SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
Marco Conceitual - Social Good Brasil
O que é o Social Good Brasil?
Um programa que promove o uso das tecnologias, novas mídias e do pensamento inovador para contribuir
com a solução de problemas sociais.
O programa Social Good Brasil usa o conceito “Social Good”, termo da cultura digital que nomeia o
movimento global +SocialGood, encabeçado por um grupo de organizações (UN Foundation, UNDP, 92Y,
Bill&Melinda Gates Foundation, Mashable) do qual somos uma liderança no Brasil.
E o que significa Social Good?
- Social Good é usar as tecnologias, novas mídias e o pensamento inovador para contribuir com a solução
de problemas sociais.
- Social Good é mudar o mundo para melhor utilizando as tecnologias, novas mídias e o pensamento
inovador.
Iniciativas “Social Good” podem ser tipos de Inovação Social
Inovação social é uma nova solução para um problema social, uma solução mais efetiva, eficiente,
sustentável ou justa que as soluções já existentes, e que, prioritariamente, gere valor para a sociedade
como um todo ao invés de beneficiar apenas alguns indivíduos. Essa é a definição cunhada pela Stanford
Social Innovation Review, a publicação mais reconhecida sobre o tema.
Em busca de entender melhor que tipos de novas soluções podem ser essas, adotamos o conceito de
inovação de Schumpeter, adaptando-a para Inovação Social. Inovação social pode ser um novo produto ou
serviço, um novo processo ou metodologia, uma nova proposta de valor para um novo público-alvo,
novos insumos ou modelos de parcerias ou novos modelos organizacionais, que geram valor para a
sociedade ao contribuir com a solução de problemas sociais e ambientais.
Cada uma dessas modalidades de inovação podem ser qualificadas como radical (fazer algo novo) ou
incremental (melhorar algo já existente).
Inovação é um campo de estudo e prática mais difundido no setor privado do que no social. Joseph
Schumpeter é um dos primeiros estudiosos reconhecidos do campo de inovação no mundo. A definição de
inovação dele que adotamos e adaptamos para além do mercado, mas a sociedade como alvo, é ainda
atual apesar de ser da década de 1950.
Inovação social têm sido alvo de estudo do setor privado, principalmente nos Estados Unidos, desde 2010,
em que sua definição é reconhecida pelo Social Good Brasil, mas não é restrita a ela pois, pois argumenta
que é a “geração de valor econômico por meio de uma mudança social positiva” (Saul, 2011).
O que são tecnologias para o Social Good Brasil?
Reconhecemos tecnologias de engenharias, hardwares, softwares, novas mídias e telecomunicações.
Alguns exemplos: computadores e aparelhos móveis, internet, website, redes sociais, aplicativos móveis e
de computador, games/jogos, tecnologias limpas e de acesso (acesso a energia, água, alimentação e
agricultura, processos com menos resíduos e recicláveis) e tecnologias assistivas.
Não desconhecemos outras definições de tecnologia usadas no setor privado, social e público, mas
optamos por um escopo menor. Essas outras definições são:
“Tecnologia é um conjunto de processos pelo qual uma organização transforma mão de obra, capital,
materiais e informação em produtos e serviços de grande valor.” (Christensen, 1997)
“Tecnologia social é o conjunto de atividades relacionadas a estudos, planejamento, ensino, pesquisa,
extensão e desenvolvimento de produtos, técnicas ou metodologias replicáveis, que representem
soluções para o desenvolvimento social e melhoria das condições de vida da população” (Rede de
Tecnologias Sociais)
Categorias de Tecnologias
Ao pesquisar esse campo, percebemos dois padrões de uso da tecnologia para solucionar problemas
sociais e as denominamos de:
Tecnologias de uso: tecnologias que não exigem alto nível de conhecimento técnico, pesquisa e
desenvolvimento para serem utilizadas. Nessa categoria estão concentrados o uso de softwares, novas
mídias e telecomunicações disponíveis de forma gratuita na internet. Exemplos: o uso de redes sociais e
sites para disseminar uma causa social, assim como desenvolvimento de aplicativos para celulares. O
campo é recente de estudo e prática, e o Social Good Brasil pretende aprofundar-se nele.
Tecnologias de desenvolvimento: tecnologias que exigem investimento de dedicação ou recursos em
pesquisa e desenvolvimento. Aqui estão casos que criam uma nova tecnologia ou adaptam uma já
existente tornando-a acessível para um público que antes não tinha acesso. Concentram-se o
desenvolvimento de softwares, engenharias e hardwares em computadores, tecnologias limpas e de
acesso (acesso a energia, água, alimentação e agricultura, processos com menos resíduos e recicláveis) e
tecnologias assistivas. Exemplos: tecnologias de acesso a água em regiões desérticas como o nordeste,
assim como a adaptação de um microscópio de baixo custo para educação pública.
A teoria de mudança
As duas categorias têm alto impacto social ao proporcionar:
Acesso: alcance a informação de qualidade para uma educação e saúde melhores, assim como serviços
básicos de água, alimentação, crédito e financiamento de projetos são ferramentas de redução de
desigualdade social ao oferecer oportunidades sociais e econômicas a todos. As tecnologias de uso estão
cada vez mais acessíveis na internet e as tecnologias de desenvolvimento são adaptadas para oferecer este
acesso. A tecnologia também oferece transparência, sendo um espaço de denúncia e que propicia a
exposição de informações.
Autonomia: a possibilidade de se engajar em causas sociais e de aprender em qualquer lugar estão entre
alguns exemplos de como as tecnologias de internet estão transformando a nossa sociedade, oferecendo
que o poder esteja na ponta dos dedos de cada um. As tecnologias de desenvolvimento, ao adaptar
tecnologias para contextos locais, também possibilitam autonomia para seu uso.
Escala: as tecnologias, em especial as tecnologias de uso, permitem que com menor esforço e baixo
investimento seja possível alcançar um grande número de pessoas e causar um alto impacto social. Um
exemplo é um site de petições online, que mobiliza milhares de cidadãos a pedir melhorias em temas
importantes, como educação, saúde, segurança pública, etc.
O que entendemos por “problemas sociais” e “melhorar o mundo”?
Iniciativas “Social Good” devem contribuir para a solução de uma (ou mais) das questões abaixo:
 Saúde: conscientizar a população para aumentar níveis gerais de conhecimento sobre importância
e acesso condições sanitárias adequadas;
 Cidadania & engajamento social: engajamento cívico e cidadão em questões políticas, do bem
público e interesse coletivo, voluntariado;
 Cidades & Mobilidade Urbana: problemáticas da cidade e zonas urbanas, aumento no número de
pessoas por automóveis, desenvolvimento do uso de transportes coletivos e sustentáveis;
 Consumo consciente & Justo: incentivar o consumo responsável (minimização de resíduos) e justo
(inclusão);
 Economia local, finanças & Empreendedorismo: promoção de iniciativas de inclusão de grupos no
mercado de trabalho, turismo sustentável, redes de produção local e desenvolvimento de
cooperativas, acesso a crédito e o sistema bancário;
 Educação: iniciativas de educação básica ( 1ª série ensino fundamental até 3º ano ensino médio),
acesso e qualidade do ensino;
 Cultura & Entretenimento: desenvolvimento de espaços culturais e iniciativas de fomento a
produção de cultura local, jogos educativos;
 Meio ambiente & Energias renováveis: iniciativas de proteção ao meio ambiente e uso sustentável
das reservas naturais, uso e desenvolvimento de energias renováveis;
 Habitação: acesso ao sistema básico de habitação, melhorias e reformas.
Fonte: indicadores de cidades sustentáveis: http://www.cidadessustentaveis.org.br/
O que é pensamento inovador?
Usar o pensamento inovador é estar alinhado com uma nova forma de usar as tecnologias, que é mais
colaborativa, em rede e com liderança compartilhada. Percebemos que a transformação que vivemos hoje
na sociedade é de caráter comportamental, de novos modelos mentais e não apenas tecnológico.
Entendemos que aplicar novos modelos mentais é fundamental para um salto de inovação com
compromisso de solucionar problemas sociais urgentes.
Atuação do programa Social Good Brasil
Visão
A visão do programa Social Good Brasil é uma sociedade em que as tecnologias e o pensamento inovador
são utilizadas sistematicamente para a solução de problemas sociais.
Essa visão é fundamentada na crença de que tecnologias e inovação são essenciais para a solução de
problemas tão complexos que a humanidade enfrenta.
Para alcançar essa visão, os objetivos gerais do programa Social Good Brasil, também denominados
“pilares” são:
Inspiração - Disseminar o conceito de Social Good, inspirando organizações e indivíduos a se envolver com
o tema
Informação - Ser um agregador de informação, interação e ferramentas práticas sobre como usar
tecnologias e o pensamento inovador para contribuir com a solução de problemas sociais
Ação - Identificar e apoiar experiências inovadoras para aumentar o número de casos brasileiros de
sucesso e expandir seu potencial de melhoria social
Estratégias
- Atuar em rede por meio de parcerias com indivíduos e organizações, que são hubs de know-how com
capilaridade nacional, e garantir que os parceiros gerem valor a partir da conexão entre eles
- Garantir que a plataforma online do Social Good Brasil seja o ponto de convergência de todas as suas
iniciativas, sendo a porta de entrada e o registo de conhecimento e experiência aberta para nossa rede
- Não somos apenas digitais: apostar em encontros presenciais para inspiração do nosso público-alvo,
realizando um seminário próprio por ano e participando de eventos e encontros diversos de terceiros,
levando uma palestra ou oficina sobre o Social Good
- No apoio a experiências inovadoras, atuar no abismo que existe na cadeia de apoio a inovações sociais no
Brasil entre concursos/festivais de ideias e aceleradoras/fundos de investimento social, com foco em
estruturação de ideias, design e prova do conceito
- Atuar como um funil de inovação social, que pesquisa casos de sucesso no Brasil, benchmarking
internacional e nichos de atuação, seleciona e implementa metodologias ou iniciativas pontuais que serão
experimentadas para gerar conhecimento e aprendizado para novas iniciativas próprias
Iniciativas
1. Seminários
1.1. Seminário Internacional de três dias em Florianópolis: um encontro bianual que oferece um ambiente
presencial ideal para conexões e troca de ideias
1.2. Social Good Summit Meetup Brasil de um dia em São Paulo: um encontro bianual em paralelo ao
Social Good Summit em Nova Iorque, com objetivo de trazer a experiência desse evento para o Brasil
2. Plataforma online: um ambiente de conexão entre as pessoas que se interessam pelo tema por meio de
um site interativo e pelas redes sociais
3. Social Good Brasil Lab: um laboratório de design e prototipagem de iniciativas Social Good com duração
de dez semanas, que ocorre em 12 sessões virtuais e seis encontros presenciais

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentao econ.social yunus 4
Apresentao econ.social yunus 4Apresentao econ.social yunus 4
Apresentao econ.social yunus 4
Gleyd Bertuzzo
 
Compartilhar: um estudo sobre os usos da tecnologia entre os jovens_pdf
Compartilhar: um estudo sobre os usos da tecnologia entre os jovens_pdfCompartilhar: um estudo sobre os usos da tecnologia entre os jovens_pdf
Compartilhar: um estudo sobre os usos da tecnologia entre os jovens_pdf
Alberto Pereira
 
Palestra Governo EletrôNico E InovaçãO Procergs Final VersãO Completa
Palestra Governo EletrôNico E InovaçãO   Procergs Final VersãO CompletaPalestra Governo EletrôNico E InovaçãO   Procergs Final VersãO Completa
Palestra Governo EletrôNico E InovaçãO Procergs Final VersãO Completa
inovaDay .
 
Apresentacao geral minasparticipativa conceituacao
Apresentacao geral minasparticipativa conceituacaoApresentacao geral minasparticipativa conceituacao
Apresentacao geral minasparticipativa conceituacao
minasinvest
 

Mais procurados (20)

Relatório SGB 2017 - edição de 5 anos
 Relatório SGB 2017 - edição de 5 anos  Relatório SGB 2017 - edição de 5 anos
Relatório SGB 2017 - edição de 5 anos
 
Seminario mcmm nov13
Seminario mcmm nov13Seminario mcmm nov13
Seminario mcmm nov13
 
Relatório do Social Good Brasil 2015
Relatório do Social Good Brasil 2015Relatório do Social Good Brasil 2015
Relatório do Social Good Brasil 2015
 
Novas Mídias Ferramentas Estratégicas para o Enfrentamento dos Grandes Proble...
Novas Mídias Ferramentas Estratégicas para o Enfrentamento dos Grandes Proble...Novas Mídias Ferramentas Estratégicas para o Enfrentamento dos Grandes Proble...
Novas Mídias Ferramentas Estratégicas para o Enfrentamento dos Grandes Proble...
 
Inovação para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis
Inovação para os Objetivos de Desenvolvimento SustentáveisInovação para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis
Inovação para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis
 
Teconologiasocial
TeconologiasocialTeconologiasocial
Teconologiasocial
 
Apresentação do Projeto: Sustentabilidade e Redes Sociais
Apresentação do Projeto: Sustentabilidade e Redes SociaisApresentação do Projeto: Sustentabilidade e Redes Sociais
Apresentação do Projeto: Sustentabilidade e Redes Sociais
 
TI Socialmente Responsável
TI Socialmente ResponsávelTI Socialmente Responsável
TI Socialmente Responsável
 
Versão enxuta - Relatório do Social Good Brasil 2015
Versão enxuta - Relatório do Social Good Brasil 2015Versão enxuta - Relatório do Social Good Brasil 2015
Versão enxuta - Relatório do Social Good Brasil 2015
 
Inovação Frugal - Lúcio Campos
Inovação Frugal - Lúcio CamposInovação Frugal - Lúcio Campos
Inovação Frugal - Lúcio Campos
 
Apresentao econ.social yunus 4
Apresentao econ.social yunus 4Apresentao econ.social yunus 4
Apresentao econ.social yunus 4
 
Inclusão Social 2 0
Inclusão Social 2 0Inclusão Social 2 0
Inclusão Social 2 0
 
Impacto do SGB Lab - Edições 2013, 2014 e 2015
Impacto do SGB Lab - Edições 2013, 2014 e 2015Impacto do SGB Lab - Edições 2013, 2014 e 2015
Impacto do SGB Lab - Edições 2013, 2014 e 2015
 
Economia Colaborativa
Economia Colaborativa Economia Colaborativa
Economia Colaborativa
 
Inovação Distribuída e Ativismo no Brasil
Inovação Distribuída e Ativismo no BrasilInovação Distribuída e Ativismo no Brasil
Inovação Distribuída e Ativismo no Brasil
 
Relatório SGB Lab - 2013 e 2014
Relatório SGB Lab - 2013 e 2014Relatório SGB Lab - 2013 e 2014
Relatório SGB Lab - 2013 e 2014
 
Imersão em Economia Colaborativa
Imersão em Economia ColaborativaImersão em Economia Colaborativa
Imersão em Economia Colaborativa
 
Compartilhar: um estudo sobre os usos da tecnologia entre os jovens_pdf
Compartilhar: um estudo sobre os usos da tecnologia entre os jovens_pdfCompartilhar: um estudo sobre os usos da tecnologia entre os jovens_pdf
Compartilhar: um estudo sobre os usos da tecnologia entre os jovens_pdf
 
Palestra Governo EletrôNico E InovaçãO Procergs Final VersãO Completa
Palestra Governo EletrôNico E InovaçãO   Procergs Final VersãO CompletaPalestra Governo EletrôNico E InovaçãO   Procergs Final VersãO Completa
Palestra Governo EletrôNico E InovaçãO Procergs Final VersãO Completa
 
Apresentacao geral minasparticipativa conceituacao
Apresentacao geral minasparticipativa conceituacaoApresentacao geral minasparticipativa conceituacao
Apresentacao geral minasparticipativa conceituacao
 

Semelhante a Marco Conceitual - Social Good Brasil

+ Inovação Pública: mapeamento site inovação
+ Inovação Pública: mapeamento site inovação+ Inovação Pública: mapeamento site inovação
+ Inovação Pública: mapeamento site inovação
Tellus
 
2012.06.18 mapeamento site inovação
2012.06.18 mapeamento site inovação2012.06.18 mapeamento site inovação
2012.06.18 mapeamento site inovação
Beatriz Pedreira
 
2012.06.18 mapeamento de sites de inovaçnao
2012.06.18 mapeamento de sites de inovaçnao2012.06.18 mapeamento de sites de inovaçnao
2012.06.18 mapeamento de sites de inovaçnao
Beatriz_Pedreira
 
2012.06.18 mapeamento de sites de inovaçnao
2012.06.18 mapeamento de sites de inovaçnao2012.06.18 mapeamento de sites de inovaçnao
2012.06.18 mapeamento de sites de inovaçnao
Beatriz Pedreira
 
Sumário InfoGerar
Sumário InfoGerarSumário InfoGerar
Sumário InfoGerar
sijo33
 
Aula 1 redes sociais - turma 2
Aula  1  redes sociais - turma 2Aula  1  redes sociais - turma 2
Aula 1 redes sociais - turma 2
Anelisa Maradei
 
Pmsp Programa Inova GestãO 2009 Igov Ano Zero Final Imp
Pmsp Programa Inova GestãO 2009 Igov   Ano Zero Final   ImpPmsp Programa Inova GestãO 2009 Igov   Ano Zero Final   Imp
Pmsp Programa Inova GestãO 2009 Igov Ano Zero Final Imp
Inova Gestão
 

Semelhante a Marco Conceitual - Social Good Brasil (20)

Tecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais português
Tecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais portuguêsTecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais português
Tecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais português
 
Educação Pós-Pandemia: Transformação Digital nas Instituições Educacionais
Educação Pós-Pandemia: Transformação Digital nas Instituições EducacionaisEducação Pós-Pandemia: Transformação Digital nas Instituições Educacionais
Educação Pós-Pandemia: Transformação Digital nas Instituições Educacionais
 
Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais s soci...
Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais                     s soci...Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais                     s soci...
Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais s soci...
 
Instituto Tecnologia & Equidade | Apresentação
Instituto Tecnologia & Equidade | ApresentaçãoInstituto Tecnologia & Equidade | Apresentação
Instituto Tecnologia & Equidade | Apresentação
 
Redes Sociales UNV Buenos Aires
Redes Sociales UNV Buenos AiresRedes Sociales UNV Buenos Aires
Redes Sociales UNV Buenos Aires
 
Apresentação VaiTec 2ª edição
Apresentação VaiTec 2ª ediçãoApresentação VaiTec 2ª edição
Apresentação VaiTec 2ª edição
 
+ Inovação Pública: mapeamento site inovação
+ Inovação Pública: mapeamento site inovação+ Inovação Pública: mapeamento site inovação
+ Inovação Pública: mapeamento site inovação
 
2012.06.18 mapeamento site inovação
2012.06.18 mapeamento site inovação2012.06.18 mapeamento site inovação
2012.06.18 mapeamento site inovação
 
2012.06.18 mapeamento de sites de inovaçnao
2012.06.18 mapeamento de sites de inovaçnao2012.06.18 mapeamento de sites de inovaçnao
2012.06.18 mapeamento de sites de inovaçnao
 
2012.06.18 mapeamento de sites de inovaçnao
2012.06.18 mapeamento de sites de inovaçnao2012.06.18 mapeamento de sites de inovaçnao
2012.06.18 mapeamento de sites de inovaçnao
 
empreendedorismo pelo IES
empreendedorismo pelo IESempreendedorismo pelo IES
empreendedorismo pelo IES
 
Inclusão digital
Inclusão digitalInclusão digital
Inclusão digital
 
Apresentacao para Unicef julho 6 2011
Apresentacao para Unicef julho 6 2011 Apresentacao para Unicef julho 6 2011
Apresentacao para Unicef julho 6 2011
 
S2B@W4L
S2B@W4LS2B@W4L
S2B@W4L
 
Sumário InfoGerar
Sumário InfoGerarSumário InfoGerar
Sumário InfoGerar
 
Aula 1 redes sociais - turma 2
Aula  1  redes sociais - turma 2Aula  1  redes sociais - turma 2
Aula 1 redes sociais - turma 2
 
Aula 1 - Redes Sociais
Aula 1 - Redes SociaisAula 1 - Redes Sociais
Aula 1 - Redes Sociais
 
Apresentacao teias atualizada
Apresentacao teias atualizadaApresentacao teias atualizada
Apresentacao teias atualizada
 
Pmsp Programa Inova GestãO 2009 Igov Ano Zero Final Imp
Pmsp Programa Inova GestãO 2009 Igov   Ano Zero Final   ImpPmsp Programa Inova GestãO 2009 Igov   Ano Zero Final   Imp
Pmsp Programa Inova GestãO 2009 Igov Ano Zero Final Imp
 
Nudging e Digital
Nudging e DigitalNudging e Digital
Nudging e Digital
 

Mais de Social Good Brasil

Mais de Social Good Brasil (20)

Dados abertos e melhoria na saúde
Dados abertos e melhoria na saúdeDados abertos e melhoria na saúde
Dados abertos e melhoria na saúde
 
Apresentação Hangout Fellow SGB
Apresentação Hangout Fellow SGBApresentação Hangout Fellow SGB
Apresentação Hangout Fellow SGB
 
SGB Lab 2016: apresentação Webinário pré-selecionados
SGB Lab 2016: apresentação Webinário pré-selecionados SGB Lab 2016: apresentação Webinário pré-selecionados
SGB Lab 2016: apresentação Webinário pré-selecionados
 
Seminário Social Good Brasil 2015 | Edgard Gouveia Júnior
Seminário Social Good Brasil 2015 | Edgard Gouveia JúniorSeminário Social Good Brasil 2015 | Edgard Gouveia Júnior
Seminário Social Good Brasil 2015 | Edgard Gouveia Júnior
 
Seminário Social Good Brasil 2015 | Anna Penido
Seminário Social Good Brasil 2015 | Anna PenidoSeminário Social Good Brasil 2015 | Anna Penido
Seminário Social Good Brasil 2015 | Anna Penido
 
Seminário Social Good Brasil 2015 | Leonardo Aguiar
Seminário Social Good Brasil 2015 | Leonardo AguiarSeminário Social Good Brasil 2015 | Leonardo Aguiar
Seminário Social Good Brasil 2015 | Leonardo Aguiar
 
Seminário Social Good Brasil 2015 | Luis Fernando Guggenberger
Seminário Social Good Brasil 2015 | Luis Fernando GuggenbergerSeminário Social Good Brasil 2015 | Luis Fernando Guggenberger
Seminário Social Good Brasil 2015 | Luis Fernando Guggenberger
 
Seminário Social Good Brasil 2015 | Kathleen Bennett
Seminário Social Good Brasil 2015 | Kathleen Bennett Seminário Social Good Brasil 2015 | Kathleen Bennett
Seminário Social Good Brasil 2015 | Kathleen Bennett
 
Seminário Social Good Brasil 2015 | Haroldo Machado Filho
Seminário Social Good Brasil 2015 | Haroldo Machado FilhoSeminário Social Good Brasil 2015 | Haroldo Machado Filho
Seminário Social Good Brasil 2015 | Haroldo Machado Filho
 
Seminário Social Good Brasil 2015 | Alexa Clay
Seminário Social Good Brasil 2015 | Alexa Clay Seminário Social Good Brasil 2015 | Alexa Clay
Seminário Social Good Brasil 2015 | Alexa Clay
 
Seminário Social Good Brasil 2015 | Joana Castello Branco
Seminário Social Good Brasil 2015 | Joana Castello BrancoSeminário Social Good Brasil 2015 | Joana Castello Branco
Seminário Social Good Brasil 2015 | Joana Castello Branco
 
Seminário Social Good Brasil 2015 | Cida Franco
Seminário Social Good Brasil 2015 | Cida FrancoSeminário Social Good Brasil 2015 | Cida Franco
Seminário Social Good Brasil 2015 | Cida Franco
 
Seminário Social Good Brasil 2015 | Maria Julia Kurth de Azambuja
Seminário Social Good Brasil 2015 | Maria Julia Kurth de Azambuja Seminário Social Good Brasil 2015 | Maria Julia Kurth de Azambuja
Seminário Social Good Brasil 2015 | Maria Julia Kurth de Azambuja
 
Seminário Social Good Brasil 2015 | Américo Mattar
Seminário Social Good Brasil 2015 | Américo MattarSeminário Social Good Brasil 2015 | Américo Mattar
Seminário Social Good Brasil 2015 | Américo Mattar
 
Social Good Brazil - Institucional
Social Good Brazil - InstitucionalSocial Good Brazil - Institucional
Social Good Brazil - Institucional
 
Lab 2015 - selecionados para webinário
Lab 2015 - selecionados para webinárioLab 2015 - selecionados para webinário
Lab 2015 - selecionados para webinário
 
Informe Social Good Brasil 2014
Informe Social Good Brasil 2014Informe Social Good Brasil 2014
Informe Social Good Brasil 2014
 
Social Good Brazil 2014 Report
Social Good Brazil 2014 Report Social Good Brazil 2014 Report
Social Good Brazil 2014 Report
 
Relatório Social Good Brasil 2014
Relatório Social Good Brasil 2014Relatório Social Good Brasil 2014
Relatório Social Good Brasil 2014
 
Resgate de Criatividade, por Reinhold Steinbeck
Resgate de Criatividade, por Reinhold SteinbeckResgate de Criatividade, por Reinhold Steinbeck
Resgate de Criatividade, por Reinhold Steinbeck
 

Marco Conceitual - Social Good Brasil

  • 1. Marco Conceitual - Social Good Brasil O que é o Social Good Brasil? Um programa que promove o uso das tecnologias, novas mídias e do pensamento inovador para contribuir com a solução de problemas sociais. O programa Social Good Brasil usa o conceito “Social Good”, termo da cultura digital que nomeia o movimento global +SocialGood, encabeçado por um grupo de organizações (UN Foundation, UNDP, 92Y, Bill&Melinda Gates Foundation, Mashable) do qual somos uma liderança no Brasil. E o que significa Social Good? - Social Good é usar as tecnologias, novas mídias e o pensamento inovador para contribuir com a solução de problemas sociais. - Social Good é mudar o mundo para melhor utilizando as tecnologias, novas mídias e o pensamento inovador. Iniciativas “Social Good” podem ser tipos de Inovação Social Inovação social é uma nova solução para um problema social, uma solução mais efetiva, eficiente, sustentável ou justa que as soluções já existentes, e que, prioritariamente, gere valor para a sociedade como um todo ao invés de beneficiar apenas alguns indivíduos. Essa é a definição cunhada pela Stanford Social Innovation Review, a publicação mais reconhecida sobre o tema. Em busca de entender melhor que tipos de novas soluções podem ser essas, adotamos o conceito de inovação de Schumpeter, adaptando-a para Inovação Social. Inovação social pode ser um novo produto ou serviço, um novo processo ou metodologia, uma nova proposta de valor para um novo público-alvo, novos insumos ou modelos de parcerias ou novos modelos organizacionais, que geram valor para a sociedade ao contribuir com a solução de problemas sociais e ambientais. Cada uma dessas modalidades de inovação podem ser qualificadas como radical (fazer algo novo) ou incremental (melhorar algo já existente). Inovação é um campo de estudo e prática mais difundido no setor privado do que no social. Joseph Schumpeter é um dos primeiros estudiosos reconhecidos do campo de inovação no mundo. A definição de inovação dele que adotamos e adaptamos para além do mercado, mas a sociedade como alvo, é ainda atual apesar de ser da década de 1950. Inovação social têm sido alvo de estudo do setor privado, principalmente nos Estados Unidos, desde 2010, em que sua definição é reconhecida pelo Social Good Brasil, mas não é restrita a ela pois, pois argumenta que é a “geração de valor econômico por meio de uma mudança social positiva” (Saul, 2011). O que são tecnologias para o Social Good Brasil? Reconhecemos tecnologias de engenharias, hardwares, softwares, novas mídias e telecomunicações. Alguns exemplos: computadores e aparelhos móveis, internet, website, redes sociais, aplicativos móveis e de computador, games/jogos, tecnologias limpas e de acesso (acesso a energia, água, alimentação e agricultura, processos com menos resíduos e recicláveis) e tecnologias assistivas.
  • 2. Não desconhecemos outras definições de tecnologia usadas no setor privado, social e público, mas optamos por um escopo menor. Essas outras definições são: “Tecnologia é um conjunto de processos pelo qual uma organização transforma mão de obra, capital, materiais e informação em produtos e serviços de grande valor.” (Christensen, 1997) “Tecnologia social é o conjunto de atividades relacionadas a estudos, planejamento, ensino, pesquisa, extensão e desenvolvimento de produtos, técnicas ou metodologias replicáveis, que representem soluções para o desenvolvimento social e melhoria das condições de vida da população” (Rede de Tecnologias Sociais) Categorias de Tecnologias Ao pesquisar esse campo, percebemos dois padrões de uso da tecnologia para solucionar problemas sociais e as denominamos de: Tecnologias de uso: tecnologias que não exigem alto nível de conhecimento técnico, pesquisa e desenvolvimento para serem utilizadas. Nessa categoria estão concentrados o uso de softwares, novas mídias e telecomunicações disponíveis de forma gratuita na internet. Exemplos: o uso de redes sociais e sites para disseminar uma causa social, assim como desenvolvimento de aplicativos para celulares. O campo é recente de estudo e prática, e o Social Good Brasil pretende aprofundar-se nele. Tecnologias de desenvolvimento: tecnologias que exigem investimento de dedicação ou recursos em pesquisa e desenvolvimento. Aqui estão casos que criam uma nova tecnologia ou adaptam uma já existente tornando-a acessível para um público que antes não tinha acesso. Concentram-se o desenvolvimento de softwares, engenharias e hardwares em computadores, tecnologias limpas e de acesso (acesso a energia, água, alimentação e agricultura, processos com menos resíduos e recicláveis) e tecnologias assistivas. Exemplos: tecnologias de acesso a água em regiões desérticas como o nordeste, assim como a adaptação de um microscópio de baixo custo para educação pública. A teoria de mudança As duas categorias têm alto impacto social ao proporcionar: Acesso: alcance a informação de qualidade para uma educação e saúde melhores, assim como serviços básicos de água, alimentação, crédito e financiamento de projetos são ferramentas de redução de desigualdade social ao oferecer oportunidades sociais e econômicas a todos. As tecnologias de uso estão cada vez mais acessíveis na internet e as tecnologias de desenvolvimento são adaptadas para oferecer este acesso. A tecnologia também oferece transparência, sendo um espaço de denúncia e que propicia a exposição de informações. Autonomia: a possibilidade de se engajar em causas sociais e de aprender em qualquer lugar estão entre alguns exemplos de como as tecnologias de internet estão transformando a nossa sociedade, oferecendo que o poder esteja na ponta dos dedos de cada um. As tecnologias de desenvolvimento, ao adaptar tecnologias para contextos locais, também possibilitam autonomia para seu uso. Escala: as tecnologias, em especial as tecnologias de uso, permitem que com menor esforço e baixo investimento seja possível alcançar um grande número de pessoas e causar um alto impacto social. Um exemplo é um site de petições online, que mobiliza milhares de cidadãos a pedir melhorias em temas importantes, como educação, saúde, segurança pública, etc.
  • 3. O que entendemos por “problemas sociais” e “melhorar o mundo”? Iniciativas “Social Good” devem contribuir para a solução de uma (ou mais) das questões abaixo:  Saúde: conscientizar a população para aumentar níveis gerais de conhecimento sobre importância e acesso condições sanitárias adequadas;  Cidadania & engajamento social: engajamento cívico e cidadão em questões políticas, do bem público e interesse coletivo, voluntariado;  Cidades & Mobilidade Urbana: problemáticas da cidade e zonas urbanas, aumento no número de pessoas por automóveis, desenvolvimento do uso de transportes coletivos e sustentáveis;  Consumo consciente & Justo: incentivar o consumo responsável (minimização de resíduos) e justo (inclusão);  Economia local, finanças & Empreendedorismo: promoção de iniciativas de inclusão de grupos no mercado de trabalho, turismo sustentável, redes de produção local e desenvolvimento de cooperativas, acesso a crédito e o sistema bancário;  Educação: iniciativas de educação básica ( 1ª série ensino fundamental até 3º ano ensino médio), acesso e qualidade do ensino;  Cultura & Entretenimento: desenvolvimento de espaços culturais e iniciativas de fomento a produção de cultura local, jogos educativos;  Meio ambiente & Energias renováveis: iniciativas de proteção ao meio ambiente e uso sustentável das reservas naturais, uso e desenvolvimento de energias renováveis;  Habitação: acesso ao sistema básico de habitação, melhorias e reformas. Fonte: indicadores de cidades sustentáveis: http://www.cidadessustentaveis.org.br/ O que é pensamento inovador? Usar o pensamento inovador é estar alinhado com uma nova forma de usar as tecnologias, que é mais colaborativa, em rede e com liderança compartilhada. Percebemos que a transformação que vivemos hoje na sociedade é de caráter comportamental, de novos modelos mentais e não apenas tecnológico. Entendemos que aplicar novos modelos mentais é fundamental para um salto de inovação com compromisso de solucionar problemas sociais urgentes. Atuação do programa Social Good Brasil Visão A visão do programa Social Good Brasil é uma sociedade em que as tecnologias e o pensamento inovador são utilizadas sistematicamente para a solução de problemas sociais. Essa visão é fundamentada na crença de que tecnologias e inovação são essenciais para a solução de problemas tão complexos que a humanidade enfrenta. Para alcançar essa visão, os objetivos gerais do programa Social Good Brasil, também denominados “pilares” são: Inspiração - Disseminar o conceito de Social Good, inspirando organizações e indivíduos a se envolver com o tema
  • 4. Informação - Ser um agregador de informação, interação e ferramentas práticas sobre como usar tecnologias e o pensamento inovador para contribuir com a solução de problemas sociais Ação - Identificar e apoiar experiências inovadoras para aumentar o número de casos brasileiros de sucesso e expandir seu potencial de melhoria social Estratégias - Atuar em rede por meio de parcerias com indivíduos e organizações, que são hubs de know-how com capilaridade nacional, e garantir que os parceiros gerem valor a partir da conexão entre eles - Garantir que a plataforma online do Social Good Brasil seja o ponto de convergência de todas as suas iniciativas, sendo a porta de entrada e o registo de conhecimento e experiência aberta para nossa rede - Não somos apenas digitais: apostar em encontros presenciais para inspiração do nosso público-alvo, realizando um seminário próprio por ano e participando de eventos e encontros diversos de terceiros, levando uma palestra ou oficina sobre o Social Good - No apoio a experiências inovadoras, atuar no abismo que existe na cadeia de apoio a inovações sociais no Brasil entre concursos/festivais de ideias e aceleradoras/fundos de investimento social, com foco em estruturação de ideias, design e prova do conceito - Atuar como um funil de inovação social, que pesquisa casos de sucesso no Brasil, benchmarking internacional e nichos de atuação, seleciona e implementa metodologias ou iniciativas pontuais que serão experimentadas para gerar conhecimento e aprendizado para novas iniciativas próprias Iniciativas 1. Seminários 1.1. Seminário Internacional de três dias em Florianópolis: um encontro bianual que oferece um ambiente presencial ideal para conexões e troca de ideias 1.2. Social Good Summit Meetup Brasil de um dia em São Paulo: um encontro bianual em paralelo ao Social Good Summit em Nova Iorque, com objetivo de trazer a experiência desse evento para o Brasil 2. Plataforma online: um ambiente de conexão entre as pessoas que se interessam pelo tema por meio de um site interativo e pelas redes sociais 3. Social Good Brasil Lab: um laboratório de design e prototipagem de iniciativas Social Good com duração de dez semanas, que ocorre em 12 sessões virtuais e seis encontros presenciais