação e Desenvolvimento EmbrionárioFecundação e Desenvolvimento Embrionário
Fecundação e Desenvolvimento Embrionário
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Produção de gâmetas
Produção de gâmetasProdução de gâmetas
Produção de gâmetas
 
Aula sobre sistema reprodutor feminino e masculino
Aula sobre   sistema reprodutor feminino e masculinoAula sobre   sistema reprodutor feminino e masculino
Aula sobre sistema reprodutor feminino e masculino
 
Embriogênese
EmbriogêneseEmbriogênese
Embriogênese
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
 
Tecidos do corpo humano
Tecidos do corpo humanoTecidos do corpo humano
Tecidos do corpo humano
 
Sistema Genital Masculino
Sistema Genital MasculinoSistema Genital Masculino
Sistema Genital Masculino
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
 
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humana
 
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
 

Destaque

Gametogenese
GametogeneseGametogenese
Gametogenese
Marcia Moreira
 
Aula 01 Embriologia
Aula 01   EmbriologiaAula 01   Embriologia
Aula 01 Embriologia
Escola Arlinda Pessoa Morbeck
 
GametogêNese
GametogêNeseGametogêNese
Gametogenese
GametogeneseGametogenese
Gametogenese
Altair Hoepers
 
Gametogenese.ppt
Gametogenese.pptGametogenese.ppt
Gametogenese.ppt
Juarez Silva
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
Pedro Tavares
 
Embriologia animal
Embriologia animalEmbriologia animal
Embriologia animal
Thiago Benevides
 

Destaque (7)

Gametogenese
GametogeneseGametogenese
Gametogenese
 
Aula 01 Embriologia
Aula 01   EmbriologiaAula 01   Embriologia
Aula 01 Embriologia
 
GametogêNese
GametogêNeseGametogêNese
GametogêNese
 
Gametogenese
GametogeneseGametogenese
Gametogenese
 
Gametogenese.ppt
Gametogenese.pptGametogenese.ppt
Gametogenese.ppt
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Embriologia animal
Embriologia animalEmbriologia animal
Embriologia animal
 

Semelhante a 7ª aula gametogênese

Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
Ionara Urrutia Moura
 
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humana
Claudia Leite
 
Meiose
MeioseMeiose
UCM-FCS-Enfermagem-Palestra de Gametogenese-Filipe Gustavo, Enf..pptx
UCM-FCS-Enfermagem-Palestra de Gametogenese-Filipe Gustavo, Enf..pptxUCM-FCS-Enfermagem-Palestra de Gametogenese-Filipe Gustavo, Enf..pptx
UCM-FCS-Enfermagem-Palestra de Gametogenese-Filipe Gustavo, Enf..pptx
Filipe Francisco
 
Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
CotucaAmbiental
 
3°S _Aula 2_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2014
3°S _Aula 2_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 20143°S _Aula 2_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2014
3°S _Aula 2_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2014
Ionara Urrutia Moura
 
REPRODUÇÃO HUMANA.ppt
REPRODUÇÃO HUMANA.pptREPRODUÇÃO HUMANA.ppt
REPRODUÇÃO HUMANA.ppt
LussandraMarquez
 
Principios do desenvolvimento embrionário
Principios do desenvolvimento embrionárioPrincipios do desenvolvimento embrionário
Principios do desenvolvimento embrionário
bioemanuel
 
Alteracões na Puberdade
Alteracões na PuberdadeAlteracões na Puberdade
Alteracões na Puberdade
adriana.biologia
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
Reprodução Reprodução
Aula teórica 3 e 4 Gametogênese
Aula teórica 3 e 4 GametogêneseAula teórica 3 e 4 Gametogênese
Aula teórica 3 e 4 Gametogênese
orildo santos
 
Gametogênese, fecundação e nidação.pptx.pdf
Gametogênese, fecundação e nidação.pptx.pdfGametogênese, fecundação e nidação.pptx.pdf
Gametogênese, fecundação e nidação.pptx.pdf
Helena Flávia
 
Embrio Ia
Embrio IaEmbrio Ia
Embrio Ia
Natalianeto
 
Apostiladeembriologiaegenetica
ApostiladeembriologiaegeneticaApostiladeembriologiaegenetica
Apostiladeembriologiaegenetica
Daiane Costa
 
Ovogênese
OvogêneseOvogênese
Ovogênese
paulober
 
Gametogênese
GametogêneseGametogênese
Gametogênese
Carla Costa
 
Ovogenese2
Ovogenese2Ovogenese2
Ovogenese2
letyap
 
Ovogenese2[1]
Ovogenese2[1]Ovogenese2[1]
Ovogenese2[1]
Gaspar Neto
 
Reprodução humana neuza grupo 3
Reprodução humana  neuza  grupo 3Reprodução humana  neuza  grupo 3
Reprodução humana neuza grupo 3
Pratica Matemática
 

Semelhante a 7ª aula gametogênese (20)

Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
 
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humana
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
 
UCM-FCS-Enfermagem-Palestra de Gametogenese-Filipe Gustavo, Enf..pptx
UCM-FCS-Enfermagem-Palestra de Gametogenese-Filipe Gustavo, Enf..pptxUCM-FCS-Enfermagem-Palestra de Gametogenese-Filipe Gustavo, Enf..pptx
UCM-FCS-Enfermagem-Palestra de Gametogenese-Filipe Gustavo, Enf..pptx
 
Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
 
3°S _Aula 2_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2014
3°S _Aula 2_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 20143°S _Aula 2_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2014
3°S _Aula 2_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2014
 
REPRODUÇÃO HUMANA.ppt
REPRODUÇÃO HUMANA.pptREPRODUÇÃO HUMANA.ppt
REPRODUÇÃO HUMANA.ppt
 
Principios do desenvolvimento embrionário
Principios do desenvolvimento embrionárioPrincipios do desenvolvimento embrionário
Principios do desenvolvimento embrionário
 
Alteracões na Puberdade
Alteracões na PuberdadeAlteracões na Puberdade
Alteracões na Puberdade
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Reprodução
Reprodução Reprodução
Reprodução
 
Aula teórica 3 e 4 Gametogênese
Aula teórica 3 e 4 GametogêneseAula teórica 3 e 4 Gametogênese
Aula teórica 3 e 4 Gametogênese
 
Gametogênese, fecundação e nidação.pptx.pdf
Gametogênese, fecundação e nidação.pptx.pdfGametogênese, fecundação e nidação.pptx.pdf
Gametogênese, fecundação e nidação.pptx.pdf
 
Embrio Ia
Embrio IaEmbrio Ia
Embrio Ia
 
Apostiladeembriologiaegenetica
ApostiladeembriologiaegeneticaApostiladeembriologiaegenetica
Apostiladeembriologiaegenetica
 
Ovogênese
OvogêneseOvogênese
Ovogênese
 
Gametogênese
GametogêneseGametogênese
Gametogênese
 
Ovogenese2
Ovogenese2Ovogenese2
Ovogenese2
 
Ovogenese2[1]
Ovogenese2[1]Ovogenese2[1]
Ovogenese2[1]
 
Reprodução humana neuza grupo 3
Reprodução humana  neuza  grupo 3Reprodução humana  neuza  grupo 3
Reprodução humana neuza grupo 3
 

Mais de preuniversitarioitab

3ª Aula de Biologia
3ª Aula de Biologia3ª Aula de Biologia
3ª Aula de Biologia
preuniversitarioitab
 
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
preuniversitarioitab
 
1ª aula investigação cientifica
1ª aula investigação cientifica1ª aula investigação cientifica
1ª aula investigação cientifica
preuniversitarioitab
 
1 ¦ aula investiga+º+úo cientifica
1 ¦ aula investiga+º+úo cientifica1 ¦ aula investiga+º+úo cientifica
1 ¦ aula investiga+º+úo cientifica
preuniversitarioitab
 
Informações sobre o ENEM 2013
Informações sobre o ENEM 2013Informações sobre o ENEM 2013
Informações sobre o ENEM 2013
preuniversitarioitab
 
Ideia exposição sisu_2013
Ideia exposição sisu_2013Ideia exposição sisu_2013
Ideia exposição sisu_2013
preuniversitarioitab
 
Gabarito 2º Simulado 1ª Parte
Gabarito 2º Simulado 1ª ParteGabarito 2º Simulado 1ª Parte
Gabarito 2º Simulado 1ª Parte
preuniversitarioitab
 
8ª aula embriologia 2
8ª aula   embriologia 28ª aula   embriologia 2
8ª aula embriologia 2
preuniversitarioitab
 
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
preuniversitarioitab
 
5 ¦ aula - +ücido nucl+®ico
5 ¦ aula - +ücido nucl+®ico5 ¦ aula - +ücido nucl+®ico
5 ¦ aula - +ücido nucl+®ico
preuniversitarioitab
 
4 ¬ aula - niveis de organiza+º+úo dos sers vivos
4 ¬ aula - niveis de organiza+º+úo dos sers vivos4 ¬ aula - niveis de organiza+º+úo dos sers vivos
4 ¬ aula - niveis de organiza+º+úo dos sers vivos
preuniversitarioitab
 
Pre (função 1º_e_2º_grau)_pdf
Pre (função 1º_e_2º_grau)_pdfPre (função 1º_e_2º_grau)_pdf
Pre (função 1º_e_2º_grau)_pdf
preuniversitarioitab
 
4ª aula - niveis de organização dos seres vivos
4ª aula - niveis de organização dos seres vivos4ª aula - niveis de organização dos seres vivos
4ª aula - niveis de organização dos seres vivos
preuniversitarioitab
 
3ª aula - bioquimica celular
3ª aula - bioquimica celular3ª aula - bioquimica celular
3ª aula - bioquimica celular
preuniversitarioitab
 
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
preuniversitarioitab
 
1ª aula 2013 - Investigação Científica
1ª aula 2013 - Investigação Científica1ª aula 2013 - Investigação Científica
1ª aula 2013 - Investigação Científica
preuniversitarioitab
 
1 ¬ aula 2013 - investiga+º+úo cientifica
1 ¬ aula 2013 - investiga+º+úo cientifica1 ¬ aula 2013 - investiga+º+úo cientifica
1 ¬ aula 2013 - investiga+º+úo cientifica
preuniversitarioitab
 
Teoria Literária
Teoria LiteráriaTeoria Literária
Teoria Literária
preuniversitarioitab
 
3.1
3.13.1
Enem
EnemEnem

Mais de preuniversitarioitab (20)

3ª Aula de Biologia
3ª Aula de Biologia3ª Aula de Biologia
3ª Aula de Biologia
 
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
 
1ª aula investigação cientifica
1ª aula investigação cientifica1ª aula investigação cientifica
1ª aula investigação cientifica
 
1 ¦ aula investiga+º+úo cientifica
1 ¦ aula investiga+º+úo cientifica1 ¦ aula investiga+º+úo cientifica
1 ¦ aula investiga+º+úo cientifica
 
Informações sobre o ENEM 2013
Informações sobre o ENEM 2013Informações sobre o ENEM 2013
Informações sobre o ENEM 2013
 
Ideia exposição sisu_2013
Ideia exposição sisu_2013Ideia exposição sisu_2013
Ideia exposição sisu_2013
 
Gabarito 2º Simulado 1ª Parte
Gabarito 2º Simulado 1ª ParteGabarito 2º Simulado 1ª Parte
Gabarito 2º Simulado 1ª Parte
 
8ª aula embriologia 2
8ª aula   embriologia 28ª aula   embriologia 2
8ª aula embriologia 2
 
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
 
5 ¦ aula - +ücido nucl+®ico
5 ¦ aula - +ücido nucl+®ico5 ¦ aula - +ücido nucl+®ico
5 ¦ aula - +ücido nucl+®ico
 
4 ¬ aula - niveis de organiza+º+úo dos sers vivos
4 ¬ aula - niveis de organiza+º+úo dos sers vivos4 ¬ aula - niveis de organiza+º+úo dos sers vivos
4 ¬ aula - niveis de organiza+º+úo dos sers vivos
 
Pre (função 1º_e_2º_grau)_pdf
Pre (função 1º_e_2º_grau)_pdfPre (função 1º_e_2º_grau)_pdf
Pre (função 1º_e_2º_grau)_pdf
 
4ª aula - niveis de organização dos seres vivos
4ª aula - niveis de organização dos seres vivos4ª aula - niveis de organização dos seres vivos
4ª aula - niveis de organização dos seres vivos
 
3ª aula - bioquimica celular
3ª aula - bioquimica celular3ª aula - bioquimica celular
3ª aula - bioquimica celular
 
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
2ª aula - caracteristicas dos seres vivos
 
1ª aula 2013 - Investigação Científica
1ª aula 2013 - Investigação Científica1ª aula 2013 - Investigação Científica
1ª aula 2013 - Investigação Científica
 
1 ¬ aula 2013 - investiga+º+úo cientifica
1 ¬ aula 2013 - investiga+º+úo cientifica1 ¬ aula 2013 - investiga+º+úo cientifica
1 ¬ aula 2013 - investiga+º+úo cientifica
 
Teoria Literária
Teoria LiteráriaTeoria Literária
Teoria Literária
 
3.1
3.13.1
3.1
 
Enem
EnemEnem
Enem
 

Último

Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Falcão Brasil
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 

Último (20)

Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 

7ª aula gametogênese

  • 2. GAMETOGÊNESE • A REPRODUÇÃO SEXUADA SE INICIA COM A FORMAÇÃO DOS GAMETAS, PROCESSO DENOMINADO GAMETOGÊNESE.
  • 3. Gametogênese –Mecanismo de produção de gametas e abrange: •Espermatogênese – formação de espermatozóide. •Ovogênese – formação de óvulos.
  • 4. • Meiose I – uma célula diploide origina duas células haploides; • Meiose II – cada uma das células haploides divide-se originando, cada uma delas, duas células haploides. Então, na meiose (I e II), a partir de uma célula diplóide formam-se quatro células haploides.
  • 6. ESPERMATOGÊNESE • Ocorre nos tubos seminíferos,das paredes para a luz de cada tubo.
  • 7. Etapas da Espermatogênese • Mitoses na fase de multiplicação que dura a vida inteira. • Fase de Crescimento sem divisões celulares. • Meiose somente na fase de maturação que origina espermátides que se transformarão em espermatozóides • Espermiogênese
  • 8. ESPERMATOGÊNESE: • Na infância - os testículos do menino estão inativos com grande quantidade de células germinativas primordiais (2n). • Aos sete anos de idade - as células germinativas primordiais iniciam a espermatogênese. • Espermatogênese - É uma seqüência de eventos pelos quais as células germinativas primitivas se transformam em espermatozoides, tem início na puberdade (quando o organismo começa a secretar altos níveis de testosterona) e vai até a velhice.
  • 9. Espermatozóides são formados e lançados no espaço do tubos Células em divisão (mitose x meiose) Testículo Epidídimo Tubos Seminíferos
  • 11. Gametogênese (espermatogênese) Células germinativas (2n) Período germinativo Período de crescimento Período de maturação Período de diferenciação Espermatozóides Mitoses 2n Mitose 2n 2n Meiose n n nnnn n n n n 2n Crescimento sem divisão celular Espermatogônia Espermatócito I (2n) Espermatócitos II (n cromossomos duplicados) Espermátides (n)
  • 12. – ocorre divisões mitóticas de espermatogônias; – crescimento das espermatogônias; no final dessa fase tem- se os espermatócitos primários; – conjunto de processos envolvidos desde o início da meiose no espermatócito primário até a formação dos espermatozóides.
  • 13. Portanto, cada espermatócito primário diplóide que participa da espermatogênese origina, ao final do processo, quatro espermatozóides haplóides. Isso justifica o grande número de espermatozóides encontrados no esperma, em cada ejaculação, com um número oscilante entre 300 a 500 milhões. Durante a ejaculação os espermatozóides são propelidos ao longo dos vasos deferentes e uretra e são misturados com secreções provenientes das vesículas seminais, próstata e glândulas bulbouretrais. Dos milhões de espermatozóides que são depositados na vagina, mas apenas algumas centenas atingirão as tubas uterinas, onde podem manter a sua capacidade fertilizante por até 3 dias.
  • 14. OVULOGÊNESE • Sequência de eventos através dos quais as células germinativas primitivas, denominadas ovogônias se transformam em ovócitos maduros. Tem início antes do nascimento e termina após a maturação sexual. • Após o nascimento as ovogônias já se diferenciaram em ovócitos primários (cuja meiose está interrompida em prófase I), que são envolvidos por uma camada única de células epiteliais achatadas constituindo o folículo primordial. • Na puberdade, o ovócito cresce e as células foliculares tornam-se cubóides e depois colunares formando o folículo primário. O ovócito passa a ser envolvido por uma camada de glicoproteínas chamado zona pelúcida. Quando adquire mais uma camada de células foliculares passa a se chamar folículo secundário ou em maturação.
  • 15. Gametogênese (ovulogênese) Células germinativas (2n) Meiose II (só se completa se ocorre fecundação) São formados eventualmente Período germinativo Período de crescimento Período de maturação Ovogônias (2n)2n Mitose Ovogônias (2n)2n 2n Crescimento sem divisão celular Ovócito I (2n) Meiose I 2n Ovócito II (n cromossomos duplicados) n Primeiro glóbulo polar (n cromossomos duplicados)n n n glóbulos polares (n)n nÓvulo (n)
  • 16. Tubas uterinas Ovidutos Ovário Ovário Colo do útero Vagina Sitema reprodutor feminino
  • 17. Ovogênese 46Ovogônia Ovócito secundário 1º glóbulos polares 23Óvulo 2º glóbulos polares Ovócito primário 2 x 46 23 Se degeneram 1º divisão meiótica 2º divisão meiótica
  • 19. OVULAÇÃO •A ovulação começa no início da puberdade, geralmente com a maturação de um folículo por mês retomando o processo que ocorreu antes do nascimento da menina. •A longa duração da primeira divisão meiótica, até 45 anos, pode ser responsável pela frequência relativamente alta de erros na meiose. •A primeira divisão meiótica se completa um pouco antes da ovulação, com a maturação do folículo – a divisão de citoplasma é desigual.
  • 20. •Na fase de maturação, cada ovócito I (diplóide) dá, por meiose I (reducional) duas células haplóides: o ovócito II (secundário), relativamente grande, e o 1º glóbulo polar, de tamanho reduzido. •Logo a seguir, o ovócito II se divide por meiose II, dando duas células também diferentes em tamanho: óvulo, bem desenvolvida, e o 2º glóbulo polar, muito menor. Essa fase acontece caso venha a ocorrer a fecundação. Algumas vezes, o 1º glóbulo polar também se divide por meiose II. •Portanto, cada ovócito I dará origem a um óvulo e a três glóbulos polares, geralmente estéreis.
  • 21. Diferenças 1. A espermatogênese é um processo contínuo, enquanto a ovogênese está relacionada ao ciclo reprodutivo da mulher; 2. Na espermatogênese, cada espermatogônia produz 4 espermatozóides. Na ovogênese, cada ovogônia dá origem a apenas um ovócito e células inviáveis denominadas corpúsculos polares; 3. A produção de gametas masculinos é um processo que se continua até a velhice, enquanto que a produção de gametas femininos cessa com a menopausa;
  • 22. Diferenças 4.O espermatozóide é uma célula pequena e móvel, enquanto que o ovócito é uma célula grande e sem mobilidade; 5.Quanto à constituição cromossômica, existem dois tipo de espermatozóides: 23,X ou 23,Y. A mulher só produz um tipo de gameta quanto à constituição cromossômica: 23,X.