SlideShare uma empresa Scribd logo
Cenário e Tendências do Investimento
Social Privado no Brasil
Rodrigo Alvarez
Objetivo dessa sessão
Apresentar dados do cenário atual e
tendências do ISP e apoiar os
participantes e tomarem decisões em
relação ao seu futuro.
Investimento social privado é o repasse
voluntário de recursos privados de
forma planejada,monitorada e sistemáti
ca para projetos sociais, ambientais e
culturais de interesse público.
empresas famílias comunidades
Economias Emergentes
Ambiente desafiador
Recente movimento
filantropico e de investimento
social
Complexidade dos desafios
sociais
FONTE VOLUME INVESTIDO POR
ANO
POTENCIAL DE
CRESCIMENTO
EMPRESAS E FUNDAÇÕES
EMPRESARIAIS
R$ 7 -10 bilhões Médio
INDIVÍDUOS R$ 5,2 – 6 bilhões Alto
COOPERAÇÃO
INTERNACIONAL
R$ 0,5 bilhão (?) Baixo
GOVERNO FEDERAL R$ 12 bilhões (?) Baixo/?
Recursos Próprios R$ 35 bilhões (?) Baixo/?
Ondas do ISP Corporativo
Ação social da empresa
RSC e ISP
Reputação
Integração com o Negócio
Doação como parte dos valores da empresa e da família
Mobilização de funcionários
Pauta da Responsabilidade Social Empresarial
Criação de Institutos e Fundações Empresariais
Consumidores mais conscientes
Associação positiva gera ganhos de imagem da empresa
Sustentabilidade
Licença Social para operar
anos 90
Anos 2000
Anos 2010
Censo GIFE
Censo GIFE 2011-2012/ Base: 99
2009
82%
60%
44%
60%
51%
46%
58%
49%
29%
32%
38%
Base de 35 associados GIFE.
0% 10% 20% 30% 40% 50% 60%
Apoia com recursos financeiros e/ou técnicos
projetos/programas de terceiros por meio de doação/
patrocínio pontual e eventual
Apoia com recursos financeiros e/ou técnicos projetos e
programas de terceiros, a partir de linhas programáticas
pré-estabelecidas e/ou processos de seleção/editais
regulares
Viabiliza financeira e/ou tecnicamente
projetos/programasdesenvolvidos pelo próprio Associado,
mas executados por terceiros
Executa diretamente (com equipe própria)
projetos/programas,desenvolvidos pelo próprio Associado
(ainda que com assessoria de terceiros)
54%
43%
40%
34%
Censo GIFE
• Marco Regulatório;
• Investimento social mais ligado à cadeia de valor das empresas;
• Busca de escala do ISP alinhado com políticas públicas;
• Demanda por métricas de impacto;
• Novas formas de comunicação – novas mídias;
• Rede pública-privada/Trabalho em rede;
• Cobrança por mais transparência;
• Diversificação do Investimento;
• Sociedade civil como prestador de serviço (setor privado);
• Finanças sociais e investimentos de impacto;
• Fundos Patrimoniais.
Relatório do Encontro Estratégico GIFE
22 de Janeiro de 2014
Novo posicionamento GIFE - 2014
“O dinheiro das ONGs” – Como as
Organizações da Sociedade Civil sustentam suas atividades –
ABONG, 2014
Empresas brasileiras preferem projetos próprios
• O foco na contratação via projetos é uma das muitas características
do modelo de filantropia empresarial construído no Brasil;
• Há entre os empresários uma baixa confiança na capacidade das
OSCs de realizarem suas missões;
• Tendência dos institutos empresariais de alinhar os investimentos
sociais aos negócios da empresa mantenedora;
• Necessidade dos institutos empresariais de justificar o investimento
para suas empresas mantenedoras, por meio de avaliações e
mensuração dos resultados do investimento social.
Grandes fortunas
• Crescimento exponencial das grandes fortunas: dados da
consultoria Knight Frank, aponta que o número de bilionários no
Brasil será 157% maior em 2022 em relação a 2012, terceiro
maior crescimento do mundo.;
• Em geral, doam pouco (R$ 10 –R$ 50 mil/ano)
• Doações pulverizadas para muitas entidades;
• Atendem a demandas urgentes e/ou de cunho
político/relacionamento;
• Pouco planejamento e avaliação;
• RELACIONAMENTO é a palavra chave. Grandes doadores no
Brasil doam por pressão de seus pares.
Grandes fortunas
• Auto-expressão: fazer em vida
• Empreendedorismo
• Participação
• Competências
• Resultados
14
14
• Governo
– Crise Econômica  recursos limitados value for money
– Brasil: centralização do papel do governo; Marco Regulatório -
relação entre Governo e OSCs em processo de mudança.
• OSCs
– Provar o impacto social, em busca de funding;
– Aumentar o impacto social, para criar mais mudanças;
– Transparência e accountability;
• Interesse das empresas
– Aumentar o impacto sobre o investimento
– Transparência e accountability;
– Reputação e Inovação (Negócios de Impacto)
Tendências por stakeholder
Dados NEF – New Economics Foundation
Tendência mundial no mundo dos negócios
Planos para ações de medição de impacto – 2013
Dados NEF – New Economics Foundation
Source: http://www.accprof.org/members/2013_trendreport/files/inc/48d8258409.pdf
Sugestão de modelo de análise de
portfólio de oportunidades
Grau de impacto social
Capacidadedegeraçãodereceita
e/ouvisibilidadeparacausa
ESTRELAS: Geram tanto
impacto quanto recursos
IDEOLÓGICOS: Alto
impacto,
mas drenam recursos financeiros
MARKETEIROS: Geram
recursos,
mas têm baixo impacto.
MICO: não geram nem
recursos nem incidência
O que fazer – investir no
relacionamento com parceiro para
ampliar nível de consciência.
O que fazer – definir fontes claras,
buscar novos parceiros.
O que fazer – investir no
relacionamento com parceiro para
manter e ampliar relação.
O que fazer – avaliar descontinuidade
Rodrigo Alvarez
rodrigo@mobilizaconsultoria.org.br
(13) 99715-7973

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Cenário e tendências do Investimento Social Privado no Brasil

Laboratório de Financiamento Coletivo - Mobiliza & Kickante
Laboratório de Financiamento Coletivo - Mobiliza & KickanteLaboratório de Financiamento Coletivo - Mobiliza & Kickante
Laboratório de Financiamento Coletivo - Mobiliza & Kickante
Kickante
 
Responsabilidade Social
Responsabilidade SocialResponsabilidade Social
Responsabilidade Social
Patricia Melero
 
Fis2 marcos kisil e paulo cesar coelho
Fis2 marcos kisil e paulo cesar coelhoFis2 marcos kisil e paulo cesar coelho
Fis2 marcos kisil e paulo cesar coelho
Instituto Hartmann Regueira
 
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de FinanciamentoLuís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
João Tàtá dos Anjos
 
Exit magazine 28 jan_dec2012_dianova
Exit magazine 28 jan_dec2012_dianovaExit magazine 28 jan_dec2012_dianova
Exit magazine 28 jan_dec2012_dianova
Dianova
 
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
IDIS
 
ESG e o “S” brasileiro | Nota técnica
ESG e o “S” brasileiro | Nota técnicaESG e o “S” brasileiro | Nota técnica
ESG e o “S” brasileiro | Nota técnica
IDIS
 
Curs captaçao, apostila p&b
Curs captaçao, apostila p&bCurs captaçao, apostila p&b
Curs captaçao, apostila p&b
Antonio Carlos Rocha
 
Introdução a Captação de Recursos
Introdução a Captação de RecursosIntrodução a Captação de Recursos
Introdução a Captação de Recursos
Squadra Assessoria e Consultoria
 
Presentation Fund IT3 Capital
Presentation Fund IT3 CapitalPresentation Fund IT3 Capital
Presentation Fund IT3 Capital
HSG Hub São Paulo
 
Celia Cruz Negocios Sociais
Celia Cruz Negocios SociaisCelia Cruz Negocios Sociais
Celia Cruz Negocios Sociais
SECONCI-RIO
 
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
Everton742248
 
Investimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Investimento Social Privado como Agente de DesenvolvimentoInvestimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Investimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Bruno Rabelo
 
fabcr22_apresentação_Como identificar as melhores estratégias de Captação den...
fabcr22_apresentação_Como identificar as melhores estratégias de Captação den...fabcr22_apresentação_Como identificar as melhores estratégias de Captação den...
fabcr22_apresentação_Como identificar as melhores estratégias de Captação den...
ABCR
 
Festival 2017 - Suellen Moreira
Festival 2017 - Suellen MoreiraFestival 2017 - Suellen Moreira
Festival 2017 - Suellen Moreira
ABCR
 
Festival 2015 - Negócios de Impacto
Festival 2015 - Negócios de ImpactoFestival 2015 - Negócios de Impacto
Festival 2015 - Negócios de Impacto
ABCR
 
Oficina Femama - Mobilização de Recursos
Oficina Femama - Mobilização de RecursosOficina Femama - Mobilização de Recursos
Oficina Femama - Mobilização de Recursos
contatofemama
 
Pesquisa BISC 2015
Pesquisa BISC 2015Pesquisa BISC 2015
Pesquisa BISC 2015
IDIS
 
Editais 1112 shareb
Editais 1112 sharebEditais 1112 shareb
Editais 1112 shareb
Michel Freller
 
Festival 2017 - Fabio Deboni
Festival 2017 - Fabio DeboniFestival 2017 - Fabio Deboni
Festival 2017 - Fabio Deboni
ABCR
 

Semelhante a Cenário e tendências do Investimento Social Privado no Brasil (20)

Laboratório de Financiamento Coletivo - Mobiliza & Kickante
Laboratório de Financiamento Coletivo - Mobiliza & KickanteLaboratório de Financiamento Coletivo - Mobiliza & Kickante
Laboratório de Financiamento Coletivo - Mobiliza & Kickante
 
Responsabilidade Social
Responsabilidade SocialResponsabilidade Social
Responsabilidade Social
 
Fis2 marcos kisil e paulo cesar coelho
Fis2 marcos kisil e paulo cesar coelhoFis2 marcos kisil e paulo cesar coelho
Fis2 marcos kisil e paulo cesar coelho
 
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de FinanciamentoLuís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
 
Exit magazine 28 jan_dec2012_dianova
Exit magazine 28 jan_dec2012_dianovaExit magazine 28 jan_dec2012_dianova
Exit magazine 28 jan_dec2012_dianova
 
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
 
ESG e o “S” brasileiro | Nota técnica
ESG e o “S” brasileiro | Nota técnicaESG e o “S” brasileiro | Nota técnica
ESG e o “S” brasileiro | Nota técnica
 
Curs captaçao, apostila p&b
Curs captaçao, apostila p&bCurs captaçao, apostila p&b
Curs captaçao, apostila p&b
 
Introdução a Captação de Recursos
Introdução a Captação de RecursosIntrodução a Captação de Recursos
Introdução a Captação de Recursos
 
Presentation Fund IT3 Capital
Presentation Fund IT3 CapitalPresentation Fund IT3 Capital
Presentation Fund IT3 Capital
 
Celia Cruz Negocios Sociais
Celia Cruz Negocios SociaisCelia Cruz Negocios Sociais
Celia Cruz Negocios Sociais
 
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
 
Investimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Investimento Social Privado como Agente de DesenvolvimentoInvestimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Investimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
 
fabcr22_apresentação_Como identificar as melhores estratégias de Captação den...
fabcr22_apresentação_Como identificar as melhores estratégias de Captação den...fabcr22_apresentação_Como identificar as melhores estratégias de Captação den...
fabcr22_apresentação_Como identificar as melhores estratégias de Captação den...
 
Festival 2017 - Suellen Moreira
Festival 2017 - Suellen MoreiraFestival 2017 - Suellen Moreira
Festival 2017 - Suellen Moreira
 
Festival 2015 - Negócios de Impacto
Festival 2015 - Negócios de ImpactoFestival 2015 - Negócios de Impacto
Festival 2015 - Negócios de Impacto
 
Oficina Femama - Mobilização de Recursos
Oficina Femama - Mobilização de RecursosOficina Femama - Mobilização de Recursos
Oficina Femama - Mobilização de Recursos
 
Pesquisa BISC 2015
Pesquisa BISC 2015Pesquisa BISC 2015
Pesquisa BISC 2015
 
Editais 1112 shareb
Editais 1112 sharebEditais 1112 shareb
Editais 1112 shareb
 
Festival 2017 - Fabio Deboni
Festival 2017 - Fabio DeboniFestival 2017 - Fabio Deboni
Festival 2017 - Fabio Deboni
 

Mais de Rodrigo Alvarez

Diagnostico cultura de doação
Diagnostico cultura de doaçãoDiagnostico cultura de doação
Diagnostico cultura de doação
Rodrigo Alvarez
 
Começar do zero programa de captação com indivíduos
Começar do zero programa de captação com indivíduosComeçar do zero programa de captação com indivíduos
Começar do zero programa de captação com indivíduos
Rodrigo Alvarez
 
Oficina Mobilização de Recursos_CLADE
Oficina Mobilização de Recursos_CLADEOficina Mobilização de Recursos_CLADE
Oficina Mobilização de Recursos_CLADE
Rodrigo Alvarez
 
Apresentação hub escola_inovação no financiamento de causas
Apresentação hub escola_inovação no financiamento de causasApresentação hub escola_inovação no financiamento de causas
Apresentação hub escola_inovação no financiamento de causas
Rodrigo Alvarez
 
Balanced scorecard como ferramenta de planejamento para Organizações da Socie...
Balanced scorecard como ferramenta de planejamento para Organizações da Socie...Balanced scorecard como ferramenta de planejamento para Organizações da Socie...
Balanced scorecard como ferramenta de planejamento para Organizações da Socie...
Rodrigo Alvarez
 
SROI Apresentação
SROI ApresentaçãoSROI Apresentação
SROI Apresentação
Rodrigo Alvarez
 
Criando um plano de captação de recursos personalizado para sua organização.
Criando um plano de captação de recursos personalizado para sua organização.Criando um plano de captação de recursos personalizado para sua organização.
Criando um plano de captação de recursos personalizado para sua organização.
Rodrigo Alvarez
 
Plano de captação de recursos
Plano de captação de recursosPlano de captação de recursos
Plano de captação de recursos
Rodrigo Alvarez
 
NegóCios Sociais
NegóCios SociaisNegóCios Sociais
NegóCios Sociais
Rodrigo Alvarez
 
ExercíCio Documento De Suporte à CaptaçãO
ExercíCio Documento De Suporte à CaptaçãOExercíCio Documento De Suporte à CaptaçãO
ExercíCio Documento De Suporte à CaptaçãO
Rodrigo Alvarez
 
Plano Cap Recursos Rodrigo Alvarez
Plano Cap Recursos Rodrigo AlvarezPlano Cap Recursos Rodrigo Alvarez
Plano Cap Recursos Rodrigo Alvarez
Rodrigo Alvarez
 
How To Write An Inspiring Case For Support Rodrigo Alvarez
How To Write An Inspiring Case For Support Rodrigo AlvarezHow To Write An Inspiring Case For Support Rodrigo Alvarez
How To Write An Inspiring Case For Support Rodrigo Alvarez
Rodrigo Alvarez
 

Mais de Rodrigo Alvarez (12)

Diagnostico cultura de doação
Diagnostico cultura de doaçãoDiagnostico cultura de doação
Diagnostico cultura de doação
 
Começar do zero programa de captação com indivíduos
Começar do zero programa de captação com indivíduosComeçar do zero programa de captação com indivíduos
Começar do zero programa de captação com indivíduos
 
Oficina Mobilização de Recursos_CLADE
Oficina Mobilização de Recursos_CLADEOficina Mobilização de Recursos_CLADE
Oficina Mobilização de Recursos_CLADE
 
Apresentação hub escola_inovação no financiamento de causas
Apresentação hub escola_inovação no financiamento de causasApresentação hub escola_inovação no financiamento de causas
Apresentação hub escola_inovação no financiamento de causas
 
Balanced scorecard como ferramenta de planejamento para Organizações da Socie...
Balanced scorecard como ferramenta de planejamento para Organizações da Socie...Balanced scorecard como ferramenta de planejamento para Organizações da Socie...
Balanced scorecard como ferramenta de planejamento para Organizações da Socie...
 
SROI Apresentação
SROI ApresentaçãoSROI Apresentação
SROI Apresentação
 
Criando um plano de captação de recursos personalizado para sua organização.
Criando um plano de captação de recursos personalizado para sua organização.Criando um plano de captação de recursos personalizado para sua organização.
Criando um plano de captação de recursos personalizado para sua organização.
 
Plano de captação de recursos
Plano de captação de recursosPlano de captação de recursos
Plano de captação de recursos
 
NegóCios Sociais
NegóCios SociaisNegóCios Sociais
NegóCios Sociais
 
ExercíCio Documento De Suporte à CaptaçãO
ExercíCio Documento De Suporte à CaptaçãOExercíCio Documento De Suporte à CaptaçãO
ExercíCio Documento De Suporte à CaptaçãO
 
Plano Cap Recursos Rodrigo Alvarez
Plano Cap Recursos Rodrigo AlvarezPlano Cap Recursos Rodrigo Alvarez
Plano Cap Recursos Rodrigo Alvarez
 
How To Write An Inspiring Case For Support Rodrigo Alvarez
How To Write An Inspiring Case For Support Rodrigo AlvarezHow To Write An Inspiring Case For Support Rodrigo Alvarez
How To Write An Inspiring Case For Support Rodrigo Alvarez
 

Cenário e tendências do Investimento Social Privado no Brasil

  • 1. Cenário e Tendências do Investimento Social Privado no Brasil Rodrigo Alvarez
  • 2. Objetivo dessa sessão Apresentar dados do cenário atual e tendências do ISP e apoiar os participantes e tomarem decisões em relação ao seu futuro.
  • 3. Investimento social privado é o repasse voluntário de recursos privados de forma planejada,monitorada e sistemáti ca para projetos sociais, ambientais e culturais de interesse público. empresas famílias comunidades
  • 4. Economias Emergentes Ambiente desafiador Recente movimento filantropico e de investimento social Complexidade dos desafios sociais
  • 5. FONTE VOLUME INVESTIDO POR ANO POTENCIAL DE CRESCIMENTO EMPRESAS E FUNDAÇÕES EMPRESARIAIS R$ 7 -10 bilhões Médio INDIVÍDUOS R$ 5,2 – 6 bilhões Alto COOPERAÇÃO INTERNACIONAL R$ 0,5 bilhão (?) Baixo GOVERNO FEDERAL R$ 12 bilhões (?) Baixo/? Recursos Próprios R$ 35 bilhões (?) Baixo/?
  • 6. Ondas do ISP Corporativo Ação social da empresa RSC e ISP Reputação Integração com o Negócio Doação como parte dos valores da empresa e da família Mobilização de funcionários Pauta da Responsabilidade Social Empresarial Criação de Institutos e Fundações Empresariais Consumidores mais conscientes Associação positiva gera ganhos de imagem da empresa Sustentabilidade Licença Social para operar anos 90 Anos 2000 Anos 2010
  • 7. Censo GIFE Censo GIFE 2011-2012/ Base: 99 2009 82% 60% 44% 60% 51% 46% 58% 49% 29% 32% 38%
  • 8. Base de 35 associados GIFE. 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% Apoia com recursos financeiros e/ou técnicos projetos/programas de terceiros por meio de doação/ patrocínio pontual e eventual Apoia com recursos financeiros e/ou técnicos projetos e programas de terceiros, a partir de linhas programáticas pré-estabelecidas e/ou processos de seleção/editais regulares Viabiliza financeira e/ou tecnicamente projetos/programasdesenvolvidos pelo próprio Associado, mas executados por terceiros Executa diretamente (com equipe própria) projetos/programas,desenvolvidos pelo próprio Associado (ainda que com assessoria de terceiros) 54% 43% 40% 34% Censo GIFE
  • 9. • Marco Regulatório; • Investimento social mais ligado à cadeia de valor das empresas; • Busca de escala do ISP alinhado com políticas públicas; • Demanda por métricas de impacto; • Novas formas de comunicação – novas mídias; • Rede pública-privada/Trabalho em rede; • Cobrança por mais transparência; • Diversificação do Investimento; • Sociedade civil como prestador de serviço (setor privado); • Finanças sociais e investimentos de impacto; • Fundos Patrimoniais. Relatório do Encontro Estratégico GIFE 22 de Janeiro de 2014
  • 11. “O dinheiro das ONGs” – Como as Organizações da Sociedade Civil sustentam suas atividades – ABONG, 2014 Empresas brasileiras preferem projetos próprios • O foco na contratação via projetos é uma das muitas características do modelo de filantropia empresarial construído no Brasil; • Há entre os empresários uma baixa confiança na capacidade das OSCs de realizarem suas missões; • Tendência dos institutos empresariais de alinhar os investimentos sociais aos negócios da empresa mantenedora; • Necessidade dos institutos empresariais de justificar o investimento para suas empresas mantenedoras, por meio de avaliações e mensuração dos resultados do investimento social.
  • 12. Grandes fortunas • Crescimento exponencial das grandes fortunas: dados da consultoria Knight Frank, aponta que o número de bilionários no Brasil será 157% maior em 2022 em relação a 2012, terceiro maior crescimento do mundo.; • Em geral, doam pouco (R$ 10 –R$ 50 mil/ano) • Doações pulverizadas para muitas entidades; • Atendem a demandas urgentes e/ou de cunho político/relacionamento; • Pouco planejamento e avaliação; • RELACIONAMENTO é a palavra chave. Grandes doadores no Brasil doam por pressão de seus pares.
  • 13. Grandes fortunas • Auto-expressão: fazer em vida • Empreendedorismo • Participação • Competências • Resultados
  • 14. 14 14 • Governo – Crise Econômica  recursos limitados value for money – Brasil: centralização do papel do governo; Marco Regulatório - relação entre Governo e OSCs em processo de mudança. • OSCs – Provar o impacto social, em busca de funding; – Aumentar o impacto social, para criar mais mudanças; – Transparência e accountability; • Interesse das empresas – Aumentar o impacto sobre o investimento – Transparência e accountability; – Reputação e Inovação (Negócios de Impacto) Tendências por stakeholder Dados NEF – New Economics Foundation
  • 15. Tendência mundial no mundo dos negócios Planos para ações de medição de impacto – 2013 Dados NEF – New Economics Foundation Source: http://www.accprof.org/members/2013_trendreport/files/inc/48d8258409.pdf
  • 16. Sugestão de modelo de análise de portfólio de oportunidades Grau de impacto social Capacidadedegeraçãodereceita e/ouvisibilidadeparacausa ESTRELAS: Geram tanto impacto quanto recursos IDEOLÓGICOS: Alto impacto, mas drenam recursos financeiros MARKETEIROS: Geram recursos, mas têm baixo impacto. MICO: não geram nem recursos nem incidência O que fazer – investir no relacionamento com parceiro para ampliar nível de consciência. O que fazer – definir fontes claras, buscar novos parceiros. O que fazer – investir no relacionamento com parceiro para manter e ampliar relação. O que fazer – avaliar descontinuidade