SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Internacionalização do

Turismo no Meio Rural




                  Santarém, 5 de Junho 2012
Índice:
      Reflexões

      Caracterização da Procura

      Caracterização Oferta

      Modelo de Desenvolvimento e de Negócio

      Conclusões




2
Internacionalização do Turismo no Meio Rural

    Reflexões
       Importância da atribuição da             condição    de    produto
        específico/estratégico para o Turismo.
       Importância de dar a conhecer aos potenciais turistas provenientes
        de outros países, os atrativos/fatores de competitividade turísticos
        nacionais.
       Importância de fazer sobressair como fator de competitividade os
        produtos agrícolas, locais e regionais de qualidade e dos fatores
        paisagísticos e ambientais das zonas de excelência.
       Importância de melhorar e aumentar a oferta de alojamento TER e
        de outros atrativos turísticos – oferta integrada, organizada e
        qualificada.
       Importância da criação de serviços no alojamento TER e nas áreas
        de influência envolventes.
       Importância de articular com os investimentos estruturais dos
        municípios e das regiões onde se inserem.




3
Índice:
      Reflexões

      Caracterização da Procura

      Caracterização Oferta

      Modelo de Desenvolvimento e de Negócio

      Conclusões




4
Internacionalização do Turismo no Meio Rural


           Caracterização da Procura

        •   Turismo rural internacional representa 5,4% das viagens de lazer na
            Europa (13,4M de viagens Europa).
        •   Turista rural tipo - 35 e 55 anos, classe média-alta, cerca de 2, 3 dias
            de permanência média e com 2 horas de duração de viagem do ponto
            de chegada/partida.
        •   Motivação: cultural, contato de natureza, atividade de animação ou
            desporto, relaxamento e paz interior.
        •   Tendência para uma evolução cada vez maior da procura
            internacional e por férias mais participativas.




5
Internacionalização do Turismo no Meio Rural

       Caracterização da Procura
        •   Alemanha e Espanha são os principais mercados emissores para
            Portugal.
        •   Turismo rural posiciona-se como uma opção a ser considerada nas
            férias de curta duração, com um maior nível de conforto do
            alojamento e um elevado standard de qualidade nos serviços.




                                               Reino Unido




6
Índice:
      Reflexões

      Caracterização da Procura

      Caracterização Oferta

      Modelo de Desenvolvimento e de Negócio

      Conclusões




7
Internacionalização do Turismo no Meio Rural


        Caracterização da Oferta
        Oferta de alojamento rural em Portugal representa apenas 1% do disponível em toda
        a Europa:
          •   1.393 estabelecimentos, com um crescimento, em média 5,4% ao ano, na
              última década
          •   16.502 camas, com um crescimento, em média 7,6% ao ano, na última década


        Oferta concentrada (82% das camas disponíveis), da seguinte forma:
          •   Norte 40%
          •   Centro 22%
          •   Alentejo 20%
        O total de dormidas em alojamentos rurais chegou a 524 mil em 2008, das quais 44%
        foram estrageiros e cresceu cerca de 7 vezes mais do que os restantes segmentos
        turísticos.
        O peso da procura doméstica, apresenta valores inferiores aos da média europeia.




8
Internacionalização do Turismo no Meio Rural

           Caracterização da Oferta
        •   O número de explorações que se dedicam ao TR e a atividades diretamente
            relacionadas, aumentaram cerca de 37% no período 1999-2009


        •   A importância económica da          animação turística tem vindo a aumentar
            significativamente. Entre 2007 e 2009, a organização de atividades de animação
            turística apresenta os seguintes aumentos:
                 •   +164% Nº de empresas
                 •   +109% Pessoal ao serviço
                 •   +48% Volume de negócios


        •   Os produtos com nome protegido (DOP/IGP) apresentaram uma evolução positiva no
            período de 2004 a 2007. Nesse período, os acréscimos registados foram:
                 •   +108% Volume da Produção
                 •   +13% Valor da Produção




9
Internacionalização do Turismo no Meio Rural


        Recursos e atrativos turísticos
         •    Recursos e atrativos PRIMÁRIOS:
             - Pequenos núcleos urbanos históricos próximos à área rural
               (acessível em média a 30 minutos em carro)
             - Parques nacionais e/ou áreas naturais de elevada atratividade
             - Gastronómicos e enológicos
             - Cultura e patrimônio locais
             - Disponibilidade de animação turística


         •    Recursos e atrativos SECUNDÁRIOS:
             - Artesanato
             - Eventos
             - Tradições religiosas
             - Museus e centros de interpretação
             - Outros


10
Internacionalização do Turismo no Meio Rural

        Recursos com potencial, mas com baixo aproveitamento turístico




11
Internacionalização do Turismo no Meio Rural

        Fatores críticos de sucesso
         •   Falta de formação dos recursos humanos e capacitação das empresas.
         •   Escassez de empresas que ofereçam atividades de animação.
         •   Ineficazes estratégias de comunicação e facilidade de reserva.
         •   Fraco posicionamento no mercado.
         •   Ausência de um          sistema     nacional   de   qualificação   dos
             empreendimentos.
         •   Difícil diferenciação pelo consumidor sobre os diferentes tipos de
             oferta de alojamento em meio rural.
         •   Falta de clarificação do produto.




12
Índice:
       Reflexões

       Caracterização da Procura

       Caracterização Oferta

       Modelo de Desenvolvimento e de Negócio

       Conclusões




13
Internacionalização do Turismo no Meio Rural


        Cadeia de valor da produção em Turismo


     Pré-viagem                    Durante                    Pós -viagem



                   Consumo de
                    serviços de   Consumo de   Consumo de
                                                              Compartilhar
         Planear   alojamento e     recursos   atividades e
                                                              experiências
                       outros      atrativos   experiências
                      serviços




14
Internacionalização do Turismo no Meio Rural

        Estratégias a seguir:

     •   Como dispor de uma oferta atrativa de atividades e experiências para
         o turista?
             - Desenvolvimento da oferta turística
             - Políticas de estímulo
             - Captação de talento empresarial
     •   Como contar com uma oferta de alojamento e serviços qualificados
         que transmita segurança ao mercado?
             - Classificação da oferta de alojamento
             - Políticas de estímulo à oferta de alojamento
     •   Como posicionar os destinos nos mercados de origem prioritários?
             - Marcas/labels
             - Comercialização em origem / destino




15
Internacionalização do Turismo no Meio Rural

        Estratégias a seguir:

     •   Como fazer da inspiração e planeamento da viagem uma experiência
         gratificante?
             - Espaço web de turismo rural de Portugal
             - Plano de comercialização em origem / destino
     •   Como desenvolver de forma coordenada as políticas e o marketing
         entre sectores?
             - Sinergias entre produtos transversais
             - Mecanismos de coordenação público-privados
     •   Como gerir eficazmente o desenvolvimento e o marketing do turismo
         rural em Portugal?
             - Organização para a gestão do turismo rural
             - Incorporação de atores-chave




16
Índice:
       Reflexões

       Caracterização da Procura

       Caracterização Oferta

       Modelo de Desenvolvimento e de Negócio

       Conclusões




17
Internacionalização do Turismo no Meio Rural

        Principais conclusões:

     •   Promover a qualificação do setor;
     •   Melhorar a imagem de qualidade dos serviços de turismo rural;
     •   Posicionar Portugal entre os destinos de qualidade do setor de turismo
         rural europeu;
     •   Integrar a oferta de recursos locais numa plataforma atrativa de
         informação, planeamento e venda de turismo rural em Portugal;
     •   Estimular o consumo de turismo rural pela procura indireta presente
         no país;
     •   Implementar o modelo de desenvolvimento coordenado para turismo
         rural no país.




18
Internacionalização do Turismo no Meio Rural


            Próximos passos:
         •   Apresentação à tutela no final de Junho;
         •   Apresentação aos stakeholders no final de Setembro;
         •   Base de trabalho no âmbito da discussão do Quadro Estratégico
             Comum 2014/20 e do Contrato de Parceria, a estabelecer, para
             potenciar sinergias entre os Fundos de Financiamento (FEADER,
             FEDER, FSE e outros);
         •   Base de trabalho no âmbito do próximo programa de
             desenvolvimento rural 2014/20, nomeadamente, do 6º objetivo
             estratégico, desenvolvimento económico das zonas rurais.




19

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (14)

Mtur apresentação sabara
Mtur apresentação sabaraMtur apresentação sabara
Mtur apresentação sabara
 
Apresentação th2
Apresentação th2Apresentação th2
Apresentação th2
 
Módulo 8
Módulo 8Módulo 8
Módulo 8
 
Teoria e técnica profissional 3
Teoria e técnica profissional 3Teoria e técnica profissional 3
Teoria e técnica profissional 3
 
Apresentação portugal rural -Tânia Vicente
Apresentação portugal rural -Tânia VicenteApresentação portugal rural -Tânia Vicente
Apresentação portugal rural -Tânia Vicente
 
Turismo de natureza
Turismo de naturezaTurismo de natureza
Turismo de natureza
 
Apresentação Beja 01.04.2014
Apresentação Beja 01.04.2014Apresentação Beja 01.04.2014
Apresentação Beja 01.04.2014
 
Trilhos do sabor
Trilhos do saborTrilhos do sabor
Trilhos do sabor
 
Módulo 6
Módulo 6Módulo 6
Módulo 6
 
Módulo 6
Módulo 6Módulo 6
Módulo 6
 
10 produtosturisticos albertina_lima_tav1ºano
10 produtosturisticos albertina_lima_tav1ºano10 produtosturisticos albertina_lima_tav1ºano
10 produtosturisticos albertina_lima_tav1ºano
 
City break
City breakCity break
City break
 
270
270270
270
 
Modulo 6 iat
Modulo 6 iatModulo 6 iat
Modulo 6 iat
 

Destaque

Sistemas de incentivos e apoios financeiros orientados para a qualificação da...
Sistemas de incentivos e apoios financeiros orientados para a qualificação da...Sistemas de incentivos e apoios financeiros orientados para a qualificação da...
Sistemas de incentivos e apoios financeiros orientados para a qualificação da...
Vitor Pereira
 
Organização em rede o caso da rede naturtejo – Armindo Jacinto
Organização em rede o caso da rede naturtejo – Armindo JacintoOrganização em rede o caso da rede naturtejo – Armindo Jacinto
Organização em rede o caso da rede naturtejo – Armindo Jacinto
Vitor Pereira
 
Funcionamento em rede - Eduardo Lucas
Funcionamento em rede - Eduardo LucasFuncionamento em rede - Eduardo Lucas
Funcionamento em rede - Eduardo Lucas
Vitor Pereira
 
TryNordestin'_enter2015
TryNordestin'_enter2015TryNordestin'_enter2015
TryNordestin'_enter2015
Vitor Pereira
 

Destaque (8)

Sistemas de incentivos e apoios financeiros orientados para a qualificação da...
Sistemas de incentivos e apoios financeiros orientados para a qualificação da...Sistemas de incentivos e apoios financeiros orientados para a qualificação da...
Sistemas de incentivos e apoios financeiros orientados para a qualificação da...
 
Organização em rede o caso da rede naturtejo – Armindo Jacinto
Organização em rede o caso da rede naturtejo – Armindo JacintoOrganização em rede o caso da rede naturtejo – Armindo Jacinto
Organização em rede o caso da rede naturtejo – Armindo Jacinto
 
Green key - ABAE
Green key - ABAEGreen key - ABAE
Green key - ABAE
 
Funcionamento em rede - Eduardo Lucas
Funcionamento em rede - Eduardo LucasFuncionamento em rede - Eduardo Lucas
Funcionamento em rede - Eduardo Lucas
 
Lukar: Há vida além do papel!
Lukar: Há vida além do papel!Lukar: Há vida além do papel!
Lukar: Há vida além do papel!
 
STUB - Transportes Urbanos de Braganca
STUB - Transportes Urbanos de BragancaSTUB - Transportes Urbanos de Braganca
STUB - Transportes Urbanos de Braganca
 
Try Nordestin' #ENTER2015
Try Nordestin' #ENTER2015Try Nordestin' #ENTER2015
Try Nordestin' #ENTER2015
 
TryNordestin'_enter2015
TryNordestin'_enter2015TryNordestin'_enter2015
TryNordestin'_enter2015
 

Semelhante a Internacionalização do turismo no meio rural - Francisco Peneda

O Turismo - As novas oportunidades para o espaço rural Geografia 11ºano
O Turismo - As novas oportunidades para o espaço rural Geografia 11ºanoO Turismo - As novas oportunidades para o espaço rural Geografia 11ºano
O Turismo - As novas oportunidades para o espaço rural Geografia 11ºano
Maria Rebelo
 
Turismo estudo internacionalizacao
Turismo estudo internacionalizacaoTurismo estudo internacionalizacao
Turismo estudo internacionalizacao
Júlio Nunes
 
Trabalho de otet nº1, 8 , 10
Trabalho de otet nº1, 8 , 10Trabalho de otet nº1, 8 , 10
Trabalho de otet nº1, 8 , 10
Gabriel Rodrigues
 
Seminário de abertura
Seminário de aberturaSeminário de abertura
Seminário de abertura
Karlla Costa
 
De La Hoz Advisor [Modo de Compatibilidade] (1)
De La Hoz Advisor [Modo de Compatibilidade] (1)De La Hoz Advisor [Modo de Compatibilidade] (1)
De La Hoz Advisor [Modo de Compatibilidade] (1)
Ignacio Amigó
 
Btl carina silva e vanessa carvalho
Btl    carina silva e vanessa carvalhoBtl    carina silva e vanessa carvalho
Btl carina silva e vanessa carvalho
Karyn XP
 

Semelhante a Internacionalização do turismo no meio rural - Francisco Peneda (20)

Plano Director do Turismo de Angola
Plano Director do Turismo de AngolaPlano Director do Turismo de Angola
Plano Director do Turismo de Angola
 
Marketing Territorial
Marketing TerritorialMarketing Territorial
Marketing Territorial
 
O Turismo - As novas oportunidades para o espaço rural Geografia 11ºano
O Turismo - As novas oportunidades para o espaço rural Geografia 11ºanoO Turismo - As novas oportunidades para o espaço rural Geografia 11ºano
O Turismo - As novas oportunidades para o espaço rural Geografia 11ºano
 
ANNA KARLA MOURA
ANNA KARLA MOURAANNA KARLA MOURA
ANNA KARLA MOURA
 
Boas Práticas Internacionais no Turismo
Boas Práticas Internacionais no TurismoBoas Práticas Internacionais no Turismo
Boas Práticas Internacionais no Turismo
 
Importância dos eventos para a economia da UE
Importância dos eventos para a economia da UEImportância dos eventos para a economia da UE
Importância dos eventos para a economia da UE
 
Turismo estudo internacionalizacao
Turismo estudo internacionalizacaoTurismo estudo internacionalizacao
Turismo estudo internacionalizacao
 
Turismo de base comunitária, mtur.
Turismo de base comunitária, mtur.Turismo de base comunitária, mtur.
Turismo de base comunitária, mtur.
 
Plano estrategico-para-o-turismo-na-regiao-de-lisboa-2015-2019
Plano estrategico-para-o-turismo-na-regiao-de-lisboa-2015-2019Plano estrategico-para-o-turismo-na-regiao-de-lisboa-2015-2019
Plano estrategico-para-o-turismo-na-regiao-de-lisboa-2015-2019
 
Trabalho de otet nº1, 8 , 10
Trabalho de otet nº1, 8 , 10Trabalho de otet nº1, 8 , 10
Trabalho de otet nº1, 8 , 10
 
Btl 2012. Considerações sobre a trajetória portuguesa de estruturação turística
Btl 2012. Considerações sobre a trajetória portuguesa de estruturação turísticaBtl 2012. Considerações sobre a trajetória portuguesa de estruturação turística
Btl 2012. Considerações sobre a trajetória portuguesa de estruturação turística
 
Seminário de abertura
Seminário de aberturaSeminário de abertura
Seminário de abertura
 
De La Hoz Advisor [Modo de Compatibilidade] (1)
De La Hoz Advisor [Modo de Compatibilidade] (1)De La Hoz Advisor [Modo de Compatibilidade] (1)
De La Hoz Advisor [Modo de Compatibilidade] (1)
 
Referencial animação.pdf
Referencial animação.pdfReferencial animação.pdf
Referencial animação.pdf
 
Instância de Governança da Grande Florianópolis
Instância de Governança da Grande FlorianópolisInstância de Governança da Grande Florianópolis
Instância de Governança da Grande Florianópolis
 
Btl carina silva e vanessa carvalho
Btl    carina silva e vanessa carvalhoBtl    carina silva e vanessa carvalho
Btl carina silva e vanessa carvalho
 
Marketing e Turismo: aulas 17 a 19
Marketing e Turismo: aulas 17 a 19Marketing e Turismo: aulas 17 a 19
Marketing e Turismo: aulas 17 a 19
 
Aula ejarque3
Aula ejarque3Aula ejarque3
Aula ejarque3
 
Perfil do Novo Turista Português
Perfil do Novo Turista PortuguêsPerfil do Novo Turista Português
Perfil do Novo Turista Português
 
Forum do Turismo de Angola, comunicação do prof. doutor Rui Teixeira Santos, ...
Forum do Turismo de Angola, comunicação do prof. doutor Rui Teixeira Santos, ...Forum do Turismo de Angola, comunicação do prof. doutor Rui Teixeira Santos, ...
Forum do Turismo de Angola, comunicação do prof. doutor Rui Teixeira Santos, ...
 

Mais de Vitor Pereira

Turismo equestre em portugal um produto emergente - Tiago Abecasis
Turismo equestre em portugal um produto emergente - Tiago AbecasisTurismo equestre em portugal um produto emergente - Tiago Abecasis
Turismo equestre em portugal um produto emergente - Tiago Abecasis
Vitor Pereira
 
Estratégias de diferenciação da oferta o caso do hotel vila park – Avelino de...
Estratégias de diferenciação da oferta o caso do hotel vila park – Avelino de...Estratégias de diferenciação da oferta o caso do hotel vila park – Avelino de...
Estratégias de diferenciação da oferta o caso do hotel vila park – Avelino de...
Vitor Pereira
 
Diferenciar o produto, qualificar a oferta, internacionalizar o sector
Diferenciar o produto, qualificar a oferta, internacionalizar o sectorDiferenciar o produto, qualificar a oferta, internacionalizar o sector
Diferenciar o produto, qualificar a oferta, internacionalizar o sector
Vitor Pereira
 
Internacionalização do turismo no meio rural - Francisco Peneda
Internacionalização do turismo no meio rural - Francisco PenedaInternacionalização do turismo no meio rural - Francisco Peneda
Internacionalização do turismo no meio rural - Francisco Peneda
Vitor Pereira
 
Moínhos da Tia Antoninha - Eduardo Rocha
Moínhos da Tia Antoninha - Eduardo RochaMoínhos da Tia Antoninha - Eduardo Rocha
Moínhos da Tia Antoninha - Eduardo Rocha
Vitor Pereira
 
Os Produtos e o Desenvolvimento Rural - Ana Alberty
Os Produtos e o Desenvolvimento Rural - Ana AlbertyOs Produtos e o Desenvolvimento Rural - Ana Alberty
Os Produtos e o Desenvolvimento Rural - Ana Alberty
Vitor Pereira
 
Alqueva: Funcionamento em Rede para uma Oferta Integrada do Produto - Eduardo...
Alqueva: Funcionamento em Rede para uma Oferta Integrada do Produto - Eduardo...Alqueva: Funcionamento em Rede para uma Oferta Integrada do Produto - Eduardo...
Alqueva: Funcionamento em Rede para uma Oferta Integrada do Produto - Eduardo...
Vitor Pereira
 
Homelidays - Sofia Dias
Homelidays - Sofia DiasHomelidays - Sofia Dias
Homelidays - Sofia Dias
Vitor Pereira
 
Turismo de Portugal - Miguel Mendes
Turismo de Portugal - Miguel MendesTurismo de Portugal - Miguel Mendes
Turismo de Portugal - Miguel Mendes
Vitor Pereira
 
Experiencia Turismo Cinegetico - João Silva Carvalho
Experiencia Turismo Cinegetico - João Silva CarvalhoExperiencia Turismo Cinegetico - João Silva Carvalho
Experiencia Turismo Cinegetico - João Silva Carvalho
Vitor Pereira
 

Mais de Vitor Pereira (20)

SMART TERRITORIES: Protect the big Cities, save the small Cities #s3cparis #s...
SMART TERRITORIES: Protect the big Cities, save the small Cities #s3cparis #s...SMART TERRITORIES: Protect the big Cities, save the small Cities #s3cparis #s...
SMART TERRITORIES: Protect the big Cities, save the small Cities #s3cparis #s...
 
Guia de Observação das Aves do Norte de Portugal
Guia de Observação das Aves do Norte de PortugalGuia de Observação das Aves do Norte de Portugal
Guia de Observação das Aves do Norte de Portugal
 
Turismo equestre em portugal um produto emergente - Tiago Abecasis
Turismo equestre em portugal um produto emergente - Tiago AbecasisTurismo equestre em portugal um produto emergente - Tiago Abecasis
Turismo equestre em portugal um produto emergente - Tiago Abecasis
 
Estratégias de diferenciação da oferta o caso do hotel vila park – Avelino de...
Estratégias de diferenciação da oferta o caso do hotel vila park – Avelino de...Estratégias de diferenciação da oferta o caso do hotel vila park – Avelino de...
Estratégias de diferenciação da oferta o caso do hotel vila park – Avelino de...
 
Diferenciar o produto, qualificar a oferta, internacionalizar o sector
Diferenciar o produto, qualificar a oferta, internacionalizar o sectorDiferenciar o produto, qualificar a oferta, internacionalizar o sector
Diferenciar o produto, qualificar a oferta, internacionalizar o sector
 
Internacionalização do turismo no meio rural - Francisco Peneda
Internacionalização do turismo no meio rural - Francisco PenedaInternacionalização do turismo no meio rural - Francisco Peneda
Internacionalização do turismo no meio rural - Francisco Peneda
 
Moínhos da Tia Antoninha - Eduardo Rocha
Moínhos da Tia Antoninha - Eduardo RochaMoínhos da Tia Antoninha - Eduardo Rocha
Moínhos da Tia Antoninha - Eduardo Rocha
 
Os Produtos e o Desenvolvimento Rural - Ana Alberty
Os Produtos e o Desenvolvimento Rural - Ana AlbertyOs Produtos e o Desenvolvimento Rural - Ana Alberty
Os Produtos e o Desenvolvimento Rural - Ana Alberty
 
Alqueva: Funcionamento em Rede para uma Oferta Integrada do Produto - Eduardo...
Alqueva: Funcionamento em Rede para uma Oferta Integrada do Produto - Eduardo...Alqueva: Funcionamento em Rede para uma Oferta Integrada do Produto - Eduardo...
Alqueva: Funcionamento em Rede para uma Oferta Integrada do Produto - Eduardo...
 
Homelidays - Sofia Dias
Homelidays - Sofia DiasHomelidays - Sofia Dias
Homelidays - Sofia Dias
 
Green Key
Green KeyGreen Key
Green Key
 
Turismo de Portugal - Miguel Mendes
Turismo de Portugal - Miguel MendesTurismo de Portugal - Miguel Mendes
Turismo de Portugal - Miguel Mendes
 
Experiencia Turismo Cinegetico - João Silva Carvalho
Experiencia Turismo Cinegetico - João Silva CarvalhoExperiencia Turismo Cinegetico - João Silva Carvalho
Experiencia Turismo Cinegetico - João Silva Carvalho
 
Casas Açorianas
Casas AçorianasCasas Açorianas
Casas Açorianas
 
WELCOME GUIDES Detalhes
WELCOME GUIDES DetalhesWELCOME GUIDES Detalhes
WELCOME GUIDES Detalhes
 
EXPO.tur Apresentação
EXPO.tur ApresentaçãoEXPO.tur Apresentação
EXPO.tur Apresentação
 
APRESENTAÇÃO WELCOME GUIDES
APRESENTAÇÃO WELCOME GUIDESAPRESENTAÇÃO WELCOME GUIDES
APRESENTAÇÃO WELCOME GUIDES
 
Welcome portugal na Coopetir
Welcome portugal na CoopetirWelcome portugal na Coopetir
Welcome portugal na Coopetir
 
Revista Coopetir
Revista CoopetirRevista Coopetir
Revista Coopetir
 
Earma Annual Conference june 2011 - Jacco Konijn
Earma Annual Conference june 2011 - Jacco Konijn Earma Annual Conference june 2011 - Jacco Konijn
Earma Annual Conference june 2011 - Jacco Konijn
 

Internacionalização do turismo no meio rural - Francisco Peneda

  • 1. Internacionalização do Turismo no Meio Rural Santarém, 5 de Junho 2012
  • 2. Índice: Reflexões Caracterização da Procura Caracterização Oferta Modelo de Desenvolvimento e de Negócio Conclusões 2
  • 3. Internacionalização do Turismo no Meio Rural Reflexões  Importância da atribuição da condição de produto específico/estratégico para o Turismo.  Importância de dar a conhecer aos potenciais turistas provenientes de outros países, os atrativos/fatores de competitividade turísticos nacionais.  Importância de fazer sobressair como fator de competitividade os produtos agrícolas, locais e regionais de qualidade e dos fatores paisagísticos e ambientais das zonas de excelência.  Importância de melhorar e aumentar a oferta de alojamento TER e de outros atrativos turísticos – oferta integrada, organizada e qualificada.  Importância da criação de serviços no alojamento TER e nas áreas de influência envolventes.  Importância de articular com os investimentos estruturais dos municípios e das regiões onde se inserem. 3
  • 4. Índice: Reflexões Caracterização da Procura Caracterização Oferta Modelo de Desenvolvimento e de Negócio Conclusões 4
  • 5. Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Caracterização da Procura • Turismo rural internacional representa 5,4% das viagens de lazer na Europa (13,4M de viagens Europa). • Turista rural tipo - 35 e 55 anos, classe média-alta, cerca de 2, 3 dias de permanência média e com 2 horas de duração de viagem do ponto de chegada/partida. • Motivação: cultural, contato de natureza, atividade de animação ou desporto, relaxamento e paz interior. • Tendência para uma evolução cada vez maior da procura internacional e por férias mais participativas. 5
  • 6. Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Caracterização da Procura • Alemanha e Espanha são os principais mercados emissores para Portugal. • Turismo rural posiciona-se como uma opção a ser considerada nas férias de curta duração, com um maior nível de conforto do alojamento e um elevado standard de qualidade nos serviços. Reino Unido 6
  • 7. Índice: Reflexões Caracterização da Procura Caracterização Oferta Modelo de Desenvolvimento e de Negócio Conclusões 7
  • 8. Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Caracterização da Oferta Oferta de alojamento rural em Portugal representa apenas 1% do disponível em toda a Europa: • 1.393 estabelecimentos, com um crescimento, em média 5,4% ao ano, na última década • 16.502 camas, com um crescimento, em média 7,6% ao ano, na última década Oferta concentrada (82% das camas disponíveis), da seguinte forma: • Norte 40% • Centro 22% • Alentejo 20% O total de dormidas em alojamentos rurais chegou a 524 mil em 2008, das quais 44% foram estrageiros e cresceu cerca de 7 vezes mais do que os restantes segmentos turísticos. O peso da procura doméstica, apresenta valores inferiores aos da média europeia. 8
  • 9. Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Caracterização da Oferta • O número de explorações que se dedicam ao TR e a atividades diretamente relacionadas, aumentaram cerca de 37% no período 1999-2009 • A importância económica da animação turística tem vindo a aumentar significativamente. Entre 2007 e 2009, a organização de atividades de animação turística apresenta os seguintes aumentos: • +164% Nº de empresas • +109% Pessoal ao serviço • +48% Volume de negócios • Os produtos com nome protegido (DOP/IGP) apresentaram uma evolução positiva no período de 2004 a 2007. Nesse período, os acréscimos registados foram: • +108% Volume da Produção • +13% Valor da Produção 9
  • 10. Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Recursos e atrativos turísticos • Recursos e atrativos PRIMÁRIOS: - Pequenos núcleos urbanos históricos próximos à área rural (acessível em média a 30 minutos em carro) - Parques nacionais e/ou áreas naturais de elevada atratividade - Gastronómicos e enológicos - Cultura e patrimônio locais - Disponibilidade de animação turística • Recursos e atrativos SECUNDÁRIOS: - Artesanato - Eventos - Tradições religiosas - Museus e centros de interpretação - Outros 10
  • 11. Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Recursos com potencial, mas com baixo aproveitamento turístico 11
  • 12. Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Fatores críticos de sucesso • Falta de formação dos recursos humanos e capacitação das empresas. • Escassez de empresas que ofereçam atividades de animação. • Ineficazes estratégias de comunicação e facilidade de reserva. • Fraco posicionamento no mercado. • Ausência de um sistema nacional de qualificação dos empreendimentos. • Difícil diferenciação pelo consumidor sobre os diferentes tipos de oferta de alojamento em meio rural. • Falta de clarificação do produto. 12
  • 13. Índice: Reflexões Caracterização da Procura Caracterização Oferta Modelo de Desenvolvimento e de Negócio Conclusões 13
  • 14. Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Cadeia de valor da produção em Turismo Pré-viagem Durante Pós -viagem Consumo de serviços de Consumo de Consumo de Compartilhar Planear alojamento e recursos atividades e experiências outros atrativos experiências serviços 14
  • 15. Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Estratégias a seguir: • Como dispor de uma oferta atrativa de atividades e experiências para o turista? - Desenvolvimento da oferta turística - Políticas de estímulo - Captação de talento empresarial • Como contar com uma oferta de alojamento e serviços qualificados que transmita segurança ao mercado? - Classificação da oferta de alojamento - Políticas de estímulo à oferta de alojamento • Como posicionar os destinos nos mercados de origem prioritários? - Marcas/labels - Comercialização em origem / destino 15
  • 16. Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Estratégias a seguir: • Como fazer da inspiração e planeamento da viagem uma experiência gratificante? - Espaço web de turismo rural de Portugal - Plano de comercialização em origem / destino • Como desenvolver de forma coordenada as políticas e o marketing entre sectores? - Sinergias entre produtos transversais - Mecanismos de coordenação público-privados • Como gerir eficazmente o desenvolvimento e o marketing do turismo rural em Portugal? - Organização para a gestão do turismo rural - Incorporação de atores-chave 16
  • 17. Índice: Reflexões Caracterização da Procura Caracterização Oferta Modelo de Desenvolvimento e de Negócio Conclusões 17
  • 18. Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Principais conclusões: • Promover a qualificação do setor; • Melhorar a imagem de qualidade dos serviços de turismo rural; • Posicionar Portugal entre os destinos de qualidade do setor de turismo rural europeu; • Integrar a oferta de recursos locais numa plataforma atrativa de informação, planeamento e venda de turismo rural em Portugal; • Estimular o consumo de turismo rural pela procura indireta presente no país; • Implementar o modelo de desenvolvimento coordenado para turismo rural no país. 18
  • 19. Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Próximos passos: • Apresentação à tutela no final de Junho; • Apresentação aos stakeholders no final de Setembro; • Base de trabalho no âmbito da discussão do Quadro Estratégico Comum 2014/20 e do Contrato de Parceria, a estabelecer, para potenciar sinergias entre os Fundos de Financiamento (FEADER, FEDER, FSE e outros); • Base de trabalho no âmbito do próximo programa de desenvolvimento rural 2014/20, nomeadamente, do 6º objetivo estratégico, desenvolvimento económico das zonas rurais. 19