SlideShare uma empresa Scribd logo
Demonstrações Contábeis:
Balanço Patrimonial
PROF. DR. BRUNO FIGLIOLI
2020
Demonstrações Contábeis
Demonstrações Principais
◦ Balanço Patrimonial (BP):
 Relata a situação patrimonial e financeira da empresa, na
data-base de encerramento do exercício social.
◦ Demonstração de Resultado do Exercício (DRE):
Mostra quanto a empresa ganhou (lucrou) ou perdeu
(prejuízo) durante o exercício social.
◦ Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC):
Relata os pagamentos e recebimentos ocorridos durante o
exercício social.
Classificados em atividades operacionais, de investimento e
de financiamento da empresa.
2
3
RECEITAS LÍQUIDAS
(-) CPV/CSP/CMV
= RESULTADO BRUTO
(-) DESPESAS OPERACIONAIS
= RESULTADO OPERACIONAL
(+/-) RESULTADO NÃO OPERACIONAL
= RESULTADO ANTES DE IR E CONTRIB
SOCIAL
(-) IR E CONTRIB SOCIAL
= RESULTADO LÍQUIDO
SALDO INICIAL DE CAIXA
FLUXO DE CAIXA OPERACIONAL
FLUXO DE CAIXA DE INVESTIMENTO
FLUXO DE CAIXA DE FINANCIAMENTO
SALDO FINAL DE CAIXA
Obrigatoriedade das Demonstrações
Contábeis
Relatórios que deverão ser publicados anualmente (SA):
◦ Balanço Patrimonial (BP);
◦ Demonstração de Resultado do Exercício (DRE);
◦ Demonstração de Fluxos de Caixa (DFlCx);
◦ Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (sociedades
anônimas de capital aberto) ou Demonstração de Lucros ou Prejuízos
Acumulados (sociedades anônimas de capital fechado);
◦ Notas Explicativas e Relatórios da Administração;
◦ Sociedades Anônimas de capital aberto devem apresentar
também:
◦ Demonstração do Valor Adicionado (DVA);
◦ Parecer de Auditores Independentes;
◦ DFs consolidadas;
◦ DFs trimestrais (requisito da CVM).
4
Obrigatoriedade das Demonstrações
Contábeis: outras definições
Empresas de Grande Porte
DEFINIÇÃO: Ativo ≥ R$240 milhões ou Receita ≥ R$300
milhões.
OBRIGATORIEDADE: escrituração, elaboração e publicação
das DFs no mesmo padrão que as SAs, com parecer de auditores
independentes.
Empresas de Pequeno e Médio Porte
DEFINIÇÃO: Ativo ≤ R$240 milhões ou Receita ≤ R$300
milhões (este grupo inclui SAs fechadas não definidas como
grande porte).
OBRIGATORIEDADE: desde que não tenham obrigação pública
de prestação de contas, devem elaborar BP, DRE e DLPAc.
5
Balanço Patrimonial
6
Reflete a posição financeira da empresa em um determinado
momento.
Os valores à esquerda indicam os bens e direitos da
empresa, expressos em moeda. Compõem o Ativo.
Os valores à direita indicam as fontes de recursos,
formam o Passivo (Exigível) + Patrimônio Líquido (PL).
BALANÇO PATRIMONIAL
CAPITAL
PRÓPRIO (PL)
PASSIVO e PL
CAPITAL DE
TERCEIROS (Exigível)
BENS E
DIREITOS
ATIVO
O Ativo é sempre igual à soma do Passivo e do PL.
Balanço Patrimonial
Ativo
Conjunto de recursos (bens e direitos) mensuráveis em dinheiro que são
controlados pela entidade, decorrentes de eventos passados e que
representam benéficos econômicos presentes ou futuros para a entidade.
Passivo
Um passivo é um dever ou obrigação presente, promessa de pagamento devida
em algum momento determinado no futuro, que pode ser estimada com razoável
grau de precisão e que está sob a responsabilidade completa da companhia.
Como é devida, não inclui o capital próprio.
Patrimônio Líquido
Patrimônio Líquido é o que sobra para os sócios, depois de atendidas as demandas
das outras fontes de financiamento.
7
8
Listagem
Bens e
direitos
Controle
da
empresa
Mensuração
Monetária
Objetiva
Benefícios
Presentes e
Futuros
Conclusão
Duas máquinas
em perfeito
estado
X X X X É Ativo
Uma máquina
destruída
X X X - Não é Ativo
Estoques X X X X É ativo
Marca X X - X
É ativo, mas
não há valor
objetivo
Veículos
(leasing
financeiro)
X X X X É ativo
Balanço Patrimonial: fontes e aplicações
de recursos
◦ ATIVO = PASSIVO EXIGÍVEL + PATRIMÔNIO LÍQUIDO
◦ Isso ocorre porque todo o dinheiro investido nos ativos foi
financiado pelos sócios (patrimônio líquido) ou por algum
instrumento que gerou obrigações (passivo).
9
Bens e direitos
Fontes de
recursos utilizados
para a aquisição
de bens e
direitos
Principais Decisões Empresariais
◦ DECISÃO DE INVESTIMENTO
◦ Em que investir?
◦ DECISÃO DE FINANCIAMENTO
◦ Como financiar o investimento?
◦ DECISÃO DE DIVIDENDOS
◦ Como e em qual valor remunerar os sócios?
◦ GESTÃO DAS CONTAS CIRCULANTES
◦ Qual política de crédito adotar?
◦ Quanto manter em estoque?
◦ Pagar fornecedores à vista ou a prazo?
10
Investimentos Origem dos recursos
Organização do Balanço Patrimonial
11
CIRCULANTE
NÃO CIRCULANTE
Realizável a LP
Investimentos
Imobilizado
Intangível
CIRCULANTE
PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Capital
Reservas de Capital
Reservas de Lucro
Ajustes de Avaliação
Patrimonial
NÃO CIRCULANTE
PASSIVO e PL
Ativo
Organização do Ativo Circulante
12
• O Ativo é organizado por ordem
decrescente de liquidez.
• ATIVO CIRCULANTE: compõem o
ativo circulante bens ou direitos que
provavelmente se transformarão
em dinheiro ou serão consumidos
num período inferior a um ano (ou
ao ciclo operacional da empresa).
ATIVO
CIRCULANTE
Caixa
Aplicações
Financeiras
Contas a receber
Estoques
Organização do Ativo Não Circulante
13
• ATIVO NÃO CIRCULANTE: contém 4 subcontas:
• O Realizável a Longo Prazo contém bens ou
direitos que se espera que se transformem em
dinheiro num período superior a um ano (ou ao
ciclo operacional da empresa).
• Em Investimentos estão bens ou direitos não
essenciais à atividade operacional da empresa.
• O Imobilizado contém bens que compõem a
infraestrutura necessária para a operação da
empresa.
• No ativo Intangível estão os ativos incorpóreos
adquiridos.
• As subcontas Investimentos, Imobilizado e
Intangível.
ATIVO
NÃO CIRCULANTE
Realizável a LP
Investimentos
Imobilizado
Intangível
Organização do Passivo
14
• O Passivo é organizado por ordem
decrescente de prazo de
exigibilidade:
• em primeiro lugar, as contas que
vão vencer mais rapidamente;
• seguidas pelas que têm vencimento
em mais longo prazo; e
• por fim, as não exigíveis, o
patrimônio líquido
CIRCULANTE
PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Capital
Reservas
NÃO CIRCULANTE
Composição do Passivo
• PASSIVO CIRCULANTE: compõem o
passivo circulante as obrigações que
terão que ser pagas em um período
inferior a um ano.
• PASSIVO NÃO CIRCULANTE: contém
as obrigações que deverão ser pagas
em período superior a um ano.
• PATRIMÔNIO LÍQUIDO: recursos dos
proprietários aplicados na empresa,
diretamente (capital social) ou
indiretamente (lucro retido).
15
CIRCULANTE
PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Capital
Reservas
NÃO CIRCULANTE
Patrimônio Líquido
•A Lei das Sociedades por Ações denomina de Passivo
todo o lado direito do Balanço Patrimonial. Dessa forma,
o Patrimônio Líquido estaria incluído na denominação
Passivo. Porém, as Normas Brasileiras de
Contabilidade tratam o lado direito como Passivo e
Patrimônio Líquido.
•O Patrimônio Líquido é uma obrigação da empresa com
os seus proprietários. Todavia, é uma obrigação,
geralmente, não exigível, isto é, os proprietários não
exigem da empresa o reembolso de sua aplicação, pois
têm um interesse de continuidade da empresa.
16
17
Balanço Patrimonial
• PASSIVO CIRCULANTE (menos de um
ano)
• Funcionários a Pagar
• Fornecedores a Pagar
• Imposto de Renda a Pagar
• Empréstimos a Curto Prazo
• Financiamento a Curto Prazo
• PASSIVO NÃO CIRCULANTE (mais de um
ano)
• Empréstimos a Longo Prazo
• Financiamento a Longo Prazo
• PATRIMÔNIO LÍQUIDO
• Capital Social
• Reservas
• ATIVO CIRCULANTE (menos de
um ano)
• Caixa
• Aplicações Financeiras
• Contas a Receber
• Estoques
• ATIVO NÃO CIRCULANTE
• Realizável a Longo Prazo (mais de
um ano)
• Duplicatas a Receber
• Investimentos (permanente)
• Ações de empresas ligadas ou
controladas
• Imóveis para investimento
• Imobilizado (permanente)
• Imóveis, equipamentos, terrenos
• Intangível (permanente)
• Marcas, patentes, royalties
ATIVO PASSIVO e PL
Curto versus longo prazo
Curto prazo será um ano ou o tempo do Ciclo Operacional,
valendo aquele que for maior. Entende-se por Longo Prazo
períodos superiores a um ano, ou superior ao Ciclo Operacional
da empresa quando este for maior que um ano.
Exemplo: no caso em que o ciclo operacional de uma
determinada empresa for de 18 meses, tudo o que será realizado
em dinheiro até essa data é CURTO PRAZO (Circulante) e após
os 18 meses será Longo Prazo.
Há certos direitos a receber que, mesmo pressupondo-se
recebimento a CURTO PRAZO, devem ser classificados no
Realizável a Longo Prazo. É o caso de empréstimos a diretores
ou a empresas coligadas.
18
Ciclos: Operacional, Econômico e
Financeiro
19
Algumas das principais deduções do
Ativo e Patrimônio Líquido
Ativo Circulante
 Duplicatas a receber: a parcela estimada pela empresa que não será recebida
em decorrência dos maus pagadores deverá ser subtraída de Duplicatas a
Receber, com o título de Provisão para Devedores Duvidosos.
Ativo Não Circulante
 Imobilizado: os bens, com o passar do tempo, pelo uso, vão sofrendo
deterioração física ou tecnológica. Dessa forma, os bens vão perdendo sua
eficiência funcional. Essa perda vai sendo acumulada, de forma aproximada,
na conta Depreciação Acumulada, que subtrairá o Imobilizado.
 Intangível: a perda (parcial ou total) da capacidade dos gastos classificados no
Intangível em trazer benefícios futuros para a empresa vai sendo acumulada,
de forma aproximada, na conta Amortização Acumulada, que subtrairá o
Intangível.
Patrimônio Líquido
 Entre as principais deduções do Patrimônio Líquido, podemos destacar, aqui,
os Prejuízos Acumulados.
20
Depreciação Acumulada
Considere que a Cia. X é aberta em 01/01/X1 com um capital social de $
500.000,00. Logo em seguida a Cia X adquire um veículo no valor de R$
50.000,00. Tal veículo possui uma vida útil estimada de 5 anos e valor
residual desprezível. A situação patrimonial da Cia. X em 31/12/X1 pode
ser observada abaixo:
21
Ativo R$ Passivo R$
Ativo Circulante Passivo Circulante -
Bancos 450.000,00 Passivo Não Circulante -
Ativo Não Circulante
Imobilizado Patrimônio Líquido
Veículo 50.000,00 Capital social 500.000,00
(-) Depreciação Acumulada 10.000,00 Perda de valor do veículo 10.000,00
Imobilizado Líquido 40.000,00 Total Patrimônio líquido 490.000,00
Total do Ativo 490.000,00 Total do Passivo e PL 490.000,00
Requisitos do Balanço Patrimonial
O Balanço Patrimonial é composto de um cabeçalho que conterá:
•A denominação da empresa
•Título da Demonstração (Balanço Patrimonial)
•Data de encerramento do Balanço.
A Lei das Sociedades por Ações dispõe que as demonstrações
serão publicadas com a indicação dos valores do exercício anterior.
Portanto, o Balanço Patrimonial, bem como todas as Demonstrações
Financeiras, serão apresentadas em duas colunas: Exercício Atual e
Exercício Anterior.
A legislação mencionada também dispõe que as Demonstrações
Financeiras podem ser publicadas com a eliminação de dígitos. Por
exemplo se tivermos números como $ 9.548.541, podemos eliminar os
três últimos dígitos (541) e ficar com $ 9.548, desde que coloquemos, no
cabeçalho das demonstrações a expressão em $ milhares (ou em $ mil)
22
Balanço Patrimonial: Valor de Mercado e
Valor Contábil
23
Valor de mercado reflete expectativas futuras. O objetivo
em Finanças é maximizar o valor de mercado.
Mas a contabilidade tem uma visão retrospectiva,
reportando até o momento presente, portanto o valor de
mercado é diferente do contábil...

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Relatórios Contábeis.pptx

Custos processosoperaçõescontabeiscpoc
Custos processosoperaçõescontabeiscpocCustos processosoperaçõescontabeiscpoc
Custos processosoperaçõescontabeiscpoc
Geraldo Luis Araujo
 
Resumo Básico de Contabilidade Básica
Resumo Básico de Contabilidade BásicaResumo Básico de Contabilidade Básica
Resumo Básico de Contabilidade Básica
eadrede
 
ade1770bd6443f94b94f090fe3685194.pdf
ade1770bd6443f94b94f090fe3685194.pdfade1770bd6443f94b94f090fe3685194.pdf
ade1770bd6443f94b94f090fe3685194.pdf
RosanaValeria4
 
Contabilidade Básica
Contabilidade BásicaContabilidade Básica
Contabilidade Básica
André Faria Gomes
 
Principios contabeis
Principios contabeisPrincipios contabeis
Principios contabeis
Ernani Nascimento
 
Módulo 1 Contabilidade Gerencial
 Módulo 1   Contabilidade Gerencial Módulo 1   Contabilidade Gerencial
Módulo 1 Contabilidade Gerencial
PUC Minas
 
Plano de contas contabil
Plano de contas contabilPlano de contas contabil
Plano de contas contabil
simuladocontabil
 
Aula 04 auxiliar de contabilidade
Aula 04 auxiliar de contabilidadeAula 04 auxiliar de contabilidade
Aula 04 auxiliar de contabilidade
Homero Alves de Lima
 
Contabilidade dicionario de-termos-contabeis
Contabilidade dicionario de-termos-contabeisContabilidade dicionario de-termos-contabeis
Contabilidade dicionario de-termos-contabeis
Jessica Gomes
 
Aula 7. balanço patrimonial
Aula 7. balanço patrimonialAula 7. balanço patrimonial
Aula 7. balanço patrimonial
razonetecontabil
 
Resumo+de+contabilidade
Resumo+de+contabilidadeResumo+de+contabilidade
Resumo+de+contabilidade
rsftoledo
 
Cap 07. balanço patrimonial
Cap 07. balanço patrimonialCap 07. balanço patrimonial
Cap 07. balanço patrimonial
capitulocontabil
 
Resumo ativo
Resumo ativoResumo ativo
Resumo ativo
simuladocontabil
 
Contabilidade conceitos básicos
Contabilidade   conceitos básicosContabilidade   conceitos básicos
Contabilidade conceitos básicos
Celso Frederico Lago
 
Práticas Financeiras e Contábeis - :Aulas 9 e 10
Práticas Financeiras e Contábeis - :Aulas 9 e 10Práticas Financeiras e Contábeis - :Aulas 9 e 10
Práticas Financeiras e Contábeis - :Aulas 9 e 10
Wandick Rocha de Aquino
 
Introdução a disciplina de contabilidade
Introdução a disciplina de contabilidade Introdução a disciplina de contabilidade
Introdução a disciplina de contabilidade
Icaro Mendes
 
Aula 1.ppt
Aula 1.pptAula 1.ppt
Aula 1.ppt
ssusercc81d3
 
Slide importantes
Slide importantesSlide importantes
Slide importantes
acmartins9
 
REVISÃO DA ANALISE FINANCEIRA
REVISÃO DA ANALISE FINANCEIRAREVISÃO DA ANALISE FINANCEIRA
REVISÃO DA ANALISE FINANCEIRA
Fábio Pedro
 
Plano de negócios aula 11
Plano de negócios aula 11Plano de negócios aula 11
Plano de negócios aula 11
Allyne Keyth
 

Semelhante a Relatórios Contábeis.pptx (20)

Custos processosoperaçõescontabeiscpoc
Custos processosoperaçõescontabeiscpocCustos processosoperaçõescontabeiscpoc
Custos processosoperaçõescontabeiscpoc
 
Resumo Básico de Contabilidade Básica
Resumo Básico de Contabilidade BásicaResumo Básico de Contabilidade Básica
Resumo Básico de Contabilidade Básica
 
ade1770bd6443f94b94f090fe3685194.pdf
ade1770bd6443f94b94f090fe3685194.pdfade1770bd6443f94b94f090fe3685194.pdf
ade1770bd6443f94b94f090fe3685194.pdf
 
Contabilidade Básica
Contabilidade BásicaContabilidade Básica
Contabilidade Básica
 
Principios contabeis
Principios contabeisPrincipios contabeis
Principios contabeis
 
Módulo 1 Contabilidade Gerencial
 Módulo 1   Contabilidade Gerencial Módulo 1   Contabilidade Gerencial
Módulo 1 Contabilidade Gerencial
 
Plano de contas contabil
Plano de contas contabilPlano de contas contabil
Plano de contas contabil
 
Aula 04 auxiliar de contabilidade
Aula 04 auxiliar de contabilidadeAula 04 auxiliar de contabilidade
Aula 04 auxiliar de contabilidade
 
Contabilidade dicionario de-termos-contabeis
Contabilidade dicionario de-termos-contabeisContabilidade dicionario de-termos-contabeis
Contabilidade dicionario de-termos-contabeis
 
Aula 7. balanço patrimonial
Aula 7. balanço patrimonialAula 7. balanço patrimonial
Aula 7. balanço patrimonial
 
Resumo+de+contabilidade
Resumo+de+contabilidadeResumo+de+contabilidade
Resumo+de+contabilidade
 
Cap 07. balanço patrimonial
Cap 07. balanço patrimonialCap 07. balanço patrimonial
Cap 07. balanço patrimonial
 
Resumo ativo
Resumo ativoResumo ativo
Resumo ativo
 
Contabilidade conceitos básicos
Contabilidade   conceitos básicosContabilidade   conceitos básicos
Contabilidade conceitos básicos
 
Práticas Financeiras e Contábeis - :Aulas 9 e 10
Práticas Financeiras e Contábeis - :Aulas 9 e 10Práticas Financeiras e Contábeis - :Aulas 9 e 10
Práticas Financeiras e Contábeis - :Aulas 9 e 10
 
Introdução a disciplina de contabilidade
Introdução a disciplina de contabilidade Introdução a disciplina de contabilidade
Introdução a disciplina de contabilidade
 
Aula 1.ppt
Aula 1.pptAula 1.ppt
Aula 1.ppt
 
Slide importantes
Slide importantesSlide importantes
Slide importantes
 
REVISÃO DA ANALISE FINANCEIRA
REVISÃO DA ANALISE FINANCEIRAREVISÃO DA ANALISE FINANCEIRA
REVISÃO DA ANALISE FINANCEIRA
 
Plano de negócios aula 11
Plano de negócios aula 11Plano de negócios aula 11
Plano de negócios aula 11
 

Mais de Pedro Luis Moraes

Aula de Gestão de Riscos Ambientais.pptx
Aula de Gestão de Riscos Ambientais.pptxAula de Gestão de Riscos Ambientais.pptx
Aula de Gestão de Riscos Ambientais.pptx
Pedro Luis Moraes
 
3ª Aula de Gestão de Riscos Trabalhistas - Contrato de trabalho.ppt
3ª Aula de Gestão de Riscos Trabalhistas - Contrato de trabalho.ppt3ª Aula de Gestão de Riscos Trabalhistas - Contrato de trabalho.ppt
3ª Aula de Gestão de Riscos Trabalhistas - Contrato de trabalho.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Síntese da Aula de Previdência Social INSS.ppt
Síntese da Aula de Previdência Social  INSS.pptSíntese da Aula de Previdência Social  INSS.ppt
Síntese da Aula de Previdência Social INSS.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Aula Os 6Ds da Tecnologia Exponencial .ppt
Aula Os 6Ds da Tecnologia Exponencial .pptAula Os 6Ds da Tecnologia Exponencial .ppt
Aula Os 6Ds da Tecnologia Exponencial .ppt
Pedro Luis Moraes
 
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.pptcriaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Politica e Programa de Seg_2017 (1).pptx
Politica e Programa de Seg_2017 (1).pptxPolitica e Programa de Seg_2017 (1).pptx
Politica e Programa de Seg_2017 (1).pptx
Pedro Luis Moraes
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
Pedro Luis Moraes
 
Aula 9 - análise crítica de artigos científicos.pptx
Aula 9 - análise crítica de artigos científicos.pptxAula 9 - análise crítica de artigos científicos.pptx
Aula 9 - análise crítica de artigos científicos.pptx
Pedro Luis Moraes
 
Aula Direito do Trabalho - EMPREGADOR.ppt
Aula Direito do Trabalho - EMPREGADOR.pptAula Direito do Trabalho - EMPREGADOR.ppt
Aula Direito do Trabalho - EMPREGADOR.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Aula de JUSTA CAUSA DO EMPREGADO (1).ppt
Aula de JUSTA CAUSA DO EMPREGADO (1).pptAula de JUSTA CAUSA DO EMPREGADO (1).ppt
Aula de JUSTA CAUSA DO EMPREGADO (1).ppt
Pedro Luis Moraes
 
DIREITO AO DESCANSO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
DIREITO AO DESCANSO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptxDIREITO AO DESCANSO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
DIREITO AO DESCANSO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
Pedro Luis Moraes
 
Direito do Trabalho e criança e adolescente.ppt
Direito do Trabalho e criança e adolescente.pptDireito do Trabalho e criança e adolescente.ppt
Direito do Trabalho e criança e adolescente.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Aula de jornada de trabalho - reforma.ppt
Aula de jornada de trabalho - reforma.pptAula de jornada de trabalho - reforma.ppt
Aula de jornada de trabalho - reforma.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Aula de CESSAÇÃO CONTRATO - 2a parte.ppt
Aula de CESSAÇÃO CONTRATO - 2a parte.pptAula de CESSAÇÃO CONTRATO - 2a parte.ppt
Aula de CESSAÇÃO CONTRATO - 2a parte.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Aula de TGA Teoria Neoclassica e Classica .pdf
Aula de TGA Teoria Neoclassica e Classica .pdfAula de TGA Teoria Neoclassica e Classica .pdf
Aula de TGA Teoria Neoclassica e Classica .pdf
Pedro Luis Moraes
 
ateoriaz-141031172001-conversion-gate02.ppt
ateoriaz-141031172001-conversion-gate02.pptateoriaz-141031172001-conversion-gate02.ppt
ateoriaz-141031172001-conversion-gate02.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Aula Resumo de Metodologia para Engenharia.ppt
Aula Resumo de Metodologia para Engenharia.pptAula Resumo de Metodologia para Engenharia.ppt
Aula Resumo de Metodologia para Engenharia.ppt
Pedro Luis Moraes
 
AULA DE Redação de trabalho científico.pptx
AULA DE Redação de trabalho científico.pptxAULA DE Redação de trabalho científico.pptx
AULA DE Redação de trabalho científico.pptx
Pedro Luis Moraes
 
Aula de Metodologia Trabalho Científico.ppt
Aula de Metodologia Trabalho Científico.pptAula de Metodologia Trabalho Científico.ppt
Aula de Metodologia Trabalho Científico.ppt
Pedro Luis Moraes
 

Mais de Pedro Luis Moraes (20)

Aula de Gestão de Riscos Ambientais.pptx
Aula de Gestão de Riscos Ambientais.pptxAula de Gestão de Riscos Ambientais.pptx
Aula de Gestão de Riscos Ambientais.pptx
 
3ª Aula de Gestão de Riscos Trabalhistas - Contrato de trabalho.ppt
3ª Aula de Gestão de Riscos Trabalhistas - Contrato de trabalho.ppt3ª Aula de Gestão de Riscos Trabalhistas - Contrato de trabalho.ppt
3ª Aula de Gestão de Riscos Trabalhistas - Contrato de trabalho.ppt
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Síntese da Aula de Previdência Social INSS.ppt
Síntese da Aula de Previdência Social  INSS.pptSíntese da Aula de Previdência Social  INSS.ppt
Síntese da Aula de Previdência Social INSS.ppt
 
Aula Os 6Ds da Tecnologia Exponencial .ppt
Aula Os 6Ds da Tecnologia Exponencial .pptAula Os 6Ds da Tecnologia Exponencial .ppt
Aula Os 6Ds da Tecnologia Exponencial .ppt
 
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.pptcriaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
 
Politica e Programa de Seg_2017 (1).pptx
Politica e Programa de Seg_2017 (1).pptxPolitica e Programa de Seg_2017 (1).pptx
Politica e Programa de Seg_2017 (1).pptx
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
 
Aula 9 - análise crítica de artigos científicos.pptx
Aula 9 - análise crítica de artigos científicos.pptxAula 9 - análise crítica de artigos científicos.pptx
Aula 9 - análise crítica de artigos científicos.pptx
 
Aula Direito do Trabalho - EMPREGADOR.ppt
Aula Direito do Trabalho - EMPREGADOR.pptAula Direito do Trabalho - EMPREGADOR.ppt
Aula Direito do Trabalho - EMPREGADOR.ppt
 
Aula de JUSTA CAUSA DO EMPREGADO (1).ppt
Aula de JUSTA CAUSA DO EMPREGADO (1).pptAula de JUSTA CAUSA DO EMPREGADO (1).ppt
Aula de JUSTA CAUSA DO EMPREGADO (1).ppt
 
DIREITO AO DESCANSO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
DIREITO AO DESCANSO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptxDIREITO AO DESCANSO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
DIREITO AO DESCANSO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
 
Direito do Trabalho e criança e adolescente.ppt
Direito do Trabalho e criança e adolescente.pptDireito do Trabalho e criança e adolescente.ppt
Direito do Trabalho e criança e adolescente.ppt
 
Aula de jornada de trabalho - reforma.ppt
Aula de jornada de trabalho - reforma.pptAula de jornada de trabalho - reforma.ppt
Aula de jornada de trabalho - reforma.ppt
 
Aula de CESSAÇÃO CONTRATO - 2a parte.ppt
Aula de CESSAÇÃO CONTRATO - 2a parte.pptAula de CESSAÇÃO CONTRATO - 2a parte.ppt
Aula de CESSAÇÃO CONTRATO - 2a parte.ppt
 
Aula de TGA Teoria Neoclassica e Classica .pdf
Aula de TGA Teoria Neoclassica e Classica .pdfAula de TGA Teoria Neoclassica e Classica .pdf
Aula de TGA Teoria Neoclassica e Classica .pdf
 
ateoriaz-141031172001-conversion-gate02.ppt
ateoriaz-141031172001-conversion-gate02.pptateoriaz-141031172001-conversion-gate02.ppt
ateoriaz-141031172001-conversion-gate02.ppt
 
Aula Resumo de Metodologia para Engenharia.ppt
Aula Resumo de Metodologia para Engenharia.pptAula Resumo de Metodologia para Engenharia.ppt
Aula Resumo de Metodologia para Engenharia.ppt
 
AULA DE Redação de trabalho científico.pptx
AULA DE Redação de trabalho científico.pptxAULA DE Redação de trabalho científico.pptx
AULA DE Redação de trabalho científico.pptx
 
Aula de Metodologia Trabalho Científico.ppt
Aula de Metodologia Trabalho Científico.pptAula de Metodologia Trabalho Científico.ppt
Aula de Metodologia Trabalho Científico.ppt
 

Relatórios Contábeis.pptx

  • 2. Demonstrações Contábeis Demonstrações Principais ◦ Balanço Patrimonial (BP):  Relata a situação patrimonial e financeira da empresa, na data-base de encerramento do exercício social. ◦ Demonstração de Resultado do Exercício (DRE): Mostra quanto a empresa ganhou (lucrou) ou perdeu (prejuízo) durante o exercício social. ◦ Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC): Relata os pagamentos e recebimentos ocorridos durante o exercício social. Classificados em atividades operacionais, de investimento e de financiamento da empresa. 2
  • 3. 3 RECEITAS LÍQUIDAS (-) CPV/CSP/CMV = RESULTADO BRUTO (-) DESPESAS OPERACIONAIS = RESULTADO OPERACIONAL (+/-) RESULTADO NÃO OPERACIONAL = RESULTADO ANTES DE IR E CONTRIB SOCIAL (-) IR E CONTRIB SOCIAL = RESULTADO LÍQUIDO SALDO INICIAL DE CAIXA FLUXO DE CAIXA OPERACIONAL FLUXO DE CAIXA DE INVESTIMENTO FLUXO DE CAIXA DE FINANCIAMENTO SALDO FINAL DE CAIXA
  • 4. Obrigatoriedade das Demonstrações Contábeis Relatórios que deverão ser publicados anualmente (SA): ◦ Balanço Patrimonial (BP); ◦ Demonstração de Resultado do Exercício (DRE); ◦ Demonstração de Fluxos de Caixa (DFlCx); ◦ Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (sociedades anônimas de capital aberto) ou Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (sociedades anônimas de capital fechado); ◦ Notas Explicativas e Relatórios da Administração; ◦ Sociedades Anônimas de capital aberto devem apresentar também: ◦ Demonstração do Valor Adicionado (DVA); ◦ Parecer de Auditores Independentes; ◦ DFs consolidadas; ◦ DFs trimestrais (requisito da CVM). 4
  • 5. Obrigatoriedade das Demonstrações Contábeis: outras definições Empresas de Grande Porte DEFINIÇÃO: Ativo ≥ R$240 milhões ou Receita ≥ R$300 milhões. OBRIGATORIEDADE: escrituração, elaboração e publicação das DFs no mesmo padrão que as SAs, com parecer de auditores independentes. Empresas de Pequeno e Médio Porte DEFINIÇÃO: Ativo ≤ R$240 milhões ou Receita ≤ R$300 milhões (este grupo inclui SAs fechadas não definidas como grande porte). OBRIGATORIEDADE: desde que não tenham obrigação pública de prestação de contas, devem elaborar BP, DRE e DLPAc. 5
  • 6. Balanço Patrimonial 6 Reflete a posição financeira da empresa em um determinado momento. Os valores à esquerda indicam os bens e direitos da empresa, expressos em moeda. Compõem o Ativo. Os valores à direita indicam as fontes de recursos, formam o Passivo (Exigível) + Patrimônio Líquido (PL). BALANÇO PATRIMONIAL CAPITAL PRÓPRIO (PL) PASSIVO e PL CAPITAL DE TERCEIROS (Exigível) BENS E DIREITOS ATIVO O Ativo é sempre igual à soma do Passivo e do PL.
  • 7. Balanço Patrimonial Ativo Conjunto de recursos (bens e direitos) mensuráveis em dinheiro que são controlados pela entidade, decorrentes de eventos passados e que representam benéficos econômicos presentes ou futuros para a entidade. Passivo Um passivo é um dever ou obrigação presente, promessa de pagamento devida em algum momento determinado no futuro, que pode ser estimada com razoável grau de precisão e que está sob a responsabilidade completa da companhia. Como é devida, não inclui o capital próprio. Patrimônio Líquido Patrimônio Líquido é o que sobra para os sócios, depois de atendidas as demandas das outras fontes de financiamento. 7
  • 8. 8 Listagem Bens e direitos Controle da empresa Mensuração Monetária Objetiva Benefícios Presentes e Futuros Conclusão Duas máquinas em perfeito estado X X X X É Ativo Uma máquina destruída X X X - Não é Ativo Estoques X X X X É ativo Marca X X - X É ativo, mas não há valor objetivo Veículos (leasing financeiro) X X X X É ativo
  • 9. Balanço Patrimonial: fontes e aplicações de recursos ◦ ATIVO = PASSIVO EXIGÍVEL + PATRIMÔNIO LÍQUIDO ◦ Isso ocorre porque todo o dinheiro investido nos ativos foi financiado pelos sócios (patrimônio líquido) ou por algum instrumento que gerou obrigações (passivo). 9 Bens e direitos Fontes de recursos utilizados para a aquisição de bens e direitos
  • 10. Principais Decisões Empresariais ◦ DECISÃO DE INVESTIMENTO ◦ Em que investir? ◦ DECISÃO DE FINANCIAMENTO ◦ Como financiar o investimento? ◦ DECISÃO DE DIVIDENDOS ◦ Como e em qual valor remunerar os sócios? ◦ GESTÃO DAS CONTAS CIRCULANTES ◦ Qual política de crédito adotar? ◦ Quanto manter em estoque? ◦ Pagar fornecedores à vista ou a prazo? 10 Investimentos Origem dos recursos
  • 11. Organização do Balanço Patrimonial 11 CIRCULANTE NÃO CIRCULANTE Realizável a LP Investimentos Imobilizado Intangível CIRCULANTE PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital Reservas de Capital Reservas de Lucro Ajustes de Avaliação Patrimonial NÃO CIRCULANTE PASSIVO e PL Ativo
  • 12. Organização do Ativo Circulante 12 • O Ativo é organizado por ordem decrescente de liquidez. • ATIVO CIRCULANTE: compõem o ativo circulante bens ou direitos que provavelmente se transformarão em dinheiro ou serão consumidos num período inferior a um ano (ou ao ciclo operacional da empresa). ATIVO CIRCULANTE Caixa Aplicações Financeiras Contas a receber Estoques
  • 13. Organização do Ativo Não Circulante 13 • ATIVO NÃO CIRCULANTE: contém 4 subcontas: • O Realizável a Longo Prazo contém bens ou direitos que se espera que se transformem em dinheiro num período superior a um ano (ou ao ciclo operacional da empresa). • Em Investimentos estão bens ou direitos não essenciais à atividade operacional da empresa. • O Imobilizado contém bens que compõem a infraestrutura necessária para a operação da empresa. • No ativo Intangível estão os ativos incorpóreos adquiridos. • As subcontas Investimentos, Imobilizado e Intangível. ATIVO NÃO CIRCULANTE Realizável a LP Investimentos Imobilizado Intangível
  • 14. Organização do Passivo 14 • O Passivo é organizado por ordem decrescente de prazo de exigibilidade: • em primeiro lugar, as contas que vão vencer mais rapidamente; • seguidas pelas que têm vencimento em mais longo prazo; e • por fim, as não exigíveis, o patrimônio líquido CIRCULANTE PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital Reservas NÃO CIRCULANTE
  • 15. Composição do Passivo • PASSIVO CIRCULANTE: compõem o passivo circulante as obrigações que terão que ser pagas em um período inferior a um ano. • PASSIVO NÃO CIRCULANTE: contém as obrigações que deverão ser pagas em período superior a um ano. • PATRIMÔNIO LÍQUIDO: recursos dos proprietários aplicados na empresa, diretamente (capital social) ou indiretamente (lucro retido). 15 CIRCULANTE PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital Reservas NÃO CIRCULANTE
  • 16. Patrimônio Líquido •A Lei das Sociedades por Ações denomina de Passivo todo o lado direito do Balanço Patrimonial. Dessa forma, o Patrimônio Líquido estaria incluído na denominação Passivo. Porém, as Normas Brasileiras de Contabilidade tratam o lado direito como Passivo e Patrimônio Líquido. •O Patrimônio Líquido é uma obrigação da empresa com os seus proprietários. Todavia, é uma obrigação, geralmente, não exigível, isto é, os proprietários não exigem da empresa o reembolso de sua aplicação, pois têm um interesse de continuidade da empresa. 16
  • 17. 17 Balanço Patrimonial • PASSIVO CIRCULANTE (menos de um ano) • Funcionários a Pagar • Fornecedores a Pagar • Imposto de Renda a Pagar • Empréstimos a Curto Prazo • Financiamento a Curto Prazo • PASSIVO NÃO CIRCULANTE (mais de um ano) • Empréstimos a Longo Prazo • Financiamento a Longo Prazo • PATRIMÔNIO LÍQUIDO • Capital Social • Reservas • ATIVO CIRCULANTE (menos de um ano) • Caixa • Aplicações Financeiras • Contas a Receber • Estoques • ATIVO NÃO CIRCULANTE • Realizável a Longo Prazo (mais de um ano) • Duplicatas a Receber • Investimentos (permanente) • Ações de empresas ligadas ou controladas • Imóveis para investimento • Imobilizado (permanente) • Imóveis, equipamentos, terrenos • Intangível (permanente) • Marcas, patentes, royalties ATIVO PASSIVO e PL
  • 18. Curto versus longo prazo Curto prazo será um ano ou o tempo do Ciclo Operacional, valendo aquele que for maior. Entende-se por Longo Prazo períodos superiores a um ano, ou superior ao Ciclo Operacional da empresa quando este for maior que um ano. Exemplo: no caso em que o ciclo operacional de uma determinada empresa for de 18 meses, tudo o que será realizado em dinheiro até essa data é CURTO PRAZO (Circulante) e após os 18 meses será Longo Prazo. Há certos direitos a receber que, mesmo pressupondo-se recebimento a CURTO PRAZO, devem ser classificados no Realizável a Longo Prazo. É o caso de empréstimos a diretores ou a empresas coligadas. 18
  • 20. Algumas das principais deduções do Ativo e Patrimônio Líquido Ativo Circulante  Duplicatas a receber: a parcela estimada pela empresa que não será recebida em decorrência dos maus pagadores deverá ser subtraída de Duplicatas a Receber, com o título de Provisão para Devedores Duvidosos. Ativo Não Circulante  Imobilizado: os bens, com o passar do tempo, pelo uso, vão sofrendo deterioração física ou tecnológica. Dessa forma, os bens vão perdendo sua eficiência funcional. Essa perda vai sendo acumulada, de forma aproximada, na conta Depreciação Acumulada, que subtrairá o Imobilizado.  Intangível: a perda (parcial ou total) da capacidade dos gastos classificados no Intangível em trazer benefícios futuros para a empresa vai sendo acumulada, de forma aproximada, na conta Amortização Acumulada, que subtrairá o Intangível. Patrimônio Líquido  Entre as principais deduções do Patrimônio Líquido, podemos destacar, aqui, os Prejuízos Acumulados. 20
  • 21. Depreciação Acumulada Considere que a Cia. X é aberta em 01/01/X1 com um capital social de $ 500.000,00. Logo em seguida a Cia X adquire um veículo no valor de R$ 50.000,00. Tal veículo possui uma vida útil estimada de 5 anos e valor residual desprezível. A situação patrimonial da Cia. X em 31/12/X1 pode ser observada abaixo: 21 Ativo R$ Passivo R$ Ativo Circulante Passivo Circulante - Bancos 450.000,00 Passivo Não Circulante - Ativo Não Circulante Imobilizado Patrimônio Líquido Veículo 50.000,00 Capital social 500.000,00 (-) Depreciação Acumulada 10.000,00 Perda de valor do veículo 10.000,00 Imobilizado Líquido 40.000,00 Total Patrimônio líquido 490.000,00 Total do Ativo 490.000,00 Total do Passivo e PL 490.000,00
  • 22. Requisitos do Balanço Patrimonial O Balanço Patrimonial é composto de um cabeçalho que conterá: •A denominação da empresa •Título da Demonstração (Balanço Patrimonial) •Data de encerramento do Balanço. A Lei das Sociedades por Ações dispõe que as demonstrações serão publicadas com a indicação dos valores do exercício anterior. Portanto, o Balanço Patrimonial, bem como todas as Demonstrações Financeiras, serão apresentadas em duas colunas: Exercício Atual e Exercício Anterior. A legislação mencionada também dispõe que as Demonstrações Financeiras podem ser publicadas com a eliminação de dígitos. Por exemplo se tivermos números como $ 9.548.541, podemos eliminar os três últimos dígitos (541) e ficar com $ 9.548, desde que coloquemos, no cabeçalho das demonstrações a expressão em $ milhares (ou em $ mil) 22
  • 23. Balanço Patrimonial: Valor de Mercado e Valor Contábil 23 Valor de mercado reflete expectativas futuras. O objetivo em Finanças é maximizar o valor de mercado. Mas a contabilidade tem uma visão retrospectiva, reportando até o momento presente, portanto o valor de mercado é diferente do contábil...