SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS
                  FACULDADE DE EDUCAÇÃO E ESTUDOS SOCIAIS
               RUA MANOEL BYRRO, 241 – VILA BRETAS - CEP 35.032-620
                           GOVERNADOR VALADARES - MG




Professora M.Sc. Jane Rabelo / jra_bio@yahoo.com.br
MEMBRANA CELULAR
      DEFINIÇÃO E COMPOSIÇÃO

   A membrana      celular é a estrutura que
delimita todas as células vivas. Ela estabelece a
  fronteira entre o meio intra-celular e o meio
                   extracelular.

   Sua   composição química é lipoprotéica
              (gordura + proteína)
Funções
 Separar o meio intra do extra celular

     Mantém o meio intra celular

       Movimento e expansão



             Características
       Permeabilidade seletiva

             Assimetria

              Fluidez

       Bicamada lipoprotéica
BICAMADA LIPOPROTEICA
Modelo do Mosaico Fluído




Desenho da estrutura da membrana plasmática segundo o modelo
          do Mosaico Fluído de Singer e Nicholson
PROTEÍNAS DE MEMBRANA

                  Proteínas
                  periféricas




            Bicamada
             lipídica
Proteínas
integrais
PROTEÍNAS DA MEMBRANA

 INTEGRAIS:       possuem regiões hidrofóbicas e
    hidrofílicas. São hidrofílicas na parte que sobressai na
    camada lipídica em contato com a água. A porção em
    contato com os ácidos graxos é hidrofóbica (apolar).


   PERIFÉRICAS: são completamente hidrofílicas
    (polares).
FUNÇÕES DESEMPENHADAS POR ALGUMAS PROTEÍNAS
FLUIDEZ DE MEMBRANA

   A membrana      é fluída (líquida) – ácidos graxos
                       insaturados.
 Os   fosfolipídios e proteínas deslocam-se no plano da
   membrana, não ocupando portanto posição fixa.
         Movimento de Rotação (em uma mesma
 monocamada) e Flip-Flop (de uma monocamada para
                          outra)
Transportes através da Membrana

       Transporte Passivo
              Difusão
         Difusão Facilitada
              Osmose

         Transporte Ativo
     Bomba de Sódio e Potássio
            Fagocitose
            Pinocitose
            Exocitose
BOMBA DE SÓDIO E POTÁSSIO
FAGOCITOSE E PINOCITOSE
CITOESQUELETO
CITOESQUELETO E
MOVIMENTOS CELULARES
          Presenteno citosol de
          células eucariontes

          Composição   química:

            proteínas globulares que
            formam os microtúbulos,
          microfilamentos e filamentos
                 intermediários
FUNÇÕES DO CITOESQUELETO
         1. Definir a forma e organizar a célula

2. Adesão a células vizinhas e superfícies extracelulares

     3. Deslocamento de material dentro da célula

               4. Movimentos celulares:
                    Amebóide
                Contração muscular
            Movimento de cromossomos
            Movimento de cílios e flagelos
   Esqueleto é o órgão de sustentação de um corpo, fornece proteção
      aos órgãos internos e ponto de apoio para a sua sustentação.


   Citoesqueleto é o esqueleto das células, um sistema de filamentos
     proteicos que mantém a forma da célula, as organizações do seu
     espaço interior, como também a capacidade de movimentação.


   O citoesqueleto é composto por três tipos principais de filamentos
    (Microfilamentos, Microtúbulos e Filamentos Intermediários) com
       características peculiares que os diferenciam um dos outros.
 membrana celular e citoesqueleto
 membrana celular e citoesqueleto
 membrana celular e citoesqueleto
 membrana celular e citoesqueleto
MICROTÚBULOS
     Cilíndricos   e ocos

     Tubulina   (helicoidal)

     Partem do centrossomo centro
      organizador de microtúbulos

     Mantêm   a forma da célula e
     a disposição das organelas

     Formam   as fibras do fuso meiótico
      e mitótico

     Formam   centríolos, cílios
     e flagelos
MICROTÚBULOS
  Os microtúbulos são os mais espessos, os mais grossos.
 São formados por proteínas , as tubulinas, que por sua vez
  se dividem em a (alfa) e ß (beta), e em duas subunidades.

  Quanto  duas dessas subunidades se ligam formam uma
  tubulina. E quando varias tubulinas se ligam, a parte alfa
  de uma com a parte beta da outra, formam profilamentos,
      e treze desses profilamentos unidos, formam um
                        microtúbulos.

   Cada   microtúbulo é formado por 13 protofilamentos
                          paralelos
MICROTÚBULOS
   São estruturas rígidas, uma das extremidades se apresenta ancorada a
    um único centro organizador de microtúbulos chamado centrossomo
(uma estrutura geralmente localizada ao lado do núcleo) e a outra livre
                              no citoplasma.


         São estruturas dinâmicas, podem aumentar ou diminuir em
       comprimento pela adição ou perda de subunidades de tubulina.


     Proteínas motoras se movem de uma direção a outra ao longo dos
     microtúbulos carregando organelas específicas para os locais pré-
                       determinados dentro da célula.
 membrana celular e citoesqueleto
 membrana celular e citoesqueleto
Centros Organizadores
 A estabilidade dos microtúbulos é variável:
       -cílios – estáveis
       -fuso mitótico – curta duração


 Os microtúbulos se estendem a partir de um centro
organizador:
       -centríolo - microtúbulos curtos:
   9 trincas (9 conjuntos de 3 microtúbulos)
       - corpúsculos basais - 9 duplas + 1 par central
 membrana celular e citoesqueleto
MICROFILAMENTOS
                Actina
           Actina+ miosina =
          mecanismo contrátil da
                 célula

               Citocinese

                Ciclose

          Movimento   amebóide

             Dãosuporte às
            microvilosidades
Filamentos de Actina - Microfilamentos
Funções:
  suporte; transporte intracelular; movimentos celulares
         (contração e dilatação) e divisão celular
   São mais finos, possuem apenas dois profilamentos
             entrelaçados de proteína actina.


  Os filamentos de actina são estruturas flexíveis. Estão
   mais concentrados abaixo da membrana plasmática.

            Se organizam em feixes ou redes
Filamentos de actina – variedades de formas




microvilosidades   Feixes contráteis   filipódios   Anéis contráteis
 membrana celular e citoesqueleto
 membrana celular e citoesqueleto
FILAMENTOS INTERMEDIÁRIOS
            Formados  por vários tipos
            de proteínas como
            queratina

            Fornecem     força mecânica
            às células

            Participamdas junções
            entre as células

            Abundantesem células
            musculares e epiteliais
FILAMENTOS INTERMEDIÁRIOS
Polímeros de proteínas fibrosas. São formados por um grupo
de proteínas que constituem uma grande família de proteínas
                        heterogêneas


Organização em Classes:
-Queratina: células epiteliais, unhas chifres, penas e etc.
-Vimentina: glóbulos brancos e fibroblastos,
-Desmina (músculo)
-Neurofilamentos – neurônios
Função:
Resistência Mecânica
 membrana celular e citoesqueleto
Filamentos intermediários suportam e dão
     resistência ao envelope nuclear
FILAMENTOS INTERMEDIÁRIOS
 Recebem     esse nome porque tem a espessura entre os
    microtúbulos e os filamentos de actina, e também porque eles
    não podem aumentar ou diminuir de tamanho.

   Proporcionam estabilidade mecânica às células e tecidos.

 São   polímeros fortes semelhantes a cabos, constituídos de
    polipepetídeos fibrosos que resistem ao estiramento e
    desempenham um papel estrutural na célula, mantendo sua
    integridade.
Junções Intercelulares

          Junções de adesão:
 zônulas de adesão, desmossomos e
         hemidesmossomos

        Junções impermeáveis
       ou zônulas de oclusão

       Junções de comunicação
junções comunicantes ou junções gap
Complexo Unitivo

             Zônula de Oclusão
 veda o espaço intercelular, prevenindo fluxo
                 de materiais

                      +
                Zônula de Adesão
circunda toda a célula, contribui para aderência
  entre células vizinhas (apresenta inserção de
               filamentos de actina)
Desmossomo

   Presente na superfície de uma célula
 sobreposta por outra com espaços maiores
  entre elas (membranas retas e paralelas)


           Placa de ancoragem
Placa circular com 12 proteínas e filamentos
 intermediários de queratina (adesão firme)
Hemidesmossomo

Prendem a célula epitelial à lâmina basal
   em alguns tipos de células epiteliais
 membrana celular e citoesqueleto
 membrana celular e citoesqueleto
JUNÇÃO DE OCLUSÃO
Junções Comunicantes / Gap

A proteína Conexina se organiza em torno de
               um poro hidrófilo


Os conexons (unidade estrutural da junção) de
 uma célula se alinham aos conexons de outra
  célula formando canais hidrófilos entre elas
C
J   O
U   M
N   U
Ç   N
à  I
O   C
    A
    N
    T
    E

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Célula eucariótica
Célula eucarióticaCélula eucariótica
Célula eucariótica
luam1969
 
19 ge dna tech lecture presentation
19 ge dna tech lecture presentation19 ge dna tech lecture presentation
19 ge dna tech lecture presentation
mahmood jassim
 
Tecido muscular
Tecido muscularTecido muscular
Tecido muscular
Marcia Bantim
 
(2) Divisão celular
(2) Divisão celular(2) Divisão celular
(2) Divisão celular
Hugo Martins
 
Citoesqueleto
CitoesqueletoCitoesqueleto
Citoesqueleto
Joyce Wadna
 
Microtúbulos
MicrotúbulosMicrotúbulos
Microtúbulos
Felipe Cavalcante
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
Adrianne Mendonça
 
Aula- Citoesqueleto.pptx
Aula- Citoesqueleto.pptxAula- Citoesqueleto.pptx
Aula- Citoesqueleto.pptx
PolianaLopesDESiquei
 
Citoesqueleto ppt
Citoesqueleto pptCitoesqueleto ppt
Citoesqueleto ppt
Renato Machado
 
Membranas e permeabilidade
Membranas e permeabilidadeMembranas e permeabilidade
Membranas e permeabilidade
jfquirino
 
Citologia I
Citologia ICitologia I
Histologia II - Conjuntivos
Histologia II - ConjuntivosHistologia II - Conjuntivos
Histologia II - Conjuntivos
emanuel
 
Introdução à citologia
Introdução à citologiaIntrodução à citologia
Introdução à citologia
Caio Maximino
 
Passagem do modelo geocêntrico para o heliocêntrico
Passagem do modelo geocêntrico para o heliocêntricoPassagem do modelo geocêntrico para o heliocêntrico
Passagem do modelo geocêntrico para o heliocêntrico
O mundo da FÍSICA
 
07 membrane structure and function
07 membrane structure and function07 membrane structure and function
07 membrane structure and function
kindarspirit
 
Imunologia thaís benetti
Imunologia thaís benettiImunologia thaís benetti
Imunologia thaís benetti
Thais Benetti
 
Reticulo Endoplasmático
Reticulo EndoplasmáticoReticulo Endoplasmático
Reticulo Endoplasmático
BIOGERALDO
 
1ª aula biologia celular
1ª aula biologia celular1ª aula biologia celular
1ª aula biologia celular
Flávio Silva
 
1a2-tecido epitelial glandular
1a2-tecido epitelial glandular1a2-tecido epitelial glandular
1a2-tecido epitelial glandular
professorfabiovalente
 
Proteínas
ProteínasProteínas
Proteínas
Tulio Gonçalves
 

Mais procurados (20)

Célula eucariótica
Célula eucarióticaCélula eucariótica
Célula eucariótica
 
19 ge dna tech lecture presentation
19 ge dna tech lecture presentation19 ge dna tech lecture presentation
19 ge dna tech lecture presentation
 
Tecido muscular
Tecido muscularTecido muscular
Tecido muscular
 
(2) Divisão celular
(2) Divisão celular(2) Divisão celular
(2) Divisão celular
 
Citoesqueleto
CitoesqueletoCitoesqueleto
Citoesqueleto
 
Microtúbulos
MicrotúbulosMicrotúbulos
Microtúbulos
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Aula- Citoesqueleto.pptx
Aula- Citoesqueleto.pptxAula- Citoesqueleto.pptx
Aula- Citoesqueleto.pptx
 
Citoesqueleto ppt
Citoesqueleto pptCitoesqueleto ppt
Citoesqueleto ppt
 
Membranas e permeabilidade
Membranas e permeabilidadeMembranas e permeabilidade
Membranas e permeabilidade
 
Citologia I
Citologia ICitologia I
Citologia I
 
Histologia II - Conjuntivos
Histologia II - ConjuntivosHistologia II - Conjuntivos
Histologia II - Conjuntivos
 
Introdução à citologia
Introdução à citologiaIntrodução à citologia
Introdução à citologia
 
Passagem do modelo geocêntrico para o heliocêntrico
Passagem do modelo geocêntrico para o heliocêntricoPassagem do modelo geocêntrico para o heliocêntrico
Passagem do modelo geocêntrico para o heliocêntrico
 
07 membrane structure and function
07 membrane structure and function07 membrane structure and function
07 membrane structure and function
 
Imunologia thaís benetti
Imunologia thaís benettiImunologia thaís benetti
Imunologia thaís benetti
 
Reticulo Endoplasmático
Reticulo EndoplasmáticoReticulo Endoplasmático
Reticulo Endoplasmático
 
1ª aula biologia celular
1ª aula biologia celular1ª aula biologia celular
1ª aula biologia celular
 
1a2-tecido epitelial glandular
1a2-tecido epitelial glandular1a2-tecido epitelial glandular
1a2-tecido epitelial glandular
 
Proteínas
ProteínasProteínas
Proteínas
 

Destaque

ÁGUA: camada de solvatação
ÁGUA: camada de solvataçãoÁGUA: camada de solvatação
ÁGUA: camada de solvatação
DANIELLE BORGES
 
Citoesqueleto 2
Citoesqueleto 2Citoesqueleto 2
Citoesqueleto 2
danilo oliveira
 
Citoesqueleto
CitoesqueletoCitoesqueleto
Citoesqueleto
Paulo Roberto
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
naiellyrodrigues
 
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
Sheila Cassenotte
 
Membrana Plasmática
Membrana PlasmáticaMembrana Plasmática
Membrana Plasmática
Fabio Barbosa
 
Citoesqueleto
CitoesqueletoCitoesqueleto
Citoesqueleto
ProfMychelle
 
Citologia e membrana celular
Citologia e membrana celularCitologia e membrana celular
Citologia e membrana celular
César Milani
 
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power PointSistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
Bio
 
Membrana plasmática
Membrana plasmáticaMembrana plasmática
Membrana plasmática
Carlos Mohr
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Catir
 
Slideshare
SlideshareSlideshare
Citoplasma 11
Citoplasma 11Citoplasma 11
Citoplasma 11
brandaobio
 
Pos Usp Aula Biomol Dna Rna Prot Genomica Parte1
Pos Usp Aula Biomol Dna Rna Prot Genomica Parte1Pos Usp Aula Biomol Dna Rna Prot Genomica Parte1
Pos Usp Aula Biomol Dna Rna Prot Genomica Parte1
Beta Campos
 
Estrutura celulas
Estrutura celulasEstrutura celulas
Estrutura celulas
Rigo Rodrigues
 
26976266 histologia-e-embriologia
26976266 histologia-e-embriologia26976266 histologia-e-embriologia
26976266 histologia-e-embriologia
Maria Jaqueline Mesquita
 
Termoquimica e calculos quimicos
Termoquimica e calculos quimicosTermoquimica e calculos quimicos
Termoquimica e calculos quimicos
Carneiro84
 
Aula10 revisao e exercícios
Aula10 revisao e exercíciosAula10 revisao e exercícios
Aula10 revisao e exercícios
Barbara Samartini Queiroz Alves
 
Cilios y flagelos
Cilios y flagelosCilios y flagelos
Cilios y flagelos
Anii Bautista Bautista
 
Biomembranas
BiomembranasBiomembranas
Biomembranas
Inês Patrícia
 

Destaque (20)

ÁGUA: camada de solvatação
ÁGUA: camada de solvataçãoÁGUA: camada de solvatação
ÁGUA: camada de solvatação
 
Citoesqueleto 2
Citoesqueleto 2Citoesqueleto 2
Citoesqueleto 2
 
Citoesqueleto
CitoesqueletoCitoesqueleto
Citoesqueleto
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
 
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
 
Membrana Plasmática
Membrana PlasmáticaMembrana Plasmática
Membrana Plasmática
 
Citoesqueleto
CitoesqueletoCitoesqueleto
Citoesqueleto
 
Citologia e membrana celular
Citologia e membrana celularCitologia e membrana celular
Citologia e membrana celular
 
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power PointSistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
 
Membrana plasmática
Membrana plasmáticaMembrana plasmática
Membrana plasmática
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Slideshare
SlideshareSlideshare
Slideshare
 
Citoplasma 11
Citoplasma 11Citoplasma 11
Citoplasma 11
 
Pos Usp Aula Biomol Dna Rna Prot Genomica Parte1
Pos Usp Aula Biomol Dna Rna Prot Genomica Parte1Pos Usp Aula Biomol Dna Rna Prot Genomica Parte1
Pos Usp Aula Biomol Dna Rna Prot Genomica Parte1
 
Estrutura celulas
Estrutura celulasEstrutura celulas
Estrutura celulas
 
26976266 histologia-e-embriologia
26976266 histologia-e-embriologia26976266 histologia-e-embriologia
26976266 histologia-e-embriologia
 
Termoquimica e calculos quimicos
Termoquimica e calculos quimicosTermoquimica e calculos quimicos
Termoquimica e calculos quimicos
 
Aula10 revisao e exercícios
Aula10 revisao e exercíciosAula10 revisao e exercícios
Aula10 revisao e exercícios
 
Cilios y flagelos
Cilios y flagelosCilios y flagelos
Cilios y flagelos
 
Biomembranas
BiomembranasBiomembranas
Biomembranas
 

Semelhante a membrana celular e citoesqueleto

Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
BIOGERALDO
 
Biologia fai enfermagem 2 semestre 2011 ok
Biologia fai enfermagem  2 semestre 2011 okBiologia fai enfermagem  2 semestre 2011 ok
Biologia fai enfermagem 2 semestre 2011 ok
enfermagemfai
 
Matriz extra celelular
Matriz extra celelularMatriz extra celelular
Matriz extra celelular
Filipe Simão Kembo
 
Biologia Celular
Biologia CelularBiologia Celular
Biologia Celular
jandesonbiologo
 
Martiz extracelular biologia
Martiz extracelular   biologiaMartiz extracelular   biologia
Martiz extracelular biologia
Filipe Simão Kembo
 
O citoplasma
O citoplasmaO citoplasma
O citoplasma
mael007
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
Karol Matiolli
 
Citoesqueleto
CitoesqueletoCitoesqueleto
Citoesqueleto
ProfMychelle
 
Citologia - introdução e visão geral dos componentes celulares.pdf
Citologia - introdução e visão geral dos componentes celulares.pdfCitologia - introdução e visão geral dos componentes celulares.pdf
Citologia - introdução e visão geral dos componentes celulares.pdf
CristianaLealSabel
 
2.1
2.12.1
Organelas avaliação ii
Organelas   avaliação iiOrganelas   avaliação ii
Organelas avaliação ii
Daniela Silveira
 
Organelas avaliação II
Organelas   avaliação IIOrganelas   avaliação II
Organelas avaliação II
Daniela Silveira
 
Organelas avaliação ii
Organelas   avaliação iiOrganelas   avaliação ii
Organelas avaliação ii
Daniela Silveira
 
Organelas avaliação II
Organelas   avaliação IIOrganelas   avaliação II
Organelas avaliação II
Daniela Silveira
 
Aula03: A SUPERFÍCIE CELULAR INTERCÂMBIO ENTRE A CÉLULA E O MEIO
Aula03: A SUPERFÍCIECELULAR INTERCÂMBIO ENTRE ACÉLULA E O MEIOAula03: A SUPERFÍCIECELULAR INTERCÂMBIO ENTRE ACÉLULA E O MEIO
Aula03: A SUPERFÍCIE CELULAR INTERCÂMBIO ENTRE A CÉLULA E O MEIO
Leonardo Delgado
 
1 Tecido Epitelial
1 Tecido Epitelial1 Tecido Epitelial
1 Tecido Epitelial
Ana Paula Ribeiro
 
Organelas celulares - parte 2
Organelas celulares - parte 2Organelas celulares - parte 2
Organelas celulares - parte 2
SESI 422 - Americana
 
Citoplasma 2
Citoplasma 2Citoplasma 2
Citoplasma 2
Marcilio Barbosa
 
Membrana completa
Membrana completaMembrana completa
Membrana completa
Dalu Barreto
 
Citologia.ppt
Citologia.pptCitologia.ppt
Citologia.ppt
HerictonRaiol2
 

Semelhante a membrana celular e citoesqueleto (20)

Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Biologia fai enfermagem 2 semestre 2011 ok
Biologia fai enfermagem  2 semestre 2011 okBiologia fai enfermagem  2 semestre 2011 ok
Biologia fai enfermagem 2 semestre 2011 ok
 
Matriz extra celelular
Matriz extra celelularMatriz extra celelular
Matriz extra celelular
 
Biologia Celular
Biologia CelularBiologia Celular
Biologia Celular
 
Martiz extracelular biologia
Martiz extracelular   biologiaMartiz extracelular   biologia
Martiz extracelular biologia
 
O citoplasma
O citoplasmaO citoplasma
O citoplasma
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
 
Citoesqueleto
CitoesqueletoCitoesqueleto
Citoesqueleto
 
Citologia - introdução e visão geral dos componentes celulares.pdf
Citologia - introdução e visão geral dos componentes celulares.pdfCitologia - introdução e visão geral dos componentes celulares.pdf
Citologia - introdução e visão geral dos componentes celulares.pdf
 
2.1
2.12.1
2.1
 
Organelas avaliação ii
Organelas   avaliação iiOrganelas   avaliação ii
Organelas avaliação ii
 
Organelas avaliação II
Organelas   avaliação IIOrganelas   avaliação II
Organelas avaliação II
 
Organelas avaliação ii
Organelas   avaliação iiOrganelas   avaliação ii
Organelas avaliação ii
 
Organelas avaliação II
Organelas   avaliação IIOrganelas   avaliação II
Organelas avaliação II
 
Aula03: A SUPERFÍCIE CELULAR INTERCÂMBIO ENTRE A CÉLULA E O MEIO
Aula03: A SUPERFÍCIECELULAR INTERCÂMBIO ENTRE ACÉLULA E O MEIOAula03: A SUPERFÍCIECELULAR INTERCÂMBIO ENTRE ACÉLULA E O MEIO
Aula03: A SUPERFÍCIE CELULAR INTERCÂMBIO ENTRE A CÉLULA E O MEIO
 
1 Tecido Epitelial
1 Tecido Epitelial1 Tecido Epitelial
1 Tecido Epitelial
 
Organelas celulares - parte 2
Organelas celulares - parte 2Organelas celulares - parte 2
Organelas celulares - parte 2
 
Citoplasma 2
Citoplasma 2Citoplasma 2
Citoplasma 2
 
Membrana completa
Membrana completaMembrana completa
Membrana completa
 
Citologia.ppt
Citologia.pptCitologia.ppt
Citologia.ppt
 

Último

apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 

membrana celular e citoesqueleto

  • 1. UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE DE EDUCAÇÃO E ESTUDOS SOCIAIS RUA MANOEL BYRRO, 241 – VILA BRETAS - CEP 35.032-620 GOVERNADOR VALADARES - MG Professora M.Sc. Jane Rabelo / jra_bio@yahoo.com.br
  • 2. MEMBRANA CELULAR DEFINIÇÃO E COMPOSIÇÃO  A membrana celular é a estrutura que delimita todas as células vivas. Ela estabelece a fronteira entre o meio intra-celular e o meio extracelular.  Sua composição química é lipoprotéica (gordura + proteína)
  • 3. Funções  Separar o meio intra do extra celular  Mantém o meio intra celular  Movimento e expansão Características  Permeabilidade seletiva  Assimetria  Fluidez  Bicamada lipoprotéica
  • 5. Modelo do Mosaico Fluído Desenho da estrutura da membrana plasmática segundo o modelo do Mosaico Fluído de Singer e Nicholson
  • 6. PROTEÍNAS DE MEMBRANA Proteínas periféricas Bicamada lipídica Proteínas integrais
  • 7. PROTEÍNAS DA MEMBRANA  INTEGRAIS: possuem regiões hidrofóbicas e hidrofílicas. São hidrofílicas na parte que sobressai na camada lipídica em contato com a água. A porção em contato com os ácidos graxos é hidrofóbica (apolar).  PERIFÉRICAS: são completamente hidrofílicas (polares).
  • 8. FUNÇÕES DESEMPENHADAS POR ALGUMAS PROTEÍNAS
  • 9. FLUIDEZ DE MEMBRANA  A membrana é fluída (líquida) – ácidos graxos insaturados.  Os fosfolipídios e proteínas deslocam-se no plano da membrana, não ocupando portanto posição fixa. Movimento de Rotação (em uma mesma monocamada) e Flip-Flop (de uma monocamada para outra)
  • 10. Transportes através da Membrana Transporte Passivo Difusão Difusão Facilitada Osmose Transporte Ativo Bomba de Sódio e Potássio Fagocitose Pinocitose Exocitose
  • 11. BOMBA DE SÓDIO E POTÁSSIO
  • 14. CITOESQUELETO E MOVIMENTOS CELULARES  Presenteno citosol de células eucariontes  Composição química: proteínas globulares que formam os microtúbulos, microfilamentos e filamentos intermediários
  • 15. FUNÇÕES DO CITOESQUELETO 1. Definir a forma e organizar a célula 2. Adesão a células vizinhas e superfícies extracelulares 3. Deslocamento de material dentro da célula 4. Movimentos celulares: Amebóide Contração muscular Movimento de cromossomos Movimento de cílios e flagelos
  • 16. Esqueleto é o órgão de sustentação de um corpo, fornece proteção aos órgãos internos e ponto de apoio para a sua sustentação.  Citoesqueleto é o esqueleto das células, um sistema de filamentos proteicos que mantém a forma da célula, as organizações do seu espaço interior, como também a capacidade de movimentação.  O citoesqueleto é composto por três tipos principais de filamentos (Microfilamentos, Microtúbulos e Filamentos Intermediários) com características peculiares que os diferenciam um dos outros.
  • 21. MICROTÚBULOS  Cilíndricos e ocos  Tubulina (helicoidal)  Partem do centrossomo centro organizador de microtúbulos  Mantêm a forma da célula e a disposição das organelas  Formam as fibras do fuso meiótico e mitótico  Formam centríolos, cílios e flagelos
  • 22. MICROTÚBULOS  Os microtúbulos são os mais espessos, os mais grossos.  São formados por proteínas , as tubulinas, que por sua vez se dividem em a (alfa) e ß (beta), e em duas subunidades.  Quanto duas dessas subunidades se ligam formam uma tubulina. E quando varias tubulinas se ligam, a parte alfa de uma com a parte beta da outra, formam profilamentos, e treze desses profilamentos unidos, formam um microtúbulos.  Cada microtúbulo é formado por 13 protofilamentos paralelos
  • 23. MICROTÚBULOS  São estruturas rígidas, uma das extremidades se apresenta ancorada a um único centro organizador de microtúbulos chamado centrossomo (uma estrutura geralmente localizada ao lado do núcleo) e a outra livre no citoplasma.  São estruturas dinâmicas, podem aumentar ou diminuir em comprimento pela adição ou perda de subunidades de tubulina.  Proteínas motoras se movem de uma direção a outra ao longo dos microtúbulos carregando organelas específicas para os locais pré- determinados dentro da célula.
  • 26. Centros Organizadores  A estabilidade dos microtúbulos é variável: -cílios – estáveis -fuso mitótico – curta duração  Os microtúbulos se estendem a partir de um centro organizador: -centríolo - microtúbulos curtos: 9 trincas (9 conjuntos de 3 microtúbulos) - corpúsculos basais - 9 duplas + 1 par central
  • 28. MICROFILAMENTOS Actina  Actina+ miosina = mecanismo contrátil da célula  Citocinese  Ciclose  Movimento amebóide  Dãosuporte às microvilosidades
  • 29. Filamentos de Actina - Microfilamentos Funções: suporte; transporte intracelular; movimentos celulares (contração e dilatação) e divisão celular São mais finos, possuem apenas dois profilamentos entrelaçados de proteína actina. Os filamentos de actina são estruturas flexíveis. Estão mais concentrados abaixo da membrana plasmática. Se organizam em feixes ou redes
  • 30. Filamentos de actina – variedades de formas microvilosidades Feixes contráteis filipódios Anéis contráteis
  • 33. FILAMENTOS INTERMEDIÁRIOS  Formados por vários tipos de proteínas como queratina  Fornecem força mecânica às células  Participamdas junções entre as células  Abundantesem células musculares e epiteliais
  • 34. FILAMENTOS INTERMEDIÁRIOS Polímeros de proteínas fibrosas. São formados por um grupo de proteínas que constituem uma grande família de proteínas heterogêneas Organização em Classes: -Queratina: células epiteliais, unhas chifres, penas e etc. -Vimentina: glóbulos brancos e fibroblastos, -Desmina (músculo) -Neurofilamentos – neurônios Função: Resistência Mecânica
  • 36. Filamentos intermediários suportam e dão resistência ao envelope nuclear
  • 37. FILAMENTOS INTERMEDIÁRIOS  Recebem esse nome porque tem a espessura entre os microtúbulos e os filamentos de actina, e também porque eles não podem aumentar ou diminuir de tamanho.  Proporcionam estabilidade mecânica às células e tecidos.  São polímeros fortes semelhantes a cabos, constituídos de polipepetídeos fibrosos que resistem ao estiramento e desempenham um papel estrutural na célula, mantendo sua integridade.
  • 38. Junções Intercelulares Junções de adesão: zônulas de adesão, desmossomos e hemidesmossomos Junções impermeáveis ou zônulas de oclusão Junções de comunicação junções comunicantes ou junções gap
  • 39. Complexo Unitivo Zônula de Oclusão veda o espaço intercelular, prevenindo fluxo de materiais + Zônula de Adesão circunda toda a célula, contribui para aderência entre células vizinhas (apresenta inserção de filamentos de actina)
  • 40. Desmossomo Presente na superfície de uma célula sobreposta por outra com espaços maiores entre elas (membranas retas e paralelas) Placa de ancoragem Placa circular com 12 proteínas e filamentos intermediários de queratina (adesão firme)
  • 41. Hemidesmossomo Prendem a célula epitelial à lâmina basal em alguns tipos de células epiteliais
  • 45. Junções Comunicantes / Gap A proteína Conexina se organiza em torno de um poro hidrófilo Os conexons (unidade estrutural da junção) de uma célula se alinham aos conexons de outra célula formando canais hidrófilos entre elas
  • 46. C J O U M N U Ç N Ã I O C A N T E