SlideShare uma empresa Scribd logo
NOVA REPÚBLICA
1985-…
O PROCESSO DE REDEMOCRATIZAÇÃO
•Dentro do processo de abertura orquestrado pelos
militares, percebemos um processo de retorno das
estruturas democráticas:
Volta do pluripartidarismo (setembro de 1979);
Eleições diretas para governadores (novembro de
1980)
Os sindicatos lutaram pela sua autonomia frente
ao Estado – “Novo Sindicalismo”
Novas estruturas sociais de luta surgiram: CUT
(1983) e MST (1984)
O PROCESSO DE REDEMOCRATIZAÇÃO
A Campanha “Diretas Já” demonstrava o ímpeto
da sociedade pelo retorno à democracia
Vitória da “oposição” nas eleições de 1985 – a
ruptura do PFL do PDS ajudou o PMDB a eleger
Tancredo Neves.
Desafios
•Políticos:
Lidar com um país “traumatizado”, sem
lideranças populares e que “desaprendera” a votar
(voto indireto, Lei Falcão)
Reestabelecer a confiança da população nas
estruturas do Estado, em especial o Executivo e o
Legislativo.
•Econômicos:
Recuperar a economia que, desde 1980, tinha
superinflação (acima de 100%) e alto
endividamento externo (mais de U$ 200 bilhões)
Desafios
A economia brasileira não crescia de forma
sustentável há mais de 25 anos, ou seja, antes
mesmo dos militares assumirem.
Melhorar as condições de vida da população
urbana e rural, aparelhar o Estado quanto ao
assistencialismo e promover o desenvolvimento
econômico do país.
Governo Sarney (1985-1990)
•Assumiu em 15/03/1985 no lugar de Tancredo
Neves. Com a morte deste, em 21/04/1985, tomou
posse como presidente definitivo.
•Forte insatisfação e desconfiança popular – “O povo
não esquece, Sarney é PDS”.
•Desafio de baixar a inflação (mais de 200%) e
conduzir à redemocratização.
•Tentativa de assentamento de família através do
Plano Nacional de Reforma Agrária (PNRA) – conflitos
entre MST e UDR (União Democrática Ruralista) –
assassinatos e violência no campo – Chico Mendes
•10/05/1985 – surge a expressão “Nova República“
(Ulysses Guimarães) através da Emenda
Constitucional que:
 restabeleceu as eleições diretas para prefeitos das
capitais e das cidades consideradas como áreas de
segurança nacional;
direito de voto aos analfabetos e aos jovens
maiores de 16 anos;
Extinção da fidelidade partidária e abrandamento
das exigências para registro de novos partidos
(retorno do PCB e do PC do B e o surgimento de um
grande número de pequenas agremiações);
convocação da Assembleia Nacional Constituinte.
•Na economia, tivemos 4 planos econômicos que
visavam acabar com a inflação, mas esta só subia
(fevereiro de 1990 estava mais de 2000%). Foram 10
ministros da Fazenda.
•Plano Cruzado (01/03/1986) - primeiro ano de
governo inflação em 225,16%. Dílson Funaro:
Criou o Cruzado, cortando três zeros do Cruzeiro;
Congelamento de preços por um ano e também os
salários, pelo valor médio dos últimos seis meses
acrescido de um abono de 8%.
Criação do "gatilho salarial": toda vez que a
inflação atingir ou ultrapassar 20%, os assalariados
teriam um reajuste automático no mesmo valor, mais
as diferenças negociadas nos dissídios das diferentes
categorias.
•O Plano Cruzado teve efeitos positivos por 4
meses. A inflação caiu e as “fiscais da Sunab” se
multiplicavam. Houve aumento de consumo e
crescimento de poder aquisitivo por conta de
sucessivos aumentos salariais.
•Como consequência, houve desabastecimento,
cobrança de ágio e retirada maciça de recursos
das poupanças.
•Mesmo com esse quadro o governo segurou o
plano até depois das eleições, que acabou dando
quase todos os governo estaduais para o PMDB.
•Em 21/11/1986, Funaro lançou o Plano Cruzado
II que:
Liberou preços, salários, taxas e aluguéis;
Aumento de impostos.
•Como consequência tivemos declínio das
exportações e aumento nas importações, com
fuga de reservas monetárias.
•Em 20/01/1987 o governo decretou a moratória
(suspensão de pagamento) da dívida externa.
•Demissão de Funaro e posse de Bresser.
•29/04/1987 – Plano Bresser: fim do abono
salarial (PIS), fim do gatilho salarial, congelamento
de preços por dois meses e aumento de impostos
e tarifas públicas. O déficit público era o grande
vilão do momento. Adiamento e grandes obras
públicas (ferrovia Norte-Sul, COMPERJ e trem bala
RJ-SP)
•Início de negociações com o FMI para o
pagamento da dívida.
•Saiu Bresser entrou Maílson da Nóbrega (janeiro
de 88): política do “feijão com arroz” – conviver
com a inflação para evitar a superinflação.
Fracasso: final de 1988 inflação de mais de 900%
•Em 15/01/1989 – Plano Verão: criação do
Cruzado Novo, congelamento de salários e
produtos, privatização de estatais, fim da correção
monetária e exoneração de funcionários públicos
com menos de 5 anos de serviço.
•Não adiantou. Os cortes públicos não tiveram
efeito e a inflação chegou a 2700% em fevereiro
de 1990.
•Na política, destacamos a promulgação da nova
Constituição, em 05/10/1988. Destaque para as
garantias individuais e coletivas.
Nova República
Nova República
Nova República
GOVERNO COLLOR (1990-92)
•Disputada campanha eleitoral, com vitória sobre
Lula no segundo turno, graças a “boca de urna”.
•Formação da “República das Alagoas”. Plano
Collor: assim que assumiu confiscou as poupanças
com mais de 50 mil cruzados novos, criou o
cruzeiro e congelou preços e serviços.
•A pouca eficácia do plano econômico levou ao
Plano Collor II, que reeditou o congelamento de
salários e preços (fevereiro de 91).
•Recessão econômica, com a falência e
fechamento de empresas nacionais. Desemprego
GOVERNO COLLOR (1990-92)
•Implantação do neoliberalismo: venda de estatais,
redução de tarifas alfandegárias, estímulo a
importação e redução no assistencialismo estatal.
•Criação do Mercosul (julho de 1990).
•Descoberta de uma grande rede de corrupção.
Estouro do “Esquema PC Farias”.
•Movimento “cara-pintada” pedindo o
impeachment de Collor.
•29/09/1992 – A Câmara dos Deputados votou
pelo impedimento do presidente que renunciou
tentando não ser atingido pelas punições.
Nova República
Nova República
Nova República
Nova República
Nova República
GOVERNO ITAMAR FRANCO (1992-94)
•Fama de honesto e enérgico. Rompera com Collor
quando houve o escândalo PC Farias.
•Nacionalista, atenuou as privatizações e anunciou
medidas de ajuste fiscal.
•Houve privatizações, pois era a forma do governo
ganhar capital: CSN, AçoMinas e Cosipa
(Siderúrgica Paulista).
•A inflação em 1992 bateu quase 5000%.
•Plebiscito de 1993 – República (66%) ou
Monarquia (10%). Parlamentarismo (24,7%) ou
Presidencialismo (55%).
GOVERNO ITAMAR FRANCO (1992-94)
•Corte no assistencialismo social, mas criação do
CPMF.
•Em maio de 1993, assumiu o novo ministro da
Fazenda, Fernando Henrique Cardoso. Criação da
URV (unidade real de valor) antevendo um novo
plano econômico. Era o indexador da economia,
com alterações diárias.
•01/07/1994 – Plano Real: criação no Real e
paridade com o dólar. Contenção da inflação.
Nova República
Nova República
Carnaval de 1994 –
Liliam Ramos
GOVERNO FHC (1995-2002)
•Militante de esquerda durante o Regime Militar,
foi aposentado aos 37 anos e exilado.
•Como ministro da Fazenda de Itamar, criara o
Plano Real. Disputou com Lula e venceu as eleições
de 1994.
•Contexto de fim da URSS e imposição do
neoliberalismo aos países “emergentes”.
•Redução das tarifas alfandegárias, queda da
inflação, aumento de consumo, venda de estatais e
reformas previdenciárias, educacionais e
trabalhistas.
GOVERNO FHC (1995-2002)
•A maior parte das reformas ocorreu por conta da
“cartilha do FMI” que seguia o Consenso de
Washington que fixavam metas de desenvolvimento
aos países signatários.
•Venda de grandes estatais (Vale do Rio Doce, Telebrás
e Banespa) e emenda da reeleição.
•Seu primeiro governo foi marcado por crises em
outros países “emergentes”.
•A crise da Rússia de 1997/98 permitiu uma
desvalorização do Real, queda das importações e
equilíbrio na balança comercial.
•Criação do Mercosul (1995)
GOVERNO FHC (1995-2002)
•Com o aumento das exportações e valorização do
mercado interno houve modernização das
empresas brasileiras e mecanização da produção.
•Seu segundo mandato ficou marcado pelo alto
desemprego e, consequentemente, baixo
crescimento econômico. Houve, ainda, o apagão
elétrico.
•Os dois mandatos de FHC ficaram marcados pela
forte agitação da esquerda, greves de
universidades e invasões do MST.
GOVERNO LULA (2003-2010)
•“Lulinha paz e amor” - aliança entre PT e PL para
disputar as eleições. Vitória depois de 3 tentativas.
•Projetos assistencialistas como “Fome Zero” e “Bolsa
Família” foram possíveis graças a estabilidades
econômica herdada de FHC (baixa inflação).
•Sufocou o “abril vermelho” proposto pelo MST.
•Diminuiu a prática neoliberal, mas não a abandonou
completamente.
•Crescimento do poder aquisitivo do trabalhador com
o aumento do salário mínimo (R$ 200,00 em 2002
para R$ 510,00 em 2010)
GOVERNO LULA (2003-2010)
•Aumento do consumismo e desenvolvimento
econômico. Crescimento das empresas nacionais.
•Redução dos índices de pobreza e crescimento do
PIB.
•Reconhecimento das agências internacionais.
Copa do Mundo de Futebol (2014) e Olimpíadas
(2016). Neutralidade diante de regimes ditatoriais
como Cuba e Irã e proximidade com a Venezuela.
•Escândalo do “Mensalão” (2005) – afetou a
imagem do governo e derrubou José Dirceu.
GOVERNO LULA (2003-2010)
•Apesar do “Mensalão” conseguiu se reeleger,
contando com ampla votação no Norte e
Nordeste.
•Diminuiu a desigualdade social promovendo forte
assistencialismo, mas deixou de realizar reformas
importantes como a tributária, a previdenciária e
até na CLT.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
Elaine Bogo Pavani
 
3º ano era vargas
3º ano   era vargas3º ano   era vargas
3º ano era vargas
Daniel Alves Bronstrup
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
Rodrigo Luiz
 
Janio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulartJanio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulart
harlissoncarvalho
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
guest12728e
 
O populismo no brasil
O populismo no brasilO populismo no brasil
O populismo no brasil
homago
 
História Brasil - Segundo Reinado (completo)
História Brasil - Segundo Reinado (completo)História Brasil - Segundo Reinado (completo)
História Brasil - Segundo Reinado (completo)
isameucci
 
3° ano República da Espada
3° ano   República da Espada3° ano   República da Espada
3° ano República da Espada
Daniel Alves Bronstrup
 
Primeira republica
Primeira republicaPrimeira republica
Primeira republica
Bruno E Geyse Ornelas
 
Populismo na America Latina e no Brasil
Populismo na America Latina e no BrasilPopulismo na America Latina e no Brasil
Populismo na America Latina e no Brasil
Natalia Guerino
 
Republica oligarquica
Republica oligarquicaRepublica oligarquica
Republica oligarquica
Ygor Henrique
 
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteRepública Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
Valéria Shoujofan
 
A crise mundial de 1929
A crise mundial de 1929A crise mundial de 1929
A crise mundial de 1929
Edenilson Morais
 
A Nova República: o governo Sarney
A Nova República: o governo SarneyA Nova República: o governo Sarney
A Nova República: o governo Sarney
Edenilson Morais
 
2015 República Velha Extensivo
2015 República Velha Extensivo2015 República Velha Extensivo
2015 República Velha Extensivo
MARIANO C7S
 
Governo Collor
Governo Collor Governo Collor
Governo Collor
Valéria Shoujofan
 
SLIDES – O TENENTISMO BRASILEIRO E A COLUNA PRESTES.
SLIDES – O TENENTISMO BRASILEIRO E A COLUNA PRESTES.SLIDES – O TENENTISMO BRASILEIRO E A COLUNA PRESTES.
SLIDES – O TENENTISMO BRASILEIRO E A COLUNA PRESTES.
Tissiane Gomes
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
isameucci
 
Independência da américa
Independência da américaIndependência da américa
Independência da américa
harlissoncarvalho
 
3º ano - Era Vargas 1930-1945
3º ano  - Era Vargas 1930-19453º ano  - Era Vargas 1930-1945
3º ano - Era Vargas 1930-1945
Daniel Alves Bronstrup
 

Mais procurados (20)

Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
3º ano era vargas
3º ano   era vargas3º ano   era vargas
3º ano era vargas
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
 
Janio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulartJanio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulart
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
 
O populismo no brasil
O populismo no brasilO populismo no brasil
O populismo no brasil
 
História Brasil - Segundo Reinado (completo)
História Brasil - Segundo Reinado (completo)História Brasil - Segundo Reinado (completo)
História Brasil - Segundo Reinado (completo)
 
3° ano República da Espada
3° ano   República da Espada3° ano   República da Espada
3° ano República da Espada
 
Primeira republica
Primeira republicaPrimeira republica
Primeira republica
 
Populismo na America Latina e no Brasil
Populismo na America Latina e no BrasilPopulismo na America Latina e no Brasil
Populismo na America Latina e no Brasil
 
Republica oligarquica
Republica oligarquicaRepublica oligarquica
Republica oligarquica
 
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteRepública Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
 
A crise mundial de 1929
A crise mundial de 1929A crise mundial de 1929
A crise mundial de 1929
 
A Nova República: o governo Sarney
A Nova República: o governo SarneyA Nova República: o governo Sarney
A Nova República: o governo Sarney
 
2015 República Velha Extensivo
2015 República Velha Extensivo2015 República Velha Extensivo
2015 República Velha Extensivo
 
Governo Collor
Governo Collor Governo Collor
Governo Collor
 
SLIDES – O TENENTISMO BRASILEIRO E A COLUNA PRESTES.
SLIDES – O TENENTISMO BRASILEIRO E A COLUNA PRESTES.SLIDES – O TENENTISMO BRASILEIRO E A COLUNA PRESTES.
SLIDES – O TENENTISMO BRASILEIRO E A COLUNA PRESTES.
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Independência da américa
Independência da américaIndependência da américa
Independência da américa
 
3º ano - Era Vargas 1930-1945
3º ano  - Era Vargas 1930-19453º ano  - Era Vargas 1930-1945
3º ano - Era Vargas 1930-1945
 

Semelhante a Nova República

De sarney a lula
De sarney a lulaDe sarney a lula
De sarney a lula
Valeria Kosicki
 
Governos militares
Governos militaresGovernos militares
Governos militares
Flor Martha S. Ferreira
 
Brasil 1985 até itamar
Brasil    1985 até itamarBrasil    1985 até itamar
Brasil 1985 até itamar
historiando
 
9º ano - PÓS DITADURA
9º ano - PÓS DITADURA9º ano - PÓS DITADURA
9º ano - PÓS DITADURA
Janaína Bindá
 
Resumão Nova República - Parte 1
Resumão Nova República - Parte 1Resumão Nova República - Parte 1
Resumão Nova República - Parte 1
Valéria Shoujofan
 
A economia brasileira 1985 geografia
A economia brasileira  1985 geografiaA economia brasileira  1985 geografia
A economia brasileira 1985 geografia
Delmira Pereira Muniz
 
A economia brasileira a partir de 1985
A economia brasileira a partir de 1985A economia brasileira a partir de 1985
A economia brasileira a partir de 1985
Josenilson S'ilva
 
Brasil contemporâneo ou Nova República (1985-2018).pdf
Brasil contemporâneo ou Nova República (1985-2018).pdfBrasil contemporâneo ou Nova República (1985-2018).pdf
Brasil contemporâneo ou Nova República (1985-2018).pdf
SamucaCantoreli
 
Resumo e atividades sobre nova república
Resumo e atividades sobre  nova repúblicaResumo e atividades sobre  nova república
Resumo e atividades sobre nova república
Atividades Diversas Cláudia
 
O Período Sarney
O Período Sarney O Período Sarney
O Período Sarney
aygresc
 
O governo sarney slide
O governo sarney  slideO governo sarney  slide
O governo sarney slide
daianespereira
 
O governo sarney slide
O governo sarney  slideO governo sarney  slide
O governo sarney slide
daianespereira
 
Nova república
Nova repúblicaNova república
Nova republica
Nova republicaNova republica
Nova republica
Privada
 
Conteúdo recuperação história Eduardo
Conteúdo recuperação história   EduardoConteúdo recuperação história   Eduardo
Conteúdo recuperação história Eduardo
rafaelcef3
 
Resumo de história
Resumo de históriaResumo de história
Resumo de história
Caio Sousa
 
BRASIL 1985 A 1988
BRASIL 1985 A 1988BRASIL 1985 A 1988
BRASIL 1985 A 1988
RaphaelFerreira926156
 
Do regime militar_a_nova_republica
Do regime militar_a_nova_republicaDo regime militar_a_nova_republica
Do regime militar_a_nova_republica
secretaria estadual de educação
 
Brasil 1985 até itamar
Brasil 1985 até itamarBrasil 1985 até itamar
Brasil 1985 até itamar
Nelia Salles Nantes
 
#Brasil - Períodos Econômicos, 20 Anos Plano Real.ppt
#Brasil - Períodos Econômicos, 20 Anos Plano Real.ppt#Brasil - Períodos Econômicos, 20 Anos Plano Real.ppt
#Brasil - Períodos Econômicos, 20 Anos Plano Real.ppt
anacardoso258774
 

Semelhante a Nova República (20)

De sarney a lula
De sarney a lulaDe sarney a lula
De sarney a lula
 
Governos militares
Governos militaresGovernos militares
Governos militares
 
Brasil 1985 até itamar
Brasil    1985 até itamarBrasil    1985 até itamar
Brasil 1985 até itamar
 
9º ano - PÓS DITADURA
9º ano - PÓS DITADURA9º ano - PÓS DITADURA
9º ano - PÓS DITADURA
 
Resumão Nova República - Parte 1
Resumão Nova República - Parte 1Resumão Nova República - Parte 1
Resumão Nova República - Parte 1
 
A economia brasileira 1985 geografia
A economia brasileira  1985 geografiaA economia brasileira  1985 geografia
A economia brasileira 1985 geografia
 
A economia brasileira a partir de 1985
A economia brasileira a partir de 1985A economia brasileira a partir de 1985
A economia brasileira a partir de 1985
 
Brasil contemporâneo ou Nova República (1985-2018).pdf
Brasil contemporâneo ou Nova República (1985-2018).pdfBrasil contemporâneo ou Nova República (1985-2018).pdf
Brasil contemporâneo ou Nova República (1985-2018).pdf
 
Resumo e atividades sobre nova república
Resumo e atividades sobre  nova repúblicaResumo e atividades sobre  nova república
Resumo e atividades sobre nova república
 
O Período Sarney
O Período Sarney O Período Sarney
O Período Sarney
 
O governo sarney slide
O governo sarney  slideO governo sarney  slide
O governo sarney slide
 
O governo sarney slide
O governo sarney  slideO governo sarney  slide
O governo sarney slide
 
Nova república
Nova repúblicaNova república
Nova república
 
Nova republica
Nova republicaNova republica
Nova republica
 
Conteúdo recuperação história Eduardo
Conteúdo recuperação história   EduardoConteúdo recuperação história   Eduardo
Conteúdo recuperação história Eduardo
 
Resumo de história
Resumo de históriaResumo de história
Resumo de história
 
BRASIL 1985 A 1988
BRASIL 1985 A 1988BRASIL 1985 A 1988
BRASIL 1985 A 1988
 
Do regime militar_a_nova_republica
Do regime militar_a_nova_republicaDo regime militar_a_nova_republica
Do regime militar_a_nova_republica
 
Brasil 1985 até itamar
Brasil 1985 até itamarBrasil 1985 até itamar
Brasil 1985 até itamar
 
#Brasil - Períodos Econômicos, 20 Anos Plano Real.ppt
#Brasil - Períodos Econômicos, 20 Anos Plano Real.ppt#Brasil - Períodos Econômicos, 20 Anos Plano Real.ppt
#Brasil - Períodos Econômicos, 20 Anos Plano Real.ppt
 

Mais de Bruno E Geyse Ornelas

A era Vargas (1930 1945)
A era Vargas (1930 1945)A era Vargas (1930 1945)
A era Vargas (1930 1945)
Bruno E Geyse Ornelas
 
Primeira guerra
Primeira guerraPrimeira guerra
Primeira guerra
Bruno E Geyse Ornelas
 
Regime militar2
Regime militar2Regime militar2
Regime militar2
Bruno E Geyse Ornelas
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Bruno E Geyse Ornelas
 
O Imperialismo
O ImperialismoO Imperialismo
O Imperialismo
Bruno E Geyse Ornelas
 
II reinado (1840 1889)
II reinado (1840 1889)II reinado (1840 1889)
II reinado (1840 1889)
Bruno E Geyse Ornelas
 
Da independência do brasil ao primeiro reinado
Da independência do brasil ao primeiro reinadoDa independência do brasil ao primeiro reinado
Da independência do brasil ao primeiro reinado
Bruno E Geyse Ornelas
 
Brasil colônia seculo XVIII
Brasil colônia seculo XVIIIBrasil colônia seculo XVIII
Brasil colônia seculo XVIII
Bruno E Geyse Ornelas
 
Brasil colônia seculo XVI
Brasil colônia seculo XVIBrasil colônia seculo XVI
Brasil colônia seculo XVI
Bruno E Geyse Ornelas
 
A república liberal
A república liberalA república liberal
A república liberal
Bruno E Geyse Ornelas
 
A era vargas (1930 1945)
A era vargas (1930 1945)A era vargas (1930 1945)
A era vargas (1930 1945)
Bruno E Geyse Ornelas
 
Brasil colônia seculo XVII
Brasil colônia seculo XVIIBrasil colônia seculo XVII
Brasil colônia seculo XVII
Bruno E Geyse Ornelas
 

Mais de Bruno E Geyse Ornelas (12)

A era Vargas (1930 1945)
A era Vargas (1930 1945)A era Vargas (1930 1945)
A era Vargas (1930 1945)
 
Primeira guerra
Primeira guerraPrimeira guerra
Primeira guerra
 
Regime militar2
Regime militar2Regime militar2
Regime militar2
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
O Imperialismo
O ImperialismoO Imperialismo
O Imperialismo
 
II reinado (1840 1889)
II reinado (1840 1889)II reinado (1840 1889)
II reinado (1840 1889)
 
Da independência do brasil ao primeiro reinado
Da independência do brasil ao primeiro reinadoDa independência do brasil ao primeiro reinado
Da independência do brasil ao primeiro reinado
 
Brasil colônia seculo XVIII
Brasil colônia seculo XVIIIBrasil colônia seculo XVIII
Brasil colônia seculo XVIII
 
Brasil colônia seculo XVI
Brasil colônia seculo XVIBrasil colônia seculo XVI
Brasil colônia seculo XVI
 
A república liberal
A república liberalA república liberal
A república liberal
 
A era vargas (1930 1945)
A era vargas (1930 1945)A era vargas (1930 1945)
A era vargas (1930 1945)
 
Brasil colônia seculo XVII
Brasil colônia seculo XVIIBrasil colônia seculo XVII
Brasil colônia seculo XVII
 

Último

A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 

Nova República

  • 2. O PROCESSO DE REDEMOCRATIZAÇÃO •Dentro do processo de abertura orquestrado pelos militares, percebemos um processo de retorno das estruturas democráticas: Volta do pluripartidarismo (setembro de 1979); Eleições diretas para governadores (novembro de 1980) Os sindicatos lutaram pela sua autonomia frente ao Estado – “Novo Sindicalismo” Novas estruturas sociais de luta surgiram: CUT (1983) e MST (1984)
  • 3. O PROCESSO DE REDEMOCRATIZAÇÃO A Campanha “Diretas Já” demonstrava o ímpeto da sociedade pelo retorno à democracia Vitória da “oposição” nas eleições de 1985 – a ruptura do PFL do PDS ajudou o PMDB a eleger Tancredo Neves.
  • 4. Desafios •Políticos: Lidar com um país “traumatizado”, sem lideranças populares e que “desaprendera” a votar (voto indireto, Lei Falcão) Reestabelecer a confiança da população nas estruturas do Estado, em especial o Executivo e o Legislativo. •Econômicos: Recuperar a economia que, desde 1980, tinha superinflação (acima de 100%) e alto endividamento externo (mais de U$ 200 bilhões)
  • 5. Desafios A economia brasileira não crescia de forma sustentável há mais de 25 anos, ou seja, antes mesmo dos militares assumirem. Melhorar as condições de vida da população urbana e rural, aparelhar o Estado quanto ao assistencialismo e promover o desenvolvimento econômico do país.
  • 6. Governo Sarney (1985-1990) •Assumiu em 15/03/1985 no lugar de Tancredo Neves. Com a morte deste, em 21/04/1985, tomou posse como presidente definitivo. •Forte insatisfação e desconfiança popular – “O povo não esquece, Sarney é PDS”. •Desafio de baixar a inflação (mais de 200%) e conduzir à redemocratização. •Tentativa de assentamento de família através do Plano Nacional de Reforma Agrária (PNRA) – conflitos entre MST e UDR (União Democrática Ruralista) – assassinatos e violência no campo – Chico Mendes
  • 7. •10/05/1985 – surge a expressão “Nova República“ (Ulysses Guimarães) através da Emenda Constitucional que:  restabeleceu as eleições diretas para prefeitos das capitais e das cidades consideradas como áreas de segurança nacional; direito de voto aos analfabetos e aos jovens maiores de 16 anos; Extinção da fidelidade partidária e abrandamento das exigências para registro de novos partidos (retorno do PCB e do PC do B e o surgimento de um grande número de pequenas agremiações); convocação da Assembleia Nacional Constituinte.
  • 8. •Na economia, tivemos 4 planos econômicos que visavam acabar com a inflação, mas esta só subia (fevereiro de 1990 estava mais de 2000%). Foram 10 ministros da Fazenda. •Plano Cruzado (01/03/1986) - primeiro ano de governo inflação em 225,16%. Dílson Funaro: Criou o Cruzado, cortando três zeros do Cruzeiro; Congelamento de preços por um ano e também os salários, pelo valor médio dos últimos seis meses acrescido de um abono de 8%. Criação do "gatilho salarial": toda vez que a inflação atingir ou ultrapassar 20%, os assalariados teriam um reajuste automático no mesmo valor, mais as diferenças negociadas nos dissídios das diferentes categorias.
  • 9. •O Plano Cruzado teve efeitos positivos por 4 meses. A inflação caiu e as “fiscais da Sunab” se multiplicavam. Houve aumento de consumo e crescimento de poder aquisitivo por conta de sucessivos aumentos salariais. •Como consequência, houve desabastecimento, cobrança de ágio e retirada maciça de recursos das poupanças. •Mesmo com esse quadro o governo segurou o plano até depois das eleições, que acabou dando quase todos os governo estaduais para o PMDB.
  • 10. •Em 21/11/1986, Funaro lançou o Plano Cruzado II que: Liberou preços, salários, taxas e aluguéis; Aumento de impostos. •Como consequência tivemos declínio das exportações e aumento nas importações, com fuga de reservas monetárias. •Em 20/01/1987 o governo decretou a moratória (suspensão de pagamento) da dívida externa. •Demissão de Funaro e posse de Bresser.
  • 11. •29/04/1987 – Plano Bresser: fim do abono salarial (PIS), fim do gatilho salarial, congelamento de preços por dois meses e aumento de impostos e tarifas públicas. O déficit público era o grande vilão do momento. Adiamento e grandes obras públicas (ferrovia Norte-Sul, COMPERJ e trem bala RJ-SP) •Início de negociações com o FMI para o pagamento da dívida. •Saiu Bresser entrou Maílson da Nóbrega (janeiro de 88): política do “feijão com arroz” – conviver com a inflação para evitar a superinflação. Fracasso: final de 1988 inflação de mais de 900%
  • 12. •Em 15/01/1989 – Plano Verão: criação do Cruzado Novo, congelamento de salários e produtos, privatização de estatais, fim da correção monetária e exoneração de funcionários públicos com menos de 5 anos de serviço. •Não adiantou. Os cortes públicos não tiveram efeito e a inflação chegou a 2700% em fevereiro de 1990. •Na política, destacamos a promulgação da nova Constituição, em 05/10/1988. Destaque para as garantias individuais e coletivas.
  • 16. GOVERNO COLLOR (1990-92) •Disputada campanha eleitoral, com vitória sobre Lula no segundo turno, graças a “boca de urna”. •Formação da “República das Alagoas”. Plano Collor: assim que assumiu confiscou as poupanças com mais de 50 mil cruzados novos, criou o cruzeiro e congelou preços e serviços. •A pouca eficácia do plano econômico levou ao Plano Collor II, que reeditou o congelamento de salários e preços (fevereiro de 91). •Recessão econômica, com a falência e fechamento de empresas nacionais. Desemprego
  • 17. GOVERNO COLLOR (1990-92) •Implantação do neoliberalismo: venda de estatais, redução de tarifas alfandegárias, estímulo a importação e redução no assistencialismo estatal. •Criação do Mercosul (julho de 1990). •Descoberta de uma grande rede de corrupção. Estouro do “Esquema PC Farias”. •Movimento “cara-pintada” pedindo o impeachment de Collor. •29/09/1992 – A Câmara dos Deputados votou pelo impedimento do presidente que renunciou tentando não ser atingido pelas punições.
  • 23. GOVERNO ITAMAR FRANCO (1992-94) •Fama de honesto e enérgico. Rompera com Collor quando houve o escândalo PC Farias. •Nacionalista, atenuou as privatizações e anunciou medidas de ajuste fiscal. •Houve privatizações, pois era a forma do governo ganhar capital: CSN, AçoMinas e Cosipa (Siderúrgica Paulista). •A inflação em 1992 bateu quase 5000%. •Plebiscito de 1993 – República (66%) ou Monarquia (10%). Parlamentarismo (24,7%) ou Presidencialismo (55%).
  • 24. GOVERNO ITAMAR FRANCO (1992-94) •Corte no assistencialismo social, mas criação do CPMF. •Em maio de 1993, assumiu o novo ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso. Criação da URV (unidade real de valor) antevendo um novo plano econômico. Era o indexador da economia, com alterações diárias. •01/07/1994 – Plano Real: criação no Real e paridade com o dólar. Contenção da inflação.
  • 27. Carnaval de 1994 – Liliam Ramos
  • 28. GOVERNO FHC (1995-2002) •Militante de esquerda durante o Regime Militar, foi aposentado aos 37 anos e exilado. •Como ministro da Fazenda de Itamar, criara o Plano Real. Disputou com Lula e venceu as eleições de 1994. •Contexto de fim da URSS e imposição do neoliberalismo aos países “emergentes”. •Redução das tarifas alfandegárias, queda da inflação, aumento de consumo, venda de estatais e reformas previdenciárias, educacionais e trabalhistas.
  • 29. GOVERNO FHC (1995-2002) •A maior parte das reformas ocorreu por conta da “cartilha do FMI” que seguia o Consenso de Washington que fixavam metas de desenvolvimento aos países signatários. •Venda de grandes estatais (Vale do Rio Doce, Telebrás e Banespa) e emenda da reeleição. •Seu primeiro governo foi marcado por crises em outros países “emergentes”. •A crise da Rússia de 1997/98 permitiu uma desvalorização do Real, queda das importações e equilíbrio na balança comercial. •Criação do Mercosul (1995)
  • 30. GOVERNO FHC (1995-2002) •Com o aumento das exportações e valorização do mercado interno houve modernização das empresas brasileiras e mecanização da produção. •Seu segundo mandato ficou marcado pelo alto desemprego e, consequentemente, baixo crescimento econômico. Houve, ainda, o apagão elétrico. •Os dois mandatos de FHC ficaram marcados pela forte agitação da esquerda, greves de universidades e invasões do MST.
  • 31. GOVERNO LULA (2003-2010) •“Lulinha paz e amor” - aliança entre PT e PL para disputar as eleições. Vitória depois de 3 tentativas. •Projetos assistencialistas como “Fome Zero” e “Bolsa Família” foram possíveis graças a estabilidades econômica herdada de FHC (baixa inflação). •Sufocou o “abril vermelho” proposto pelo MST. •Diminuiu a prática neoliberal, mas não a abandonou completamente. •Crescimento do poder aquisitivo do trabalhador com o aumento do salário mínimo (R$ 200,00 em 2002 para R$ 510,00 em 2010)
  • 32. GOVERNO LULA (2003-2010) •Aumento do consumismo e desenvolvimento econômico. Crescimento das empresas nacionais. •Redução dos índices de pobreza e crescimento do PIB. •Reconhecimento das agências internacionais. Copa do Mundo de Futebol (2014) e Olimpíadas (2016). Neutralidade diante de regimes ditatoriais como Cuba e Irã e proximidade com a Venezuela. •Escândalo do “Mensalão” (2005) – afetou a imagem do governo e derrubou José Dirceu.
  • 33. GOVERNO LULA (2003-2010) •Apesar do “Mensalão” conseguiu se reeleger, contando com ampla votação no Norte e Nordeste. •Diminuiu a desigualdade social promovendo forte assistencialismo, mas deixou de realizar reformas importantes como a tributária, a previdenciária e até na CLT.