SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
Baixar para ler offline
Histórico

Esta campanha tem sua origem no contexto do V Encontro
Nacional da Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS)
em agosto de 2010 no Recife – PE. Nessa ocasião, o enfoque
do evento foi:
     “Transformando a sociedade a partir da igreja local”
Os participantes assumiram o compromisso de desenvolver
ações concretas para atingir pessoas vítimas de pobreza e
miséria. Uma das propostas naquela ocasião foi um grande
desafio à igreja brasileira para confrontar a exploração sexual
da criança e do adolescente, o qual dá origem à Campanha de
Enfrentamento ao abuso e à exploração sexual da Criança e do
Adolescente.
Dor e Sofrimentos


“Quando uma criança chega à situação
 de ser explorada no turismo sexual, já é
    o final de um processo de abuso e
 injustiças praticadas contra a criança e
              o adolescente.”
Meta


Promoção dos direitos da criança e do
adolescente para a redução das
vulnerabilidades frente à situação da
violência sexual.
Regiões e Estados
NORTE:
MANAUS           SUL:
                 CURITIBA
NORDESTE:        PORTO ALEGRE
SALVADOR
RECIFE
NATAL            SUDESTE
FORTALEZA        SÃO PAULO
                 RIO DE JANEIRO
CENTRO - OESTE   BELO HORIZONTE
BRASÍLIA
CUIABÁ
Articuladores
Fundamentos

    A promoção dos direitos da infância e
 adolescência;
 A participação e o protagonismo de
 adolescentes e jovens na defesa de seus
 direitos;
 A sensibilização pública e a busca de
 compromisso da própria comunidade a fim de
 criar uma cultura de enfrentamento a
 exploração sexual de crianças e adolescentes.
Objetivo Geral

Promover ações estratégicas, em parceria com
redes e organizações da sociedade civil,
órgãos do sistema de garantia de direitos e
igrejas evangélicas, visando a prevenção da
exploração sexual de crianças e adolescentes
no turismo, nas 12 capitais onde haverão
jogos da Copa do Mundo em 2014.
Objetivos Específicos
1.   Sensibilizar a sociedade civil para a questão do
     enfrentamento à exploração sexual de crianças e
     adolescentes no turismo.
2.   Mobilizar a sociedade civil empoderando-a para criar a
     cultura de enfrentamento à exploração sexual de
     crianças e adolescentes
3.   Fortalecer o sistema de garantia de direitos nas 12
     capitais.
4.   Articular com a rede de acolhimento às vitimas de
     Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes e com a
     rede de tratamento dos abusadores e das famílias
     afetadas.
Eixos de Atuação
*




                *




                                  *
    Prevenção       Intervenção       Tratamento
1. Prevenção
Objetivo 1 – Sensibilização das organizações
e da sociedade:
Ações sugeridas:
1. Encontros com Organizações do Poder público e da
   Sociedade Civil.
2. Encontros com lideranças Religiosas (Igrejas, Conselhos
   de Pastores e ONGs);
3. Publicações e notícias nos meios de comunicação,
   cadastro de repórteres que podem colaborar;
4. Mutirão de oração;
5. Campanha Nacional de Vacinação;
6. Encontros com lideranças empresariais e políticas;
1. Prevenção
Campanha Nacional de Vacinação;
1. Prevenção

Objetivo 2 - Mobilização das forças da sociedade
   sensibilizadas;
Ações sugeridas:

1. Marcha de Enfrentamento ao Abuso e Exploração
   Sexual de Crianças e Adolescentes;
2. FORUM de Enfrentamento ao Abuso e Exploração
   Sexual de Crianças e Adolescentes;
1. Prevenção

Objetivo 3 – Capacitar as organizações e pessoas
para a prevenção;
Ações sugeridas:
1. Projeto Janela – CADI;
2. FORUM de Enfrentamento ao Abuso e Exploração
   Sexual de Crianças e Adolescentes;
3. Cursos presenciais para capacitar sobre como lidar com
   a questão;
4. Campanha de Vacinação pelos Bons Tratos;
1. Prevenção
Objetivo 4 – Promoção do Protagonismo e
participação de crianças e adolescentes na defesa
de seus direitos;
Ações sugeridas:
1. Projeto Janela – CADI;
2. Marcha de Enfrentamento ao Abuso e Exploração
   Sexual de Crianças e Adolescentes;
3. Implantação do Trabalho da ONG Makanudos nas
   Escolas;
1. Prevenção

Objetivo 5 - Articulação com o poder público em
ações de prevenção;
Ações sugeridas:
1. Consultas e Encontros com atores (Secretarias públicas
   e Conselhos Municipais) da Rede de Proteção;
2. FORUM de Enfrentamento ao Abuso e Exploração
   Sexual de Crianças e Adolescentes;
3. Participação nos eventos realizados pela iniciativa
   Pública na temática da Campanha.
2. Intervenção
Objetivo 1 - Articulação com as instâncias
públicas;
Ações sugeridas:
1. FORUM de Enfrentamento ao Abuso e Exploração
   Sexual de Crianças e Adolescente;
2. Integração com as políticas públicas, rede de proteção,
   PAIR;
3. Integração com a rede de saúde pública;
4. Encontros com autoridades policiais;
5. Encaminhamento de casos às autoridades;
3. Tratamento
Objetivo 1 - Ter organizações com estrutura para
acolhimento e apoio às vítimas, tratamento dos
abusadores e das famílias afetadas;
Ações sugeridas:
1. Articular com CPPC – Corpo de Psicólogos e Psiquiatras
   Cristãos;
2. Promover cursos de capacitação para as organizações
   participantes;
3. Buscar conhecimentos com outros atores, como Rede
   Mãos Dadas e atores públicos;
3. Tratamento

Objetivo 2 - Articular ações com os Equipamentos
de Proteção Social Especial de Alta Complexidade;
Ações sugeridas:
1. Fazer um levantamento destes equipamentos públicos
   (Quais São?) e onde estão localizados;
2. Articular estratégias para que as organizações sociais
   tenham contato com os equipamentos e possam fazer
   encaminhamentos;
3. Tratamento

Objetivo 3 - Mobilizar e Capacitar novos atores de
Proteção Especial;
Ações sugeridas:
1. Articular Igrejas, Ongs, psicólogos, psiquiatras,
   assistentes sociais, professores, agentes comunitários e
   de saúde, etc.
Principais Ações da Campanha
 Marcha contra o abuso sexual da criança e do
  adolescente – dia 18 de maio;
 Fórum de Enfrentamento a exploração sexual de crianças
  e adolescentes;
 Capacitação na temática exploração sexual à lideranças
  comunitárias, Gestores de Organizações da Sociedade
  Civil, Educadores, Religiosos e atores sociais;
 Divulgação dos sistema de proteção e direitos da criança
  e do adolescente; Divulgação do Disk Denúncia 100;
 Facilitar um movimento nacional de oração em favor
  das crianças e dos adolescentes em risco.
 Promover a Campanha Nacional da Vacinação contra
  maus-tratos às crianças e adolescentes;
Desafios
Mobilização de pessoas:
Igrejas locais;
Lideranças;
Escolas e Universidades;
Redes, ONGs e movimentos sociais;
Conselhos de defesa dos direitos da criança e do adolescente;

Mobilização de Recursos:
Publicação de Material;
Produção e Manutenção de Material na WEB;
Confecção de Camisetas;
Realização de Treinamentos e Fóruns;
Viagens;
Organizações Parceiras em Curitiba
Coordenação

Coordenação Nacional – RENAS, Exército de Salvação, CLAVES
    Brasil, Visão Mundial, Rede Mãos Dadas, Rede Fale,
                    Makanudos, REPAS.
                    Coordenação Regional
    Articuladores         Equipe             Grupos de
#




                      #




                                         #
                          Coordenadora       Trabalho nos
                                             Eixos da
                                             Campanha
Campanha contra exploração sexual de crianças

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Revista PIB
Revista PIB Revista PIB
Revista PIB LH Tools
 
Libertos ao infinito deste amor
Libertos ao infinito deste amorLibertos ao infinito deste amor
Libertos ao infinito deste amorLH Tools
 
Aula Jonatas 45: Reencarnação na bíblia?!
Aula Jonatas 45: Reencarnação na bíblia?!Aula Jonatas 45: Reencarnação na bíblia?!
Aula Jonatas 45: Reencarnação na bíblia?!Andre Nascimento
 
EBD Revista Palavra e Vida: Aula 8: A igreja sob os olhares externos
EBD Revista Palavra e Vida: Aula 8: A igreja sob os olhares externosEBD Revista Palavra e Vida: Aula 8: A igreja sob os olhares externos
EBD Revista Palavra e Vida: Aula 8: A igreja sob os olhares externosAndre Nascimento
 
Não Julgue o Livro pela Capa!
Não Julgue o Livro pela Capa!Não Julgue o Livro pela Capa!
Não Julgue o Livro pela Capa!LH Tools
 
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014 Aula 6: A razão da segurança dos salvos
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014 Aula 6: A razão da segurança dos salvosEBD Revista Palavra e Vida 4T2014 Aula 6: A razão da segurança dos salvos
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014 Aula 6: A razão da segurança dos salvosAndre Nascimento
 
A VIDA NÃO É DROGA!
A VIDA NÃO É DROGA!A VIDA NÃO É DROGA!
A VIDA NÃO É DROGA!LH Tools
 
Fé.EBD.Palavra e Vida.3T2015.Aula 9
Fé.EBD.Palavra e Vida.3T2015.Aula 9Fé.EBD.Palavra e Vida.3T2015.Aula 9
Fé.EBD.Palavra e Vida.3T2015.Aula 9Andre Nascimento
 
A igreja de ontem e hoje - Esmirna
A igreja de ontem e hoje - EsmirnaA igreja de ontem e hoje - Esmirna
A igreja de ontem e hoje - EsmirnaIpi Machado
 
A INFLUÊNCIA DA AMIZADE
 A INFLUÊNCIA DA AMIZADE A INFLUÊNCIA DA AMIZADE
A INFLUÊNCIA DA AMIZADELH Tools
 

Destaque (13)

Revista PIB
Revista PIB Revista PIB
Revista PIB
 
Libertos ao infinito deste amor
Libertos ao infinito deste amorLibertos ao infinito deste amor
Libertos ao infinito deste amor
 
Aula Jonatas 45: Reencarnação na bíblia?!
Aula Jonatas 45: Reencarnação na bíblia?!Aula Jonatas 45: Reencarnação na bíblia?!
Aula Jonatas 45: Reencarnação na bíblia?!
 
Abril
AbrilAbril
Abril
 
EBD Revista Palavra e Vida: Aula 8: A igreja sob os olhares externos
EBD Revista Palavra e Vida: Aula 8: A igreja sob os olhares externosEBD Revista Palavra e Vida: Aula 8: A igreja sob os olhares externos
EBD Revista Palavra e Vida: Aula 8: A igreja sob os olhares externos
 
Não Julgue o Livro pela Capa!
Não Julgue o Livro pela Capa!Não Julgue o Livro pela Capa!
Não Julgue o Livro pela Capa!
 
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014 Aula 6: A razão da segurança dos salvos
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014 Aula 6: A razão da segurança dos salvosEBD Revista Palavra e Vida 4T2014 Aula 6: A razão da segurança dos salvos
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014 Aula 6: A razão da segurança dos salvos
 
A VIDA NÃO É DROGA!
A VIDA NÃO É DROGA!A VIDA NÃO É DROGA!
A VIDA NÃO É DROGA!
 
Fé.EBD.Palavra e Vida.3T2015.Aula 9
Fé.EBD.Palavra e Vida.3T2015.Aula 9Fé.EBD.Palavra e Vida.3T2015.Aula 9
Fé.EBD.Palavra e Vida.3T2015.Aula 9
 
Habacuque (moody)
Habacuque (moody)Habacuque (moody)
Habacuque (moody)
 
A igreja de ontem e hoje - Esmirna
A igreja de ontem e hoje - EsmirnaA igreja de ontem e hoje - Esmirna
A igreja de ontem e hoje - Esmirna
 
A INFLUÊNCIA DA AMIZADE
 A INFLUÊNCIA DA AMIZADE A INFLUÊNCIA DA AMIZADE
A INFLUÊNCIA DA AMIZADE
 
O coração do homem
O coração do homemO coração do homem
O coração do homem
 

Semelhante a Campanha contra exploração sexual de crianças

Política Nacional PIAJ Cáritas.pdf
Política Nacional PIAJ Cáritas.pdfPolítica Nacional PIAJ Cáritas.pdf
Política Nacional PIAJ Cáritas.pdfKNHBrasilSECOeBahia
 
Minha Santa Cruz sem Drogas
Minha Santa Cruz sem DrogasMinha Santa Cruz sem Drogas
Minha Santa Cruz sem DrogasSmds Santa Cruz
 
Apresentação institucional
Apresentação institucionalApresentação institucional
Apresentação institucionalProame
 
O-Papel-Assistencia-Social-Implementacao-Escuta-Especializada.-Tania-Regina.pptx
O-Papel-Assistencia-Social-Implementacao-Escuta-Especializada.-Tania-Regina.pptxO-Papel-Assistencia-Social-Implementacao-Escuta-Especializada.-Tania-Regina.pptx
O-Papel-Assistencia-Social-Implementacao-Escuta-Especializada.-Tania-Regina.pptxAugustoSvio2
 
Catalogo de estratégias comunitarias
Catalogo de estratégias comunitariasCatalogo de estratégias comunitarias
Catalogo de estratégias comunitariasAlinebrauna Brauna
 
Histórico campanha e ação nacional
Histórico campanha e ação nacionalHistórico campanha e ação nacional
Histórico campanha e ação nacionalfabricio
 
Associação projeto paz e união vislumbrando o exercício da cidadania em cidad...
Associação projeto paz e união vislumbrando o exercício da cidadania em cidad...Associação projeto paz e união vislumbrando o exercício da cidadania em cidad...
Associação projeto paz e união vislumbrando o exercício da cidadania em cidad...FCVSA
 
Guia para a Elaboração de Planos Municipais pela Primeira Infância
Guia para a Elaboração de Planos Municipais pela Primeira InfânciaGuia para a Elaboração de Planos Municipais pela Primeira Infância
Guia para a Elaboração de Planos Municipais pela Primeira InfânciaKarenina Oliveira
 
Planejamento estratégico completo2012/2015
Planejamento estratégico completo2012/2015Planejamento estratégico completo2012/2015
Planejamento estratégico completo2012/2015Proame
 
Prevenção também se ensina
Prevenção também se ensinaPrevenção também se ensina
Prevenção também se ensinaDany Romeira
 
Aidscongress.net - Novas Metodologias para Apoio ao Adolescente na Área do H...
Aidscongress.net  - Novas Metodologias para Apoio ao Adolescente na Área do H...Aidscongress.net  - Novas Metodologias para Apoio ao Adolescente na Área do H...
Aidscongress.net - Novas Metodologias para Apoio ao Adolescente na Área do H...Jorge Silva
 
1ª Conferência Estadual LGBT do Paraná
1ª Conferência Estadual LGBT do Paraná1ª Conferência Estadual LGBT do Paraná
1ª Conferência Estadual LGBT do ParanáGrupo Dignidade
 
Programa P - Manual para o exercício da PATERNIDADE e do cuidado
Programa P - Manual para o exercício da PATERNIDADE e do cuidadoPrograma P - Manual para o exercício da PATERNIDADE e do cuidado
Programa P - Manual para o exercício da PATERNIDADE e do cuidadoProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Trabalho 8 Metas do Milênio
Trabalho 8 Metas do MilênioTrabalho 8 Metas do Milênio
Trabalho 8 Metas do MilênioDenis Moraes
 
8 Metas do Milênio (Grupo 01)
8 Metas do Milênio (Grupo 01)8 Metas do Milênio (Grupo 01)
8 Metas do Milênio (Grupo 01)Denis Moraes
 
Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolesc...
Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolesc...Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolesc...
Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolesc...Deputada Ana Lucia
 
Amar e Proteger2 Serviço de Proteção Social
Amar e Proteger2 Serviço de Proteção Social Amar e Proteger2 Serviço de Proteção Social
Amar e Proteger2 Serviço de Proteção Social Rosemeire Rocha D. Fukue
 
PATERNIDADE: Relatório da situação do Brasil / ProMundo
PATERNIDADE: Relatório da situação do Brasil / ProMundo PATERNIDADE: Relatório da situação do Brasil / ProMundo
PATERNIDADE: Relatório da situação do Brasil / ProMundo Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Apresentação - Audiência Pública - Relatório Brasil Livre do Trabalho In...
Apresentação - Audiência Pública - Relatório Brasil Livre do Trabalho In...Apresentação - Audiência Pública - Relatório Brasil Livre do Trabalho In...
Apresentação - Audiência Pública - Relatório Brasil Livre do Trabalho In...deputadamarina
 

Semelhante a Campanha contra exploração sexual de crianças (20)

Política Nacional PIAJ Cáritas.pdf
Política Nacional PIAJ Cáritas.pdfPolítica Nacional PIAJ Cáritas.pdf
Política Nacional PIAJ Cáritas.pdf
 
Minha Santa Cruz sem Drogas
Minha Santa Cruz sem DrogasMinha Santa Cruz sem Drogas
Minha Santa Cruz sem Drogas
 
Apresentação institucional
Apresentação institucionalApresentação institucional
Apresentação institucional
 
O-Papel-Assistencia-Social-Implementacao-Escuta-Especializada.-Tania-Regina.pptx
O-Papel-Assistencia-Social-Implementacao-Escuta-Especializada.-Tania-Regina.pptxO-Papel-Assistencia-Social-Implementacao-Escuta-Especializada.-Tania-Regina.pptx
O-Papel-Assistencia-Social-Implementacao-Escuta-Especializada.-Tania-Regina.pptx
 
Catalogo de estratégias comunitarias
Catalogo de estratégias comunitariasCatalogo de estratégias comunitarias
Catalogo de estratégias comunitarias
 
Histórico campanha e ação nacional
Histórico campanha e ação nacionalHistórico campanha e ação nacional
Histórico campanha e ação nacional
 
Associação projeto paz e união vislumbrando o exercício da cidadania em cidad...
Associação projeto paz e união vislumbrando o exercício da cidadania em cidad...Associação projeto paz e união vislumbrando o exercício da cidadania em cidad...
Associação projeto paz e união vislumbrando o exercício da cidadania em cidad...
 
Guia para a Elaboração de Planos Municipais pela Primeira Infância
Guia para a Elaboração de Planos Municipais pela Primeira InfânciaGuia para a Elaboração de Planos Municipais pela Primeira Infância
Guia para a Elaboração de Planos Municipais pela Primeira Infância
 
Planejamento estratégico completo2012/2015
Planejamento estratégico completo2012/2015Planejamento estratégico completo2012/2015
Planejamento estratégico completo2012/2015
 
Prevenção também se ensina
Prevenção também se ensinaPrevenção também se ensina
Prevenção também se ensina
 
Aidscongress.net - Novas Metodologias para Apoio ao Adolescente na Área do H...
Aidscongress.net  - Novas Metodologias para Apoio ao Adolescente na Área do H...Aidscongress.net  - Novas Metodologias para Apoio ao Adolescente na Área do H...
Aidscongress.net - Novas Metodologias para Apoio ao Adolescente na Área do H...
 
1ª Conferência Estadual LGBT do Paraná
1ª Conferência Estadual LGBT do Paraná1ª Conferência Estadual LGBT do Paraná
1ª Conferência Estadual LGBT do Paraná
 
Programa P - Manual para o exercício da PATERNIDADE e do cuidado
Programa P - Manual para o exercício da PATERNIDADE e do cuidadoPrograma P - Manual para o exercício da PATERNIDADE e do cuidado
Programa P - Manual para o exercício da PATERNIDADE e do cuidado
 
Trabalho 8 Metas do Milênio
Trabalho 8 Metas do MilênioTrabalho 8 Metas do Milênio
Trabalho 8 Metas do Milênio
 
8 Metas do Milênio (Grupo 01)
8 Metas do Milênio (Grupo 01)8 Metas do Milênio (Grupo 01)
8 Metas do Milênio (Grupo 01)
 
Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolesc...
Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolesc...Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolesc...
Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolesc...
 
Amar e Proteger2 Serviço de Proteção Social
Amar e Proteger2 Serviço de Proteção Social Amar e Proteger2 Serviço de Proteção Social
Amar e Proteger2 Serviço de Proteção Social
 
Apresentação Amar e Proteger2
Apresentação Amar e Proteger2Apresentação Amar e Proteger2
Apresentação Amar e Proteger2
 
PATERNIDADE: Relatório da situação do Brasil / ProMundo
PATERNIDADE: Relatório da situação do Brasil / ProMundo PATERNIDADE: Relatório da situação do Brasil / ProMundo
PATERNIDADE: Relatório da situação do Brasil / ProMundo
 
Apresentação - Audiência Pública - Relatório Brasil Livre do Trabalho In...
Apresentação - Audiência Pública - Relatório Brasil Livre do Trabalho In...Apresentação - Audiência Pública - Relatório Brasil Livre do Trabalho In...
Apresentação - Audiência Pública - Relatório Brasil Livre do Trabalho In...
 

Campanha contra exploração sexual de crianças

  • 1.
  • 2. Histórico Esta campanha tem sua origem no contexto do V Encontro Nacional da Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS) em agosto de 2010 no Recife – PE. Nessa ocasião, o enfoque do evento foi: “Transformando a sociedade a partir da igreja local” Os participantes assumiram o compromisso de desenvolver ações concretas para atingir pessoas vítimas de pobreza e miséria. Uma das propostas naquela ocasião foi um grande desafio à igreja brasileira para confrontar a exploração sexual da criança e do adolescente, o qual dá origem à Campanha de Enfrentamento ao abuso e à exploração sexual da Criança e do Adolescente.
  • 3. Dor e Sofrimentos “Quando uma criança chega à situação de ser explorada no turismo sexual, já é o final de um processo de abuso e injustiças praticadas contra a criança e o adolescente.”
  • 4. Meta Promoção dos direitos da criança e do adolescente para a redução das vulnerabilidades frente à situação da violência sexual.
  • 5. Regiões e Estados NORTE: MANAUS SUL: CURITIBA NORDESTE: PORTO ALEGRE SALVADOR RECIFE NATAL SUDESTE FORTALEZA SÃO PAULO RIO DE JANEIRO CENTRO - OESTE BELO HORIZONTE BRASÍLIA CUIABÁ
  • 7. Fundamentos  A promoção dos direitos da infância e adolescência;  A participação e o protagonismo de adolescentes e jovens na defesa de seus direitos;  A sensibilização pública e a busca de compromisso da própria comunidade a fim de criar uma cultura de enfrentamento a exploração sexual de crianças e adolescentes.
  • 8. Objetivo Geral Promover ações estratégicas, em parceria com redes e organizações da sociedade civil, órgãos do sistema de garantia de direitos e igrejas evangélicas, visando a prevenção da exploração sexual de crianças e adolescentes no turismo, nas 12 capitais onde haverão jogos da Copa do Mundo em 2014.
  • 9. Objetivos Específicos 1. Sensibilizar a sociedade civil para a questão do enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes no turismo. 2. Mobilizar a sociedade civil empoderando-a para criar a cultura de enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes 3. Fortalecer o sistema de garantia de direitos nas 12 capitais. 4. Articular com a rede de acolhimento às vitimas de Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes e com a rede de tratamento dos abusadores e das famílias afetadas.
  • 10. Eixos de Atuação * * * Prevenção Intervenção Tratamento
  • 11. 1. Prevenção Objetivo 1 – Sensibilização das organizações e da sociedade: Ações sugeridas: 1. Encontros com Organizações do Poder público e da Sociedade Civil. 2. Encontros com lideranças Religiosas (Igrejas, Conselhos de Pastores e ONGs); 3. Publicações e notícias nos meios de comunicação, cadastro de repórteres que podem colaborar; 4. Mutirão de oração; 5. Campanha Nacional de Vacinação; 6. Encontros com lideranças empresariais e políticas;
  • 13. 1. Prevenção Objetivo 2 - Mobilização das forças da sociedade sensibilizadas; Ações sugeridas: 1. Marcha de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes; 2. FORUM de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes;
  • 14. 1. Prevenção Objetivo 3 – Capacitar as organizações e pessoas para a prevenção; Ações sugeridas: 1. Projeto Janela – CADI; 2. FORUM de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes; 3. Cursos presenciais para capacitar sobre como lidar com a questão; 4. Campanha de Vacinação pelos Bons Tratos;
  • 15. 1. Prevenção Objetivo 4 – Promoção do Protagonismo e participação de crianças e adolescentes na defesa de seus direitos; Ações sugeridas: 1. Projeto Janela – CADI; 2. Marcha de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes; 3. Implantação do Trabalho da ONG Makanudos nas Escolas;
  • 16. 1. Prevenção Objetivo 5 - Articulação com o poder público em ações de prevenção; Ações sugeridas: 1. Consultas e Encontros com atores (Secretarias públicas e Conselhos Municipais) da Rede de Proteção; 2. FORUM de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes; 3. Participação nos eventos realizados pela iniciativa Pública na temática da Campanha.
  • 17. 2. Intervenção Objetivo 1 - Articulação com as instâncias públicas; Ações sugeridas: 1. FORUM de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescente; 2. Integração com as políticas públicas, rede de proteção, PAIR; 3. Integração com a rede de saúde pública; 4. Encontros com autoridades policiais; 5. Encaminhamento de casos às autoridades;
  • 18. 3. Tratamento Objetivo 1 - Ter organizações com estrutura para acolhimento e apoio às vítimas, tratamento dos abusadores e das famílias afetadas; Ações sugeridas: 1. Articular com CPPC – Corpo de Psicólogos e Psiquiatras Cristãos; 2. Promover cursos de capacitação para as organizações participantes; 3. Buscar conhecimentos com outros atores, como Rede Mãos Dadas e atores públicos;
  • 19. 3. Tratamento Objetivo 2 - Articular ações com os Equipamentos de Proteção Social Especial de Alta Complexidade; Ações sugeridas: 1. Fazer um levantamento destes equipamentos públicos (Quais São?) e onde estão localizados; 2. Articular estratégias para que as organizações sociais tenham contato com os equipamentos e possam fazer encaminhamentos;
  • 20. 3. Tratamento Objetivo 3 - Mobilizar e Capacitar novos atores de Proteção Especial; Ações sugeridas: 1. Articular Igrejas, Ongs, psicólogos, psiquiatras, assistentes sociais, professores, agentes comunitários e de saúde, etc.
  • 21. Principais Ações da Campanha  Marcha contra o abuso sexual da criança e do adolescente – dia 18 de maio;  Fórum de Enfrentamento a exploração sexual de crianças e adolescentes;  Capacitação na temática exploração sexual à lideranças comunitárias, Gestores de Organizações da Sociedade Civil, Educadores, Religiosos e atores sociais;  Divulgação dos sistema de proteção e direitos da criança e do adolescente; Divulgação do Disk Denúncia 100;  Facilitar um movimento nacional de oração em favor das crianças e dos adolescentes em risco.  Promover a Campanha Nacional da Vacinação contra maus-tratos às crianças e adolescentes;
  • 22. Desafios Mobilização de pessoas: Igrejas locais; Lideranças; Escolas e Universidades; Redes, ONGs e movimentos sociais; Conselhos de defesa dos direitos da criança e do adolescente; Mobilização de Recursos: Publicação de Material; Produção e Manutenção de Material na WEB; Confecção de Camisetas; Realização de Treinamentos e Fóruns; Viagens;
  • 24. Coordenação Coordenação Nacional – RENAS, Exército de Salvação, CLAVES Brasil, Visão Mundial, Rede Mãos Dadas, Rede Fale, Makanudos, REPAS. Coordenação Regional Articuladores Equipe Grupos de # # # Coordenadora Trabalho nos Eixos da Campanha