 Conceitos






 O Alentejo é uma mistura de cultura popular bem preservada

com vestígios monumentais de grande qualidade que dão
direit...
Monumento megalítico que consiste numa lájea, de
ordinário muito larga, descansando sobre outra, quase
sempre duas, bastan...
95 monólitos de
pedra

O conjunto é classificado
pelo IGESPAR*, como Imóvel de Interesse
Público desde1974, mas há uma pro...
Em termos climatéricos, o Alentejo é uma região de clima mediterrânico, sendo
caracterizado por uma temperatura média anua...
Fauna e Flora
O Alentejo é uma zona do nosso país

onde a fauna e a flora são ricas e
variadas, no que respeita à fauna
po...
Fauna e Flora
Na flora é importante referir a riqueza
de

vegetação

natural,

como

o

sobreiro, a azinheira, a oliveira ...
 São 165 kilometros de costa, desde as longas praias de areia dourada da
península de Tróia até às baías da zona costeira...
Outono e no Inverno – o estuário cobre-se com os elegantes movimentos dos

flamingos que criam um belo manto cor-de-rosa;
 Hoje em dia, as 261 espécies de fauna, que podem ser

avistadas nos 23 mil hectares formam a Reserva Natural do
Estuário...
As lagoas de Santo André e da Sancha, situadas no litoral dos concelhos de
Santiago do Cacém e de Sines, constituem um sis...
A fauna do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina é o
único local do mundo onde a cegonha branca nidifica...
Uma espécie rara de polvos, conhecida há pouco tempo apenas na costa oesteafricana e nas Ilhas de Cabo Verde, também é vis...

 A barragem de Pego do Altar é também convidativa. Entre os

bosques e o céu azul, a superfície espelhada das águas prest...
 A Barragem de Alqueva, com uma

albufeira com 250 km² e mais de
1100 kms de margens é o maior lago
artificial da Europa....
 O Alentejo é uma mistura de

cultura popular bem preservada
com vestígios monumentais de
grande

qualidade

que

dão

di...
 É uma das cidades históricas mais belas do mundo.
 Esta magnífica cidade acolhe centenas de jovens que vêm estudar na s...
Considerada uma das mais antigas vilas de Portugal, Monsaraz regista indícios
de povoamento desde tempos pré-históricos, s...
Castelo e a Torre de Menagem medievais

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Lagoa (séc XVI/XVII)
O concelho de Elvas está integrado nas paisagens do Norte Alentejano, um território
caracterizado por uma enorme diversida...
 A região do Alentejo é rica em lendas e tradições. Por todos os concelhos

podemos ainda ouvir contar histórias que se r...
 O artesanato do Alentejo Litoral combina os recursos locais e os saberes

tradicionais, destinando-se exclusivamente à s...
 Oleiro de Melides;
 Latoeiro/arameiro de Alvalade do Sado;
 Cadeireiro de Grândola;
 Esteireiro de Casebres;

 Tapet...
 Arraiolos tornou-se célebre com os

seus tapetes bordados à mão com um
ponto simples e motivos tradicionais

que cria um...
 Os cestos em fibras vegetais

foram os recipientes utilizados no

transporte de materiais sólidos
até à generalização do...
 Feira de São João – Évora – Junho
 Museu Aberto – Monsaraz – Julho
 Festival de Música Évora Clássica – Julho

 Seman...
A mulher da vila usa:

 Saia de fazenda espessa de lã castanha;
 Blusa de algodão estampado;

Para a missa usa:
 Uma ma...
O homem alentejano usa:
 Chapéu de aba larga;

 Camisa com pregas;
 Colete com uma ordem de botões muito
aberto e jaque...
 A gastronomia da região é, para além disso, tradicionalmente sazonal.
 Novembro, Dezembro e Janeiro são os meses da mat...
 Porco Alentejano e Migas;
 Coelho e Lebre;
 Sopa;
 Ensopados;
 Doce de Ovos;
 Queijos: Nisa, Serpa e Évora;
 Vinho...
 Os ovos, o açúcar e o mel, as amêndoas e os pinhões, surgiram da

competição entre conventos para conquistar os favores ...
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Alentejo -  nuts II
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Alentejo - nuts II

1.304 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.304
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Alentejo - nuts II

  1. 1.  Conceitos    
  2. 2.  O Alentejo é uma mistura de cultura popular bem preservada com vestígios monumentais de grande qualidade que dão direito à avaliação feita pela Unesco como Património da Humanidade, monumentos esses onde encontramos provas de civilizações de há 3000 mil anos atrás.  Desde essa altura até hoje, o Alentejo tem continuado o seu crescimento, um crescimento baseado na agricultura, pecuária, pesca, indústria, como a cortiça e desde o último século até aos nossos dias, com o turismo com uma ampla oferta de turismo rural.
  3. 3. Monumento megalítico que consiste numa lájea, de ordinário muito larga, descansando sobre outra, quase sempre duas, bastante elevadas acima do solo.
  4. 4. 95 monólitos de pedra O conjunto é classificado pelo IGESPAR*, como Imóvel de Interesse Público desde1974, mas há uma proposta para elevá-lo a Monumento Nacional. IGESPAR* - Instituto de Gestão do Património Arquitetónico e Arqueológico
  5. 5. Em termos climatéricos, o Alentejo é uma região de clima mediterrânico, sendo caracterizado por uma temperatura média anual elevada que varia entre os 15º e os 17,5º. No interior as amplitudes térmicas variam entre os 13º e os 15º graus celsius, sendo que os dias com temperatura máxima superior a 25º elevam-se a mais de um terço do ano. A precipitação anual é mal repartida verificando-se um excesso de água no Outono e Inverno e acentuada inexistência no Verão.
  6. 6. Fauna e Flora O Alentejo é uma zona do nosso país onde a fauna e a flora são ricas e variadas, no que respeita à fauna podemos relevar a riqueza de espécies cinegéticas, como por exemplo, o coelho bravo, a lebre, a perdiz, a codorniz e o tordo.
  7. 7. Fauna e Flora Na flora é importante referir a riqueza de vegetação natural, como o sobreiro, a azinheira, a oliveira e a esteva, tão típica da planície alentejana. Exemplos: a beldroega, o poejo, Choupo Negro, a murta, carrasqueira, entre outros…
  8. 8.  São 165 kilometros de costa, desde as longas praias de areia dourada da península de Tróia até às baías da zona costeira de Odemira.
  9. 9. Outono e no Inverno – o estuário cobre-se com os elegantes movimentos dos flamingos que criam um belo manto cor-de-rosa;
  10. 10.  Hoje em dia, as 261 espécies de fauna, que podem ser avistadas nos 23 mil hectares formam a Reserva Natural do Estuário do Sado, onde fazem a fama das terras do Sado e dos seus sapais.
  11. 11. As lagoas de Santo André e da Sancha, situadas no litoral dos concelhos de Santiago do Cacém e de Sines, constituem um sistema lagunar costeiro de relevante importância biológica, incluindo interessantes aspetos ecológicos, botânicos.
  12. 12. A fauna do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina é o único local do mundo onde a cegonha branca nidifica em arribas marítimas, tal como o único local do país onde existe uma colónia de lontras que utilizam o meio marinho para procurar alimento.
  13. 13. Uma espécie rara de polvos, conhecida há pouco tempo apenas na costa oesteafricana e nas Ilhas de Cabo Verde, também é visível neste parque natural. Um aspeto especialmente importante em relação à avifauna é a nidificação de espécies raras, como a garça branca e a águia de Bonelli. Outras espécies existentes, que raramente criam no litoral europeu, são a garça boieira, o peneireiro de dorso liso e a gralha de bico vermelho.
  14. 14.
  15. 15.  A barragem de Pego do Altar é também convidativa. Entre os bosques e o céu azul, a superfície espelhada das águas presta-se aos prazeres e ao desafio das atividades aquáticas.
  16. 16.  A Barragem de Alqueva, com uma albufeira com 250 km² e mais de 1100 kms de margens é o maior lago artificial da Europa.  Foi de construída regadio com para o toda objetivo a zona do Alentejo e produção de energia elétrica
  17. 17.  O Alentejo é uma mistura de cultura popular bem preservada com vestígios monumentais de grande qualidade que dão direito à avaliação feita pela Unesco como Património da Humanidade.
  18. 18.  É uma das cidades históricas mais belas do mundo.  Esta magnífica cidade acolhe centenas de jovens que vêm estudar na segunda universidade mais antiga do país.  Évora mantém-se jovial e animada graças aos estudantes vindos de todo o país e do resto do mundo. Ao longo do dia, os cafés, bares e lojas dão as boas-vindas a todo o tipo de visitantes. Quando cai a noite, as ruas iluminam-se e os bares vibram ao som da música. Os inúmeros estudantes animam as ruas desta cidade histórica, tornando Évora um dos locais com maior animação noturna do país.
  19. 19. Considerada uma das mais antigas vilas de Portugal, Monsaraz regista indícios de povoamento desde tempos pré-históricos, sendo inicialmente um castro fortificado. A partir de então foi sendo sucessivamente ocupada até ao período de formação da nacionalidade, sendo conquistada pela primeira vez aos Muçulmanos em 1157.
  20. 20. Castelo e a Torre de Menagem medievais Igreja Matriz de Nossa Senhora da Lagoa (séc XVI/XVII)
  21. 21. O concelho de Elvas está integrado nas paisagens do Norte Alentejano, um território caracterizado por uma enorme diversidade natural e paisagística, característica da planície alentejana de horizontes searas, montados, olivais, vinhas, cursos de água e albufeiras. abertos, amplas
  22. 22.  A região do Alentejo é rica em lendas e tradições. Por todos os concelhos podemos ainda ouvir contar histórias que se relacionam com a criação das vilas e cidades ou com algum outro facto extraordinário que se passou numa época, por vezes, incerta
  23. 23.  O artesanato do Alentejo Litoral combina os recursos locais e os saberes tradicionais, destinando-se exclusivamente à satisfação das necessidades da comunidade rural.
  24. 24.  Oleiro de Melides;  Latoeiro/arameiro de Alvalade do Sado;  Cadeireiro de Grândola;  Esteireiro de Casebres;  Tapetes de Arraiolos;  Cesteiros de Sines, Casebres e Grândola.
  25. 25.  Arraiolos tornou-se célebre com os seus tapetes bordados à mão com um ponto simples e motivos tradicionais que cria um belo efeito decorativo nos chãos e nas paredes.
  26. 26.  Os cestos em fibras vegetais foram os recipientes utilizados no transporte de materiais sólidos até à generalização do plástico. Nesta função, assumiam vantagens sobre a bilha de barro ou a celha de madeira, por serem mais leves e inquebráveis.
  27. 27.  Feira de São João – Évora – Junho  Museu Aberto – Monsaraz – Julho  Festival de Música Évora Clássica – Julho  Semana do Guadiana – Alandroal – Maio  Festa da Vinha e do Vinho – Borba – Novembro  “Ovibeja” Feira Agrícola e de Animação – Beja - Março
  28. 28. A mulher da vila usa:  Saia de fazenda espessa de lã castanha;  Blusa de algodão estampado; Para a missa usa:  Uma mantilha de renda sobre a cabeça;  Um xaile de merino negro bordado, com franjas de fio; Calça meias de renda brancas;  Sapatos de carneira com botões.
  29. 29. O homem alentejano usa:  Chapéu de aba larga;  Camisa com pregas;  Colete com uma ordem de botões muito aberto e jaqueta com três bolsos;  Cinta preta;  Calças justas;  Sapato fino.
  30. 30.  A gastronomia da região é, para além disso, tradicionalmente sazonal.  Novembro, Dezembro e Janeiro são os meses da matança do porco.  Os borregos eram mortos na Páscoa. O ensopado de borrego, o borrego assado no forno ou então guisado com ervilhas, entre outros cozinhados, são verdadeiras iguarias.  A esta tradição juntam-se as épocas em que surgem algumas das verduras ou dos temperos para as recorrentes sopas ou açordas: os coentros, os poejos, a hortelã e muitos mais.
  31. 31.  Porco Alentejano e Migas;  Coelho e Lebre;  Sopa;  Ensopados;  Doce de Ovos;  Queijos: Nisa, Serpa e Évora;  Vinhos Brancos e Tintos: Borba, Redondo, Vidigueira, Cuba e Alvito;
  32. 32.  Os ovos, o açúcar e o mel, as amêndoas e os pinhões, surgiram da competição entre conventos para conquistar os favores dos melhores protetores.

×