SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
Baixar para ler offline
MPB
Podemos dizer que a MPB surgiu ainda no período colonial
brasileiro, a partir da mistura de vários estilos. Entre os séculos
XVI e XVIII, misturou-se em nossa terra, as cantigas
populares, os sons de origem africana, fanfarras
militares, músicas religiosas e músicas eruditas européias.
Também contribuíram, neste caldeirão musical, os indígenas com
seus típicos cantos e sons tribais.
Afoxé
Chegou da África com os escravos e na língua dos Yorubas
significa “dança da felicidade”. Este tipo de dança serve como
base de muitas festas religiosas e animistas em todo o país. É
uma mistura intoxicante de movimento, som, e cores, refletindo a
sensualidade e o espírito do Brasil como grande mistura étnica e
cultural.
Samba Reggae
É uma mistura de vários ritmos incluindo o afoxé, ijexa, e samba duro
com influências do caribe. Paul Simon era o primeiro artista principal
para introduzir esta música do samba reggae ao mundo quando
tocou e fez turnê com a batucada Olodum da Bahia.
Axé
É um jeito de música e dança mui popular com originem em Salvador
Bahia. A palavra vem de um cumprimento ritual do sentido de boas
vibrações, que estava usado nos cultos de Candomblé e Umbanda.
Axé é a dança do carnaval da Bahia e domina todos os aspectos da
cultura popular baiana. Seu rico visual é único no mundo por sua
mistura da ginga, dos
sorrisos, paqueras, relances, rostos, vozes, corpos, e cores do povo
baiano.
Gafieira / Dança de Salão / Samba Pagode
A palavra “Gafieira” vem da palavra francês “gaffe” (gafe) e alude o aos
salões e os bares onde a classe operária carioca festejava desde
começo do 20o século. A dança de Gafieira caracteriza um repertorie
extraordinário e vasto de estilos cujas raízes urbanas de fim-de-século
são pouco conhecidas sabidas pouco entre fãs internacionais. Estes
incluem lambados, lundu, polka, xotis, tango, maxixe, batuque e uma
forma rara, mas encantadora de samba de gafieira conhecida como
“partido alto”. Hoje Gafieira permanece a música e a dança da classe
operária urbana do Rio de Janeiro, sendo mantido vivo e se
desenvolvendo numa experiência completamente contemporânea.
Samba
O Samba é apenas um entre muitas expressões rítmicas que emergiram
nestas épocas: Candomblé, Maracatú, e Capoeira são formas de dança
e arte que emergiram durante a mesma era. O Samba é bem conhecido
pela sua versatilidade e vitalidade. Embora alguns formulários do
Samba permanecessem muito perto das raízes em Afoxé, a maioria dos
movimentos mais modernos do Samba envolveram fusões, tais como o
samba-reggae ou o samba-funk. Samba de Enredo é o tipo de Samba
dominando nos desfiles do carnaval do Rio de Janeiro. Suas letras
contam uma história do passado ou presente acompanhado pelo ritmo
da batucada. Samba de Enredo se tornou popular nos anos 1920s
Capoeira
por música.
A capoeira é uma expressão O Maracatu
cultural Afro-brasileira que No Recife a denominação
mistura luta, dança cultura maracatu servia para
popular e música.
denominar um ajuntamento
Desenvolvida no Brasil por de negros. Os cortejos das
escravos africanos e seus nações em homenagem aos
descendentes, é
Reis do Congo passaram a
caracterizada por golpes e acontecer no carnaval, e
movimentos ágeis e
eram chamados de
complexos, utilizando os
maracatus quando era dada
pés, as mãos, a cabeça, os uma conotação pejorativa.
joelhos, cotovelos, elemento Tinha no passado uma
s ginástico-acrobáticos, e
característica altamente
golpes desferidos com
religiosa, dançavam-se mais
bastões e facões, estes
em festas religiosas, diante
últimos provenientes do
das igrejas, e algumas vezes
Maculelê. Uma característica em festas cívicas.
que a distingue da maioria
das outras artes marciais é o
fato de ser acompanhada
Carnaval
Se não tem sua origem propriamente na cultura negra, esta sem dúvida influenciou fortemente a
festa popular mais importante do Brasil, o carnaval. O entrudo português, festividade em que as
pessoas jogavam farinha, ovo e água umas nas outras, chegou ao Brasil no século 17, originando o
carnaval. O entrudo acontecia antes da quaresma e foi influenciado, inicialmente, pelo carnaval
europeu, em que as pessoas desfilavam com máscaras e fantasias.
Maracatu
A origem do maracatu remonta à época da escravatura no Brasil, em meados do século 18.
Negros escravos criaram a coroação de reis e rainhas negros, prática muito festejada na Igreja
de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, em Recife.
São duas variações. O de Baque Virado, ou Maracatu Nação, é um cortejo real africano
dançado ao som exclusivo da percussão.
O Maracatu de Baque Solto, também conhecido como Maracatu Rural, representa a cena de
caçada de uma corte. Por isso, os dançarinos são caboclos com lanças e têm suas cabeças
muito bem ornamentadas com papel de seda e outros apetrechos.
Com o tempo, o Maracatu Rural se proliferou bastante nas comunidades
interioranas, principalmente na zona canavieira. Hoje, para cada grupo de Maracatu Nação, há
cerca de 30 grupos de Maracatu Rural em Pernambuco.
São Benedito
São Benedito, de grande devoção popular, é festejado em muitas
cidades, como Aparecida do Norte, em São Paulo, onde é considerada a
principal festa de Congado do Sudeste e do Brasil. A festa é realizada no
final de semana após a Páscoa e tem seu ápice na manhã da segundafeira, quando os grupos passam por dentro da Igreja de São Benedito antes
do café da manhã oferecido pelo festeiro do ano, seguindo em procissão
pela cidade à tarde.
Yemanjá
Comemorada no dia 2 de fevereiro, é a única grande festa religiosa baiana
que não se originou do catolicismo, mas do candomblé. Yemanjá é a Rainha
do Mar, também conhecida como dona Janaína, Inaê, Princesa de Aiocá e
Maria. Aiocá é o reino das terras misteriosas da felicidade e da
liberdade, imagem das terras natais da África, saudades dos dias livres na
floresta.
No dia dedicado a Yemanjá, milhares de pessoas vão às praias do Rio
Vermelho, bairro de Salvador, para fazer oferendas à Rainha do Mar. A
tradição começou em 1923, quando um grupo de pescadores ofereceram
presentes para agradar a Mãe d Água, em uma temporada de escassez de
peixes.
Durante o dia, as pessoas depositam oferendas nas mais de 300
embarcações que, às 16h, levam tudo para alto mar. Quando os barcos
voltam para a terra, os acompanhantes não olham para trás, pois faz mal.
Segundo a lenda, os presentes que Yemanjá não aceita são devolvidos pela
maré. Yemanjá é festejada em vários locais da Bahia, como
Origens da MPB e seus principais ritmos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Instrumentos musicais africanos
Instrumentos musicais africanosInstrumentos musicais africanos
Instrumentos musicais africanosMary Alvarenga
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesGeo Honório
 
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)Doane Castro
 
Sequência de atividades despertar da cidadania_hino nacional
Sequência de atividades despertar da cidadania_hino nacionalSequência de atividades despertar da cidadania_hino nacional
Sequência de atividades despertar da cidadania_hino nacionalAdriana Melo
 
Avaliação para o 7º ano
Avaliação para o 7º anoAvaliação para o 7º ano
Avaliação para o 7º anoAndreza Andrade
 
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013Fabiola Oliveira
 
Caça palavras sobre teatro atividade
Caça palavras sobre teatro atividadeCaça palavras sobre teatro atividade
Caça palavras sobre teatro atividadejosenmd
 
CONTRIBUIÇÃO DOS AFRICANOS PARA A CULTURA BRASILEIRA
CONTRIBUIÇÃO DOS AFRICANOS PARA A CULTURA BRASILEIRACONTRIBUIÇÃO DOS AFRICANOS PARA A CULTURA BRASILEIRA
CONTRIBUIÇÃO DOS AFRICANOS PARA A CULTURA BRASILEIRAValéria Vanessa
 
Grafite - Arte nas paredes e nos muros
   Grafite - Arte nas paredes e nos muros   Grafite - Arte nas paredes e nos muros
Grafite - Arte nas paredes e nos murosMary Alvarenga
 
7 ano atividades complementares 4 semana
7 ano atividades complementares 4 semana7 ano atividades complementares 4 semana
7 ano atividades complementares 4 semanaWashington Rocha
 
Atividade de Arte - Música
Atividade de Arte  - MúsicaAtividade de Arte  - Música
Atividade de Arte - MúsicaMary Alvarenga
 
Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )graduartes
 
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdf
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdfAtividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdf
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdfAndré Moraes
 

Mais procurados (20)

A diversidade cultural no brasil (1) (1)
A diversidade cultural no brasil (1) (1)A diversidade cultural no brasil (1) (1)
A diversidade cultural no brasil (1) (1)
 
Instrumentos musicais africanos
Instrumentos musicais africanosInstrumentos musicais africanos
Instrumentos musicais africanos
 
Folclore 9º ano
Folclore 9º anoFolclore 9º ano
Folclore 9º ano
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e Atividades
 
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
 
Festa junina
Festa juninaFesta junina
Festa junina
 
Sequência de atividades despertar da cidadania_hino nacional
Sequência de atividades despertar da cidadania_hino nacionalSequência de atividades despertar da cidadania_hino nacional
Sequência de atividades despertar da cidadania_hino nacional
 
A diversidade cultural no brasil (1)
A diversidade cultural no brasil (1)A diversidade cultural no brasil (1)
A diversidade cultural no brasil (1)
 
Avaliação para o 7º ano
Avaliação para o 7º anoAvaliação para o 7º ano
Avaliação para o 7º ano
 
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
 
Caça palavras sobre teatro atividade
Caça palavras sobre teatro atividadeCaça palavras sobre teatro atividade
Caça palavras sobre teatro atividade
 
Simulado
Simulado Simulado
Simulado
 
CONTRIBUIÇÃO DOS AFRICANOS PARA A CULTURA BRASILEIRA
CONTRIBUIÇÃO DOS AFRICANOS PARA A CULTURA BRASILEIRACONTRIBUIÇÃO DOS AFRICANOS PARA A CULTURA BRASILEIRA
CONTRIBUIÇÃO DOS AFRICANOS PARA A CULTURA BRASILEIRA
 
Grafite - Arte nas paredes e nos muros
   Grafite - Arte nas paredes e nos muros   Grafite - Arte nas paredes e nos muros
Grafite - Arte nas paredes e nos muros
 
Historia da musica atividades
Historia da musica atividadesHistoria da musica atividades
Historia da musica atividades
 
Folclore Brasileiro
Folclore BrasileiroFolclore Brasileiro
Folclore Brasileiro
 
7 ano atividades complementares 4 semana
7 ano atividades complementares 4 semana7 ano atividades complementares 4 semana
7 ano atividades complementares 4 semana
 
Atividade de Arte - Música
Atividade de Arte  - MúsicaAtividade de Arte  - Música
Atividade de Arte - Música
 
Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )
 
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdf
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdfAtividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdf
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdf
 

Destaque (14)

Festas populares
Festas popularesFestas populares
Festas populares
 
Consciencia negra
Consciencia negraConsciencia negra
Consciencia negra
 
Arte afrobrasileira camilo curso adilson
Arte afrobrasileira camilo curso adilsonArte afrobrasileira camilo curso adilson
Arte afrobrasileira camilo curso adilson
 
Culinária
CulináriaCulinária
Culinária
 
Quadrinhos sobre consciencia negra
Quadrinhos sobre consciencia negraQuadrinhos sobre consciencia negra
Quadrinhos sobre consciencia negra
 
Texto diversidade
Texto diversidadeTexto diversidade
Texto diversidade
 
ATIVIDADES PARA SEMANA DA CONSCIÊNCIA NEGRA
ATIVIDADES PARA SEMANA DA CONSCIÊNCIA NEGRAATIVIDADES PARA SEMANA DA CONSCIÊNCIA NEGRA
ATIVIDADES PARA SEMANA DA CONSCIÊNCIA NEGRA
 
Brinquedos e brincadeiras de crianças africanas
Brinquedos e brincadeiras de crianças africanasBrinquedos e brincadeiras de crianças africanas
Brinquedos e brincadeiras de crianças africanas
 
Cultura negra ativ
Cultura negra ativCultura negra ativ
Cultura negra ativ
 
Introduzindo a Cultura Afro-Brasileira na Educação Infantil
Introduzindo a Cultura Afro-Brasileira na Educação InfantilIntroduzindo a Cultura Afro-Brasileira na Educação Infantil
Introduzindo a Cultura Afro-Brasileira na Educação Infantil
 
Sugestões para trabalhar a cultura africana na educação
Sugestões para trabalhar a cultura africana na educaçãoSugestões para trabalhar a cultura africana na educação
Sugestões para trabalhar a cultura africana na educação
 
Consciencia negra para bebes
Consciencia negra para bebesConsciencia negra para bebes
Consciencia negra para bebes
 
Cultura negra3
Cultura negra3Cultura negra3
Cultura negra3
 
Projeto Dengue
Projeto Dengue Projeto Dengue
Projeto Dengue
 

Semelhante a Origens da MPB e seus principais ritmos

Semelhante a Origens da MPB e seus principais ritmos (20)

Danças existentes no brasil
Danças existentes no brasilDanças existentes no brasil
Danças existentes no brasil
 
Danças brasileiras
Danças brasileirasDanças brasileiras
Danças brasileiras
 
GENEROS.pptx
GENEROS.pptxGENEROS.pptx
GENEROS.pptx
 
MúSicas Populares E FolclóRicas Brasileiras
MúSicas Populares E FolclóRicas BrasileirasMúSicas Populares E FolclóRicas Brasileiras
MúSicas Populares E FolclóRicas Brasileiras
 
Carnaval no brasil
Carnaval no brasilCarnaval no brasil
Carnaval no brasil
 
Dança
DançaDança
Dança
 
Dança
DançaDança
Dança
 
Carvanal
CarvanalCarvanal
Carvanal
 
Cultura Latina Luisa
Cultura Latina LuisaCultura Latina Luisa
Cultura Latina Luisa
 
Danças existentes
Danças existentesDanças existentes
Danças existentes
 
Aspectos Culturais de Bom Jardim Maranhão
Aspectos Culturais de Bom Jardim   MaranhãoAspectos Culturais de Bom Jardim   Maranhão
Aspectos Culturais de Bom Jardim Maranhão
 
Trabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiro
Trabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiroTrabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiro
Trabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiro
 
Carnaval ppt 2017
Carnaval ppt 2017Carnaval ppt 2017
Carnaval ppt 2017
 
Roteiro de estudo ARTE - Ensino Fundamental
Roteiro de estudo ARTE - Ensino FundamentalRoteiro de estudo ARTE - Ensino Fundamental
Roteiro de estudo ARTE - Ensino Fundamental
 
Danças de salão
Danças de salãoDanças de salão
Danças de salão
 
Danças nordestinas
Danças nordestinasDanças nordestinas
Danças nordestinas
 
Danças Nordestinas - Kellyson Yalan
Danças Nordestinas - Kellyson YalanDanças Nordestinas - Kellyson Yalan
Danças Nordestinas - Kellyson Yalan
 
Carnaval 3
Carnaval 3Carnaval 3
Carnaval 3
 
Origem do carnaval
Origem do carnavalOrigem do carnaval
Origem do carnaval
 
Origem do carnaval
Origem do carnavalOrigem do carnaval
Origem do carnaval
 

Último

HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024SamiraMiresVieiradeM
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxrenatacolbeich1
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 

Último (20)

HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 

Origens da MPB e seus principais ritmos

  • 1.
  • 2. MPB Podemos dizer que a MPB surgiu ainda no período colonial brasileiro, a partir da mistura de vários estilos. Entre os séculos XVI e XVIII, misturou-se em nossa terra, as cantigas populares, os sons de origem africana, fanfarras militares, músicas religiosas e músicas eruditas européias. Também contribuíram, neste caldeirão musical, os indígenas com seus típicos cantos e sons tribais. Afoxé Chegou da África com os escravos e na língua dos Yorubas significa “dança da felicidade”. Este tipo de dança serve como base de muitas festas religiosas e animistas em todo o país. É uma mistura intoxicante de movimento, som, e cores, refletindo a sensualidade e o espírito do Brasil como grande mistura étnica e cultural.
  • 3. Samba Reggae É uma mistura de vários ritmos incluindo o afoxé, ijexa, e samba duro com influências do caribe. Paul Simon era o primeiro artista principal para introduzir esta música do samba reggae ao mundo quando tocou e fez turnê com a batucada Olodum da Bahia. Axé É um jeito de música e dança mui popular com originem em Salvador Bahia. A palavra vem de um cumprimento ritual do sentido de boas vibrações, que estava usado nos cultos de Candomblé e Umbanda. Axé é a dança do carnaval da Bahia e domina todos os aspectos da cultura popular baiana. Seu rico visual é único no mundo por sua mistura da ginga, dos sorrisos, paqueras, relances, rostos, vozes, corpos, e cores do povo baiano.
  • 4. Gafieira / Dança de Salão / Samba Pagode A palavra “Gafieira” vem da palavra francês “gaffe” (gafe) e alude o aos salões e os bares onde a classe operária carioca festejava desde começo do 20o século. A dança de Gafieira caracteriza um repertorie extraordinário e vasto de estilos cujas raízes urbanas de fim-de-século são pouco conhecidas sabidas pouco entre fãs internacionais. Estes incluem lambados, lundu, polka, xotis, tango, maxixe, batuque e uma forma rara, mas encantadora de samba de gafieira conhecida como “partido alto”. Hoje Gafieira permanece a música e a dança da classe operária urbana do Rio de Janeiro, sendo mantido vivo e se desenvolvendo numa experiência completamente contemporânea. Samba O Samba é apenas um entre muitas expressões rítmicas que emergiram nestas épocas: Candomblé, Maracatú, e Capoeira são formas de dança e arte que emergiram durante a mesma era. O Samba é bem conhecido pela sua versatilidade e vitalidade. Embora alguns formulários do Samba permanecessem muito perto das raízes em Afoxé, a maioria dos movimentos mais modernos do Samba envolveram fusões, tais como o samba-reggae ou o samba-funk. Samba de Enredo é o tipo de Samba dominando nos desfiles do carnaval do Rio de Janeiro. Suas letras contam uma história do passado ou presente acompanhado pelo ritmo da batucada. Samba de Enredo se tornou popular nos anos 1920s
  • 5. Capoeira por música. A capoeira é uma expressão O Maracatu cultural Afro-brasileira que No Recife a denominação mistura luta, dança cultura maracatu servia para popular e música. denominar um ajuntamento Desenvolvida no Brasil por de negros. Os cortejos das escravos africanos e seus nações em homenagem aos descendentes, é Reis do Congo passaram a caracterizada por golpes e acontecer no carnaval, e movimentos ágeis e eram chamados de complexos, utilizando os maracatus quando era dada pés, as mãos, a cabeça, os uma conotação pejorativa. joelhos, cotovelos, elemento Tinha no passado uma s ginástico-acrobáticos, e característica altamente golpes desferidos com religiosa, dançavam-se mais bastões e facões, estes em festas religiosas, diante últimos provenientes do das igrejas, e algumas vezes Maculelê. Uma característica em festas cívicas. que a distingue da maioria das outras artes marciais é o fato de ser acompanhada
  • 6.
  • 7. Carnaval Se não tem sua origem propriamente na cultura negra, esta sem dúvida influenciou fortemente a festa popular mais importante do Brasil, o carnaval. O entrudo português, festividade em que as pessoas jogavam farinha, ovo e água umas nas outras, chegou ao Brasil no século 17, originando o carnaval. O entrudo acontecia antes da quaresma e foi influenciado, inicialmente, pelo carnaval europeu, em que as pessoas desfilavam com máscaras e fantasias. Maracatu A origem do maracatu remonta à época da escravatura no Brasil, em meados do século 18. Negros escravos criaram a coroação de reis e rainhas negros, prática muito festejada na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, em Recife. São duas variações. O de Baque Virado, ou Maracatu Nação, é um cortejo real africano dançado ao som exclusivo da percussão. O Maracatu de Baque Solto, também conhecido como Maracatu Rural, representa a cena de caçada de uma corte. Por isso, os dançarinos são caboclos com lanças e têm suas cabeças muito bem ornamentadas com papel de seda e outros apetrechos. Com o tempo, o Maracatu Rural se proliferou bastante nas comunidades interioranas, principalmente na zona canavieira. Hoje, para cada grupo de Maracatu Nação, há cerca de 30 grupos de Maracatu Rural em Pernambuco.
  • 8. São Benedito São Benedito, de grande devoção popular, é festejado em muitas cidades, como Aparecida do Norte, em São Paulo, onde é considerada a principal festa de Congado do Sudeste e do Brasil. A festa é realizada no final de semana após a Páscoa e tem seu ápice na manhã da segundafeira, quando os grupos passam por dentro da Igreja de São Benedito antes do café da manhã oferecido pelo festeiro do ano, seguindo em procissão pela cidade à tarde. Yemanjá Comemorada no dia 2 de fevereiro, é a única grande festa religiosa baiana que não se originou do catolicismo, mas do candomblé. Yemanjá é a Rainha do Mar, também conhecida como dona Janaína, Inaê, Princesa de Aiocá e Maria. Aiocá é o reino das terras misteriosas da felicidade e da liberdade, imagem das terras natais da África, saudades dos dias livres na floresta. No dia dedicado a Yemanjá, milhares de pessoas vão às praias do Rio Vermelho, bairro de Salvador, para fazer oferendas à Rainha do Mar. A tradição começou em 1923, quando um grupo de pescadores ofereceram presentes para agradar a Mãe d Água, em uma temporada de escassez de peixes. Durante o dia, as pessoas depositam oferendas nas mais de 300 embarcações que, às 16h, levam tudo para alto mar. Quando os barcos voltam para a terra, os acompanhantes não olham para trás, pois faz mal. Segundo a lenda, os presentes que Yemanjá não aceita são devolvidos pela maré. Yemanjá é festejada em vários locais da Bahia, como