SlideShare uma empresa Scribd logo
ALGARVE INFORMATIVO #87 44
A Região de Turismo do Algarve dinamizou, no dia 6 de dezembro, mais
uma Fam Trip, desta vez com destino a Vila do Bispo e com o objetivo duplo
de dar a conhecer as belezas deste concelho, mas também o seu legado
Omíada. Para tal convidou algumas dezenas de profissionais de turismo,
agentes culturais e jornalistas, numa jornada que terminou com um
deslumbrante pôr-do-sol no Cabo de São Vicente.
À descoberta do legado
Omíada em Vila do Bispo
Texto: Fotografia:
ALGARVE INFORMATIVO #87 44
ALGARVE INFORMATIVO #8745 ALGARVE INFORMATIVO #8745
ALGARVE INFORMATIVO #87 46
D
epois de Alcoutim, São
Brás de Alportel,
Monchique, Lagos, Lagoa,
Aljezur, Tavira e Silves, a
Fam Trip «Redescobrir os
Segredos do Algarve», promovida pela
Região de Turismo do Algarve, rumou,
no dia 6 de dezembro, ao concelho de
Vila do Bispo. O propósito da iniciativa
foi, como de costume, dar a conhecer
mais alguns dos segredos do principal
destino turístico do país e, em
simultâneo, revelar a herança árabe na
região. Aliás, a Fam Trip a Vila do Bispo
integrou a descoberta da Rota dos
Omíadas no Algarve, itinerário
turístico-cultural dedicado à dinastia
árabe que há mil anos dominava o
Mediterrâneo.
A jornada iniciou-se logo pela 8h30,
junto à sede da RTA, em Faro e, depois
de uma breve paragem em Vale
Paraíso, para recolher mais
elementos da comitiva, seguiu-se
para Vila do Bispo, mais
concretamente à Praça da República,
junto à Igreja Matriz de Vila do
Bispo, onde nos esperavam Adelino
Soares, presidente da Câmara
Municipal de Vila do Bispo, Desidério
Silva, presidente da Região de
Turismo do Algarve, e Alexandra
Gonçalves, Diretora Regional da
Cultura do Algarve. No Centro de
Interpretação de Vila do Bispo foi
feita uma pequena introdução ao
território e visitou-se a exposição
«Paisagens Condutoras», um
cruzamento entre arte, cultura
gastronómica e património histórico
e arqueológico do Algarve, com
algumas curiosas passagens sobre o
legado omíada.
ALGARVE INFORMATIVO #8747
Aproveitando a pausa para café,
Adelino Soares lembrou que se
encontram, em Vila do Bispo, os
vestígios mais acentuados da grande
Pangeia, de onde se separaram os
continentes que hoje desenham o
globo terrestre, mas também aqui se
podem observar pegadas de
dinossauros e vislumbrar o triops
vicentinus, que vive nos charcos
temporários deste concelho. O
autarca falou igualmente dos menires,
da presença romana e árabe, dos
Descobrimentos e do Infante D.
Henrique. “Este território tem uma
série de referências que remontam a
milhões de anos atrás, mas também
vários fenómenos especiais que não
se conseguem bem explicar, como o
pôr-do-sol no Cabo de São Vicente”,
frisou.
ALGARVE INFORMATIVO #87 48
Continuando nesta viagem ao passado,
Adelino Soares recordou os
afundamentos ocorridos, em 1917, ao
largo de Vila do Bispo durante a
Primeira Guerra Mundial e que todos
esses vestígios vão tornar-se, em 2017,
Património da Humanidade. “Vila do
Bispo nunca foi massificado e tem uma
grande história associada. O São
Vicente, por exemplo, tem muito a ver
connosco e saiu daqui para Lisboa, da
qual se tornou santo padroeiro. Hoje,
se calhar, somos periféricos no Algarve
mas, noutros tempos, fomos uma zona
central do mundo e por aqui passou
toda a gente”, apontou o autarca,
visivelmente orgulhoso do concelho que
lidera.
Desidério Silva, presidente da Região
de Turismo do Algarve, reforçou a
importância destes eventos para que
o trade e a própria comunicação
social contatem com alguns locais
menos conhecidos do Algarve e assim
possam melhor divulgar todas as suas
potencialidades. “Vila do Bispo tem
trabalhado muito na diferenciação
dos seus produtos e esta presença
aqui enquadra-se também na Rota
Omíada, um projeto internacional
que envolve a RTA, a Cultura e os
municípios. Este ano, teremos cerca
de 18 milhões de turistas, mas ainda
não é suficiente. Em novembro,
tivemos uma taxa de ocupação de 46
por cento, em janeiro, teremos 30 e
tal por cento, em julho e agosto,
estaremos completamente
esgotados, e há que vender mais
entre outubro e maio”, defendeu
Desidério Silva. “Em concelhos como
Vila do Bispo, as pessoas encontram
Adelino Soares, presidente da Câmara Municipal de Vila do Bispo, Alexandra Gonçalves, Diretora
Regional da Cultura do Algarve, e Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve
ALGARVE INFORMATIVO #8749
tranquilidade, qualidade, diversidade,
bem-estar e isso tem contribuído para
uma taxa de ocupação anual mais
equilibrada”, reforçou.
Por sua vez, Alexandra Gonçalves
revelou que esta viagem a Vila do
Bispo marcava o início de um percurso
associado à Rota Omíada, que inclui 14
concelhos do Algarve. “Está na mão de
cada um de nós dinamizar, exigir,
promover e dar notoriedade, trazer
turistas para percorrer a rota. A
Direção Regional de Cultura
desempenha, sobretudo, um papel
científico e histórico, fornecendo
conteúdos de base para a
estruturação da Rota”, referiu,
esclarecendo que os atrasos ocorridos
no processo se devem ao facto de
estarem envolvidos dezenas de
parceiros de sete países. “É um
ALGARVE INFORMATIVO #87 50
trabalho que nem sempre consegue
cumprir os prazos que gostaríamos,
mas que é absolutamente necessário e
do qual não podemos desistir. É um
esforço diário e não podemos perder
de vista este bem comum, os nossos
recursos culturais e históricos
associados a um legado árabe do
período Omíada”.
Dali partiu-se para o Menir do Padrão,
na Raposeira, onde se abordou o tema
Megalitismo e a sacralização das
paisagens com os primeiros
monumentos de pedra erguida. Não
esquecer que Vila do Bispo é a área da
maior concentração de menires do
ocidente europeu, provavelmente os
mais antigos, quiçá mesmo os
primeiros. Ao longo da Finisterra
Mediterrânica passou-se pelas praias da
Ingrina, do Zavial, da Salema e da Boca
do Rio, onde foi possível sentir o
impacto de uma paisagem de primeira
grandeza natural e contactar com uma
série de apontamentos de elevado
interesse do ponto de vista cultural.
Destaque, entre outros, para um trilho
de interpretação da biodiversidade
sobre o Paul da Lontreira; uma villa
romana originalmente dedicada à
indústria conserveira; uma fortificação
do século XVII construída para proteção
das almadravas de atum; uma armação
de pesca de época pombalina; e um
naufrágio do século XVIII.
Com a Fam Trip a meio, o almoço não
poderia ter acontecido num local mais
emblemático, o Forte de Santo António
de Beliche, com vista privilegiada sobre
a Ponta de Sagres e o Cabo de São
Vicente. Pelo facto de nela existir um
escudo atribuído ao Rei D. Sebastião,
poderá ter sido erguida no século
XVI, mas há quem defenda que a sua
construção tenha ocorrido no
reinado de Manuel I ou do seu
sucessor, D. João III, seguramente
antes de 1587, uma vez que este
edifício se encontra desenhado num
mapa desta região produzido
ALGARVE INFORMATIVO #8751
aquando do ataque do corsário inglês
Francis Drake, que o destruiu. Tinha como
função controlar aquele ancoradouro e
proteger os pescadores que ali exploravam
uma armação de pesca de atum. Quanto à
fortificação atual, remonta a uma
reconstrução ordenada por Filipe III de
Portugal (1621-1640), tendo sido
reinaugurada em 1632, conforme inscrição
epigráfica sobre o portão de armas.
De barriga cheia, a comitiva rumou ao
«fim-do-mundo mediterrâneo»,
segundo a cosmovisão greco-romana,
com uma visita interpretativa ao
palimpsesto cultural do grande Cabo de
São Vicente. Algumas histórias sobre a
origem toponímica de Sagres, a
sacralização da paisagem do grande
Cabo, o culto de São Vicente e a
ALGARVE INFORMATIVO #87 52
presumível localização da Kanisat al-
Gurab, a mítica Ermida do Corvo, foram
alguns dos pontos altos da conversa.
Segundo a tradição histórica e religiosa
(hagiográfica), entre o século VIII e o
século XII, algures na zona de Sagres,
existiu um templo dedicado ao culto de
São Vicente, naquela época um dos
santuários mais concorridos nas rotas de
peregrinação moçárabe da Península
Ibérica. No século XII, o geógrafo árabe
Al-Idrisi documenta esta «Igreja dos
Corvos» (Kanisat al-Gurab) nos seus
relatos acerca da finisterra
mediterrânica. Entretanto desaparecida,
presume-se que a mítica Ermida do
Corvo terá sido edificada precisamente
na ponta mais sudoeste da Europa
Continental, denominada desde então
de Cabo de São Vicente.
Percorrido o Farol Dom Fernando,
mais um momento inesquecível, o
mágico pôr-do-sol no Cabo de São
Vicente, poeticamente descrito por
autores clássicos romanos e que
ainda hoje motiva uma singular
romaria que converge para esta
extremidade da Europa. De facto,
centenas de pessoas ali se juntam
diariamente para assistir ao
fenómeno celeste, aplaudindo o
momento em que o astro rei se
extingue no «mar sideral». Depois,
com centenas de fotos na bagagem e
imagens surreais na cabeça, era hora
de regressar ao ponto de partida,
assim se concluindo mais uma Fam
Trip da Região de Turismo do Algarve,
desta feita ao concelho de Vila do
Bispo .
Foto de família da comitiva no Forte do Beliche, à hora do almoço
ALGARVE INFORMATIVO #8753

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Alentejo
AlentejoAlentejo
Alentejo
bruno oliveira
 
Costumes e Tradições
Costumes e TradiçõesCostumes e Tradições
Costumes e Tradições
teresacorreiasilva
 
Cidade do porto
Cidade do portoCidade do porto
Cidade do porto
gustavoericardo
 
Trabalho De Pesquisa Monsaraz Miguel Lopes
Trabalho De Pesquisa  Monsaraz    Miguel  LopesTrabalho De Pesquisa  Monsaraz    Miguel  Lopes
Trabalho De Pesquisa Monsaraz Miguel Lopes
Ana Baltazar
 
Cabo frio 400 anos atividade do curso
Cabo frio 400 anos atividade do cursoCabo frio 400 anos atividade do curso
Cabo frio 400 anos atividade do curso
elaine myrtes
 
Apresentação Washington Fajardo
Apresentação Washington FajardoApresentação Washington Fajardo
Apresentação Washington Fajardo
transformurb
 
Vestígios do Passado
Vestígios do PassadoVestígios do Passado
Vestígios do Passado
teresacorreiasilva
 
Aveiro, Veneza De Portugal
Aveiro, Veneza De PortugalAveiro, Veneza De Portugal
Aveiro, Veneza De Portugal
rafaelcalha
 
Alentejo
AlentejoAlentejo
Estremadura
EstremaduraEstremadura
História do Seixal
História do SeixalHistória do Seixal
História do Seixal
teresacorreiasilva
 
Alentejo - nuts II
Alentejo -  nuts IIAlentejo -  nuts II
Alentejo - nuts II
Joana Lima
 
Douro Lito 2
Douro Lito 2Douro Lito 2
Douro Lito 2
Carmen María Pérez
 
Turismo em vv
Turismo em vvTurismo em vv
Turismo em vv
Nascimento Manú
 
Aniversario do Recife e Pontos Turisticos - 2021
Aniversario do Recife e Pontos Turisticos - 2021Aniversario do Recife e Pontos Turisticos - 2021
Aniversario do Recife e Pontos Turisticos - 2021
ANDRÉA FERREIRA
 
Portugal porto - mirgaia (som)
Portugal   porto - mirgaia (som)Portugal   porto - mirgaia (som)
Portugal porto - mirgaia (som)
Ana Maria
 
Eu, a minha cidade e o meu
Eu, a minha cidade e o meuEu, a minha cidade e o meu
Eu, a minha cidade e o meu
Patrícia Morais
 
Cidade Velha, uma Ruina Turística
Cidade Velha, uma Ruina TurísticaCidade Velha, uma Ruina Turística
Cidade Velha, uma Ruina Turística
sidney cardoso
 
Portugal a norte !
Portugal a norte !Portugal a norte !
Portugal a norte !
Umberto Pacheco
 
Pontos turisticos de Cabo Frio
Pontos turisticos de Cabo FrioPontos turisticos de Cabo Frio
Pontos turisticos de Cabo Frio
elaine myrtes
 

Mais procurados (20)

Alentejo
AlentejoAlentejo
Alentejo
 
Costumes e Tradições
Costumes e TradiçõesCostumes e Tradições
Costumes e Tradições
 
Cidade do porto
Cidade do portoCidade do porto
Cidade do porto
 
Trabalho De Pesquisa Monsaraz Miguel Lopes
Trabalho De Pesquisa  Monsaraz    Miguel  LopesTrabalho De Pesquisa  Monsaraz    Miguel  Lopes
Trabalho De Pesquisa Monsaraz Miguel Lopes
 
Cabo frio 400 anos atividade do curso
Cabo frio 400 anos atividade do cursoCabo frio 400 anos atividade do curso
Cabo frio 400 anos atividade do curso
 
Apresentação Washington Fajardo
Apresentação Washington FajardoApresentação Washington Fajardo
Apresentação Washington Fajardo
 
Vestígios do Passado
Vestígios do PassadoVestígios do Passado
Vestígios do Passado
 
Aveiro, Veneza De Portugal
Aveiro, Veneza De PortugalAveiro, Veneza De Portugal
Aveiro, Veneza De Portugal
 
Alentejo
AlentejoAlentejo
Alentejo
 
Estremadura
EstremaduraEstremadura
Estremadura
 
História do Seixal
História do SeixalHistória do Seixal
História do Seixal
 
Alentejo - nuts II
Alentejo -  nuts IIAlentejo -  nuts II
Alentejo - nuts II
 
Douro Lito 2
Douro Lito 2Douro Lito 2
Douro Lito 2
 
Turismo em vv
Turismo em vvTurismo em vv
Turismo em vv
 
Aniversario do Recife e Pontos Turisticos - 2021
Aniversario do Recife e Pontos Turisticos - 2021Aniversario do Recife e Pontos Turisticos - 2021
Aniversario do Recife e Pontos Turisticos - 2021
 
Portugal porto - mirgaia (som)
Portugal   porto - mirgaia (som)Portugal   porto - mirgaia (som)
Portugal porto - mirgaia (som)
 
Eu, a minha cidade e o meu
Eu, a minha cidade e o meuEu, a minha cidade e o meu
Eu, a minha cidade e o meu
 
Cidade Velha, uma Ruina Turística
Cidade Velha, uma Ruina TurísticaCidade Velha, uma Ruina Turística
Cidade Velha, uma Ruina Turística
 
Portugal a norte !
Portugal a norte !Portugal a norte !
Portugal a norte !
 
Pontos turisticos de Cabo Frio
Pontos turisticos de Cabo FrioPontos turisticos de Cabo Frio
Pontos turisticos de Cabo Frio
 

Semelhante a Fam trip omíada vila do bispo

Ciclo De ConferêNcias Ponte da Barca
Ciclo De ConferêNcias Ponte da BarcaCiclo De ConferêNcias Ponte da Barca
Ciclo De ConferêNcias Ponte da Barca
Teresa A. Amorim Gonçalves
 
TrêS Ilhas Dos AçOres
TrêS Ilhas Dos AçOresTrêS Ilhas Dos AçOres
TrêS Ilhas Dos AçOres
7iesdr
 
Livro Garopaba.pdf
Livro Garopaba.pdfLivro Garopaba.pdf
Livro Garopaba.pdf
rotaelementar
 
Ericeira
EriceiraEriceira
Ericeira
BiaEsteves
 
Visita A Belmonte
Visita A BelmonteVisita A Belmonte
Visita A Belmonte
gueste746bf
 
Património Histórico CP
Património Histórico CPPatrimónio Histórico CP
Património Histórico CP
EFA NS BALTAR
 
Vagos
VagosVagos
Turismo fluvial
Turismo fluvialTurismo fluvial
Turismo fluvial
Tina Lima
 
Festas do Povo de Campo Maior - Artur Filipe dos Santos - Património Cultural
Festas do Povo de Campo Maior - Artur Filipe dos Santos - Património CulturalFestas do Povo de Campo Maior - Artur Filipe dos Santos - Património Cultural
Festas do Povo de Campo Maior - Artur Filipe dos Santos - Património Cultural
Artur Filipe dos Santos
 
UFCD - Cp4 - Cidadania e Profissionalidade
UFCD - Cp4 - Cidadania e ProfissionalidadeUFCD - Cp4 - Cidadania e Profissionalidade
UFCD - Cp4 - Cidadania e Profissionalidade
Nome Sobrenome
 
Canidelo (2)
Canidelo (2)Canidelo (2)
Canidelo (2)
Vanessa Tomé
 
Apresentação emped
Apresentação empedApresentação emped
Apresentação emped
Helaine Soares
 
Arrábida no Bronze Final - leituras e narrativas Presentation
Arrábida no Bronze Final - leituras e narrativas PresentationArrábida no Bronze Final - leituras e narrativas Presentation
Arrábida no Bronze Final - leituras e narrativas Presentation
arqueomike
 
2013 01-16 - guia turístico
2013 01-16 - guia turístico2013 01-16 - guia turístico
2013 01-16 - guia turístico
O Ciclista
 
Ericeira
EriceiraEriceira
Ericeira
Eugenia silva
 
São nicolau
São nicolauSão nicolau
São nicolau
Cesar Fortes
 
Informação Completa 101
Informação Completa 101Informação Completa 101
Informação Completa 101
Pery Salgado
 
Caderno do Património 2 (2022) Escarigo-Puerto Seguro
Caderno do Património 2 (2022) Escarigo-Puerto SeguroCaderno do Património 2 (2022) Escarigo-Puerto Seguro
Caderno do Património 2 (2022) Escarigo-Puerto Seguro
Gabinete de Iniciativas Transfronterizas de Castilla y León
 
Patrimonio
PatrimonioPatrimonio
Patrimonio
Maria Ribeiro
 
Festa Dos Amigos E Vizinhos Programa 19 Set
Festa Dos Amigos E Vizinhos  Programa 19 SetFesta Dos Amigos E Vizinhos  Programa 19 Set
Festa Dos Amigos E Vizinhos Programa 19 Set
Jose Carlos Mota
 

Semelhante a Fam trip omíada vila do bispo (20)

Ciclo De ConferêNcias Ponte da Barca
Ciclo De ConferêNcias Ponte da BarcaCiclo De ConferêNcias Ponte da Barca
Ciclo De ConferêNcias Ponte da Barca
 
TrêS Ilhas Dos AçOres
TrêS Ilhas Dos AçOresTrêS Ilhas Dos AçOres
TrêS Ilhas Dos AçOres
 
Livro Garopaba.pdf
Livro Garopaba.pdfLivro Garopaba.pdf
Livro Garopaba.pdf
 
Ericeira
EriceiraEriceira
Ericeira
 
Visita A Belmonte
Visita A BelmonteVisita A Belmonte
Visita A Belmonte
 
Património Histórico CP
Património Histórico CPPatrimónio Histórico CP
Património Histórico CP
 
Vagos
VagosVagos
Vagos
 
Turismo fluvial
Turismo fluvialTurismo fluvial
Turismo fluvial
 
Festas do Povo de Campo Maior - Artur Filipe dos Santos - Património Cultural
Festas do Povo de Campo Maior - Artur Filipe dos Santos - Património CulturalFestas do Povo de Campo Maior - Artur Filipe dos Santos - Património Cultural
Festas do Povo de Campo Maior - Artur Filipe dos Santos - Património Cultural
 
UFCD - Cp4 - Cidadania e Profissionalidade
UFCD - Cp4 - Cidadania e ProfissionalidadeUFCD - Cp4 - Cidadania e Profissionalidade
UFCD - Cp4 - Cidadania e Profissionalidade
 
Canidelo (2)
Canidelo (2)Canidelo (2)
Canidelo (2)
 
Apresentação emped
Apresentação empedApresentação emped
Apresentação emped
 
Arrábida no Bronze Final - leituras e narrativas Presentation
Arrábida no Bronze Final - leituras e narrativas PresentationArrábida no Bronze Final - leituras e narrativas Presentation
Arrábida no Bronze Final - leituras e narrativas Presentation
 
2013 01-16 - guia turístico
2013 01-16 - guia turístico2013 01-16 - guia turístico
2013 01-16 - guia turístico
 
Ericeira
EriceiraEriceira
Ericeira
 
São nicolau
São nicolauSão nicolau
São nicolau
 
Informação Completa 101
Informação Completa 101Informação Completa 101
Informação Completa 101
 
Caderno do Património 2 (2022) Escarigo-Puerto Seguro
Caderno do Património 2 (2022) Escarigo-Puerto SeguroCaderno do Património 2 (2022) Escarigo-Puerto Seguro
Caderno do Património 2 (2022) Escarigo-Puerto Seguro
 
Patrimonio
PatrimonioPatrimonio
Patrimonio
 
Festa Dos Amigos E Vizinhos Programa 19 Set
Festa Dos Amigos E Vizinhos  Programa 19 SetFesta Dos Amigos E Vizinhos  Programa 19 Set
Festa Dos Amigos E Vizinhos Programa 19 Set
 

Mais de arqueomike

Algarve informativo #213
Algarve informativo #213Algarve informativo #213
Algarve informativo #213
arqueomike
 
Algarve informativo #211
Algarve informativo #211Algarve informativo #211
Algarve informativo #211
arqueomike
 
Trilho Ambiental do Castelejo
Trilho Ambiental do CastelejoTrilho Ambiental do Castelejo
Trilho Ambiental do Castelejo
arqueomike
 
Estação da Biodiversidade da Boca do Rio
Estação da Biodiversidade da Boca do RioEstação da Biodiversidade da Boca do Rio
Estação da Biodiversidade da Boca do Rio
arqueomike
 
Programa II Seminário Potencialidades de um Concelho - o Mar de Vila do Bispo
Programa II Seminário Potencialidades de um Concelho - o Mar de Vila do BispoPrograma II Seminário Potencialidades de um Concelho - o Mar de Vila do Bispo
Programa II Seminário Potencialidades de um Concelho - o Mar de Vila do Bispo
arqueomike
 
Folheto Rota Omíada
Folheto Rota OmíadaFolheto Rota Omíada
Folheto Rota Omíada
arqueomike
 
Rocha das Gaivotas, Sagres, Vila do Bispo
Rocha das Gaivotas, Sagres, Vila do BispoRocha das Gaivotas, Sagres, Vila do Bispo
Rocha das Gaivotas, Sagres, Vila do Bispo
arqueomike
 
Percurso Pedestre 'Pelas Encostas da Raposeira' (Vila do Bispo) - folheto (Vi...
Percurso Pedestre 'Pelas Encostas da Raposeira' (Vila do Bispo) - folheto (Vi...Percurso Pedestre 'Pelas Encostas da Raposeira' (Vila do Bispo) - folheto (Vi...
Percurso Pedestre 'Pelas Encostas da Raposeira' (Vila do Bispo) - folheto (Vi...
arqueomike
 
Recursos Patrimoniais versus Sustentabilidade: o caso de Vila do Bispo (Ricar...
Recursos Patrimoniais versus Sustentabilidade: o caso de Vila do Bispo (Ricar...Recursos Patrimoniais versus Sustentabilidade: o caso de Vila do Bispo (Ricar...
Recursos Patrimoniais versus Sustentabilidade: o caso de Vila do Bispo (Ricar...
arqueomike
 
Lapa do Monte Francês, Sagres (NEUA, Espeleo Divulgação 5, 1986)
Lapa do Monte Francês, Sagres (NEUA, Espeleo Divulgação 5, 1986)Lapa do Monte Francês, Sagres (NEUA, Espeleo Divulgação 5, 1986)
Lapa do Monte Francês, Sagres (NEUA, Espeleo Divulgação 5, 1986)
arqueomike
 
Programa DiVam 2015 - Património Imaterial e Raízes Mediterrânicas
Programa DiVam 2015 - Património Imaterial e Raízes MediterrânicasPrograma DiVam 2015 - Património Imaterial e Raízes Mediterrânicas
Programa DiVam 2015 - Património Imaterial e Raízes Mediterrânicas
arqueomike
 
Ingrina - Sophia de Mello Breyner
Ingrina - Sophia de Mello BreynerIngrina - Sophia de Mello Breyner
Ingrina - Sophia de Mello Breyner
arqueomike
 
Contribuição para o conhecimento das Indústrias Mirenses de Vila Nova de M...
Contribuição para o conhecimento das Indústrias Mirenses de Vila Nova de M...Contribuição para o conhecimento das Indústrias Mirenses de Vila Nova de M...
Contribuição para o conhecimento das Indústrias Mirenses de Vila Nova de M...
arqueomike
 
BERNARDES, J. P.; MORAIS, R.; VAZ PINTO, I; GUERSCHMAN, J. (2014) - Colmeias ...
BERNARDES, J. P.; MORAIS, R.; VAZ PINTO, I; GUERSCHMAN, J. (2014) - Colmeias ...BERNARDES, J. P.; MORAIS, R.; VAZ PINTO, I; GUERSCHMAN, J. (2014) - Colmeias ...
BERNARDES, J. P.; MORAIS, R.; VAZ PINTO, I; GUERSCHMAN, J. (2014) - Colmeias ...
arqueomike
 
Sagres - o Promontorium Sacrum: uma petrificada paisagem sagrada (SOARES, R.,...
Sagres - o Promontorium Sacrum: uma petrificada paisagem sagrada (SOARES, R.,...Sagres - o Promontorium Sacrum: uma petrificada paisagem sagrada (SOARES, R.,...
Sagres - o Promontorium Sacrum: uma petrificada paisagem sagrada (SOARES, R.,...
arqueomike
 
BWF'2014 - Arqueologia
BWF'2014 - ArqueologiaBWF'2014 - Arqueologia
BWF'2014 - Arqueologia
arqueomike
 
Vila do Bispo Arqueológica
Vila do Bispo ArqueológicaVila do Bispo Arqueológica
Vila do Bispo Arqueológica
arqueomike
 
Notícia explicativa da Carta Geológica de Vila do Bispo (1979)
Notícia explicativa da Carta Geológica de Vila do Bispo (1979)Notícia explicativa da Carta Geológica de Vila do Bispo (1979)
Notícia explicativa da Carta Geológica de Vila do Bispo (1979)
arqueomike
 
Colmeias e outras produções de cerâmica comum do martinhal (bernardes, mor...
Colmeias e outras produções de cerâmica comum do martinhal (bernardes, mor...Colmeias e outras produções de cerâmica comum do martinhal (bernardes, mor...
Colmeias e outras produções de cerâmica comum do martinhal (bernardes, mor...
arqueomike
 
Análises secah colmeias do martinhal (2013)
Análises secah colmeias do martinhal (2013)Análises secah colmeias do martinhal (2013)
Análises secah colmeias do martinhal (2013)
arqueomike
 

Mais de arqueomike (20)

Algarve informativo #213
Algarve informativo #213Algarve informativo #213
Algarve informativo #213
 
Algarve informativo #211
Algarve informativo #211Algarve informativo #211
Algarve informativo #211
 
Trilho Ambiental do Castelejo
Trilho Ambiental do CastelejoTrilho Ambiental do Castelejo
Trilho Ambiental do Castelejo
 
Estação da Biodiversidade da Boca do Rio
Estação da Biodiversidade da Boca do RioEstação da Biodiversidade da Boca do Rio
Estação da Biodiversidade da Boca do Rio
 
Programa II Seminário Potencialidades de um Concelho - o Mar de Vila do Bispo
Programa II Seminário Potencialidades de um Concelho - o Mar de Vila do BispoPrograma II Seminário Potencialidades de um Concelho - o Mar de Vila do Bispo
Programa II Seminário Potencialidades de um Concelho - o Mar de Vila do Bispo
 
Folheto Rota Omíada
Folheto Rota OmíadaFolheto Rota Omíada
Folheto Rota Omíada
 
Rocha das Gaivotas, Sagres, Vila do Bispo
Rocha das Gaivotas, Sagres, Vila do BispoRocha das Gaivotas, Sagres, Vila do Bispo
Rocha das Gaivotas, Sagres, Vila do Bispo
 
Percurso Pedestre 'Pelas Encostas da Raposeira' (Vila do Bispo) - folheto (Vi...
Percurso Pedestre 'Pelas Encostas da Raposeira' (Vila do Bispo) - folheto (Vi...Percurso Pedestre 'Pelas Encostas da Raposeira' (Vila do Bispo) - folheto (Vi...
Percurso Pedestre 'Pelas Encostas da Raposeira' (Vila do Bispo) - folheto (Vi...
 
Recursos Patrimoniais versus Sustentabilidade: o caso de Vila do Bispo (Ricar...
Recursos Patrimoniais versus Sustentabilidade: o caso de Vila do Bispo (Ricar...Recursos Patrimoniais versus Sustentabilidade: o caso de Vila do Bispo (Ricar...
Recursos Patrimoniais versus Sustentabilidade: o caso de Vila do Bispo (Ricar...
 
Lapa do Monte Francês, Sagres (NEUA, Espeleo Divulgação 5, 1986)
Lapa do Monte Francês, Sagres (NEUA, Espeleo Divulgação 5, 1986)Lapa do Monte Francês, Sagres (NEUA, Espeleo Divulgação 5, 1986)
Lapa do Monte Francês, Sagres (NEUA, Espeleo Divulgação 5, 1986)
 
Programa DiVam 2015 - Património Imaterial e Raízes Mediterrânicas
Programa DiVam 2015 - Património Imaterial e Raízes MediterrânicasPrograma DiVam 2015 - Património Imaterial e Raízes Mediterrânicas
Programa DiVam 2015 - Património Imaterial e Raízes Mediterrânicas
 
Ingrina - Sophia de Mello Breyner
Ingrina - Sophia de Mello BreynerIngrina - Sophia de Mello Breyner
Ingrina - Sophia de Mello Breyner
 
Contribuição para o conhecimento das Indústrias Mirenses de Vila Nova de M...
Contribuição para o conhecimento das Indústrias Mirenses de Vila Nova de M...Contribuição para o conhecimento das Indústrias Mirenses de Vila Nova de M...
Contribuição para o conhecimento das Indústrias Mirenses de Vila Nova de M...
 
BERNARDES, J. P.; MORAIS, R.; VAZ PINTO, I; GUERSCHMAN, J. (2014) - Colmeias ...
BERNARDES, J. P.; MORAIS, R.; VAZ PINTO, I; GUERSCHMAN, J. (2014) - Colmeias ...BERNARDES, J. P.; MORAIS, R.; VAZ PINTO, I; GUERSCHMAN, J. (2014) - Colmeias ...
BERNARDES, J. P.; MORAIS, R.; VAZ PINTO, I; GUERSCHMAN, J. (2014) - Colmeias ...
 
Sagres - o Promontorium Sacrum: uma petrificada paisagem sagrada (SOARES, R.,...
Sagres - o Promontorium Sacrum: uma petrificada paisagem sagrada (SOARES, R.,...Sagres - o Promontorium Sacrum: uma petrificada paisagem sagrada (SOARES, R.,...
Sagres - o Promontorium Sacrum: uma petrificada paisagem sagrada (SOARES, R.,...
 
BWF'2014 - Arqueologia
BWF'2014 - ArqueologiaBWF'2014 - Arqueologia
BWF'2014 - Arqueologia
 
Vila do Bispo Arqueológica
Vila do Bispo ArqueológicaVila do Bispo Arqueológica
Vila do Bispo Arqueológica
 
Notícia explicativa da Carta Geológica de Vila do Bispo (1979)
Notícia explicativa da Carta Geológica de Vila do Bispo (1979)Notícia explicativa da Carta Geológica de Vila do Bispo (1979)
Notícia explicativa da Carta Geológica de Vila do Bispo (1979)
 
Colmeias e outras produções de cerâmica comum do martinhal (bernardes, mor...
Colmeias e outras produções de cerâmica comum do martinhal (bernardes, mor...Colmeias e outras produções de cerâmica comum do martinhal (bernardes, mor...
Colmeias e outras produções de cerâmica comum do martinhal (bernardes, mor...
 
Análises secah colmeias do martinhal (2013)
Análises secah colmeias do martinhal (2013)Análises secah colmeias do martinhal (2013)
Análises secah colmeias do martinhal (2013)
 

Fam trip omíada vila do bispo

  • 1. ALGARVE INFORMATIVO #87 44 A Região de Turismo do Algarve dinamizou, no dia 6 de dezembro, mais uma Fam Trip, desta vez com destino a Vila do Bispo e com o objetivo duplo de dar a conhecer as belezas deste concelho, mas também o seu legado Omíada. Para tal convidou algumas dezenas de profissionais de turismo, agentes culturais e jornalistas, numa jornada que terminou com um deslumbrante pôr-do-sol no Cabo de São Vicente. À descoberta do legado Omíada em Vila do Bispo Texto: Fotografia: ALGARVE INFORMATIVO #87 44
  • 2. ALGARVE INFORMATIVO #8745 ALGARVE INFORMATIVO #8745
  • 3. ALGARVE INFORMATIVO #87 46 D epois de Alcoutim, São Brás de Alportel, Monchique, Lagos, Lagoa, Aljezur, Tavira e Silves, a Fam Trip «Redescobrir os Segredos do Algarve», promovida pela Região de Turismo do Algarve, rumou, no dia 6 de dezembro, ao concelho de Vila do Bispo. O propósito da iniciativa foi, como de costume, dar a conhecer mais alguns dos segredos do principal destino turístico do país e, em simultâneo, revelar a herança árabe na região. Aliás, a Fam Trip a Vila do Bispo integrou a descoberta da Rota dos Omíadas no Algarve, itinerário turístico-cultural dedicado à dinastia árabe que há mil anos dominava o Mediterrâneo. A jornada iniciou-se logo pela 8h30, junto à sede da RTA, em Faro e, depois de uma breve paragem em Vale Paraíso, para recolher mais elementos da comitiva, seguiu-se para Vila do Bispo, mais concretamente à Praça da República, junto à Igreja Matriz de Vila do Bispo, onde nos esperavam Adelino Soares, presidente da Câmara Municipal de Vila do Bispo, Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve, e Alexandra Gonçalves, Diretora Regional da Cultura do Algarve. No Centro de Interpretação de Vila do Bispo foi feita uma pequena introdução ao território e visitou-se a exposição «Paisagens Condutoras», um cruzamento entre arte, cultura gastronómica e património histórico e arqueológico do Algarve, com algumas curiosas passagens sobre o legado omíada.
  • 4. ALGARVE INFORMATIVO #8747 Aproveitando a pausa para café, Adelino Soares lembrou que se encontram, em Vila do Bispo, os vestígios mais acentuados da grande Pangeia, de onde se separaram os continentes que hoje desenham o globo terrestre, mas também aqui se podem observar pegadas de dinossauros e vislumbrar o triops vicentinus, que vive nos charcos temporários deste concelho. O autarca falou igualmente dos menires, da presença romana e árabe, dos Descobrimentos e do Infante D. Henrique. “Este território tem uma série de referências que remontam a milhões de anos atrás, mas também vários fenómenos especiais que não se conseguem bem explicar, como o pôr-do-sol no Cabo de São Vicente”, frisou.
  • 5. ALGARVE INFORMATIVO #87 48 Continuando nesta viagem ao passado, Adelino Soares recordou os afundamentos ocorridos, em 1917, ao largo de Vila do Bispo durante a Primeira Guerra Mundial e que todos esses vestígios vão tornar-se, em 2017, Património da Humanidade. “Vila do Bispo nunca foi massificado e tem uma grande história associada. O São Vicente, por exemplo, tem muito a ver connosco e saiu daqui para Lisboa, da qual se tornou santo padroeiro. Hoje, se calhar, somos periféricos no Algarve mas, noutros tempos, fomos uma zona central do mundo e por aqui passou toda a gente”, apontou o autarca, visivelmente orgulhoso do concelho que lidera. Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve, reforçou a importância destes eventos para que o trade e a própria comunicação social contatem com alguns locais menos conhecidos do Algarve e assim possam melhor divulgar todas as suas potencialidades. “Vila do Bispo tem trabalhado muito na diferenciação dos seus produtos e esta presença aqui enquadra-se também na Rota Omíada, um projeto internacional que envolve a RTA, a Cultura e os municípios. Este ano, teremos cerca de 18 milhões de turistas, mas ainda não é suficiente. Em novembro, tivemos uma taxa de ocupação de 46 por cento, em janeiro, teremos 30 e tal por cento, em julho e agosto, estaremos completamente esgotados, e há que vender mais entre outubro e maio”, defendeu Desidério Silva. “Em concelhos como Vila do Bispo, as pessoas encontram Adelino Soares, presidente da Câmara Municipal de Vila do Bispo, Alexandra Gonçalves, Diretora Regional da Cultura do Algarve, e Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve
  • 6. ALGARVE INFORMATIVO #8749 tranquilidade, qualidade, diversidade, bem-estar e isso tem contribuído para uma taxa de ocupação anual mais equilibrada”, reforçou. Por sua vez, Alexandra Gonçalves revelou que esta viagem a Vila do Bispo marcava o início de um percurso associado à Rota Omíada, que inclui 14 concelhos do Algarve. “Está na mão de cada um de nós dinamizar, exigir, promover e dar notoriedade, trazer turistas para percorrer a rota. A Direção Regional de Cultura desempenha, sobretudo, um papel científico e histórico, fornecendo conteúdos de base para a estruturação da Rota”, referiu, esclarecendo que os atrasos ocorridos no processo se devem ao facto de estarem envolvidos dezenas de parceiros de sete países. “É um
  • 7. ALGARVE INFORMATIVO #87 50 trabalho que nem sempre consegue cumprir os prazos que gostaríamos, mas que é absolutamente necessário e do qual não podemos desistir. É um esforço diário e não podemos perder de vista este bem comum, os nossos recursos culturais e históricos associados a um legado árabe do período Omíada”. Dali partiu-se para o Menir do Padrão, na Raposeira, onde se abordou o tema Megalitismo e a sacralização das paisagens com os primeiros monumentos de pedra erguida. Não esquecer que Vila do Bispo é a área da maior concentração de menires do ocidente europeu, provavelmente os mais antigos, quiçá mesmo os primeiros. Ao longo da Finisterra Mediterrânica passou-se pelas praias da Ingrina, do Zavial, da Salema e da Boca do Rio, onde foi possível sentir o impacto de uma paisagem de primeira grandeza natural e contactar com uma série de apontamentos de elevado interesse do ponto de vista cultural. Destaque, entre outros, para um trilho de interpretação da biodiversidade sobre o Paul da Lontreira; uma villa romana originalmente dedicada à indústria conserveira; uma fortificação do século XVII construída para proteção das almadravas de atum; uma armação de pesca de época pombalina; e um naufrágio do século XVIII. Com a Fam Trip a meio, o almoço não poderia ter acontecido num local mais emblemático, o Forte de Santo António de Beliche, com vista privilegiada sobre a Ponta de Sagres e o Cabo de São Vicente. Pelo facto de nela existir um escudo atribuído ao Rei D. Sebastião, poderá ter sido erguida no século XVI, mas há quem defenda que a sua construção tenha ocorrido no reinado de Manuel I ou do seu sucessor, D. João III, seguramente antes de 1587, uma vez que este edifício se encontra desenhado num mapa desta região produzido
  • 8. ALGARVE INFORMATIVO #8751 aquando do ataque do corsário inglês Francis Drake, que o destruiu. Tinha como função controlar aquele ancoradouro e proteger os pescadores que ali exploravam uma armação de pesca de atum. Quanto à fortificação atual, remonta a uma reconstrução ordenada por Filipe III de Portugal (1621-1640), tendo sido reinaugurada em 1632, conforme inscrição epigráfica sobre o portão de armas. De barriga cheia, a comitiva rumou ao «fim-do-mundo mediterrâneo», segundo a cosmovisão greco-romana, com uma visita interpretativa ao palimpsesto cultural do grande Cabo de São Vicente. Algumas histórias sobre a origem toponímica de Sagres, a sacralização da paisagem do grande Cabo, o culto de São Vicente e a
  • 9. ALGARVE INFORMATIVO #87 52 presumível localização da Kanisat al- Gurab, a mítica Ermida do Corvo, foram alguns dos pontos altos da conversa. Segundo a tradição histórica e religiosa (hagiográfica), entre o século VIII e o século XII, algures na zona de Sagres, existiu um templo dedicado ao culto de São Vicente, naquela época um dos santuários mais concorridos nas rotas de peregrinação moçárabe da Península Ibérica. No século XII, o geógrafo árabe Al-Idrisi documenta esta «Igreja dos Corvos» (Kanisat al-Gurab) nos seus relatos acerca da finisterra mediterrânica. Entretanto desaparecida, presume-se que a mítica Ermida do Corvo terá sido edificada precisamente na ponta mais sudoeste da Europa Continental, denominada desde então de Cabo de São Vicente. Percorrido o Farol Dom Fernando, mais um momento inesquecível, o mágico pôr-do-sol no Cabo de São Vicente, poeticamente descrito por autores clássicos romanos e que ainda hoje motiva uma singular romaria que converge para esta extremidade da Europa. De facto, centenas de pessoas ali se juntam diariamente para assistir ao fenómeno celeste, aplaudindo o momento em que o astro rei se extingue no «mar sideral». Depois, com centenas de fotos na bagagem e imagens surreais na cabeça, era hora de regressar ao ponto de partida, assim se concluindo mais uma Fam Trip da Região de Turismo do Algarve, desta feita ao concelho de Vila do Bispo . Foto de família da comitiva no Forte do Beliche, à hora do almoço