SlideShare uma empresa Scribd logo
Geologia para cursos técnicos
Módulo: Dinâmica interna da Terra

INTEMPERISMO E
PRINCÍPIOS DE
SEDIMENTOLOGIA
Wendell Fabricio (geólogo)
wendellfabricio@gmail.com
geologiaparatecnicos.blogspot.com
INTEMPERISMO
• A crosta terrestre é formada de grande quantidade de
variadas
rochas,
originalmente
um
material
sólido, firme, duro. Contudo, as rochas próximas à superfície
estão expostas aos agentes intempéricos, que concorrem no
sentido de transformar a rocha em solo.
• O intemperismo atua favorecendo a remoção de partículas
das rochas e à estas pertículas damos o nome de sedimentos
ou detritos
geologiaparatecnicos.blogspot.com
Intemperismo: Definição
• De acordo com Leinz & Amaral (1978), o intemperismo
constitui o conjunto de processos operantes na superfície
terrestre que ocasionam a decomposição dos minerais das
rochas, graças à ação de agentes atmosféricos e biológicos.
Elegemos o clima como o principal fator determinante do
tipo de intemperismo pois a temperatura, a umidade, o
regime de ventos, a evaporação e outros influenciam
diretamente no processo supracitado.

geologiaparatecnicos.blogspot.com
Tipos de intemperismo
O intemperismo pode ser classificado de acordo com
seu processo causador em um dos seguintes tipos:
i) Intemperismo Físico;
ii) Intemperismo Químico e;
iii) Intemperismo Biológico.
geologiaparatecnicos.blogspot.com
Intemperismo Físico
O intemperismo físico é a desintegração mecânica da rocha em
partículas menores (chamadas de sedimentos). Em outras palavras, a
rocha original é desagregada em fragmentos menores e os mecanismos
podem ser os seguintes:
• Ação dos ventos:
• Ação das águas:
• Congelamento de água em fraturas:
• Tração e contração térmica:

geologiaparatecnicos.blogspot.com
Intemperismo Físico
• Ação dos ventos

Deserto do Arizona/EUA

Também chamada de
erosão
eólica,
o
intemperismo pela ação
dos ventos é ocasionada
pela colisão dos ventos
em rochas expostas.
Estas massas de ar
comumente carregam
outros detritos, que se
chocam com as rochas e
causam a remoção de
sedimentos;

geologiaparatecnicos.blogspot.com
Intemperismo Físico
• Ação das águas

Erosão marinha na região de Malibú.
Califórnia-EUA

A Ação das águas também é chamada de erosão fluvial (pode ser
também marinha ou lacustre) e possui o mesmo princípio do
mecanismo anterior, porém o agente de transporte dos detritos
são as águas;

Erosão fluvial em
Presidente Figueiredo/AM
geologiaparatecnicos.blogspot.com
Intemperismo Físico
• Congelamento de água em fraturas
Em climas frios, a água infiltrada nas fraturas das
rochas pode congelar e, aumentando seu
volume, pode favorecer a abertura das fraturas
e na consequente remoção de fragmentos

Rocha
fratura
por
congelamento de água em
fraturas. (Fonte Teixeira et
al, 1996)

geologiaparatecnicos.blogspot.com
Intemperismo Físico
• Tração e contração térmica
Comum em locais de grande amplitude térmica, este
processo é devido ao constante aumento e diminuição
do volume da rocha durante os estágios de resfriamento
e aquecimento da mesma, causando fraturas.

Rocha sofrendo ação do intemperismo tipo disjunção
esferoidal, causado pelo aumento e diminuição de
temperatura ao longo do dia. O que confere à rocha
este aspecto arredondado. Também chamado de
intemperismo “casca de cebola”. Sta Maria das
Barreiras/PA.
geologiaparatecnicos.blogspot.com
Intemperismo Químico
• O processo intempérico químico ocorre quando há um conjunto de reações
químicas na superfície da rocha, que altera sua composição e torna a rocha mais
frágil.
• A palavra alteração química pode ser pejorativamente entendida como uma
espécie de “apodrecimento” da rocha.
• O principal componente deste tipo de intemperismo é a água, sobretudo da
chuva, que com sua composição levemente ácida, provoca um conjunto de
reações químicas na mesma.
• As seguintes reações químicas são comuns no intemperismo químico:
• Hidratação
• Dissolução
• Hidrólise
• Oxidação
geologiaparatecnicos.blogspot.com
Intemperismo Químico
À esquerda, argilito bastante alterado pelo intemperismo químico.
Nota-se o bandamento sedimentar preservado. Abaixo, amostra de
rocha mostrando a borda alterada por reações químicas de
intemperismo. Região do Alto Paranaíba/MG.

geologiaparatecnicos.blogspot.com
Intemperismo Biológico
Este tipo de intemperismo envolve a ação da atividade biológica
presente numa rocha e pode envolver os seguintes fatores, dentre
outros:
• Escavação de animais como formigas e minhocas;
• Corrosão por ácidos vegetais;
• Ação das raízes de plantas.

geologiaparatecnicos.blogspot.com
Intemperismo Biológico

Ação das raízes de plantas
na
contribuição
à
desfragmentação da rocha.

geologiaparatecnicos.blogspot.com
Intemperismo e formação dos solos

geologiaparatecnicos.blogspot.com
Intemperismo e formação dos solos
• Tipos de solo
• Solo residual: proveniente da decomposição e degradação da
rocha subjacente. É também chamado de solo “in situ” pois o solo
está exatamente no local onde se formou.
• Solo transportado: Proveniente de erosão, transporte e
sedimentação de solos pré-existentes.

geologiaparatecnicos.blogspot.com
Intemperismo e formação dos solos
• Perfil do solo

geologiaparatecnicos.blogspot.com
SEDIMENTOLOGIA
A sedimentologia é o estudo das características e propriedades dos
sedimentos. Algumas características importantes são:

• Granulometria
• Grau de seleção
• Esfericidade e arredondamento
• Porosidade
• Permeabilidade
geologiaparatecnicos.blogspot.com
Granulometria
Diferentes
granulometrias de
sedimentos

geologiaparatecnicos.blogspot.com
Granulometria
Granulometria
Cascalho

Tamanho (em mm)

Matacao

Maior que 256

Calhau (ou bloco)

Entre 64 e 256

Seixo

Entre 2 e 64

Granulo

Entre 1 e 2

Areia Grossa

Entre 0,5 e 1

Areia Media

Entre 0,250 e 0,5

Areia Fina

Entre 0,125 e 0,250

Silte

Silte

Entre 0,004 e 0,125

Argila

Argila

Menor que 0,004

Areia

geologiaparatecnicos.blogspot.com
Grau de seleção
Grau de seleção se refere à
distribuição de sedimentos
numa mesma amostra.
Quanto mais homogênea é
uma granulometria, maior é
o grau de seleção.

geologiaparatecnicos.blogspot.com
Esfericidade e arredondamento
O grau de arredondamento e esfericidade do grão estão relacionados
com o a abrasão e desgaste dos sedimentos durante seu transporte.
Usa-se a escala abaixo para determinar estes parâmetros:

geologiaparatecnicos.blogspot.com
Porosidade
• Porosidade é a característica de uma rocha poder armazenar fluidos
em seus espaços interiores, chamados poros.
• Isso quer dizer que existem espaços (poros) entre as partículas que
formam qualquer tipo de matéria. Esses espaços podem ser maiores
ou menores, tornando a matéria mais ou menos densa.
• A porosidade do solo (n) é expressa em percentagem, e é definida
como o volume dos poros (Vv) dividido pelo volume total (V) de uma
amostra de solo, ou seja:
n = Vv/V x 100
geologiaparatecnicos.blogspot.com
Porosidade
• A porosidade em sedimentos e rochas sedimentares depende
principalmente de três fatores:
O tamanho dos grãos
O arranjo geométrico dos grãos
O grau de seleção
Quanto ao tamanho dos grãos, quanto menores forem, maior é o
volume de espaços vazios (e consequentemente a porosidade). Ou
seja, um sedimento argiloso tem maior porosidade que um sedimento
arenoso.
geologiaparatecnicos.blogspot.com
Permeabilidade
• A permeabilidade é a medida da capacidade de um material
(tipicamente uma rocha) para transmitir fluídos.
• A permeabilidade normalmente varia inversamente com a porosidade
em rochas sedimentares. Quanto maior a porosidade, a
permeabilidade é menor.
• Assim, em uma rocha argilosa, a porosidade é grande mas a
permeabilidade é baixa e numa rocha arenosa (ou sedimentos
arenosos), a porosidade é baixa, mas a permeabilidade é elevada.

geologiaparatecnicos.blogspot.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila de estratigrafia geral
Apostila de estratigrafia geralApostila de estratigrafia geral
Apostila de estratigrafia geral
Mônica Teixeira Neves
 
Rochas metamorficas
Rochas metamorficasRochas metamorficas
Rochas metamorficas
professoraIsabel
 
Geologia estrutural dobras
Geologia estrutural   dobrasGeologia estrutural   dobras
Geologia estrutural dobras
Jose1602Baiona
 
Classificação de rochas carbonáticas aplicável às bacias sedimentares brasile...
Classificação de rochas carbonáticas aplicável às bacias sedimentares brasile...Classificação de rochas carbonáticas aplicável às bacias sedimentares brasile...
Classificação de rochas carbonáticas aplicável às bacias sedimentares brasile...
Alesson Guirra
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
Fabrício Almeida
 
Mecânica das Rochas
Mecânica das RochasMecânica das Rochas
Mecânica das Rochas
Thiago Meira
 
Introducão à mineralogia e a petrografia
Introducão à mineralogia e a petrografiaIntroducão à mineralogia e a petrografia
Introducão à mineralogia e a petrografia
Wendell Fabrício
 
Ciencias os tipos de solos e suas caracteristicas
Ciencias   os tipos de solos e suas caracteristicasCiencias   os tipos de solos e suas caracteristicas
Ciencias os tipos de solos e suas caracteristicas
Gustavo Soares
 
As rochas ígneas
As rochas ígneasAs rochas ígneas
As rochas ígneas
Marcio Santos
 
Tempo Geológico
Tempo GeológicoTempo Geológico
Tempo Geológico
Lucca
 
Rochas metamórficas e ciclo das rochas
Rochas metamórficas e ciclo das rochasRochas metamórficas e ciclo das rochas
Rochas metamórficas e ciclo das rochas
s1lv1alouro
 
Introdução a ciência do solo
Introdução a ciência do soloIntrodução a ciência do solo
Introdução a ciência do solo
Rafael Oliveira
 
Aula 3 Intemperismo
Aula 3    IntemperismoAula 3    Intemperismo
Aula 3 Intemperismo
kelvilyn franco
 
2 as rochas
2   as rochas2   as rochas
2 as rochas
margaridabt
 
Rochas metamorficas
Rochas metamorficasRochas metamorficas
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
Catir
 
Intemperismo e erosão
Intemperismo e erosãoIntemperismo e erosão
Intemperismo e erosão
karolpoa
 
Geologia do Quaternário
Geologia do QuaternárioGeologia do Quaternário
Geologia do Quaternário
Ruana Viana
 
Intemperismo
IntemperismoIntemperismo
Intemperismo
Fabrício Almeida
 
IX - ROCHAS MAGMÁTICAS
IX - ROCHAS MAGMÁTICASIX - ROCHAS MAGMÁTICAS
IX - ROCHAS MAGMÁTICAS
sandranascimento
 

Mais procurados (20)

Apostila de estratigrafia geral
Apostila de estratigrafia geralApostila de estratigrafia geral
Apostila de estratigrafia geral
 
Rochas metamorficas
Rochas metamorficasRochas metamorficas
Rochas metamorficas
 
Geologia estrutural dobras
Geologia estrutural   dobrasGeologia estrutural   dobras
Geologia estrutural dobras
 
Classificação de rochas carbonáticas aplicável às bacias sedimentares brasile...
Classificação de rochas carbonáticas aplicável às bacias sedimentares brasile...Classificação de rochas carbonáticas aplicável às bacias sedimentares brasile...
Classificação de rochas carbonáticas aplicável às bacias sedimentares brasile...
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 
Mecânica das Rochas
Mecânica das RochasMecânica das Rochas
Mecânica das Rochas
 
Introducão à mineralogia e a petrografia
Introducão à mineralogia e a petrografiaIntroducão à mineralogia e a petrografia
Introducão à mineralogia e a petrografia
 
Ciencias os tipos de solos e suas caracteristicas
Ciencias   os tipos de solos e suas caracteristicasCiencias   os tipos de solos e suas caracteristicas
Ciencias os tipos de solos e suas caracteristicas
 
As rochas ígneas
As rochas ígneasAs rochas ígneas
As rochas ígneas
 
Tempo Geológico
Tempo GeológicoTempo Geológico
Tempo Geológico
 
Rochas metamórficas e ciclo das rochas
Rochas metamórficas e ciclo das rochasRochas metamórficas e ciclo das rochas
Rochas metamórficas e ciclo das rochas
 
Introdução a ciência do solo
Introdução a ciência do soloIntrodução a ciência do solo
Introdução a ciência do solo
 
Aula 3 Intemperismo
Aula 3    IntemperismoAula 3    Intemperismo
Aula 3 Intemperismo
 
2 as rochas
2   as rochas2   as rochas
2 as rochas
 
Rochas metamorficas
Rochas metamorficasRochas metamorficas
Rochas metamorficas
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 
Intemperismo e erosão
Intemperismo e erosãoIntemperismo e erosão
Intemperismo e erosão
 
Geologia do Quaternário
Geologia do QuaternárioGeologia do Quaternário
Geologia do Quaternário
 
Intemperismo
IntemperismoIntemperismo
Intemperismo
 
IX - ROCHAS MAGMÁTICAS
IX - ROCHAS MAGMÁTICASIX - ROCHAS MAGMÁTICAS
IX - ROCHAS MAGMÁTICAS
 

Destaque

Intemperismo
IntemperismoIntemperismo
Intemperismo
ceama
 
6. Intemperismo, erosión y suelo
6. Intemperismo, erosión y suelo6. Intemperismo, erosión y suelo
6. Intemperismo, erosión y suelo
geologia
 
Intemperismo
IntemperismoIntemperismo
Intemperismo
lunithaduvalina18
 
Intemperismo
IntemperismoIntemperismo
Intemperismo
Luciana Reis
 
Intemperismo apresentação
Intemperismo apresentaçãoIntemperismo apresentação
Intemperismo apresentação
Luis Aurelio Sanches
 
Apresentação mecânica dos solos
Apresentação mecânica dos solosApresentação mecânica dos solos
Apresentação mecânica dos solos
engenhar
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
Catir
 
Nº 3 rochas sedimentares
Nº 3 rochas sedimentaresNº 3 rochas sedimentares
Nº 3 rochas sedimentares
MINEDU
 
Ciencia
CienciaCiencia
Ciencia
yjdfg
 
Litosfera e relevo
Litosfera e relevoLitosfera e relevo
Litosfera e relevo
flaviocosac
 
Eras
ErasEras
A tectônica de placas
A tectônica de placasA tectônica de placas
A tectônica de placas
Wendell Fabrício
 
Sedimentologia
SedimentologiaSedimentologia
Sedimentologia
José Vidal Tamay Granda
 
Aula 1.2 revisão intemperismo
Aula 1.2 revisão intemperismoAula 1.2 revisão intemperismo
Aula 1.2 revisão intemperismo
karolpoa
 
Sedimentação power point
Sedimentação power  pointSedimentação power  point
Sedimentação power point
Ana Helena
 
Classificac3a7c3a3o dos-solos-aashto-sucs
Classificac3a7c3a3o dos-solos-aashto-sucsClassificac3a7c3a3o dos-solos-aashto-sucs
Classificac3a7c3a3o dos-solos-aashto-sucs
Alexandre Soares
 
126524343 solos
126524343 solos126524343 solos
126524343 solos
Pelo Siro
 
Dobras e falhas
Dobras e falhasDobras e falhas
Dobras e falhas
saritacvg
 
Suelos
SuelosSuelos
Suelos
guest98d120
 
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçaoContituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Wendell Fabrício
 

Destaque (20)

Intemperismo
IntemperismoIntemperismo
Intemperismo
 
6. Intemperismo, erosión y suelo
6. Intemperismo, erosión y suelo6. Intemperismo, erosión y suelo
6. Intemperismo, erosión y suelo
 
Intemperismo
IntemperismoIntemperismo
Intemperismo
 
Intemperismo
IntemperismoIntemperismo
Intemperismo
 
Intemperismo apresentação
Intemperismo apresentaçãoIntemperismo apresentação
Intemperismo apresentação
 
Apresentação mecânica dos solos
Apresentação mecânica dos solosApresentação mecânica dos solos
Apresentação mecânica dos solos
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 
Nº 3 rochas sedimentares
Nº 3 rochas sedimentaresNº 3 rochas sedimentares
Nº 3 rochas sedimentares
 
Ciencia
CienciaCiencia
Ciencia
 
Litosfera e relevo
Litosfera e relevoLitosfera e relevo
Litosfera e relevo
 
Eras
ErasEras
Eras
 
A tectônica de placas
A tectônica de placasA tectônica de placas
A tectônica de placas
 
Sedimentologia
SedimentologiaSedimentologia
Sedimentologia
 
Aula 1.2 revisão intemperismo
Aula 1.2 revisão intemperismoAula 1.2 revisão intemperismo
Aula 1.2 revisão intemperismo
 
Sedimentação power point
Sedimentação power  pointSedimentação power  point
Sedimentação power point
 
Classificac3a7c3a3o dos-solos-aashto-sucs
Classificac3a7c3a3o dos-solos-aashto-sucsClassificac3a7c3a3o dos-solos-aashto-sucs
Classificac3a7c3a3o dos-solos-aashto-sucs
 
126524343 solos
126524343 solos126524343 solos
126524343 solos
 
Dobras e falhas
Dobras e falhasDobras e falhas
Dobras e falhas
 
Suelos
SuelosSuelos
Suelos
 
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçaoContituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
 

Semelhante a Intemperismo e sedimentologia

CAPÍTULO 7.pptx .......................
CAPÍTULO  7.pptx .......................CAPÍTULO  7.pptx .......................
CAPÍTULO 7.pptx .......................
mariaalbuquerque015
 
Texto Intemperismo e Erosão
Texto Intemperismo e ErosãoTexto Intemperismo e Erosão
Texto Intemperismo e Erosão
CADUCOCFRENTE2
 
Trabalho de mecânica dos solos propriedade das particulas sólidas dos solos
Trabalho de mecânica dos solos   propriedade das particulas sólidas dos solosTrabalho de mecânica dos solos   propriedade das particulas sólidas dos solos
Trabalho de mecânica dos solos propriedade das particulas sólidas dos solos
engenhar
 
Apostila solos
Apostila solosApostila solos
Apostila solos
Carlos José de Mesquita
 
Apostila de Mecânica dos Solos
Apostila de Mecânica dos SolosApostila de Mecânica dos Solos
Apostila de Mecânica dos Solos
Bruno Castilho
 
UNIDADE I - SOLOS, ORIGEM, FORMAÇÃO E MINERAis CONSTITUINTES
UNIDADE I - SOLOS, ORIGEM, FORMAÇÃO E MINERAis CONSTITUINTESUNIDADE I - SOLOS, ORIGEM, FORMAÇÃO E MINERAis CONSTITUINTES
UNIDADE I - SOLOS, ORIGEM, FORMAÇÃO E MINERAis CONSTITUINTES
Rodrigo Andrade Brígido
 
Slides ciência do solo
Slides   ciência do soloSlides   ciência do solo
Slides ciência do solo
daianeagricola
 
Formação do relevo, erosão e intemperismo
Formação do relevo, erosão e intemperismoFormação do relevo, erosão e intemperismo
Formação do relevo, erosão e intemperismo
Ione Rocha
 
Intemperismo e erosão
Intemperismo e erosãoIntemperismo e erosão
Intemperismo e erosão
Mateus Ribeiro
 
Apostila de solos
Apostila de solosApostila de solos
Apostila de solos
Edson Ferreira Martins
 
Agentes Externos do Relevo, apresentação elaborada para o 1º Ano do Ensino Mé...
Agentes Externos do Relevo, apresentação elaborada para o 1º Ano do Ensino Mé...Agentes Externos do Relevo, apresentação elaborada para o 1º Ano do Ensino Mé...
Agentes Externos do Relevo, apresentação elaborada para o 1º Ano do Ensino Mé...
ErotildeDamascenoSal
 
ae_mt7_ppt_geodinamica.pptx
ae_mt7_ppt_geodinamica.pptxae_mt7_ppt_geodinamica.pptx
ae_mt7_ppt_geodinamica.pptx
mariagrave
 
Geodinamica_ Ciências Naturais
Geodinamica_ Ciências NaturaisGeodinamica_ Ciências Naturais
Geodinamica_ Ciências Naturais
SusanaLucas10
 
Génese e classificação rochas sedimentares
Génese e classificação rochas sedimentaresGénese e classificação rochas sedimentares
Génese e classificação rochas sedimentares
BeatrizMarques25
 
08 solo da - aulas senai maio 2013 marcio freire -
08   solo da - aulas senai maio  2013 marcio freire  -08   solo da - aulas senai maio  2013 marcio freire  -
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptx
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptxDEGRADAÇÃO DO SOLO.pptx
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptx
ssuser51d27c1
 
Manejo e conservação do solo e água.pptx
Manejo e conservação do solo e água.pptxManejo e conservação do solo e água.pptx
Manejo e conservação do solo e água.pptx
RayaneReis14
 
Apostila de solos
Apostila de solosApostila de solos
Apostila de solos
jesraelcosta
 
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º AnoResumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Vitor Perfeito
 
Rochas
RochasRochas

Semelhante a Intemperismo e sedimentologia (20)

CAPÍTULO 7.pptx .......................
CAPÍTULO  7.pptx .......................CAPÍTULO  7.pptx .......................
CAPÍTULO 7.pptx .......................
 
Texto Intemperismo e Erosão
Texto Intemperismo e ErosãoTexto Intemperismo e Erosão
Texto Intemperismo e Erosão
 
Trabalho de mecânica dos solos propriedade das particulas sólidas dos solos
Trabalho de mecânica dos solos   propriedade das particulas sólidas dos solosTrabalho de mecânica dos solos   propriedade das particulas sólidas dos solos
Trabalho de mecânica dos solos propriedade das particulas sólidas dos solos
 
Apostila solos
Apostila solosApostila solos
Apostila solos
 
Apostila de Mecânica dos Solos
Apostila de Mecânica dos SolosApostila de Mecânica dos Solos
Apostila de Mecânica dos Solos
 
UNIDADE I - SOLOS, ORIGEM, FORMAÇÃO E MINERAis CONSTITUINTES
UNIDADE I - SOLOS, ORIGEM, FORMAÇÃO E MINERAis CONSTITUINTESUNIDADE I - SOLOS, ORIGEM, FORMAÇÃO E MINERAis CONSTITUINTES
UNIDADE I - SOLOS, ORIGEM, FORMAÇÃO E MINERAis CONSTITUINTES
 
Slides ciência do solo
Slides   ciência do soloSlides   ciência do solo
Slides ciência do solo
 
Formação do relevo, erosão e intemperismo
Formação do relevo, erosão e intemperismoFormação do relevo, erosão e intemperismo
Formação do relevo, erosão e intemperismo
 
Intemperismo e erosão
Intemperismo e erosãoIntemperismo e erosão
Intemperismo e erosão
 
Apostila de solos
Apostila de solosApostila de solos
Apostila de solos
 
Agentes Externos do Relevo, apresentação elaborada para o 1º Ano do Ensino Mé...
Agentes Externos do Relevo, apresentação elaborada para o 1º Ano do Ensino Mé...Agentes Externos do Relevo, apresentação elaborada para o 1º Ano do Ensino Mé...
Agentes Externos do Relevo, apresentação elaborada para o 1º Ano do Ensino Mé...
 
ae_mt7_ppt_geodinamica.pptx
ae_mt7_ppt_geodinamica.pptxae_mt7_ppt_geodinamica.pptx
ae_mt7_ppt_geodinamica.pptx
 
Geodinamica_ Ciências Naturais
Geodinamica_ Ciências NaturaisGeodinamica_ Ciências Naturais
Geodinamica_ Ciências Naturais
 
Génese e classificação rochas sedimentares
Génese e classificação rochas sedimentaresGénese e classificação rochas sedimentares
Génese e classificação rochas sedimentares
 
08 solo da - aulas senai maio 2013 marcio freire -
08   solo da - aulas senai maio  2013 marcio freire  -08   solo da - aulas senai maio  2013 marcio freire  -
08 solo da - aulas senai maio 2013 marcio freire -
 
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptx
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptxDEGRADAÇÃO DO SOLO.pptx
DEGRADAÇÃO DO SOLO.pptx
 
Manejo e conservação do solo e água.pptx
Manejo e conservação do solo e água.pptxManejo e conservação do solo e água.pptx
Manejo e conservação do solo e água.pptx
 
Apostila de solos
Apostila de solosApostila de solos
Apostila de solos
 
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º AnoResumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
 
Rochas
RochasRochas
Rochas
 

Mais de Wendell Fabrício

Graziella semin au-turmalinaqf
Graziella semin au-turmalinaqfGraziella semin au-turmalinaqf
Graziella semin au-turmalinaqf
Wendell Fabrício
 
Ch19 terremotos
Ch19 terremotosCh19 terremotos
Ch19 terremotos
Wendell Fabrício
 
O tempo geológico
O tempo geológicoO tempo geológico
O tempo geológico
Wendell Fabrício
 
A tectônica de placas
A tectônica de placasA tectônica de placas
A tectônica de placas
Wendell Fabrício
 
Vulcanismo e plutonismo
Vulcanismo e plutonismoVulcanismo e plutonismo
Vulcanismo e plutonismo
Wendell Fabrício
 
Introducão à mineralogia e a petrografia
Introducão à mineralogia e a petrografiaIntroducão à mineralogia e a petrografia
Introducão à mineralogia e a petrografia
Wendell Fabrício
 
O tempo geológico
O tempo geológicoO tempo geológico
O tempo geológico
Wendell Fabrício
 
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçaoContituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Wendell Fabrício
 
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçaoContituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Wendell Fabrício
 

Mais de Wendell Fabrício (9)

Graziella semin au-turmalinaqf
Graziella semin au-turmalinaqfGraziella semin au-turmalinaqf
Graziella semin au-turmalinaqf
 
Ch19 terremotos
Ch19 terremotosCh19 terremotos
Ch19 terremotos
 
O tempo geológico
O tempo geológicoO tempo geológico
O tempo geológico
 
A tectônica de placas
A tectônica de placasA tectônica de placas
A tectônica de placas
 
Vulcanismo e plutonismo
Vulcanismo e plutonismoVulcanismo e plutonismo
Vulcanismo e plutonismo
 
Introducão à mineralogia e a petrografia
Introducão à mineralogia e a petrografiaIntroducão à mineralogia e a petrografia
Introducão à mineralogia e a petrografia
 
O tempo geológico
O tempo geológicoO tempo geológico
O tempo geológico
 
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçaoContituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
 
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçaoContituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
Contituicao geral do planeta terra e sua história de formaçao
 

Último

Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
 

Intemperismo e sedimentologia

  • 1. Geologia para cursos técnicos Módulo: Dinâmica interna da Terra INTEMPERISMO E PRINCÍPIOS DE SEDIMENTOLOGIA Wendell Fabricio (geólogo) wendellfabricio@gmail.com geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 2. INTEMPERISMO • A crosta terrestre é formada de grande quantidade de variadas rochas, originalmente um material sólido, firme, duro. Contudo, as rochas próximas à superfície estão expostas aos agentes intempéricos, que concorrem no sentido de transformar a rocha em solo. • O intemperismo atua favorecendo a remoção de partículas das rochas e à estas pertículas damos o nome de sedimentos ou detritos geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 3. Intemperismo: Definição • De acordo com Leinz & Amaral (1978), o intemperismo constitui o conjunto de processos operantes na superfície terrestre que ocasionam a decomposição dos minerais das rochas, graças à ação de agentes atmosféricos e biológicos. Elegemos o clima como o principal fator determinante do tipo de intemperismo pois a temperatura, a umidade, o regime de ventos, a evaporação e outros influenciam diretamente no processo supracitado. geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 4. Tipos de intemperismo O intemperismo pode ser classificado de acordo com seu processo causador em um dos seguintes tipos: i) Intemperismo Físico; ii) Intemperismo Químico e; iii) Intemperismo Biológico. geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 5. Intemperismo Físico O intemperismo físico é a desintegração mecânica da rocha em partículas menores (chamadas de sedimentos). Em outras palavras, a rocha original é desagregada em fragmentos menores e os mecanismos podem ser os seguintes: • Ação dos ventos: • Ação das águas: • Congelamento de água em fraturas: • Tração e contração térmica: geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 6. Intemperismo Físico • Ação dos ventos Deserto do Arizona/EUA Também chamada de erosão eólica, o intemperismo pela ação dos ventos é ocasionada pela colisão dos ventos em rochas expostas. Estas massas de ar comumente carregam outros detritos, que se chocam com as rochas e causam a remoção de sedimentos; geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 7. Intemperismo Físico • Ação das águas Erosão marinha na região de Malibú. Califórnia-EUA A Ação das águas também é chamada de erosão fluvial (pode ser também marinha ou lacustre) e possui o mesmo princípio do mecanismo anterior, porém o agente de transporte dos detritos são as águas; Erosão fluvial em Presidente Figueiredo/AM geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 8. Intemperismo Físico • Congelamento de água em fraturas Em climas frios, a água infiltrada nas fraturas das rochas pode congelar e, aumentando seu volume, pode favorecer a abertura das fraturas e na consequente remoção de fragmentos Rocha fratura por congelamento de água em fraturas. (Fonte Teixeira et al, 1996) geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 9. Intemperismo Físico • Tração e contração térmica Comum em locais de grande amplitude térmica, este processo é devido ao constante aumento e diminuição do volume da rocha durante os estágios de resfriamento e aquecimento da mesma, causando fraturas. Rocha sofrendo ação do intemperismo tipo disjunção esferoidal, causado pelo aumento e diminuição de temperatura ao longo do dia. O que confere à rocha este aspecto arredondado. Também chamado de intemperismo “casca de cebola”. Sta Maria das Barreiras/PA. geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 10. Intemperismo Químico • O processo intempérico químico ocorre quando há um conjunto de reações químicas na superfície da rocha, que altera sua composição e torna a rocha mais frágil. • A palavra alteração química pode ser pejorativamente entendida como uma espécie de “apodrecimento” da rocha. • O principal componente deste tipo de intemperismo é a água, sobretudo da chuva, que com sua composição levemente ácida, provoca um conjunto de reações químicas na mesma. • As seguintes reações químicas são comuns no intemperismo químico: • Hidratação • Dissolução • Hidrólise • Oxidação geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 11. Intemperismo Químico À esquerda, argilito bastante alterado pelo intemperismo químico. Nota-se o bandamento sedimentar preservado. Abaixo, amostra de rocha mostrando a borda alterada por reações químicas de intemperismo. Região do Alto Paranaíba/MG. geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 12. Intemperismo Biológico Este tipo de intemperismo envolve a ação da atividade biológica presente numa rocha e pode envolver os seguintes fatores, dentre outros: • Escavação de animais como formigas e minhocas; • Corrosão por ácidos vegetais; • Ação das raízes de plantas. geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 13. Intemperismo Biológico Ação das raízes de plantas na contribuição à desfragmentação da rocha. geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 14. Intemperismo e formação dos solos geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 15. Intemperismo e formação dos solos • Tipos de solo • Solo residual: proveniente da decomposição e degradação da rocha subjacente. É também chamado de solo “in situ” pois o solo está exatamente no local onde se formou. • Solo transportado: Proveniente de erosão, transporte e sedimentação de solos pré-existentes. geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 16. Intemperismo e formação dos solos • Perfil do solo geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 17. SEDIMENTOLOGIA A sedimentologia é o estudo das características e propriedades dos sedimentos. Algumas características importantes são: • Granulometria • Grau de seleção • Esfericidade e arredondamento • Porosidade • Permeabilidade geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 19. Granulometria Granulometria Cascalho Tamanho (em mm) Matacao Maior que 256 Calhau (ou bloco) Entre 64 e 256 Seixo Entre 2 e 64 Granulo Entre 1 e 2 Areia Grossa Entre 0,5 e 1 Areia Media Entre 0,250 e 0,5 Areia Fina Entre 0,125 e 0,250 Silte Silte Entre 0,004 e 0,125 Argila Argila Menor que 0,004 Areia geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 20. Grau de seleção Grau de seleção se refere à distribuição de sedimentos numa mesma amostra. Quanto mais homogênea é uma granulometria, maior é o grau de seleção. geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 21. Esfericidade e arredondamento O grau de arredondamento e esfericidade do grão estão relacionados com o a abrasão e desgaste dos sedimentos durante seu transporte. Usa-se a escala abaixo para determinar estes parâmetros: geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 22. Porosidade • Porosidade é a característica de uma rocha poder armazenar fluidos em seus espaços interiores, chamados poros. • Isso quer dizer que existem espaços (poros) entre as partículas que formam qualquer tipo de matéria. Esses espaços podem ser maiores ou menores, tornando a matéria mais ou menos densa. • A porosidade do solo (n) é expressa em percentagem, e é definida como o volume dos poros (Vv) dividido pelo volume total (V) de uma amostra de solo, ou seja: n = Vv/V x 100 geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 23. Porosidade • A porosidade em sedimentos e rochas sedimentares depende principalmente de três fatores: O tamanho dos grãos O arranjo geométrico dos grãos O grau de seleção Quanto ao tamanho dos grãos, quanto menores forem, maior é o volume de espaços vazios (e consequentemente a porosidade). Ou seja, um sedimento argiloso tem maior porosidade que um sedimento arenoso. geologiaparatecnicos.blogspot.com
  • 24. Permeabilidade • A permeabilidade é a medida da capacidade de um material (tipicamente uma rocha) para transmitir fluídos. • A permeabilidade normalmente varia inversamente com a porosidade em rochas sedimentares. Quanto maior a porosidade, a permeabilidade é menor. • Assim, em uma rocha argilosa, a porosidade é grande mas a permeabilidade é baixa e numa rocha arenosa (ou sedimentos arenosos), a porosidade é baixa, mas a permeabilidade é elevada. geologiaparatecnicos.blogspot.com