SlideShare uma empresa Scribd logo
P R O F . M A R C O S F E L I C I A N O
FONÉTICA E FONOLOGIA
Fonema e letra
São sons da fala humana que, sós ou combinados,
formam as sílabas que, por sua vez, formam as
palavras.
São as representações gráficas (símbolos
convencionados) dos fonemas.
FONEMA
LETRA
Fonema pronuncia-se e ouve-se;
Letra escreve-se e vê-se.
Quantos fonemas e letras há nas palavras abaixo?
cabelo
hoje
guerra
tanto
tóxico
Um mesmo fonema pode ser representado por letras
diferentes, como podem, também, fonemas diferentes ser
representados por uma mesma letra:
mesa, beleza - as letras s e z representam o mesmo
fonema /z/;
texto (x = /s/), exame (x = /z/), sexo (x = /ks/), máximo
(x = /ss/), lixo (x = /ch/) - em cada uma o “x” representa
fonemas diferentes.
Por aí se vê que não há, rigorosamente, um símbolo
gráfico (letra) para cada fonema de nossa língua.
Essa discrepância entre fonemas e letras é a
responsável pela maior parte das dificuldades
ortográficas que enfrentamos.
VOGAIS
AS VOGAIS SÃO OS FONEMAS SONOROS
PRODUZIDOS POR UMA CORRENTE DE AR
QUE PASSA LIVREMENTE PELA BOCA. EM
NOSSA LÍNGUA, DESEMPENHAM O PAPEL DE
NÚCLEO DAS SÍLABAS. ASSIM, ISSO
SIGNIFICA QUE EM TODA SÍLABA HÁ
NECESSARIAMENTE UMA ÚNICA VOGAL.
Classificação dos Fonemas
Quando o ar sai apenas
pela boca:
/a/
/e/
/i/
/o/
/u/
Quando o ar sai pela
boca e pelas fossas
nasais:
/ ã /: fã, canto, tampa
/ ẽ /: dente, tempero
/ ἶ /: lindo, mim
/ õ / bonde, tombo
/ ữ / nunca, algum
Na produção de vogais, a boca fica aberta ou
entreaberta. As vogais podem ser:
ORAIS NASAIS
Pronunciadas com
menor intensidade:
Até
Bola
Pronunciadas com
maior intensidade:
Até
Bola
As vogais ainda podem ser:
ÁTONAS TÔNICAS
Quanto ao timbre
Abertas – pé, lata, pó
Fechadas – mês, luta, amor
Reduzidas - Aparecem quase sempre
no final das palavras - dedo, ave, gente
SEMIVOGAL
Os fonemas /i/ e /u/, algumas vezes, não são vogais.
Aparecem apoiados em uma vogal, formando com
ela uma só emissão de voz (uma sílaba). Nesse caso,
esses fonemas são chamados de semivogais. A
diferença fundamental entre vogais e semivogais está
no fato de que estas últimas não desempenham o
papel de núcleo silábico.
SEMIVOGAL
Observe a palavra papai. Ela é formada de duas
sílabas: pa-pai. Na última sílaba, o fonema vocálico
que se destaca é o a. Ele é a vogal. O outro fonema
vocálico i não é tão forte quanto ele. É a semivogal.
Outros exemplos: saudade, história, série.
Obs.: os fonemas /i/ e /u/ podem aparecer
representados na escrita por" e", "o" ou "m".
Veja: pães / pãis mão / mãu/ cem /cẽi/
CONSOANTE
Para a produção das consoantes, a corrente de ar
expirada pelos pulmões encontra obstáculos ao
passar pela cavidade bucal. Isso faz com que as
consoantes sejam verdadeiros "ruídos", incapazes de
atuar como núcleos silábicos. Seu nome provém
justamente desse fato, pois, em português, sempre
consoam ("soam com") as vogais.
Exemplos: /b/, /t/, /d/, /v/, /l/, /m/, etc.
Encontros vocálicos
Os encontros vocálicos são agrupamentos de vogais
e semivogais, sem consoantes intermediárias. É
importante reconhecê-los para dividir corretamente
os vocábulos em sílabas. Existem três tipos de
encontros: o ditongo, o tritongo e o hiato.
Encontros vocálicos
1) Ditongo - É o encontro de uma vogal e uma semivogal (ou vice-
versa) numa mesma sílaba. Pode ser:
a) Crescente: quando a semivogal vem antes da vogal.
Por Exemplo: sé-rie (i = semivogal, e = vogal)
b) Decrescente: quando a vogal vem antes da semivogal.
Por Exemplo: pai (a = vogal, i = semivogal)
c) Oral: quando o ar sai apenas pela boca.
Exemplos: pai, série
d) Nasal: quando o ar sai pela boca e pelas fossas nasais.
Por Exemplo: mãe
Encontros vocálicos
2) Tritongo – É a sequência formada por uma semivogal,
uma vogal e uma semivogal, sempre nessa ordem, numa
só sílaba. Pode ser oral ou nasal.
Exemplos:
Paraguai - Tritongo oral
quão - Tritongo nasal
3) Hiato - É a sequência de duas vogais numa mesma
palavra que pertencem a sílabas diferentes, uma vez que
nunca há mais de uma vogal numa sílaba.
Por Exemplo:
saída (sa-í-da)
poesia (po-e-si-a)
Encontros consonantais
O agrupamento de duas ou mais consoantes, sem
vogal intermediária, recebe o nome de encontro
consonantal. Existem basicamente dois tipos:
- os que resultam do contato consoante + l ou r e
ocorrem numa mesma sílaba, como em: pe-
dra, pla-no, a-tle-ta, cri-se...
- os que resultam do contato de duas consoantes
pertencentes a sílabas diferentes: por-ta, rit-mo, lis-
ta...
Encontros consonantais
Há ainda grupos consonantais que surgem no início dos
vocábulos; são, por isso, inseparáveis: pneu, gno-mo,psi-có-
lo-go...
Dígrafos
bicho
Possui quatro fonemas e cinco letras.
Na palavra acima, para representar o fonema | xe| foram
utilizadas duas letras: o c e o h.
Assim, o dígrafo ocorre quando duas letras são usadas para
representar um único fonema (di = dois + grafo = letra).
Sílaba
É a unidade ou grupo de fonemas emitidos num só
impulso da voz.
Classificação das palavras quanto ao
número de sílabas
1. Monossílabas - aquelas que possuem uma só sílaba:
dó, mão, cruz, etc.
2. Dissílabas - aquelas que possuem duas sílabas:
sa/pé, fo/lha, te/la, etc.
3. Trissílabas - aquelas que possuem três sílabas:
fun/da/ção, mé/di/co, etc.
4. Polissílabas - aquelas que possuem mais de três
sílabas: ve/te/ra/no, na/tu/re/za, pa/la/ci/a/no, etc.
Divisão silábica
A fala é o primeiro e mais importante recurso usado
para a divisão silábica na escrita.
Regra geral:
Toda sílaba, obrigatoriamente, possui uma vogal.
Regras práticas:
Não se separam ditongos e tritongos.
Exemplos: mau, averiguei.
Separam-se as letras que representam os hiatos.
Exemplos: sa-í-da, vo-o.
Separam-se somente os dígrafos rr, ss, sc, sç, xc.
Exemplos: pas-se-a-ta, car-ro, ex-ceto.
Separam-se os encontros consonantais pronunciados separadamente.
Exemplo: car-ta
Os elementos mórficos das palavras (prefixos, radicais, sufixos),
quando incorporados à palavra, obedecem às regras gerais.
Exemplos: de-sa-ten-to, bi-sa-vô, tran-sa-tlân-ti-co.
Consoante não seguida de vogal permanece na sílaba anterior. Quando
isso ocorrer em início de palavra, a consoante se anexa à sílaba
seguinte.
Exemplos: ad-je-ti-vo, tungs-tê-nio, psi-có-lo-go, gno-mo.
OBS:
Não confunda acento tônico com acento gráfico. O
acento tônico está relacionado com intensidade de
som e existe em todas as palavras com duas ou mais
sílabas. O acento gráfico existirá em apenas algumas
palavras e será usado de acordo com regras de
acentuação.
Classificação das palavras quanto ao
acento tônico
As palavras com mais de uma sílaba, conforme a
tonicidade, classificam-se em:
1. Oxítonas: quando a sílaba tônica é a última -
coração, São Tomé, etc.
2. Paroxítonas: quando a sílaba tônica é a
penúltima - cadeira, linha, régua, etc.
3. Proparoxítonas: quando a sílaba tônica é a
antepenúltima - ibérica, América, etc.
Os monossílabos podem ser tônicos ou átonos:
Tônicos: são autônomos, emitidos fortemente,
como se fossem sílabas tônicas. Ex.: ré, teu, lá, etc.
Átonos: apoiam-se em outras palavras, pois não são
autônomos, são emitidos fracamente, como se
fossem sílabas átonas.São palavras sem sentido
quando estão isoladas: artigos, pronomes oblíquos,
preposições, junções de preposições e artigos,
conjunções, pronome relativo que. Ex.: o, lhe, nem,
etc.
Prosódia
A prosódia está relacionada com a correta acentuação
das palavras tomando como padrão a língua considerada
culta. Os erros de prosódia recebem o nome de
silabada. Vejamos alguns exemplos:
sútil em vez de sutil;
côndor em vez de condor;
rúbrica em vez de rubrica;
ávaro em vez de avaro;
interim em vez de ínterim.
Vocábulos que geram dúvidas quanto a Prosódia
1) oxítonas: cateter, Cister, condor, hangar, mister, Nobel,
novel, recém, refém, ruim, sutil, ureter, cauim, arguir.
2) paroxítonas: avaro, barbárie, caracteres, cartomancia,
ciclope, erudito, ibero, gratuito, ônix, poliglota, pudico,
rubrica, tulipa, filantropo, misantropo, âmbar, táctil,
austero, libido.
3) proparoxítonas: aeródromo, alcoólatra, álibi, âmago,
antídoto, elétrodo, lêvedo, protótipo, quadrúmano,
vermífugo, zéfiro, óbolo, ágape, aerólito, trânsfuga, ínterim,
revérbero, crisântemo.
As palavras em Língua Portuguesa são acentuadas de acordo
com regras. Para que você saiba aplicá-las é preciso que
tenha claros alguns conceitos como tonicidade, encontros
consonantais e vocálicos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Acentuação gráfica
Acentuação gráficaAcentuação gráfica
Acentuação gráfica
Mara dalto
 
Orações coordenadas e orações subordinadas
Orações coordenadas e orações subordinadasOrações coordenadas e orações subordinadas
Orações coordenadas e orações subordinadas
taizinha
 
Slides Novo Acordo OrtográFico
Slides Novo Acordo OrtográFicoSlides Novo Acordo OrtográFico
Slides Novo Acordo OrtográFico
Flaviacristina74
 
Tonicidade
TonicidadeTonicidade
Tonicidade
jaquemarcondes
 
VariaçãO LinguíStica
VariaçãO LinguíSticaVariaçãO LinguíStica
VariaçãO LinguíStica
Elza Silveira
 
Tempo e modo verbais
Tempo e modo verbaisTempo e modo verbais
Tempo e modo verbais
Fabricio Souza
 
1.3 ortografia
1.3   ortografia1.3   ortografia
1.3 ortografia
Ivana Mayrink
 
Estrutura das palavras
Estrutura das palavras Estrutura das palavras
Estrutura das palavras
colveromachado
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
Andriane Cursino
 
Orações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivasOrações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivas
Fábio Guimarães
 
Encontros vocálicos
Encontros vocálicosEncontros vocálicos
Encontros vocálicos
Graziela Pimentel
 
SEMANTICA.ppt
SEMANTICA.pptSEMANTICA.ppt
SEMANTICA.ppt
JohnJeffersonAlves1
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
Rita Cunha
 
Ortografia
OrtografiaOrtografia
Ortografia
Carol Albert
 
Estrutura e formação de palavras
Estrutura e formação de palavrasEstrutura e formação de palavras
Estrutura e formação de palavras
ma.no.el.ne.ves
 
Os verbos
Os verbosOs verbos
Os verbos
Uratinai Ketlis
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
Denise
 
Semântica
Semântica Semântica
Semântica
7 de Setembro
 
Concepões de língua, linguagem, norma e fala
Concepões de língua, linguagem, norma e falaConcepões de língua, linguagem, norma e fala
Concepões de língua, linguagem, norma e fala
Hélio Xavier Pereira Júnior
 
Coesão e coerencia
Coesão e coerenciaCoesão e coerencia
Coesão e coerencia
silnog
 

Mais procurados (20)

Acentuação gráfica
Acentuação gráficaAcentuação gráfica
Acentuação gráfica
 
Orações coordenadas e orações subordinadas
Orações coordenadas e orações subordinadasOrações coordenadas e orações subordinadas
Orações coordenadas e orações subordinadas
 
Slides Novo Acordo OrtográFico
Slides Novo Acordo OrtográFicoSlides Novo Acordo OrtográFico
Slides Novo Acordo OrtográFico
 
Tonicidade
TonicidadeTonicidade
Tonicidade
 
VariaçãO LinguíStica
VariaçãO LinguíSticaVariaçãO LinguíStica
VariaçãO LinguíStica
 
Tempo e modo verbais
Tempo e modo verbaisTempo e modo verbais
Tempo e modo verbais
 
1.3 ortografia
1.3   ortografia1.3   ortografia
1.3 ortografia
 
Estrutura das palavras
Estrutura das palavras Estrutura das palavras
Estrutura das palavras
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 
Orações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivasOrações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivas
 
Encontros vocálicos
Encontros vocálicosEncontros vocálicos
Encontros vocálicos
 
SEMANTICA.ppt
SEMANTICA.pptSEMANTICA.ppt
SEMANTICA.ppt
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
 
Ortografia
OrtografiaOrtografia
Ortografia
 
Estrutura e formação de palavras
Estrutura e formação de palavrasEstrutura e formação de palavras
Estrutura e formação de palavras
 
Os verbos
Os verbosOs verbos
Os verbos
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
 
Semântica
Semântica Semântica
Semântica
 
Concepões de língua, linguagem, norma e fala
Concepões de língua, linguagem, norma e falaConcepões de língua, linguagem, norma e fala
Concepões de língua, linguagem, norma e fala
 
Coesão e coerencia
Coesão e coerenciaCoesão e coerencia
Coesão e coerencia
 

Semelhante a Fonética e Fonologia

Fonologia
FonologiaFonologia
1 fonética
1 fonética1 fonética
1 fonética
Jackelini Muzy Vaz
 
Sons e letras
Sons e letrasSons e letras
Sons e letras
Karla Costa
 
Sons e letras
Sons e letrasSons e letras
Sons e letras
Karla Costa
 
Sons e letras
Sons e letrasSons e letras
Sons e letras
Karla Costa
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
Dayane Araújo
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
Dayane Araújo
 
Fonema/Acentuação Gráfica
Fonema/Acentuação GráficaFonema/Acentuação Gráfica
Fonema/Acentuação Gráfica
Fernanda Maia
 
Fonologia 1º ano Ensino Médio
Fonologia 1º ano Ensino MédioFonologia 1º ano Ensino Médio
Fonologia 1º ano Ensino Médio
Prof Palmito Rocha
 
Fonemas.pdf
Fonemas.pdfFonemas.pdf
Fonemas.pdf
Marcos895089
 
Sons e letra 1
Sons e letra 1Sons e letra 1
Sons e letra 1
nixsonmachado
 
Da fonética até à sintaxe1
Da fonética até à sintaxe1Da fonética até à sintaxe1
Da fonética até à sintaxe1
Evonaldo Gonçalves Vanny
 
fonetica e fonologia da LP.pptx
fonetica e fonologia da LP.pptxfonetica e fonologia da LP.pptx
fonetica e fonologia da LP.pptx
LeniomarMorais
 
MODULO-01-FONOLOGIA-FONEMAS-VOGAIS-E-CONSOANTES-SLIDES-DA-AULA.pdf
MODULO-01-FONOLOGIA-FONEMAS-VOGAIS-E-CONSOANTES-SLIDES-DA-AULA.pdfMODULO-01-FONOLOGIA-FONEMAS-VOGAIS-E-CONSOANTES-SLIDES-DA-AULA.pdf
MODULO-01-FONOLOGIA-FONEMAS-VOGAIS-E-CONSOANTES-SLIDES-DA-AULA.pdf
MyllenaRodrigues6
 
Fonética e fonologia
Fonética e fonologiaFonética e fonologia
Fonética e fonologia
Renata Haratani
 
Sons e letras 2
Sons e letras 2Sons e letras 2
Sons e letras 2
nixsonmachado
 
Apostila de-portugues-
Apostila de-portugues- Apostila de-portugues-
Apostila de-portugues-
Terezinha Côgo Venturim
 
Sons fonemas e letras [modo de compatibilidade]
Sons fonemas e letras [modo de compatibilidade]Sons fonemas e letras [modo de compatibilidade]
Sons fonemas e letras [modo de compatibilidade]
Marcy Gomes
 
Aula 1 lp em
Aula 1   lp emAula 1   lp em
Aula 1 lp em
Walney M.F
 
FONÉTICA.pptx
FONÉTICA.pptxFONÉTICA.pptx
FONÉTICA.pptx
MarluceBrum1
 

Semelhante a Fonética e Fonologia (20)

Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 
1 fonética
1 fonética1 fonética
1 fonética
 
Sons e letras
Sons e letrasSons e letras
Sons e letras
 
Sons e letras
Sons e letrasSons e letras
Sons e letras
 
Sons e letras
Sons e letrasSons e letras
Sons e letras
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 
Fonema/Acentuação Gráfica
Fonema/Acentuação GráficaFonema/Acentuação Gráfica
Fonema/Acentuação Gráfica
 
Fonologia 1º ano Ensino Médio
Fonologia 1º ano Ensino MédioFonologia 1º ano Ensino Médio
Fonologia 1º ano Ensino Médio
 
Fonemas.pdf
Fonemas.pdfFonemas.pdf
Fonemas.pdf
 
Sons e letra 1
Sons e letra 1Sons e letra 1
Sons e letra 1
 
Da fonética até à sintaxe1
Da fonética até à sintaxe1Da fonética até à sintaxe1
Da fonética até à sintaxe1
 
fonetica e fonologia da LP.pptx
fonetica e fonologia da LP.pptxfonetica e fonologia da LP.pptx
fonetica e fonologia da LP.pptx
 
MODULO-01-FONOLOGIA-FONEMAS-VOGAIS-E-CONSOANTES-SLIDES-DA-AULA.pdf
MODULO-01-FONOLOGIA-FONEMAS-VOGAIS-E-CONSOANTES-SLIDES-DA-AULA.pdfMODULO-01-FONOLOGIA-FONEMAS-VOGAIS-E-CONSOANTES-SLIDES-DA-AULA.pdf
MODULO-01-FONOLOGIA-FONEMAS-VOGAIS-E-CONSOANTES-SLIDES-DA-AULA.pdf
 
Fonética e fonologia
Fonética e fonologiaFonética e fonologia
Fonética e fonologia
 
Sons e letras 2
Sons e letras 2Sons e letras 2
Sons e letras 2
 
Apostila de-portugues-
Apostila de-portugues- Apostila de-portugues-
Apostila de-portugues-
 
Sons fonemas e letras [modo de compatibilidade]
Sons fonemas e letras [modo de compatibilidade]Sons fonemas e letras [modo de compatibilidade]
Sons fonemas e letras [modo de compatibilidade]
 
Aula 1 lp em
Aula 1   lp emAula 1   lp em
Aula 1 lp em
 
FONÉTICA.pptx
FONÉTICA.pptxFONÉTICA.pptx
FONÉTICA.pptx
 

Mais de Marcos Feliciano

Turma da Mónica em Viva as Diferenças
Turma da Mónica em Viva as DiferençasTurma da Mónica em Viva as Diferenças
Turma da Mónica em Viva as Diferenças
Marcos Feliciano
 
Present continuous tense
Present continuous tensePresent continuous tense
Present continuous tense
Marcos Feliciano
 
Modal can
Modal canModal can
Modal can
Marcos Feliciano
 
Plastic surgery
Plastic surgeryPlastic surgery
Plastic surgery
Marcos Feliciano
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
Marcos Feliciano
 
Romantismo na literatura
Romantismo na literaturaRomantismo na literatura
Romantismo na literatura
Marcos Feliciano
 
Modelo de relatório simplificado
Modelo de relatório simplificadoModelo de relatório simplificado
Modelo de relatório simplificado
Marcos Feliciano
 
Gêneros Literários
Gêneros LiteráriosGêneros Literários
Gêneros Literários
Marcos Feliciano
 
Prosa e Poesia
Prosa e PoesiaProsa e Poesia
Prosa e Poesia
Marcos Feliciano
 
Figuras de Linguagem
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de Linguagem
Marcos Feliciano
 

Mais de Marcos Feliciano (10)

Turma da Mónica em Viva as Diferenças
Turma da Mónica em Viva as DiferençasTurma da Mónica em Viva as Diferenças
Turma da Mónica em Viva as Diferenças
 
Present continuous tense
Present continuous tensePresent continuous tense
Present continuous tense
 
Modal can
Modal canModal can
Modal can
 
Plastic surgery
Plastic surgeryPlastic surgery
Plastic surgery
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Romantismo na literatura
Romantismo na literaturaRomantismo na literatura
Romantismo na literatura
 
Modelo de relatório simplificado
Modelo de relatório simplificadoModelo de relatório simplificado
Modelo de relatório simplificado
 
Gêneros Literários
Gêneros LiteráriosGêneros Literários
Gêneros Literários
 
Prosa e Poesia
Prosa e PoesiaProsa e Poesia
Prosa e Poesia
 
Figuras de Linguagem
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de Linguagem
 

Último

Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Renato Henriques
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 

Fonética e Fonologia

  • 1. P R O F . M A R C O S F E L I C I A N O FONÉTICA E FONOLOGIA
  • 2. Fonema e letra São sons da fala humana que, sós ou combinados, formam as sílabas que, por sua vez, formam as palavras. São as representações gráficas (símbolos convencionados) dos fonemas. FONEMA LETRA
  • 3. Fonema pronuncia-se e ouve-se; Letra escreve-se e vê-se. Quantos fonemas e letras há nas palavras abaixo? cabelo hoje guerra tanto tóxico
  • 4. Um mesmo fonema pode ser representado por letras diferentes, como podem, também, fonemas diferentes ser representados por uma mesma letra: mesa, beleza - as letras s e z representam o mesmo fonema /z/; texto (x = /s/), exame (x = /z/), sexo (x = /ks/), máximo (x = /ss/), lixo (x = /ch/) - em cada uma o “x” representa fonemas diferentes.
  • 5. Por aí se vê que não há, rigorosamente, um símbolo gráfico (letra) para cada fonema de nossa língua. Essa discrepância entre fonemas e letras é a responsável pela maior parte das dificuldades ortográficas que enfrentamos.
  • 6. VOGAIS AS VOGAIS SÃO OS FONEMAS SONOROS PRODUZIDOS POR UMA CORRENTE DE AR QUE PASSA LIVREMENTE PELA BOCA. EM NOSSA LÍNGUA, DESEMPENHAM O PAPEL DE NÚCLEO DAS SÍLABAS. ASSIM, ISSO SIGNIFICA QUE EM TODA SÍLABA HÁ NECESSARIAMENTE UMA ÚNICA VOGAL. Classificação dos Fonemas
  • 7. Quando o ar sai apenas pela boca: /a/ /e/ /i/ /o/ /u/ Quando o ar sai pela boca e pelas fossas nasais: / ã /: fã, canto, tampa / ẽ /: dente, tempero / ἶ /: lindo, mim / õ / bonde, tombo / ữ / nunca, algum Na produção de vogais, a boca fica aberta ou entreaberta. As vogais podem ser: ORAIS NASAIS
  • 8. Pronunciadas com menor intensidade: Até Bola Pronunciadas com maior intensidade: Até Bola As vogais ainda podem ser: ÁTONAS TÔNICAS
  • 9. Quanto ao timbre Abertas – pé, lata, pó Fechadas – mês, luta, amor Reduzidas - Aparecem quase sempre no final das palavras - dedo, ave, gente
  • 10. SEMIVOGAL Os fonemas /i/ e /u/, algumas vezes, não são vogais. Aparecem apoiados em uma vogal, formando com ela uma só emissão de voz (uma sílaba). Nesse caso, esses fonemas são chamados de semivogais. A diferença fundamental entre vogais e semivogais está no fato de que estas últimas não desempenham o papel de núcleo silábico.
  • 11. SEMIVOGAL Observe a palavra papai. Ela é formada de duas sílabas: pa-pai. Na última sílaba, o fonema vocálico que se destaca é o a. Ele é a vogal. O outro fonema vocálico i não é tão forte quanto ele. É a semivogal. Outros exemplos: saudade, história, série. Obs.: os fonemas /i/ e /u/ podem aparecer representados na escrita por" e", "o" ou "m". Veja: pães / pãis mão / mãu/ cem /cẽi/
  • 12. CONSOANTE Para a produção das consoantes, a corrente de ar expirada pelos pulmões encontra obstáculos ao passar pela cavidade bucal. Isso faz com que as consoantes sejam verdadeiros "ruídos", incapazes de atuar como núcleos silábicos. Seu nome provém justamente desse fato, pois, em português, sempre consoam ("soam com") as vogais. Exemplos: /b/, /t/, /d/, /v/, /l/, /m/, etc.
  • 13. Encontros vocálicos Os encontros vocálicos são agrupamentos de vogais e semivogais, sem consoantes intermediárias. É importante reconhecê-los para dividir corretamente os vocábulos em sílabas. Existem três tipos de encontros: o ditongo, o tritongo e o hiato.
  • 14. Encontros vocálicos 1) Ditongo - É o encontro de uma vogal e uma semivogal (ou vice- versa) numa mesma sílaba. Pode ser: a) Crescente: quando a semivogal vem antes da vogal. Por Exemplo: sé-rie (i = semivogal, e = vogal) b) Decrescente: quando a vogal vem antes da semivogal. Por Exemplo: pai (a = vogal, i = semivogal) c) Oral: quando o ar sai apenas pela boca. Exemplos: pai, série d) Nasal: quando o ar sai pela boca e pelas fossas nasais. Por Exemplo: mãe
  • 15. Encontros vocálicos 2) Tritongo – É a sequência formada por uma semivogal, uma vogal e uma semivogal, sempre nessa ordem, numa só sílaba. Pode ser oral ou nasal. Exemplos: Paraguai - Tritongo oral quão - Tritongo nasal 3) Hiato - É a sequência de duas vogais numa mesma palavra que pertencem a sílabas diferentes, uma vez que nunca há mais de uma vogal numa sílaba. Por Exemplo: saída (sa-í-da) poesia (po-e-si-a)
  • 16. Encontros consonantais O agrupamento de duas ou mais consoantes, sem vogal intermediária, recebe o nome de encontro consonantal. Existem basicamente dois tipos: - os que resultam do contato consoante + l ou r e ocorrem numa mesma sílaba, como em: pe- dra, pla-no, a-tle-ta, cri-se... - os que resultam do contato de duas consoantes pertencentes a sílabas diferentes: por-ta, rit-mo, lis- ta...
  • 17. Encontros consonantais Há ainda grupos consonantais que surgem no início dos vocábulos; são, por isso, inseparáveis: pneu, gno-mo,psi-có- lo-go... Dígrafos bicho Possui quatro fonemas e cinco letras. Na palavra acima, para representar o fonema | xe| foram utilizadas duas letras: o c e o h. Assim, o dígrafo ocorre quando duas letras são usadas para representar um único fonema (di = dois + grafo = letra).
  • 18. Sílaba É a unidade ou grupo de fonemas emitidos num só impulso da voz.
  • 19. Classificação das palavras quanto ao número de sílabas 1. Monossílabas - aquelas que possuem uma só sílaba: dó, mão, cruz, etc. 2. Dissílabas - aquelas que possuem duas sílabas: sa/pé, fo/lha, te/la, etc. 3. Trissílabas - aquelas que possuem três sílabas: fun/da/ção, mé/di/co, etc. 4. Polissílabas - aquelas que possuem mais de três sílabas: ve/te/ra/no, na/tu/re/za, pa/la/ci/a/no, etc.
  • 20. Divisão silábica A fala é o primeiro e mais importante recurso usado para a divisão silábica na escrita. Regra geral: Toda sílaba, obrigatoriamente, possui uma vogal.
  • 21. Regras práticas: Não se separam ditongos e tritongos. Exemplos: mau, averiguei. Separam-se as letras que representam os hiatos. Exemplos: sa-í-da, vo-o. Separam-se somente os dígrafos rr, ss, sc, sç, xc. Exemplos: pas-se-a-ta, car-ro, ex-ceto. Separam-se os encontros consonantais pronunciados separadamente. Exemplo: car-ta Os elementos mórficos das palavras (prefixos, radicais, sufixos), quando incorporados à palavra, obedecem às regras gerais. Exemplos: de-sa-ten-to, bi-sa-vô, tran-sa-tlân-ti-co. Consoante não seguida de vogal permanece na sílaba anterior. Quando isso ocorrer em início de palavra, a consoante se anexa à sílaba seguinte. Exemplos: ad-je-ti-vo, tungs-tê-nio, psi-có-lo-go, gno-mo.
  • 22. OBS: Não confunda acento tônico com acento gráfico. O acento tônico está relacionado com intensidade de som e existe em todas as palavras com duas ou mais sílabas. O acento gráfico existirá em apenas algumas palavras e será usado de acordo com regras de acentuação.
  • 23. Classificação das palavras quanto ao acento tônico As palavras com mais de uma sílaba, conforme a tonicidade, classificam-se em: 1. Oxítonas: quando a sílaba tônica é a última - coração, São Tomé, etc. 2. Paroxítonas: quando a sílaba tônica é a penúltima - cadeira, linha, régua, etc. 3. Proparoxítonas: quando a sílaba tônica é a antepenúltima - ibérica, América, etc.
  • 24. Os monossílabos podem ser tônicos ou átonos: Tônicos: são autônomos, emitidos fortemente, como se fossem sílabas tônicas. Ex.: ré, teu, lá, etc. Átonos: apoiam-se em outras palavras, pois não são autônomos, são emitidos fracamente, como se fossem sílabas átonas.São palavras sem sentido quando estão isoladas: artigos, pronomes oblíquos, preposições, junções de preposições e artigos, conjunções, pronome relativo que. Ex.: o, lhe, nem, etc.
  • 25. Prosódia A prosódia está relacionada com a correta acentuação das palavras tomando como padrão a língua considerada culta. Os erros de prosódia recebem o nome de silabada. Vejamos alguns exemplos: sútil em vez de sutil; côndor em vez de condor; rúbrica em vez de rubrica; ávaro em vez de avaro; interim em vez de ínterim.
  • 26. Vocábulos que geram dúvidas quanto a Prosódia 1) oxítonas: cateter, Cister, condor, hangar, mister, Nobel, novel, recém, refém, ruim, sutil, ureter, cauim, arguir. 2) paroxítonas: avaro, barbárie, caracteres, cartomancia, ciclope, erudito, ibero, gratuito, ônix, poliglota, pudico, rubrica, tulipa, filantropo, misantropo, âmbar, táctil, austero, libido. 3) proparoxítonas: aeródromo, alcoólatra, álibi, âmago, antídoto, elétrodo, lêvedo, protótipo, quadrúmano, vermífugo, zéfiro, óbolo, ágape, aerólito, trânsfuga, ínterim, revérbero, crisântemo.
  • 27. As palavras em Língua Portuguesa são acentuadas de acordo com regras. Para que você saiba aplicá-las é preciso que tenha claros alguns conceitos como tonicidade, encontros consonantais e vocálicos.