SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 35
QUANDO    TRATARMOS     SOBRE    O
ASSUNTO    DROGAS,   TEMOS    QUE,
EXPANDIR O VERBETE, HAJA VISTA, NO
CONCEITO MÉDICO CIENTÍFICO,

DROGA   É,  TODA   E   QUALQUER
SUBSTÂNCIA   QUE     ALTERA   O
FUNCIONAMENTO     NORMAL     DO
ORGANISMO HUMANO.
Há, as drogas que são consideradas lícitas, e em
muitos casos chamadas de remédio, vendidas com
receita médica, usadas para o tratamento das
doenças chamadas psíquicas, e mesmo os
xaropes que contém em sua fórmula a Codeína.
As drogas chamadas lícitas mais consumidas em
todo o mundo, são o álcool e a nicotina (tabaco),
no cigarro, charuto, cachimbo, na palha e ainda há,
aqueles que mascam o fumo e usam rapé, feito do
fumo moído.
As drogas são substâncias químicas, naturais
ou sintéticas, que provocam alterações
psíquicas e físicas a quem as consome e levam
à dependência física e psicológica.

Seu uso sistemático traz sérias conseqüências
físicas, psicológicas e sociais, podendo levar à
morte em casos extremos, em geral por
problemas circulatórios ou respiratórios.
É o que se chama overdose. Além das
drogas   tradicionais,   os    especialistas
também incluem na lista o cigarro e o álcool.
A Bíblia Sagrada, em seu texto e
contexto, trata como fator desagregador
de vida pessoal e em sociedade, o uso
indevido de substâncias psicoativas.
Não encontramos na Bíblia o verbete
drogas, mas Ela, parte do verbete vinho,
para falar de toda e qualquer substância
psicoativa.
E, assim sendo, partindo da Bíblia
Sagrada,   nós   temos    que,  para
entender que é pecado o uso indevido
de substâncias psicoativas, ampliar o
conceito   determinativo    de    sua
essência como droga, álcool e ou
cigarro.
29 Para quem são os ais? para quem os pesares?
para quem as pelejas, para quem as queixas?
para quem as feridas sem causa? e para quem os
olhos vermelhos?

30 Para os que se demoram perto do vinho, para
os que andam buscando bebida misturada.

31 Não olhes para o vinho quando se mostra
vermelho, quando resplandece no copo e se
escoa suavemente.
32 No seu fim morderá como a cobra, e como o
basilisco picará.
33 Os teus olhos verão coisas estranhas, e tu
falarás perversidades.
34 o serás como o que se deita no meio do mar, e
como o que dorme no topo do mastro.
35 E dirás: Espancaram-me, e não me doeu;
bateram-me, e não o senti; quando virei a
despertar? ainda tornarei a buscá-lo outra vez.
O Profeta Isaías, conclama o seu aí,
afirmando que:
"coitado daqueles que se levantam, de manhã
cedo somente a procura de bebida inebriante, que
ficam até tarde, no crepúsculo vespertino, de modo
que, o próprio vinho os inflama” (Is 5:11).

Isto quer dizer, bebem o dia inteiro até
cair.
A Bíblia Sagrada, em seu texto e contexto,
trata como fator desagregador de vida
pessoal e em sociedade, o uso indevido de
substâncias psicoativas.

Não encontramos na Bíblia o verbete
drogas, mas Ela, parte do verbete vinho,
para falar de toda e qualquer substância
psicoativa.
Os    adolescentes    estão    entre   os
principais usuários de drogas. Calcula-se
que 13% dos jovens brasileiros entre 16
e 18 anos consomem maconha.
Em 2001, cresce o uso de Crack e drogas
sintéticas, como o êxtase.
Os consumidores de cocaína são os que
mais procuram tratamento para se livrar
da dependência, o qual é feito por meio de
psicoterapias    que      promovem       a
abstinência às drogas e do uso de
antidepressivos em 60% dos casos.
Atualmente, cerca de 5% dos brasileiros
são dependentes químicos de alguma
droga.
 As drogas são classificadas de acordo
com a ação que exercem sobre o
sistema nervoso central.

Elas    podem      ser     depressoras,
estimulantes, perturbadoras ou, ainda,
combinar mais de um efeito.
 Depressoras    -   Substâncias    que
diminuem a atividade cerebral, deixando
os estímulos nervosos mais lentos.

Fazem parte desse grupo o álcool, os
tranqüilizantes, o ópio (extraído da
planta Papoula somniferum) e seus
derivados, como a morfina e a heroína.
Estimulantes - Aumentam a atividade
cerebral, deixando os estímulos nervosos
mais rápidos.
Excitam especialmente as áreas sensorial e
motora.
Nesse grupo estão as anfetaminas, a
cocaína (produzida das folhas da planta da coca,
Erytroxylum coca) e seus derivados, como o
crack.
 Perturbadoras - São substâncias que
fazem o cérebro funcionar de uma
maneira diferente, muitas vezes com
efeito alucinógeno.
Não alteram a velocidade dos estímulos
cerebrais, mas causam perturbações na
mente do usuário.
Incluem a maconha, o haxixe (produzidos
da planta Cannabis sativa), os solventes
orgânicos (como a cola de sapateiro) e o
LSD (ácido lisérgico).
Drogas com efeito misto - Combinam
dois ou mais efeitos. A droga mais
conhecida desse grupo é o êxtase,
metileno dioxi-metanfetamina (MDMA),
que produz uma sensação ao mesmo
tempo estimulante e alucinógena.
1. O crack é queimado e sua fumaça aspirada passa pelos
alvéolos pulmonares;

2. Via alvéolos o crack cai na circulação e atinge o
cérebro;

3. No sistema nervoso central, a droga age diretamente
sobre os neurônios.
O crack bloqueia a recaptura do neurotransmissor
dopamina, mantendo a substância química por mais tempo
nos espaços sinápticos.
Com isso as atividades motoras e sensoriais são super
estimuladas.
A droga aumenta a pressão arterial e a freqüência
cardíaca. Há risco de convulsão, infarto e derrame
cerebral

4. O crack é distribuído pelo organismo por meio da
circulação sanguínea

5. No fígado, ele é metabolizado

6. A droga é eliminada pela urina
•Prevenção  e tratamento - Os especialistas
afirmam que o melhor modo de combater as
drogas é a prevenção.
Informação, educação e diálogo são
apontados como o melhor caminho para
impedir que adolescentes se viciem. Para
usuários que ainda não estão viciados, o
tratamento recomendado são a psicoterapia
e a participação em grupos de apoio.
Há alguns fatores que contribuem para que
um jovem tenha maiores probabilidades de
se viciar.

O primeiro é genético, Já se provou que
pessoas    com     histórico familiar  de
alcoolismo ou algum outro vício correm
maiores riscos de também ser dependentes.
Os demais estão relacionados com a
personalidade,    Adolescentes    tímidos,
ansiosos por algum tipo de reconhecimento
entre  os    amigos,   apresentam    maior
comportamento      de    risco   para    a
dependência.
Influencia de “Falsos” Amigos.
O jovem, na escola ou no trabalho, relaciona-se
com diversos tipos de colegas. Dentre esses,
há os que são viciados, que passam para os
outros a idéia de que as drogas são desejáveis;

muitos, sem o devido preparo doméstico para
viver em coletividade, acabam se deixando
envolver, para não ser diferente do grupo, para
não sofrer a pressão dos outros.
Influencia   de “Falsos” Amigos.

Os viciados não se contentam em ficar drogados
sozinhos. Eles, como os alcoólatras, os jogadores
de baralho, não sabem viver sem levar outros para
o abismo, como diz a Bíblia:

"Um abismo chama outro abismo, ao ruído das tuas
catadupas..." (Sl 42.7).
Curiosidade   e Aventura.

Desajuste   familiar.

A   falta de Deus na vida.
A VIDA NÃO É DROGA!
A VIDA NÃO É DROGA!
A VIDA NÃO É DROGA!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
D R O G A S N A A D O L E S CÊ N C I A
D R O G A S  N A  A D O L E S CÊ N C I AD R O G A S  N A  A D O L E S CÊ N C I A
D R O G A S N A A D O L E S CÊ N C I A
 
Drogas - Pesquisa em Área de Projecto
Drogas - Pesquisa em Área de ProjectoDrogas - Pesquisa em Área de Projecto
Drogas - Pesquisa em Área de Projecto
 
Slides drogas-2-130319152857-phpapp01
Slides drogas-2-130319152857-phpapp01Slides drogas-2-130319152857-phpapp01
Slides drogas-2-130319152857-phpapp01
 
Drogas: tipos, efeitos e prevenção.
Drogas: tipos, efeitos e prevenção.Drogas: tipos, efeitos e prevenção.
Drogas: tipos, efeitos e prevenção.
 
As drogas
As drogasAs drogas
As drogas
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
O cristão e as drogas
O cristão e as drogasO cristão e as drogas
O cristão e as drogas
 
Drogas conceituação e contextualização histórica 2
Drogas conceituação e contextualização histórica 2Drogas conceituação e contextualização histórica 2
Drogas conceituação e contextualização histórica 2
 
Liberdade é viver sem drogas.
Liberdade é viver sem drogas.Liberdade é viver sem drogas.
Liberdade é viver sem drogas.
 
Slides drogas-2
Slides   drogas-2Slides   drogas-2
Slides drogas-2
 
Repressão ao uso e tráfico de drogas
Repressão ao uso e tráfico de drogasRepressão ao uso e tráfico de drogas
Repressão ao uso e tráfico de drogas
 
Drogas educação e prevenção
Drogas educação e prevençãoDrogas educação e prevenção
Drogas educação e prevenção
 
Droga
DrogaDroga
Droga
 
Drogas licitas e ilicitas
Drogas licitas e ilicitasDrogas licitas e ilicitas
Drogas licitas e ilicitas
 
Grupo das Drogas
Grupo das DrogasGrupo das Drogas
Grupo das Drogas
 
Palestra prevencao drogas
Palestra prevencao drogasPalestra prevencao drogas
Palestra prevencao drogas
 
Drogas - trabalho 7a.H - Bruno Washington
Drogas - trabalho 7a.H - Bruno WashingtonDrogas - trabalho 7a.H - Bruno Washington
Drogas - trabalho 7a.H - Bruno Washington
 
As drogas (4)
As drogas (4)As drogas (4)
As drogas (4)
 
Slide sobre drogas
Slide sobre drogasSlide sobre drogas
Slide sobre drogas
 

Destaque

Verdades bíblicas tema 01 - evidências da existencia de deus
Verdades bíblicas   tema 01 - evidências da existencia de deusVerdades bíblicas   tema 01 - evidências da existencia de deus
Verdades bíblicas tema 01 - evidências da existencia de deusAndreia Alves
 
O Que é Um Ateu
O Que é Um AteuO Que é Um Ateu
O Que é Um Ateuguest9d8b1e
 
Verdades Bíblicas - Evidências da Existência de Deus
Verdades Bíblicas - Evidências da Existência de DeusVerdades Bíblicas - Evidências da Existência de Deus
Verdades Bíblicas - Evidências da Existência de DeusConectadoscomjesusiasd
 
[EBD Maranata] Lição 03 - Noé | Revista Heróis do Antigo Testamento | 22/01/12
[EBD Maranata] Lição 03 - Noé | Revista Heróis do Antigo Testamento | 22/01/12[EBD Maranata] Lição 03 - Noé | Revista Heróis do Antigo Testamento | 22/01/12
[EBD Maranata] Lição 03 - Noé | Revista Heróis do Antigo Testamento | 22/01/12José Carlos Polozi
 
[EBD Maranata] Lição 12 - A justiça divina sempre prevalece | Revista A base ...
[EBD Maranata] Lição 12 - A justiça divina sempre prevalece | Revista A base ...[EBD Maranata] Lição 12 - A justiça divina sempre prevalece | Revista A base ...
[EBD Maranata] Lição 12 - A justiça divina sempre prevalece | Revista A base ...José Carlos Polozi
 

Destaque (11)

Verdades bíblicas tema 01 - evidências da existencia de deus
Verdades bíblicas   tema 01 - evidências da existencia de deusVerdades bíblicas   tema 01 - evidências da existencia de deus
Verdades bíblicas tema 01 - evidências da existencia de deus
 
Sistemas operacionais
Sistemas operacionaisSistemas operacionais
Sistemas operacionais
 
Fundamentos Bíblicos 13 - Igreja
Fundamentos Bíblicos 13 - IgrejaFundamentos Bíblicos 13 - Igreja
Fundamentos Bíblicos 13 - Igreja
 
Existe O Mal
Existe O MalExiste O Mal
Existe O Mal
 
O Ateu
O AteuO Ateu
O Ateu
 
Deus existe
Deus existeDeus existe
Deus existe
 
O Que é Um Ateu
O Que é Um AteuO Que é Um Ateu
O Que é Um Ateu
 
Verdades Bíblicas - Evidências da Existência de Deus
Verdades Bíblicas - Evidências da Existência de DeusVerdades Bíblicas - Evidências da Existência de Deus
Verdades Bíblicas - Evidências da Existência de Deus
 
[EBD Maranata] Lição 03 - Noé | Revista Heróis do Antigo Testamento | 22/01/12
[EBD Maranata] Lição 03 - Noé | Revista Heróis do Antigo Testamento | 22/01/12[EBD Maranata] Lição 03 - Noé | Revista Heróis do Antigo Testamento | 22/01/12
[EBD Maranata] Lição 03 - Noé | Revista Heróis do Antigo Testamento | 22/01/12
 
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDEDROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
 
[EBD Maranata] Lição 12 - A justiça divina sempre prevalece | Revista A base ...
[EBD Maranata] Lição 12 - A justiça divina sempre prevalece | Revista A base ...[EBD Maranata] Lição 12 - A justiça divina sempre prevalece | Revista A base ...
[EBD Maranata] Lição 12 - A justiça divina sempre prevalece | Revista A base ...
 

Semelhante a A VIDA NÃO É DROGA!

Semelhante a A VIDA NÃO É DROGA! (20)

Trabalho Vinicius 23/09/2009
Trabalho Vinicius 23/09/2009Trabalho Vinicius 23/09/2009
Trabalho Vinicius 23/09/2009
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Debate/Palestra
Debate/PalestraDebate/Palestra
Debate/Palestra
 
Diga não ás drogas (2)
Diga não ás drogas (2)Diga não ás drogas (2)
Diga não ás drogas (2)
 
Drogas 090306123253-phpapp01
Drogas 090306123253-phpapp01Drogas 090306123253-phpapp01
Drogas 090306123253-phpapp01
 
Livro eletrônico anti drogas
Livro eletrônico anti drogasLivro eletrônico anti drogas
Livro eletrônico anti drogas
 
Slide sobre drogas
Slide sobre drogasSlide sobre drogas
Slide sobre drogas
 
Palestra sobre drogas
Palestra sobre drogasPalestra sobre drogas
Palestra sobre drogas
 
As drogas podem ser tanto naturais quanto sintéticas
As drogas podem ser tanto naturais quanto sintéticasAs drogas podem ser tanto naturais quanto sintéticas
As drogas podem ser tanto naturais quanto sintéticas
 
A droga e as suas consequências
A droga e as suas consequênciasA droga e as suas consequências
A droga e as suas consequências
 
Adolescentesedrogas 110511064351-phpapp02 (1)
Adolescentesedrogas 110511064351-phpapp02 (1)Adolescentesedrogas 110511064351-phpapp02 (1)
Adolescentesedrogas 110511064351-phpapp02 (1)
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Trabalho drogas12 (1)
Trabalho drogas12 (1)Trabalho drogas12 (1)
Trabalho drogas12 (1)
 
Drogas efundament
Drogas efundamentDrogas efundament
Drogas efundament
 
O QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe Assunção
O QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe AssunçãoO QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe Assunção
O QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe Assunção
 
Droga
DrogaDroga
Droga
 
Slides drogas-2-130319152857-phpapp01
Slides drogas-2-130319152857-phpapp01Slides drogas-2-130319152857-phpapp01
Slides drogas-2-130319152857-phpapp01
 
Adolescentes e drogas
Adolescentes e drogasAdolescentes e drogas
Adolescentes e drogas
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Adolescentes e drogas
Adolescentes e drogas Adolescentes e drogas
Adolescentes e drogas
 

Mais de LH Tools

A INFLUÊNCIA DA AMIZADE
 A INFLUÊNCIA DA AMIZADE A INFLUÊNCIA DA AMIZADE
A INFLUÊNCIA DA AMIZADELH Tools
 
Não Julgue o Livro pela Capa!
Não Julgue o Livro pela Capa!Não Julgue o Livro pela Capa!
Não Julgue o Livro pela Capa!LH Tools
 
Libertos ao infinito deste amor
Libertos ao infinito deste amorLibertos ao infinito deste amor
Libertos ao infinito deste amorLH Tools
 
Redes sociais
Redes sociaisRedes sociais
Redes sociaisLH Tools
 
Revista PIB
Revista PIB Revista PIB
Revista PIB LH Tools
 
Campanha bola na rede
Campanha bola na redeCampanha bola na rede
Campanha bola na redeLH Tools
 

Mais de LH Tools (6)

A INFLUÊNCIA DA AMIZADE
 A INFLUÊNCIA DA AMIZADE A INFLUÊNCIA DA AMIZADE
A INFLUÊNCIA DA AMIZADE
 
Não Julgue o Livro pela Capa!
Não Julgue o Livro pela Capa!Não Julgue o Livro pela Capa!
Não Julgue o Livro pela Capa!
 
Libertos ao infinito deste amor
Libertos ao infinito deste amorLibertos ao infinito deste amor
Libertos ao infinito deste amor
 
Redes sociais
Redes sociaisRedes sociais
Redes sociais
 
Revista PIB
Revista PIB Revista PIB
Revista PIB
 
Campanha bola na rede
Campanha bola na redeCampanha bola na rede
Campanha bola na rede
 

Último

Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaRicardo Azevedo
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxManoel Candido Pires Junior
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Nilson Almeida
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfFrancisco Baptista
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfDaddizinhaRodrigues
 

Último (7)

Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
 

A VIDA NÃO É DROGA!

  • 1.
  • 2.
  • 3. QUANDO TRATARMOS SOBRE O ASSUNTO DROGAS, TEMOS QUE, EXPANDIR O VERBETE, HAJA VISTA, NO CONCEITO MÉDICO CIENTÍFICO, DROGA É, TODA E QUALQUER SUBSTÂNCIA QUE ALTERA O FUNCIONAMENTO NORMAL DO ORGANISMO HUMANO.
  • 4. Há, as drogas que são consideradas lícitas, e em muitos casos chamadas de remédio, vendidas com receita médica, usadas para o tratamento das doenças chamadas psíquicas, e mesmo os xaropes que contém em sua fórmula a Codeína. As drogas chamadas lícitas mais consumidas em todo o mundo, são o álcool e a nicotina (tabaco), no cigarro, charuto, cachimbo, na palha e ainda há, aqueles que mascam o fumo e usam rapé, feito do fumo moído.
  • 5. As drogas são substâncias químicas, naturais ou sintéticas, que provocam alterações psíquicas e físicas a quem as consome e levam à dependência física e psicológica. Seu uso sistemático traz sérias conseqüências físicas, psicológicas e sociais, podendo levar à morte em casos extremos, em geral por problemas circulatórios ou respiratórios.
  • 6. É o que se chama overdose. Além das drogas tradicionais, os especialistas também incluem na lista o cigarro e o álcool.
  • 7.
  • 8. A Bíblia Sagrada, em seu texto e contexto, trata como fator desagregador de vida pessoal e em sociedade, o uso indevido de substâncias psicoativas. Não encontramos na Bíblia o verbete drogas, mas Ela, parte do verbete vinho, para falar de toda e qualquer substância psicoativa.
  • 9. E, assim sendo, partindo da Bíblia Sagrada, nós temos que, para entender que é pecado o uso indevido de substâncias psicoativas, ampliar o conceito determinativo de sua essência como droga, álcool e ou cigarro.
  • 10. 29 Para quem são os ais? para quem os pesares? para quem as pelejas, para quem as queixas? para quem as feridas sem causa? e para quem os olhos vermelhos? 30 Para os que se demoram perto do vinho, para os que andam buscando bebida misturada. 31 Não olhes para o vinho quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente.
  • 11. 32 No seu fim morderá como a cobra, e como o basilisco picará. 33 Os teus olhos verão coisas estranhas, e tu falarás perversidades. 34 o serás como o que se deita no meio do mar, e como o que dorme no topo do mastro. 35 E dirás: Espancaram-me, e não me doeu; bateram-me, e não o senti; quando virei a despertar? ainda tornarei a buscá-lo outra vez.
  • 12. O Profeta Isaías, conclama o seu aí, afirmando que: "coitado daqueles que se levantam, de manhã cedo somente a procura de bebida inebriante, que ficam até tarde, no crepúsculo vespertino, de modo que, o próprio vinho os inflama” (Is 5:11). Isto quer dizer, bebem o dia inteiro até cair.
  • 13. A Bíblia Sagrada, em seu texto e contexto, trata como fator desagregador de vida pessoal e em sociedade, o uso indevido de substâncias psicoativas. Não encontramos na Bíblia o verbete drogas, mas Ela, parte do verbete vinho, para falar de toda e qualquer substância psicoativa.
  • 14. Os adolescentes estão entre os principais usuários de drogas. Calcula-se que 13% dos jovens brasileiros entre 16 e 18 anos consomem maconha. Em 2001, cresce o uso de Crack e drogas sintéticas, como o êxtase.
  • 15. Os consumidores de cocaína são os que mais procuram tratamento para se livrar da dependência, o qual é feito por meio de psicoterapias que promovem a abstinência às drogas e do uso de antidepressivos em 60% dos casos. Atualmente, cerca de 5% dos brasileiros são dependentes químicos de alguma droga.
  • 16.
  • 17.  As drogas são classificadas de acordo com a ação que exercem sobre o sistema nervoso central. Elas podem ser depressoras, estimulantes, perturbadoras ou, ainda, combinar mais de um efeito.
  • 18.  Depressoras - Substâncias que diminuem a atividade cerebral, deixando os estímulos nervosos mais lentos. Fazem parte desse grupo o álcool, os tranqüilizantes, o ópio (extraído da planta Papoula somniferum) e seus derivados, como a morfina e a heroína.
  • 19. Estimulantes - Aumentam a atividade cerebral, deixando os estímulos nervosos mais rápidos. Excitam especialmente as áreas sensorial e motora. Nesse grupo estão as anfetaminas, a cocaína (produzida das folhas da planta da coca, Erytroxylum coca) e seus derivados, como o crack.
  • 20.  Perturbadoras - São substâncias que fazem o cérebro funcionar de uma maneira diferente, muitas vezes com efeito alucinógeno. Não alteram a velocidade dos estímulos cerebrais, mas causam perturbações na mente do usuário.
  • 21. Incluem a maconha, o haxixe (produzidos da planta Cannabis sativa), os solventes orgânicos (como a cola de sapateiro) e o LSD (ácido lisérgico).
  • 22. Drogas com efeito misto - Combinam dois ou mais efeitos. A droga mais conhecida desse grupo é o êxtase, metileno dioxi-metanfetamina (MDMA), que produz uma sensação ao mesmo tempo estimulante e alucinógena.
  • 23.
  • 24. 1. O crack é queimado e sua fumaça aspirada passa pelos alvéolos pulmonares; 2. Via alvéolos o crack cai na circulação e atinge o cérebro; 3. No sistema nervoso central, a droga age diretamente sobre os neurônios. O crack bloqueia a recaptura do neurotransmissor dopamina, mantendo a substância química por mais tempo nos espaços sinápticos. Com isso as atividades motoras e sensoriais são super estimuladas.
  • 25. A droga aumenta a pressão arterial e a freqüência cardíaca. Há risco de convulsão, infarto e derrame cerebral 4. O crack é distribuído pelo organismo por meio da circulação sanguínea 5. No fígado, ele é metabolizado 6. A droga é eliminada pela urina
  • 26.
  • 27. •Prevenção e tratamento - Os especialistas afirmam que o melhor modo de combater as drogas é a prevenção. Informação, educação e diálogo são apontados como o melhor caminho para impedir que adolescentes se viciem. Para usuários que ainda não estão viciados, o tratamento recomendado são a psicoterapia e a participação em grupos de apoio.
  • 28. Há alguns fatores que contribuem para que um jovem tenha maiores probabilidades de se viciar. O primeiro é genético, Já se provou que pessoas com histórico familiar de alcoolismo ou algum outro vício correm maiores riscos de também ser dependentes.
  • 29. Os demais estão relacionados com a personalidade, Adolescentes tímidos, ansiosos por algum tipo de reconhecimento entre os amigos, apresentam maior comportamento de risco para a dependência.
  • 30. Influencia de “Falsos” Amigos. O jovem, na escola ou no trabalho, relaciona-se com diversos tipos de colegas. Dentre esses, há os que são viciados, que passam para os outros a idéia de que as drogas são desejáveis; muitos, sem o devido preparo doméstico para viver em coletividade, acabam se deixando envolver, para não ser diferente do grupo, para não sofrer a pressão dos outros.
  • 31. Influencia de “Falsos” Amigos. Os viciados não se contentam em ficar drogados sozinhos. Eles, como os alcoólatras, os jogadores de baralho, não sabem viver sem levar outros para o abismo, como diz a Bíblia: "Um abismo chama outro abismo, ao ruído das tuas catadupas..." (Sl 42.7).
  • 32. Curiosidade e Aventura. Desajuste familiar. A falta de Deus na vida.