SlideShare uma empresa Scribd logo
Fora da Caridade não há Salvação
           ESE - Cap.XV
• O amor que move a vontade, busca do bem de
 outrem;


• Prática da Caridade, Beneficência, Filantropia
 e Complacência;


• Uma das três virtudes teologais ( Fé,
 Esperança e CARIDADE).
O Verdadeiro Sentido da Palavra Caridade
• Traduz-se na
 benevolência para com
 todos, na indulgência
 para com as
 imperfeições alheias e
 no perdão das ofensas
 recebidas;


• Tem-se então que
 caridade é a expressão
 maior do amor pelo
 semelhante.
Extensão da Lei de Justiça
• O amor ao próximo significa fazer-lhe todo o bem que
  cada um gostaria que lhe fosse feito;


• “Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei”. Este
  preceito manifesta-se tanto na prática da caridade
  material quanto na caridade moral.


• Muito embora o dever de todos seja o exercício
  constante de ambas, a caridade moral é mais difícil e,
  portanto, mais meritória que a caridade simplesmente
  material, porque exige de quem a pratica o verdadeiro
  sentimento de fraternidade, espírito de renúncia e
Abrangência da Caridade
Não se limita apenas aos aspectos materiais,
mas abrange em sua essência a vida de
relação em todos os pormenores da uma
estrutura social, fundamentando-se a partir de
algumas atitudes:
Indulgência
É a tolerância, a compreensão para com os defeitos
do próximo, sem humilhar ou constranger também
aquele que está em posição inferior, pois qualquer
que seja nosso grau de evolução, estamos sempre
colocados entre um superior que nos guia e nos
aperfeiçoa, e um inferior, perante o qual temos
deveres a cumprir.

 Não cabe a ninguém atirar a primeira pedra, pois
todos são devedores, todos têm defeitos a corrigir,
tentações a vencer hábitos a modificar ;
Benevolência
• É a boa vontade em ajudar
 desinteressadamente os que precisam de
 ajuda, com verdadeiro afeto aos seus
 problemas;


• É saber falar e ouvir, dando ânimo àquele que
 desfalece, ressaltando suas qualidades ao
 invés de apontar seus erros;
Considerar todos os indivíduos
como dignos de ser amados
• Este sentimento, sem apego nem gerador de
 emoções perturbadoras, desarma o indivíduo;


• Uma visão favorável sobre alguém dilui as
  nuvens densas que lhe obscurecem a
  personalidade, facultando um relacionamento
  positivo;
• A não-reação à agressividade do outro
  desmantela-lhe a couraça de prepotência, na
  qual se oculta.
Perdão

• No mais amplo sentido de esquecimento da falta
  recebida;


• Perdoar cada ofensa quantas vezes se fizer
  necessário.


• Perdoar significa não somente esquecer o mal
  recebido, mas também não desejar nenhum mal a
  quem o pratica, inclusive aos “inimigos”, dos quais
  não se deve guardar rancor ou desejo de vingança,
  mas procurar ajudar para que possam reparar os
Aplicar a compaixão quando agredido

• A compaixão dinâmica, aquela que vai além da
  piedade buscando ajudar o infrator, expressa
  bondade e se enriquece de paixão participativa, que
  levanta o caído, embora seja ele o perturbador.


• O amor é o antídoto mais eficaz contra quaisquer
  males.


• O amor instaura a paz e irradia a confiança, promove
  a não-violência e estabelece a fraternidade que une e
Identificar e estimular os traços de
bondade do caráter alheio
• Não há solo, por mais agreste, que, tratado, não
  permita o vicejar de plantas;


• A maldade sistemática, a impiedade, o temperamento
  hostil revelam as personalidades doentes da alma,
  que necessitam de ajuda, ao invés de reprovação;


• A bondade, neles latente, aguarda o momento de se
  manifestar e predominar mudando-lhes o
  comportamento.
“Amai os vossos inimigos”
• Amar os inimigos da maneira como ensinou Jesus, é
  perdoar-lhes e pagar-lhes o mal com o bem;


• Esta é a verdadeira caridade que caracteriza o
  homem de bem;
• Podemos nos reconciliar com os nossos adversários,
  em espírito, orando por eles e amparando-os, por via
  indireta, a fim de que se valorizem para o bem geral
  nas tarefas que a vida lhes reservou;


• Se do balanço de consciência estivermos em débito
  para com os outros, tenhamos suficiente coragem de
  solicitar-lhes desculpas, diligenciando a sanar a falta
  cometida e articulando serviço que nos evidencie o
Amor e Caridade

• É prover as necessidades dos mais fracos,
 sem que estes se sintam humilhados pela sua
 inferioridade.


• A esmola em si não é um ato passível de
 reprovação, mas sim o modo como ela é
 praticada.
Várias maneiras de se fazer a caridade

•   Ligar o benfeitor ao beneficiado;
•   Sendo uns indulgentes para com os outros;
•   Perdoando-se mutuamente as fraquezas;
•   Cuidando não ferir o amor próprio de ninguém;
•   Respeitando as opiniões contrárias às nossas,
    esclarecendo sem os chocar, sem investir
    contra as suas convicções e demonstrando
    amavelmente, através de seus atos, o modo
    correto de proceder.
Nas sendas do mundo...
• Caridade e humildade, tal a senda única da
 salvação. Egoísmo e orgulho, tal a da perdição;




• Caridade não é tão somente a divina virtude, é
 também o sistema contábil do Universo, que
 nos permite a felicidade de auxiliar para
 sermos auxiliados.
Caridade, segundo São Paulo
• Ainda que eu falasse todas as línguas dos homens e
  mesmo a língua dos anjos, se não tivesse caridade,
  seria como o metal que soa ou como o sino que tine;


• A caridade é paciente; não é invejosa, não obra
  temerária nem precipitadamente, não se
  ensoberbece, não é ambiciosa, não busca os seus
  próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal,
  não folga com a injustiça, mas folga com a verdade.
  Tudo tolera, tudo crê, tudo espera, tudo sofre ( ESE,
  Cap. XV, item 6).
DEUS E
         CARIDADE
• Compadecendo-se de nossa ignorância, a
 Divina Providência deliberou enviar alguém
 que nos instruísse nos caminhos da elevação,
 e Jesus, veio em pessoa explicar-nos que
 Deus não nos pede nem adulações e nem
 pompas, nem vítimas e nem holocaustos, e sim
 o coração inflamado de fraternidade, a serviço
 do bem, para que a Terra se abra, enfim, à
 gloria e à felicidade do Seu Reino.
Por isso o Mestre ensinou:
• Esmerou-se a ensinar a união com Deus acima
 de tudo;


• Socorro aos necessitados;

• Esperança aos tristes;

• Amparo aos enfermos;
Desde então, a renovadora luz do
meigo Mestre Nazareno...
• Clareou o espírito das nações e a Humanidade
 começou a compreender que Deus, o Pai Justo
 e Misericordioso, a ninguém exclui de Sua
 Bênção e que a todos nos espera hoje ou mais
 tarde...


• Como filhos bem-amados, unidos na condição
 de verdadeiros irmãos uns dos outros.
Vivenciando o Evangelho de
Jesus...
• É por isso que, em todos os
 países e em todas as crenças,
 em todos templos e em todos
 os lares da Terra, onde se
 pratique realmente o Evangelho
 de Jesus, o culto à Providência
 Divina começa com a caridade.
Bem-aventurado aquele que dá de
si próprio...
• Feliz daquele que destaca uma parcela do que
 possui, a benefício dos semelhantes!


• Há um encanto particular em sermos
 protagonistas ou colaboradores efetivos das
 vitórias do próximo. Em muitas ocasiões, não
 há melhor estimulante à vida e ao trabalho.
Semeie sacrifícios e colha
  sorrisos.
• Tome a iniciativa de
 oferecer a sua hora e
 outros virão
 espontaneamente trazer
 dias e dias de apoio ao
 trabalho em que você se
 empenhou.
Experimente
• Desencadeie a causa
 do bem e o bem
 responderá
 mecanicamente com
 seus admiráveis
 efeitos.
Pré-requisitos para realizar a
    caridade moral:
• Em primeiro lugar conhecer a necessidade de
 realizar essa caridade, com a vontade, que é o
 primeiro passo, começaremos a exercitá-la;


• Primeiro em casa, com os nossos familiares,
 aprendendo a calar, compreendendo a
 situação de cada um, sendo tolerante,
 indulgente, compreensivo, ou seja, amigo
 daquele que provoca a crise moral dentro de
Pré-requisito...
Nós já o temos, que é o sentimento, é o
desejo de progresso espiritual, são nossas
potências, a vontade é uma delas.

O conhecimento ajuda,pois nos mostra que
temos o dever de sermos caridosos com o
próximo, pois é assim que desejamos que o
próximo seja conosco.
O Espiritismo nos ensina que existe
dois tipos de caridade:
• Paulo, o apóstolo, deixa a entender que
 caridade é um conjunto de valores morais que
 o homem precisa adquirir;


• Pelo estudo, nós vamos nos conscientizando
 dos conceitos que espiritualizam a vida e
 através do trabalho, nós colocamos em prática
 essas lições. Esta é a Caridade Moral.
Inter-relacionamento entre caridade material e moral


• Quando nos esclarecemos
  acerca de quem somos, de
  onde viemos, o que fazemos
  no mundo e para onde vamos
  depois da morte, estamos nos
  espiritualizando.


• Para compreender os nobres
  propósitos da vida,
  entendemos nosso dever de
  ajudar materialmente os que
  são menos favorecidos do
  que nós. Esta é a caridade
  material.
A caridade material na casa espírita deve sempre ser
acompanhada de mensagens e ensinamentos
evangélicos de cunho espírita , mesmo se os assistidos
professarem outra religião?

  Sim, deve. Junto ao alimento material que vai
  satisfazer as suas necessidades, ele receberá
  o esclarecimento da sua vida de espírito e
  poderá, com o tempo e sentindo a
  necessidade, fazer uso desse ensinamento. Se
  ele não fizer, pelo menos fizemos a nossa
  parte. Disse o Cristo: “Conhecereis a verdade e
  a verdade vos libertará”.
A caridade e o progresso:
• O nosso progresso é lento, diz-se:”a natureza não dá saltos.”
  Hoje, após o conhecimento de que somos irmãos e devemos
  nos amar, ainda está ao nível da nossa razão;


• Temos que pensar primeiro antes de agir. Quando alguém nos
  esquentar, antes de explodirmos, devemos parar e pensar,
  pois ainda estamos em aprendizado;


• Quando estivermos com o aprendizado feito, depois de muitas,
  milhares de vezes que experimentamos, vivenciando o convívio
  com o próximo, estaremos com a nossa atitude automatizada;


• Isto significa que não pensaremos mais antes de agir. A ação
  dirigida ao próximo será espontânea, natural, pois já há
  assimilação do conhecimento. Todos sem exceção, passam
Que a Paz Celeste continue com todos!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Infortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestraInfortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestra
Débora Homobono
 
Laços familia
Laços familiaLaços familia
Laços familia
Marilice Passos
 
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRiosReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
Grupo Espírita Cristão
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
home
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
Graça Maciel
 
Palestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciênciaPalestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciência
Divulgador do Espiritismo
 
Ser Espirita
Ser EspiritaSer Espirita
Ser Espirita
Ricardo Azevedo
 
A vida futura
A vida futuraA vida futura
A vida futura
Marcos Accioly
 
Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
A lei de amor ppt
A lei de amor pptA lei de amor ppt
A lei de amor ppt
Silvânio Barcelos
 
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DORO CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
Jorge Luiz dos Santos
 
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIVHonrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
Fábio Paiva
 
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon pptNão se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
Silvânio Barcelos
 
Fora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvaçãoFora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvação
Anderson Dias
 
Cuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espíritoCuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espírito
Izabel Cristina Fonseca
 
Bem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiososBem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiosos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espíritaMaria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
Fábio Paiva
 
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Izabel Cristina Fonseca
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
Izabel Cristina Fonseca
 
O maior mandamento
O maior mandamentoO maior mandamento
O maior mandamento
Lorena Dias
 

Mais procurados (20)

Infortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestraInfortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestra
 
Laços familia
Laços familiaLaços familia
Laços familia
 
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRiosReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
 
Palestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciênciaPalestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciência
 
Ser Espirita
Ser EspiritaSer Espirita
Ser Espirita
 
A vida futura
A vida futuraA vida futura
A vida futura
 
Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
 
A lei de amor ppt
A lei de amor pptA lei de amor ppt
A lei de amor ppt
 
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DORO CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
 
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIVHonrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
 
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon pptNão se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
 
Fora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvaçãoFora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvação
 
Cuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espíritoCuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espírito
 
Bem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiososBem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiosos
 
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espíritaMaria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
 
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
 
O maior mandamento
O maior mandamentoO maior mandamento
O maior mandamento
 

Semelhante a Fora da Caridade não há Salvação

Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãOFora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Sergio Menezes
 
60 oportunidades de praticar o bem
60 oportunidades de praticar o bem60 oportunidades de praticar o bem
60 oportunidades de praticar o bem
Antonio SSantos
 
BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOSBEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
Sergio Menezes
 
Bondade
BondadeBondade
O Perdão - Espirtismo
O Perdão - EspirtismoO Perdão - Espirtismo
O Perdão - Espirtismo
Valéria Domingues
 
Caridade um reflexo de amor
Caridade um reflexo de amorCaridade um reflexo de amor
Caridade um reflexo de amor
Helio Cruz
 
QVCC 06 - o dom espiritual de misericórdia
QVCC   06 - o dom espiritual de misericórdiaQVCC   06 - o dom espiritual de misericórdia
QVCC 06 - o dom espiritual de misericórdia
Cleudson Corrêa
 
O dia da caridade
O dia da caridadeO dia da caridade
O dia da caridade
Helio Cruz
 
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docxCapítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
Marta Gomes
 
Dia nacional da caridade
Dia nacional da caridadeDia nacional da caridade
Dia nacional da caridade
Helio Cruz
 
Decepções
DecepçõesDecepções
Decepções
Dalila Melo
 
O dia da caridade
O dia da caridadeO dia da caridade
O dia da caridade
Helio Cruz
 
comunhão I.pdf
comunhão I.pdfcomunhão I.pdf
comunhão I.pdf
ssusercf733f2
 
A procura da felicidade
A procura da felicidadeA procura da felicidade
A procura da felicidade
Olga Lopes Gonçalo
 
O Dia da Caridade
O Dia da CaridadeO Dia da Caridade
O Dia da Caridade
Helio Cruz
 
Perdão
PerdãoPerdão
Formas de caridade segundo Doutrina Espírita
Formas de caridade segundo Doutrina EspíritaFormas de caridade segundo Doutrina Espírita
Formas de caridade segundo Doutrina Espírita
Francisco de Assis Alencar
 
Principios para superar desafios
Principios para superar desafiosPrincipios para superar desafios
Principios para superar desafios
Christian Lepelletier
 
Agir no bem: mensagens cotidianas
Agir no bem: mensagens cotidianasAgir no bem: mensagens cotidianas
Agir no bem: mensagens cotidianas
EducadorCriativo
 
Conflitos familiares
Conflitos familiaresConflitos familiares
Conflitos familiares
Victor Passos
 

Semelhante a Fora da Caridade não há Salvação (20)

Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãOFora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
Fora Da Caridade NãO Há SalvaçãO
 
60 oportunidades de praticar o bem
60 oportunidades de praticar o bem60 oportunidades de praticar o bem
60 oportunidades de praticar o bem
 
BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOSBEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
 
Bondade
BondadeBondade
Bondade
 
O Perdão - Espirtismo
O Perdão - EspirtismoO Perdão - Espirtismo
O Perdão - Espirtismo
 
Caridade um reflexo de amor
Caridade um reflexo de amorCaridade um reflexo de amor
Caridade um reflexo de amor
 
QVCC 06 - o dom espiritual de misericórdia
QVCC   06 - o dom espiritual de misericórdiaQVCC   06 - o dom espiritual de misericórdia
QVCC 06 - o dom espiritual de misericórdia
 
O dia da caridade
O dia da caridadeO dia da caridade
O dia da caridade
 
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docxCapítulo XII - Perfeição Moral.docx
Capítulo XII - Perfeição Moral.docx
 
Dia nacional da caridade
Dia nacional da caridadeDia nacional da caridade
Dia nacional da caridade
 
Decepções
DecepçõesDecepções
Decepções
 
O dia da caridade
O dia da caridadeO dia da caridade
O dia da caridade
 
comunhão I.pdf
comunhão I.pdfcomunhão I.pdf
comunhão I.pdf
 
A procura da felicidade
A procura da felicidadeA procura da felicidade
A procura da felicidade
 
O Dia da Caridade
O Dia da CaridadeO Dia da Caridade
O Dia da Caridade
 
Perdão
PerdãoPerdão
Perdão
 
Formas de caridade segundo Doutrina Espírita
Formas de caridade segundo Doutrina EspíritaFormas de caridade segundo Doutrina Espírita
Formas de caridade segundo Doutrina Espírita
 
Principios para superar desafios
Principios para superar desafiosPrincipios para superar desafios
Principios para superar desafios
 
Agir no bem: mensagens cotidianas
Agir no bem: mensagens cotidianasAgir no bem: mensagens cotidianas
Agir no bem: mensagens cotidianas
 
Conflitos familiares
Conflitos familiaresConflitos familiares
Conflitos familiares
 

Mais de Luciane Belchior

OS TRABALHADORES DA ULTIMA HORA 1.ppsx
OS TRABALHADORES DA ULTIMA HORA 1.ppsxOS TRABALHADORES DA ULTIMA HORA 1.ppsx
OS TRABALHADORES DA ULTIMA HORA 1.ppsx
Luciane Belchior
 
A gratidão ensinada por Jesus!
A gratidão ensinada por Jesus!A gratidão ensinada por Jesus!
A gratidão ensinada por Jesus!
Luciane Belchior
 
A parabola dos dois alicerces
A parabola dos dois alicercesA parabola dos dois alicerces
A parabola dos dois alicerces
Luciane Belchior
 
Meu papel no mundo
Meu papel no mundoMeu papel no mundo
Meu papel no mundo
Luciane Belchior
 
Espiritismo e pandemia
Espiritismo e pandemiaEspiritismo e pandemia
Espiritismo e pandemia
Luciane Belchior
 
Desequilibrios Reais
Desequilibrios ReaisDesequilibrios Reais
Desequilibrios Reais
Luciane Belchior
 
Falsos profetas
Falsos profetasFalsos profetas
Falsos profetas
Luciane Belchior
 
Coragem da fé
Coragem da féCoragem da fé
Coragem da fé
Luciane Belchior
 
Como os espíritos influenciam nossas vidas
Como os espíritos influenciam nossas vidasComo os espíritos influenciam nossas vidas
Como os espíritos influenciam nossas vidas
Luciane Belchior
 
Sacrifícios do amor
Sacrifícios do amorSacrifícios do amor
Sacrifícios do amor
Luciane Belchior
 
Os laços de família são fortalecidos pela reencarnação
Os laços de família são fortalecidos pela reencarnaçãoOs laços de família são fortalecidos pela reencarnação
Os laços de família são fortalecidos pela reencarnação
Luciane Belchior
 
Auta de souza
Auta de souzaAuta de souza
Auta de souza
Luciane Belchior
 
O poder da língua
O poder da línguaO poder da língua
O poder da língua
Luciane Belchior
 
Para refletir
Para refletirPara refletir
Para refletir
Luciane Belchior
 
Mensagem para refletir
Mensagem para refletirMensagem para refletir
Mensagem para refletir
Luciane Belchior
 
Mudar
MudarMudar
Chico xavier
Chico xavierChico xavier
Chico xavier
Luciane Belchior
 
Chico xavier e emmanuel
Chico xavier e emmanuelChico xavier e emmanuel
Chico xavier e emmanuel
Luciane Belchior
 
Alqueire
AlqueireAlqueire
Penas e gozos futuros
Penas e gozos futurosPenas e gozos futuros
Penas e gozos futuros
Luciane Belchior
 

Mais de Luciane Belchior (20)

OS TRABALHADORES DA ULTIMA HORA 1.ppsx
OS TRABALHADORES DA ULTIMA HORA 1.ppsxOS TRABALHADORES DA ULTIMA HORA 1.ppsx
OS TRABALHADORES DA ULTIMA HORA 1.ppsx
 
A gratidão ensinada por Jesus!
A gratidão ensinada por Jesus!A gratidão ensinada por Jesus!
A gratidão ensinada por Jesus!
 
A parabola dos dois alicerces
A parabola dos dois alicercesA parabola dos dois alicerces
A parabola dos dois alicerces
 
Meu papel no mundo
Meu papel no mundoMeu papel no mundo
Meu papel no mundo
 
Espiritismo e pandemia
Espiritismo e pandemiaEspiritismo e pandemia
Espiritismo e pandemia
 
Desequilibrios Reais
Desequilibrios ReaisDesequilibrios Reais
Desequilibrios Reais
 
Falsos profetas
Falsos profetasFalsos profetas
Falsos profetas
 
Coragem da fé
Coragem da féCoragem da fé
Coragem da fé
 
Como os espíritos influenciam nossas vidas
Como os espíritos influenciam nossas vidasComo os espíritos influenciam nossas vidas
Como os espíritos influenciam nossas vidas
 
Sacrifícios do amor
Sacrifícios do amorSacrifícios do amor
Sacrifícios do amor
 
Os laços de família são fortalecidos pela reencarnação
Os laços de família são fortalecidos pela reencarnaçãoOs laços de família são fortalecidos pela reencarnação
Os laços de família são fortalecidos pela reencarnação
 
Auta de souza
Auta de souzaAuta de souza
Auta de souza
 
O poder da língua
O poder da línguaO poder da língua
O poder da língua
 
Para refletir
Para refletirPara refletir
Para refletir
 
Mensagem para refletir
Mensagem para refletirMensagem para refletir
Mensagem para refletir
 
Mudar
MudarMudar
Mudar
 
Chico xavier
Chico xavierChico xavier
Chico xavier
 
Chico xavier e emmanuel
Chico xavier e emmanuelChico xavier e emmanuel
Chico xavier e emmanuel
 
Alqueire
AlqueireAlqueire
Alqueire
 
Penas e gozos futuros
Penas e gozos futurosPenas e gozos futuros
Penas e gozos futuros
 

Último

MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 

Último (16)

MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 

Fora da Caridade não há Salvação

  • 1. Fora da Caridade não há Salvação ESE - Cap.XV
  • 2. • O amor que move a vontade, busca do bem de outrem; • Prática da Caridade, Beneficência, Filantropia e Complacência; • Uma das três virtudes teologais ( Fé, Esperança e CARIDADE).
  • 3. O Verdadeiro Sentido da Palavra Caridade • Traduz-se na benevolência para com todos, na indulgência para com as imperfeições alheias e no perdão das ofensas recebidas; • Tem-se então que caridade é a expressão maior do amor pelo semelhante.
  • 4. Extensão da Lei de Justiça • O amor ao próximo significa fazer-lhe todo o bem que cada um gostaria que lhe fosse feito; • “Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei”. Este preceito manifesta-se tanto na prática da caridade material quanto na caridade moral. • Muito embora o dever de todos seja o exercício constante de ambas, a caridade moral é mais difícil e, portanto, mais meritória que a caridade simplesmente material, porque exige de quem a pratica o verdadeiro sentimento de fraternidade, espírito de renúncia e
  • 5. Abrangência da Caridade Não se limita apenas aos aspectos materiais, mas abrange em sua essência a vida de relação em todos os pormenores da uma estrutura social, fundamentando-se a partir de algumas atitudes:
  • 6. Indulgência É a tolerância, a compreensão para com os defeitos do próximo, sem humilhar ou constranger também aquele que está em posição inferior, pois qualquer que seja nosso grau de evolução, estamos sempre colocados entre um superior que nos guia e nos aperfeiçoa, e um inferior, perante o qual temos deveres a cumprir. Não cabe a ninguém atirar a primeira pedra, pois todos são devedores, todos têm defeitos a corrigir, tentações a vencer hábitos a modificar ;
  • 7. Benevolência • É a boa vontade em ajudar desinteressadamente os que precisam de ajuda, com verdadeiro afeto aos seus problemas; • É saber falar e ouvir, dando ânimo àquele que desfalece, ressaltando suas qualidades ao invés de apontar seus erros;
  • 8. Considerar todos os indivíduos como dignos de ser amados • Este sentimento, sem apego nem gerador de emoções perturbadoras, desarma o indivíduo; • Uma visão favorável sobre alguém dilui as nuvens densas que lhe obscurecem a personalidade, facultando um relacionamento positivo; • A não-reação à agressividade do outro desmantela-lhe a couraça de prepotência, na qual se oculta.
  • 9. Perdão • No mais amplo sentido de esquecimento da falta recebida; • Perdoar cada ofensa quantas vezes se fizer necessário. • Perdoar significa não somente esquecer o mal recebido, mas também não desejar nenhum mal a quem o pratica, inclusive aos “inimigos”, dos quais não se deve guardar rancor ou desejo de vingança, mas procurar ajudar para que possam reparar os
  • 10. Aplicar a compaixão quando agredido • A compaixão dinâmica, aquela que vai além da piedade buscando ajudar o infrator, expressa bondade e se enriquece de paixão participativa, que levanta o caído, embora seja ele o perturbador. • O amor é o antídoto mais eficaz contra quaisquer males. • O amor instaura a paz e irradia a confiança, promove a não-violência e estabelece a fraternidade que une e
  • 11. Identificar e estimular os traços de bondade do caráter alheio • Não há solo, por mais agreste, que, tratado, não permita o vicejar de plantas; • A maldade sistemática, a impiedade, o temperamento hostil revelam as personalidades doentes da alma, que necessitam de ajuda, ao invés de reprovação; • A bondade, neles latente, aguarda o momento de se manifestar e predominar mudando-lhes o comportamento.
  • 12. “Amai os vossos inimigos” • Amar os inimigos da maneira como ensinou Jesus, é perdoar-lhes e pagar-lhes o mal com o bem; • Esta é a verdadeira caridade que caracteriza o homem de bem; • Podemos nos reconciliar com os nossos adversários, em espírito, orando por eles e amparando-os, por via indireta, a fim de que se valorizem para o bem geral nas tarefas que a vida lhes reservou; • Se do balanço de consciência estivermos em débito para com os outros, tenhamos suficiente coragem de solicitar-lhes desculpas, diligenciando a sanar a falta cometida e articulando serviço que nos evidencie o
  • 13. Amor e Caridade • É prover as necessidades dos mais fracos, sem que estes se sintam humilhados pela sua inferioridade. • A esmola em si não é um ato passível de reprovação, mas sim o modo como ela é praticada.
  • 14. Várias maneiras de se fazer a caridade • Ligar o benfeitor ao beneficiado; • Sendo uns indulgentes para com os outros; • Perdoando-se mutuamente as fraquezas; • Cuidando não ferir o amor próprio de ninguém; • Respeitando as opiniões contrárias às nossas, esclarecendo sem os chocar, sem investir contra as suas convicções e demonstrando amavelmente, através de seus atos, o modo correto de proceder.
  • 15. Nas sendas do mundo... • Caridade e humildade, tal a senda única da salvação. Egoísmo e orgulho, tal a da perdição; • Caridade não é tão somente a divina virtude, é também o sistema contábil do Universo, que nos permite a felicidade de auxiliar para sermos auxiliados.
  • 16. Caridade, segundo São Paulo • Ainda que eu falasse todas as línguas dos homens e mesmo a língua dos anjos, se não tivesse caridade, seria como o metal que soa ou como o sino que tine; • A caridade é paciente; não é invejosa, não obra temerária nem precipitadamente, não se ensoberbece, não é ambiciosa, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal, não folga com a injustiça, mas folga com a verdade. Tudo tolera, tudo crê, tudo espera, tudo sofre ( ESE, Cap. XV, item 6).
  • 17. DEUS E CARIDADE • Compadecendo-se de nossa ignorância, a Divina Providência deliberou enviar alguém que nos instruísse nos caminhos da elevação, e Jesus, veio em pessoa explicar-nos que Deus não nos pede nem adulações e nem pompas, nem vítimas e nem holocaustos, e sim o coração inflamado de fraternidade, a serviço do bem, para que a Terra se abra, enfim, à gloria e à felicidade do Seu Reino.
  • 18. Por isso o Mestre ensinou: • Esmerou-se a ensinar a união com Deus acima de tudo; • Socorro aos necessitados; • Esperança aos tristes; • Amparo aos enfermos;
  • 19. Desde então, a renovadora luz do meigo Mestre Nazareno... • Clareou o espírito das nações e a Humanidade começou a compreender que Deus, o Pai Justo e Misericordioso, a ninguém exclui de Sua Bênção e que a todos nos espera hoje ou mais tarde... • Como filhos bem-amados, unidos na condição de verdadeiros irmãos uns dos outros.
  • 20. Vivenciando o Evangelho de Jesus... • É por isso que, em todos os países e em todas as crenças, em todos templos e em todos os lares da Terra, onde se pratique realmente o Evangelho de Jesus, o culto à Providência Divina começa com a caridade.
  • 21. Bem-aventurado aquele que dá de si próprio... • Feliz daquele que destaca uma parcela do que possui, a benefício dos semelhantes! • Há um encanto particular em sermos protagonistas ou colaboradores efetivos das vitórias do próximo. Em muitas ocasiões, não há melhor estimulante à vida e ao trabalho.
  • 22. Semeie sacrifícios e colha sorrisos. • Tome a iniciativa de oferecer a sua hora e outros virão espontaneamente trazer dias e dias de apoio ao trabalho em que você se empenhou.
  • 23. Experimente • Desencadeie a causa do bem e o bem responderá mecanicamente com seus admiráveis efeitos.
  • 24. Pré-requisitos para realizar a caridade moral: • Em primeiro lugar conhecer a necessidade de realizar essa caridade, com a vontade, que é o primeiro passo, começaremos a exercitá-la; • Primeiro em casa, com os nossos familiares, aprendendo a calar, compreendendo a situação de cada um, sendo tolerante, indulgente, compreensivo, ou seja, amigo daquele que provoca a crise moral dentro de
  • 25. Pré-requisito... Nós já o temos, que é o sentimento, é o desejo de progresso espiritual, são nossas potências, a vontade é uma delas. O conhecimento ajuda,pois nos mostra que temos o dever de sermos caridosos com o próximo, pois é assim que desejamos que o próximo seja conosco.
  • 26. O Espiritismo nos ensina que existe dois tipos de caridade: • Paulo, o apóstolo, deixa a entender que caridade é um conjunto de valores morais que o homem precisa adquirir; • Pelo estudo, nós vamos nos conscientizando dos conceitos que espiritualizam a vida e através do trabalho, nós colocamos em prática essas lições. Esta é a Caridade Moral.
  • 27. Inter-relacionamento entre caridade material e moral • Quando nos esclarecemos acerca de quem somos, de onde viemos, o que fazemos no mundo e para onde vamos depois da morte, estamos nos espiritualizando. • Para compreender os nobres propósitos da vida, entendemos nosso dever de ajudar materialmente os que são menos favorecidos do que nós. Esta é a caridade material.
  • 28. A caridade material na casa espírita deve sempre ser acompanhada de mensagens e ensinamentos evangélicos de cunho espírita , mesmo se os assistidos professarem outra religião? Sim, deve. Junto ao alimento material que vai satisfazer as suas necessidades, ele receberá o esclarecimento da sua vida de espírito e poderá, com o tempo e sentindo a necessidade, fazer uso desse ensinamento. Se ele não fizer, pelo menos fizemos a nossa parte. Disse o Cristo: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”.
  • 29. A caridade e o progresso: • O nosso progresso é lento, diz-se:”a natureza não dá saltos.” Hoje, após o conhecimento de que somos irmãos e devemos nos amar, ainda está ao nível da nossa razão; • Temos que pensar primeiro antes de agir. Quando alguém nos esquentar, antes de explodirmos, devemos parar e pensar, pois ainda estamos em aprendizado; • Quando estivermos com o aprendizado feito, depois de muitas, milhares de vezes que experimentamos, vivenciando o convívio com o próximo, estaremos com a nossa atitude automatizada; • Isto significa que não pensaremos mais antes de agir. A ação dirigida ao próximo será espontânea, natural, pois já há assimilação do conhecimento. Todos sem exceção, passam
  • 30. Que a Paz Celeste continue com todos!