SlideShare uma empresa Scribd logo
HISTÓRIAA ALTA IDADE MÉDIA: AS MIGRAÇÕES BÁRBARAS E O REINO DOS FRANCOS.
Alta Idade Média: as migrações bárbaras e o Reino dos FrancosA palavra bárbaro tem, historicamente, um significado diferente do atual. Para os romanos, bárbaros eram aqueles povos que não falavam a língua latina e não estavam subordinados ao seu império. Assim, esses povos podem ser definidos como os não romanos, os que se encontravam além das fronteiras romanas.
As migrações bárbaras
As migrações bárbarasOs imperadores romanos do século IV, lutando contra a decadência do império, permitiram que os povos bárbaros, especialmente os germanos, nele se fixassem como aliados (soldados, colonos, operários, etc.). Mas, além da chegada pacífica, os bárbaros muitas vezes se introduziram no império de forma violenta.
As migrações bárbarasAs migrações bárbaras foram seguidas de outras invasões à Europa Ocidental, o que ativou o processo de ruralização que se iniciara no Império Romano. O ápice desse processo foi a montagem da ordem feudal. A partir do século V, o modo de produção feudal foi se impondo cada vez mais até se tornar “alto” – daí a denominação de “Alta Idade Média” dada a esse período.
As migrações bárbarasBárbaros em Roma
As migrações bárbarasResumindo, seriam as seguintes as conseqüências básicas das migrações bárbaras:Fragmentação do Império RomanoFundação de vários reinos cristãos, com a conversão dos bárbaros.Impulso dado ao feudalismo pelas instituições bárbaras, em virtude da decadência do Império Romano e da ruralização.Abandono da língua latina, substituída pelas línguas bárbaras (francês, inglês, línguas eslavas, etc.).
Reino dos FrancosNa fase final do Império Romano, tribos germânicas se instalaram no norte da Itália e no centro atual França, originando o Reino dos Francos, que se tornou o reino mais importante da Alta Idade Média européia, transformando-se num império semelhante ao dos romanos, embora com características bem diversas e comprometido com a formação do feudalismo.Houve duas dinastias (poder pela família) que governou o reino franco: merovíngios e os carolíngios.
História Idade Média (Francos)
Os  MerovíngiosA primeira dinastia dos francos, os merovíngios, deve seu nome a Meroveu, herói franco na Batalha dos Campos Catalúnicos, contra os hunos de Átila. Contudo, considera-se Clóvis, neto de Meroveu, o responsável pela criação do Estado franco.Clóvis venceu os romanos, os alamanos, os búrgundios e os visigodos, conquistando um vasto território. Após a batalha de Tolbiac, em que venceu os alamanos, Clóvis converteu-se ao cristianismo, sendo batizado na catedral de Reims, por São Remígio. Graças a essa conversão, Clóvis ganhou o apoio do clero católico e da maior parte da população da Gália. Após a sua morte, o reino foi repartido entre os seus herdeiros, até que, com Dagoberto, foi estabelecido que o reino teria sempre um só sucessor.
Os  MerovíngiosDepois de Dagoberto, os reis francos foram perdendo sua formação e se sujeitando à autonomia dos senhores feudais. Esses reis são conhecidos, na história francesa, como os “reis indolentes”. Nessa época, as rédeas do poder passaram para as mãos dos prefeitos (ou mordomos) do palácio, que eram verdadeiros primeiros-ministros. Entre esses prefeitos destacou-se Carlos Martel, que impediu a expansão dos árabes na Europa, vencendo-os em Poitiers (Pireneus), em 732.
História Idade Média (Francos)
Os CarolíngiosO filho de Carlos Martel – Pepino, o Breve – aproveitando-se do prestígio de seu cargo de prefeito e obtendo o apoio do papa, depôs Childerico III, o último soberano merovíngio, no ano de 751. Assim se iniciou a dinastia carolíngia (cujo nome se deve a seu maior expoente, Carlos Magno). Em retribuição ao apoio na luta contra os lombardos, dando ao papado o território de Ravena, com o qual tem início a autoridade temporal do papa.
Os CarolíngiosEm 768, Carlos Magno assumiu o trono, tendo governado até 814 e tornando-se o maior imperador da Alta Idade Média. Após expandir as fronteiras do império, Carlos Magno foi coroado, no ano 800, pelo papa Leão III, como imperador do Ocidente, surgindo assim, a idéia do renascimento do Império Romano do Ocidente.Carlos Magno se uniu a igreja, dando terras em troca de aprovação de mais pessoas, deu terras á duques, marquesas e condes, mas eles deveriam contribuir naquela terra. Para vigiar, foi nomeado um “supervisor” chamado – MISSI DOMINICI.
“missidominici”Carlos Magno
A divisão do impérioCom a morte de Carlos Magno, o trono foi ocupado por seu filho, Luís, o Piedoso, que se casou duas vezes, tendo três herdeiros: Luís, o Germânico; Lotário; e Carlos, o Calvo. Em 843, finalmente, pelo Tratado de Verdun, ficou resolvido o problema da partilha do império, que foi dividido em três partes: a Germânia para Luís, a Itália para Lotário (Lotaríngia) e a França para Carlos.
A divisão do impérioEm 911, com a ascensão do duque da Saxônia, extinguiu-se na Germânia, a dinastia carolíngia. Em 987, com a coroação de Hugo Capeto, os carolíngios deixaram de reinar na França. Pouco a pouco, o império foi sendo desmembrado, desaparecendo lentamente a obra do seu fundador.Extra do caderno – Feudalismo – “O rei reina, mais não governa”.E a rainha é apenas um símbolo.
Divisão de Verdun
História Idade Média (Francos)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Edenilson Morais
 
Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade média
Eduard Henry
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Resumo alta idade média
Resumo   alta idade médiaResumo   alta idade média
Resumo alta idade média
Claudenilson da Silva
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
Alê Maldonado
 
1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna
Daniel Alves Bronstrup
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
Daniel Alves Bronstrup
 
Império Carolíngio - os francos
Império Carolíngio -  os francosImpério Carolíngio -  os francos
Império Carolíngio - os francos
Carlos Zaranza
 
Reino franco
Reino francoReino franco
Reino franco
PROFºWILTONREIS
 
1 invasões bárbaras
1 invasões bárbaras1 invasões bárbaras
1 invasões bárbaras
Kerol Brombal
 
Povos germânicos
Povos germânicosPovos germânicos
Povos germânicos
Eduard Henry
 
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudalCrise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Douglas Barraqui
 
O império romano
O império romanoO império romano
O império romano
Fatima Freitas
 
O Feudalismo Prof Medeiros 2015
O Feudalismo Prof Medeiros 2015O Feudalismo Prof Medeiros 2015
O Feudalismo Prof Medeiros 2015
João Medeiros
 
Roma
RomaRoma
1° ano império romano - completo
1° ano    império romano - completo1° ano    império romano - completo
1° ano império romano - completo
Daniel Alves Bronstrup
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
Paulo Alexandre
 
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romanoRoma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
Munis Pedro
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Fabiana Tonsis
 
Cruzadas
CruzadasCruzadas
Cruzadas
dmflores21
 

Mais procurados (20)

Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
 
Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade média
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Roma Antiga
 
Resumo alta idade média
Resumo   alta idade médiaResumo   alta idade média
Resumo alta idade média
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
 
Império Carolíngio - os francos
Império Carolíngio -  os francosImpério Carolíngio -  os francos
Império Carolíngio - os francos
 
Reino franco
Reino francoReino franco
Reino franco
 
1 invasões bárbaras
1 invasões bárbaras1 invasões bárbaras
1 invasões bárbaras
 
Povos germânicos
Povos germânicosPovos germânicos
Povos germânicos
 
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudalCrise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
 
O império romano
O império romanoO império romano
O império romano
 
O Feudalismo Prof Medeiros 2015
O Feudalismo Prof Medeiros 2015O Feudalismo Prof Medeiros 2015
O Feudalismo Prof Medeiros 2015
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
1° ano império romano - completo
1° ano    império romano - completo1° ano    império romano - completo
1° ano império romano - completo
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romanoRoma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
Cruzadas
CruzadasCruzadas
Cruzadas
 

Semelhante a História Idade Média (Francos)

Trabalho de historia
Trabalho de historia Trabalho de historia
Trabalho de historia
Túlio Arantes
 
Idade Média
Idade MédiaIdade Média
Idade Média
Marilia Pimentel
 
Barbaros francos carolingios_2010_b
Barbaros francos carolingios_2010_bBarbaros francos carolingios_2010_b
Barbaros francos carolingios_2010_b
Kelly Delfino
 
A expansão dos francos e o império carolíngio.
A expansão dos francos e o império carolíngio.A expansão dos francos e o império carolíngio.
A expansão dos francos e o império carolíngio.
Joemille Leal
 
A formação do império feudal 7º anos
A formação do império feudal   7º anosA formação do império feudal   7º anos
A formação do império feudal 7º anos
Íris Ferreira
 
3371982 historia-aula-03-alta-idade-media
3371982 historia-aula-03-alta-idade-media3371982 historia-aula-03-alta-idade-media
3371982 historia-aula-03-alta-idade-media
Marcus Vinicius Barbosa Silva
 
Invasesbrbaraseformaodaeuropamoderna 111101132734-phpapp02
Invasesbrbaraseformaodaeuropamoderna 111101132734-phpapp02Invasesbrbaraseformaodaeuropamoderna 111101132734-phpapp02
Invasesbrbaraseformaodaeuropamoderna 111101132734-phpapp02
Fatima Freitas
 
Francos e o império de carlos magno
Francos e o império de carlos magnoFrancos e o império de carlos magno
Francos e o império de carlos magno
Weslei Carvalho
 
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
Kerol Brombal
 
Império franco tmp1
Império franco tmp1Império franco tmp1
Império franco tmp1
Péricles Penuel
 
Europa medieval
Europa medievalEuropa medieval
Europa medieval
francilene10
 
Aula 03 alta idade média
Aula 03   alta idade médiaAula 03   alta idade média
Aula 03 alta idade média
Jonatas Carlos
 
1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa
cattonia
 
Os francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingioOs francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingio
historiando
 
Os francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingioOs francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingio
historiando
 
Os francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingioOs francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingio
Nelia Salles Nantes
 
Os francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingioOs francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingio
historiando
 
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
Kerol Brombal
 
Introdução à Idade Média
Introdução à Idade MédiaIntrodução à Idade Média
Introdução à Idade Média
Núcleo de Estágio ESL 2014-2015
 
A civilização Feudal
A civilização FeudalA civilização Feudal
A civilização Feudal
Laguat
 

Semelhante a História Idade Média (Francos) (20)

Trabalho de historia
Trabalho de historia Trabalho de historia
Trabalho de historia
 
Idade Média
Idade MédiaIdade Média
Idade Média
 
Barbaros francos carolingios_2010_b
Barbaros francos carolingios_2010_bBarbaros francos carolingios_2010_b
Barbaros francos carolingios_2010_b
 
A expansão dos francos e o império carolíngio.
A expansão dos francos e o império carolíngio.A expansão dos francos e o império carolíngio.
A expansão dos francos e o império carolíngio.
 
A formação do império feudal 7º anos
A formação do império feudal   7º anosA formação do império feudal   7º anos
A formação do império feudal 7º anos
 
3371982 historia-aula-03-alta-idade-media
3371982 historia-aula-03-alta-idade-media3371982 historia-aula-03-alta-idade-media
3371982 historia-aula-03-alta-idade-media
 
Invasesbrbaraseformaodaeuropamoderna 111101132734-phpapp02
Invasesbrbaraseformaodaeuropamoderna 111101132734-phpapp02Invasesbrbaraseformaodaeuropamoderna 111101132734-phpapp02
Invasesbrbaraseformaodaeuropamoderna 111101132734-phpapp02
 
Francos e o império de carlos magno
Francos e o império de carlos magnoFrancos e o império de carlos magno
Francos e o império de carlos magno
 
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
 
Império franco tmp1
Império franco tmp1Império franco tmp1
Império franco tmp1
 
Europa medieval
Europa medievalEuropa medieval
Europa medieval
 
Aula 03 alta idade média
Aula 03   alta idade médiaAula 03   alta idade média
Aula 03 alta idade média
 
1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa
 
Os francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingioOs francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingio
 
Os francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingioOs francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingio
 
Os francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingioOs francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingio
 
Os francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingioOs francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingio
 
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média3˚ano 6 a 8 a alta idade média
3˚ano 6 a 8 a alta idade média
 
Introdução à Idade Média
Introdução à Idade MédiaIntrodução à Idade Média
Introdução à Idade Média
 
A civilização Feudal
A civilização FeudalA civilização Feudal
A civilização Feudal
 

Mais de Giorgia Marrone

História idade média arábes
História idade média arábesHistória idade média arábes
História idade média arábes
Giorgia Marrone
 
História Idade Média Árabes
História Idade Média ÁrabesHistória Idade Média Árabes
História Idade Média Árabes
Giorgia Marrone
 
Geografia cap. 19 a 30
Geografia cap. 19 a 30Geografia cap. 19 a 30
Geografia cap. 19 a 30
Giorgia Marrone
 
A Arte na pré-história brasileira
A Arte na pré-história brasileiraA Arte na pré-história brasileira
A Arte na pré-história brasileira
Giorgia Marrone
 
A Arte na Pré-História
A Arte na Pré-HistóriaA Arte na Pré-História
A Arte na Pré-História
Giorgia Marrone
 
A arte no egito
A arte no egitoA arte no egito
A arte no egito
Giorgia Marrone
 
Geografia cap 1 a 18
Geografia cap 1 a 18Geografia cap 1 a 18
Geografia cap 1 a 18
Giorgia Marrone
 
História (Roma)
História (Roma)História (Roma)
História (Roma)
Giorgia Marrone
 
História (Grécia)
História (Grécia)História (Grécia)
História (Grécia)
Giorgia Marrone
 
Sociologia
SociologiaSociologia
Sociologia
Giorgia Marrone
 

Mais de Giorgia Marrone (10)

História idade média arábes
História idade média arábesHistória idade média arábes
História idade média arábes
 
História Idade Média Árabes
História Idade Média ÁrabesHistória Idade Média Árabes
História Idade Média Árabes
 
Geografia cap. 19 a 30
Geografia cap. 19 a 30Geografia cap. 19 a 30
Geografia cap. 19 a 30
 
A Arte na pré-história brasileira
A Arte na pré-história brasileiraA Arte na pré-história brasileira
A Arte na pré-história brasileira
 
A Arte na Pré-História
A Arte na Pré-HistóriaA Arte na Pré-História
A Arte na Pré-História
 
A arte no egito
A arte no egitoA arte no egito
A arte no egito
 
Geografia cap 1 a 18
Geografia cap 1 a 18Geografia cap 1 a 18
Geografia cap 1 a 18
 
História (Roma)
História (Roma)História (Roma)
História (Roma)
 
História (Grécia)
História (Grécia)História (Grécia)
História (Grécia)
 
Sociologia
SociologiaSociologia
Sociologia
 

Último

A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
marcos oliveira
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 

Último (20)

A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 

História Idade Média (Francos)

  • 1. HISTÓRIAA ALTA IDADE MÉDIA: AS MIGRAÇÕES BÁRBARAS E O REINO DOS FRANCOS.
  • 2. Alta Idade Média: as migrações bárbaras e o Reino dos FrancosA palavra bárbaro tem, historicamente, um significado diferente do atual. Para os romanos, bárbaros eram aqueles povos que não falavam a língua latina e não estavam subordinados ao seu império. Assim, esses povos podem ser definidos como os não romanos, os que se encontravam além das fronteiras romanas.
  • 4. As migrações bárbarasOs imperadores romanos do século IV, lutando contra a decadência do império, permitiram que os povos bárbaros, especialmente os germanos, nele se fixassem como aliados (soldados, colonos, operários, etc.). Mas, além da chegada pacífica, os bárbaros muitas vezes se introduziram no império de forma violenta.
  • 5. As migrações bárbarasAs migrações bárbaras foram seguidas de outras invasões à Europa Ocidental, o que ativou o processo de ruralização que se iniciara no Império Romano. O ápice desse processo foi a montagem da ordem feudal. A partir do século V, o modo de produção feudal foi se impondo cada vez mais até se tornar “alto” – daí a denominação de “Alta Idade Média” dada a esse período.
  • 7. As migrações bárbarasResumindo, seriam as seguintes as conseqüências básicas das migrações bárbaras:Fragmentação do Império RomanoFundação de vários reinos cristãos, com a conversão dos bárbaros.Impulso dado ao feudalismo pelas instituições bárbaras, em virtude da decadência do Império Romano e da ruralização.Abandono da língua latina, substituída pelas línguas bárbaras (francês, inglês, línguas eslavas, etc.).
  • 8. Reino dos FrancosNa fase final do Império Romano, tribos germânicas se instalaram no norte da Itália e no centro atual França, originando o Reino dos Francos, que se tornou o reino mais importante da Alta Idade Média européia, transformando-se num império semelhante ao dos romanos, embora com características bem diversas e comprometido com a formação do feudalismo.Houve duas dinastias (poder pela família) que governou o reino franco: merovíngios e os carolíngios.
  • 10. Os MerovíngiosA primeira dinastia dos francos, os merovíngios, deve seu nome a Meroveu, herói franco na Batalha dos Campos Catalúnicos, contra os hunos de Átila. Contudo, considera-se Clóvis, neto de Meroveu, o responsável pela criação do Estado franco.Clóvis venceu os romanos, os alamanos, os búrgundios e os visigodos, conquistando um vasto território. Após a batalha de Tolbiac, em que venceu os alamanos, Clóvis converteu-se ao cristianismo, sendo batizado na catedral de Reims, por São Remígio. Graças a essa conversão, Clóvis ganhou o apoio do clero católico e da maior parte da população da Gália. Após a sua morte, o reino foi repartido entre os seus herdeiros, até que, com Dagoberto, foi estabelecido que o reino teria sempre um só sucessor.
  • 11. Os MerovíngiosDepois de Dagoberto, os reis francos foram perdendo sua formação e se sujeitando à autonomia dos senhores feudais. Esses reis são conhecidos, na história francesa, como os “reis indolentes”. Nessa época, as rédeas do poder passaram para as mãos dos prefeitos (ou mordomos) do palácio, que eram verdadeiros primeiros-ministros. Entre esses prefeitos destacou-se Carlos Martel, que impediu a expansão dos árabes na Europa, vencendo-os em Poitiers (Pireneus), em 732.
  • 13. Os CarolíngiosO filho de Carlos Martel – Pepino, o Breve – aproveitando-se do prestígio de seu cargo de prefeito e obtendo o apoio do papa, depôs Childerico III, o último soberano merovíngio, no ano de 751. Assim se iniciou a dinastia carolíngia (cujo nome se deve a seu maior expoente, Carlos Magno). Em retribuição ao apoio na luta contra os lombardos, dando ao papado o território de Ravena, com o qual tem início a autoridade temporal do papa.
  • 14. Os CarolíngiosEm 768, Carlos Magno assumiu o trono, tendo governado até 814 e tornando-se o maior imperador da Alta Idade Média. Após expandir as fronteiras do império, Carlos Magno foi coroado, no ano 800, pelo papa Leão III, como imperador do Ocidente, surgindo assim, a idéia do renascimento do Império Romano do Ocidente.Carlos Magno se uniu a igreja, dando terras em troca de aprovação de mais pessoas, deu terras á duques, marquesas e condes, mas eles deveriam contribuir naquela terra. Para vigiar, foi nomeado um “supervisor” chamado – MISSI DOMINICI.
  • 16. A divisão do impérioCom a morte de Carlos Magno, o trono foi ocupado por seu filho, Luís, o Piedoso, que se casou duas vezes, tendo três herdeiros: Luís, o Germânico; Lotário; e Carlos, o Calvo. Em 843, finalmente, pelo Tratado de Verdun, ficou resolvido o problema da partilha do império, que foi dividido em três partes: a Germânia para Luís, a Itália para Lotário (Lotaríngia) e a França para Carlos.
  • 17. A divisão do impérioEm 911, com a ascensão do duque da Saxônia, extinguiu-se na Germânia, a dinastia carolíngia. Em 987, com a coroação de Hugo Capeto, os carolíngios deixaram de reinar na França. Pouco a pouco, o império foi sendo desmembrado, desaparecendo lentamente a obra do seu fundador.Extra do caderno – Feudalismo – “O rei reina, mais não governa”.E a rainha é apenas um símbolo.