SlideShare uma empresa Scribd logo
~ 
Q" 
CAPíTULO 5 
MARKETING 
O QUE É, O QUE NÃO É 
A publicidade é parte integrante de um sistema maior denominado 
composto de marketing. Portanto, qualquer estudo introdutório sobre a 
publicidade deve, primeiramente, discutir o conceito de marketing, 
demonstrando como a atividade publicitária integra esse sistema e se relaciona 
com as outras partes que o compõem. A palavra marketing encontra-se 
difundida há muito tempo, em todas as línguas e culturas, sendo imediatamente 
relacionada ao mundo dos negócios. Porém, exceto os que lidam diretamente 
com essa atividade, poucos se preocupam com a correta definição do termo. O 
termo marketing muitas vezes é usado como sinônimo de publicidade. E em 
algumas ocasiões é confundido com vendas. Afinal. isso está certo ou errado? 
A resposta é sim e não. 
Como sugerem Semenik e Bamossy (1995), toda definição de marketing 
deve começar com uma discussão sobre o que o marketing não é: 
· Marketing não é publicidade - apesar de a publicidade ser uma atividade 
importante para o marketing, ela é apenas uma de suas 
responsabilidades. Além da publicidade, ou até se chegar a ela, muitas 
outras atividades têm de ser levadas a cabo.
'" 
481 PRINCIPIOS DA PUBLICIDADE 
· Marketing não é venda: da mesma forma. boa parte dos 
esforços de marketing estão direcionados à geração de vendas. 
Porém, essa é apenas uma das facetas do marketing, que 
também lida com outros aspectos de curto. médio e longo 
prazos, que ultrapassam em muito o objetivo de fazer alguém 
comprar um produto. 
· Marketing não é mera intuição: embora o bom senso seja 
indispensável em qualquer processo de tomada de decisão, o 
que os autores querem dizer é que as decisões de marketing 
envolvem a captação e sistematização racional de informações 
sobre o ambiente. Marketing é uma ciência. Portanto, não há 
fórmula mágica nem pessoas dotadas de capacidade 
excepcional para direcionar as ações da empresa no mercado. 
Qualquer estratégia de marketing deve estar ancorada na 
implementação de uma série de atividades racionalmente 
embasadas e concertadas. 
Feitas essas considerações, a definição formal de marketing, 
elaborada pela American Marketing Association (AMA) pode ser 
apresentada: 
Marketing é o processo de planejar e 
executar a concepção, o preço, a 
promoção e a distribuição de idéias, bens 
e serviços para criar relações de troca que 
satisfaçam objetivos individuais e 
organizacionais. 
A definição da AMA sintetiza claramente todos os propósitos do 
marketing e as atividades que o integram. Vejamos esse conceito por 
partes, comentando cada um dos termos grifados na citação acima. 
Comecemos pelos termos planejamento e execução: 
· Planejamento: o processo de marketing começa bem antes de se 
anunciar ou comercializar um produto. Nada é feito de improviso. 
Uma série de tarefas relacionada à inteligência de 
Capítulo 5 
MARKETING: O QUE t E O QUE NÃO É 149 
mercado deve ser desenvolvida antes mesmo de se pensar em 
qual produto se vai lançar. Essa inteligência engloba não só a 
investigação das necessidades e desej'os dos potenciais clientes. 
mas também o monitoramento das agências de regulamentação, 
os movimentos estratégicos dos concorrentes (dentro dos limites 
da ética empresarial, é claro). os avanços da ciência e tecnologia, o 
cenário econômico e até o clima entre os empregados. Essas 
informações devem alimentar o sistema de informações de 
marketing (SIM) da organização, cuja complexidade dependerá do 
porte, do número de produtos e da extensão dos mercados que ela 
atende. O SIM serve de apoio à tomada de decisões da empresa. 
Por exemplo: quais produtos novos o mercado está demandando e 
o que deve ser aprimorado nos produtos existentes? Qual o 
comportamento das pessoas com relação à compra e ao consumo 
dos produtos? Que regulamentações estão sendo baixadas pelos 
órgãos oficiais e que implicações elas têm para o negócio da 
empresa? Quais as perspectivas para o cenário econômico no 
próximo ano e como isso afetará a demanda pelos produtos da 
empresa? Qual é a tendência dos concorrentes e como ela afeta a 
estratégia da organização? Qual é o impacto da satisfação dos 
empregados na qualidade dos produtos? As respostas para essas 
perguntas contribuirão para a empresa traçar um "percurso" viável, 
diminuindo as incertezas e definindo aonde se quer chegar. 
· Execução: de nada vale um bom plano se ele não for implementado. 
Durante muito tempo, os teóricos e executivos do marketing 
buscaram uma resposta para a pergunta: o que é, efetivamente, a 
implementação do marketing? Day (1994) afirma que, durante a 
maior parte da sua história, o marketing foi mais um "ato de fé" do 
que uma base prática para o gerenciamento de um negócio. O que 
o autor critica é, na verdade, o fato de muitas organizações 
manterem o conceito de marketing apenas no discurso e pouco ser 
feito para a sua implementação de fato. Assim, desde início dos 
anos 1990 tem sido muito discutida a expressão orientação para o 
mercado. Uma empresa orientada para o mercado é aquela que 
gera inteligência no ambiente externo (com foco no cliente, na 
concorrência e nas demais
50 1 PRINCIPIOS DA PUBLICIDADE 
forças que afetam as decisões da empresa); dissemina essas 
informações através de toda a organização; e engaja um ou 
mais departamentos na elaboração e implementação de uma 
resposta para essa inteligência (Kohli e Jaworski. 1990). Para 
tanto, é fundamental que se formalize uma estratégia de 
marketing. Em outras palavras, deve-se traçar objetivos e metas, 
estabelecer prazos e designar as atribuições a todos os 
departamentos para que a organização, de fato, execute o que 
foi planejado. 
Outro ponto importante na definição apresentada envolve as quatro 
áreas básicas de decisão do marketing: o produto (idéias, bens e 
serviços). o preço, a praça (ou distribuição) e a promoção. Essas 
quatro áreas formam os chamados 4 p, expressão cunhada por 
McCarthy (1982), também chamada de composto (ou mix) de 
marketing. 
Figura 4 - O composto de marketing e as forças ambientais 
Capítulo 5 
MARKETlNG: O QUE t E O QUE NÃO t 151 
· Concepção de idéias, bens e serviços: como já se destacou no 
capítulo 3, toda organização tem um produto para ser ofertado ao 
mercado. Na verdade, a maioria delas tem mais de um produto. 
Esse sortimento de itens que a empresa disponibiliza aos clientes é 
chamado composto (ou mix) de produtos. É em torno deles que giram 
as preocupações dos profissionais de marketing, pois eles são a 
concretização da resposta da empresa às demandas do mercado. 
E como também já foi dito, eles visam a satisfazer às necessidades 
e desejos de pessoas e de outras organizações. Muitos produtos 
fracassam logo após o lançamento porque a sua concepção levou 
em conta apenas o que a empresa gostaria de oferecer e não o 
que os clientes realmente necessitavam ou desejavam. O sucesso 
da empresa no mercado está diretamente relacionado com o 
sucesso doIs) seu(s) produto(s). O objetivo maior de toda 
organização, pública ou privada, é a sua sobrevivência no 
mercado. E ela só vai sobreviver enquanto estiver oferecendo 
objetos, tangíveis ou intangíveis, que tragam valor aos clientes e 
que dêem algum tipo de retorno para a empresa. Portanto, uma 
das principais funções do marketing é contribuir para a pesquisa e 
desenvolvimento de produtos que satisfaçam objetivos individuais e 
organizacionais. 
· Preço: para fins mercadológicos, o conceito de preço vai muito além 
do dinheiro que as pessoas pagam por um produto. Envolve todos 
os custos e valores simbólicos considerados no processo de troca. 
Por que algumas pessoas pagam mais caro por um par de tênis 
com marca de grife, enquanto alguns similares podem satisfazer às 
mesmas necessidades funcionais? E por que às vezes os 
consumidores atravessam toda a cidade atrás da promoção de um 
aparelho de som com desconto de 10%, mas ao mesmo tempo 
compram uma caixa de fósforos na loja de conveniência da 
esquina, mesmo sabendo que, na mercearia situada três 
quarteirões abaixo, o mesmo produto custaria a metade do preço? 
Segundo Semenik e Bamossy (1995) o comprador avalia o preço 
através da percepção que ele tem em relação ao valor e à 
satisfação com o produto. Já o fornecedor deve analisar os custos 
relacionados à produção e comercialização
521 PRINCiPIOS DA PUBLICIDADE 
Capítulo 5 
MARKETlNG: O QUE É E O QUE NÃO É 153 
dos produtos e também diversas influências externas antes de 
estabelecer o preço. Concorrência. governo e intermediários 
também são fundamentais nesse processo. 
que necessitam investir mais na venda pessoal do que em 
publicidade; outras. em determinada época do ano. devem 
apostar alto nas promoções de vendas. É importante salientar 
que os itens do composto promocional são interdependentes. 
ainda que a organização invista mais em um deles do que nos 
outros. O ideal é que a empresa implemente uma coordenação 
entre as quatro atividades em direção ao que hoje se chamam 
comunicações integradas de marketing (Pride e FerreI!. 2001). 
· Praça ou distribuição: de nada adianta um bom produto. a um 
preço justo. se ele não for disponibilizado no lugar certo e no 
tempo certo. Para tanto. a organização envolve diversas pessoas 
e outras empresas encarregadas de direcionar o fluxo dos 
produtos até os consumidores - agentes. atacadistas e varejistas. 
São os chamados canais de marketing. As decisões sobre 
distribuição têm implicações fundamentais para o restante do mix 
mercadológico. Elas garantem o acesso do consumidor ao 
produto, envolvem negociações que refletem diretamente sobre o 
preço e devem ser gerenciadas em perfeita sincronia com a 
promoção e a produção. Um outro aspecto da distribuição é que 
ela é o item do composto de marketing sobre o qual a empresa 
tem menos controle. É muito mais fácil substituir um produto, 
mudar uma promoção e ajustar um preço do que obter controle 
sobre os canais de marketing. Na maioria das vezes, esses 
canais são constituídos por outras empresas. e a capacidade de 
a organização influenciar as decisões destas dependerá das 
relações de poder presentes na cadeia de distribuição. 
ORGANIZAÇÃO 
PUBLICIDADE VENDA 
PESSOAL RELAÇOES 
PÚBLICAS 
PROMOÇÃO DE 
VENDAS 
CLIENTE 
Figura 5 - O composto promocional 
· Promoção: é fundamental para qualquer organização criar e 
manter processos de comunicação com seus clientes. 
informando-os e predispondo-os a aceitar os produtos (valores) 
da organização pelos preços (valores) exigidos em troca. Muitas 
vezes. essa comunicação é usada também para que os diversos 
públicos almejados tenham uma atitude positiva em relação à sua 
imagem. As ações promocionais de uma organização 
normalmente envolvem várias ferramentas. que podem ser 
reunidas em quatro grandes grupos de atividades: publicidade. 
relações públicas, venda pessoal e promoções de vendas (cada um 
desses itens será definido mais detalhadamente no capítulo 6). 
Esse conjunto de atividades é denominado composto (ou mix) 
promocional. As decisões de promoção envolvem primeiramente 
estabelecer que ênfase será dada a cada item desse composto. 
Há empresas 
A divisão do composto de marketing em quatro áreas obedece a 
critérios funcionais - agrupam as atividades que mais têm em comum 
entre si - e critérios operacionais - identificam os quatro campos 
básicos de decisões de marketing. Isso não quer dizer. de maneira 
alguma. que sejam compartimentos estanques e que as decisões 
tomadas em uma área não afetem a outra. Em organizações de grande 
porte. é comum a área de marketing se departamentalizar nessas 
quatro áreas. No entanto. deve haver mecanismos de integração entre 
elas. pois a implementação do marketing não é um somatório de 
atividades e sim a síntese de um processo integrado.No capítulo 
seguinte será tratado com mais detalhe o item promoção. ao qual está 
diretamente relacionada a publicidade. tema deste livro.
521 PRINCiPIOS DA PUBLICIDADE 
Capítulo 5 
MARKETlNG: O QUE É E O QUE NÃO É 153 
dos produtos e também diversas influências externas antes de 
estabelecer o preço. Concorrência. governo e intermediários 
também são fundamentais nesse processo. 
que necessitam investir mais na venda pessoal do que em 
publicidade; outras. em determinada época do ano. devem 
apostar alto nas promoções de vendas. É importante salientar 
que os itens do composto promocional são interdependentes. 
ainda que a organização invista mais em um deles do que nos 
outros. O ideal é que a empresa implemente uma coordenação 
entre as quatro atividades em direção ao que hoje se chamam 
comunicações integradas de marketing (Pride e FerreI!. 2001). 
· Praça ou distribuição: de nada adianta um bom produto. a um 
preço justo. se ele não for disponibilizado no lugar certo e no 
tempo certo. Para tanto. a organização envolve diversas pessoas 
e outras empresas encarregadas de direcionar o fluxo dos 
produtos até os consumidores - agentes. atacadistas e varejistas. 
São os chamados canais de marketing. As decisões sobre 
distribuição têm implicações fundamentais para o restante do mix 
mercadológico. Elas garantem o acesso do consumidor ao 
produto, envolvem negociações que refletem diretamente sobre o 
preço e devem ser gerenciadas em perfeita sincronia com a 
promoção e a produção. Um outro aspecto da distribuição é que 
ela é o item do composto de marketing sobre o qual a empresa 
tem menos controle. É muito mais fácil substituir um produto, 
mudar uma promoção e ajustar um preço do que obter controle 
sobre os canais de marketing. Na maioria das vezes, esses 
canais são constituídos por outras empresas. e a capacidade de 
a organização influenciar as decisões destas dependerá das 
relações de poder presentes na cadeia de distribuição. 
ORGANIZAÇÃO 
PUBLICIDADE VENDA 
PESSOAL RELAÇOES 
PÚBLICAS 
PROMOÇÃO DE 
VENDAS 
CLIENTE 
Figura 5 - O composto promocional 
· Promoção: é fundamental para qualquer organização criar e 
manter processos de comunicação com seus clientes. 
informando-os e predispondo-os a aceitar os produtos (valores) 
da organização pelos preços (valores) exigidos em troca. Muitas 
vezes. essa comunicação é usada também para que os diversos 
públicos almejados tenham uma atitude positiva em relação à sua 
imagem. As ações promocionais de uma organização 
normalmente envolvem várias ferramentas. que podem ser 
reunidas em quatro grandes grupos de atividades: publicidade. 
relações públicas, venda pessoal e promoções de vendas (cada um 
desses itens será definido mais detalhadamente no capítulo 6). 
Esse conjunto de atividades é denominado composto (ou mix) 
promocional. As decisões de promoção envolvem primeiramente 
estabelecer que ênfase será dada a cada item desse composto. 
Há empresas 
A divisão do composto de marketing em quatro áreas obedece a 
critérios funcionais - agrupam as atividades que mais têm em comum 
entre si - e critérios operacionais - identificam os quatro campos 
básicos de decisões de marketing. Isso não quer dizer. de maneira 
alguma. que sejam compartimentos estanques e que as decisões 
tomadas em uma área não afetem a outra. Em organizações de grande 
porte. é comum a área de marketing se departamentalizar nessas 
quatro áreas. No entanto. deve haver mecanismos de integração entre 
elas. pois a implementação do marketing não é um somatório de 
atividades e sim a síntese de um processo integrado.No capítulo 
seguinte será tratado com mais detalhe o item promoção. ao qual está 
diretamente relacionada a publicidade. tema deste livro.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Market
MarketMarket
Gestão de marketing i
Gestão de marketing iGestão de marketing i
Gestão de marketing i
Derson Lopes Jr, Msc, PMP
 
Marketing Mix - UERJ2010
Marketing Mix - UERJ2010Marketing Mix - UERJ2010
Marketing Mix - UERJ2010
Paulo Mariano
 
Marketing e Relações Públicas: Eles devem ser parceiros ou rivais?
Marketing e Relações Públicas: Eles devem ser parceiros ou rivais?Marketing e Relações Públicas: Eles devem ser parceiros ou rivais?
Marketing e Relações Públicas: Eles devem ser parceiros ou rivais?
Anderson Lovato
 
Estratégia e Marketing
Estratégia e MarketingEstratégia e Marketing
Estratégia e Marketing
José Cruz
 
124248 1 3723_marketing_management
124248 1 3723_marketing_management124248 1 3723_marketing_management
124248 1 3723_marketing_management
Maria Aparecida de Medeiros
 
A Comunicação Integrada de Marketing como diferencial para a competitividade ...
A Comunicação Integrada de Marketing como diferencial para a competitividade ...A Comunicação Integrada de Marketing como diferencial para a competitividade ...
A Comunicação Integrada de Marketing como diferencial para a competitividade ...
ingridb1
 
Marketing
MarketingMarketing
Marketing
amattos76
 
Marketing estratégico
Marketing estratégicoMarketing estratégico
Marketing estratégico
Luciana Gomes
 
Marketing de Varejo - Informação em marketing las casas
Marketing de Varejo - Informação em marketing las casasMarketing de Varejo - Informação em marketing las casas
Marketing de Varejo - Informação em marketing las casas
Professor Sérgio Duarte
 
Marketing fim da guerra entre vendas marketing
Marketing   fim da guerra entre vendas marketingMarketing   fim da guerra entre vendas marketing
Marketing fim da guerra entre vendas marketing
Semente Estratégica Consultoria Ltda
 
Síntese - Marketing de relacionamento (livro)
Síntese - Marketing de relacionamento (livro)Síntese - Marketing de relacionamento (livro)
Síntese - Marketing de relacionamento (livro)
Jeferson L. Feuser
 
Desmistificando o marketing
Desmistificando o marketingDesmistificando o marketing
Desmistificando o marketing
WALDEMIRO BASTOS DE LIMA
 
Marketing Holístico e os 4P's do Marketing
Marketing Holístico e os 4P's do MarketingMarketing Holístico e os 4P's do Marketing
Marketing Holístico e os 4P's do Marketing
Rafael Gomes
 
Competitive strategies for marketing managers
Competitive strategies for marketing managersCompetitive strategies for marketing managers
Competitive strategies for marketing managers
Marcelo Hiene
 
Marketing Realidade Ou IntuiçãO
Marketing Realidade Ou IntuiçãOMarketing Realidade Ou IntuiçãO
Marketing Realidade Ou IntuiçãO
keilajsantos
 
Mkt De Relacionamento Mercado Securit Ebook
Mkt De Relacionamento Mercado Securit   EbookMkt De Relacionamento Mercado Securit   Ebook
Mkt De Relacionamento Mercado Securit Ebook
marketingcapixaba
 

Mais procurados (17)

Market
MarketMarket
Market
 
Gestão de marketing i
Gestão de marketing iGestão de marketing i
Gestão de marketing i
 
Marketing Mix - UERJ2010
Marketing Mix - UERJ2010Marketing Mix - UERJ2010
Marketing Mix - UERJ2010
 
Marketing e Relações Públicas: Eles devem ser parceiros ou rivais?
Marketing e Relações Públicas: Eles devem ser parceiros ou rivais?Marketing e Relações Públicas: Eles devem ser parceiros ou rivais?
Marketing e Relações Públicas: Eles devem ser parceiros ou rivais?
 
Estratégia e Marketing
Estratégia e MarketingEstratégia e Marketing
Estratégia e Marketing
 
124248 1 3723_marketing_management
124248 1 3723_marketing_management124248 1 3723_marketing_management
124248 1 3723_marketing_management
 
A Comunicação Integrada de Marketing como diferencial para a competitividade ...
A Comunicação Integrada de Marketing como diferencial para a competitividade ...A Comunicação Integrada de Marketing como diferencial para a competitividade ...
A Comunicação Integrada de Marketing como diferencial para a competitividade ...
 
Marketing
MarketingMarketing
Marketing
 
Marketing estratégico
Marketing estratégicoMarketing estratégico
Marketing estratégico
 
Marketing de Varejo - Informação em marketing las casas
Marketing de Varejo - Informação em marketing las casasMarketing de Varejo - Informação em marketing las casas
Marketing de Varejo - Informação em marketing las casas
 
Marketing fim da guerra entre vendas marketing
Marketing   fim da guerra entre vendas marketingMarketing   fim da guerra entre vendas marketing
Marketing fim da guerra entre vendas marketing
 
Síntese - Marketing de relacionamento (livro)
Síntese - Marketing de relacionamento (livro)Síntese - Marketing de relacionamento (livro)
Síntese - Marketing de relacionamento (livro)
 
Desmistificando o marketing
Desmistificando o marketingDesmistificando o marketing
Desmistificando o marketing
 
Marketing Holístico e os 4P's do Marketing
Marketing Holístico e os 4P's do MarketingMarketing Holístico e os 4P's do Marketing
Marketing Holístico e os 4P's do Marketing
 
Competitive strategies for marketing managers
Competitive strategies for marketing managersCompetitive strategies for marketing managers
Competitive strategies for marketing managers
 
Marketing Realidade Ou IntuiçãO
Marketing Realidade Ou IntuiçãOMarketing Realidade Ou IntuiçãO
Marketing Realidade Ou IntuiçãO
 
Mkt De Relacionamento Mercado Securit Ebook
Mkt De Relacionamento Mercado Securit   EbookMkt De Relacionamento Mercado Securit   Ebook
Mkt De Relacionamento Mercado Securit Ebook
 

Destaque

IBM publishes leadership 4-processor score for SPECvirt_sc2010 benchmark. IBM...
IBM publishes leadership 4-processor score for SPECvirt_sc2010 benchmark. IBM...IBM publishes leadership 4-processor score for SPECvirt_sc2010 benchmark. IBM...
IBM publishes leadership 4-processor score for SPECvirt_sc2010 benchmark. IBM...
IBM India Smarter Computing
 
Ses 11 material informativo
Ses 11 material informativoSes 11 material informativo
Ses 11 material informativo
deborah zevallos sibina
 
La web
La webLa web
La web
kevin01villa
 
Caa2015 esp - Traducción de Violeta Moreno Megías
Caa2015  esp - Traducción de Violeta Moreno MegíasCaa2015  esp - Traducción de Violeta Moreno Megías
Caa2015 esp - Traducción de Violeta Moreno Megías
pyArchInit
 
5-6
5-65-6
Sales Reps, get them on the phone
Sales Reps, get them on the phoneSales Reps, get them on the phone
Sales Reps, get them on the phone
Infusionsoft
 
Desastres naturales y antrópicos
Desastres naturales y antrópicosDesastres naturales y antrópicos
Desastres naturales y antrópicos
Nicole Rodriguez
 
Untitled 2
Untitled 2Untitled 2
Untitled 2
agnes70
 
Email marketing 2 0 dee allomong
Email marketing 2 0   dee allomongEmail marketing 2 0   dee allomong
Email marketing 2 0 dee allomong
Infusionsoft
 
February 2017 - NARUC Debate on Distributed Generation
February 2017 - NARUC Debate on Distributed GenerationFebruary 2017 - NARUC Debate on Distributed Generation
February 2017 - NARUC Debate on Distributed Generation
John Farrell
 

Destaque (10)

IBM publishes leadership 4-processor score for SPECvirt_sc2010 benchmark. IBM...
IBM publishes leadership 4-processor score for SPECvirt_sc2010 benchmark. IBM...IBM publishes leadership 4-processor score for SPECvirt_sc2010 benchmark. IBM...
IBM publishes leadership 4-processor score for SPECvirt_sc2010 benchmark. IBM...
 
Ses 11 material informativo
Ses 11 material informativoSes 11 material informativo
Ses 11 material informativo
 
La web
La webLa web
La web
 
Caa2015 esp - Traducción de Violeta Moreno Megías
Caa2015  esp - Traducción de Violeta Moreno MegíasCaa2015  esp - Traducción de Violeta Moreno Megías
Caa2015 esp - Traducción de Violeta Moreno Megías
 
5-6
5-65-6
5-6
 
Sales Reps, get them on the phone
Sales Reps, get them on the phoneSales Reps, get them on the phone
Sales Reps, get them on the phone
 
Desastres naturales y antrópicos
Desastres naturales y antrópicosDesastres naturales y antrópicos
Desastres naturales y antrópicos
 
Untitled 2
Untitled 2Untitled 2
Untitled 2
 
Email marketing 2 0 dee allomong
Email marketing 2 0   dee allomongEmail marketing 2 0   dee allomong
Email marketing 2 0 dee allomong
 
February 2017 - NARUC Debate on Distributed Generation
February 2017 - NARUC Debate on Distributed GenerationFebruary 2017 - NARUC Debate on Distributed Generation
February 2017 - NARUC Debate on Distributed Generation
 

Semelhante a Princípios da publicidade cap 5

Aula 03 empreendedorismo
Aula 03 empreendedorismoAula 03 empreendedorismo
Aula 03 empreendedorismo
Homero Alves de Lima
 
encontro_01_marketing.ppt
encontro_01_marketing.pptencontro_01_marketing.ppt
encontro_01_marketing.ppt
LeniomarMorais
 
Marketing
MarketingMarketing
Marketing
Viviane Galbiat
 
Marketing: definições, tarefas, tendências e desafios do profissional
Marketing: definições, tarefas, tendências e desafios do profissionalMarketing: definições, tarefas, tendências e desafios do profissional
Marketing: definições, tarefas, tendências e desafios do profissional
Guilherme Minuzzi
 
Marketing e Recursos Humanos
Marketing e Recursos HumanosMarketing e Recursos Humanos
Marketing e Recursos Humanos
Thiago Meira
 
A gestão de marketing como ferramenta competitiva.
A gestão de marketing como ferramenta competitiva.A gestão de marketing como ferramenta competitiva.
A gestão de marketing como ferramenta competitiva.
Sergio Montes
 
Textos extraídos e adaptados do livro de Marketing da UFPA
Textos extraídos e adaptados do livro de Marketing da UFPATextos extraídos e adaptados do livro de Marketing da UFPA
Textos extraídos e adaptados do livro de Marketing da UFPA
Mauricio Moraes
 
Gestão de marketing
Gestão de marketingGestão de marketing
Gestão de marketing
VALDIR CONCEICAO
 
Palestra marketing e vendas completa
Palestra  marketing e vendas   completaPalestra  marketing e vendas   completa
Palestra marketing e vendas completa
Rodrigo Brito
 
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
Fernando Monteiro D'Andrea
 
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
Fernando Monteiro D'Andrea
 
Aumentar as vendas
Aumentar as vendasAumentar as vendas
Aumentar as vendas
B&R Consultoria Empresarial
 
FUNESO - Adm. de Marketing I - 12.08
FUNESO - Adm. de Marketing I - 12.08FUNESO - Adm. de Marketing I - 12.08
FUNESO - Adm. de Marketing I - 12.08
Elton Rodrigues
 
História do marketing
História do marketingHistória do marketing
História do marketing
Mediadoraefa
 
GESTÃO AVANÇADA DE VENDAS - INTRODUÇÃO
GESTÃO AVANÇADA DE VENDAS - INTRODUÇÃOGESTÃO AVANÇADA DE VENDAS - INTRODUÇÃO
GESTÃO AVANÇADA DE VENDAS - INTRODUÇÃO
ADMFRANCISCOTHIAGOSA
 
Administração de vendas e marketing modulo 1
Administração de vendas e marketing   modulo 1Administração de vendas e marketing   modulo 1
Administração de vendas e marketing modulo 1
Paulo Bastos
 
Capítulo 1
Capítulo 1Capítulo 1
Capítulo 1
Neilany Sousa
 
EAD Pernambuco - Técnico em Administração - Marketing
EAD Pernambuco - Técnico em Administração -  Marketing EAD Pernambuco - Técnico em Administração -  Marketing
EAD Pernambuco - Técnico em Administração - Marketing
Universidade de Pernambuco
 
(Administraçaomercadologicai)
(Administraçaomercadologicai)(Administraçaomercadologicai)
(Administraçaomercadologicai)
Luciano Soares dos Santos
 
Mix
MixMix

Semelhante a Princípios da publicidade cap 5 (20)

Aula 03 empreendedorismo
Aula 03 empreendedorismoAula 03 empreendedorismo
Aula 03 empreendedorismo
 
encontro_01_marketing.ppt
encontro_01_marketing.pptencontro_01_marketing.ppt
encontro_01_marketing.ppt
 
Marketing
MarketingMarketing
Marketing
 
Marketing: definições, tarefas, tendências e desafios do profissional
Marketing: definições, tarefas, tendências e desafios do profissionalMarketing: definições, tarefas, tendências e desafios do profissional
Marketing: definições, tarefas, tendências e desafios do profissional
 
Marketing e Recursos Humanos
Marketing e Recursos HumanosMarketing e Recursos Humanos
Marketing e Recursos Humanos
 
A gestão de marketing como ferramenta competitiva.
A gestão de marketing como ferramenta competitiva.A gestão de marketing como ferramenta competitiva.
A gestão de marketing como ferramenta competitiva.
 
Textos extraídos e adaptados do livro de Marketing da UFPA
Textos extraídos e adaptados do livro de Marketing da UFPATextos extraídos e adaptados do livro de Marketing da UFPA
Textos extraídos e adaptados do livro de Marketing da UFPA
 
Gestão de marketing
Gestão de marketingGestão de marketing
Gestão de marketing
 
Palestra marketing e vendas completa
Palestra  marketing e vendas   completaPalestra  marketing e vendas   completa
Palestra marketing e vendas completa
 
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
 
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
2012 08-09 - aula 04 - 4 p's
 
Aumentar as vendas
Aumentar as vendasAumentar as vendas
Aumentar as vendas
 
FUNESO - Adm. de Marketing I - 12.08
FUNESO - Adm. de Marketing I - 12.08FUNESO - Adm. de Marketing I - 12.08
FUNESO - Adm. de Marketing I - 12.08
 
História do marketing
História do marketingHistória do marketing
História do marketing
 
GESTÃO AVANÇADA DE VENDAS - INTRODUÇÃO
GESTÃO AVANÇADA DE VENDAS - INTRODUÇÃOGESTÃO AVANÇADA DE VENDAS - INTRODUÇÃO
GESTÃO AVANÇADA DE VENDAS - INTRODUÇÃO
 
Administração de vendas e marketing modulo 1
Administração de vendas e marketing   modulo 1Administração de vendas e marketing   modulo 1
Administração de vendas e marketing modulo 1
 
Capítulo 1
Capítulo 1Capítulo 1
Capítulo 1
 
EAD Pernambuco - Técnico em Administração - Marketing
EAD Pernambuco - Técnico em Administração -  Marketing EAD Pernambuco - Técnico em Administração -  Marketing
EAD Pernambuco - Técnico em Administração - Marketing
 
(Administraçaomercadologicai)
(Administraçaomercadologicai)(Administraçaomercadologicai)
(Administraçaomercadologicai)
 
Mix
MixMix
Mix
 

Mais de Blogotipos - Diário das Marcas

Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Significado das cores para outros paises
Significado das cores para outros paisesSignificado das cores para outros paises
Significado das cores para outros paises
Blogotipos - Diário das Marcas
 
Significado das cores riccardo benetti
Significado das cores   riccardo benettiSignificado das cores   riccardo benetti
Significado das cores riccardo benetti
Blogotipos - Diário das Marcas
 
Hsv
HsvHsv
Entendendo as cores e seus significados
Entendendo as cores e seus significadosEntendendo as cores e seus significados
Entendendo as cores e seus significados
Blogotipos - Diário das Marcas
 
Daltonismo
DaltonismoDaltonismo
Cor
CorCor
Cor nas artes visuais
Cor nas artes visuaisCor nas artes visuais
Cor nas artes visuais
Blogotipos - Diário das Marcas
 
Cor na teatro
Cor na teatroCor na teatro
Cor na sinalização
Cor na sinalizaçãoCor na sinalização
Cor na sinalização
Blogotipos - Diário das Marcas
 
Cor na psicologia
Cor na psicologiaCor na psicologia
Cor na moda
Cor na modaCor na moda
Cor na arquitectura
Cor na arquitecturaCor na arquitectura
Cor na arquitectura
Blogotipos - Diário das Marcas
 
Cor azul
Cor azulCor azul
Anexo lista de cores
Anexo   lista de coresAnexo   lista de cores
Anexo lista de cores
Blogotipos - Diário das Marcas
 
A cor
A corA cor
Teoria da cor estudo de algumas cores ii
Teoria da cor   estudo de algumas cores iiTeoria da cor   estudo de algumas cores ii
Teoria da cor estudo de algumas cores ii
Blogotipos - Diário das Marcas
 
Teoria da cor estudo de algumas cores i
Teoria da cor   estudo de algumas cores iTeoria da cor   estudo de algumas cores i
Teoria da cor estudo de algumas cores i
Blogotipos - Diário das Marcas
 
Teoria da cor estudo de algumas cores ii
Teoria da cor   estudo de algumas cores iiTeoria da cor   estudo de algumas cores ii
Teoria da cor estudo de algumas cores ii
Blogotipos - Diário das Marcas
 
Teoria da cor estudo de algumas cores i
Teoria da cor   estudo de algumas cores iTeoria da cor   estudo de algumas cores i
Teoria da cor estudo de algumas cores i
Blogotipos - Diário das Marcas
 

Mais de Blogotipos - Diário das Marcas (20)

Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 
Significado das cores para outros paises
Significado das cores para outros paisesSignificado das cores para outros paises
Significado das cores para outros paises
 
Significado das cores riccardo benetti
Significado das cores   riccardo benettiSignificado das cores   riccardo benetti
Significado das cores riccardo benetti
 
Hsv
HsvHsv
Hsv
 
Entendendo as cores e seus significados
Entendendo as cores e seus significadosEntendendo as cores e seus significados
Entendendo as cores e seus significados
 
Daltonismo
DaltonismoDaltonismo
Daltonismo
 
Cor
CorCor
Cor
 
Cor nas artes visuais
Cor nas artes visuaisCor nas artes visuais
Cor nas artes visuais
 
Cor na teatro
Cor na teatroCor na teatro
Cor na teatro
 
Cor na sinalização
Cor na sinalizaçãoCor na sinalização
Cor na sinalização
 
Cor na psicologia
Cor na psicologiaCor na psicologia
Cor na psicologia
 
Cor na moda
Cor na modaCor na moda
Cor na moda
 
Cor na arquitectura
Cor na arquitecturaCor na arquitectura
Cor na arquitectura
 
Cor azul
Cor azulCor azul
Cor azul
 
Anexo lista de cores
Anexo   lista de coresAnexo   lista de cores
Anexo lista de cores
 
A cor
A corA cor
A cor
 
Teoria da cor estudo de algumas cores ii
Teoria da cor   estudo de algumas cores iiTeoria da cor   estudo de algumas cores ii
Teoria da cor estudo de algumas cores ii
 
Teoria da cor estudo de algumas cores i
Teoria da cor   estudo de algumas cores iTeoria da cor   estudo de algumas cores i
Teoria da cor estudo de algumas cores i
 
Teoria da cor estudo de algumas cores ii
Teoria da cor   estudo de algumas cores iiTeoria da cor   estudo de algumas cores ii
Teoria da cor estudo de algumas cores ii
 
Teoria da cor estudo de algumas cores i
Teoria da cor   estudo de algumas cores iTeoria da cor   estudo de algumas cores i
Teoria da cor estudo de algumas cores i
 

Último

Apresentação CALERIELIFE APN CURTA SOMENTE PLANO DE MARKETING 10-JUNHO-2024.pdf
Apresentação CALERIELIFE APN CURTA SOMENTE PLANO DE MARKETING 10-JUNHO-2024.pdfApresentação CALERIELIFE APN CURTA SOMENTE PLANO DE MARKETING 10-JUNHO-2024.pdf
Apresentação CALERIELIFE APN CURTA SOMENTE PLANO DE MARKETING 10-JUNHO-2024.pdf
CalerieLife Brasil
 
Allergan | Roadshow | Eventos em clínicas médicas
Allergan | Roadshow | Eventos em clínicas médicasAllergan | Roadshow | Eventos em clínicas médicas
Allergan | Roadshow | Eventos em clínicas médicas
Jonas Jaeger
 
Apresentação CALERIELIFE APN CURTA 34 SLIDES PLANO DE MARKETING 10-JUNHO-2024...
Apresentação CALERIELIFE APN CURTA 34 SLIDES PLANO DE MARKETING 10-JUNHO-2024...Apresentação CALERIELIFE APN CURTA 34 SLIDES PLANO DE MARKETING 10-JUNHO-2024...
Apresentação CALERIELIFE APN CURTA 34 SLIDES PLANO DE MARKETING 10-JUNHO-2024...
CalerieLife Brasil
 
AON Festa de Final de Ano | Projeto vencedor de concorrência
AON Festa de Final de Ano | Projeto vencedor de concorrênciaAON Festa de Final de Ano | Projeto vencedor de concorrência
AON Festa de Final de Ano | Projeto vencedor de concorrência
Jonas Jaeger
 
Allergan | Convenção de Vendas | Projeto vencedor de concorrência
Allergan | Convenção de Vendas | Projeto vencedor de concorrênciaAllergan | Convenção de Vendas | Projeto vencedor de concorrência
Allergan | Convenção de Vendas | Projeto vencedor de concorrência
Jonas Jaeger
 
Corteva | Plano de Incentivo | Projeto vencedor de concorrência
Corteva | Plano de Incentivo | Projeto vencedor de concorrênciaCorteva | Plano de Incentivo | Projeto vencedor de concorrência
Corteva | Plano de Incentivo | Projeto vencedor de concorrência
Jonas Jaeger
 
Nestlé | Brand Plan Nestronutri | Publicis
Nestlé | Brand Plan Nestronutri | PublicisNestlé | Brand Plan Nestronutri | Publicis
Nestlé | Brand Plan Nestronutri | Publicis
Jonas Jaeger
 
Checklist de Inspeção Predial - Enchentes no RS
Checklist de Inspeção Predial - Enchentes no RSChecklist de Inspeção Predial - Enchentes no RS
Checklist de Inspeção Predial - Enchentes no RS
sindiconet
 
Coleção Origens .
Coleção Origens                          .Coleção Origens                          .
Coleção Origens .
mktjan
 
MAPFRE | Evento Liderança | Projeto vencedor de concorrência
MAPFRE | Evento Liderança | Projeto vencedor de concorrênciaMAPFRE | Evento Liderança | Projeto vencedor de concorrência
MAPFRE | Evento Liderança | Projeto vencedor de concorrência
Jonas Jaeger
 
Trabalho de Branding (etapa 1) - Havaianas
Trabalho de Branding (etapa 1) - HavaianasTrabalho de Branding (etapa 1) - Havaianas
Trabalho de Branding (etapa 1) - Havaianas
giovannamezavilla
 
Plano de Marketing / Plano de Compensação 10/06/2024
Plano de Marketing / Plano de Compensação 10/06/2024Plano de Marketing / Plano de Compensação 10/06/2024
Plano de Marketing / Plano de Compensação 10/06/2024
CalerieLife Brasil
 

Último (12)

Apresentação CALERIELIFE APN CURTA SOMENTE PLANO DE MARKETING 10-JUNHO-2024.pdf
Apresentação CALERIELIFE APN CURTA SOMENTE PLANO DE MARKETING 10-JUNHO-2024.pdfApresentação CALERIELIFE APN CURTA SOMENTE PLANO DE MARKETING 10-JUNHO-2024.pdf
Apresentação CALERIELIFE APN CURTA SOMENTE PLANO DE MARKETING 10-JUNHO-2024.pdf
 
Allergan | Roadshow | Eventos em clínicas médicas
Allergan | Roadshow | Eventos em clínicas médicasAllergan | Roadshow | Eventos em clínicas médicas
Allergan | Roadshow | Eventos em clínicas médicas
 
Apresentação CALERIELIFE APN CURTA 34 SLIDES PLANO DE MARKETING 10-JUNHO-2024...
Apresentação CALERIELIFE APN CURTA 34 SLIDES PLANO DE MARKETING 10-JUNHO-2024...Apresentação CALERIELIFE APN CURTA 34 SLIDES PLANO DE MARKETING 10-JUNHO-2024...
Apresentação CALERIELIFE APN CURTA 34 SLIDES PLANO DE MARKETING 10-JUNHO-2024...
 
AON Festa de Final de Ano | Projeto vencedor de concorrência
AON Festa de Final de Ano | Projeto vencedor de concorrênciaAON Festa de Final de Ano | Projeto vencedor de concorrência
AON Festa de Final de Ano | Projeto vencedor de concorrência
 
Allergan | Convenção de Vendas | Projeto vencedor de concorrência
Allergan | Convenção de Vendas | Projeto vencedor de concorrênciaAllergan | Convenção de Vendas | Projeto vencedor de concorrência
Allergan | Convenção de Vendas | Projeto vencedor de concorrência
 
Corteva | Plano de Incentivo | Projeto vencedor de concorrência
Corteva | Plano de Incentivo | Projeto vencedor de concorrênciaCorteva | Plano de Incentivo | Projeto vencedor de concorrência
Corteva | Plano de Incentivo | Projeto vencedor de concorrência
 
Nestlé | Brand Plan Nestronutri | Publicis
Nestlé | Brand Plan Nestronutri | PublicisNestlé | Brand Plan Nestronutri | Publicis
Nestlé | Brand Plan Nestronutri | Publicis
 
Checklist de Inspeção Predial - Enchentes no RS
Checklist de Inspeção Predial - Enchentes no RSChecklist de Inspeção Predial - Enchentes no RS
Checklist de Inspeção Predial - Enchentes no RS
 
Coleção Origens .
Coleção Origens                          .Coleção Origens                          .
Coleção Origens .
 
MAPFRE | Evento Liderança | Projeto vencedor de concorrência
MAPFRE | Evento Liderança | Projeto vencedor de concorrênciaMAPFRE | Evento Liderança | Projeto vencedor de concorrência
MAPFRE | Evento Liderança | Projeto vencedor de concorrência
 
Trabalho de Branding (etapa 1) - Havaianas
Trabalho de Branding (etapa 1) - HavaianasTrabalho de Branding (etapa 1) - Havaianas
Trabalho de Branding (etapa 1) - Havaianas
 
Plano de Marketing / Plano de Compensação 10/06/2024
Plano de Marketing / Plano de Compensação 10/06/2024Plano de Marketing / Plano de Compensação 10/06/2024
Plano de Marketing / Plano de Compensação 10/06/2024
 

Princípios da publicidade cap 5

  • 1. ~ Q" CAPíTULO 5 MARKETING O QUE É, O QUE NÃO É A publicidade é parte integrante de um sistema maior denominado composto de marketing. Portanto, qualquer estudo introdutório sobre a publicidade deve, primeiramente, discutir o conceito de marketing, demonstrando como a atividade publicitária integra esse sistema e se relaciona com as outras partes que o compõem. A palavra marketing encontra-se difundida há muito tempo, em todas as línguas e culturas, sendo imediatamente relacionada ao mundo dos negócios. Porém, exceto os que lidam diretamente com essa atividade, poucos se preocupam com a correta definição do termo. O termo marketing muitas vezes é usado como sinônimo de publicidade. E em algumas ocasiões é confundido com vendas. Afinal. isso está certo ou errado? A resposta é sim e não. Como sugerem Semenik e Bamossy (1995), toda definição de marketing deve começar com uma discussão sobre o que o marketing não é: · Marketing não é publicidade - apesar de a publicidade ser uma atividade importante para o marketing, ela é apenas uma de suas responsabilidades. Além da publicidade, ou até se chegar a ela, muitas outras atividades têm de ser levadas a cabo.
  • 2. '" 481 PRINCIPIOS DA PUBLICIDADE · Marketing não é venda: da mesma forma. boa parte dos esforços de marketing estão direcionados à geração de vendas. Porém, essa é apenas uma das facetas do marketing, que também lida com outros aspectos de curto. médio e longo prazos, que ultrapassam em muito o objetivo de fazer alguém comprar um produto. · Marketing não é mera intuição: embora o bom senso seja indispensável em qualquer processo de tomada de decisão, o que os autores querem dizer é que as decisões de marketing envolvem a captação e sistematização racional de informações sobre o ambiente. Marketing é uma ciência. Portanto, não há fórmula mágica nem pessoas dotadas de capacidade excepcional para direcionar as ações da empresa no mercado. Qualquer estratégia de marketing deve estar ancorada na implementação de uma série de atividades racionalmente embasadas e concertadas. Feitas essas considerações, a definição formal de marketing, elaborada pela American Marketing Association (AMA) pode ser apresentada: Marketing é o processo de planejar e executar a concepção, o preço, a promoção e a distribuição de idéias, bens e serviços para criar relações de troca que satisfaçam objetivos individuais e organizacionais. A definição da AMA sintetiza claramente todos os propósitos do marketing e as atividades que o integram. Vejamos esse conceito por partes, comentando cada um dos termos grifados na citação acima. Comecemos pelos termos planejamento e execução: · Planejamento: o processo de marketing começa bem antes de se anunciar ou comercializar um produto. Nada é feito de improviso. Uma série de tarefas relacionada à inteligência de Capítulo 5 MARKETING: O QUE t E O QUE NÃO É 149 mercado deve ser desenvolvida antes mesmo de se pensar em qual produto se vai lançar. Essa inteligência engloba não só a investigação das necessidades e desej'os dos potenciais clientes. mas também o monitoramento das agências de regulamentação, os movimentos estratégicos dos concorrentes (dentro dos limites da ética empresarial, é claro). os avanços da ciência e tecnologia, o cenário econômico e até o clima entre os empregados. Essas informações devem alimentar o sistema de informações de marketing (SIM) da organização, cuja complexidade dependerá do porte, do número de produtos e da extensão dos mercados que ela atende. O SIM serve de apoio à tomada de decisões da empresa. Por exemplo: quais produtos novos o mercado está demandando e o que deve ser aprimorado nos produtos existentes? Qual o comportamento das pessoas com relação à compra e ao consumo dos produtos? Que regulamentações estão sendo baixadas pelos órgãos oficiais e que implicações elas têm para o negócio da empresa? Quais as perspectivas para o cenário econômico no próximo ano e como isso afetará a demanda pelos produtos da empresa? Qual é a tendência dos concorrentes e como ela afeta a estratégia da organização? Qual é o impacto da satisfação dos empregados na qualidade dos produtos? As respostas para essas perguntas contribuirão para a empresa traçar um "percurso" viável, diminuindo as incertezas e definindo aonde se quer chegar. · Execução: de nada vale um bom plano se ele não for implementado. Durante muito tempo, os teóricos e executivos do marketing buscaram uma resposta para a pergunta: o que é, efetivamente, a implementação do marketing? Day (1994) afirma que, durante a maior parte da sua história, o marketing foi mais um "ato de fé" do que uma base prática para o gerenciamento de um negócio. O que o autor critica é, na verdade, o fato de muitas organizações manterem o conceito de marketing apenas no discurso e pouco ser feito para a sua implementação de fato. Assim, desde início dos anos 1990 tem sido muito discutida a expressão orientação para o mercado. Uma empresa orientada para o mercado é aquela que gera inteligência no ambiente externo (com foco no cliente, na concorrência e nas demais
  • 3. 50 1 PRINCIPIOS DA PUBLICIDADE forças que afetam as decisões da empresa); dissemina essas informações através de toda a organização; e engaja um ou mais departamentos na elaboração e implementação de uma resposta para essa inteligência (Kohli e Jaworski. 1990). Para tanto, é fundamental que se formalize uma estratégia de marketing. Em outras palavras, deve-se traçar objetivos e metas, estabelecer prazos e designar as atribuições a todos os departamentos para que a organização, de fato, execute o que foi planejado. Outro ponto importante na definição apresentada envolve as quatro áreas básicas de decisão do marketing: o produto (idéias, bens e serviços). o preço, a praça (ou distribuição) e a promoção. Essas quatro áreas formam os chamados 4 p, expressão cunhada por McCarthy (1982), também chamada de composto (ou mix) de marketing. Figura 4 - O composto de marketing e as forças ambientais Capítulo 5 MARKETlNG: O QUE t E O QUE NÃO t 151 · Concepção de idéias, bens e serviços: como já se destacou no capítulo 3, toda organização tem um produto para ser ofertado ao mercado. Na verdade, a maioria delas tem mais de um produto. Esse sortimento de itens que a empresa disponibiliza aos clientes é chamado composto (ou mix) de produtos. É em torno deles que giram as preocupações dos profissionais de marketing, pois eles são a concretização da resposta da empresa às demandas do mercado. E como também já foi dito, eles visam a satisfazer às necessidades e desejos de pessoas e de outras organizações. Muitos produtos fracassam logo após o lançamento porque a sua concepção levou em conta apenas o que a empresa gostaria de oferecer e não o que os clientes realmente necessitavam ou desejavam. O sucesso da empresa no mercado está diretamente relacionado com o sucesso doIs) seu(s) produto(s). O objetivo maior de toda organização, pública ou privada, é a sua sobrevivência no mercado. E ela só vai sobreviver enquanto estiver oferecendo objetos, tangíveis ou intangíveis, que tragam valor aos clientes e que dêem algum tipo de retorno para a empresa. Portanto, uma das principais funções do marketing é contribuir para a pesquisa e desenvolvimento de produtos que satisfaçam objetivos individuais e organizacionais. · Preço: para fins mercadológicos, o conceito de preço vai muito além do dinheiro que as pessoas pagam por um produto. Envolve todos os custos e valores simbólicos considerados no processo de troca. Por que algumas pessoas pagam mais caro por um par de tênis com marca de grife, enquanto alguns similares podem satisfazer às mesmas necessidades funcionais? E por que às vezes os consumidores atravessam toda a cidade atrás da promoção de um aparelho de som com desconto de 10%, mas ao mesmo tempo compram uma caixa de fósforos na loja de conveniência da esquina, mesmo sabendo que, na mercearia situada três quarteirões abaixo, o mesmo produto custaria a metade do preço? Segundo Semenik e Bamossy (1995) o comprador avalia o preço através da percepção que ele tem em relação ao valor e à satisfação com o produto. Já o fornecedor deve analisar os custos relacionados à produção e comercialização
  • 4.
  • 5. 521 PRINCiPIOS DA PUBLICIDADE Capítulo 5 MARKETlNG: O QUE É E O QUE NÃO É 153 dos produtos e também diversas influências externas antes de estabelecer o preço. Concorrência. governo e intermediários também são fundamentais nesse processo. que necessitam investir mais na venda pessoal do que em publicidade; outras. em determinada época do ano. devem apostar alto nas promoções de vendas. É importante salientar que os itens do composto promocional são interdependentes. ainda que a organização invista mais em um deles do que nos outros. O ideal é que a empresa implemente uma coordenação entre as quatro atividades em direção ao que hoje se chamam comunicações integradas de marketing (Pride e FerreI!. 2001). · Praça ou distribuição: de nada adianta um bom produto. a um preço justo. se ele não for disponibilizado no lugar certo e no tempo certo. Para tanto. a organização envolve diversas pessoas e outras empresas encarregadas de direcionar o fluxo dos produtos até os consumidores - agentes. atacadistas e varejistas. São os chamados canais de marketing. As decisões sobre distribuição têm implicações fundamentais para o restante do mix mercadológico. Elas garantem o acesso do consumidor ao produto, envolvem negociações que refletem diretamente sobre o preço e devem ser gerenciadas em perfeita sincronia com a promoção e a produção. Um outro aspecto da distribuição é que ela é o item do composto de marketing sobre o qual a empresa tem menos controle. É muito mais fácil substituir um produto, mudar uma promoção e ajustar um preço do que obter controle sobre os canais de marketing. Na maioria das vezes, esses canais são constituídos por outras empresas. e a capacidade de a organização influenciar as decisões destas dependerá das relações de poder presentes na cadeia de distribuição. ORGANIZAÇÃO PUBLICIDADE VENDA PESSOAL RELAÇOES PÚBLICAS PROMOÇÃO DE VENDAS CLIENTE Figura 5 - O composto promocional · Promoção: é fundamental para qualquer organização criar e manter processos de comunicação com seus clientes. informando-os e predispondo-os a aceitar os produtos (valores) da organização pelos preços (valores) exigidos em troca. Muitas vezes. essa comunicação é usada também para que os diversos públicos almejados tenham uma atitude positiva em relação à sua imagem. As ações promocionais de uma organização normalmente envolvem várias ferramentas. que podem ser reunidas em quatro grandes grupos de atividades: publicidade. relações públicas, venda pessoal e promoções de vendas (cada um desses itens será definido mais detalhadamente no capítulo 6). Esse conjunto de atividades é denominado composto (ou mix) promocional. As decisões de promoção envolvem primeiramente estabelecer que ênfase será dada a cada item desse composto. Há empresas A divisão do composto de marketing em quatro áreas obedece a critérios funcionais - agrupam as atividades que mais têm em comum entre si - e critérios operacionais - identificam os quatro campos básicos de decisões de marketing. Isso não quer dizer. de maneira alguma. que sejam compartimentos estanques e que as decisões tomadas em uma área não afetem a outra. Em organizações de grande porte. é comum a área de marketing se departamentalizar nessas quatro áreas. No entanto. deve haver mecanismos de integração entre elas. pois a implementação do marketing não é um somatório de atividades e sim a síntese de um processo integrado.No capítulo seguinte será tratado com mais detalhe o item promoção. ao qual está diretamente relacionada a publicidade. tema deste livro.
  • 6. 521 PRINCiPIOS DA PUBLICIDADE Capítulo 5 MARKETlNG: O QUE É E O QUE NÃO É 153 dos produtos e também diversas influências externas antes de estabelecer o preço. Concorrência. governo e intermediários também são fundamentais nesse processo. que necessitam investir mais na venda pessoal do que em publicidade; outras. em determinada época do ano. devem apostar alto nas promoções de vendas. É importante salientar que os itens do composto promocional são interdependentes. ainda que a organização invista mais em um deles do que nos outros. O ideal é que a empresa implemente uma coordenação entre as quatro atividades em direção ao que hoje se chamam comunicações integradas de marketing (Pride e FerreI!. 2001). · Praça ou distribuição: de nada adianta um bom produto. a um preço justo. se ele não for disponibilizado no lugar certo e no tempo certo. Para tanto. a organização envolve diversas pessoas e outras empresas encarregadas de direcionar o fluxo dos produtos até os consumidores - agentes. atacadistas e varejistas. São os chamados canais de marketing. As decisões sobre distribuição têm implicações fundamentais para o restante do mix mercadológico. Elas garantem o acesso do consumidor ao produto, envolvem negociações que refletem diretamente sobre o preço e devem ser gerenciadas em perfeita sincronia com a promoção e a produção. Um outro aspecto da distribuição é que ela é o item do composto de marketing sobre o qual a empresa tem menos controle. É muito mais fácil substituir um produto, mudar uma promoção e ajustar um preço do que obter controle sobre os canais de marketing. Na maioria das vezes, esses canais são constituídos por outras empresas. e a capacidade de a organização influenciar as decisões destas dependerá das relações de poder presentes na cadeia de distribuição. ORGANIZAÇÃO PUBLICIDADE VENDA PESSOAL RELAÇOES PÚBLICAS PROMOÇÃO DE VENDAS CLIENTE Figura 5 - O composto promocional · Promoção: é fundamental para qualquer organização criar e manter processos de comunicação com seus clientes. informando-os e predispondo-os a aceitar os produtos (valores) da organização pelos preços (valores) exigidos em troca. Muitas vezes. essa comunicação é usada também para que os diversos públicos almejados tenham uma atitude positiva em relação à sua imagem. As ações promocionais de uma organização normalmente envolvem várias ferramentas. que podem ser reunidas em quatro grandes grupos de atividades: publicidade. relações públicas, venda pessoal e promoções de vendas (cada um desses itens será definido mais detalhadamente no capítulo 6). Esse conjunto de atividades é denominado composto (ou mix) promocional. As decisões de promoção envolvem primeiramente estabelecer que ênfase será dada a cada item desse composto. Há empresas A divisão do composto de marketing em quatro áreas obedece a critérios funcionais - agrupam as atividades que mais têm em comum entre si - e critérios operacionais - identificam os quatro campos básicos de decisões de marketing. Isso não quer dizer. de maneira alguma. que sejam compartimentos estanques e que as decisões tomadas em uma área não afetem a outra. Em organizações de grande porte. é comum a área de marketing se departamentalizar nessas quatro áreas. No entanto. deve haver mecanismos de integração entre elas. pois a implementação do marketing não é um somatório de atividades e sim a síntese de um processo integrado.No capítulo seguinte será tratado com mais detalhe o item promoção. ao qual está diretamente relacionada a publicidade. tema deste livro.