SlideShare uma empresa Scribd logo
Turismo e o rio São Francisco
A CULTURA em
Januária:
- Festas
- Artesanato
- Danças/Músicas
- Culinária
Januária possui um berço cultural bem estruturado. No seu passado
foi alvo de elogios e credibilidade no setor Educação.
Desde o início da sua civilização, o seu povo já se preocupava com
a cultura, e professores dedicados abraçaram a causa, tentando
desenvolvê-la na pequena população que surgia.
A ausência de Escolas foi um dos obstáculos encontrados, mas sem
medir esforços e em situações precárias, professores ministravam
as aulas em suas próprias casas. A maior preocupação era difundir
conhecimentos e melhorar o nível cultural da população.
Antes de Januária elevar-se à categoria de cidade, a preocupação
em difundir conhecimentos fez com que a cultura fosse divulgada
aos poucos.
A Festa Dark foi
criada ainda no
final dos anos
oitenta e agora
se consolida
como um dos
principais
eventos do
calendário de
festas de
Januária e
região.
FESTAS
O Carnaval se
caracteriza como um
dos principais
eventos que atraem
turistas para a cidade
As danças constituem um importante componente cultural
da humanidade. E no caso do Brasil, que possui uma
cultura tão rica e diversificada, a gama de modalidades são
enormes, e muito importantes para a cultura brasileira. O
folclore brasileiro é rico em danças que representam as
tradições e a cultura de uma determinada região.
Estão ligadas aos aspectos religiosos, festas, lendas, fatos
históricos, acontecimentos do cotidiano e brincadeiras. As
danças folclóricas brasileiras caracterizam-se pelas músicas
animadas (com letras simples e populares) e figurinos e
cenários representativos. Estas danças são realizadas,
geralmente, em espaços públicos: praças, ruas e largos.
O Folclore Januarense merece destaque, muitas das expressões
folclóricas continuam puras, preservadas de influência externa.
CAVALHADA - Relembra as antigas guerras entre cristãos e
mouros, provocados pelo casamento do rei cristão Carlos Magno, e a
rainha moura Florípedes. Normalmente acontece no mês de
setembro.
REISADO Esta apresentação é uma marujada de água doce que
representa a retomada da Península Ibérica. Os integrantes vestem-se
como marinheiros e fazem marcações com os bastões de madeira.
FOLIA DE REIS Anunciando o natal de Jesus, os Reiseiros,
acompanhados de violas, sanfonas, reco-recos, bumbos, pandeiros,
cantam nas casas as alegrias pela vinda do Messias.
DESTAQUES: Danças
Lundu, Batuque, Caratê,
Folias, Pastorinhas,
Seresta no dia de reis,
Congado, Aboio de
Vaqueiros, Caboclinhos,
Dança de São Gonçalo,
Os Barranqueiros, Festa
de Santa Cruz, Reis das
Ciganas, Reis de Bois,
além do festival
internacional de Danças
Folclóricas.
A Arte e a Cultura são patrimônios eternos e retratam a riqueza cultural
da comunidade.
ARTESANATO
A MADEIRA é
utilizada para a
confecção de peças
como:
CARRANCAS,
MOENDAS,
ALAMBIQUES,
VAPORES,
CANOAS e outros
tipos que são
comercializados.
CERÂMICA: POTES,
TELHAS, PRATOS,
BULES, XÍCARAS,
MORINGAS e outras
peças fazem parte do
trabalho de algumas
famílias da zona rural.
PALHA: a grande
quantidade de
bambu, taboca,
tucum, tábua e
carnaúba facilita a
tecelagem de
BALAIOS,
PENEIRAS,
ESTEIRAS,
CHAPÉUS e
BOCAPIOS.
A culinária regional apresenta vários pratos saborosos.
Por exemplo:
· arroz com pequi;
· cachaças e licores artesanais;
· carne de sol;
· derivados do polvilho: pão-de-queijo, petas e beijus;
· doces de banana, caju, goiaba, laranja, leite, limão, entre outros;
· feijão tropeiro com torresmo;
· frango caipira;
· moquecas de surubim;
. rapadura;
· paçoca;
· picado de arroz;
· pratos tradicionais feitos com peixes do rio São Francisco;
CULINÁRIA
A rapadura ocupa dentre os diversos
tipos de açúcares disponíveis no
mercado, uma posição inigualável. É
evidente que este produto, do ponto de
vista da nutrição, leva vantagem em
relação aos produtos similares, pois
traz em sua composição elementos
essenciais ao organismo humano, tanto
os de natureza orgânica quanto
minerais e vitaminas.
A polpa e o óleo do pequi, também muito utilizado na culinária januarense,
podem encontrados durante todo o ano em pequenas fabriquetas artesanais.
Do pequi ainda se extrai a castanha que é vendida no mercado municipal e
na feira livre aos sábados. A castanha é muito saborosa e também é usada na
culinária, devendo ser reidratada antes do consumo, pois é vendida seca.
Feira livre Mercado Municipal
Januária possui ótimas
referências na produção de
cachaça. O segredo está na
umidade natural do solo e no
clima do distrito de Brejo do
Amparo.
O município produz a cana-de-
açúcar desde o seu surgimento.
São mais de trinta engenhos nas
imediações do povoado. Parte da
produção da cachaça é exportada
para outros estados e para todos
os países europeus e asiáticos,
dado o alto grau de qualidade da
cachaça ali produzida.
A cachaça de Januária é
considerada uma das melhores
do Brasil.
CACHAÇA
Nossa cidade deveria ter mais eventos culturais que
envolvessem suas danças, comidas típicas, músicas e
artesanato, porém Januária não está sendo valorizada
quanto pelos seus representantes quanto pela própria
população.
Devemos ter mais respeito pela nossa cidade e preserva -
lá pois ela é nosso lar.
CONCLUSÃO
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ginástica e suas possibilidades na comunidade local 1º ANO.pptx
Ginástica e suas possibilidades na comunidade local 1º ANO.pptxGinástica e suas possibilidades na comunidade local 1º ANO.pptx
Ginástica e suas possibilidades na comunidade local 1º ANO.pptx
ArlecioMatos
 
Aula os retirantes cândido portinari
Aula  os retirantes cândido portinariAula  os retirantes cândido portinari
Aula os retirantes cândido portinari
Marilza Fuentes
 
O funcionalismo em linguística
O funcionalismo em linguísticaO funcionalismo em linguística
O funcionalismo em linguística
Fernanda Câmara
 
Dança
DançaDança
Prosopopéia - Bento Teixeira
Prosopopéia - Bento TeixeiraProsopopéia - Bento Teixeira
Prosopopéia - Bento Teixeira
Thaynã Guedes
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
Ana Paula Brisolar
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
ISJ
 
Literatura pos modernismo
Literatura pos modernismo Literatura pos modernismo
Literatura pos modernismo
samuelmuller
 
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIOPLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
IFMA
 
Estilos de dança
Estilos de dançaEstilos de dança
Estilos de dança
Paola Oniesko
 
Simulado 3ª a
Simulado 3ª aSimulado 3ª a
Simulado 3ª a
Nathalia Marzura
 
6o. Ano - A arte na grécia
6o. Ano - A arte na grécia6o. Ano - A arte na grécia
6o. Ano - A arte na grécia
ArtesElisa
 
Danças brasileiras
Danças brasileirasDanças brasileiras
Danças brasileiras
VALDIR CONCEICAO
 
Quinhentismo
Quinhentismo Quinhentismo
Quinhentismo
Cláudia Heloísa
 
4759750 exercicio-de-oracoes-subordinadas-substantivas
4759750 exercicio-de-oracoes-subordinadas-substantivas4759750 exercicio-de-oracoes-subordinadas-substantivas
4759750 exercicio-de-oracoes-subordinadas-substantivas
UNIP
 
Avaliação para o 7º ano
Avaliação para o 7º anoAvaliação para o 7º ano
Avaliação para o 7º ano
Andreza Andrade
 
Arte barroca 3º período
Arte barroca 3º períodoArte barroca 3º período
Arte barroca 3º período
Doug Caesar
 
Dança ,corpo em acção
Dança ,corpo em acçãoDança ,corpo em acção
Dança ,corpo em acção
Carla Silva
 
[Danca]gabarito
[Danca]gabarito[Danca]gabarito
[Danca]gabarito
ocileideribeirodasilva
 
Arte grega texto para atividade
Arte grega texto para atividadeArte grega texto para atividade
Arte grega texto para atividade
Casiris Crescencio
 

Mais procurados (20)

Ginástica e suas possibilidades na comunidade local 1º ANO.pptx
Ginástica e suas possibilidades na comunidade local 1º ANO.pptxGinástica e suas possibilidades na comunidade local 1º ANO.pptx
Ginástica e suas possibilidades na comunidade local 1º ANO.pptx
 
Aula os retirantes cândido portinari
Aula  os retirantes cândido portinariAula  os retirantes cândido portinari
Aula os retirantes cândido portinari
 
O funcionalismo em linguística
O funcionalismo em linguísticaO funcionalismo em linguística
O funcionalismo em linguística
 
Dança
DançaDança
Dança
 
Prosopopéia - Bento Teixeira
Prosopopéia - Bento TeixeiraProsopopéia - Bento Teixeira
Prosopopéia - Bento Teixeira
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
 
Literatura pos modernismo
Literatura pos modernismo Literatura pos modernismo
Literatura pos modernismo
 
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIOPLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
 
Estilos de dança
Estilos de dançaEstilos de dança
Estilos de dança
 
Simulado 3ª a
Simulado 3ª aSimulado 3ª a
Simulado 3ª a
 
6o. Ano - A arte na grécia
6o. Ano - A arte na grécia6o. Ano - A arte na grécia
6o. Ano - A arte na grécia
 
Danças brasileiras
Danças brasileirasDanças brasileiras
Danças brasileiras
 
Quinhentismo
Quinhentismo Quinhentismo
Quinhentismo
 
4759750 exercicio-de-oracoes-subordinadas-substantivas
4759750 exercicio-de-oracoes-subordinadas-substantivas4759750 exercicio-de-oracoes-subordinadas-substantivas
4759750 exercicio-de-oracoes-subordinadas-substantivas
 
Avaliação para o 7º ano
Avaliação para o 7º anoAvaliação para o 7º ano
Avaliação para o 7º ano
 
Arte barroca 3º período
Arte barroca 3º períodoArte barroca 3º período
Arte barroca 3º período
 
Dança ,corpo em acção
Dança ,corpo em acçãoDança ,corpo em acção
Dança ,corpo em acção
 
[Danca]gabarito
[Danca]gabarito[Danca]gabarito
[Danca]gabarito
 
Arte grega texto para atividade
Arte grega texto para atividadeArte grega texto para atividade
Arte grega texto para atividade
 

Semelhante a Januária - Cultura

Bahia, o coração histórico do Brasil
Bahia, o coração histórico do BrasilBahia, o coração histórico do Brasil
Bahia, o coração histórico do Brasil
Émille Luz
 
Caucaia
CaucaiaCaucaia
Caucaia
Bruna Makini
 
Folheto VII Festival Folclore - Barreiros - 2012
Folheto VII Festival Folclore - Barreiros - 2012Folheto VII Festival Folclore - Barreiros - 2012
Folheto VII Festival Folclore - Barreiros - 2012
rfvlis
 
Santa catarina
Santa catarinaSanta catarina
Santa catarina
soradinda_59
 
Pará e santa catarina
Pará e santa catarinaPará e santa catarina
Pará e santa catarina
Tamires Assunção
 
HISTÓRIA DE MARANHAO.pptx
HISTÓRIA DE MARANHAO.pptxHISTÓRIA DE MARANHAO.pptx
HISTÓRIA DE MARANHAO.pptx
AdrianaReginaCostaRD
 
Pirassununga tem
Pirassununga temPirassununga tem
Pirassununga tem
Marli Caron
 
Miniguia Turístico - Joinville
Miniguia Turístico - JoinvilleMiniguia Turístico - Joinville
Miniguia Turístico - Joinville
TurismoJoinville
 
Pirassununga tem
Pirassununga temPirassununga tem
Pirassununga tem
marlicasoares
 
A diversidade cultural no brasil (1) (1)
A diversidade cultural no brasil (1) (1)A diversidade cultural no brasil (1) (1)
A diversidade cultural no brasil (1) (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
Agenda Cultural | Santa Maria da Feira | junho a agosto 2014
Agenda Cultural | Santa Maria da Feira | junho a agosto 2014Agenda Cultural | Santa Maria da Feira | junho a agosto 2014
Agenda Cultural | Santa Maria da Feira | junho a agosto 2014
Gil Ferreira
 
MAPA ENVIAR.pptx
MAPA ENVIAR.pptxMAPA ENVIAR.pptx
MAPA ENVIAR.pptx
AlineLima384979
 
MAPA ENVIAR.pptx
MAPA ENVIAR.pptxMAPA ENVIAR.pptx
MAPA ENVIAR.pptx
AlineLima384979
 
BAHIA_O_coracao_historico_do_Brasil.pptx
BAHIA_O_coracao_historico_do_Brasil.pptxBAHIA_O_coracao_historico_do_Brasil.pptx
BAHIA_O_coracao_historico_do_Brasil.pptx
UerleLimaDosSantos
 
Históriadejoãopesso1 rodrigo
Históriadejoãopesso1  rodrigoHistóriadejoãopesso1  rodrigo
Históriadejoãopesso1 rodrigo
nilmarfgalvao
 
América latina
América latinaAmérica latina
América latina
anderson_leonardo
 
Arte tradicional, escultura e culinária brasileira
Arte tradicional, escultura e culinária brasileiraArte tradicional, escultura e culinária brasileira
Arte tradicional, escultura e culinária brasileira
sarahlaissa
 
nordeste do brasil
nordeste do brasilnordeste do brasil
nordeste do brasil
Gean Bonatto
 
Festival do caranguejo EM SÃO CAETANO DE ODIVELAS/PA
Festival do caranguejo EM SÃO CAETANO DE ODIVELAS/PAFestival do caranguejo EM SÃO CAETANO DE ODIVELAS/PA
Festival do caranguejo EM SÃO CAETANO DE ODIVELAS/PA
Cibele Menezes
 
Revista FESTA DOS PESCADORES 2015
Revista FESTA DOS PESCADORES 2015Revista FESTA DOS PESCADORES 2015
Revista FESTA DOS PESCADORES 2015
Pedro Nascimento
 

Semelhante a Januária - Cultura (20)

Bahia, o coração histórico do Brasil
Bahia, o coração histórico do BrasilBahia, o coração histórico do Brasil
Bahia, o coração histórico do Brasil
 
Caucaia
CaucaiaCaucaia
Caucaia
 
Folheto VII Festival Folclore - Barreiros - 2012
Folheto VII Festival Folclore - Barreiros - 2012Folheto VII Festival Folclore - Barreiros - 2012
Folheto VII Festival Folclore - Barreiros - 2012
 
Santa catarina
Santa catarinaSanta catarina
Santa catarina
 
Pará e santa catarina
Pará e santa catarinaPará e santa catarina
Pará e santa catarina
 
HISTÓRIA DE MARANHAO.pptx
HISTÓRIA DE MARANHAO.pptxHISTÓRIA DE MARANHAO.pptx
HISTÓRIA DE MARANHAO.pptx
 
Pirassununga tem
Pirassununga temPirassununga tem
Pirassununga tem
 
Miniguia Turístico - Joinville
Miniguia Turístico - JoinvilleMiniguia Turístico - Joinville
Miniguia Turístico - Joinville
 
Pirassununga tem
Pirassununga temPirassununga tem
Pirassununga tem
 
A diversidade cultural no brasil (1) (1)
A diversidade cultural no brasil (1) (1)A diversidade cultural no brasil (1) (1)
A diversidade cultural no brasil (1) (1)
 
Agenda Cultural | Santa Maria da Feira | junho a agosto 2014
Agenda Cultural | Santa Maria da Feira | junho a agosto 2014Agenda Cultural | Santa Maria da Feira | junho a agosto 2014
Agenda Cultural | Santa Maria da Feira | junho a agosto 2014
 
MAPA ENVIAR.pptx
MAPA ENVIAR.pptxMAPA ENVIAR.pptx
MAPA ENVIAR.pptx
 
MAPA ENVIAR.pptx
MAPA ENVIAR.pptxMAPA ENVIAR.pptx
MAPA ENVIAR.pptx
 
BAHIA_O_coracao_historico_do_Brasil.pptx
BAHIA_O_coracao_historico_do_Brasil.pptxBAHIA_O_coracao_historico_do_Brasil.pptx
BAHIA_O_coracao_historico_do_Brasil.pptx
 
Históriadejoãopesso1 rodrigo
Históriadejoãopesso1  rodrigoHistóriadejoãopesso1  rodrigo
Históriadejoãopesso1 rodrigo
 
América latina
América latinaAmérica latina
América latina
 
Arte tradicional, escultura e culinária brasileira
Arte tradicional, escultura e culinária brasileiraArte tradicional, escultura e culinária brasileira
Arte tradicional, escultura e culinária brasileira
 
nordeste do brasil
nordeste do brasilnordeste do brasil
nordeste do brasil
 
Festival do caranguejo EM SÃO CAETANO DE ODIVELAS/PA
Festival do caranguejo EM SÃO CAETANO DE ODIVELAS/PAFestival do caranguejo EM SÃO CAETANO DE ODIVELAS/PA
Festival do caranguejo EM SÃO CAETANO DE ODIVELAS/PA
 
Revista FESTA DOS PESCADORES 2015
Revista FESTA DOS PESCADORES 2015Revista FESTA DOS PESCADORES 2015
Revista FESTA DOS PESCADORES 2015
 

Mais de Adriana Andrade

História - Mesopotâmia
História - MesopotâmiaHistória - Mesopotâmia
História - Mesopotâmia
Adriana Andrade
 
Gestão Ambiental - Maremotriz
Gestão Ambiental - Maremotriz   Gestão Ambiental - Maremotriz
Gestão Ambiental - Maremotriz
Adriana Andrade
 
Agroecologia - Cabeça de negro
Agroecologia - Cabeça de negroAgroecologia - Cabeça de negro
Agroecologia - Cabeça de negro
Adriana Andrade
 
Climatologia - Raios e trovões
Climatologia - Raios e trovões  Climatologia - Raios e trovões
Climatologia - Raios e trovões
Adriana Andrade
 
Teorias da modernidade
Teorias da modernidadeTeorias da modernidade
Teorias da modernidade
Adriana Andrade
 
Literatura - Vidas secas
Literatura - Vidas secasLiteratura - Vidas secas
Literatura - Vidas secas
Adriana Andrade
 
Literatura - A Moreninha
Literatura - A MoreninhaLiteratura - A Moreninha
Literatura - A Moreninha
Adriana Andrade
 
Artes - Franz Marc
Artes - Franz MarcArtes - Franz Marc
Artes - Franz Marc
Adriana Andrade
 
Ética: Derretimento de geleiras polares
Ética: Derretimento de geleiras polaresÉtica: Derretimento de geleiras polares
Ética: Derretimento de geleiras polares
Adriana Andrade
 
História - Manifestações Culturais no Brasil durante a Ditadura
História - Manifestações Culturais no Brasil durante a DitaduraHistória - Manifestações Culturais no Brasil durante a Ditadura
História - Manifestações Culturais no Brasil durante a Ditadura
Adriana Andrade
 
Geografia: Brasil e México
Geografia: Brasil e MéxicoGeografia: Brasil e México
Geografia: Brasil e México
Adriana Andrade
 

Mais de Adriana Andrade (11)

História - Mesopotâmia
História - MesopotâmiaHistória - Mesopotâmia
História - Mesopotâmia
 
Gestão Ambiental - Maremotriz
Gestão Ambiental - Maremotriz   Gestão Ambiental - Maremotriz
Gestão Ambiental - Maremotriz
 
Agroecologia - Cabeça de negro
Agroecologia - Cabeça de negroAgroecologia - Cabeça de negro
Agroecologia - Cabeça de negro
 
Climatologia - Raios e trovões
Climatologia - Raios e trovões  Climatologia - Raios e trovões
Climatologia - Raios e trovões
 
Teorias da modernidade
Teorias da modernidadeTeorias da modernidade
Teorias da modernidade
 
Literatura - Vidas secas
Literatura - Vidas secasLiteratura - Vidas secas
Literatura - Vidas secas
 
Literatura - A Moreninha
Literatura - A MoreninhaLiteratura - A Moreninha
Literatura - A Moreninha
 
Artes - Franz Marc
Artes - Franz MarcArtes - Franz Marc
Artes - Franz Marc
 
Ética: Derretimento de geleiras polares
Ética: Derretimento de geleiras polaresÉtica: Derretimento de geleiras polares
Ética: Derretimento de geleiras polares
 
História - Manifestações Culturais no Brasil durante a Ditadura
História - Manifestações Culturais no Brasil durante a DitaduraHistória - Manifestações Culturais no Brasil durante a Ditadura
História - Manifestações Culturais no Brasil durante a Ditadura
 
Geografia: Brasil e México
Geografia: Brasil e MéxicoGeografia: Brasil e México
Geografia: Brasil e México
 

Januária - Cultura

  • 1. Turismo e o rio São Francisco A CULTURA em Januária: - Festas - Artesanato - Danças/Músicas - Culinária
  • 2. Januária possui um berço cultural bem estruturado. No seu passado foi alvo de elogios e credibilidade no setor Educação. Desde o início da sua civilização, o seu povo já se preocupava com a cultura, e professores dedicados abraçaram a causa, tentando desenvolvê-la na pequena população que surgia. A ausência de Escolas foi um dos obstáculos encontrados, mas sem medir esforços e em situações precárias, professores ministravam as aulas em suas próprias casas. A maior preocupação era difundir conhecimentos e melhorar o nível cultural da população. Antes de Januária elevar-se à categoria de cidade, a preocupação em difundir conhecimentos fez com que a cultura fosse divulgada aos poucos.
  • 3. A Festa Dark foi criada ainda no final dos anos oitenta e agora se consolida como um dos principais eventos do calendário de festas de Januária e região. FESTAS
  • 4. O Carnaval se caracteriza como um dos principais eventos que atraem turistas para a cidade
  • 5. As danças constituem um importante componente cultural da humanidade. E no caso do Brasil, que possui uma cultura tão rica e diversificada, a gama de modalidades são enormes, e muito importantes para a cultura brasileira. O folclore brasileiro é rico em danças que representam as tradições e a cultura de uma determinada região. Estão ligadas aos aspectos religiosos, festas, lendas, fatos históricos, acontecimentos do cotidiano e brincadeiras. As danças folclóricas brasileiras caracterizam-se pelas músicas animadas (com letras simples e populares) e figurinos e cenários representativos. Estas danças são realizadas, geralmente, em espaços públicos: praças, ruas e largos.
  • 6. O Folclore Januarense merece destaque, muitas das expressões folclóricas continuam puras, preservadas de influência externa. CAVALHADA - Relembra as antigas guerras entre cristãos e mouros, provocados pelo casamento do rei cristão Carlos Magno, e a rainha moura Florípedes. Normalmente acontece no mês de setembro.
  • 7. REISADO Esta apresentação é uma marujada de água doce que representa a retomada da Península Ibérica. Os integrantes vestem-se como marinheiros e fazem marcações com os bastões de madeira.
  • 8. FOLIA DE REIS Anunciando o natal de Jesus, os Reiseiros, acompanhados de violas, sanfonas, reco-recos, bumbos, pandeiros, cantam nas casas as alegrias pela vinda do Messias. DESTAQUES: Danças Lundu, Batuque, Caratê, Folias, Pastorinhas, Seresta no dia de reis, Congado, Aboio de Vaqueiros, Caboclinhos, Dança de São Gonçalo, Os Barranqueiros, Festa de Santa Cruz, Reis das Ciganas, Reis de Bois, além do festival internacional de Danças Folclóricas.
  • 9. A Arte e a Cultura são patrimônios eternos e retratam a riqueza cultural da comunidade. ARTESANATO
  • 10. A MADEIRA é utilizada para a confecção de peças como: CARRANCAS, MOENDAS, ALAMBIQUES, VAPORES, CANOAS e outros tipos que são comercializados.
  • 11. CERÂMICA: POTES, TELHAS, PRATOS, BULES, XÍCARAS, MORINGAS e outras peças fazem parte do trabalho de algumas famílias da zona rural.
  • 12. PALHA: a grande quantidade de bambu, taboca, tucum, tábua e carnaúba facilita a tecelagem de BALAIOS, PENEIRAS, ESTEIRAS, CHAPÉUS e BOCAPIOS.
  • 13. A culinária regional apresenta vários pratos saborosos. Por exemplo: · arroz com pequi; · cachaças e licores artesanais; · carne de sol; · derivados do polvilho: pão-de-queijo, petas e beijus; · doces de banana, caju, goiaba, laranja, leite, limão, entre outros; · feijão tropeiro com torresmo; · frango caipira; · moquecas de surubim; . rapadura; · paçoca; · picado de arroz; · pratos tradicionais feitos com peixes do rio São Francisco; CULINÁRIA
  • 14. A rapadura ocupa dentre os diversos tipos de açúcares disponíveis no mercado, uma posição inigualável. É evidente que este produto, do ponto de vista da nutrição, leva vantagem em relação aos produtos similares, pois traz em sua composição elementos essenciais ao organismo humano, tanto os de natureza orgânica quanto minerais e vitaminas.
  • 15. A polpa e o óleo do pequi, também muito utilizado na culinária januarense, podem encontrados durante todo o ano em pequenas fabriquetas artesanais. Do pequi ainda se extrai a castanha que é vendida no mercado municipal e na feira livre aos sábados. A castanha é muito saborosa e também é usada na culinária, devendo ser reidratada antes do consumo, pois é vendida seca. Feira livre Mercado Municipal
  • 16. Januária possui ótimas referências na produção de cachaça. O segredo está na umidade natural do solo e no clima do distrito de Brejo do Amparo. O município produz a cana-de- açúcar desde o seu surgimento. São mais de trinta engenhos nas imediações do povoado. Parte da produção da cachaça é exportada para outros estados e para todos os países europeus e asiáticos, dado o alto grau de qualidade da cachaça ali produzida. A cachaça de Januária é considerada uma das melhores do Brasil. CACHAÇA
  • 17. Nossa cidade deveria ter mais eventos culturais que envolvessem suas danças, comidas típicas, músicas e artesanato, porém Januária não está sendo valorizada quanto pelos seus representantes quanto pela própria população. Devemos ter mais respeito pela nossa cidade e preserva - lá pois ela é nosso lar. CONCLUSÃO
  • 18. FIM