SlideShare uma empresa Scribd logo
Trabalho por: 
Alina lopes nº3 
Leandra Da Veiga nº17 
Daniela Nogueira nº8
1. Potencialidades do litoral 
A ação erosiva do mar sobre a linha de costa 
As águas do mar exercem erosão sobre a linha da costa modelando-a, através do: 
Desgaste 
Transporte 
Acumulação
Consequências da ação erosiva do mar 
• Confere à linha de costa nacional um traçado muito retilíneo e pouco recortado, ou seja, com poucas 
reentrâncias e saliências; 
• Surgimento de formas de relevo no litoral diversificadas, como os promontórios, os ilhéus, as grutas, as 
baias, etc. 
Os tipos de costa 
O litoral de Portugal Continental é dominado fundamentalmente por dois tipos de costa: 
• costa de Arriba; 
• Costa de praia.
Costa De Arriba 
Costa Da Praia
Formação de uma arriba morta ou fóssil
Os principais ocidentes do litoral 
O acidente litoral é uma deformação ao longo do litoral que constitui uma exceção ao traçado retilíneo da 
costa. Os principais acidentes litorais são: 
• Ria de Aveiro (Haff-Delta); 
• Tômbolo de Peniche; 
• Lido de Faro; 
• Concha de São Martinho; 
• Estuários do Tejo e do Sado; 
• Cabos.
Ria de Aveiro Concha de São 
Martinho 
Tômbolo de Peniche 
Estuário do Tejo Lido de Faro Estuário do Sado
As características da plataforma continental com a obtenção de pescado 
A riqueza da plataforma continental e a abundância do pescado resultam: 
• Da elevada agitação das águas; 
• Da sua pouca profundidade; 
• Da abundância de plânctlon; 
• Da afluência de resíduos orgânicos e inorgânicos transportados pelos rios; 
• Da baixa salinidade.
A influência das correntes marítimas na obtenção de pescado 
• As correntes marítimas são importantes fontes de espécies marinhas. 
• As zonas de contato entre correntes quentes e frias concentram a maior quantidade e diversidade destas 
espécies. 
• Existe mais um tipo de corrente marítima que se desloca de norte para o sul, que se chama Deriva.
Upwelling
A zona Económica Exclusiva 
A importância para Portugal do alargamento da plataforma continental 
O alargamento da plataforma continental portuguesa poderá ser positivo 
para o país quer : 
• Ao nível de soberania 
• Ao nível dos recursos naturais 
• Em termos de recursos piscícolas e de recursos minerais.
2. Atividade piscatória 
As principais áreas de pesca procuradas pela frota nacional localizam-se: 
• No Atlântico Norte 
• No Atlântico Central 
• No Atlântico Sul. 
Principais áreas de pesca
Importância das pescas para Portugal 
O sector das pescas sempre foi vital para Portugal, tendo adquirido uma importância social, local e regional, 
uma vez que é: 
• Uma importante fonte de subsistência para muitas populações ribeirinhas; 
• Os seus efeitos multiplicadores traduzem o surgimento das outras atividades, geradoras de emprego, 
como a indústria de transformação do pescado, o abastecimento do mercado com os respetivos 
produtos, o turismo, sobretudo o ligado a restauração, o fabrico de redes e apetrechos de pesca e uma 
fração significativa da indústria da construção naval.
Importância do PCP, no âmbito das disponibilidades de pesca, para Portugal 
• Portugal tem beneficiado de acordos: no âmbito de organizações regionais de pesca para águas 
internacionais (como os estabelecidos tradicionalmente nas áreas do Atlântico noroeste (NAFO) e do 
Atlântico Nordeste (NEAFC) de parcerias de pesca celebrados entra a comunidade europeia e países 
terceiros, dos quais se destacam os referentes às capturas nas principais zonas de pesca procuradas 
pelas frotas de largo nacionais (como os acordos com Marrocos, Mauritânia e Guiné Bissau).
Infraestruturas portuárias 
As infraestruturas portuárias nacionais têm constituído um impedimento à boa conservação e ao rápido 
escoamento do pescado no mercado, devido, na generalidade: 
• Às técnicas de descargas serem ainda, no geral, rudimentares; a pequena dimensão; 
• À ausência de barreiras protetoras e de cais de acostagem e desembarque; a sua localização; 
• À existência de algumas lotas sem os mínimos de condições higiénicas. 
Importância das infraestruturas portuárias 
As infraestruturas portuárias são muito importantes para a atividade das pescas, porque permitem: 
• A realização de operações de carga e descarga de pescado; 
• A conservação do pescado; o escoamento do pescado no mercado.
Frota pesqueira nacional
Consequências da PCP na frota de pesca nacional
Importância socioeconómica das embarcações de pequena dimensão
Importância da agricultura no setor das pescas nacional 
• A aquicultura é uma das soluções para o repovoamento dos mares e para o setor pesqueiro, sobretudo, numa 
altura em que cresce a consciência que os recursos dos oceanos não são inesgotáveis e que a sobre-exploração 
dos stocks pode por em causa a viabilidade económica das pescas e a manutenção e reprodução 
das espécies.
Fatores responsáveis pelo decréscimo, geral, da produção aquícola desde 1999 
O decréscimo da produção aquícola é uma consequência dos fatores como: 
• A conjuntura económica pouco favorável, sobretudo para colocação no mercado de espécies 
tradicionalmente produzidas; 
• Afraca aposta na diversificação das espécies a produzir; 
• A reduzida certificação do produto e do processo produtivo; 
• O predomínio de pequenas empresas, com estabelecimento de pequena dimensão, o que representa 
dificuldades de redução dos custos de produção, sendo por isso pouco competitivas no mercado.
Aquicultura nacional 
A aquicultura nacional evidencia: o decréscimo da produção em águas doces; a manutenção da sua 
importância e tendência do crescimento da produção em águas salobras e marinhas. 
Espécies aquícolas predominantes
Repartição espacial da produção aquícola
População ativa do setor pesqueiro
3. Gestão dos recursos hídricos 
Os principais princípios da PCP 
Os princípios da PCP (Politica Comum de Pesca) para uma gestão integrada passam pela: 
• Conservação e gestão dos recursos piscícolas do espaço comunitário; 
• Pela utilização dos recursos externos das águas comunitárias; 
• Pelas relações com países extracomunitários; pelas estruturas de apoio financeiros e a organização 
comum do mercado.
As medidas de controlo das disponibilidades de pesca 
• Limitar o volume de capturas; 
• Pelo mecanismo de troca de quotas com outros estados-membros; 
• Pelas Organizações Regionais de Pesca; 
• Pelos acordos de parceria entre a Comunidade Europeia e países terceiros. 
Unidade de controlo costeira
As medidas da PCP que visam o crescimento e desenvolvimento das pesca nacional 
As medidas são: 
• o incentivo a construção ou modernização da frota; 
• adaptação das capacidades da frota; 
• o incentivo ao desenvolvimento da aquicultura; 
• o incentivo às indústrias e à comercialização dos produtos de pesca; 
• o incentivo ao desenvolvimento de projetos de prospeção e investigação; 
• a constituição de sociedades mistas com países terceiros.
Outras atividades que permitem explorar os recursos marinhos 
A atividades dos mares, a lei da atividade piscatória, passa pela: 
• produção de energias a partir de fontes renováveis; 
• salicultura; 
• recolha de algas; 
• exploração de hidrocarbonetos e minerais no subsolo marinho.
Os POOC 
Objetivo : 
• Desenvolvimento da orla costeira e a promoção da defesa 
e conservação da natureza. 
A sua atuação é definida em: 
• Faixas de proteção de acordo com cada plano. Na zona 
terrestre a largura máxima dessa faixa não excede os 500 
m contados a partir da linha de costa e sobre a faixa 
marítima. 
O seu limite máximo é: 
• A batimétrica dos 30 m.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pesca
PescaPesca
Tipos de Pesca - Apresentação Oral - Geografia A 10º Ano
Tipos de Pesca - Apresentação Oral - Geografia A 10º AnoTipos de Pesca - Apresentação Oral - Geografia A 10º Ano
Tipos de Pesca - Apresentação Oral - Geografia A 10º Ano
Gonçalo Martins
 
A pesca
A pescaA pesca
A pesca
anatao
 
Pesca
PescaPesca
A pesca esrp
A pesca esrpA pesca esrp
A pesca esrp
Geografias Geo
 
Zona EconóMica Exclusiva - Trabalho de grupo
Zona EconóMica Exclusiva - Trabalho de grupoZona EconóMica Exclusiva - Trabalho de grupo
Zona EconóMica Exclusiva - Trabalho de grupo
Johny
 
Pesca
PescaPesca
Pp a pesca em portugal
Pp a pesca em portugalPp a pesca em portugal
Pp a pesca em portugal
mariasilva3851
 
Política Comum das Pescas-10ºano
Política Comum das Pescas-10ºanoPolítica Comum das Pescas-10ºano
Política Comum das Pescas-10ºano
Idalina Leite
 
Geografia 10ºC/BE3
Geografia 10ºC/BE3 Geografia 10ºC/BE3
Geografia 10ºC/BE3
Biblioteia
 
Recursos Marítimos - Pesca
Recursos Marítimos - PescaRecursos Marítimos - Pesca
Recursos Marítimos - Pesca
vando
 
A Atividade Piscatória
A Atividade PiscatóriaA Atividade Piscatória
A Atividade Piscatória
Catarina Castro
 
Pesca
PescaPesca
Pesca
Mayjö .
 
Geografia
GeografiaGeografia
Geografia
Ricardo Alves
 
Recursos Marinhos
Recursos MarinhosRecursos Marinhos
Recursos Marinhos
martapereiraaa
 
Introdução pesca
Introdução pescaIntrodução pesca
Introdução pesca
arlesbreno
 
A actividade piscatória em portugal
A actividade piscatória em portugalA actividade piscatória em portugal
A actividade piscatória em portugal
Alexandra Neto
 
A Pesca
A PescaA Pesca
A Pesca
Diogo Mateus
 
1.pesca -factores_e_tipos_fil_eminimizer_
1.pesca  -factores_e_tipos_fil_eminimizer_1.pesca  -factores_e_tipos_fil_eminimizer_
1.pesca -factores_e_tipos_fil_eminimizer_
Gonçalo Simões
 
pesca.ppt
pesca.pptpesca.ppt
pesca.ppt
Gilson Furtado
 

Mais procurados (20)

Pesca
PescaPesca
Pesca
 
Tipos de Pesca - Apresentação Oral - Geografia A 10º Ano
Tipos de Pesca - Apresentação Oral - Geografia A 10º AnoTipos de Pesca - Apresentação Oral - Geografia A 10º Ano
Tipos de Pesca - Apresentação Oral - Geografia A 10º Ano
 
A pesca
A pescaA pesca
A pesca
 
Pesca
PescaPesca
Pesca
 
A pesca esrp
A pesca esrpA pesca esrp
A pesca esrp
 
Zona EconóMica Exclusiva - Trabalho de grupo
Zona EconóMica Exclusiva - Trabalho de grupoZona EconóMica Exclusiva - Trabalho de grupo
Zona EconóMica Exclusiva - Trabalho de grupo
 
Pesca
PescaPesca
Pesca
 
Pp a pesca em portugal
Pp a pesca em portugalPp a pesca em portugal
Pp a pesca em portugal
 
Política Comum das Pescas-10ºano
Política Comum das Pescas-10ºanoPolítica Comum das Pescas-10ºano
Política Comum das Pescas-10ºano
 
Geografia 10ºC/BE3
Geografia 10ºC/BE3 Geografia 10ºC/BE3
Geografia 10ºC/BE3
 
Recursos Marítimos - Pesca
Recursos Marítimos - PescaRecursos Marítimos - Pesca
Recursos Marítimos - Pesca
 
A Atividade Piscatória
A Atividade PiscatóriaA Atividade Piscatória
A Atividade Piscatória
 
Pesca
PescaPesca
Pesca
 
Geografia
GeografiaGeografia
Geografia
 
Recursos Marinhos
Recursos MarinhosRecursos Marinhos
Recursos Marinhos
 
Introdução pesca
Introdução pescaIntrodução pesca
Introdução pesca
 
A actividade piscatória em portugal
A actividade piscatória em portugalA actividade piscatória em portugal
A actividade piscatória em portugal
 
A Pesca
A PescaA Pesca
A Pesca
 
1.pesca -factores_e_tipos_fil_eminimizer_
1.pesca  -factores_e_tipos_fil_eminimizer_1.pesca  -factores_e_tipos_fil_eminimizer_
1.pesca -factores_e_tipos_fil_eminimizer_
 
pesca.ppt
pesca.pptpesca.ppt
pesca.ppt
 

Destaque

Litoral de Portugal Continental, evolução e aspeto atual
Litoral de Portugal Continental, evolução e aspeto atualLitoral de Portugal Continental, evolução e aspeto atual
Litoral de Portugal Continental, evolução e aspeto atual
Idalina Leite
 
Portugal insular
Portugal insularPortugal insular
Portugal insular
Elisete Cação
 
Da união ibérica à restauração da independência
Da união ibérica à restauração da independênciaDa união ibérica à restauração da independência
Da união ibérica à restauração da independência
xicao97
 
Formas do litoral
Formas do litoralFormas do litoral
Formas do litoral
Tiago Lobao
 
Dinâmica do litoral
Dinâmica do litoralDinâmica do litoral
Dinâmica do litoral
Mayjö .
 
Costa portuguesa_características e evolução
Costa portuguesa_características e evoluçãoCosta portuguesa_características e evolução
Costa portuguesa_características e evolução
Idalina Leite
 
Madeira e Açores
Madeira e AçoresMadeira e Açores
Madeira e Açores
Ensinar Português Andaluzia
 
O relevo litoral
O relevo litoralO relevo litoral
O relevo litoral
claudiamf11
 
Geografia[1]
Geografia[1]Geografia[1]
Geografia[1]
Joana Silva
 
Formas relevo litoral
Formas relevo litoralFormas relevo litoral
Formas relevo litoral
manjosp
 
Principais acidentes da costa portuguesa
Principais acidentes da costa portuguesaPrincipais acidentes da costa portuguesa
Principais acidentes da costa portuguesa
Thepatriciamartins12
 

Destaque (11)

Litoral de Portugal Continental, evolução e aspeto atual
Litoral de Portugal Continental, evolução e aspeto atualLitoral de Portugal Continental, evolução e aspeto atual
Litoral de Portugal Continental, evolução e aspeto atual
 
Portugal insular
Portugal insularPortugal insular
Portugal insular
 
Da união ibérica à restauração da independência
Da união ibérica à restauração da independênciaDa união ibérica à restauração da independência
Da união ibérica à restauração da independência
 
Formas do litoral
Formas do litoralFormas do litoral
Formas do litoral
 
Dinâmica do litoral
Dinâmica do litoralDinâmica do litoral
Dinâmica do litoral
 
Costa portuguesa_características e evolução
Costa portuguesa_características e evoluçãoCosta portuguesa_características e evolução
Costa portuguesa_características e evolução
 
Madeira e Açores
Madeira e AçoresMadeira e Açores
Madeira e Açores
 
O relevo litoral
O relevo litoralO relevo litoral
O relevo litoral
 
Geografia[1]
Geografia[1]Geografia[1]
Geografia[1]
 
Formas relevo litoral
Formas relevo litoralFormas relevo litoral
Formas relevo litoral
 
Principais acidentes da costa portuguesa
Principais acidentes da costa portuguesaPrincipais acidentes da costa portuguesa
Principais acidentes da costa portuguesa
 

Semelhante a Conguefu

Recursos marítimos
Recursos marítimosRecursos marítimos
Recursos marítimos
manjosp
 
Gestão do litoral e do espaço marítimo.pptx
Gestão do litoral e do espaço marítimo.pptxGestão do litoral e do espaço marítimo.pptx
Gestão do litoral e do espaço marítimo.pptx
Cecília Gomes
 
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos MarítimosGeografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Raffaella Ergün
 
Geografia 10ºC/BE
Geografia 10ºC/BEGeografia 10ºC/BE
Geografia 10ºC/BE
Biblioteia
 
Pesca………………………………………………………………………………………..
Pesca………………………………………………………………………………………..Pesca………………………………………………………………………………………..
Pesca………………………………………………………………………………………..
MadalenaMatias4
 
Pesca
Pesca Pesca
Recursos maritimos - Pesca
Recursos maritimos - PescaRecursos maritimos - Pesca
Recursos maritimos - Pesca
vando
 
Atividade piscatória
Atividade piscatóriaAtividade piscatória
Atividade piscatória
Ilda Bicacro
 
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Ilda Bicacro
 
A gestão do espaço marítimo
A gestão do espaço marítimoA gestão do espaço marítimo
A gestão do espaço marítimo
Oxana Marian
 
Terminal XXI - Porto de Sines
Terminal XXI - Porto de SinesTerminal XXI - Porto de Sines
Terminal XXI - Porto de Sines
Tânia Domingos
 
Tipos de Pesca, Geografia A - 11º ano, elementos da pesca
Tipos de Pesca, Geografia A - 11º ano, elementos da pescaTipos de Pesca, Geografia A - 11º ano, elementos da pesca
Tipos de Pesca, Geografia A - 11º ano, elementos da pesca
MadalenaTasker
 
Pesca 2
Pesca 2Pesca 2
Pesca 2
lidia76
 
6 recursos marítimos correção
6 recursos marítimos correção6 recursos marítimos correção
6 recursos marítimos correção
CliaLouro2
 
6 Recursos marítimos CORREÇÃOooo (2).pdf
6 Recursos marítimos CORREÇÃOooo (2).pdf6 Recursos marítimos CORREÇÃOooo (2).pdf
6 Recursos marítimos CORREÇÃOooo (2).pdf
MarianaCombo
 
Potencialidades do Litoral
Potencialidades do LitoralPotencialidades do Litoral
Potencialidades do Litoral
Catarina Castro
 
Atividade económica-Setor Primário-Pesca
Atividade económica-Setor Primário-PescaAtividade económica-Setor Primário-Pesca
Atividade económica-Setor Primário-Pesca
CarlaCarrio1
 
Aquíferos Geografia A
Aquíferos Geografia AAquíferos Geografia A
Aquíferos Geografia A
Ana Barros
 
A valorização do mar português
A valorização do mar portuguêsA valorização do mar português
A valorização do mar português
Iga Almeida
 
Setor primário em portugal
Setor primário em portugalSetor primário em portugal
Setor primário em portugal
Diaana Rocha
 

Semelhante a Conguefu (20)

Recursos marítimos
Recursos marítimosRecursos marítimos
Recursos marítimos
 
Gestão do litoral e do espaço marítimo.pptx
Gestão do litoral e do espaço marítimo.pptxGestão do litoral e do espaço marítimo.pptx
Gestão do litoral e do espaço marítimo.pptx
 
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos MarítimosGeografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
 
Geografia 10ºC/BE
Geografia 10ºC/BEGeografia 10ºC/BE
Geografia 10ºC/BE
 
Pesca………………………………………………………………………………………..
Pesca………………………………………………………………………………………..Pesca………………………………………………………………………………………..
Pesca………………………………………………………………………………………..
 
Pesca
Pesca Pesca
Pesca
 
Recursos maritimos - Pesca
Recursos maritimos - PescaRecursos maritimos - Pesca
Recursos maritimos - Pesca
 
Atividade piscatória
Atividade piscatóriaAtividade piscatória
Atividade piscatória
 
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
 
A gestão do espaço marítimo
A gestão do espaço marítimoA gestão do espaço marítimo
A gestão do espaço marítimo
 
Terminal XXI - Porto de Sines
Terminal XXI - Porto de SinesTerminal XXI - Porto de Sines
Terminal XXI - Porto de Sines
 
Tipos de Pesca, Geografia A - 11º ano, elementos da pesca
Tipos de Pesca, Geografia A - 11º ano, elementos da pescaTipos de Pesca, Geografia A - 11º ano, elementos da pesca
Tipos de Pesca, Geografia A - 11º ano, elementos da pesca
 
Pesca 2
Pesca 2Pesca 2
Pesca 2
 
6 recursos marítimos correção
6 recursos marítimos correção6 recursos marítimos correção
6 recursos marítimos correção
 
6 Recursos marítimos CORREÇÃOooo (2).pdf
6 Recursos marítimos CORREÇÃOooo (2).pdf6 Recursos marítimos CORREÇÃOooo (2).pdf
6 Recursos marítimos CORREÇÃOooo (2).pdf
 
Potencialidades do Litoral
Potencialidades do LitoralPotencialidades do Litoral
Potencialidades do Litoral
 
Atividade económica-Setor Primário-Pesca
Atividade económica-Setor Primário-PescaAtividade económica-Setor Primário-Pesca
Atividade económica-Setor Primário-Pesca
 
Aquíferos Geografia A
Aquíferos Geografia AAquíferos Geografia A
Aquíferos Geografia A
 
A valorização do mar português
A valorização do mar portuguêsA valorização do mar português
A valorização do mar português
 
Setor primário em portugal
Setor primário em portugalSetor primário em portugal
Setor primário em portugal
 

Último

Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
JohnnyLima16
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 

Último (20)

Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 

Conguefu

  • 1. Trabalho por: Alina lopes nº3 Leandra Da Veiga nº17 Daniela Nogueira nº8
  • 2. 1. Potencialidades do litoral A ação erosiva do mar sobre a linha de costa As águas do mar exercem erosão sobre a linha da costa modelando-a, através do: Desgaste Transporte Acumulação
  • 3. Consequências da ação erosiva do mar • Confere à linha de costa nacional um traçado muito retilíneo e pouco recortado, ou seja, com poucas reentrâncias e saliências; • Surgimento de formas de relevo no litoral diversificadas, como os promontórios, os ilhéus, as grutas, as baias, etc. Os tipos de costa O litoral de Portugal Continental é dominado fundamentalmente por dois tipos de costa: • costa de Arriba; • Costa de praia.
  • 4. Costa De Arriba Costa Da Praia
  • 5. Formação de uma arriba morta ou fóssil
  • 6. Os principais ocidentes do litoral O acidente litoral é uma deformação ao longo do litoral que constitui uma exceção ao traçado retilíneo da costa. Os principais acidentes litorais são: • Ria de Aveiro (Haff-Delta); • Tômbolo de Peniche; • Lido de Faro; • Concha de São Martinho; • Estuários do Tejo e do Sado; • Cabos.
  • 7. Ria de Aveiro Concha de São Martinho Tômbolo de Peniche Estuário do Tejo Lido de Faro Estuário do Sado
  • 8. As características da plataforma continental com a obtenção de pescado A riqueza da plataforma continental e a abundância do pescado resultam: • Da elevada agitação das águas; • Da sua pouca profundidade; • Da abundância de plânctlon; • Da afluência de resíduos orgânicos e inorgânicos transportados pelos rios; • Da baixa salinidade.
  • 9. A influência das correntes marítimas na obtenção de pescado • As correntes marítimas são importantes fontes de espécies marinhas. • As zonas de contato entre correntes quentes e frias concentram a maior quantidade e diversidade destas espécies. • Existe mais um tipo de corrente marítima que se desloca de norte para o sul, que se chama Deriva.
  • 11. A zona Económica Exclusiva A importância para Portugal do alargamento da plataforma continental O alargamento da plataforma continental portuguesa poderá ser positivo para o país quer : • Ao nível de soberania • Ao nível dos recursos naturais • Em termos de recursos piscícolas e de recursos minerais.
  • 12. 2. Atividade piscatória As principais áreas de pesca procuradas pela frota nacional localizam-se: • No Atlântico Norte • No Atlântico Central • No Atlântico Sul. Principais áreas de pesca
  • 13. Importância das pescas para Portugal O sector das pescas sempre foi vital para Portugal, tendo adquirido uma importância social, local e regional, uma vez que é: • Uma importante fonte de subsistência para muitas populações ribeirinhas; • Os seus efeitos multiplicadores traduzem o surgimento das outras atividades, geradoras de emprego, como a indústria de transformação do pescado, o abastecimento do mercado com os respetivos produtos, o turismo, sobretudo o ligado a restauração, o fabrico de redes e apetrechos de pesca e uma fração significativa da indústria da construção naval.
  • 14. Importância do PCP, no âmbito das disponibilidades de pesca, para Portugal • Portugal tem beneficiado de acordos: no âmbito de organizações regionais de pesca para águas internacionais (como os estabelecidos tradicionalmente nas áreas do Atlântico noroeste (NAFO) e do Atlântico Nordeste (NEAFC) de parcerias de pesca celebrados entra a comunidade europeia e países terceiros, dos quais se destacam os referentes às capturas nas principais zonas de pesca procuradas pelas frotas de largo nacionais (como os acordos com Marrocos, Mauritânia e Guiné Bissau).
  • 15. Infraestruturas portuárias As infraestruturas portuárias nacionais têm constituído um impedimento à boa conservação e ao rápido escoamento do pescado no mercado, devido, na generalidade: • Às técnicas de descargas serem ainda, no geral, rudimentares; a pequena dimensão; • À ausência de barreiras protetoras e de cais de acostagem e desembarque; a sua localização; • À existência de algumas lotas sem os mínimos de condições higiénicas. Importância das infraestruturas portuárias As infraestruturas portuárias são muito importantes para a atividade das pescas, porque permitem: • A realização de operações de carga e descarga de pescado; • A conservação do pescado; o escoamento do pescado no mercado.
  • 17. Consequências da PCP na frota de pesca nacional
  • 18. Importância socioeconómica das embarcações de pequena dimensão
  • 19. Importância da agricultura no setor das pescas nacional • A aquicultura é uma das soluções para o repovoamento dos mares e para o setor pesqueiro, sobretudo, numa altura em que cresce a consciência que os recursos dos oceanos não são inesgotáveis e que a sobre-exploração dos stocks pode por em causa a viabilidade económica das pescas e a manutenção e reprodução das espécies.
  • 20. Fatores responsáveis pelo decréscimo, geral, da produção aquícola desde 1999 O decréscimo da produção aquícola é uma consequência dos fatores como: • A conjuntura económica pouco favorável, sobretudo para colocação no mercado de espécies tradicionalmente produzidas; • Afraca aposta na diversificação das espécies a produzir; • A reduzida certificação do produto e do processo produtivo; • O predomínio de pequenas empresas, com estabelecimento de pequena dimensão, o que representa dificuldades de redução dos custos de produção, sendo por isso pouco competitivas no mercado.
  • 21. Aquicultura nacional A aquicultura nacional evidencia: o decréscimo da produção em águas doces; a manutenção da sua importância e tendência do crescimento da produção em águas salobras e marinhas. Espécies aquícolas predominantes
  • 22.
  • 23. Repartição espacial da produção aquícola
  • 24. População ativa do setor pesqueiro
  • 25. 3. Gestão dos recursos hídricos Os principais princípios da PCP Os princípios da PCP (Politica Comum de Pesca) para uma gestão integrada passam pela: • Conservação e gestão dos recursos piscícolas do espaço comunitário; • Pela utilização dos recursos externos das águas comunitárias; • Pelas relações com países extracomunitários; pelas estruturas de apoio financeiros e a organização comum do mercado.
  • 26. As medidas de controlo das disponibilidades de pesca • Limitar o volume de capturas; • Pelo mecanismo de troca de quotas com outros estados-membros; • Pelas Organizações Regionais de Pesca; • Pelos acordos de parceria entre a Comunidade Europeia e países terceiros. Unidade de controlo costeira
  • 27. As medidas da PCP que visam o crescimento e desenvolvimento das pesca nacional As medidas são: • o incentivo a construção ou modernização da frota; • adaptação das capacidades da frota; • o incentivo ao desenvolvimento da aquicultura; • o incentivo às indústrias e à comercialização dos produtos de pesca; • o incentivo ao desenvolvimento de projetos de prospeção e investigação; • a constituição de sociedades mistas com países terceiros.
  • 28. Outras atividades que permitem explorar os recursos marinhos A atividades dos mares, a lei da atividade piscatória, passa pela: • produção de energias a partir de fontes renováveis; • salicultura; • recolha de algas; • exploração de hidrocarbonetos e minerais no subsolo marinho.
  • 29. Os POOC Objetivo : • Desenvolvimento da orla costeira e a promoção da defesa e conservação da natureza. A sua atuação é definida em: • Faixas de proteção de acordo com cada plano. Na zona terrestre a largura máxima dessa faixa não excede os 500 m contados a partir da linha de costa e sobre a faixa marítima. O seu limite máximo é: • A batimétrica dos 30 m.