SlideShare uma empresa Scribd logo
 Droga
o Droga é toda e qualquer substância,naturalou sintética que, uma
vez introduzida no organismo, modifica as suas funções.
o As drogas naturais são obtidas através de determinadasplantas,de
animais e de alguns minerais - a cafeína (do café), a nicotina
(presente no tabaco), o ópio (na papoula) e o THC ou
tetrahidrocanabinol (da Cannabis).
o As drogas sintéticas são fabricadas em laboratório, exigindo para
isso técnico especial. O termo droga, presta-se a várias
interpretações, mas ao senso comum é uma substância proibida,
de uso ilegal e nocivo ao indivíduo, modificando-lhe as funções,
as sensações, o humor e o comportamento.
o São vários os fatores que podem influenciar, ou mesmo levar ao
consumo de drogas psicotrópicas não só entre os jovens, mas na
população em geral. Existem fatores individuais, sociais e
culturais, mas também podemos considerar importantes fatores
psicológicos, religiosos e genéticos.
 Os principais motivos apontados para o consumo destas drogas
pela população em geral são:
o Desinibição;
o Transtornos de ansiedade, depressões e insónias;
o Desinibição sexual;
o Dificuldade em aceitara realidade, fugindo das responsabilidades;
o Problemas financeiros, perda do emprego;
o Agressividade perante a sociedade.
 A população mais jovem, pode ser levada ao consumo de drogas pelos
motivos já apresentados, mas destacam-se ainda outros tais como:
o Curiosidade;
o Desejo de viver outras experiências;
o Desejo de imitar alguém que lhe é próximo ou alguma personalidade
admirada pelo jovem;
o Brincadeira por parte do grupo de amigos;
o Procura da diversão e prazer;
o Integração e aceitação por parte dos amigos;
o Confrontar os pais;
o Esquecer problemas de integração nos diversos grupos a que pertencem;
o Problemas familiares;
o Desejo de testar limites e transgredir regras;
o Necessidade de autoafirmação;
o Informação incorreta ou ausência de informação.
o
Quais as razões que levam uma pessoa a usar drogas?
 Muitas são as razões que podem levar alguém a usar drogas. Cada pessoa tem seus
próprios motivos. Os pais não devem tirar conclusões apressadas se suspeitam ou
descobrem se o filho ou filha usou ou está usando drogas. É preciso que escutem
com muita atenção o que o filho ou a filha tem a dizer para poderem compreender
o que está acontecendo. Entre os possíveis motivos, destacamos:
1. A oportunidade surgiu e o jovem experimentou.
2. O uso de drogas pode ser visto como algo excitante e ousado pelos jovens.
3. As drogas podem modificar o que sentimos. Esse poder de transformação
das emoções pode se tornar um grande atrativo, sobretudo para os jovens.
4. Muitas pessoas acreditam que os jovens acabam consumindo drogas pela
influência de colegas e amigos (pressão de grupo).
5. O uso de drogas pode ser uma tentativa de amenizar sentimentos de
solidão, de inadequação, baixa autoestima ou falta de confiança.
6. Pressão externa para consumir drogas.
 As drogas nada mais são do queum meio de “fuga”, uma forma de se “fugir” de uma
realidade inerente à pessoa e com a qual ela não sabe como lidar.
Embora muitos ingressem nas drogas “para se aventurar” ou “para ser aceito” em
determinado grupo social, a dura realidade, porém, é que os grandes consumidores
de drogas buscam na droga um “escape” de seu mundo. Normalmente um mundo
no qual predomina a miséria, ou a pobreza, ou algum tipo de carência que são
“ofuscados” pelo efeito alucinogénio da droga.
 Pessoas que não têm na sua vida um motivo de alegria, pessoas oprimidas, tímidas e
vítimasda violência eda injustiça socialsãoasmais propensas aoconsumo de drogas.
 Resumindo, são pessoas cuja autoestima encontra-se muito baixa, que precisam de
um “estimulante”para viver, deuma “fonte de alegria”para que possam superar suas
dores e frustrações.
 O grande problema é que essa busca por algo mais acaba levando a pessoa a uma
dependência química, a qual se instala em seu organismo e que, na maioria das vezes,
dependendo do tipo de droga consumida, torna necessária a intervençãoclínica a fim
de que a pessoa seja submetida a uma desintoxicação.
 Lamentavelmente, porém, a classe médica não tem uma solução para esse anseio por
um motivo para viver, limitando-se a um tratamento físico (desintoxicação) e
psicológico (terapia). Esses tratamentos, contudo, não libertam a pessoa da
compulsão, da sede pelo algo mais.
 Alcoolismo
o O alcoolismoégeralmentedefinido como o consumo consistenteeexcessivo
e/ou preocupaçãocom bebidasalcoólicas aoponto que estecomportamento
interfira com a vida pessoal, familiar, social ou profissional da pessoa e pode
potencialmente resultar em condições (doenças) psicológicas e fisiológicas,
assim como, por fim, na morte. É um dos problemas mundiais de uso de
drogas que mais trazem custos. Com exceção do tabagismo, o alcoolismo é
mais custosopara os paísesdo que todos os problemas de consumo de droga
combinados.
o Apesar do desconhecimento por parte da maioria das pessoas, o álcool
também é considerado uma droga psicotrópica, pois ele atua no sistema
nervoso central, provocando uma mudança no comportamento de quem
consome, além de ter potencial para desenvolver dependência. O álcool é
uma das poucas drogas psicotrópicas que tem seu consumo admitido e até
incentivado pela sociedade. Por esses motivos ele é encarado de forma
diferenciada, quandocomparado com as demaisdrogas, sendo uma condição
frequente, atingindo cerca de 5 a 10% da população adulta brasileira.
o O alcoolismo não difere psicologicamente da dependência de outras drogas.
Assim, tanto as fases como o desenvolvimento emocional do dependente e
a recuperação são idênticas, não importando qual a droga de escolha, seja ela
o álcool, cocaína, crack, maconha ou qualquer outra droga alteradora de
humor.
o Com toda essa carga negativa sobre a dependência química, como um
dependente químico (dependente de álcool e outras drogas), em sã
consciência poderia admitir que é um dependente? Assim, conforme a
dependência química vaievoluindo), tantoodependentequanto os familiares
vão desenvolvendo uma "MURALHA PSICOLÓGICA" que impede que o
indivíduo entre em contato com a realidade da dependência. Por isso,
devemos lembrar que é uma DOENÇA, não uma falta de caráter. O
alcoólatra e o dependente de outras drogas, realmente se tornam o mito, se
tornam tudo aquilo que sempre tiveram medo de ser, através do que a
psicologia chama de "profecia autorrealizadora". Isso ocorre por não
conseguirem entrar em contato com determinados sentimentos. Esses
sentimentos são totalmente normais em nós, seres humanos e devem ser
desenvolvidos para que não assumam o controlo da situação.
 Motivos que levam alguém a consumir bebidas alcoólicas?
 Existem muitos motivos mas nós vamos só referir os principais:
o Necessidade de álcool para fugir a realidade e as responsabilidades.
o Problemas amorosos.
o Perder o emprego.
o Problemas financeiros.
o Problemas familiares.
o Atitudes agressivas contra a sociedade.
o Sofre de angústia.
Efeitos das Drogas:
 Quais são os motivos que levam alguém a consumir bebidas
alcoólicas?
o O alcoolismo é uma doença que pode prejudicar a pessoa que o
consome e não só, pois muitas vezes pode originar
comportamentos violentos.
o Estes comportamentos violentos muitas vezes são originados
por frustrações e tensões, que com o consumo excessivo de
álcool vêm ao de cima.
 Existem diversos motivos para que uma pessoa consuma
álcool, como:
o Porque o alcoólico tem necessidade de álcool para aceitar a
realidade
o Porque tem tendência a fugir às responsabilidades
o Sofre de angústia, é agressivo resiste mal às frustrações e às
tensões
o Porque nele o nível de consciência tende a levá-lo a uma conduta
impulsiva
o Negligência perante a família
o Frequentes perdas de emprego
o Problemas financeiros
o Agressividade perante a sociedade
o Dificuldade em colaborar
 Fatores que levam ao primeiro uso do álcool:
o Espírito de grupo: (Principalmente na adolescência, onde não
queremos ser tratados como "diferentes".
o Curiosidade: (Fala-se tanto no assunto,como será que é?).Cultura
(em algumas sociedades começa-se a beber ainda criança).
o Incentivo dos pais: (Que bebem e dão aos filhos para que
provem).
o Orientação médica: (Biotómico Fontoura é um bom exemplo).
o Outros fatores sociais: (Anúncio de TV, entre outros).
 Fatores que levam à continuidade do consumo alcoólico:
o Predisposição Orgânica: caracterizada principalmente pela
tolerância.
o Benefícios: fatores sociais que reforçam o uso.
o Os efeitos das drogas podem ser observados em todo o
organismo, pois elas afetam o sistema nervoso central e podem
causar diversas doenças. Entretanto, elas também afetam
negativamente a família e a sociedade.
o As drogas ilícitas podem ser classificadas de acordo com seus
efeitos no corpo humano, que podem ser:
o Drogas estimulantes: aumentam os estímulos nervosos e deixam
o indivíduo mais eufórico. Exemplos: cocaína e anfetaminas.
o Drogas alucinogénias: provocamsensações falsamente agradáveis.
Exemplos: maconha e LSD.
o Estes efeitos podem ser percebidos em minutos, mas tendem a
durar pouco tempo,e porisso é comum o uso abusivo das drogas
em quantidades cada vez maiores.
 Efeito das drogas no sistema nervoso
o O efeito das drogas no sistema nervoso é a diminuição do
estímulo nervoso e da reação entre as células, que podem deixaro
indivíduo eufórico ou mais lento, dependendo da droga que foi
utilizada.
 As complicações causadas pelo uso das drogas podem ser:
o Lapsos na memória;
o Diminuição da inteligência;
o Insônia;
o Perturbações nervosas;
o Falta de apetite;
o Complicações que afetam o sistema respiratório, digestivo e
circulatório.
o O consumo de drogas ilícitas leva à dependência química que pode
levar à morte precoce e, por isso, é importante que cada
dependente químico seja devidamente tratado nas clínicas de
recuperação para drogados.
 ASPECTOS FAMILIARES
o Comportamento parvo;
o Perda de responsabilidade;
o Desentendimento familiar;
o Descontrolo emocional;
o Discussões e agressões;
o Adultério;
o Prostituição;
o Problemas Financeiros;
o Desestruturação familiar.
 ASPECTOS PROFISSIONAIS
o Devido a má alimentação,dorme male fica com má disposição
do trabalho;
o Perde qualidade de trabalho;
o Problemas com os colegas, chefes e clientes;
o Sente-se desmotivado;
o Riscos de acidentes no trabalho;
o Fica insatisfeito no trabalho;
o O consumo de drogas leva a atrasos, faltas ao emprego;
o Perde o emprego e fica desempregado.
 ASPECTOS SOCIAIS
o Discriminação social;
o Aceito por pessoas na mesma condição apenas;
o Não se preocupa com o que os outros pensam;
o Começa a convivercom as pessoas erradas;
o Para conseguirmantero vício é capaz de fazer qualquer coisa;
o Comete crimes como roubos e assaltos;
o Eventualmente é preso;
o Perde a família;
o Passa a viver na rua sem casa onde se alojar;
o Prostitui-se para puder consumirdrogas;
o Fica doente com doenças físicas, mentais e psicológicas;
o Não procura ajuda;
o Acaba por morrer, caso o consumo de drogas for excessivo.
 Consumo de drogas durante a gravidez
o O consumo de drogas durante a gravidez pode ter efeitos adversos tanto no
feto que se está a desenvolver como no recém-nascido. A cocaína e os
opiáceos são duas das drogas ilícitas que podem causar problemas
significativos. A cocaína estreita os vasos sanguíneos e eleva a tensão arterial
e o seu consumo durante a gravidez pode provocar um aborto. O seu
consumo, mesmo em raras ocasiões, no princípio da gravidez pode causar
anomalias congénitas nos rins, nos olhos, no cérebro ou noutras
extremidades. O filho de uma mãe adicta a esta droga é mais propenso a ter
escasso peso ao nascer, além de uma medida corporal e uma circunferência
da cabeça menores do que é normal.
o Os opiáceos, como a heroína, a metadona e a morfina, raramente causam
anomalias congénitas, mas, como atravessam a placenta, as crianças podem
nascer adictas a elas. Os sintomas de abstinência manifestam-se
habitualmente dentro das 72 horas posteriores ao nascimento. Esses
sintomas incluem irritabilidade, com choro excessivo, nervosismo, tensão
muscular, vómitos, diarreia, suor, respiração acelerada e convulsões. Os
sintomas de abstinência ligeiros tratam-se agasalhando a criança e
alimentando-a frequentementepara reduzir a inquietude. Ossintomasgraves
podem ser controlados com pequenasdosesde tintura de ópio, um narcótico.
A dose reduz-se muito gradualmente no termo de alguns dias ou semanas à
medida que os sintomas desaparecem.
o Pode ter-se abusado de muitas outras drogas e frequentemente consomem-
se várias drogas ao mesmo tempo durante a gravidez. Os filhos de mães que
tenham consumido drogas neste período devem ser cuidadosamente
controlados por pessoal de saúde e por membros dos serviços de assistência
social. Algumascriançastêmdefeitosque requerem atençãoespecialeoutras,
como as afetadas pela síndroma do feto alcoólico, podem sofrer atraso
mental. Estas últimas devem ser avaliadas e receber tratamento no contexto
de um programa de desenvolvimento infantil precoce. Muitas requererão
educação especial quando alcançarem a idade escolar.
o O filho de uma mãe toxicodependente deve ter um acompanhamento por
parte do departamento local de serviços sociais. O abuso ou a dependência
de drogas da mãe, juntamente com os hábitos de comportamento que isso
supõe, expõe a criança a um alto risco de sofrer abusos ou abandono.
 Prevenção
o Muito se tem feito nos últimos tempos para que as pessoas se previnam contra o
uso de drogas. Mas também muito se tem feito, legal ou ilegalmente, para que elas
sejam usadas. O resultado final é que as pessoas estão consumindo cada vez mais
drogas.
o Todo usuário e principalmente sua família têm arcado com as consequências
decorrentes desse tipo de busca de prazer.
o Pela disposição de querer ajudar outras pessoas, parte da sociedade procura
caminhos para prevenir o maior mal evitável deste final de milênio.
 Caminhos disponíveis:
o Do medo - Os jovens não se aproximarão das drogas se as temerem. Para
se criar o medo, basta mostrar somente o lado negativo das drogas. Pode
funcionar para crianças enquanto elas acreditarem nos adultos.
o Das informações científicas - Quanto mais alguém souber sobre as drogas,
mais condições terá para decidir usá-las ou não. Uma informação pode ser
trocada por outra mais convincente e que atenda aos interesses imediatos
da pessoa.
o Da legalidade - Não se deve usar drogas porque elas são ilegais. Mas e as
drogas legais? E todas as substâncias adquiridas livremente que podem ser
transformadas em drogas?
o Do princípio moral - A droga fere os princípios éticos e morais. Esses
valores entram em crise exatamente na juventude.
o Do maior controle da vida dos jovens - Mais vigiados pelos pais e
professores, os jovens teriam maiores dificuldades em se aproximar das
drogas. Só que isso não é totalmente verdadeiro. Não adianta proteger
quem não se defende.
o Do afeto - Quem recebe muito amor não sente necessidade de drogas.
Fica aleijado afetivamente que só recebe amor e não o retribui. Droga é
usufruir prazer sem ter de devolver nada.
o Da autoestima - Quem tem boa autoestima não engole qualquer
"porcaria". Ocorre que algumas drogas não são consideradas "porcarias",
mas "aditivos" para curtir melhor a vida.
o Do desporto - Quem faz desporto não usa drogas. Não é isso o que a
sociedade tem presenciado. Reis do desporto perdem sua majestade
devido às drogas.
o Da união dos vários caminhos - É um caminho composto de vários
outros, cada qual com sua própria indicação. Cada jovem escolhe o mais
adequado para si. Por enquanto, é o que tem dado os resultados mais
satisfatórios.
o Da Integração relacional - Contribuição para enriquecer o caminho 9.
Nesse trajeto, o jovem é uma pessoa integrada consigo mesmo (corpo e
psique), com as pessoas com as quais se relaciona (integração social) e
com o ecossistema (ambiente), valorizando a disciplina, a gratidão, a
religiosidade, a ética e a cidadania.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Drogas e alcool
Drogas e alcool Drogas e alcool
Drogas e alcool
Dr.Marcelinho Correia
 
Slidedrogas 121106113024-phpapp01
Slidedrogas 121106113024-phpapp01Slidedrogas 121106113024-phpapp01
Slidedrogas 121106113024-phpapp01
luizasalto
 
drogas
 drogas drogas
drogas
Tomás Nini
 
Cartilha Conhecendo E Aprendendo A Dizer Não As Drogas Psicotrópicas
Cartilha  Conhecendo E Aprendendo A Dizer Não As Drogas PsicotrópicasCartilha  Conhecendo E Aprendendo A Dizer Não As Drogas Psicotrópicas
Cartilha Conhecendo E Aprendendo A Dizer Não As Drogas Psicotrópicas
JR
 
Prevenção ao uso de drogas
Prevenção ao uso de drogasPrevenção ao uso de drogas
Prevenção ao uso de drogas
Luiz Siles
 
Drogas palestras
Drogas palestrasDrogas palestras
Drogas palestras
luzinetefranco
 
APRESENTAÇÃO DE PALESTRA PARA PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DO ALCOOLISMO PARA JOVE...
APRESENTAÇÃO DE PALESTRA PARA PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DO ALCOOLISMO PARA JOVE...APRESENTAÇÃO DE PALESTRA PARA PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DO ALCOOLISMO PARA JOVE...
APRESENTAÇÃO DE PALESTRA PARA PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DO ALCOOLISMO PARA JOVE...
PPAD
 
Vicios
ViciosVicios
Vicios
Ana Sêco
 
Drogas
DrogasDrogas
DROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA
DROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIADROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA
DROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA
Fernanda Marinho
 
Alcoolismo e suas consequencias. 01.09.2011
Alcoolismo e suas consequencias. 01.09.2011Alcoolismo e suas consequencias. 01.09.2011
Alcoolismo e suas consequencias. 01.09.2011
seasso
 
Vícios
VíciosVícios
Dependências e Vícios
Dependências e VíciosDependências e Vícios
Dependências e Vícios
Dr. Walter Cury
 
Folder alcool e_drogas
Folder alcool e_drogasFolder alcool e_drogas
Folder alcool e_drogas
saudefieb
 
Dependências
DependênciasDependências
drogas
drogasdrogas
Drogas
DrogasDrogas
Trabalho de ciências 6º ano - drogas
Trabalho de ciências 6º ano - drogasTrabalho de ciências 6º ano - drogas
Trabalho de ciências 6º ano - drogas
Joana Sousa
 
Drogas na Adolescência
Drogas na AdolescênciaDrogas na Adolescência
Drogas na Adolescência
Flávia Almeida
 

Mais procurados (19)

Drogas e alcool
Drogas e alcool Drogas e alcool
Drogas e alcool
 
Slidedrogas 121106113024-phpapp01
Slidedrogas 121106113024-phpapp01Slidedrogas 121106113024-phpapp01
Slidedrogas 121106113024-phpapp01
 
drogas
 drogas drogas
drogas
 
Cartilha Conhecendo E Aprendendo A Dizer Não As Drogas Psicotrópicas
Cartilha  Conhecendo E Aprendendo A Dizer Não As Drogas PsicotrópicasCartilha  Conhecendo E Aprendendo A Dizer Não As Drogas Psicotrópicas
Cartilha Conhecendo E Aprendendo A Dizer Não As Drogas Psicotrópicas
 
Prevenção ao uso de drogas
Prevenção ao uso de drogasPrevenção ao uso de drogas
Prevenção ao uso de drogas
 
Drogas palestras
Drogas palestrasDrogas palestras
Drogas palestras
 
APRESENTAÇÃO DE PALESTRA PARA PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DO ALCOOLISMO PARA JOVE...
APRESENTAÇÃO DE PALESTRA PARA PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DO ALCOOLISMO PARA JOVE...APRESENTAÇÃO DE PALESTRA PARA PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DO ALCOOLISMO PARA JOVE...
APRESENTAÇÃO DE PALESTRA PARA PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DO ALCOOLISMO PARA JOVE...
 
Vicios
ViciosVicios
Vicios
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
DROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA
DROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIADROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA
DROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA
 
Alcoolismo e suas consequencias. 01.09.2011
Alcoolismo e suas consequencias. 01.09.2011Alcoolismo e suas consequencias. 01.09.2011
Alcoolismo e suas consequencias. 01.09.2011
 
Vícios
VíciosVícios
Vícios
 
Dependências e Vícios
Dependências e VíciosDependências e Vícios
Dependências e Vícios
 
Folder alcool e_drogas
Folder alcool e_drogasFolder alcool e_drogas
Folder alcool e_drogas
 
Dependências
DependênciasDependências
Dependências
 
drogas
drogasdrogas
drogas
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Trabalho de ciências 6º ano - drogas
Trabalho de ciências 6º ano - drogasTrabalho de ciências 6º ano - drogas
Trabalho de ciências 6º ano - drogas
 
Drogas na Adolescência
Drogas na AdolescênciaDrogas na Adolescência
Drogas na Adolescência
 

Semelhante a Droga

Toxicodependencia11 fr
Toxicodependencia11 frToxicodependencia11 fr
Toxicodependencia11 fr
paulo cunha
 
Guiapraticodrogas
GuiapraticodrogasGuiapraticodrogas
Guiapraticodrogas
Sispho Horizonte
 
Resp subst psicoativas_gia
Resp subst psicoativas_giaResp subst psicoativas_gia
Resp subst psicoativas_gia
Msaude
 
Drogas
DrogasDrogas
Problemas sociais
Problemas sociaisProblemas sociais
Problemas sociais
Joana Sousa
 
O QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe Assunção
O QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe AssunçãoO QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe Assunção
O QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Projeto crack
Projeto crackProjeto crack
Projeto crack
pastorlinaldo
 
Folder alcool e_drogas
Folder alcool e_drogasFolder alcool e_drogas
Folder alcool e_drogas
saudefieb
 
dependencia-quimica-160217163618 (1).pptx
dependencia-quimica-160217163618 (1).pptxdependencia-quimica-160217163618 (1).pptx
dependencia-quimica-160217163618 (1).pptx
MillaCorreia1
 
Aula 10 - Dependência Química
Aula 10  - Dependência QuímicaAula 10  - Dependência Química
Aula 10 - Dependência Química
Sergio Lima Dias Junior
 
Mitos
MitosMitos
Mitos
MitosMitos
Mitos
MitosMitos
D R O G A S N A A D O L E S CÊ N C I A
D R O G A S  N A  A D O L E S CÊ N C I AD R O G A S  N A  A D O L E S CÊ N C I A
D R O G A S N A A D O L E S CÊ N C I A
John Brito John
 
Drogas na Sociedade
Drogas na SociedadeDrogas na Sociedade
Drogas na Sociedade
Olga Graça
 
Drogas - Pesquisa em Área de Projecto
Drogas - Pesquisa em Área de ProjectoDrogas - Pesquisa em Área de Projecto
Drogas - Pesquisa em Área de Projecto
Maria Olinda Mineiro
 
Substâncias Psicoactivas 1
Substâncias Psicoactivas 1Substâncias Psicoactivas 1
Substâncias Psicoactivas 1
tocha_turma9a
 
Slide sobre drogas
Slide sobre drogasSlide sobre drogas
Slide sobre drogas
ladydanasoares
 
A prevencao de_drogas
A prevencao de_drogasA prevencao de_drogas
A prevencao de_drogas
Mariana Alves
 
A prevenção de_drogas
A prevenção de_drogasA prevenção de_drogas

Semelhante a Droga (20)

Toxicodependencia11 fr
Toxicodependencia11 frToxicodependencia11 fr
Toxicodependencia11 fr
 
Guiapraticodrogas
GuiapraticodrogasGuiapraticodrogas
Guiapraticodrogas
 
Resp subst psicoativas_gia
Resp subst psicoativas_giaResp subst psicoativas_gia
Resp subst psicoativas_gia
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Problemas sociais
Problemas sociaisProblemas sociais
Problemas sociais
 
O QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe Assunção
O QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe AssunçãoO QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe Assunção
O QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe Assunção
 
Projeto crack
Projeto crackProjeto crack
Projeto crack
 
Folder alcool e_drogas
Folder alcool e_drogasFolder alcool e_drogas
Folder alcool e_drogas
 
dependencia-quimica-160217163618 (1).pptx
dependencia-quimica-160217163618 (1).pptxdependencia-quimica-160217163618 (1).pptx
dependencia-quimica-160217163618 (1).pptx
 
Aula 10 - Dependência Química
Aula 10  - Dependência QuímicaAula 10  - Dependência Química
Aula 10 - Dependência Química
 
Mitos
MitosMitos
Mitos
 
Mitos
MitosMitos
Mitos
 
Mitos
MitosMitos
Mitos
 
D R O G A S N A A D O L E S CÊ N C I A
D R O G A S  N A  A D O L E S CÊ N C I AD R O G A S  N A  A D O L E S CÊ N C I A
D R O G A S N A A D O L E S CÊ N C I A
 
Drogas na Sociedade
Drogas na SociedadeDrogas na Sociedade
Drogas na Sociedade
 
Drogas - Pesquisa em Área de Projecto
Drogas - Pesquisa em Área de ProjectoDrogas - Pesquisa em Área de Projecto
Drogas - Pesquisa em Área de Projecto
 
Substâncias Psicoactivas 1
Substâncias Psicoactivas 1Substâncias Psicoactivas 1
Substâncias Psicoactivas 1
 
Slide sobre drogas
Slide sobre drogasSlide sobre drogas
Slide sobre drogas
 
A prevencao de_drogas
A prevencao de_drogasA prevencao de_drogas
A prevencao de_drogas
 
A prevenção de_drogas
A prevenção de_drogasA prevenção de_drogas
A prevenção de_drogas
 

Mais de Alexandre Vilão

Chris froome
Chris froomeChris froome
Chris froome
Alexandre Vilão
 
Drogas
DrogasDrogas
António de oliveira salazar
António de oliveira salazarAntónio de oliveira salazar
António de oliveira salazar
Alexandre Vilão
 
Lunas en uruguay
Lunas en uruguayLunas en uruguay
Lunas en uruguay
Alexandre Vilão
 
Los luneros regresaron a la reserva y se acostaron pronto
Los luneros regresaron a la reserva y se acostaron prontoLos luneros regresaron a la reserva y se acostaron pronto
Los luneros regresaron a la reserva y se acostaron pronto
Alexandre Vilão
 
Folheto de geografia
Folheto de geografiaFolheto de geografia
Folheto de geografia
Alexandre Vilão
 
Paul do boquilobo
Paul do boquiloboPaul do boquilobo
Paul do boquilobo
Alexandre Vilão
 
A evolução dos modelos atómicos
A evolução dos modelos atómicosA evolução dos modelos atómicos
A evolução dos modelos atómicos
Alexandre Vilão
 
Led
LedLed
Trabalho de filosofia: Filme A onda
Trabalho de filosofia: Filme A ondaTrabalho de filosofia: Filme A onda
Trabalho de filosofia: Filme A onda
Alexandre Vilão
 
8 b alex bia vasco e sergio
8 b alex bia vasco e sergio8 b alex bia vasco e sergio
8 b alex bia vasco e sergio
Alexandre Vilão
 
o ulisses
o ulisseso ulisses
o ulisses
Alexandre Vilão
 
O tabagismo
O tabagismoO tabagismo
O tabagismo
Alexandre Vilão
 
O palácio de queluz
O palácio de queluzO palácio de queluz
O palácio de queluz
Alexandre Vilão
 
25 de abril de 1974
25 de abril de 197425 de abril de 1974
25 de abril de 1974
Alexandre Vilão
 
Resistência1 (4)
Resistência1 (4)Resistência1 (4)
Resistência1 (4)
Alexandre Vilão
 

Mais de Alexandre Vilão (16)

Chris froome
Chris froomeChris froome
Chris froome
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
António de oliveira salazar
António de oliveira salazarAntónio de oliveira salazar
António de oliveira salazar
 
Lunas en uruguay
Lunas en uruguayLunas en uruguay
Lunas en uruguay
 
Los luneros regresaron a la reserva y se acostaron pronto
Los luneros regresaron a la reserva y se acostaron prontoLos luneros regresaron a la reserva y se acostaron pronto
Los luneros regresaron a la reserva y se acostaron pronto
 
Folheto de geografia
Folheto de geografiaFolheto de geografia
Folheto de geografia
 
Paul do boquilobo
Paul do boquiloboPaul do boquilobo
Paul do boquilobo
 
A evolução dos modelos atómicos
A evolução dos modelos atómicosA evolução dos modelos atómicos
A evolução dos modelos atómicos
 
Led
LedLed
Led
 
Trabalho de filosofia: Filme A onda
Trabalho de filosofia: Filme A ondaTrabalho de filosofia: Filme A onda
Trabalho de filosofia: Filme A onda
 
8 b alex bia vasco e sergio
8 b alex bia vasco e sergio8 b alex bia vasco e sergio
8 b alex bia vasco e sergio
 
o ulisses
o ulisseso ulisses
o ulisses
 
O tabagismo
O tabagismoO tabagismo
O tabagismo
 
O palácio de queluz
O palácio de queluzO palácio de queluz
O palácio de queluz
 
25 de abril de 1974
25 de abril de 197425 de abril de 1974
25 de abril de 1974
 
Resistência1 (4)
Resistência1 (4)Resistência1 (4)
Resistência1 (4)
 

Droga

  • 1.  Droga o Droga é toda e qualquer substância,naturalou sintética que, uma vez introduzida no organismo, modifica as suas funções. o As drogas naturais são obtidas através de determinadasplantas,de animais e de alguns minerais - a cafeína (do café), a nicotina (presente no tabaco), o ópio (na papoula) e o THC ou tetrahidrocanabinol (da Cannabis). o As drogas sintéticas são fabricadas em laboratório, exigindo para isso técnico especial. O termo droga, presta-se a várias interpretações, mas ao senso comum é uma substância proibida, de uso ilegal e nocivo ao indivíduo, modificando-lhe as funções, as sensações, o humor e o comportamento. o São vários os fatores que podem influenciar, ou mesmo levar ao consumo de drogas psicotrópicas não só entre os jovens, mas na população em geral. Existem fatores individuais, sociais e culturais, mas também podemos considerar importantes fatores psicológicos, religiosos e genéticos.  Os principais motivos apontados para o consumo destas drogas pela população em geral são: o Desinibição; o Transtornos de ansiedade, depressões e insónias; o Desinibição sexual; o Dificuldade em aceitara realidade, fugindo das responsabilidades; o Problemas financeiros, perda do emprego; o Agressividade perante a sociedade.  A população mais jovem, pode ser levada ao consumo de drogas pelos motivos já apresentados, mas destacam-se ainda outros tais como: o Curiosidade; o Desejo de viver outras experiências; o Desejo de imitar alguém que lhe é próximo ou alguma personalidade admirada pelo jovem; o Brincadeira por parte do grupo de amigos; o Procura da diversão e prazer; o Integração e aceitação por parte dos amigos; o Confrontar os pais; o Esquecer problemas de integração nos diversos grupos a que pertencem; o Problemas familiares; o Desejo de testar limites e transgredir regras; o Necessidade de autoafirmação; o Informação incorreta ou ausência de informação.
  • 2.
  • 3. o Quais as razões que levam uma pessoa a usar drogas?  Muitas são as razões que podem levar alguém a usar drogas. Cada pessoa tem seus próprios motivos. Os pais não devem tirar conclusões apressadas se suspeitam ou descobrem se o filho ou filha usou ou está usando drogas. É preciso que escutem com muita atenção o que o filho ou a filha tem a dizer para poderem compreender o que está acontecendo. Entre os possíveis motivos, destacamos: 1. A oportunidade surgiu e o jovem experimentou. 2. O uso de drogas pode ser visto como algo excitante e ousado pelos jovens. 3. As drogas podem modificar o que sentimos. Esse poder de transformação das emoções pode se tornar um grande atrativo, sobretudo para os jovens. 4. Muitas pessoas acreditam que os jovens acabam consumindo drogas pela influência de colegas e amigos (pressão de grupo). 5. O uso de drogas pode ser uma tentativa de amenizar sentimentos de solidão, de inadequação, baixa autoestima ou falta de confiança. 6. Pressão externa para consumir drogas.  As drogas nada mais são do queum meio de “fuga”, uma forma de se “fugir” de uma realidade inerente à pessoa e com a qual ela não sabe como lidar. Embora muitos ingressem nas drogas “para se aventurar” ou “para ser aceito” em determinado grupo social, a dura realidade, porém, é que os grandes consumidores de drogas buscam na droga um “escape” de seu mundo. Normalmente um mundo no qual predomina a miséria, ou a pobreza, ou algum tipo de carência que são “ofuscados” pelo efeito alucinogénio da droga.  Pessoas que não têm na sua vida um motivo de alegria, pessoas oprimidas, tímidas e vítimasda violência eda injustiça socialsãoasmais propensas aoconsumo de drogas.  Resumindo, são pessoas cuja autoestima encontra-se muito baixa, que precisam de um “estimulante”para viver, deuma “fonte de alegria”para que possam superar suas dores e frustrações.  O grande problema é que essa busca por algo mais acaba levando a pessoa a uma dependência química, a qual se instala em seu organismo e que, na maioria das vezes, dependendo do tipo de droga consumida, torna necessária a intervençãoclínica a fim de que a pessoa seja submetida a uma desintoxicação.  Lamentavelmente, porém, a classe médica não tem uma solução para esse anseio por um motivo para viver, limitando-se a um tratamento físico (desintoxicação) e psicológico (terapia). Esses tratamentos, contudo, não libertam a pessoa da compulsão, da sede pelo algo mais.
  • 4.  Alcoolismo o O alcoolismoégeralmentedefinido como o consumo consistenteeexcessivo e/ou preocupaçãocom bebidasalcoólicas aoponto que estecomportamento interfira com a vida pessoal, familiar, social ou profissional da pessoa e pode potencialmente resultar em condições (doenças) psicológicas e fisiológicas, assim como, por fim, na morte. É um dos problemas mundiais de uso de drogas que mais trazem custos. Com exceção do tabagismo, o alcoolismo é mais custosopara os paísesdo que todos os problemas de consumo de droga combinados. o Apesar do desconhecimento por parte da maioria das pessoas, o álcool também é considerado uma droga psicotrópica, pois ele atua no sistema nervoso central, provocando uma mudança no comportamento de quem consome, além de ter potencial para desenvolver dependência. O álcool é uma das poucas drogas psicotrópicas que tem seu consumo admitido e até incentivado pela sociedade. Por esses motivos ele é encarado de forma diferenciada, quandocomparado com as demaisdrogas, sendo uma condição frequente, atingindo cerca de 5 a 10% da população adulta brasileira. o O alcoolismo não difere psicologicamente da dependência de outras drogas. Assim, tanto as fases como o desenvolvimento emocional do dependente e a recuperação são idênticas, não importando qual a droga de escolha, seja ela o álcool, cocaína, crack, maconha ou qualquer outra droga alteradora de humor. o Com toda essa carga negativa sobre a dependência química, como um dependente químico (dependente de álcool e outras drogas), em sã consciência poderia admitir que é um dependente? Assim, conforme a dependência química vaievoluindo), tantoodependentequanto os familiares vão desenvolvendo uma "MURALHA PSICOLÓGICA" que impede que o indivíduo entre em contato com a realidade da dependência. Por isso, devemos lembrar que é uma DOENÇA, não uma falta de caráter. O alcoólatra e o dependente de outras drogas, realmente se tornam o mito, se tornam tudo aquilo que sempre tiveram medo de ser, através do que a psicologia chama de "profecia autorrealizadora". Isso ocorre por não conseguirem entrar em contato com determinados sentimentos. Esses sentimentos são totalmente normais em nós, seres humanos e devem ser desenvolvidos para que não assumam o controlo da situação.  Motivos que levam alguém a consumir bebidas alcoólicas?  Existem muitos motivos mas nós vamos só referir os principais: o Necessidade de álcool para fugir a realidade e as responsabilidades. o Problemas amorosos. o Perder o emprego. o Problemas financeiros. o Problemas familiares.
  • 5. o Atitudes agressivas contra a sociedade. o Sofre de angústia. Efeitos das Drogas:  Quais são os motivos que levam alguém a consumir bebidas alcoólicas? o O alcoolismo é uma doença que pode prejudicar a pessoa que o consome e não só, pois muitas vezes pode originar comportamentos violentos. o Estes comportamentos violentos muitas vezes são originados por frustrações e tensões, que com o consumo excessivo de álcool vêm ao de cima.  Existem diversos motivos para que uma pessoa consuma álcool, como: o Porque o alcoólico tem necessidade de álcool para aceitar a realidade o Porque tem tendência a fugir às responsabilidades o Sofre de angústia, é agressivo resiste mal às frustrações e às tensões o Porque nele o nível de consciência tende a levá-lo a uma conduta impulsiva o Negligência perante a família o Frequentes perdas de emprego o Problemas financeiros o Agressividade perante a sociedade o Dificuldade em colaborar  Fatores que levam ao primeiro uso do álcool: o Espírito de grupo: (Principalmente na adolescência, onde não queremos ser tratados como "diferentes". o Curiosidade: (Fala-se tanto no assunto,como será que é?).Cultura (em algumas sociedades começa-se a beber ainda criança).
  • 6. o Incentivo dos pais: (Que bebem e dão aos filhos para que provem). o Orientação médica: (Biotómico Fontoura é um bom exemplo). o Outros fatores sociais: (Anúncio de TV, entre outros).  Fatores que levam à continuidade do consumo alcoólico: o Predisposição Orgânica: caracterizada principalmente pela tolerância. o Benefícios: fatores sociais que reforçam o uso. o Os efeitos das drogas podem ser observados em todo o organismo, pois elas afetam o sistema nervoso central e podem causar diversas doenças. Entretanto, elas também afetam negativamente a família e a sociedade. o As drogas ilícitas podem ser classificadas de acordo com seus efeitos no corpo humano, que podem ser: o Drogas estimulantes: aumentam os estímulos nervosos e deixam o indivíduo mais eufórico. Exemplos: cocaína e anfetaminas. o Drogas alucinogénias: provocamsensações falsamente agradáveis. Exemplos: maconha e LSD. o Estes efeitos podem ser percebidos em minutos, mas tendem a durar pouco tempo,e porisso é comum o uso abusivo das drogas em quantidades cada vez maiores.  Efeito das drogas no sistema nervoso o O efeito das drogas no sistema nervoso é a diminuição do estímulo nervoso e da reação entre as células, que podem deixaro indivíduo eufórico ou mais lento, dependendo da droga que foi utilizada.  As complicações causadas pelo uso das drogas podem ser: o Lapsos na memória; o Diminuição da inteligência; o Insônia; o Perturbações nervosas; o Falta de apetite; o Complicações que afetam o sistema respiratório, digestivo e circulatório. o O consumo de drogas ilícitas leva à dependência química que pode levar à morte precoce e, por isso, é importante que cada dependente químico seja devidamente tratado nas clínicas de recuperação para drogados.
  • 7.  ASPECTOS FAMILIARES o Comportamento parvo; o Perda de responsabilidade; o Desentendimento familiar; o Descontrolo emocional; o Discussões e agressões; o Adultério; o Prostituição; o Problemas Financeiros; o Desestruturação familiar.  ASPECTOS PROFISSIONAIS o Devido a má alimentação,dorme male fica com má disposição do trabalho; o Perde qualidade de trabalho; o Problemas com os colegas, chefes e clientes; o Sente-se desmotivado; o Riscos de acidentes no trabalho; o Fica insatisfeito no trabalho; o O consumo de drogas leva a atrasos, faltas ao emprego; o Perde o emprego e fica desempregado.  ASPECTOS SOCIAIS o Discriminação social; o Aceito por pessoas na mesma condição apenas; o Não se preocupa com o que os outros pensam; o Começa a convivercom as pessoas erradas; o Para conseguirmantero vício é capaz de fazer qualquer coisa; o Comete crimes como roubos e assaltos; o Eventualmente é preso; o Perde a família; o Passa a viver na rua sem casa onde se alojar; o Prostitui-se para puder consumirdrogas;
  • 8. o Fica doente com doenças físicas, mentais e psicológicas; o Não procura ajuda; o Acaba por morrer, caso o consumo de drogas for excessivo.  Consumo de drogas durante a gravidez o O consumo de drogas durante a gravidez pode ter efeitos adversos tanto no feto que se está a desenvolver como no recém-nascido. A cocaína e os opiáceos são duas das drogas ilícitas que podem causar problemas significativos. A cocaína estreita os vasos sanguíneos e eleva a tensão arterial e o seu consumo durante a gravidez pode provocar um aborto. O seu consumo, mesmo em raras ocasiões, no princípio da gravidez pode causar anomalias congénitas nos rins, nos olhos, no cérebro ou noutras extremidades. O filho de uma mãe adicta a esta droga é mais propenso a ter escasso peso ao nascer, além de uma medida corporal e uma circunferência da cabeça menores do que é normal. o Os opiáceos, como a heroína, a metadona e a morfina, raramente causam anomalias congénitas, mas, como atravessam a placenta, as crianças podem nascer adictas a elas. Os sintomas de abstinência manifestam-se habitualmente dentro das 72 horas posteriores ao nascimento. Esses sintomas incluem irritabilidade, com choro excessivo, nervosismo, tensão muscular, vómitos, diarreia, suor, respiração acelerada e convulsões. Os sintomas de abstinência ligeiros tratam-se agasalhando a criança e alimentando-a frequentementepara reduzir a inquietude. Ossintomasgraves podem ser controlados com pequenasdosesde tintura de ópio, um narcótico. A dose reduz-se muito gradualmente no termo de alguns dias ou semanas à medida que os sintomas desaparecem. o Pode ter-se abusado de muitas outras drogas e frequentemente consomem- se várias drogas ao mesmo tempo durante a gravidez. Os filhos de mães que tenham consumido drogas neste período devem ser cuidadosamente controlados por pessoal de saúde e por membros dos serviços de assistência social. Algumascriançastêmdefeitosque requerem atençãoespecialeoutras, como as afetadas pela síndroma do feto alcoólico, podem sofrer atraso mental. Estas últimas devem ser avaliadas e receber tratamento no contexto de um programa de desenvolvimento infantil precoce. Muitas requererão educação especial quando alcançarem a idade escolar. o O filho de uma mãe toxicodependente deve ter um acompanhamento por parte do departamento local de serviços sociais. O abuso ou a dependência de drogas da mãe, juntamente com os hábitos de comportamento que isso supõe, expõe a criança a um alto risco de sofrer abusos ou abandono.
  • 9.  Prevenção o Muito se tem feito nos últimos tempos para que as pessoas se previnam contra o uso de drogas. Mas também muito se tem feito, legal ou ilegalmente, para que elas sejam usadas. O resultado final é que as pessoas estão consumindo cada vez mais drogas. o Todo usuário e principalmente sua família têm arcado com as consequências decorrentes desse tipo de busca de prazer. o Pela disposição de querer ajudar outras pessoas, parte da sociedade procura caminhos para prevenir o maior mal evitável deste final de milênio.  Caminhos disponíveis: o Do medo - Os jovens não se aproximarão das drogas se as temerem. Para se criar o medo, basta mostrar somente o lado negativo das drogas. Pode funcionar para crianças enquanto elas acreditarem nos adultos. o Das informações científicas - Quanto mais alguém souber sobre as drogas, mais condições terá para decidir usá-las ou não. Uma informação pode ser trocada por outra mais convincente e que atenda aos interesses imediatos da pessoa. o Da legalidade - Não se deve usar drogas porque elas são ilegais. Mas e as drogas legais? E todas as substâncias adquiridas livremente que podem ser transformadas em drogas? o Do princípio moral - A droga fere os princípios éticos e morais. Esses valores entram em crise exatamente na juventude. o Do maior controle da vida dos jovens - Mais vigiados pelos pais e professores, os jovens teriam maiores dificuldades em se aproximar das drogas. Só que isso não é totalmente verdadeiro. Não adianta proteger quem não se defende. o Do afeto - Quem recebe muito amor não sente necessidade de drogas. Fica aleijado afetivamente que só recebe amor e não o retribui. Droga é usufruir prazer sem ter de devolver nada. o Da autoestima - Quem tem boa autoestima não engole qualquer "porcaria". Ocorre que algumas drogas não são consideradas "porcarias", mas "aditivos" para curtir melhor a vida. o Do desporto - Quem faz desporto não usa drogas. Não é isso o que a sociedade tem presenciado. Reis do desporto perdem sua majestade devido às drogas. o Da união dos vários caminhos - É um caminho composto de vários outros, cada qual com sua própria indicação. Cada jovem escolhe o mais adequado para si. Por enquanto, é o que tem dado os resultados mais satisfatórios. o Da Integração relacional - Contribuição para enriquecer o caminho 9. Nesse trajeto, o jovem é uma pessoa integrada consigo mesmo (corpo e psique), com as pessoas com as quais se relaciona (integração social) e
  • 10. com o ecossistema (ambiente), valorizando a disciplina, a gratidão, a religiosidade, a ética e a cidadania.