SlideShare uma empresa Scribd logo
ANÁLISE DE CONJUNTURA ECONÔMICA1TEMA  : POLÍTICA MONETÁRIA E FISCALO que é ?Para que serve ?Quem faz ?
Abordagem do tema Comitê de Política Monetária –COPOM Criado em 1996
Taxa básica de juros – SELIC- sistema especial de liquidação e custódia.
Definir política monetárias e diretrizes econômicas do país.
 Taxa que os bancos utilizam para tomar decisõesInflação-IPCA : índice de preços ao consumidor amploIBGE
 Perda do valor da moeda no tempo Panorama atualSELICINFLAÇÃO
SELICZoom
SELICÚltima reunião do Copom definiu nova Selic : 12% a.a . Houve um aumento de 25 pontos em relação a última fixaçãoA meta para o fim do ano é de 12,50%.
Por que o BC está elevando a SELIC ? CRESCIMENTO OFERTA CRESCIMENTO DEMANDAA taxa de crescimento da oferta é menor do que a taxa de crescimento da demanda INFLAÇÃO
A oferta Quantidade de bens e serviços que as empresas desejam e podem oferecerMotivos de estar crescendo menos que a demanda :Escassez de mão de obra
Amento no custo de produção
Alto nível da utilização da Capacidade instalada Escassez da mão de obraA queda na taxa de desemprego demonstra que a população economicamente ativa está em crescimento. A capacidade de oferta das empresas tende a se contrair diante deste cenário.
Aumento no custo de produçãoAlta do preço do petróleo
 Aparente fortalecimento da demanda global
 Conflito no Oriente Médio  ( risco / redução da oferta )
 BRENT = +- USD 120 ( atualmente )
Alta do preço das commodities- Alta dos preços de insumos agrícolas e minérios.
Nível da utilização da Capacidade instalada Manter um nível de capacidade instalada alto pode trazer dificuldades para quem quer expandir. A expansão é cada vez mais sofrida a medida que a economia se aproxima da capacidade plena de produção.NUCI de 84,3% em março
O elevado nível de ocupação reflete a expansão recente da atividade econômica, cujos efeitos ainda não foram compensados totalmente pela maturação dos investimentos.A demandaQuantidade que os agentes econômico desejam e podem adquirirMotivos de estar crescendo rápido do que a Oferta : Aumento do consumo
Depreciação do dólarAumento do consumoaumento da renda disponível-Fácil acesso ao crédito -Aumento da renda proveniente do brasileiro.Salário mínimo R$ 545,00. Depreciação do Dólar frente ao real-USD 1 = R$ 1,587Aumento da importações
Ingresso de capital estrangeiro no país.
RESULTADO : aumento da propensão marginal a consumir e a investirDepreciação do DólarDepreciação do Dólar frente ao real-USD 1 = R$ 1,587Aumento da importações
 Ingresso de capital estrangeiro no país.DESAFIOS DA ECONOMIAAumentar os juros   x    Crescimento econômicoAumentar os juros  x atração de inv. Estrangeiros x Inflação
ANÁLISE DE CONJUNTURA ECONÔMICA2TEMA  : POLÍTICA MONETÁRIA E FISCAL
Resumo apresentação passadaINFLAÇÃOSELIC                  xAlta do preço do petróleo
 Aparente fortalecimento da demanda global
 Conflito no Oriente Médio  ( risco / redução da oferta )
 BRENT = +- USD 120 ( atualmente )
Alta do preço das commodities- Alta dos preços de insumos agrícolas e minériosSelic atual : 12% a.a
Atualizações - INFLAÇÃOO Brasil pretende conter a inflação sem prejudicar o crescimento econômicoA Dilma afirma que é possível garantir o crescimento em ritmo elevado e manter a inflação sob controle.COMO?-"o governo está atento a todas as pressões inflacionárias“-"O Banco Central e a Fazenda estão trabalhando para o retorno da inflação ao centro da meta no menor prazo possível“-Ponto chave = Aumento da capacidade produtiva do País – aumento da oferta- SERÁ MESMO POSSÍVEL ?
Atualizações - INFLAÇÃOInflação deverá apresentar taxas menores a partir de maioPico da inflação em 2011 ocorreu em abril, quando o IPCA subiu 0,77% e o acumulado em 12 meses fechou em 6,51%.
 Além de efeitos sazonais que deverão contribuir para puxar a inflação para baixo, os preços das commodities também deverão desacelerar, seguindo movimento registrado em abril, quando o IC-Br recuou 1,64%.
 O último relatório Focus mostrou redução da mediana das expectativas para o IPCA de 2011, de 6,37% para 6,33%.Atualizações - INFLAÇÃOMudança do perfil da inflaçãoSetor serviços > Cabeleireiros, médicos, dentistas, empregados domésticos, refeição fora de casa e tudo aquilo que é oferecido no mercado sem ser estocável- MOTIVO ÚNICO: pressões de demanda -> somente uma demanda menos aquecida é, em tese, capaz de forçar o estreitamento das margens do negócio e a estabilidade ou mesmo redução dos preços.
Incerteza da INFLAÇÃOInflação para o final do ano é uma incógnitaA inflação no curto prazo deve diminuir de ritmo; mas o cenário inflacionário para os últimos meses deste ano ainda é uma incógnita.
 No longo prazo existem dúvidas.-A recente mudança de discurso do Banco Central, indicando uma postura mais dura em relação à inflação, deu espaço para que o prognóstico para o IPCA recuasse no Focus, mostrando um mercado mais confiante na estratégia da política monetária.
Indicador de riscoInadimplência do consumidor sobe 1,5% em abrilNa comparação a abril de 2010, a inadimplência aumentou 17,3% , Serasa.
 Ascensão classe C

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Macroeconomia -aula 1
Macroeconomia -aula  1Macroeconomia -aula  1
Macroeconomia -aula 1
Na Silva
 
Introdução à Macroeconomia
Introdução à MacroeconomiaIntrodução à Macroeconomia
Introdução à Macroeconomia
Yuri Silver
 
Slide unid 1-_nocoes_fin_e_econ_-__merc_capitais (1)
Slide unid 1-_nocoes_fin_e_econ_-__merc_capitais (1)Slide unid 1-_nocoes_fin_e_econ_-__merc_capitais (1)
Slide unid 1-_nocoes_fin_e_econ_-__merc_capitais (1)
José Mota
 
Fundamentos da teor. macr aula 1
Fundamentos da teor. macr aula 1Fundamentos da teor. macr aula 1
Fundamentos da teor. macr aula 1
Joao Paulo
 
Crescimento e Desenvolvimento Econômico
Crescimento e Desenvolvimento EconômicoCrescimento e Desenvolvimento Econômico
Crescimento e Desenvolvimento Econômico
Yuri Silver
 
políticas monetária, fiscal, cambial e de rendas
políticas monetária, fiscal, cambial e de rendaspolíticas monetária, fiscal, cambial e de rendas
políticas monetária, fiscal, cambial e de rendas
Marcos Matos
 
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2) SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
Kelly Ariane Buás Bráz
 
Macroeconomia resumo
Macroeconomia resumoMacroeconomia resumo
Macro, politicas inflacionarias.
Macro, politicas inflacionarias.Macro, politicas inflacionarias.
Macro, politicas inflacionarias.
Centro Universitário Una
 
Apresentação politica monetária
Apresentação politica monetáriaApresentação politica monetária
Apresentação politica monetária
Ivanildo Moreira
 
Resumo+de+macroeconomia
Resumo+de+macroeconomiaResumo+de+macroeconomia
Resumo+de+macroeconomia
bergerbird
 
Indicadores econômicos
Indicadores econômicosIndicadores econômicos
Indicadores econômicos
Suzana Dias
 
Principais Indicadores econômicos para microempreendedores
Principais Indicadores  econômicos para microempreendedoresPrincipais Indicadores  econômicos para microempreendedores
Principais Indicadores econômicos para microempreendedores
MarinaContabil
 
Política fiscal e monetária
Política fiscal e monetáriaPolítica fiscal e monetária
Política fiscal e monetária
Eva Eugenio Santana
 
Trabalho de economia - Setor Público
Trabalho de economia - Setor PúblicoTrabalho de economia - Setor Público
Trabalho de economia - Setor Público
Ismael Paulo Santos
 
O Que é a Macroeconomia?
O Que é a Macroeconomia?O Que é a Macroeconomia?
O Que é a Macroeconomia?
elliando dias
 
Economia aula 4 - introdução à macroeconomia
Economia   aula 4 - introdução à macroeconomiaEconomia   aula 4 - introdução à macroeconomia
Economia aula 4 - introdução à macroeconomia
Felipe Leo
 
Saldo da balança de pagamentos portuguesa
Saldo da balança de pagamentos portuguesaSaldo da balança de pagamentos portuguesa
Saldo da balança de pagamentos portuguesa
Raffaella Ergün
 
O Setor Público
O Setor PúblicoO Setor Público
O Setor Público
Yuri Silver
 
Políticas eco
Políticas ecoPolíticas eco
Políticas eco
simuladocontabil
 

Mais procurados (20)

Macroeconomia -aula 1
Macroeconomia -aula  1Macroeconomia -aula  1
Macroeconomia -aula 1
 
Introdução à Macroeconomia
Introdução à MacroeconomiaIntrodução à Macroeconomia
Introdução à Macroeconomia
 
Slide unid 1-_nocoes_fin_e_econ_-__merc_capitais (1)
Slide unid 1-_nocoes_fin_e_econ_-__merc_capitais (1)Slide unid 1-_nocoes_fin_e_econ_-__merc_capitais (1)
Slide unid 1-_nocoes_fin_e_econ_-__merc_capitais (1)
 
Fundamentos da teor. macr aula 1
Fundamentos da teor. macr aula 1Fundamentos da teor. macr aula 1
Fundamentos da teor. macr aula 1
 
Crescimento e Desenvolvimento Econômico
Crescimento e Desenvolvimento EconômicoCrescimento e Desenvolvimento Econômico
Crescimento e Desenvolvimento Econômico
 
políticas monetária, fiscal, cambial e de rendas
políticas monetária, fiscal, cambial e de rendaspolíticas monetária, fiscal, cambial e de rendas
políticas monetária, fiscal, cambial e de rendas
 
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2) SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
 
Macroeconomia resumo
Macroeconomia resumoMacroeconomia resumo
Macroeconomia resumo
 
Macro, politicas inflacionarias.
Macro, politicas inflacionarias.Macro, politicas inflacionarias.
Macro, politicas inflacionarias.
 
Apresentação politica monetária
Apresentação politica monetáriaApresentação politica monetária
Apresentação politica monetária
 
Resumo+de+macroeconomia
Resumo+de+macroeconomiaResumo+de+macroeconomia
Resumo+de+macroeconomia
 
Indicadores econômicos
Indicadores econômicosIndicadores econômicos
Indicadores econômicos
 
Principais Indicadores econômicos para microempreendedores
Principais Indicadores  econômicos para microempreendedoresPrincipais Indicadores  econômicos para microempreendedores
Principais Indicadores econômicos para microempreendedores
 
Política fiscal e monetária
Política fiscal e monetáriaPolítica fiscal e monetária
Política fiscal e monetária
 
Trabalho de economia - Setor Público
Trabalho de economia - Setor PúblicoTrabalho de economia - Setor Público
Trabalho de economia - Setor Público
 
O Que é a Macroeconomia?
O Que é a Macroeconomia?O Que é a Macroeconomia?
O Que é a Macroeconomia?
 
Economia aula 4 - introdução à macroeconomia
Economia   aula 4 - introdução à macroeconomiaEconomia   aula 4 - introdução à macroeconomia
Economia aula 4 - introdução à macroeconomia
 
Saldo da balança de pagamentos portuguesa
Saldo da balança de pagamentos portuguesaSaldo da balança de pagamentos portuguesa
Saldo da balança de pagamentos portuguesa
 
O Setor Público
O Setor PúblicoO Setor Público
O Setor Público
 
Políticas eco
Políticas ecoPolíticas eco
Políticas eco
 

Semelhante a Grupo 3 apresentacão junta

Calendário Econômico Pine: Um pouco de tudo
Calendário Econômico Pine: Um pouco de tudoCalendário Econômico Pine: Um pouco de tudo
Calendário Econômico Pine: Um pouco de tudo
Banco Pine
 
Apresentação Seminário Economia
Apresentação Seminário EconomiaApresentação Seminário Economia
Apresentação Seminário Economia
Associação Comercial de São Paulo
 
11º Simpovidro Abravidro - Palestra de Gustavo Loyola - "Perspectivas da econ...
11º Simpovidro Abravidro - Palestra de Gustavo Loyola - "Perspectivas da econ...11º Simpovidro Abravidro - Palestra de Gustavo Loyola - "Perspectivas da econ...
11º Simpovidro Abravidro - Palestra de Gustavo Loyola - "Perspectivas da econ...
Abravidro
 
Boletim 41 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 41 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 41 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 41 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
economiaufes
 
Boletim 39 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 39 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 39 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 39 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
economiaufes
 
Gestão de investimento 2 cef
Gestão de investimento 2   cefGestão de investimento 2   cef
Gestão de investimento 2 cef
APEPREM
 
Orientações Para Gestão de Investimentos
Orientações Para Gestão de InvestimentosOrientações Para Gestão de Investimentos
Orientações Para Gestão de Investimentos
APEPREM
 
Acoi Expert Network Quarterly Q1 2013
Acoi Expert Network Quarterly Q1 2013Acoi Expert Network Quarterly Q1 2013
Acoi Expert Network Quarterly Q1 2013
Fernando Moura
 
130319 alberto-pessina-01
130319 alberto-pessina-01130319 alberto-pessina-01
130319 alberto-pessina-01
AgroTalento
 
Informe Conjuntural do 3º trimestre | Setembro 2012
Informe Conjuntural do 3º trimestre | Setembro 2012Informe Conjuntural do 3º trimestre | Setembro 2012
Informe Conjuntural do 3º trimestre | Setembro 2012
Confederação Nacional da Indústria
 
Relatório de alocação maio - macro
Relatório de alocação   maio - macroRelatório de alocação   maio - macro
Relatório de alocação maio - macro
Eugenio Lysei
 
Apresentação Ciesp
Apresentação CiespApresentação Ciesp
Apresentação Ciesp
ciespjacarei
 
Apresentação do Informe Conjuntural | 3º trimestre/2011
Apresentação do Informe Conjuntural | 3º trimestre/2011Apresentação do Informe Conjuntural | 3º trimestre/2011
Apresentação do Informe Conjuntural | 3º trimestre/2011
Confederação Nacional da Indústria
 
Boletim 31 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 31 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 31 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 31 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
economiaufes
 
Apresentação - Relatório de Inflação de 24 de Setembro de 2015
Apresentação - Relatório de Inflação de 24 de Setembro de 2015Apresentação - Relatório de Inflação de 24 de Setembro de 2015
Apresentação - Relatório de Inflação de 24 de Setembro de 2015
DenizecomZ
 
Todas apresentacoes grupo 6
Todas apresentacoes grupo 6Todas apresentacoes grupo 6
Todas apresentacoes grupo 6
julianazaponi
 
Relatório economia 2011
Relatório economia 2011Relatório economia 2011
Relatório economia 2011
hasaverus
 
Relatório de alocação março - macro vf
Relatório de alocação   março - macro vfRelatório de alocação   março - macro vf
Relatório de alocação março - macro vf
Eugenio Lysei
 
Boletim depe 03_maio_2016
Boletim depe 03_maio_2016Boletim depe 03_maio_2016
Boletim depe 03_maio_2016
Fabrício Machado
 
Cenário Econômico Brasileiro e Global 2022 Pós COVID.pdf
Cenário Econômico Brasileiro e Global 2022 Pós COVID.pdfCenário Econômico Brasileiro e Global 2022 Pós COVID.pdf
Cenário Econômico Brasileiro e Global 2022 Pós COVID.pdf
Fabio Castelo Branco
 

Semelhante a Grupo 3 apresentacão junta (20)

Calendário Econômico Pine: Um pouco de tudo
Calendário Econômico Pine: Um pouco de tudoCalendário Econômico Pine: Um pouco de tudo
Calendário Econômico Pine: Um pouco de tudo
 
Apresentação Seminário Economia
Apresentação Seminário EconomiaApresentação Seminário Economia
Apresentação Seminário Economia
 
11º Simpovidro Abravidro - Palestra de Gustavo Loyola - "Perspectivas da econ...
11º Simpovidro Abravidro - Palestra de Gustavo Loyola - "Perspectivas da econ...11º Simpovidro Abravidro - Palestra de Gustavo Loyola - "Perspectivas da econ...
11º Simpovidro Abravidro - Palestra de Gustavo Loyola - "Perspectivas da econ...
 
Boletim 41 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 41 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 41 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 41 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
 
Boletim 39 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 39 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 39 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 39 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
 
Gestão de investimento 2 cef
Gestão de investimento 2   cefGestão de investimento 2   cef
Gestão de investimento 2 cef
 
Orientações Para Gestão de Investimentos
Orientações Para Gestão de InvestimentosOrientações Para Gestão de Investimentos
Orientações Para Gestão de Investimentos
 
Acoi Expert Network Quarterly Q1 2013
Acoi Expert Network Quarterly Q1 2013Acoi Expert Network Quarterly Q1 2013
Acoi Expert Network Quarterly Q1 2013
 
130319 alberto-pessina-01
130319 alberto-pessina-01130319 alberto-pessina-01
130319 alberto-pessina-01
 
Informe Conjuntural do 3º trimestre | Setembro 2012
Informe Conjuntural do 3º trimestre | Setembro 2012Informe Conjuntural do 3º trimestre | Setembro 2012
Informe Conjuntural do 3º trimestre | Setembro 2012
 
Relatório de alocação maio - macro
Relatório de alocação   maio - macroRelatório de alocação   maio - macro
Relatório de alocação maio - macro
 
Apresentação Ciesp
Apresentação CiespApresentação Ciesp
Apresentação Ciesp
 
Apresentação do Informe Conjuntural | 3º trimestre/2011
Apresentação do Informe Conjuntural | 3º trimestre/2011Apresentação do Informe Conjuntural | 3º trimestre/2011
Apresentação do Informe Conjuntural | 3º trimestre/2011
 
Boletim 31 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 31 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 31 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 31 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
 
Apresentação - Relatório de Inflação de 24 de Setembro de 2015
Apresentação - Relatório de Inflação de 24 de Setembro de 2015Apresentação - Relatório de Inflação de 24 de Setembro de 2015
Apresentação - Relatório de Inflação de 24 de Setembro de 2015
 
Todas apresentacoes grupo 6
Todas apresentacoes grupo 6Todas apresentacoes grupo 6
Todas apresentacoes grupo 6
 
Relatório economia 2011
Relatório economia 2011Relatório economia 2011
Relatório economia 2011
 
Relatório de alocação março - macro vf
Relatório de alocação   março - macro vfRelatório de alocação   março - macro vf
Relatório de alocação março - macro vf
 
Boletim depe 03_maio_2016
Boletim depe 03_maio_2016Boletim depe 03_maio_2016
Boletim depe 03_maio_2016
 
Cenário Econômico Brasileiro e Global 2022 Pós COVID.pdf
Cenário Econômico Brasileiro e Global 2022 Pós COVID.pdfCenário Econômico Brasileiro e Global 2022 Pós COVID.pdf
Cenário Econômico Brasileiro e Global 2022 Pós COVID.pdf
 

Último

Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
Daniel273024
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
GrazielaTorrezan
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Mary Alvarenga
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
menesabi
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 

Último (20)

Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 

Grupo 3 apresentacão junta

  • 1. ANÁLISE DE CONJUNTURA ECONÔMICA1TEMA : POLÍTICA MONETÁRIA E FISCALO que é ?Para que serve ?Quem faz ?
  • 2. Abordagem do tema Comitê de Política Monetária –COPOM Criado em 1996
  • 3. Taxa básica de juros – SELIC- sistema especial de liquidação e custódia.
  • 4. Definir política monetárias e diretrizes econômicas do país.
  • 5. Taxa que os bancos utilizam para tomar decisõesInflação-IPCA : índice de preços ao consumidor amploIBGE
  • 6. Perda do valor da moeda no tempo Panorama atualSELICINFLAÇÃO
  • 8. SELICÚltima reunião do Copom definiu nova Selic : 12% a.a . Houve um aumento de 25 pontos em relação a última fixaçãoA meta para o fim do ano é de 12,50%.
  • 9. Por que o BC está elevando a SELIC ? CRESCIMENTO OFERTA CRESCIMENTO DEMANDAA taxa de crescimento da oferta é menor do que a taxa de crescimento da demanda INFLAÇÃO
  • 10. A oferta Quantidade de bens e serviços que as empresas desejam e podem oferecerMotivos de estar crescendo menos que a demanda :Escassez de mão de obra
  • 11. Amento no custo de produção
  • 12. Alto nível da utilização da Capacidade instalada Escassez da mão de obraA queda na taxa de desemprego demonstra que a população economicamente ativa está em crescimento. A capacidade de oferta das empresas tende a se contrair diante deste cenário.
  • 13. Aumento no custo de produçãoAlta do preço do petróleo
  • 14. Aparente fortalecimento da demanda global
  • 15. Conflito no Oriente Médio ( risco / redução da oferta )
  • 16. BRENT = +- USD 120 ( atualmente )
  • 17. Alta do preço das commodities- Alta dos preços de insumos agrícolas e minérios.
  • 18. Nível da utilização da Capacidade instalada Manter um nível de capacidade instalada alto pode trazer dificuldades para quem quer expandir. A expansão é cada vez mais sofrida a medida que a economia se aproxima da capacidade plena de produção.NUCI de 84,3% em março
  • 19. O elevado nível de ocupação reflete a expansão recente da atividade econômica, cujos efeitos ainda não foram compensados totalmente pela maturação dos investimentos.A demandaQuantidade que os agentes econômico desejam e podem adquirirMotivos de estar crescendo rápido do que a Oferta : Aumento do consumo
  • 20. Depreciação do dólarAumento do consumoaumento da renda disponível-Fácil acesso ao crédito -Aumento da renda proveniente do brasileiro.Salário mínimo R$ 545,00. Depreciação do Dólar frente ao real-USD 1 = R$ 1,587Aumento da importações
  • 21. Ingresso de capital estrangeiro no país.
  • 22. RESULTADO : aumento da propensão marginal a consumir e a investirDepreciação do DólarDepreciação do Dólar frente ao real-USD 1 = R$ 1,587Aumento da importações
  • 23. Ingresso de capital estrangeiro no país.DESAFIOS DA ECONOMIAAumentar os juros x Crescimento econômicoAumentar os juros x atração de inv. Estrangeiros x Inflação
  • 24. ANÁLISE DE CONJUNTURA ECONÔMICA2TEMA : POLÍTICA MONETÁRIA E FISCAL
  • 25. Resumo apresentação passadaINFLAÇÃOSELIC xAlta do preço do petróleo
  • 26. Aparente fortalecimento da demanda global
  • 27. Conflito no Oriente Médio ( risco / redução da oferta )
  • 28. BRENT = +- USD 120 ( atualmente )
  • 29. Alta do preço das commodities- Alta dos preços de insumos agrícolas e minériosSelic atual : 12% a.a
  • 30. Atualizações - INFLAÇÃOO Brasil pretende conter a inflação sem prejudicar o crescimento econômicoA Dilma afirma que é possível garantir o crescimento em ritmo elevado e manter a inflação sob controle.COMO?-"o governo está atento a todas as pressões inflacionárias“-"O Banco Central e a Fazenda estão trabalhando para o retorno da inflação ao centro da meta no menor prazo possível“-Ponto chave = Aumento da capacidade produtiva do País – aumento da oferta- SERÁ MESMO POSSÍVEL ?
  • 31. Atualizações - INFLAÇÃOInflação deverá apresentar taxas menores a partir de maioPico da inflação em 2011 ocorreu em abril, quando o IPCA subiu 0,77% e o acumulado em 12 meses fechou em 6,51%.
  • 32. Além de efeitos sazonais que deverão contribuir para puxar a inflação para baixo, os preços das commodities também deverão desacelerar, seguindo movimento registrado em abril, quando o IC-Br recuou 1,64%.
  • 33. O último relatório Focus mostrou redução da mediana das expectativas para o IPCA de 2011, de 6,37% para 6,33%.Atualizações - INFLAÇÃOMudança do perfil da inflaçãoSetor serviços > Cabeleireiros, médicos, dentistas, empregados domésticos, refeição fora de casa e tudo aquilo que é oferecido no mercado sem ser estocável- MOTIVO ÚNICO: pressões de demanda -> somente uma demanda menos aquecida é, em tese, capaz de forçar o estreitamento das margens do negócio e a estabilidade ou mesmo redução dos preços.
  • 34. Incerteza da INFLAÇÃOInflação para o final do ano é uma incógnitaA inflação no curto prazo deve diminuir de ritmo; mas o cenário inflacionário para os últimos meses deste ano ainda é uma incógnita.
  • 35. No longo prazo existem dúvidas.-A recente mudança de discurso do Banco Central, indicando uma postura mais dura em relação à inflação, deu espaço para que o prognóstico para o IPCA recuasse no Focus, mostrando um mercado mais confiante na estratégia da política monetária.
  • 36. Indicador de riscoInadimplência do consumidor sobe 1,5% em abrilNa comparação a abril de 2010, a inadimplência aumentou 17,3% , Serasa.
  • 39. Inflação = menor poder de compra = maior endividamentoAtitudesGoverno forçará BR a reduzir preço dos combustíveis em até 10% COMO ? Entrada de dólarPaís recebeu US$ 3,6 bi até maio O fluxo cambial em maio, até o último dia 6, foi positivo para o Brasil em US$ 3,595 bilhões. O resultado provém das exportações de US$ 6,437 bilhões e importações de US$ 3,604 bilhões.Evolução PIB
  • 40. ANÁLISE DE CONJUNTURA ECONÔMICA2TEMA : POLÍTICA MONETÁRIA E FISCAL
  • 41. Análise da Ata do Copom20/04/2011 – Realização do ComitêInflaçãoAtividade econômicaDesempregoComércioCapacidade instaladaBalança comercialPetróleoPolítica monetáriaAversão ao riscoRelatório Focus
  • 42. INFLAÇÃOIPCAMarço : 0,79%Abril : 0,80%Focus Maio : 0,48%Focus Junho : 0,11%Focus 2011 : 6,23%Focus 2012 :5,10%Serviços e bens de consumo.
  • 43. Resultado dos preços livres.ATIVIDADE ECONÔMICAIBC-Br : incorpora estimativa para a produção mensal dos três setores da economia.IBC-Br Janeiro : 0,70%IBC-Br Fevereiro : + 0,30%Acumulado 12 meses ( fevereiro ) : 7,3%Previsão sustentávelDESEMPREGOPesquisa Mensal de Emprego (PME)- Para 6,5% em março de 2011, inferior aos 7,6% registrados em março de 2010.
  • 44. COMÉRCIOPesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada pelo IBGE.Crescendo desde maio de 2009.Previsão : crescimento-> massa salarial real->confiança dos consumidores ->expansão ainda mais moderada do crédito
  • 45. CAPACIDADE INSTALADANível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci)Passou de 83,7% em fevereiro para 83,5% em março.bens de consumo e de materiais de construção apresentaram igual redução setores de bens de capital e de bens intermediários apresentaram estabilidade.
  • 46. BALANÇA COMERCIALFev US$21,6 bilhões -> Mar US$22,5.Exportações de US$213,9 bilhões e importações de US$191,4 bilhões.
  • 47. ECONOMIA GLOBALHá evidência, entretanto, de moderação da atividade na margem, face aos desenvolvimentos no Japão, às continuadas incertezas sobre o mercado de trabalho americano, e às pressões sobre os preços internacionais do petróleo.
  • 48. PETRÓLEOAlta generalizadaAumento da demanda global – desenvolvimento.instabilidade política no Oriente Médio
  • 49. POLÍTICA MONETÁRIAFoco Atual : metas para a inflação !Taxas de inflação elevadas levam ao aumento dos prêmios de risco e encurtamento dos horizontes econômicos.Reduzem investimentos
  • 50. AVERSÃO AO RISCONesse período, mantiveram-se altas as preocupações com dívidas de países e de bancos europeus e com a possibilidade de desaceleração na China.Observou-se recuo nos preços de importantes commodities, notadamente agrícolas e, ao mesmo tempo, depreciação da moeda norte‑americana.Redução InvestimentoMoody`s / Fitch