SlideShare uma empresa Scribd logo
Estética na Antiguidade  E Estética na Atualidade
Estética  (do  grego   αισθητική  ou  aisthésis :  percepção ,  sensação ) é um ramo da  filosofia  que tem por objeto o estudo da natureza do  belo  e dos fundamentos da  arte . Ela estuda o julgamento e a percepção do que é considerada bela, a produção das emoções pelos fenômenos estéticos, bem como: as diferentes formas de arte e da  técnica  artística; a idéia de obra de arte e de criação; a relação entre matérias e formas nas artes. Por outro lado, a estética também pode ocupar-se do  sublime , ou da privação da beleza, ou seja, o que pode ser considerado feio, ou ate mesmo ridículos.
 
 
 
 
 
Especialmente com  Platão ,  Aristóteles  e  Plotino  - a estética era estudada fundida com a  lógica  e a ética. O belo, o bom e o verdadeiro formavam uma unidade com a obra. A essência do belo seria alcançada identificando-o com o bom, tendo em conta os valores morais. Na  Idade Média  surgiu à intenção de estudar a estética independente de outros ramos filosóficos.
 
 
No âmbito do Belo, dois aspectos fundamentais podem ser particularmente destacados:  a estética iniciou-se como  teoria  que se tornava ciência normativa às custas da  lógica  e da  moral  - os valores humanos fundamentais: o verdadeiro, o bom, o belo. Centrava em certo tipo de julgamento de valor que enunciaria as normas gerais do belo; a estética assumiu características também de uma  metafísica  do belo, que se esforçava para desvendar a fonte original de todas as belezas sensíveis: reflexo inteligível na matéria ( Platão ), manifestação sensível da idéia ( Hegel ), o belo natural e o belo arbitrário (humano), etc.
 
Mas este caráter metafísico e conseqüentemente  dogmático  da estética transformou-se posteriormente em uma filosofia da  arte , onde se procura descobrir as regras da arte na própria ação criadora ( Poética ) e em sua recepção, sob o risco de impor construções  a priori  sobre o que é o belo. Neste caso, a filosofia da arte se tornou uma reflexão sobre os procedimentos técnicos elaborados pelo homem, e sobre as condições sociais que fazem certo tipo de ação ser considerada artística
 
 
 
 
 
 
 
 
 
  Estética tem como fundamento o estudo e a extrema preocupação com o que existe de belo na natureza. Todo esse estudo de longa data gerou conceitos de beleza e “linhas” a serem seguidas pelas pessoas, para se tornarem mais belas.  Como o próprio conceito da estética nos mostra, o que é belo é bom, como se fosse o único caminho a ser seguido, para qualquer pessoa ser aceita, em qualquer situação. Antigamente era estudado tudo o que existia na natureza e o pouco, comparado aos dias de hoje, que era produzido pelo homem. Mas com o passar do tempo a estética foi fundamental para a atração das pessoas por qualquer coisa que fosse produzida e exposta. As pessoas se envolvem emocionalmente com tudo que acham “belo”, por mais delicado que seja o significado dessa palavra.
Muitas coisas atraem multidões simplesmente por serem agradáveis esteticamente. Beleza em primeiro lugar. Até hoje ainda percebemos e sentimos no nosso dia-a-dia esse “peso” imposto pela visão de beleza, e que só o que é belo presta. Também podemos observar que o que é considerado feio é simplesmente ignorado e menosprezado. Portanto a estética em nossa época é fundamental, podemos dizer até que é o principal meio de atração de qualquer pessoa, gerando mais consumo e crescimento de vendas de qualquer produto.
 
 
 
 
 
 
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O corpo e a expressão artística e cultural
O corpo e a expressão artística e culturalO corpo e a expressão artística e cultural
O corpo e a expressão artística e cultural
aluisiobraga
 
Feio ou bonito
Feio ou bonitoFeio ou bonito
Feio ou bonito
Italo Colares
 
A arte em meio ao belo e ao feio.
A arte em meio ao belo e ao feio.A arte em meio ao belo e ao feio.
A arte em meio ao belo e ao feio.
josivaldopassos
 
Elementos visuais
Elementos visuaisElementos visuais
Elementos visuais
Keyla Dias
 
O que é Filosofia?
O que é Filosofia?O que é Filosofia?
O que é Filosofia?
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Estética 4
Estética 4Estética 4
Estética
EstéticaEstética
Estética
António Daniel
 
O belo e o feio
O belo e o feioO belo e o feio
O belo e o feio
Aline Corso
 
Historia da beleza 02
Historia da beleza 02Historia da beleza 02
Historia da beleza 02
Andréia de Alcantara
 
Artes visuais e seus elementos visuais
Artes visuais e seus elementos visuaisArtes visuais e seus elementos visuais
Artes visuais e seus elementos visuais
Claudio Bastos
 
Artes Visuais
Artes Visuais Artes Visuais
Artes Visuais
professoramariaraquel
 
Funções da arte
Funções da arteFunções da arte
Funções da arte
JulianoFonseca17
 
Arte 1 médio slide
Arte 1 médio slideArte 1 médio slide
Arte 1 médio slide
Eponina Alencar
 
3º - Estética (Ala 01)
3º - Estética (Ala 01)3º - Estética (Ala 01)
3º - Estética (Ala 01)
Caio Cæsar
 
Artes Visuais
Artes VisuaisArtes Visuais
Artes Visuais
Júnior Maciel
 
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e ética
Over Lane
 
Aula 13 historia da arte.
Aula 13 historia da arte.Aula 13 historia da arte.
Aula 13 historia da arte.
Rafael Serra
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
Ana Barreiros
 
Arte e corpo
Arte e corpoArte e corpo
Arte e corpo
gєαทє ℓiмα
 
Aula de arte urbana
Aula de arte urbanaAula de arte urbana
Aula de arte urbana
CLEBER LUIS DAMACENO
 

Mais procurados (20)

O corpo e a expressão artística e cultural
O corpo e a expressão artística e culturalO corpo e a expressão artística e cultural
O corpo e a expressão artística e cultural
 
Feio ou bonito
Feio ou bonitoFeio ou bonito
Feio ou bonito
 
A arte em meio ao belo e ao feio.
A arte em meio ao belo e ao feio.A arte em meio ao belo e ao feio.
A arte em meio ao belo e ao feio.
 
Elementos visuais
Elementos visuaisElementos visuais
Elementos visuais
 
O que é Filosofia?
O que é Filosofia?O que é Filosofia?
O que é Filosofia?
 
Estética 4
Estética 4Estética 4
Estética 4
 
Estética
EstéticaEstética
Estética
 
O belo e o feio
O belo e o feioO belo e o feio
O belo e o feio
 
Historia da beleza 02
Historia da beleza 02Historia da beleza 02
Historia da beleza 02
 
Artes visuais e seus elementos visuais
Artes visuais e seus elementos visuaisArtes visuais e seus elementos visuais
Artes visuais e seus elementos visuais
 
Artes Visuais
Artes Visuais Artes Visuais
Artes Visuais
 
Funções da arte
Funções da arteFunções da arte
Funções da arte
 
Arte 1 médio slide
Arte 1 médio slideArte 1 médio slide
Arte 1 médio slide
 
3º - Estética (Ala 01)
3º - Estética (Ala 01)3º - Estética (Ala 01)
3º - Estética (Ala 01)
 
Artes Visuais
Artes VisuaisArtes Visuais
Artes Visuais
 
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e ética
 
Aula 13 historia da arte.
Aula 13 historia da arte.Aula 13 historia da arte.
Aula 13 historia da arte.
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
Arte e corpo
Arte e corpoArte e corpo
Arte e corpo
 
Aula de arte urbana
Aula de arte urbanaAula de arte urbana
Aula de arte urbana
 

Semelhante a Estética slide

estticaslide
estticaslideestticaslide
estticaslide
adrianomcosta3
 
a arte como fenomeno social
a arte como fenomeno  social a arte como fenomeno  social
Estética 31
Estética 31Estética 31
Estética 31
Alexandre Misturini
 
Estética na filosofia laura 31 m
Estética na filosofia laura 31 mEstética na filosofia laura 31 m
Estética na filosofia laura 31 m
alemisturini
 
Estética e ensino de arte
Estética e ensino de arteEstética e ensino de arte
Estética e ensino de arte
Marcos Santos
 
Apostila do 2º ano 3º e 4º bi
Apostila do 2º ano   3º e 4º biApostila do 2º ano   3º e 4º bi
Apostila do 2º ano 3º e 4º bi
Duzg
 
Experi%c3%a ancia%20est%c3%a9tica[1]
Experi%c3%a ancia%20est%c3%a9tica[1]Experi%c3%a ancia%20est%c3%a9tica[1]
Experi%c3%a ancia%20est%c3%a9tica[1]
Julia Martins
 
Estética
EstéticaEstética
Estetica
Estetica   Estetica
Estetica
Mary Alvarenga
 
Estetica (atividade II)
Estetica   (atividade II)Estetica   (atividade II)
Estetica (atividade II)
Mary Alvarenga
 
Alexsandro Junior da Silva
Alexsandro Junior da Silva Alexsandro Junior da Silva
Alexsandro Junior da Silva
alexsandrojunior13
 
Ensaio estética
Ensaio estéticaEnsaio estética
Ensaio estética
barbarasm1
 
aestticadobelo-150420195214-conversion-gate02.pdf
aestticadobelo-150420195214-conversion-gate02.pdfaestticadobelo-150420195214-conversion-gate02.pdf
aestticadobelo-150420195214-conversion-gate02.pdf
JessicaAlineTardivoA
 
Estética
EstéticaEstética
Estética
Elisama Lopes
 
Quem determina o que é arte?
Quem determina o que é arte?Quem determina o que é arte?
Quem determina o que é arte?
derlonpipcbc
 
Quem determina o que é arte?
Quem determina o que é arte?Quem determina o que é arte?
Quem determina o que é arte?
derlonpipcbc
 
M oda e formas de conhecimento, verdade, estética e identidade
M oda e formas de conhecimento, verdade, estética e identidadeM oda e formas de conhecimento, verdade, estética e identidade
M oda e formas de conhecimento, verdade, estética e identidade
Genivalda Cândido
 
ÉTICA origem definicao e historia aula 1
ÉTICA origem definicao e historia aula 1ÉTICA origem definicao e historia aula 1
ÉTICA origem definicao e historia aula 1
DraEvenlySilva
 
éTica geral-e-profissional-13
éTica geral-e-profissional-13éTica geral-e-profissional-13
éTica geral-e-profissional-13
Aline Santa Bárbara
 
9 - ESTÉTICA - Gilberto Coutrim.pptx
9 - ESTÉTICA - Gilberto Coutrim.pptx9 - ESTÉTICA - Gilberto Coutrim.pptx
9 - ESTÉTICA - Gilberto Coutrim.pptx
Iuri Ribeiro
 

Semelhante a Estética slide (20)

estticaslide
estticaslideestticaslide
estticaslide
 
a arte como fenomeno social
a arte como fenomeno  social a arte como fenomeno  social
a arte como fenomeno social
 
Estética 31
Estética 31Estética 31
Estética 31
 
Estética na filosofia laura 31 m
Estética na filosofia laura 31 mEstética na filosofia laura 31 m
Estética na filosofia laura 31 m
 
Estética e ensino de arte
Estética e ensino de arteEstética e ensino de arte
Estética e ensino de arte
 
Apostila do 2º ano 3º e 4º bi
Apostila do 2º ano   3º e 4º biApostila do 2º ano   3º e 4º bi
Apostila do 2º ano 3º e 4º bi
 
Experi%c3%a ancia%20est%c3%a9tica[1]
Experi%c3%a ancia%20est%c3%a9tica[1]Experi%c3%a ancia%20est%c3%a9tica[1]
Experi%c3%a ancia%20est%c3%a9tica[1]
 
Estética
EstéticaEstética
Estética
 
Estetica
Estetica   Estetica
Estetica
 
Estetica (atividade II)
Estetica   (atividade II)Estetica   (atividade II)
Estetica (atividade II)
 
Alexsandro Junior da Silva
Alexsandro Junior da Silva Alexsandro Junior da Silva
Alexsandro Junior da Silva
 
Ensaio estética
Ensaio estéticaEnsaio estética
Ensaio estética
 
aestticadobelo-150420195214-conversion-gate02.pdf
aestticadobelo-150420195214-conversion-gate02.pdfaestticadobelo-150420195214-conversion-gate02.pdf
aestticadobelo-150420195214-conversion-gate02.pdf
 
Estética
EstéticaEstética
Estética
 
Quem determina o que é arte?
Quem determina o que é arte?Quem determina o que é arte?
Quem determina o que é arte?
 
Quem determina o que é arte?
Quem determina o que é arte?Quem determina o que é arte?
Quem determina o que é arte?
 
M oda e formas de conhecimento, verdade, estética e identidade
M oda e formas de conhecimento, verdade, estética e identidadeM oda e formas de conhecimento, verdade, estética e identidade
M oda e formas de conhecimento, verdade, estética e identidade
 
ÉTICA origem definicao e historia aula 1
ÉTICA origem definicao e historia aula 1ÉTICA origem definicao e historia aula 1
ÉTICA origem definicao e historia aula 1
 
éTica geral-e-profissional-13
éTica geral-e-profissional-13éTica geral-e-profissional-13
éTica geral-e-profissional-13
 
9 - ESTÉTICA - Gilberto Coutrim.pptx
9 - ESTÉTICA - Gilberto Coutrim.pptx9 - ESTÉTICA - Gilberto Coutrim.pptx
9 - ESTÉTICA - Gilberto Coutrim.pptx
 

Mais de Solange Ferreira de Paula

Trabalho de filosofia
Trabalho de filosofiaTrabalho de filosofia
Trabalho de filosofia
Solange Ferreira de Paula
 
Priscila F. E Tatiane Ok
Priscila F. E Tatiane OkPriscila F. E Tatiane Ok
Priscila F. E Tatiane Ok
Solange Ferreira de Paula
 
Mayara Do Carmo , Everton
Mayara Do Carmo , EvertonMayara Do Carmo , Everton
Mayara Do Carmo , Everton
Solange Ferreira de Paula
 
Adriana , Jessica Vilella , Nadine
Adriana , Jessica Vilella , NadineAdriana , Jessica Vilella , Nadine
Adriana , Jessica Vilella , Nadine
Solange Ferreira de Paula
 
Ativ9 Solange Dauebe Unid3 Treslagoas
Ativ9 Solange Dauebe Unid3 TreslagoasAtiv9 Solange Dauebe Unid3 Treslagoas
Ativ9 Solange Dauebe Unid3 Treslagoas
Solange Ferreira de Paula
 
Pri, Max, Delly, JéH
Pri, Max, Delly, JéHPri, Max, Delly, JéH
Pri, Max, Delly, JéH
Solange Ferreira de Paula
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
Solange Ferreira de Paula
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Sistema digestorio
Sistema digestorioSistema digestorio
Sistema digestorio
Solange Ferreira de Paula
 

Mais de Solange Ferreira de Paula (9)

Trabalho de filosofia
Trabalho de filosofiaTrabalho de filosofia
Trabalho de filosofia
 
Priscila F. E Tatiane Ok
Priscila F. E Tatiane OkPriscila F. E Tatiane Ok
Priscila F. E Tatiane Ok
 
Mayara Do Carmo , Everton
Mayara Do Carmo , EvertonMayara Do Carmo , Everton
Mayara Do Carmo , Everton
 
Adriana , Jessica Vilella , Nadine
Adriana , Jessica Vilella , NadineAdriana , Jessica Vilella , Nadine
Adriana , Jessica Vilella , Nadine
 
Ativ9 Solange Dauebe Unid3 Treslagoas
Ativ9 Solange Dauebe Unid3 TreslagoasAtiv9 Solange Dauebe Unid3 Treslagoas
Ativ9 Solange Dauebe Unid3 Treslagoas
 
Pri, Max, Delly, JéH
Pri, Max, Delly, JéHPri, Max, Delly, JéH
Pri, Max, Delly, JéH
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
Sistema digestorio
Sistema digestorioSistema digestorio
Sistema digestorio
 

Estética slide

  • 1. Estética na Antiguidade E Estética na Atualidade
  • 2. Estética (do grego αισθητική ou aisthésis : percepção , sensação ) é um ramo da filosofia que tem por objeto o estudo da natureza do belo e dos fundamentos da arte . Ela estuda o julgamento e a percepção do que é considerada bela, a produção das emoções pelos fenômenos estéticos, bem como: as diferentes formas de arte e da técnica artística; a idéia de obra de arte e de criação; a relação entre matérias e formas nas artes. Por outro lado, a estética também pode ocupar-se do sublime , ou da privação da beleza, ou seja, o que pode ser considerado feio, ou ate mesmo ridículos.
  • 3.  
  • 4.  
  • 5.  
  • 6.  
  • 7.  
  • 8. Especialmente com Platão , Aristóteles e Plotino - a estética era estudada fundida com a lógica e a ética. O belo, o bom e o verdadeiro formavam uma unidade com a obra. A essência do belo seria alcançada identificando-o com o bom, tendo em conta os valores morais. Na Idade Média surgiu à intenção de estudar a estética independente de outros ramos filosóficos.
  • 9.  
  • 10.  
  • 11. No âmbito do Belo, dois aspectos fundamentais podem ser particularmente destacados: a estética iniciou-se como teoria que se tornava ciência normativa às custas da lógica e da moral - os valores humanos fundamentais: o verdadeiro, o bom, o belo. Centrava em certo tipo de julgamento de valor que enunciaria as normas gerais do belo; a estética assumiu características também de uma metafísica do belo, que se esforçava para desvendar a fonte original de todas as belezas sensíveis: reflexo inteligível na matéria ( Platão ), manifestação sensível da idéia ( Hegel ), o belo natural e o belo arbitrário (humano), etc.
  • 12.  
  • 13. Mas este caráter metafísico e conseqüentemente dogmático da estética transformou-se posteriormente em uma filosofia da arte , onde se procura descobrir as regras da arte na própria ação criadora ( Poética ) e em sua recepção, sob o risco de impor construções a priori sobre o que é o belo. Neste caso, a filosofia da arte se tornou uma reflexão sobre os procedimentos técnicos elaborados pelo homem, e sobre as condições sociais que fazem certo tipo de ação ser considerada artística
  • 14.  
  • 15.  
  • 16.  
  • 17.  
  • 18.  
  • 19.  
  • 20.  
  • 21.  
  • 22.  
  • 23.   Estética tem como fundamento o estudo e a extrema preocupação com o que existe de belo na natureza. Todo esse estudo de longa data gerou conceitos de beleza e “linhas” a serem seguidas pelas pessoas, para se tornarem mais belas.  Como o próprio conceito da estética nos mostra, o que é belo é bom, como se fosse o único caminho a ser seguido, para qualquer pessoa ser aceita, em qualquer situação. Antigamente era estudado tudo o que existia na natureza e o pouco, comparado aos dias de hoje, que era produzido pelo homem. Mas com o passar do tempo a estética foi fundamental para a atração das pessoas por qualquer coisa que fosse produzida e exposta. As pessoas se envolvem emocionalmente com tudo que acham “belo”, por mais delicado que seja o significado dessa palavra.
  • 24. Muitas coisas atraem multidões simplesmente por serem agradáveis esteticamente. Beleza em primeiro lugar. Até hoje ainda percebemos e sentimos no nosso dia-a-dia esse “peso” imposto pela visão de beleza, e que só o que é belo presta. Também podemos observar que o que é considerado feio é simplesmente ignorado e menosprezado. Portanto a estética em nossa época é fundamental, podemos dizer até que é o principal meio de atração de qualquer pessoa, gerando mais consumo e crescimento de vendas de qualquer produto.
  • 25.  
  • 26.  
  • 27.  
  • 28.  
  • 29.  
  • 30.  
  • 31.