SlideShare uma empresa Scribd logo
Desenvolvimento Ágil de
      Software
   Diógenes Walison de Araujo
       @diogeneswaraujo
            #AgiDC
Desenvolvimento de
  software é um
 knowledge work
Planejamento
  Negociação
  Priorização
    Análise
Programação
     Teste
 Implantação
   Suporte
Manutenção
   Pesquisa
   Evolução
    Criação
Desenvolvimento de software é
   processo inventivo e com
    alto índice de mudança



 Incerteza é inevitável em
    projetos de software
Modelo Cascata (Waterfall)
               Pontos Fortes

               Documentação produzida em cada fase
               do ciclo

               Limitações

               Exige a definição em detalhes dos
               requisitos nos estágios inicias do
               processo, dificultando a resposta a
               mudança

               Dificuldade de apresentar o estado
               atual do projeto para cliente, versão do
               sistema somente nos estágios finais do
               processo

               Ciclo bloqueante
Modelo evolucionário e iterativo




Pontos Fortes                         Limitações

Adaptativo                            Não suporta contratos baseado em
Entregas rápidas para o cliente       especificação
Engajamento dos usuários do sistema   Mudança contínua no software
no processo de desenvolvimento
Feedback contínuo
Metodologias tradicionais

EVO – Evolutionary Project Management
UP – Unified Process
RUP – Rational Unified Process
Estrutura das metodologias


              Ciclo de Vida
              Atividades
              Artefatos
              Pápeis
              Boas práticas
Porque novas
abordagens ?
Burocrática e prescritiva


  Abordagem preditiva
Documentação abrangente
  Orientado a processo
 Orientado a ferramenta
Eliminar desperdício
Utilizar maior parte do
     tempo para o
 desenvolvimento e
  teste do software
Responder
rapidamente
 a mudança
Novos Métodos
DSDM - Dynamic Solutions Delivery Model
XP – Extreme Programming
Adaptive Software Development
Scrum
Crystal
FDD - Feature Driven Development
Lean Development
Kanban
Movimento Ágil de Desenvolvimento
          de Software
- Fevereiro 2001, Utah – USA

- Representantes de XP, Scrum, DSDM, ASD, Crystal,
FDD, Pragmatic Programming

- Alternativas para processos dirigidos ao
documentação extensiva e processos rigorosos

- Manifesto Ágil e Princípios Ágil
Manifesto para Desenvolvimento Ágil de
                   Software

   Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas

Software em funcionamento mais que documentação abrangente

  Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos

       Responder a mudanças mais que seguir um plano
12 Princípios do Manifesto Ágil
 #1 Satisfazer o cliente através da entrega    #7 Software funcionando é a medida primária
contínua e adiantada de software com valor                     de progresso
                  agregado

#2 Mudanças nos requisitos são bem-vindas,        #8 Os patrocinadores, desenvolvedores e
 mesmo tardiamente no desenvolvimento            usuários devem ser capazes de manter um
                                                              ritmo constante
   #3 Entregar frequentemente software           #9 Contínua atenção à excelência técnica e
                funcionando                                     bom design

 #4 Pessoas de negócio e desenvolvedores
 devem trabalhar em conjunto por todo o                 #10 Simplicidade é essencial
                 projeto

#5 Construa projetos em torno de indivíduos      #11 As melhores arquiteturas, requisitos e
                motivados                      designs emergem de equipes auto-organizáveis

                                                #12 Em intervalos regulares, a equipe reflete
   #6 O método mais eficiente e eficaz de        sobre como se tornar mais eficaz e então
transmitir informações é através de conversa   refina e ajusta seu comportamento de acordo
                 face a face
Práticas Ágeis




By Samuel Crescêncio
Métodos ágeis são
  adaptivos ao
invés de preditivo
Métodos ágeis são orientados a
pessoas ao invés de orientado a
           processo
Agilidade é a habilidade
 de criar e responder a
       mudança,
afim de produzir ganhos
  em um ambiente de
        negócio
Para se tornar Ágil
    é preciso :

  Transparência
  Comunicação
     Gestão
  Alinhamento
   Aprendizado
Perguntas
Ser ágil depende de
Obrigado !
Referências
Agile and Iterative Development: A Manager’s Guide, Craig Larman

Agile Software Development Ecosystems, Jim Highsmith

Software Engineering , 8ed, Ian Sommerville

Software Engineering – A Practitioners Approach, 6ed, Roger Presman

http://agilemanifesto.org/

http://martinfowler.com/articles/newMethodology.html

http://prezi.com/w6pjte9n4bsq/the-lean-pyramid/

http://www.softwareresults.us/2010/02/software-development-knowledge-
    work.html

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Caminhos do Scrum
Caminhos do ScrumCaminhos do Scrum
Caminhos do Scrum
jrompkovski
 
Palestra Métodos Ágeis SERPRO
Palestra Métodos Ágeis SERPROPalestra Métodos Ágeis SERPRO
Palestra Métodos Ágeis SERPRO
Wildtech
 
O uso de metodos ageis no desenvolvimento de software
O uso de metodos ageis no desenvolvimento de softwareO uso de metodos ageis no desenvolvimento de software
O uso de metodos ageis no desenvolvimento de software
Everton vitor
 
Metodologias Ageis
Metodologias AgeisMetodologias Ageis
Metodologias Ageis
MarcosMaozinha
 
Vantagens agil 3
Vantagens agil 3Vantagens agil 3
Vantagens agil 3
Júlio Ferreira
 
Palestra Geinfo 2011 - Desenvolvimento ágil no governo
Palestra Geinfo 2011 - Desenvolvimento ágil no governoPalestra Geinfo 2011 - Desenvolvimento ágil no governo
Palestra Geinfo 2011 - Desenvolvimento ágil no governo
Dextra
 
Subentendendo o Ágil
Subentendendo o ÁgilSubentendendo o Ágil
Subentendendo o Ágil
Vitor Pelizza
 
Desenvolvimento incremental e iterativo
Desenvolvimento incremental e iterativoDesenvolvimento incremental e iterativo
Desenvolvimento incremental e iterativo
Hercules Lemke Merscher
 
Aula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias ÁgeisAula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias Ágeis
Mauricio Cesar Santos da Purificação
 
Lightning Talk- Requisitos em Metodologias Ágeis
Lightning Talk- Requisitos em Metodologias ÁgeisLightning Talk- Requisitos em Metodologias Ágeis
Lightning Talk- Requisitos em Metodologias Ágeis
Fernanda Rabello
 
Boas Práticas na Abordagem de Requisitos em Metodologias Ágeis
Boas Práticas na Abordagem de Requisitos em Metodologias ÁgeisBoas Práticas na Abordagem de Requisitos em Metodologias Ágeis
Boas Práticas na Abordagem de Requisitos em Metodologias Ágeis
Fernanda Rabello
 
Metodologias Ageis
Metodologias AgeisMetodologias Ageis
Metodologias Ageis
Rafael França
 
Metodologias ágeis de desenvolvimento
Metodologias ágeis de desenvolvimento Metodologias ágeis de desenvolvimento
Metodologias ágeis de desenvolvimento
Paulo Ricardo Dalmagro Vinck
 
Agile
AgileAgile
Alm e ATLM - A importância dos lifecycles no desenvolvimento de software
Alm e ATLM - A  importância dos lifecycles no desenvolvimento de softwareAlm e ATLM - A  importância dos lifecycles no desenvolvimento de software
Alm e ATLM - A importância dos lifecycles no desenvolvimento de software
Vandre Ramos, MSc, MBA, CSM
 
DESENVOLVIMENTO E GERENCIAMENTO ÁGIL DE PROJETOS DE SOFTWARE
DESENVOLVIMENTO E GERENCIAMENTO ÁGIL DE PROJETOS DE SOFTWAREDESENVOLVIMENTO E GERENCIAMENTO ÁGIL DE PROJETOS DE SOFTWARE
DESENVOLVIMENTO E GERENCIAMENTO ÁGIL DE PROJETOS DE SOFTWARE
Cloves da Rocha
 
Agile, mudando o foco
Agile, mudando o focoAgile, mudando o foco
Agile, mudando o foco
ewerttonbravo
 
Analise de gerenciamento_de_projeto_de_software_utilizando_metodologia_agil_x...
Analise de gerenciamento_de_projeto_de_software_utilizando_metodologia_agil_x...Analise de gerenciamento_de_projeto_de_software_utilizando_metodologia_agil_x...
Analise de gerenciamento_de_projeto_de_software_utilizando_metodologia_agil_x...
Elisangela Paulino
 
Métodos Ágeis - Aula02
Métodos Ágeis - Aula02Métodos Ágeis - Aula02
Métodos Ágeis - Aula02
Adriano Bertucci
 
Antecipando o sucesso de uma arquitetura de software emergente em times ágeis
Antecipando o sucesso de uma arquitetura de software emergente em times ágeisAntecipando o sucesso de uma arquitetura de software emergente em times ágeis
Antecipando o sucesso de uma arquitetura de software emergente em times ágeis
Sérgio Giraldo
 

Mais procurados (20)

Caminhos do Scrum
Caminhos do ScrumCaminhos do Scrum
Caminhos do Scrum
 
Palestra Métodos Ágeis SERPRO
Palestra Métodos Ágeis SERPROPalestra Métodos Ágeis SERPRO
Palestra Métodos Ágeis SERPRO
 
O uso de metodos ageis no desenvolvimento de software
O uso de metodos ageis no desenvolvimento de softwareO uso de metodos ageis no desenvolvimento de software
O uso de metodos ageis no desenvolvimento de software
 
Metodologias Ageis
Metodologias AgeisMetodologias Ageis
Metodologias Ageis
 
Vantagens agil 3
Vantagens agil 3Vantagens agil 3
Vantagens agil 3
 
Palestra Geinfo 2011 - Desenvolvimento ágil no governo
Palestra Geinfo 2011 - Desenvolvimento ágil no governoPalestra Geinfo 2011 - Desenvolvimento ágil no governo
Palestra Geinfo 2011 - Desenvolvimento ágil no governo
 
Subentendendo o Ágil
Subentendendo o ÁgilSubentendendo o Ágil
Subentendendo o Ágil
 
Desenvolvimento incremental e iterativo
Desenvolvimento incremental e iterativoDesenvolvimento incremental e iterativo
Desenvolvimento incremental e iterativo
 
Aula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias ÁgeisAula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias Ágeis
 
Lightning Talk- Requisitos em Metodologias Ágeis
Lightning Talk- Requisitos em Metodologias ÁgeisLightning Talk- Requisitos em Metodologias Ágeis
Lightning Talk- Requisitos em Metodologias Ágeis
 
Boas Práticas na Abordagem de Requisitos em Metodologias Ágeis
Boas Práticas na Abordagem de Requisitos em Metodologias ÁgeisBoas Práticas na Abordagem de Requisitos em Metodologias Ágeis
Boas Práticas na Abordagem de Requisitos em Metodologias Ágeis
 
Metodologias Ageis
Metodologias AgeisMetodologias Ageis
Metodologias Ageis
 
Metodologias ágeis de desenvolvimento
Metodologias ágeis de desenvolvimento Metodologias ágeis de desenvolvimento
Metodologias ágeis de desenvolvimento
 
Agile
AgileAgile
Agile
 
Alm e ATLM - A importância dos lifecycles no desenvolvimento de software
Alm e ATLM - A  importância dos lifecycles no desenvolvimento de softwareAlm e ATLM - A  importância dos lifecycles no desenvolvimento de software
Alm e ATLM - A importância dos lifecycles no desenvolvimento de software
 
DESENVOLVIMENTO E GERENCIAMENTO ÁGIL DE PROJETOS DE SOFTWARE
DESENVOLVIMENTO E GERENCIAMENTO ÁGIL DE PROJETOS DE SOFTWAREDESENVOLVIMENTO E GERENCIAMENTO ÁGIL DE PROJETOS DE SOFTWARE
DESENVOLVIMENTO E GERENCIAMENTO ÁGIL DE PROJETOS DE SOFTWARE
 
Agile, mudando o foco
Agile, mudando o focoAgile, mudando o foco
Agile, mudando o foco
 
Analise de gerenciamento_de_projeto_de_software_utilizando_metodologia_agil_x...
Analise de gerenciamento_de_projeto_de_software_utilizando_metodologia_agil_x...Analise de gerenciamento_de_projeto_de_software_utilizando_metodologia_agil_x...
Analise de gerenciamento_de_projeto_de_software_utilizando_metodologia_agil_x...
 
Métodos Ágeis - Aula02
Métodos Ágeis - Aula02Métodos Ágeis - Aula02
Métodos Ágeis - Aula02
 
Antecipando o sucesso de uma arquitetura de software emergente em times ágeis
Antecipando o sucesso de uma arquitetura de software emergente em times ágeisAntecipando o sucesso de uma arquitetura de software emergente em times ágeis
Antecipando o sucesso de uma arquitetura de software emergente em times ágeis
 

Semelhante a Desenvolvimento ágil de software

O que é um Processo Ágil? | BRUNO FERNANDES CHIMIESKI
O que é um Processo Ágil? | BRUNO FERNANDES CHIMIESKIO que é um Processo Ágil? | BRUNO FERNANDES CHIMIESKI
O que é um Processo Ágil? | BRUNO FERNANDES CHIMIESKI
Bruno Fernandes Chimieski
 
SeminarioGerenciamentoAgil (1).ppt
SeminarioGerenciamentoAgil (1).pptSeminarioGerenciamentoAgil (1).ppt
SeminarioGerenciamentoAgil (1).ppt
DavidMaciel34
 
Aula2 - Modelagem de Sistemas Orientada a Objetos
Aula2 - Modelagem de Sistemas Orientada a ObjetosAula2 - Modelagem de Sistemas Orientada a Objetos
Aula2 - Modelagem de Sistemas Orientada a Objetos
Leandro Rezende
 
Grupo 3 - Gestão Ágil (3).pptx
Grupo 3 - Gestão Ágil (3).pptxGrupo 3 - Gestão Ágil (3).pptx
Grupo 3 - Gestão Ágil (3).pptx
ssuser064821
 
Agile explicacao 18
Agile explicacao 18Agile explicacao 18
Agile explicacao 18
Júlio Ferreira
 
Manifesto Ágil
Manifesto ÁgilManifesto Ágil
Manifesto Ágil
Serge Rehem
 
Desenvolvimento Ágil - Pensando Além
Desenvolvimento Ágil - Pensando AlémDesenvolvimento Ágil - Pensando Além
Desenvolvimento Ágil - Pensando Além
ilegra
 
anhanguera _ gestao de projetos _ u4 s2 _ projetos ágeis.pptx
anhanguera _ gestao de projetos _ u4 s2 _ projetos ágeis.pptxanhanguera _ gestao de projetos _ u4 s2 _ projetos ágeis.pptx
anhanguera _ gestao de projetos _ u4 s2 _ projetos ágeis.pptx
Alisson Batista
 
O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...
O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...
O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...
Ivo M Michalick Vasconcelos, PMP, PMI-SP, CPCC
 
Princípios ágeis - UFRGS 2013
Princípios ágeis - UFRGS 2013Princípios ágeis - UFRGS 2013
Princípios ágeis - UFRGS 2013
Lourenco P Soares
 
Princípios Ágeis
Princípios ÁgeisPrincípios Ágeis
Princípios Ágeis
Lourenco P Soares
 
SeminarioGerenciamentoAgil.ppt
SeminarioGerenciamentoAgil.pptSeminarioGerenciamentoAgil.ppt
SeminarioGerenciamentoAgil.ppt
ssuser388f65
 
Seminario Gerenciamento Agil apresentaçã
Seminario Gerenciamento Agil apresentaçãSeminario Gerenciamento Agil apresentaçã
Seminario Gerenciamento Agil apresentaçã
patriciaalipiosilva
 
SeminarioGerenciamentoAgil.ppt
SeminarioGerenciamentoAgil.pptSeminarioGerenciamentoAgil.ppt
SeminarioGerenciamentoAgil.ppt
Nilton Batista
 
SeminarioGerenciamentoAgil.ppt
SeminarioGerenciamentoAgil.pptSeminarioGerenciamentoAgil.ppt
SeminarioGerenciamentoAgil.ppt
RicardodeQueirozMach1
 
Metodos ageis
Metodos ageisMetodos ageis
Metodos ageis
Fábio Giordani
 
Palestra papel do desenvolvedor no sucesso da empresa
Palestra papel do desenvolvedor no sucesso da empresaPalestra papel do desenvolvedor no sucesso da empresa
Palestra papel do desenvolvedor no sucesso da empresa
Henrique Nunes Bez Fontana
 
Leds zeppellin infraestrutura de apoio ao desenvolvimento
Leds zeppellin   infraestrutura de apoio ao desenvolvimentoLeds zeppellin   infraestrutura de apoio ao desenvolvimento
Leds zeppellin infraestrutura de apoio ao desenvolvimento
ledsifes
 
Feature driven development
Feature driven developmentFeature driven development
Feature driven development
Izabel Rodrigues
 
Scrum - Introdução Interna para o Núcleo de Arquitetura de Informação
Scrum - Introdução Interna para o Núcleo de Arquitetura de InformaçãoScrum - Introdução Interna para o Núcleo de Arquitetura de Informação
Scrum - Introdução Interna para o Núcleo de Arquitetura de Informação
Alessandro Novais
 

Semelhante a Desenvolvimento ágil de software (20)

O que é um Processo Ágil? | BRUNO FERNANDES CHIMIESKI
O que é um Processo Ágil? | BRUNO FERNANDES CHIMIESKIO que é um Processo Ágil? | BRUNO FERNANDES CHIMIESKI
O que é um Processo Ágil? | BRUNO FERNANDES CHIMIESKI
 
SeminarioGerenciamentoAgil (1).ppt
SeminarioGerenciamentoAgil (1).pptSeminarioGerenciamentoAgil (1).ppt
SeminarioGerenciamentoAgil (1).ppt
 
Aula2 - Modelagem de Sistemas Orientada a Objetos
Aula2 - Modelagem de Sistemas Orientada a ObjetosAula2 - Modelagem de Sistemas Orientada a Objetos
Aula2 - Modelagem de Sistemas Orientada a Objetos
 
Grupo 3 - Gestão Ágil (3).pptx
Grupo 3 - Gestão Ágil (3).pptxGrupo 3 - Gestão Ágil (3).pptx
Grupo 3 - Gestão Ágil (3).pptx
 
Agile explicacao 18
Agile explicacao 18Agile explicacao 18
Agile explicacao 18
 
Manifesto Ágil
Manifesto ÁgilManifesto Ágil
Manifesto Ágil
 
Desenvolvimento Ágil - Pensando Além
Desenvolvimento Ágil - Pensando AlémDesenvolvimento Ágil - Pensando Além
Desenvolvimento Ágil - Pensando Além
 
anhanguera _ gestao de projetos _ u4 s2 _ projetos ágeis.pptx
anhanguera _ gestao de projetos _ u4 s2 _ projetos ágeis.pptxanhanguera _ gestao de projetos _ u4 s2 _ projetos ágeis.pptx
anhanguera _ gestao de projetos _ u4 s2 _ projetos ágeis.pptx
 
O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...
O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...
O Gerenciamento de Projetos de Software Desenvolvidos à Luz das Metodologias ...
 
Princípios ágeis - UFRGS 2013
Princípios ágeis - UFRGS 2013Princípios ágeis - UFRGS 2013
Princípios ágeis - UFRGS 2013
 
Princípios Ágeis
Princípios ÁgeisPrincípios Ágeis
Princípios Ágeis
 
SeminarioGerenciamentoAgil.ppt
SeminarioGerenciamentoAgil.pptSeminarioGerenciamentoAgil.ppt
SeminarioGerenciamentoAgil.ppt
 
Seminario Gerenciamento Agil apresentaçã
Seminario Gerenciamento Agil apresentaçãSeminario Gerenciamento Agil apresentaçã
Seminario Gerenciamento Agil apresentaçã
 
SeminarioGerenciamentoAgil.ppt
SeminarioGerenciamentoAgil.pptSeminarioGerenciamentoAgil.ppt
SeminarioGerenciamentoAgil.ppt
 
SeminarioGerenciamentoAgil.ppt
SeminarioGerenciamentoAgil.pptSeminarioGerenciamentoAgil.ppt
SeminarioGerenciamentoAgil.ppt
 
Metodos ageis
Metodos ageisMetodos ageis
Metodos ageis
 
Palestra papel do desenvolvedor no sucesso da empresa
Palestra papel do desenvolvedor no sucesso da empresaPalestra papel do desenvolvedor no sucesso da empresa
Palestra papel do desenvolvedor no sucesso da empresa
 
Leds zeppellin infraestrutura de apoio ao desenvolvimento
Leds zeppellin   infraestrutura de apoio ao desenvolvimentoLeds zeppellin   infraestrutura de apoio ao desenvolvimento
Leds zeppellin infraestrutura de apoio ao desenvolvimento
 
Feature driven development
Feature driven developmentFeature driven development
Feature driven development
 
Scrum - Introdução Interna para o Núcleo de Arquitetura de Informação
Scrum - Introdução Interna para o Núcleo de Arquitetura de InformaçãoScrum - Introdução Interna para o Núcleo de Arquitetura de Informação
Scrum - Introdução Interna para o Núcleo de Arquitetura de Informação
 

Último

OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 

Último (20)

OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 

Desenvolvimento ágil de software

  • 1. Desenvolvimento Ágil de Software Diógenes Walison de Araujo @diogeneswaraujo #AgiDC
  • 2. Desenvolvimento de software é um knowledge work
  • 3. Planejamento Negociação Priorização Análise Programação Teste Implantação Suporte Manutenção Pesquisa Evolução Criação
  • 4. Desenvolvimento de software é processo inventivo e com alto índice de mudança Incerteza é inevitável em projetos de software
  • 5. Modelo Cascata (Waterfall) Pontos Fortes Documentação produzida em cada fase do ciclo Limitações Exige a definição em detalhes dos requisitos nos estágios inicias do processo, dificultando a resposta a mudança Dificuldade de apresentar o estado atual do projeto para cliente, versão do sistema somente nos estágios finais do processo Ciclo bloqueante
  • 6. Modelo evolucionário e iterativo Pontos Fortes Limitações Adaptativo Não suporta contratos baseado em Entregas rápidas para o cliente especificação Engajamento dos usuários do sistema Mudança contínua no software no processo de desenvolvimento Feedback contínuo
  • 7. Metodologias tradicionais EVO – Evolutionary Project Management UP – Unified Process RUP – Rational Unified Process
  • 8. Estrutura das metodologias Ciclo de Vida Atividades Artefatos Pápeis Boas práticas
  • 10. Burocrática e prescritiva Abordagem preditiva Documentação abrangente Orientado a processo Orientado a ferramenta
  • 12. Utilizar maior parte do tempo para o desenvolvimento e teste do software
  • 14. Novos Métodos DSDM - Dynamic Solutions Delivery Model XP – Extreme Programming Adaptive Software Development Scrum Crystal FDD - Feature Driven Development Lean Development Kanban
  • 15. Movimento Ágil de Desenvolvimento de Software - Fevereiro 2001, Utah – USA - Representantes de XP, Scrum, DSDM, ASD, Crystal, FDD, Pragmatic Programming - Alternativas para processos dirigidos ao documentação extensiva e processos rigorosos - Manifesto Ágil e Princípios Ágil
  • 16. Manifesto para Desenvolvimento Ágil de Software Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas Software em funcionamento mais que documentação abrangente Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos Responder a mudanças mais que seguir um plano
  • 17. 12 Princípios do Manifesto Ágil #1 Satisfazer o cliente através da entrega #7 Software funcionando é a medida primária contínua e adiantada de software com valor de progresso agregado #2 Mudanças nos requisitos são bem-vindas, #8 Os patrocinadores, desenvolvedores e mesmo tardiamente no desenvolvimento usuários devem ser capazes de manter um ritmo constante #3 Entregar frequentemente software #9 Contínua atenção à excelência técnica e funcionando bom design #4 Pessoas de negócio e desenvolvedores devem trabalhar em conjunto por todo o #10 Simplicidade é essencial projeto #5 Construa projetos em torno de indivíduos #11 As melhores arquiteturas, requisitos e motivados designs emergem de equipes auto-organizáveis #12 Em intervalos regulares, a equipe reflete #6 O método mais eficiente e eficaz de sobre como se tornar mais eficaz e então transmitir informações é através de conversa refina e ajusta seu comportamento de acordo face a face
  • 19. Métodos ágeis são adaptivos ao invés de preditivo
  • 20. Métodos ágeis são orientados a pessoas ao invés de orientado a processo
  • 21. Agilidade é a habilidade de criar e responder a mudança, afim de produzir ganhos em um ambiente de negócio
  • 22. Para se tornar Ágil é preciso : Transparência Comunicação Gestão Alinhamento Aprendizado
  • 26. Referências Agile and Iterative Development: A Manager’s Guide, Craig Larman Agile Software Development Ecosystems, Jim Highsmith Software Engineering , 8ed, Ian Sommerville Software Engineering – A Practitioners Approach, 6ed, Roger Presman http://agilemanifesto.org/ http://martinfowler.com/articles/newMethodology.html http://prezi.com/w6pjte9n4bsq/the-lean-pyramid/ http://www.softwareresults.us/2010/02/software-development-knowledge- work.html