SlideShare uma empresa Scribd logo
L
í
n
g
u
a
P
o
r
t
u
g
u
e
s
a
FONÉTICA &
FONOLOGIA
Prof. Márcio Hilário
Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário
FONÉTICA
Estudo dos sons da fala.
(Uso Real)
FONOLOGIA
Estudo dos sons significativos de
uma língua.
(Forma Ideal)
Considerando que a Norma Culta de uma língua é uma abstração que não
representa necessariamente o uso real dos falantes, no estudo dos sons
também se distinguem assim os aspectos fonéticos e fonológicos.
Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário
Variabilidade da língua portuguesa
VÍCIO DA FALA
Para dizerem milho dizem mio
Para melhor dizem mió
Para pior pió
Para telha dizem teia
Para telhado dizem teiado
E vão fazendo telhados.
(Oswald de Andrade)
Note-se que a visão da professora de Chico Bento é bastante conservadora no que se
refere ao reconhecimento de que a língua oferece outras possibilidades legítimas de
realização, ao contrário de Oswald. A Norma Culta não pode ser uma camisa de força!!!
Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário
O APARELHO FONADOR (?)
A articulação da fala é uma questão completamente mecânica. O falante escuta um som
e tenta reproduzi-lo. A mínima alteração de ponto ou modo de articulação implicará
variação sonora. Obviamente, este “telefone sem fio” produz sotaques, acentos, timbres,
pronúncias diferentes para uma mesma palavra. Também é possível que o falante tenha
dificuldades de articulação: o Cebolinha, por exemplo, que troca o /r/ pelo /l/.
Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário
PREGAS VOCAIS
(ou Cordas Vocais)
Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário
GRAFEMA vs FONEMA
Nesse estudo, é preciso cuidado para não confundir sons (fonemas) com as letras
(grafemas) que os representam. Grafemas são símbolos gráficos que materializam
visualmente a palavra, por meio da escrita. Essa relação entre letras e fonemas não
é diretamente proporcional. Há fonemas que são representados por mais de uma
letra (dígrafos) e letras que representam mais de um fonema (dífonos).
Ex:
chave /x/ (dígrafo) táxi /ks/ (dífono)
Há também fonemas que são representados por diversas letras, bem como a mesma
letra pode representar fonemas distintos:
Ex:
Fonema /s/: solo, face, máximo, assado, piscina, caça.
Letra x: /z/ exame, /x/ xale, /s/ trouxe, [ks] fixo.
Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário
SEMIVOGAIS: fonemas periféricos às vogais
/y/ e /w/
VOGAIS
Fonemas soantes / núcleo da sílaba
Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário
Ponto de articulação
Modo de articulação
Bilabiais
Labiodentais
Linguodentais
Alveolares
Palatais
Velares
Oclusivas
Orais Surdas p t k
Sonoras b d g
Nasais ------------ m n η (nh)
Fricativas
Orais Surdas f s ∫ (ch)
(x)
Sonoras v z ζ (j)
Líquidas
Orais Laterais ---------------- l λ (lh)
Vibrantes ---------------- r R (rr)
CONSOANTES
Fonemas articulados com as vogais (con + soantes)
Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário
ENCONTROS CONSONANTAIS
CAS-CA TRA-PO
EXCETO
Dígrafo /s/
CHAVE
Dígrafo /x/
CANTO
N = marca de nasalidade
AN = dígrafo nasal /ã/
/kãto/
NÃO SÃO ENCONTROS CONSONANTAIS!!!
Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário
ENCONTROS VOCÁLICOS
TRITONGO
sv+V+sv
(mesma sílaba)
HIATO
V+V
(sílabas separadas)
DITONGO
sv+V ou V+sv
(mesma sílaba)BA-Ú
PI-A-DA
CRESCENTE
sv+V
DECRESCENTE
V+sv
ORAL ORALNASAL NASAL
Á-GUA QUAN-DO PAI MÃE
ORAL NASAL
I-GUAIS SA-GUÃO
Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário
• A letra “h” pode ser considerada uma letra etimológica, ou seja, que
se justifica pela origem da palavra, como em “hoje”, “homem”; bem como
uma letra diacrítica, ou seja, que produz dígrafo, em “chuva”, “alho”,
“banho”. Não representa, pois, nenhum dos fonemas de nossa língua.
• Podem-se identificar dois ditongos em palavras como “bóia”, “maio”,
“leia”, pois ocorre na pronúncia um alongamento da semivogal, como
se houvesse a seguinte situação: bói-ia, mai-io, lei-ia.
• Ocorre, do ponto de vista fonológico, uma variação não-significativa
nos encontros ia, ie, io, ua, eu, uo, átonos e finais. Por isso, são
interpretados como hiatos por alguns autores e como ditongos por
outros. É o caso de palavras como história, que pode ser separada de duas
maneiras: his-tó-ri-a ou his-tó-ria.
• Os grupos AM, EM e EM, no final das palavras, representam um ditongo
nasal. É o que ocorre em falavam /ãw/, ninguém /ẽy/, hífen /ẽy/.
OBSERVAÇÕES:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1.3 ortografia
1.3   ortografia1.3   ortografia
1.3 ortografia
Ivana Mayrink
 
Fonética & fonologia
Fonética & fonologiaFonética & fonologia
Fonética & fonologia
Fernanda Câmara
 
Classes gramaticais
Classes gramaticais Classes gramaticais
Classes gramaticais
iamraphael
 
Linguagem lingua e código
Linguagem lingua  e códigoLinguagem lingua  e código
Linguagem lingua e código
Paulinha Iacks
 
Aula de fonema
Aula de fonemaAula de fonema
Aula de fonema
Adriana Virgens
 
Fonética e fonologia
Fonética e fonologiaFonética e fonologia
Fonética e fonologia
Diego Prezia
 
Regras de acentuação - simples
Regras de acentuação - simplesRegras de acentuação - simples
Regras de acentuação - simples
Aline França Russo
 
Linguagem, língua e fala
Linguagem, língua e falaLinguagem, língua e fala
Linguagem, língua e fala
Jirede Abisai
 
Fonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de Palavras
Fonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de PalavrasFonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de Palavras
Fonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de Palavras
Faell Vasconcelos
 
Dígrafo e encontro consonantal
Dígrafo e encontro consonantalDígrafo e encontro consonantal
Dígrafo e encontro consonantal
Rosana Mayer
 
Preposições
PreposiçõesPreposições
Preposições
Alice Silva
 
Estrutura das palavras
Estrutura das palavras Estrutura das palavras
Estrutura das palavras
colveromachado
 
Pronomes
Pronomes Pronomes
Gramática e suas divisões e classes de palavras
Gramática e suas divisões e classes de palavrasGramática e suas divisões e classes de palavras
Gramática e suas divisões e classes de palavras
ThallytaFerreira
 
Fonética e Fonologia
Fonética e FonologiaFonética e Fonologia
Fonética e Fonologia
Marcos Feliciano
 
Acentuação gráfica
Acentuação gráficaAcentuação gráfica
Acentuação gráfica
Mara dalto
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Orações reduzidas
Orações reduzidasOrações reduzidas
Orações reduzidas
sandra
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominal
Rebeca Kaus
 
Linguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbalLinguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbal
Andreia Jaqueline Bach
 

Mais procurados (20)

1.3 ortografia
1.3   ortografia1.3   ortografia
1.3 ortografia
 
Fonética & fonologia
Fonética & fonologiaFonética & fonologia
Fonética & fonologia
 
Classes gramaticais
Classes gramaticais Classes gramaticais
Classes gramaticais
 
Linguagem lingua e código
Linguagem lingua  e códigoLinguagem lingua  e código
Linguagem lingua e código
 
Aula de fonema
Aula de fonemaAula de fonema
Aula de fonema
 
Fonética e fonologia
Fonética e fonologiaFonética e fonologia
Fonética e fonologia
 
Regras de acentuação - simples
Regras de acentuação - simplesRegras de acentuação - simples
Regras de acentuação - simples
 
Linguagem, língua e fala
Linguagem, língua e falaLinguagem, língua e fala
Linguagem, língua e fala
 
Fonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de Palavras
Fonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de PalavrasFonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de Palavras
Fonética, Divisão Silábica, Acentuação e Estrutura e Formação de Palavras
 
Dígrafo e encontro consonantal
Dígrafo e encontro consonantalDígrafo e encontro consonantal
Dígrafo e encontro consonantal
 
Preposições
PreposiçõesPreposições
Preposições
 
Estrutura das palavras
Estrutura das palavras Estrutura das palavras
Estrutura das palavras
 
Pronomes
Pronomes Pronomes
Pronomes
 
Gramática e suas divisões e classes de palavras
Gramática e suas divisões e classes de palavrasGramática e suas divisões e classes de palavras
Gramática e suas divisões e classes de palavras
 
Fonética e Fonologia
Fonética e FonologiaFonética e Fonologia
Fonética e Fonologia
 
Acentuação gráfica
Acentuação gráficaAcentuação gráfica
Acentuação gráfica
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 
Orações reduzidas
Orações reduzidasOrações reduzidas
Orações reduzidas
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominal
 
Linguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbalLinguagem verbal e não verbal
Linguagem verbal e não verbal
 

Destaque

Fonética x fonologia
Fonética x fonologiaFonética x fonologia
Fonética x fonologia
Aparecida Mallagoli
 
Fonética maira
Fonética   mairaFonética   maira
Fonética maira
Henrique Andrade Germano
 
Aula 04 alterações da fala - parte 01- reformulada
Aula 04   alterações da fala - parte 01- reformuladaAula 04   alterações da fala - parte 01- reformulada
Aula 04 alterações da fala - parte 01- reformulada
Edna Maria
 
Cantigas de escárnio e maldizer - resumo
Cantigas de escárnio e maldizer - resumoCantigas de escárnio e maldizer - resumo
Cantigas de escárnio e maldizer - resumo
Gijasilvelitz 2
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
Gabriel Alves
 
Fonética e fonologia
Fonética e fonologiaFonética e fonologia
Fonética e fonologia
Alexandra Porcellis
 
Fonética
FonéticaFonética
Fonética
Marco Barreto
 
Fonética fonologia
Fonética fonologiaFonética fonologia
Fonética fonologia
Maria Glalcy Fequetia Dalcim
 
Fonética e fonologia
Fonética e fonologia Fonética e fonologia
Fonética e fonologia
Ana Vogeley
 
Cantigas de escárnio e maldizer
Cantigas de escárnio e maldizerCantigas de escárnio e maldizer
Cantigas de escárnio e maldizer
Helena Coutinho
 

Destaque (10)

Fonética x fonologia
Fonética x fonologiaFonética x fonologia
Fonética x fonologia
 
Fonética maira
Fonética   mairaFonética   maira
Fonética maira
 
Aula 04 alterações da fala - parte 01- reformulada
Aula 04   alterações da fala - parte 01- reformuladaAula 04   alterações da fala - parte 01- reformulada
Aula 04 alterações da fala - parte 01- reformulada
 
Cantigas de escárnio e maldizer - resumo
Cantigas de escárnio e maldizer - resumoCantigas de escárnio e maldizer - resumo
Cantigas de escárnio e maldizer - resumo
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Fonética e fonologia
Fonética e fonologiaFonética e fonologia
Fonética e fonologia
 
Fonética
FonéticaFonética
Fonética
 
Fonética fonologia
Fonética fonologiaFonética fonologia
Fonética fonologia
 
Fonética e fonologia
Fonética e fonologia Fonética e fonologia
Fonética e fonologia
 
Cantigas de escárnio e maldizer
Cantigas de escárnio e maldizerCantigas de escárnio e maldizer
Cantigas de escárnio e maldizer
 

Semelhante a FONÉTICA E FONOLOGIA

Fonética e fonologia
Fonética e fonologiaFonética e fonologia
Fonética e fonologia
Renata Haratani
 
1 fonética
1 fonética1 fonética
1 fonética
Jackelini Muzy Vaz
 
1ª série E. M. - Letra e Alfabeto, Fonemas, Vogais, Consoantes e Semivogais, ...
1ª série E. M. - Letra e Alfabeto, Fonemas, Vogais, Consoantes e Semivogais, ...1ª série E. M. - Letra e Alfabeto, Fonemas, Vogais, Consoantes e Semivogais, ...
1ª série E. M. - Letra e Alfabeto, Fonemas, Vogais, Consoantes e Semivogais, ...
Angélica Manenti
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonemas.pdf
Fonemas.pdfFonemas.pdf
Fonemas.pdf
Marcos895089
 
Nova Ortografia
Nova OrtografiaNova Ortografia
Nova Ortografia
Valeria Bortoluzzi
 
fonetica e fonologia da LP.pptx
fonetica e fonologia da LP.pptxfonetica e fonologia da LP.pptx
fonetica e fonologia da LP.pptx
LeniomarMorais
 
Fonologia
FonologiaFonologia
1ª série E. M. - Fonética
1ª série E. M. - Fonética1ª série E. M. - Fonética
1ª série E. M. - Fonética
Angélica Manenti
 
Lingua portuguesa teoria e testes
Lingua portuguesa teoria e testesLingua portuguesa teoria e testes
Lingua portuguesa teoria e testes
Daniele Costa
 
Resumão de português
Resumão de portuguêsResumão de português
Resumão de português
Camilla Gagliardi dos Santos
 
1ª ano -Fonética e Fonologia.pdf
1ª ano -Fonética e Fonologia.pdf1ª ano -Fonética e Fonologia.pdf
1ª ano -Fonética e Fonologia.pdf
Valdimiro Cardoso
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Trabalho 0207
Trabalho 0207Trabalho 0207
Trabalho 0207
Liciana Slongo Braida
 
FONOLOGIA
FONOLOGIAFONOLOGIA
Fonologia
FonologiaFonologia
FONÉTICA.pptx
FONÉTICA.pptxFONÉTICA.pptx
FONÉTICA.pptx
MarluceBrum1
 
Mudanças no alfabeto
Mudanças no alfabetoMudanças no alfabeto
Mudanças no alfabeto
Jorgelgl
 
Apostila de acentuação gráfica
Apostila de acentuação gráficaApostila de acentuação gráfica
Apostila de acentuação gráfica
Fernando Souza
 
português
portuguêsportuguês

Semelhante a FONÉTICA E FONOLOGIA (20)

Fonética e fonologia
Fonética e fonologiaFonética e fonologia
Fonética e fonologia
 
1 fonética
1 fonética1 fonética
1 fonética
 
1ª série E. M. - Letra e Alfabeto, Fonemas, Vogais, Consoantes e Semivogais, ...
1ª série E. M. - Letra e Alfabeto, Fonemas, Vogais, Consoantes e Semivogais, ...1ª série E. M. - Letra e Alfabeto, Fonemas, Vogais, Consoantes e Semivogais, ...
1ª série E. M. - Letra e Alfabeto, Fonemas, Vogais, Consoantes e Semivogais, ...
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 
Fonemas.pdf
Fonemas.pdfFonemas.pdf
Fonemas.pdf
 
Nova Ortografia
Nova OrtografiaNova Ortografia
Nova Ortografia
 
fonetica e fonologia da LP.pptx
fonetica e fonologia da LP.pptxfonetica e fonologia da LP.pptx
fonetica e fonologia da LP.pptx
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 
1ª série E. M. - Fonética
1ª série E. M. - Fonética1ª série E. M. - Fonética
1ª série E. M. - Fonética
 
Lingua portuguesa teoria e testes
Lingua portuguesa teoria e testesLingua portuguesa teoria e testes
Lingua portuguesa teoria e testes
 
Resumão de português
Resumão de portuguêsResumão de português
Resumão de português
 
1ª ano -Fonética e Fonologia.pdf
1ª ano -Fonética e Fonologia.pdf1ª ano -Fonética e Fonologia.pdf
1ª ano -Fonética e Fonologia.pdf
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 
Trabalho 0207
Trabalho 0207Trabalho 0207
Trabalho 0207
 
FONOLOGIA
FONOLOGIAFONOLOGIA
FONOLOGIA
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 
FONÉTICA.pptx
FONÉTICA.pptxFONÉTICA.pptx
FONÉTICA.pptx
 
Mudanças no alfabeto
Mudanças no alfabetoMudanças no alfabeto
Mudanças no alfabeto
 
Apostila de acentuação gráfica
Apostila de acentuação gráficaApostila de acentuação gráfica
Apostila de acentuação gráfica
 
português
portuguêsportuguês
português
 

Último

Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 

FONÉTICA E FONOLOGIA

  • 2. Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário FONÉTICA Estudo dos sons da fala. (Uso Real) FONOLOGIA Estudo dos sons significativos de uma língua. (Forma Ideal) Considerando que a Norma Culta de uma língua é uma abstração que não representa necessariamente o uso real dos falantes, no estudo dos sons também se distinguem assim os aspectos fonéticos e fonológicos.
  • 3. Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário Variabilidade da língua portuguesa VÍCIO DA FALA Para dizerem milho dizem mio Para melhor dizem mió Para pior pió Para telha dizem teia Para telhado dizem teiado E vão fazendo telhados. (Oswald de Andrade) Note-se que a visão da professora de Chico Bento é bastante conservadora no que se refere ao reconhecimento de que a língua oferece outras possibilidades legítimas de realização, ao contrário de Oswald. A Norma Culta não pode ser uma camisa de força!!!
  • 4. Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário O APARELHO FONADOR (?) A articulação da fala é uma questão completamente mecânica. O falante escuta um som e tenta reproduzi-lo. A mínima alteração de ponto ou modo de articulação implicará variação sonora. Obviamente, este “telefone sem fio” produz sotaques, acentos, timbres, pronúncias diferentes para uma mesma palavra. Também é possível que o falante tenha dificuldades de articulação: o Cebolinha, por exemplo, que troca o /r/ pelo /l/.
  • 5. Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário PREGAS VOCAIS (ou Cordas Vocais)
  • 6. Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário GRAFEMA vs FONEMA Nesse estudo, é preciso cuidado para não confundir sons (fonemas) com as letras (grafemas) que os representam. Grafemas são símbolos gráficos que materializam visualmente a palavra, por meio da escrita. Essa relação entre letras e fonemas não é diretamente proporcional. Há fonemas que são representados por mais de uma letra (dígrafos) e letras que representam mais de um fonema (dífonos). Ex: chave /x/ (dígrafo) táxi /ks/ (dífono) Há também fonemas que são representados por diversas letras, bem como a mesma letra pode representar fonemas distintos: Ex: Fonema /s/: solo, face, máximo, assado, piscina, caça. Letra x: /z/ exame, /x/ xale, /s/ trouxe, [ks] fixo.
  • 7. Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário SEMIVOGAIS: fonemas periféricos às vogais /y/ e /w/ VOGAIS Fonemas soantes / núcleo da sílaba
  • 8. Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário Ponto de articulação Modo de articulação Bilabiais Labiodentais Linguodentais Alveolares Palatais Velares Oclusivas Orais Surdas p t k Sonoras b d g Nasais ------------ m n η (nh) Fricativas Orais Surdas f s ∫ (ch) (x) Sonoras v z ζ (j) Líquidas Orais Laterais ---------------- l λ (lh) Vibrantes ---------------- r R (rr) CONSOANTES Fonemas articulados com as vogais (con + soantes)
  • 9. Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário ENCONTROS CONSONANTAIS CAS-CA TRA-PO EXCETO Dígrafo /s/ CHAVE Dígrafo /x/ CANTO N = marca de nasalidade AN = dígrafo nasal /ã/ /kãto/ NÃO SÃO ENCONTROS CONSONANTAIS!!!
  • 10. Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário ENCONTROS VOCÁLICOS TRITONGO sv+V+sv (mesma sílaba) HIATO V+V (sílabas separadas) DITONGO sv+V ou V+sv (mesma sílaba)BA-Ú PI-A-DA CRESCENTE sv+V DECRESCENTE V+sv ORAL ORALNASAL NASAL Á-GUA QUAN-DO PAI MÃE ORAL NASAL I-GUAIS SA-GUÃO
  • 11. Língua Portuguesa Prof. Márcio Hilário • A letra “h” pode ser considerada uma letra etimológica, ou seja, que se justifica pela origem da palavra, como em “hoje”, “homem”; bem como uma letra diacrítica, ou seja, que produz dígrafo, em “chuva”, “alho”, “banho”. Não representa, pois, nenhum dos fonemas de nossa língua. • Podem-se identificar dois ditongos em palavras como “bóia”, “maio”, “leia”, pois ocorre na pronúncia um alongamento da semivogal, como se houvesse a seguinte situação: bói-ia, mai-io, lei-ia. • Ocorre, do ponto de vista fonológico, uma variação não-significativa nos encontros ia, ie, io, ua, eu, uo, átonos e finais. Por isso, são interpretados como hiatos por alguns autores e como ditongos por outros. É o caso de palavras como história, que pode ser separada de duas maneiras: his-tó-ri-a ou his-tó-ria. • Os grupos AM, EM e EM, no final das palavras, representam um ditongo nasal. É o que ocorre em falavam /ãw/, ninguém /ẽy/, hífen /ẽy/. OBSERVAÇÕES: