SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
Diferença entre intemperismo e erosão
A diferença entre intemperismo e erosão é clara, mesmo se tratando de processos interligados e,
em alguns casos, complementares entre si.
Durante os estudos sobre a dinâmica do relevo terrestre, aprendemos que a camada superficial
da Terra está continuamente passando por transformações, causadas por alguns elementos,
como os ventos e a água, que são chamados de agentes exógenos do relevo. Assim,
aprendemos que esses elementos atuam em processos de intemperismo e erosão sobre as
formações rochosas e os solos que compõem a morfologia terrestre.
Mas, afinal, qual é a diferença entre intemperismo e erosão?
Embora muitas pessoas acreditem que se trate de procedimentos iguais ou sinônimos,
intemperismo e erosão são conceitos diferentes. O emprego de um conceito no lugar do outro
pode gerar terríveis enganos, de modo que ambos não podem ser confundidos. Confira as
diferenças:
O conceito de intemperismo (também chamado de meteorização) – refere-se ao conjunto de
processos químicos, físicos e biológicos responsável pela desagregação (quebra) ou
decomposição das rochas. É por intermédio do intemperismo que se formam os sedimentos
(partículas de rochas) e também os solos, que são exatamente constituídos de rochas
decompostas e desagregadas.
Já o conceito de erosão, por outro lado, designa o conjunto de etapas que reúne principalmente
transporte, mas também desgaste e a deposição de material sedimentar, ou seja, de partículas de
rochas e de solos. Em resumo, podemos dizer que a erosão é o processo de transporte das
partículas de rochas decompostas ou desagregadas pelo intemperismo. Trata-se de ocorrências,
portanto, interligadas e que atuam juntas na dinâmica de transformação do relevo.
Tanto o intemperismo quanto a erosão são participantes iniciais da formação de rochas
sedimentares, uma vez que os sedimentos gerados pelo intemperismo e transportados pela
erosão, após passarem por uma série de transformações, tornam-se rochas
sedimentares e bacias sedimentares.
O intemperismo e a erosão atuam na transformação do relevo e formam novas paisagens
TIPOS DE INTEMPERISMO:
Intemperismo químico: Quebra da estrutura química dos minerais que compõe a rocha ou
sedimento (material de origem). As rochas, então, sofrem um processo de decomposição. A
intensidade deste intemperismo é relacionada com a temperatura, pluviosidade e vegetação,
ocorrendo principalmente nas regiões intertropicais.
Intemperismo físico: Desagregação ou desintegração do material de origem (rocha ou
sedimento) sem que haja alteração química dos minerais constituintes. Ele, portanto, causa uma
desagregação de fragmentos cada vez menores, conservando as características de seus
minerais, aumentando a superfície de contato dos fragmentos, o que colabora com o
intemperismo químico. Em regiões desérticas e de clima semiárido esse processo é mais intenso.
Intemperismo biológico: é o processo de transformação das rochas a partir da ação de seres
vivos, como bactérias ou até mesmo animais. Incluem-se nesse processo as raízes das árvores,
as ações de bactérias, a decomposição de organismos ou excrementos, entre outros.
IMPORTANTE: O INTEMPERISMO é responsável pela formação do SOLO (pedogênese). A
formação dos solos acontece através dos diferentes Intemperismos. Esses processos
ocorrem quando as rochas sofrem uma decomposição, transformando-se em partículas
cada vez menores, que ao se combinar como a matéria orgânica formam diferentes tipos
de SOLO.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevo
Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevoAula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevo
Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevogeopedrote
 
Geografia - Geomorfologia e solos
Geografia - Geomorfologia e solosGeografia - Geomorfologia e solos
Geografia - Geomorfologia e solosCarson Souza
 
Estrutura Forma Relevo
Estrutura Forma RelevoEstrutura Forma Relevo
Estrutura Forma Relevoantoniogeo
 
DinâMica GeolóGica E Formas Da Litosfera
DinâMica GeolóGica E Formas Da LitosferaDinâMica GeolóGica E Formas Da Litosfera
DinâMica GeolóGica E Formas Da LitosferaRodrigo Leão
 
Estrutura geológica do Brasil
Estrutura geológica do BrasilEstrutura geológica do Brasil
Estrutura geológica do BrasilKamila Joyce
 
DINÂMICAS DO RELEVO: AGENTES MODELADORES
DINÂMICAS DO RELEVO:  AGENTES MODELADORESDINÂMICAS DO RELEVO:  AGENTES MODELADORES
DINÂMICAS DO RELEVO: AGENTES MODELADORESJosimar Nunes
 
Litosfera e relevo
Litosfera e relevoLitosfera e relevo
Litosfera e relevoflaviocosac
 
relevo gênese e evolução
relevo gênese e evolução relevo gênese e evolução
relevo gênese e evolução neto lopes
 
BioGeo10-mobilismo geológico
BioGeo10-mobilismo geológicoBioGeo10-mobilismo geológico
BioGeo10-mobilismo geológicoRita Rainho
 
IECJ - Cap. 8 – Relevo e seus agentes modificadores
IECJ - Cap. 8 – Relevo e seus agentes modificadoresIECJ - Cap. 8 – Relevo e seus agentes modificadores
IECJ - Cap. 8 – Relevo e seus agentes modificadoresprofrodrigoribeiro
 
www.AulasDeGeografiaApoio.com - Geografia - Relevo
 www.AulasDeGeografiaApoio.com  -  Geografia -  Relevo www.AulasDeGeografiaApoio.com  -  Geografia -  Relevo
www.AulasDeGeografiaApoio.com - Geografia - RelevoAulas De Geografia Apoio
 
Estrutura geológica e relevo brasileiro
Estrutura geológica e relevo brasileiroEstrutura geológica e relevo brasileiro
Estrutura geológica e relevo brasileirodela28
 
Agentes formadores do relevo (4A - aula 7)
Agentes formadores do relevo (4A - aula 7)Agentes formadores do relevo (4A - aula 7)
Agentes formadores do relevo (4A - aula 7)faahf
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20Joao Paulo
 

Mais procurados (20)

Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevo
Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevoAula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevo
Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevo
 
Geografia - Geomorfologia e solos
Geografia - Geomorfologia e solosGeografia - Geomorfologia e solos
Geografia - Geomorfologia e solos
 
Estrutura Forma Relevo
Estrutura Forma RelevoEstrutura Forma Relevo
Estrutura Forma Relevo
 
Formas de relevo
Formas de relevoFormas de relevo
Formas de relevo
 
Geologia
GeologiaGeologia
Geologia
 
Os Agentes do Relevo - Geografia
Os Agentes do Relevo - GeografiaOs Agentes do Relevo - Geografia
Os Agentes do Relevo - Geografia
 
DinâMica GeolóGica E Formas Da Litosfera
DinâMica GeolóGica E Formas Da LitosferaDinâMica GeolóGica E Formas Da Litosfera
DinâMica GeolóGica E Formas Da Litosfera
 
Dinâmica interna e externa do relevo
Dinâmica interna e externa do relevoDinâmica interna e externa do relevo
Dinâmica interna e externa do relevo
 
Estrutura geológica do Brasil
Estrutura geológica do BrasilEstrutura geológica do Brasil
Estrutura geológica do Brasil
 
DINÂMICAS DO RELEVO: AGENTES MODELADORES
DINÂMICAS DO RELEVO:  AGENTES MODELADORESDINÂMICAS DO RELEVO:  AGENTES MODELADORES
DINÂMICAS DO RELEVO: AGENTES MODELADORES
 
Litosfera e relevo
Litosfera e relevoLitosfera e relevo
Litosfera e relevo
 
SISTEMA TERRESTRE
SISTEMA TERRESTRE SISTEMA TERRESTRE
SISTEMA TERRESTRE
 
Noções de Geomorfologia
Noções de GeomorfologiaNoções de Geomorfologia
Noções de Geomorfologia
 
relevo gênese e evolução
relevo gênese e evolução relevo gênese e evolução
relevo gênese e evolução
 
BioGeo10-mobilismo geológico
BioGeo10-mobilismo geológicoBioGeo10-mobilismo geológico
BioGeo10-mobilismo geológico
 
IECJ - Cap. 8 – Relevo e seus agentes modificadores
IECJ - Cap. 8 – Relevo e seus agentes modificadoresIECJ - Cap. 8 – Relevo e seus agentes modificadores
IECJ - Cap. 8 – Relevo e seus agentes modificadores
 
www.AulasDeGeografiaApoio.com - Geografia - Relevo
 www.AulasDeGeografiaApoio.com  -  Geografia -  Relevo www.AulasDeGeografiaApoio.com  -  Geografia -  Relevo
www.AulasDeGeografiaApoio.com - Geografia - Relevo
 
Estrutura geológica e relevo brasileiro
Estrutura geológica e relevo brasileiroEstrutura geológica e relevo brasileiro
Estrutura geológica e relevo brasileiro
 
Agentes formadores do relevo (4A - aula 7)
Agentes formadores do relevo (4A - aula 7)Agentes formadores do relevo (4A - aula 7)
Agentes formadores do relevo (4A - aula 7)
 
6ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 206ano grupo 04 atividade 20
6ano grupo 04 atividade 20
 

Semelhante a Texto Intemperismo e Erosão

Formação do relevo, erosão e intemperismo
Formação do relevo, erosão e intemperismoFormação do relevo, erosão e intemperismo
Formação do relevo, erosão e intemperismoIone Rocha
 
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º AnoResumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º AnoVitor Perfeito
 
resumo de geologia 10 ano
resumo de geologia 10 anoresumo de geologia 10 ano
resumo de geologia 10 anoDiogo Batista
 
formação do relevo terrestre
 formação do relevo terrestre  formação do relevo terrestre
formação do relevo terrestre AnaClaudiaHonorio
 
UNIDADE I - SOLOS, ORIGEM, FORMAÇÃO E MINERAis CONSTITUINTES
UNIDADE I - SOLOS, ORIGEM, FORMAÇÃO E MINERAis CONSTITUINTESUNIDADE I - SOLOS, ORIGEM, FORMAÇÃO E MINERAis CONSTITUINTES
UNIDADE I - SOLOS, ORIGEM, FORMAÇÃO E MINERAis CONSTITUINTESRodrigo Andrade Brígido
 
O principio da alteração das rochas
O principio da alteração das rochasO principio da alteração das rochas
O principio da alteração das rochasCidinhoveronese
 
Agentes Externos do Relevo, apresentação elaborada para o 1º Ano do Ensino Mé...
Agentes Externos do Relevo, apresentação elaborada para o 1º Ano do Ensino Mé...Agentes Externos do Relevo, apresentação elaborada para o 1º Ano do Ensino Mé...
Agentes Externos do Relevo, apresentação elaborada para o 1º Ano do Ensino Mé...ErotildeDamascenoSal
 
Trabalho de mecânica dos solos propriedade das particulas sólidas dos solos
Trabalho de mecânica dos solos   propriedade das particulas sólidas dos solosTrabalho de mecânica dos solos   propriedade das particulas sólidas dos solos
Trabalho de mecânica dos solos propriedade das particulas sólidas dos solosengenhar
 
Estudo de geografia 6º ano – 3º trimestre – Novembro – 2012 – Prof.ª Ana ...
Estudo de geografia    6º ano – 3º trimestre – Novembro – 2012 – Prof.ª Ana  ...Estudo de geografia    6º ano – 3º trimestre – Novembro – 2012 – Prof.ª Ana  ...
Estudo de geografia 6º ano – 3º trimestre – Novembro – 2012 – Prof.ª Ana ...Luiza Collet
 
Processose produtosdasedimentacao
Processose produtosdasedimentacaoProcessose produtosdasedimentacao
Processose produtosdasedimentacaoPetroleoecologia
 
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluiçãoCiências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluiçãoelonvila
 
Slides ciência do solo
Slides   ciência do soloSlides   ciência do solo
Slides ciência do solodaianeagricola
 
Aula revisão intemperismo
Aula  revisão intemperismoAula  revisão intemperismo
Aula revisão intemperismoCarolina Corrêa
 
Sagrada familia 1 ano resolução de atividades
Sagrada familia 1 ano resolução de atividadesSagrada familia 1 ano resolução de atividades
Sagrada familia 1 ano resolução de atividadesJose Luiz de Oliveira
 

Semelhante a Texto Intemperismo e Erosão (20)

Formação do relevo, erosão e intemperismo
Formação do relevo, erosão e intemperismoFormação do relevo, erosão e intemperismo
Formação do relevo, erosão e intemperismo
 
Litosfera
LitosferaLitosfera
Litosfera
 
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º AnoResumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
 
Agentes formadores do relevo
Agentes formadores do relevoAgentes formadores do relevo
Agentes formadores do relevo
 
resumo de geologia 10 ano
resumo de geologia 10 anoresumo de geologia 10 ano
resumo de geologia 10 ano
 
formação do relevo terrestre
 formação do relevo terrestre  formação do relevo terrestre
formação do relevo terrestre
 
UNIDADE I - SOLOS, ORIGEM, FORMAÇÃO E MINERAis CONSTITUINTES
UNIDADE I - SOLOS, ORIGEM, FORMAÇÃO E MINERAis CONSTITUINTESUNIDADE I - SOLOS, ORIGEM, FORMAÇÃO E MINERAis CONSTITUINTES
UNIDADE I - SOLOS, ORIGEM, FORMAÇÃO E MINERAis CONSTITUINTES
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 
O principio da alteração das rochas
O principio da alteração das rochasO principio da alteração das rochas
O principio da alteração das rochas
 
Química Ambiental
Química AmbientalQuímica Ambiental
Química Ambiental
 
Agentes Externos do Relevo, apresentação elaborada para o 1º Ano do Ensino Mé...
Agentes Externos do Relevo, apresentação elaborada para o 1º Ano do Ensino Mé...Agentes Externos do Relevo, apresentação elaborada para o 1º Ano do Ensino Mé...
Agentes Externos do Relevo, apresentação elaborada para o 1º Ano do Ensino Mé...
 
Trabalho de mecânica dos solos propriedade das particulas sólidas dos solos
Trabalho de mecânica dos solos   propriedade das particulas sólidas dos solosTrabalho de mecânica dos solos   propriedade das particulas sólidas dos solos
Trabalho de mecânica dos solos propriedade das particulas sólidas dos solos
 
Estudo de geografia 6º ano – 3º trimestre – Novembro – 2012 – Prof.ª Ana ...
Estudo de geografia    6º ano – 3º trimestre – Novembro – 2012 – Prof.ª Ana  ...Estudo de geografia    6º ano – 3º trimestre – Novembro – 2012 – Prof.ª Ana  ...
Estudo de geografia 6º ano – 3º trimestre – Novembro – 2012 – Prof.ª Ana ...
 
Química Ambiental
Química AmbientalQuímica Ambiental
Química Ambiental
 
Processose produtosdasedimentacao
Processose produtosdasedimentacaoProcessose produtosdasedimentacao
Processose produtosdasedimentacao
 
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluiçãoCiências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição
 
Slides ciência do solo
Slides   ciência do soloSlides   ciência do solo
Slides ciência do solo
 
Intemperismo químico
Intemperismo químicoIntemperismo químico
Intemperismo químico
 
Aula revisão intemperismo
Aula  revisão intemperismoAula  revisão intemperismo
Aula revisão intemperismo
 
Sagrada familia 1 ano resolução de atividades
Sagrada familia 1 ano resolução de atividadesSagrada familia 1 ano resolução de atividades
Sagrada familia 1 ano resolução de atividades
 

Último

Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docCarolineWaitman
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )MayaraDaSilvaAssis
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docxSílvia Carneiro
 

Último (20)

Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 

Texto Intemperismo e Erosão

  • 1. Diferença entre intemperismo e erosão A diferença entre intemperismo e erosão é clara, mesmo se tratando de processos interligados e, em alguns casos, complementares entre si. Durante os estudos sobre a dinâmica do relevo terrestre, aprendemos que a camada superficial da Terra está continuamente passando por transformações, causadas por alguns elementos, como os ventos e a água, que são chamados de agentes exógenos do relevo. Assim, aprendemos que esses elementos atuam em processos de intemperismo e erosão sobre as formações rochosas e os solos que compõem a morfologia terrestre. Mas, afinal, qual é a diferença entre intemperismo e erosão? Embora muitas pessoas acreditem que se trate de procedimentos iguais ou sinônimos, intemperismo e erosão são conceitos diferentes. O emprego de um conceito no lugar do outro pode gerar terríveis enganos, de modo que ambos não podem ser confundidos. Confira as diferenças: O conceito de intemperismo (também chamado de meteorização) – refere-se ao conjunto de processos químicos, físicos e biológicos responsável pela desagregação (quebra) ou decomposição das rochas. É por intermédio do intemperismo que se formam os sedimentos (partículas de rochas) e também os solos, que são exatamente constituídos de rochas decompostas e desagregadas. Já o conceito de erosão, por outro lado, designa o conjunto de etapas que reúne principalmente transporte, mas também desgaste e a deposição de material sedimentar, ou seja, de partículas de rochas e de solos. Em resumo, podemos dizer que a erosão é o processo de transporte das partículas de rochas decompostas ou desagregadas pelo intemperismo. Trata-se de ocorrências, portanto, interligadas e que atuam juntas na dinâmica de transformação do relevo. Tanto o intemperismo quanto a erosão são participantes iniciais da formação de rochas sedimentares, uma vez que os sedimentos gerados pelo intemperismo e transportados pela erosão, após passarem por uma série de transformações, tornam-se rochas sedimentares e bacias sedimentares.
  • 2. O intemperismo e a erosão atuam na transformação do relevo e formam novas paisagens TIPOS DE INTEMPERISMO: Intemperismo químico: Quebra da estrutura química dos minerais que compõe a rocha ou sedimento (material de origem). As rochas, então, sofrem um processo de decomposição. A intensidade deste intemperismo é relacionada com a temperatura, pluviosidade e vegetação, ocorrendo principalmente nas regiões intertropicais. Intemperismo físico: Desagregação ou desintegração do material de origem (rocha ou sedimento) sem que haja alteração química dos minerais constituintes. Ele, portanto, causa uma desagregação de fragmentos cada vez menores, conservando as características de seus minerais, aumentando a superfície de contato dos fragmentos, o que colabora com o intemperismo químico. Em regiões desérticas e de clima semiárido esse processo é mais intenso. Intemperismo biológico: é o processo de transformação das rochas a partir da ação de seres vivos, como bactérias ou até mesmo animais. Incluem-se nesse processo as raízes das árvores, as ações de bactérias, a decomposição de organismos ou excrementos, entre outros. IMPORTANTE: O INTEMPERISMO é responsável pela formação do SOLO (pedogênese). A formação dos solos acontece através dos diferentes Intemperismos. Esses processos ocorrem quando as rochas sofrem uma decomposição, transformando-se em partículas cada vez menores, que ao se combinar como a matéria orgânica formam diferentes tipos de SOLO.