SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
QUESTÕES AMBIENTAIS
Profº Nonato Bouth
Objeto de Conhecimento:
Os domínios naturais e a relação do ser humano com o ambiente
Temas:
1. Relação homem-natureza, a apropriação dos recursos naturais pelas
sociedades ao longo do tempo.
2. As questões ambientais contemporâneas: mudança climática, ilhas de
calor, efeito estufa, chuva ácida, a destruição da camada de ozônio.
3. A nova ordem ambiental internacional.
4. Políticas territoriais ambientais.
MATRIZ DO ENEM
Objeto de Conhecimento:
Os domínios naturais e a relação do ser humano com o ambiente
Temas:
1. Relação homem-natureza, a apropriação dos recursos naturais
pelas sociedades ao longo do tempo.
2. Impacto ambiental das atividades econômicas no Brasil.
3. Recursos minerais e energéticos: exploração e impactos.
4. Recursos hídricos; bacias hidrográficas e seus
aproveitamentos.
5. As questões ambientais contemporâneas: mudança climática,
ilhas de calor, efeito estufa, chuva ácida, a destruição da
camada de ozônio.
6. A nova ordem ambiental internacional.
7. Políticas territoriais ambientais.
8. Uso e conservação dos recursos naturais, unidades de
conservação, corredores ecológicos, zoneamento ecológico e
econômico.
9. Origem e evolução do conceito de sustentabilidade.
10. Estrutura interna da terra.
11. Estruturas do solo e do relevo
12. Agentes internos e externos modeladores do relevo.
13. Situação geral da atmosfera e classificação climática.
14. As características climáticas do território brasileiro.
15. Os grandes domínios da vegetação no Brasil e no mundo.
Matriz de Ciências Humanas:
 6 competências de área.
 Cada competência com 05 habilidades = 30
habilidades.
Competência de área 6 - Compreender a
sociedade e a natureza, reconhecendo suas
interações no espaço em diferentes
contextos históricos e geográficos.
H26 - Identificar em fontes diversas o
processo de ocupação dos meios físicos e as
relações da vida humana com a paisagem.
H27 - Analisar de maneira crítica as
interações da sociedade com o meio físico,
levando
em consideração aspectos históricos e(ou)
geográficos.
H28 - Relacionar o uso das tecnologias com
os impactos socioambientais em diferentes
contextos histórico-geográficos.
H29 - Reconhecer a função dos recursos
naturais na produção do espaço geográfico,
relacionando-os com as mudanças
provocadas pelas ações humanas.
H30 - Avaliar as relações entre preservação e
degradação da vida no planeta nas
diferentes escalas.
Tema: Políticas territoriais ambientais Competência: 06 Habilidade: 30 Incidência: G
Glossário: sustentável, conservação e biodegradável Casa: 22, 24, 25 e 26.
6. (Enem 2ª aplicação 2010) O crescimento rápido das cidades nem sempre é
acompanhado, no mesmo ritmo, pelo atendimento de infraestrutura para a melhoria da
qualidade de vida. A deficiência de redes de água tratada, de coleta e tratamento de
esgoto, de pavimentação de ruas, de galerias de águas pluviais, de áreas de lazer, de áreas
verdes, de núcleos de formação educacional e profissional, de núcleos de atendimento
médico-sanitário é comum nessas cidades.
ROSS, J. L .S. (Org.) Geografia do Brasil. São Paulo: EDUSP, 2009 (adaptado)
Sabendo que o acelerado crescimento populacional urbano está articulado com a escassez
de recursos financeiros e a dificuldade de implementação de leis de proteção ao meio
ambiente, pode-se estabelecer o estímulo a uma relação sustentável entre conservação e
produção a partir
a) do aumento do consumo, pela população mais pobre, de produtos industrializados para
o equilíbrio da capacidade de consumo entre as classes.
b) da seleção e recuperação do lixo urbano, que já é uma prática rotineira nos grandes
centros urbanos dos países em desenvolvimento.
c) da diminuição acelerada do uso de recursos naturais, ainda que isso represente perda da
qualidade de vida de milhões de pessoas.
d) da fabricação de produtos reutilizáveis e biodegradáveis, evitando-se substituições e
descartes, como medidas para a redução da degradação ambiental.
e) da transferência dos aterros sanitários para as partes mais periféricas das grandes
cidades, visando-se à preservação dos ambientes naturais.
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: COMO SURGIU ESSE
CONCEITO?
As alterações no meio ambiente são causadas por fatores
antrópicos (humanos) e/ou físicos (naturais).
As alterações podem ser:
a) locais
ex: ilha de calor, inversão térmica...
b) globais
ex: queimadas, desmatamento, efeito estufa...
Revolução Industrial (Séc. XVIII): maior pressão sobre os recursos
naturais (matéria prima e fontes de energia) – possibilidade de
esgotamento.
 Como relacionar o desenvolvimento sem a necessidade de
esgotar os recursos naturais?
As possibilidades passaram a ser discutidas em Conferências
Ambientais.
Fonte: LUIZ, Márcio – Colégio Santo Agostinho
1983: a ONU criou a Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e
Desenvolvimento.
Gro Harlem Brudtland: Presidente da comissão.
Propôs que o desenvolvimento econômico fosse integrado à
questão ambiental, estabelecendo-se, assim, o conceito de
“desenvolvimento sustentável”.
1987: conclusão dos trabalhos - Relatório Brundtland.
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL é aquele que responde às
necessidades do presente sem comprometer as possibilidades
das gerações futuras de satisfazer suas próprias necessidades.
*SUSTENTÁVEL é usar racionalmente, sem desperdício
(relação entre social - econômico - ambiental)
PRESERVAR É DIFERENTE DE CONSERVAR ?
Gabarito: D
Resolução:
O lixo e sua produção em grande quantidade é um
problema marcante dos grandes centros urbanos
mundiais. Uma possível solução seria o processo de
reutilização a partir da reciclagem do lixo. Seria
importante a fabricação de produtos reutilizáveis e
biodegradáveis como forma de minimizar agressão ao
meio ambiente
EFEITO ESTUFA
EFEITO ESTUFA é o aquecimento global ?
causas:
a) queima de combustíveis fósseis.
ex: carvão, petróleo, gás natural
b) as queimadas.
c) a pecuária.
d) emissão dos clorofluorcarbonos (CFCs) e do gás metano.
Não. O efeito estufa (origem natural e depois agravado a partir das
revoluções Industriais) é a concentração de gases do efeito estufa
na atmosfera. É essa concentração que dificulta a propagação das
ondas de calor e reflete parte dessas ondas para a superfície da
terra. Como consequência temos o aquecimento global.
Consequência: aquecimento global, derretimento das geleiras,
elevação do nível dos mares e oceanos, inundações catastróficas
e a intensificação de outros problemas.
Normalmente, as camadas de ar próximo à superfície são quentes e
leves, sofrendo movimento ascendente. As camadas superiores são
frias, pesadas e descendentes (circulação normal da atmosfera).
A INVERSÃO TÉRMICA ocorre com mudança abrupta de temperatura
no inverno. O camada de ar inferior fica fria e pesada, acaba
estagnada próxima a superfície deixando de fazer o movimento
ascendente, retendo os poluentes próximo a superfície causando
doenças respiratórias e nos olhos.
*A Inversão térmica é natural, mas a poluição tem causa antrópica.
Como evitar as ilhas de calor
- Rearborização (praças, bosques, parques no centro das cidades).
- Diminuição e controle da emissão de gases poluentes emitidos por
automóveis e indústrias.
- Em alguns casos abertura de “janelas” para os rios.
A ILHA DE CALOR ocorre com a elevação da temperatura no centro
da área urbana se comparada a uma zona rural ou áreas periféricas.
Calor excessivo no interior dos centros urbanos causa maior consumo de energia.
CAUSAS:
- Verticalização do espaço
urbano (prédios).
- Impermeabilização do solo
(asfalto e calçadas).
- Circulação de automóveis,
presença de indústrias.
- Desarborização.
LINHAS ISOTÉRMAS
São linhas que passam
por pontos que
apresentam a mesma
temperatura.
A chuva acida provém da reação dos óxidos de enxofre (SOx) e
óxidos de azoto/nitrogénio (NOx). Ao reagiram com a água formam
na atmosfera ácidos como o ácido sulfúrico e o acído nítrico.
As principais fontes emissoras desses gases são a queima do carvão
mineral, a circulação de automóveis e outras atividas industriais.
Principais Consequências:
 Acidez do solo e das águas.
 Desfolhamento de florestas.
 Corrosão de monumentos
históricos.
Solo pobre em nutrientes e mineiras com
consequente enfraquecimento da vegetação.
Efeitos da chuva ácida numa
floresta. Montanhas de Jizera
Camada de Ozônio
17
O ozônio encontra-se na atmosfera a uma altitude de 15 a 30 km
(estratosfera). A camada de ozônio dificulta a passagem de raios UV
que são prejudiciais ao homem por causarem câncer de pele,
alteração no metabolismo das plantas e contribuírem para a elevação
da temperatura.
Gases como os Clorofluorcarbonos (CFCs) são os destruidores das
moléculas de ozônio.
PRINCIPAIS CAUSAS DO DESMATAMENTO
1. Extração da madeira para fins comerciais.
2. Implantação de projetos agropecuários.
3. Implantação de projetos de mineração.
4. Construção de usinas hidrelétricas.
5. Abertura de rodovias e construção de outras obras de
infraestrutura.
PRINCIPAIS CONSEQUÊNCIAS DO DESMATAMENTO
1. Destruição da biodiversidade.
2. Erosão e empobrecimento dos solos (Lixiviação e Laterização).
3. Assoreamento dos rios.
4. Diminuição dos índices pluviométricos.
5. Elevação da temperatura.
6. Desertificação.
Poluição do solo
É causada pela deposição no solo de produtos ou resíduos de
produtos químicos tóxicos, radioativos, lixos biológicos, excesso de
fertilizantes, óleos, graxas, etc.
O solo perde sua função filtradora, colocando em risco o lençol de
água subterrâneo.
Fonte: www.joinville.udesc.br/portal/professores/masiero/.../ambiente_2011.ppt.
Poluição Atmosférica
A fumaça do escapamento de automóveis e as emissões aéreas
das industrias causam a poluição atmosférica.
Fonte: www.joinville.udesc.br/portal/professores/masiero/.../ambiente_2011.ppt.
Poluição das Águas
CATEGORIA EXEMPLO
Industrial
Fábricas de polpa e de papel, fábricas de químicos, fábricas de têxteis,
fábricas de produtos alimentares.
Municipal
Estações de tratamento de esgotos que podem receber descargas indiretas de
complexos industriais.
Esgotos pluviais/
escoamento urbano
Escoamento de superfícies impermeáveis incluindo ruas, edifícios e outras
áreas pavimentadas para esgotos ou tubos antes de descarregarem para águas
superficiais.
Agrícola
Excesso de fertilizantes que vão infiltrar-se no solo e poluir os lençóis de
água subterrâneos e por sua vez os rios ou ribeiros onde estes vão dar.
Extracção de recursos Minas
Modificações
hidrológicas
Canalizações, construção de barragens.
Fonte:www.joinville.udesc.br/portal/professores/masiero/.../ambiente_2011.ppt.
Fonte:www.sjose.com.br–AquestãodolixonoBrasil.
Classificação dos resíduos sólidos para reciclagem
Fonte: www.sjose.com.br – A questão do lixo no Brasil.
Coleta de lixo no Brasil
• Em 2009 quase 90% dos domicílios eram atendidos pela coleta
regular de resíduos sólidos (em áreas urbanas o atendimento
supera 98% das moradias e na zona rural apenas 33%).
Fonte: www.sjose.com.br – A questão do lixo no Brasil.
Coleta seletiva no Brasil
Há hoje entre 400
e 600 mil
catadores de
materiais
recicláveis no
Brasil, com renda
média entre
R$420,00 e R$
520,00.
Fonte: www.sjose.com.br – A questão do lixo no Brasil.
Contribuição dos cidadãos para
solucionar o problema do lixo
• Política dos Rs (educação ambiental): Recusar, Reduzir,
Reutilizar, Recuperar e Reciclar;
• Separação domiciliar do lixo em três partes: orgânico, reciclável
e rejeito;
• Resíduos com Logística Reversa obrigatória: pilhas e baterias,
pneus, lâmpadas fluorescentes de vapor de sódio e mercúrio e
de luz mista, óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens,
produtos eletroeletrônicos e seus componentes e resíduos de
embalagens de agrotóxicos.
Fonte: www.sjose.com.br – A questão do lixo no Brasil.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Intervenção do homem nos subsistemas terrestres
Intervenção do homem nos subsistemas terrestresIntervenção do homem nos subsistemas terrestres
Intervenção do homem nos subsistemas terrestresmargaridabt
 
História da questão ambiental
História da questão ambientalHistória da questão ambiental
História da questão ambientaldemervalm
 
Intervenção do Homem nos subsistemas terrestres
Intervenção do Homem nos subsistemas terrestresIntervenção do Homem nos subsistemas terrestres
Intervenção do Homem nos subsistemas terrestresMarcelo Silva
 
Meio Ambiente E PolíTica Internacional
Meio Ambiente E PolíTica InternacionalMeio Ambiente E PolíTica Internacional
Meio Ambiente E PolíTica Internacionalceama
 
Intervhumansubsistemasterrestres(2003)
Intervhumansubsistemasterrestres(2003)Intervhumansubsistemasterrestres(2003)
Intervhumansubsistemasterrestres(2003)Ana Reis
 
Globalização e meio ambiente
Globalização e meio ambienteGlobalização e meio ambiente
Globalização e meio ambienteNome Sobrenome
 
A Intervenção Do Homem Nos Subsistemas Terrestres - Atmosfera
A Intervenção Do Homem Nos Subsistemas Terrestres - AtmosferaA Intervenção Do Homem Nos Subsistemas Terrestres - Atmosfera
A Intervenção Do Homem Nos Subsistemas Terrestres - AtmosferaVitor Peixoto
 
Impacto da ação humana no meio ambiente
Impacto da ação humana no meio ambienteImpacto da ação humana no meio ambiente
Impacto da ação humana no meio ambienteacrlessa
 
6377042 a-intervencao-do-homem-nos-subsistemas-terrestres-
6377042 a-intervencao-do-homem-nos-subsistemas-terrestres-6377042 a-intervencao-do-homem-nos-subsistemas-terrestres-
6377042 a-intervencao-do-homem-nos-subsistemas-terrestres-Rafael Duarte
 
Intervenção do homem nos subsistemas terrestres
Intervenção do homem nos subsistemas terrestresIntervenção do homem nos subsistemas terrestres
Intervenção do homem nos subsistemas terrestresMariana Cordeiro
 
Mudanças Climáticas e as cidades
Mudanças Climáticas e as cidadesMudanças Climáticas e as cidades
Mudanças Climáticas e as cidadesGuellity Marcel
 
O Desenv, e a Utiliz. dos Recursos by Joel e MTeles
O Desenv, e a Utiliz. dos Recursos by Joel e MTelesO Desenv, e a Utiliz. dos Recursos by Joel e MTeles
O Desenv, e a Utiliz. dos Recursos by Joel e MTeleszeopas
 
Apresentação 12ºA e C
Apresentação 12ºA e CApresentação 12ºA e C
Apresentação 12ºA e Czeopas
 
Economia e Meio Ambiente
Economia e Meio AmbienteEconomia e Meio Ambiente
Economia e Meio Ambientelizsantana
 
5 intervenção do homem
5   intervenção do homem5   intervenção do homem
5 intervenção do homemmargaridabt
 

Mais procurados (19)

Julya
JulyaJulya
Julya
 
Meio Ambiente
Meio AmbienteMeio Ambiente
Meio Ambiente
 
Intervenção do homem nos subsistemas terrestres
Intervenção do homem nos subsistemas terrestresIntervenção do homem nos subsistemas terrestres
Intervenção do homem nos subsistemas terrestres
 
História da questão ambiental
História da questão ambientalHistória da questão ambiental
História da questão ambiental
 
Intervenção do Homem nos subsistemas terrestres
Intervenção do Homem nos subsistemas terrestresIntervenção do Homem nos subsistemas terrestres
Intervenção do Homem nos subsistemas terrestres
 
Meio Ambiente E PolíTica Internacional
Meio Ambiente E PolíTica InternacionalMeio Ambiente E PolíTica Internacional
Meio Ambiente E PolíTica Internacional
 
Trab. Geo2 (2)..
Trab. Geo2 (2)..Trab. Geo2 (2)..
Trab. Geo2 (2)..
 
Intervhumansubsistemasterrestres(2003)
Intervhumansubsistemasterrestres(2003)Intervhumansubsistemasterrestres(2003)
Intervhumansubsistemasterrestres(2003)
 
Power Point Pinto
Power  Point  PintoPower  Point  Pinto
Power Point Pinto
 
Globalização e meio ambiente
Globalização e meio ambienteGlobalização e meio ambiente
Globalização e meio ambiente
 
A Intervenção Do Homem Nos Subsistemas Terrestres - Atmosfera
A Intervenção Do Homem Nos Subsistemas Terrestres - AtmosferaA Intervenção Do Homem Nos Subsistemas Terrestres - Atmosfera
A Intervenção Do Homem Nos Subsistemas Terrestres - Atmosfera
 
Impacto da ação humana no meio ambiente
Impacto da ação humana no meio ambienteImpacto da ação humana no meio ambiente
Impacto da ação humana no meio ambiente
 
6377042 a-intervencao-do-homem-nos-subsistemas-terrestres-
6377042 a-intervencao-do-homem-nos-subsistemas-terrestres-6377042 a-intervencao-do-homem-nos-subsistemas-terrestres-
6377042 a-intervencao-do-homem-nos-subsistemas-terrestres-
 
Intervenção do homem nos subsistemas terrestres
Intervenção do homem nos subsistemas terrestresIntervenção do homem nos subsistemas terrestres
Intervenção do homem nos subsistemas terrestres
 
Mudanças Climáticas e as cidades
Mudanças Climáticas e as cidadesMudanças Climáticas e as cidades
Mudanças Climáticas e as cidades
 
O Desenv, e a Utiliz. dos Recursos by Joel e MTeles
O Desenv, e a Utiliz. dos Recursos by Joel e MTelesO Desenv, e a Utiliz. dos Recursos by Joel e MTeles
O Desenv, e a Utiliz. dos Recursos by Joel e MTeles
 
Apresentação 12ºA e C
Apresentação 12ºA e CApresentação 12ºA e C
Apresentação 12ºA e C
 
Economia e Meio Ambiente
Economia e Meio AmbienteEconomia e Meio Ambiente
Economia e Meio Ambiente
 
5 intervenção do homem
5   intervenção do homem5   intervenção do homem
5 intervenção do homem
 

Semelhante a Questões ambientais

Ciencias 6o ano_atividade_18.11.2020
Ciencias 6o ano_atividade_18.11.2020Ciencias 6o ano_atividade_18.11.2020
Ciencias 6o ano_atividade_18.11.2020Washington Rocha
 
O cristão e a ecologia
O cristão e a ecologiaO cristão e a ecologia
O cristão e a ecologiaLuciana Lisboa
 
Apresentação cf 2011
Apresentação cf 2011Apresentação cf 2011
Apresentação cf 2011mlfmlopes
 
Tipos de poluição
Tipos de poluiçãoTipos de poluição
Tipos de poluiçãoGalo_Frito
 
Crise global vista como um furacão que se aproxima.ppt
Crise global vista como um furacão que se aproxima.pptCrise global vista como um furacão que se aproxima.ppt
Crise global vista como um furacão que se aproxima.pptgleicianedasilvasant1
 
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizadaManual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizadaEditora Juspodivm
 
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...Almir Caputo
 
Ações humanas e alteracoes ambientais
Ações humanas e alteracoes ambientaisAções humanas e alteracoes ambientais
Ações humanas e alteracoes ambientaisProf. Francesco Torres
 
Problemas ambientais e o meio urbano
Problemas ambientais e o meio urbanoProblemas ambientais e o meio urbano
Problemas ambientais e o meio urbanoPriscla Silva
 
mundo atual_o homem e o ambiente ufcd 6665
mundo atual_o homem e o ambiente ufcd 6665mundo atual_o homem e o ambiente ufcd 6665
mundo atual_o homem e o ambiente ufcd 6665CristinaTavares50
 
O desenvolvimento e os recursos ambientais
O desenvolvimento e os recursos ambientaisO desenvolvimento e os recursos ambientais
O desenvolvimento e os recursos ambientaisjovensnaeconomia
 
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.CARLOS MORAES
 
Alterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlunasEseimu
 
Alterações climáticas #1
Alterações climáticas #1Alterações climáticas #1
Alterações climáticas #1pasf4ever
 
Mudanças climáticas
Mudanças climáticas Mudanças climáticas
Mudanças climáticas Marcelo Gomes
 
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf  Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf Israel serique
 
ae_mamb8_ppt_catastrofes_antropicas.pptx
ae_mamb8_ppt_catastrofes_antropicas.pptxae_mamb8_ppt_catastrofes_antropicas.pptx
ae_mamb8_ppt_catastrofes_antropicas.pptxmariagrave
 

Semelhante a Questões ambientais (20)

Ciencias 6o ano_atividade_18.11.2020
Ciencias 6o ano_atividade_18.11.2020Ciencias 6o ano_atividade_18.11.2020
Ciencias 6o ano_atividade_18.11.2020
 
O cristão e a ecologia
O cristão e a ecologiaO cristão e a ecologia
O cristão e a ecologia
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
Apresentação cf 2011
Apresentação cf 2011Apresentação cf 2011
Apresentação cf 2011
 
Tipos de poluição
Tipos de poluiçãoTipos de poluição
Tipos de poluição
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
Crise global vista como um furacão que se aproxima.ppt
Crise global vista como um furacão que se aproxima.pptCrise global vista como um furacão que se aproxima.ppt
Crise global vista como um furacão que se aproxima.ppt
 
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizadaManual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
 
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...
 
Ações humanas e alteracoes ambientais
Ações humanas e alteracoes ambientaisAções humanas e alteracoes ambientais
Ações humanas e alteracoes ambientais
 
Problemas ambientais e o meio urbano
Problemas ambientais e o meio urbanoProblemas ambientais e o meio urbano
Problemas ambientais e o meio urbano
 
mundo atual_o homem e o ambiente ufcd 6665
mundo atual_o homem e o ambiente ufcd 6665mundo atual_o homem e o ambiente ufcd 6665
mundo atual_o homem e o ambiente ufcd 6665
 
O desenvolvimento e os recursos ambientais
O desenvolvimento e os recursos ambientaisO desenvolvimento e os recursos ambientais
O desenvolvimento e os recursos ambientais
 
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
 
Fenômenos atmosféricos antropizados
Fenômenos atmosféricos antropizadosFenômenos atmosféricos antropizados
Fenômenos atmosféricos antropizados
 
Alterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlterações Climáticas
Alterações Climáticas
 
Alterações climáticas #1
Alterações climáticas #1Alterações climáticas #1
Alterações climáticas #1
 
Mudanças climáticas
Mudanças climáticas Mudanças climáticas
Mudanças climáticas
 
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf  Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf
 
ae_mamb8_ppt_catastrofes_antropicas.pptx
ae_mamb8_ppt_catastrofes_antropicas.pptxae_mamb8_ppt_catastrofes_antropicas.pptx
ae_mamb8_ppt_catastrofes_antropicas.pptx
 

Último

Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaREGIANELAURALOUREIRO1
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoCelimaraTiski
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaCentro Jacques Delors
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaANNAPAULAAIRESDESOUZ
 
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfVIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfbragamoysesaline
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreFilosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreLeandroLima265595
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Centro Jacques Delors
 
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxRENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxAntonioVieira539017
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivararambomarcos
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 

Último (20)

Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
 
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfVIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreFilosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxRENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
 
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João EudesNovena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 

Questões ambientais

  • 1. QUESTÕES AMBIENTAIS Profº Nonato Bouth Objeto de Conhecimento: Os domínios naturais e a relação do ser humano com o ambiente Temas: 1. Relação homem-natureza, a apropriação dos recursos naturais pelas sociedades ao longo do tempo. 2. As questões ambientais contemporâneas: mudança climática, ilhas de calor, efeito estufa, chuva ácida, a destruição da camada de ozônio. 3. A nova ordem ambiental internacional. 4. Políticas territoriais ambientais.
  • 2. MATRIZ DO ENEM Objeto de Conhecimento: Os domínios naturais e a relação do ser humano com o ambiente Temas: 1. Relação homem-natureza, a apropriação dos recursos naturais pelas sociedades ao longo do tempo. 2. Impacto ambiental das atividades econômicas no Brasil. 3. Recursos minerais e energéticos: exploração e impactos. 4. Recursos hídricos; bacias hidrográficas e seus aproveitamentos. 5. As questões ambientais contemporâneas: mudança climática, ilhas de calor, efeito estufa, chuva ácida, a destruição da camada de ozônio. 6. A nova ordem ambiental internacional. 7. Políticas territoriais ambientais. 8. Uso e conservação dos recursos naturais, unidades de conservação, corredores ecológicos, zoneamento ecológico e econômico. 9. Origem e evolução do conceito de sustentabilidade. 10. Estrutura interna da terra. 11. Estruturas do solo e do relevo 12. Agentes internos e externos modeladores do relevo. 13. Situação geral da atmosfera e classificação climática. 14. As características climáticas do território brasileiro. 15. Os grandes domínios da vegetação no Brasil e no mundo. Matriz de Ciências Humanas:  6 competências de área.  Cada competência com 05 habilidades = 30 habilidades. Competência de área 6 - Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espaço em diferentes contextos históricos e geográficos. H26 - Identificar em fontes diversas o processo de ocupação dos meios físicos e as relações da vida humana com a paisagem. H27 - Analisar de maneira crítica as interações da sociedade com o meio físico, levando em consideração aspectos históricos e(ou) geográficos. H28 - Relacionar o uso das tecnologias com os impactos socioambientais em diferentes contextos histórico-geográficos. H29 - Reconhecer a função dos recursos naturais na produção do espaço geográfico, relacionando-os com as mudanças provocadas pelas ações humanas. H30 - Avaliar as relações entre preservação e degradação da vida no planeta nas diferentes escalas.
  • 3. Tema: Políticas territoriais ambientais Competência: 06 Habilidade: 30 Incidência: G Glossário: sustentável, conservação e biodegradável Casa: 22, 24, 25 e 26. 6. (Enem 2ª aplicação 2010) O crescimento rápido das cidades nem sempre é acompanhado, no mesmo ritmo, pelo atendimento de infraestrutura para a melhoria da qualidade de vida. A deficiência de redes de água tratada, de coleta e tratamento de esgoto, de pavimentação de ruas, de galerias de águas pluviais, de áreas de lazer, de áreas verdes, de núcleos de formação educacional e profissional, de núcleos de atendimento médico-sanitário é comum nessas cidades. ROSS, J. L .S. (Org.) Geografia do Brasil. São Paulo: EDUSP, 2009 (adaptado) Sabendo que o acelerado crescimento populacional urbano está articulado com a escassez de recursos financeiros e a dificuldade de implementação de leis de proteção ao meio ambiente, pode-se estabelecer o estímulo a uma relação sustentável entre conservação e produção a partir a) do aumento do consumo, pela população mais pobre, de produtos industrializados para o equilíbrio da capacidade de consumo entre as classes. b) da seleção e recuperação do lixo urbano, que já é uma prática rotineira nos grandes centros urbanos dos países em desenvolvimento. c) da diminuição acelerada do uso de recursos naturais, ainda que isso represente perda da qualidade de vida de milhões de pessoas. d) da fabricação de produtos reutilizáveis e biodegradáveis, evitando-se substituições e descartes, como medidas para a redução da degradação ambiental. e) da transferência dos aterros sanitários para as partes mais periféricas das grandes cidades, visando-se à preservação dos ambientes naturais.
  • 4. DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: COMO SURGIU ESSE CONCEITO? As alterações no meio ambiente são causadas por fatores antrópicos (humanos) e/ou físicos (naturais). As alterações podem ser: a) locais ex: ilha de calor, inversão térmica... b) globais ex: queimadas, desmatamento, efeito estufa... Revolução Industrial (Séc. XVIII): maior pressão sobre os recursos naturais (matéria prima e fontes de energia) – possibilidade de esgotamento.  Como relacionar o desenvolvimento sem a necessidade de esgotar os recursos naturais? As possibilidades passaram a ser discutidas em Conferências Ambientais.
  • 5. Fonte: LUIZ, Márcio – Colégio Santo Agostinho
  • 6. 1983: a ONU criou a Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Gro Harlem Brudtland: Presidente da comissão. Propôs que o desenvolvimento econômico fosse integrado à questão ambiental, estabelecendo-se, assim, o conceito de “desenvolvimento sustentável”. 1987: conclusão dos trabalhos - Relatório Brundtland. DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL é aquele que responde às necessidades do presente sem comprometer as possibilidades das gerações futuras de satisfazer suas próprias necessidades. *SUSTENTÁVEL é usar racionalmente, sem desperdício (relação entre social - econômico - ambiental) PRESERVAR É DIFERENTE DE CONSERVAR ?
  • 7. Gabarito: D Resolução: O lixo e sua produção em grande quantidade é um problema marcante dos grandes centros urbanos mundiais. Uma possível solução seria o processo de reutilização a partir da reciclagem do lixo. Seria importante a fabricação de produtos reutilizáveis e biodegradáveis como forma de minimizar agressão ao meio ambiente
  • 9. EFEITO ESTUFA é o aquecimento global ? causas: a) queima de combustíveis fósseis. ex: carvão, petróleo, gás natural b) as queimadas. c) a pecuária. d) emissão dos clorofluorcarbonos (CFCs) e do gás metano. Não. O efeito estufa (origem natural e depois agravado a partir das revoluções Industriais) é a concentração de gases do efeito estufa na atmosfera. É essa concentração que dificulta a propagação das ondas de calor e reflete parte dessas ondas para a superfície da terra. Como consequência temos o aquecimento global. Consequência: aquecimento global, derretimento das geleiras, elevação do nível dos mares e oceanos, inundações catastróficas e a intensificação de outros problemas.
  • 10. Normalmente, as camadas de ar próximo à superfície são quentes e leves, sofrendo movimento ascendente. As camadas superiores são frias, pesadas e descendentes (circulação normal da atmosfera). A INVERSÃO TÉRMICA ocorre com mudança abrupta de temperatura no inverno. O camada de ar inferior fica fria e pesada, acaba estagnada próxima a superfície deixando de fazer o movimento ascendente, retendo os poluentes próximo a superfície causando doenças respiratórias e nos olhos. *A Inversão térmica é natural, mas a poluição tem causa antrópica.
  • 11.
  • 12. Como evitar as ilhas de calor - Rearborização (praças, bosques, parques no centro das cidades). - Diminuição e controle da emissão de gases poluentes emitidos por automóveis e indústrias. - Em alguns casos abertura de “janelas” para os rios. A ILHA DE CALOR ocorre com a elevação da temperatura no centro da área urbana se comparada a uma zona rural ou áreas periféricas. Calor excessivo no interior dos centros urbanos causa maior consumo de energia. CAUSAS: - Verticalização do espaço urbano (prédios). - Impermeabilização do solo (asfalto e calçadas). - Circulação de automóveis, presença de indústrias. - Desarborização.
  • 13. LINHAS ISOTÉRMAS São linhas que passam por pontos que apresentam a mesma temperatura.
  • 14.
  • 15. A chuva acida provém da reação dos óxidos de enxofre (SOx) e óxidos de azoto/nitrogénio (NOx). Ao reagiram com a água formam na atmosfera ácidos como o ácido sulfúrico e o acído nítrico. As principais fontes emissoras desses gases são a queima do carvão mineral, a circulação de automóveis e outras atividas industriais.
  • 16. Principais Consequências:  Acidez do solo e das águas.  Desfolhamento de florestas.  Corrosão de monumentos históricos. Solo pobre em nutrientes e mineiras com consequente enfraquecimento da vegetação. Efeitos da chuva ácida numa floresta. Montanhas de Jizera
  • 17. Camada de Ozônio 17 O ozônio encontra-se na atmosfera a uma altitude de 15 a 30 km (estratosfera). A camada de ozônio dificulta a passagem de raios UV que são prejudiciais ao homem por causarem câncer de pele, alteração no metabolismo das plantas e contribuírem para a elevação da temperatura. Gases como os Clorofluorcarbonos (CFCs) são os destruidores das moléculas de ozônio.
  • 18. PRINCIPAIS CAUSAS DO DESMATAMENTO 1. Extração da madeira para fins comerciais. 2. Implantação de projetos agropecuários. 3. Implantação de projetos de mineração. 4. Construção de usinas hidrelétricas. 5. Abertura de rodovias e construção de outras obras de infraestrutura.
  • 19. PRINCIPAIS CONSEQUÊNCIAS DO DESMATAMENTO 1. Destruição da biodiversidade. 2. Erosão e empobrecimento dos solos (Lixiviação e Laterização). 3. Assoreamento dos rios. 4. Diminuição dos índices pluviométricos. 5. Elevação da temperatura. 6. Desertificação.
  • 20. Poluição do solo É causada pela deposição no solo de produtos ou resíduos de produtos químicos tóxicos, radioativos, lixos biológicos, excesso de fertilizantes, óleos, graxas, etc. O solo perde sua função filtradora, colocando em risco o lençol de água subterrâneo. Fonte: www.joinville.udesc.br/portal/professores/masiero/.../ambiente_2011.ppt.
  • 21. Poluição Atmosférica A fumaça do escapamento de automóveis e as emissões aéreas das industrias causam a poluição atmosférica. Fonte: www.joinville.udesc.br/portal/professores/masiero/.../ambiente_2011.ppt.
  • 22. Poluição das Águas CATEGORIA EXEMPLO Industrial Fábricas de polpa e de papel, fábricas de químicos, fábricas de têxteis, fábricas de produtos alimentares. Municipal Estações de tratamento de esgotos que podem receber descargas indiretas de complexos industriais. Esgotos pluviais/ escoamento urbano Escoamento de superfícies impermeáveis incluindo ruas, edifícios e outras áreas pavimentadas para esgotos ou tubos antes de descarregarem para águas superficiais. Agrícola Excesso de fertilizantes que vão infiltrar-se no solo e poluir os lençóis de água subterrâneos e por sua vez os rios ou ribeiros onde estes vão dar. Extracção de recursos Minas Modificações hidrológicas Canalizações, construção de barragens. Fonte:www.joinville.udesc.br/portal/professores/masiero/.../ambiente_2011.ppt.
  • 24. Classificação dos resíduos sólidos para reciclagem Fonte: www.sjose.com.br – A questão do lixo no Brasil.
  • 25. Coleta de lixo no Brasil • Em 2009 quase 90% dos domicílios eram atendidos pela coleta regular de resíduos sólidos (em áreas urbanas o atendimento supera 98% das moradias e na zona rural apenas 33%). Fonte: www.sjose.com.br – A questão do lixo no Brasil.
  • 26. Coleta seletiva no Brasil Há hoje entre 400 e 600 mil catadores de materiais recicláveis no Brasil, com renda média entre R$420,00 e R$ 520,00. Fonte: www.sjose.com.br – A questão do lixo no Brasil.
  • 27. Contribuição dos cidadãos para solucionar o problema do lixo • Política dos Rs (educação ambiental): Recusar, Reduzir, Reutilizar, Recuperar e Reciclar; • Separação domiciliar do lixo em três partes: orgânico, reciclável e rejeito; • Resíduos com Logística Reversa obrigatória: pilhas e baterias, pneus, lâmpadas fluorescentes de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista, óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens, produtos eletroeletrônicos e seus componentes e resíduos de embalagens de agrotóxicos. Fonte: www.sjose.com.br – A questão do lixo no Brasil.