SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Câncer
2015
 Câncer é o nome genérico para um grupo de mais de
200 doenças. Embora existam muitos tipos de câncer,
todos começam devido ao crescimento anormal e fora
de controle das células. É também conhecido como
neoplasia. A ciência que estuda o câncer se denomina
Oncologia e é o oncologista o profissional que trata a
doença. Os cânceres que não são tratados podem
causar doenças graves e morte.
As Células Normais do Corpo
O corpo é composto de trilhões de células vivas. Essas
células normais do corpo crescem, se dividem e
morrem de forma ordenada. Durante os primeiros
anos de vida de uma pessoa, as células normais se
dividem mais rapidamente para permitir que a pessoa
se desenvolva. Depois, na fase adulta, a maioria das
células se divide apenas para substituir células
desgastadas ou células que morrem ou para reparar
danos.
Como o Câncer ComeçaO câncer se inicia quando as células de algum órgão ou tecido do corpo começam a
crescer fora de controle. Esse crescimento é diferente do crescimento celular normal. Em
vez de morrer, as células cancerosas continuam crescendo e formando novas células
anômalas. As células cancerosas também podem invadir outros tecidos, algo que as
células normais não fazem. O crescimento fora de controle e invadindo outros tecidos é o
que torna uma célula em cancerosa.
O corpo humano é formado por milhões de células que se reproduzem por meio de um
processo chamado divisão celular. Em condições normais, esse processo é ordenado e
controlado e é responsável pela formação, crescimento e regeneração dos tecidos
saudáveis do corpo.
Em contrapartida, existem situações nas quais estas células, por razões variadas, sofrem
uma mudança tecnicamente chamada de carcinogênese, e assumem características
aberrantes quando comparadas com as células normais.
Essas células perdem a capacidade de limitar e controlar o seu próprio crescimento
passando, então, a multiplicarem-se muito rapidamente e sem nenhum controle e
circulam por tecidos onde elas se desenvolvem.
As células se tornam cancerosas devido a um dano no DNA. O DNA é um composto
orgânico cujas moléculas contêm as instruções genéticas de todas as células. Nós
normalmente nos parecemos com nossos pais, porque eles são a fonte do nosso DNA. No
entanto, o DNA nos afeta muito mais do que isso.
Alguns genes têm instruções para controlar o crescimento e a divisão das células. Os
genes que promovem a divisão celular são chamados oncogenes. Os genes que retardam a
divisão celular ou levam as células à morte no momento certo são denominados genes
supressores do tumor. Os cânceres podem ser causados por alterações no DNA que se
transformam em oncogenes ou por desativação dos genes supressores do tumor.
As pessoas podem herdar um DNA anômalo, mas a maioria dos danos do DNA é causada
por erros que ocorrem quando a célula normal está se reproduzindo ou por exposição a
algum elemento no meio ambiente. Às vezes, a causa do dano no DNA pode ser algo
óbvio, como o tabagismo ou a exposição ao sol. Mas é raro saber exatamente o que causou
o câncer de determinada pessoa.
Na maioria dos casos, as células cancerígenas formam um tumor. No entanto alguns
cânceres, como no caso da leucemia, raramente formam tumores. Em vez disso, estas
células cancerosas acometem o sangue e órgãos hematopoiéticos e circulam por tecidos
onde elas se desenvolvem.
Como o Câncer se Espalha
As células cancerosas costumam se espalhar para
outras partes do corpo onde elas começam a crescer e
formar novos tumores. Isso acontece quando as células
cancerosas entram na corrente sanguínea ou nos vasos
linfáticos do corpo. Ao longo do tempo, os tumores
irão substituir o tecido normal. Esse processo de
disseminação do câncer é denominado metástase.
Como os Cânceres se Diferenciam
Independente do local para onde a doença de espalhou, o tipo
de câncer leva o nome do local onde se originou. Por exemplo, o
câncer de mama que se disseminou para o fígado é denominado
câncer de mama metastático, e não câncer de fígado. Da mesma
forma, o câncer de próstata que se espalhou para os ossos é
chamado de câncer de próstata metastático, e não tumor ósseo.
Diferentes tipos de câncer podem se comportar de formas
distintas. Por exemplo, o câncer de pulmão e o câncer de pele são
doenças muito diferentes, que se desenvolvem de formas
diferentes e respondem a distintos tipos de tratamentos. Por
essa razão os pacientes com câncer precisam receber o
tratamento adequado para seu tipo de câncer.
Entendendo os Diferentes Tipos de
Câncer
Os tipos de câncer podem ser agrupados em categorias mais amplas. As
principais categorias de câncer incluem:
 Carcinoma - Câncer que começa na pele ou nos tecidos que revestem
ou cobrem os órgãos internos. Existe um número de subtipos de
carcinoma, incluindo adenocarcinoma, carcinoma de células basais,
carcinoma de células escamosas e carcinoma de células de transição.
 Sarcoma - Câncer que começa no osso, cartilagem, gordura, músculo,
vasos sanguíneos ou outro tecido conjuntivo ou de suporte.
 Leucemia - Câncer que começa no tecido produtor de sangue, como a
medula óssea, e provoca um grande número de células anormais do
sangue produzidas e entrando no sangue.
 Linfoma e Mieloma - Cânceres que começam nas células do sistema
imunológico.
 Cânceres do Sistema Nervoso Central - Cânceres que começam nos
tecidos do cérebro e da medula espinhal.
Tumores Benignos
Nem todos os tumores são câncer. Os tumores que não são
cancerosos são denominados benignos. Os tumores
benignos podem causar problemas, como crescerem em
demasia e pressionarem outros órgãos e tecidos saudáveis.
Mas eles não podem invadir outros tecidos e órgãos. Dessa
forma, eles não podem se espalhar para outras partes do
corpo (metástase).
Um tumor benigno que usualmente pode ser removido e
que na maioria dos casos não volta a aparecer, não se
espalha pelo corpo e não ameaça a vida do paciente.
Uma sentença de morte, atualmente muitos pacientes são
tratados com sucesso sobre tudo quando a doença é
diagnosticada precocemente.
O Câncer é Comum?Metade do total de homens e um terço do total de mulheres irão
desenvolver câncer em algum momento de suas vidas.
Hoje, milhões de pessoas estão vivendo com câncer ou tiveram
câncer. O risco de desenvolver vários tipos de neoplasias pode ser
reduzido com mudanças no estilo de vida de uma pessoa, por
exemplo, não fumar, limitar o tempo de exposição ao sol, ser
fisicamente ativo e manter uma alimentação saudável.
Por outro lado, existem os exames de rastreamento que podem
ser realizados para alguns tipos de câncer, para que possa ser
realizado o diagnóstico precoce da doença, quando as chances
de cura são melhores do que quando é diagnosticada em estágios
mais avançados.
É um proliferação incontrolável de células cutâneas anormais. É o tipo mais comum
na população e divide-se em dois tipos: melanomas e não melanomas.
Os melanomas são originados nas células produtoras de melanina, substância
responsável pela pigmentação da pele. É considerada a forma mais série da doença
cutânea. Já os não melanomas representam a maioria dos casos, cerca de 96%. As
pessoas devem ficar atentas a qualquer lesão na pele que tenha um aspecto de nódulo,
tumor ou parecido com alguma mancha.
A maioria é causado pela irradiação solar, portanto, é imprescindível o uso de filtro
solar.
Câncer de Pele
A próstata é um órgão situado entre a bexiga e a região pélvica, atravessada pela parte
inicial da uretra (canal por onde passa a urina) e produz parte do líquido que forma o
esperma.
Esse é o mais comum câncer do tipo sólido entre os homens. As chances dele aparecer
ficam maiores conforme a idade vai avançando. Os homens com mais de 50 anos
devem fazer os exames preventivos pelo menos uma vez por ano.
A doença pode ser diagnosticada por uma alteração no PSA, uma proteína da
próstata. Se essa dosagem estiver acima do nível ideal pode indicar um problema no
órgão.
Esse tipo de câncer é dividido em três grupos, sendo o primeiro o mais agressivo, que
necessita de um tratamento mais radical. O segundo é o intermediário e o último,
mais comum entre os pacientes, é de baixo risco.
Câncer de próstata
O câncer colorretal é uma neoplasia que se origina em qualquer parte do cólon, reto
ou canal anal. A doença começa na camada superficial do revestimento intestinal e
com o tempo vai atingindo as camadas mais profundas.
Esse tipo de câncer atinge pessoas de qualquer sexo e idade, mas é mais comum após
os 50 anos. A maioria se inicia com uma lesão benigna que evolui lentamente até se
transformar em um tumor maligno.
Câncer de cólon e reto
Esse tipo de câncer é altamente letal e frequente na população. Na região Sul, Sudeste
e Centro-oeste do país, é um dos mais, perdendo apenas para os de pele e próstata.
O Câncer de pulmão é uma doença que não apresenta sintomas em suas fases iniciais,
tornando o diagnóstico mais difícil de ser feito e, por isso, a maioria descobre quando
o câncer já está avançado.
Câncer de pulmão
Como em todos os outros tipos, as células possuem informações – os genes – que
mostram como as tarefas devem ser realizadas. Quando esses genes são alterados, as
células perdem sua função normal e passam a desenvolver atividades anormais, como
um crescimento desorganizado, formando um tumor.
A melhor forma de prevenir o câncer de mama é realizar os exames de mamografia
regularmente. Se diagnosticado precocemente, as chances de cura chegam em até
95%.
Câncer de mama
Grande parte desse tumor ocorre na cama mucosa, de revestimento interna, surgindo
na forma de irregulares lesões com ulcerações (rompimento do tecido). Conforme a
evolução da doença, essas células cancerígenas vão gradualmente substituindo o
tecido normal do órgão, migrando para outras partes, podendo até chegar em outros
lugares do organismo.
É o segundo tumor maligno mais frequente do mundo, tendo alta incidência no Leste
Europeu, Japão e Américas do Sul e Central.
O câncer de estômago se apresenta em três diferentes tipos: o adenocarcinoma –
responsável por 95% dos tumores; linfoma – diagnosticado em 3%; e o
leiomiossarcoma – com início em tecidos que dão origem aos músculos e aos ossos.
Câncer de estômago
DICAS PARA PREVENÇÃO DO
CÂNCER
 Pare de fumar!
 Alimente-se de forma saudável
 Evite bebidas alcoólicas
 Pratique exercícios físicos
 A mulher deve considerar a realização da mamografia aos 40
anos ou de acordo com orientação médica.
 A mulher a partir dos 20 anos deverá submeter-se anualmente a
um exame preventivo do colo do útero (Papanicolau).
 O homem deverá fazer avaliação da próstata a partir dos 45 anos.
 Evite exposição ao sol, principalmente das 10:00h às 16:00h
 Use protetor solar.
 Faça avaliação médica anual e participe de programa de
oncologia preventiva.
BIBLIOGRAFIA
 http://www.hcancerbarretos.com.br/82-
institucional/noticias-institucional/1300-informacao-
saiba-quais-sao-os-tipos-de-cancer-mais-comuns-no-brasil
 http://www.oncoguia.org.br/mobile/conteudo/cancer/12/1
/
 http://www.oncomedbh.com.br/site/?menu=Preven%E7%
E3o
Participantes:
1ºD
Vitória Braga Zapater Nº 35
Beatriz Lais Nº 01
Washington Wesley Nº 40
Gabrielli Pereira Nº 11
Celina Augusto Nº 05

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Câncer de Ovário
Câncer de OvárioCâncer de Ovário
Câncer de OvárioOncoguia
 
Saúde da Mulher em Câncer de Mama
Saúde da Mulher em Câncer de MamaSaúde da Mulher em Câncer de Mama
Saúde da Mulher em Câncer de MamaBruna Oliveira
 
CâNcer
CâNcerCâNcer
CâNcerISJ
 
Câncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do ÚteroCâncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do ÚteroOncoguia
 
Paciente oncológico - Assistência de Enfermagem
Paciente oncológico - Assistência de EnfermagemPaciente oncológico - Assistência de Enfermagem
Paciente oncológico - Assistência de EnfermagemBruna Guimarães
 
Câncer de Mama
Câncer de MamaCâncer de Mama
Câncer de MamaOncoguia
 
Tudo sobre Câncer do Colo do Útero
Tudo sobre Câncer do Colo do ÚteroTudo sobre Câncer do Colo do Útero
Tudo sobre Câncer do Colo do ÚteroOncoguia
 
Assistência de enfermagem na radioterapia
Assistência de enfermagem na radioterapiaAssistência de enfermagem na radioterapia
Assistência de enfermagem na radioterapiaAretusa Delfino
 
PALESTRA SOBRE O CÂNCER DE MAMA - ESCOLAS DE ITAMBÉ-PE (25-10-2013)
PALESTRA SOBRE O CÂNCER DE MAMA - ESCOLAS DE ITAMBÉ-PE (25-10-2013)PALESTRA SOBRE O CÂNCER DE MAMA - ESCOLAS DE ITAMBÉ-PE (25-10-2013)
PALESTRA SOBRE O CÂNCER DE MAMA - ESCOLAS DE ITAMBÉ-PE (25-10-2013)educacaodetodos
 
Apresentação ca colo e mama
Apresentação ca colo e mamaApresentação ca colo e mama
Apresentação ca colo e mamaVanessa Serrano
 
Aula 1 entendendo o cancer de mama 2018
Aula 1 entendendo o cancer de mama 2018Aula 1 entendendo o cancer de mama 2018
Aula 1 entendendo o cancer de mama 2018Simone Amucc
 
Câncer de Mama - SIPAT 2013
Câncer de Mama - SIPAT 2013Câncer de Mama - SIPAT 2013
Câncer de Mama - SIPAT 2013Camila Ferreira
 

Mais procurados (20)

Câncer de Ovário
Câncer de OvárioCâncer de Ovário
Câncer de Ovário
 
Cancer do cólo do útero pronto
Cancer do cólo do útero prontoCancer do cólo do útero pronto
Cancer do cólo do útero pronto
 
Saúde da Mulher em Câncer de Mama
Saúde da Mulher em Câncer de MamaSaúde da Mulher em Câncer de Mama
Saúde da Mulher em Câncer de Mama
 
Cancer
CancerCancer
Cancer
 
Oncologia Enfermagem
Oncologia EnfermagemOncologia Enfermagem
Oncologia Enfermagem
 
Câncer - O que é, causas, prevenção e cura
Câncer - O que é, causas, prevenção e curaCâncer - O que é, causas, prevenção e cura
Câncer - O que é, causas, prevenção e cura
 
CâNcer
CâNcerCâNcer
CâNcer
 
Câncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do ÚteroCâncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do Útero
 
Câncer de Mama
Câncer de MamaCâncer de Mama
Câncer de Mama
 
Cancer de Mama
Cancer de MamaCancer de Mama
Cancer de Mama
 
Paciente oncológico - Assistência de Enfermagem
Paciente oncológico - Assistência de EnfermagemPaciente oncológico - Assistência de Enfermagem
Paciente oncológico - Assistência de Enfermagem
 
1 aula enfermagem em oncologia
1 aula enfermagem em oncologia1 aula enfermagem em oncologia
1 aula enfermagem em oncologia
 
Câncer de Mama
Câncer de MamaCâncer de Mama
Câncer de Mama
 
Tudo sobre Câncer do Colo do Útero
Tudo sobre Câncer do Colo do ÚteroTudo sobre Câncer do Colo do Útero
Tudo sobre Câncer do Colo do Útero
 
Assistência de enfermagem na radioterapia
Assistência de enfermagem na radioterapiaAssistência de enfermagem na radioterapia
Assistência de enfermagem na radioterapia
 
PALESTRA SOBRE O CÂNCER DE MAMA - ESCOLAS DE ITAMBÉ-PE (25-10-2013)
PALESTRA SOBRE O CÂNCER DE MAMA - ESCOLAS DE ITAMBÉ-PE (25-10-2013)PALESTRA SOBRE O CÂNCER DE MAMA - ESCOLAS DE ITAMBÉ-PE (25-10-2013)
PALESTRA SOBRE O CÂNCER DE MAMA - ESCOLAS DE ITAMBÉ-PE (25-10-2013)
 
Apresentação ca colo e mama
Apresentação ca colo e mamaApresentação ca colo e mama
Apresentação ca colo e mama
 
Aula 1 entendendo o cancer de mama 2018
Aula 1 entendendo o cancer de mama 2018Aula 1 entendendo o cancer de mama 2018
Aula 1 entendendo o cancer de mama 2018
 
Outubro rosa
Outubro rosaOutubro rosa
Outubro rosa
 
Câncer de Mama - SIPAT 2013
Câncer de Mama - SIPAT 2013Câncer de Mama - SIPAT 2013
Câncer de Mama - SIPAT 2013
 

Semelhante a Câncer 1 D

Palestra sobre Cânce do cólo do Útero e Câncer de Mama
Palestra sobre Cânce do cólo do Útero e Câncer de MamaPalestra sobre Cânce do cólo do Útero e Câncer de Mama
Palestra sobre Cânce do cólo do Útero e Câncer de Mamapralucianaevangelista
 
Cancro: descontrolo celular
Cancro: descontrolo celularCancro: descontrolo celular
Cancro: descontrolo celularhimorani
 
Cancro: descontrolo celular
Cancro: descontrolo celularCancro: descontrolo celular
Cancro: descontrolo celularhimorani
 
oncologia aula 1.pptx
oncologia aula 1.pptxoncologia aula 1.pptx
oncologia aula 1.pptxKarinyNayara1
 
O cancro powerpoint
O cancro powerpointO cancro powerpoint
O cancro powerpointboaera
 
Artigo câncer causas, prevenção e tratamento
Artigo câncer   causas, prevenção e tratamentoArtigo câncer   causas, prevenção e tratamento
Artigo câncer causas, prevenção e tratamentoAline Silva
 
Resumo de Patologia
Resumo de PatologiaResumo de Patologia
Resumo de PatologiaDener Alves
 
Câncer de mama- Outubro Rosa
 Câncer de mama- Outubro Rosa Câncer de mama- Outubro Rosa
Câncer de mama- Outubro RosaTeresa Oliveira
 
Câncer e o ciclo celular
Câncer e o ciclo celularCâncer e o ciclo celular
Câncer e o ciclo celularLuane Carenina
 
Câncer e o ciclo celular
Câncer e o ciclo celularCâncer e o ciclo celular
Câncer e o ciclo celularLuane Carenina
 
Sarcoma de Partes Moles
Sarcoma de Partes MolesSarcoma de Partes Moles
Sarcoma de Partes MolesOncoguia
 

Semelhante a Câncer 1 D (20)

câncer
câncercâncer
câncer
 
Câncer
CâncerCâncer
Câncer
 
Palestra sobre Cânce do cólo do Útero e Câncer de Mama
Palestra sobre Cânce do cólo do Útero e Câncer de MamaPalestra sobre Cânce do cólo do Útero e Câncer de Mama
Palestra sobre Cânce do cólo do Útero e Câncer de Mama
 
Cancro
CancroCancro
Cancro
 
Cancro: descontrolo celular
Cancro: descontrolo celularCancro: descontrolo celular
Cancro: descontrolo celular
 
Cancro: descontrolo celular
Cancro: descontrolo celularCancro: descontrolo celular
Cancro: descontrolo celular
 
oncologia aula 1.pptx
oncologia aula 1.pptxoncologia aula 1.pptx
oncologia aula 1.pptx
 
O cancro powerpoint
O cancro powerpointO cancro powerpoint
O cancro powerpoint
 
C+óncer
C+óncerC+óncer
C+óncer
 
Artigo câncer causas, prevenção e tratamento
Artigo câncer   causas, prevenção e tratamentoArtigo câncer   causas, prevenção e tratamento
Artigo câncer causas, prevenção e tratamento
 
Resumo de Patologia
Resumo de PatologiaResumo de Patologia
Resumo de Patologia
 
Câncer de mama- Outubro Rosa
 Câncer de mama- Outubro Rosa Câncer de mama- Outubro Rosa
Câncer de mama- Outubro Rosa
 
Câncer de Pele
Câncer de Pele Câncer de Pele
Câncer de Pele
 
Câncer e o ciclo celular
Câncer e o ciclo celularCâncer e o ciclo celular
Câncer e o ciclo celular
 
Câncer e o ciclo celular
Câncer e o ciclo celularCâncer e o ciclo celular
Câncer e o ciclo celular
 
Sarcoma de Partes Moles
Sarcoma de Partes MolesSarcoma de Partes Moles
Sarcoma de Partes Moles
 
Apresentação.pptx
Apresentação.pptxApresentação.pptx
Apresentação.pptx
 
ONCOLOGIA
ONCOLOGIAONCOLOGIA
ONCOLOGIA
 
Apresentação-1.pptx
Apresentação-1.pptxApresentação-1.pptx
Apresentação-1.pptx
 
Tumores em pediatria (ppt)
Tumores em pediatria (ppt)Tumores em pediatria (ppt)
Tumores em pediatria (ppt)
 

Mais de Maria Teresa Iannaco Grego (20)

Abelha azul 2º A
Abelha azul 2º AAbelha azul 2º A
Abelha azul 2º A
 
Morsa 3ºB
Morsa 3ºBMorsa 3ºB
Morsa 3ºB
 
Desastres naturais II 2º A
Desastres naturais II 2º ADesastres naturais II 2º A
Desastres naturais II 2º A
 
Tubarão 2º c II
Tubarão 2º c IITubarão 2º c II
Tubarão 2º c II
 
Foca 1º C
Foca  1º CFoca  1º C
Foca 1º C
 
Aquecimento global 2º A
Aquecimento global 2º AAquecimento global 2º A
Aquecimento global 2º A
 
Baleias 3º A
Baleias 3º ABaleias 3º A
Baleias 3º A
 
Efeito da-poluição-nos-corais-1°B
Efeito da-poluição-nos-corais-1°BEfeito da-poluição-nos-corais-1°B
Efeito da-poluição-nos-corais-1°B
 
Pinguins-2º C
Pinguins-2º CPinguins-2º C
Pinguins-2º C
 
A vila socó 2º c
A vila socó 2º cA vila socó 2º c
A vila socó 2º c
 
Lixo nas grandes cidades 1º D
Lixo nas grandes cidades  1º DLixo nas grandes cidades  1º D
Lixo nas grandes cidades 1º D
 
Plantas carnívoras 3 C
Plantas carnívoras 3 CPlantas carnívoras 3 C
Plantas carnívoras 3 C
 
Desastres naturais 2º A
Desastres naturais 2º ADesastres naturais 2º A
Desastres naturais 2º A
 
Desastres naturais 2 A
Desastres naturais 2 ADesastres naturais 2 A
Desastres naturais 2 A
 
Pinguins2ºC
Pinguins2ºCPinguins2ºC
Pinguins2ºC
 
Leão 1 B
Leão 1 BLeão 1 B
Leão 1 B
 
Panda 1 C
Panda 1 CPanda 1 C
Panda 1 C
 
Girafas 1 C
Girafas  1 CGirafas  1 C
Girafas 1 C
 
ÁGuia 1 A
ÁGuia 1 AÁGuia 1 A
ÁGuia 1 A
 
Agrotoxico e meio ambiente -3ºA
Agrotoxico  e meio ambiente -3ºAAgrotoxico  e meio ambiente -3ºA
Agrotoxico e meio ambiente -3ºA
 

Último

Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024azulassessoria9
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 

Último (20)

Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 

Câncer 1 D

  • 2.  Câncer é o nome genérico para um grupo de mais de 200 doenças. Embora existam muitos tipos de câncer, todos começam devido ao crescimento anormal e fora de controle das células. É também conhecido como neoplasia. A ciência que estuda o câncer se denomina Oncologia e é o oncologista o profissional que trata a doença. Os cânceres que não são tratados podem causar doenças graves e morte.
  • 3. As Células Normais do Corpo O corpo é composto de trilhões de células vivas. Essas células normais do corpo crescem, se dividem e morrem de forma ordenada. Durante os primeiros anos de vida de uma pessoa, as células normais se dividem mais rapidamente para permitir que a pessoa se desenvolva. Depois, na fase adulta, a maioria das células se divide apenas para substituir células desgastadas ou células que morrem ou para reparar danos.
  • 4. Como o Câncer ComeçaO câncer se inicia quando as células de algum órgão ou tecido do corpo começam a crescer fora de controle. Esse crescimento é diferente do crescimento celular normal. Em vez de morrer, as células cancerosas continuam crescendo e formando novas células anômalas. As células cancerosas também podem invadir outros tecidos, algo que as células normais não fazem. O crescimento fora de controle e invadindo outros tecidos é o que torna uma célula em cancerosa. O corpo humano é formado por milhões de células que se reproduzem por meio de um processo chamado divisão celular. Em condições normais, esse processo é ordenado e controlado e é responsável pela formação, crescimento e regeneração dos tecidos saudáveis do corpo. Em contrapartida, existem situações nas quais estas células, por razões variadas, sofrem uma mudança tecnicamente chamada de carcinogênese, e assumem características aberrantes quando comparadas com as células normais. Essas células perdem a capacidade de limitar e controlar o seu próprio crescimento passando, então, a multiplicarem-se muito rapidamente e sem nenhum controle e circulam por tecidos onde elas se desenvolvem.
  • 5. As células se tornam cancerosas devido a um dano no DNA. O DNA é um composto orgânico cujas moléculas contêm as instruções genéticas de todas as células. Nós normalmente nos parecemos com nossos pais, porque eles são a fonte do nosso DNA. No entanto, o DNA nos afeta muito mais do que isso. Alguns genes têm instruções para controlar o crescimento e a divisão das células. Os genes que promovem a divisão celular são chamados oncogenes. Os genes que retardam a divisão celular ou levam as células à morte no momento certo são denominados genes supressores do tumor. Os cânceres podem ser causados por alterações no DNA que se transformam em oncogenes ou por desativação dos genes supressores do tumor. As pessoas podem herdar um DNA anômalo, mas a maioria dos danos do DNA é causada por erros que ocorrem quando a célula normal está se reproduzindo ou por exposição a algum elemento no meio ambiente. Às vezes, a causa do dano no DNA pode ser algo óbvio, como o tabagismo ou a exposição ao sol. Mas é raro saber exatamente o que causou o câncer de determinada pessoa. Na maioria dos casos, as células cancerígenas formam um tumor. No entanto alguns cânceres, como no caso da leucemia, raramente formam tumores. Em vez disso, estas células cancerosas acometem o sangue e órgãos hematopoiéticos e circulam por tecidos onde elas se desenvolvem.
  • 6. Como o Câncer se Espalha As células cancerosas costumam se espalhar para outras partes do corpo onde elas começam a crescer e formar novos tumores. Isso acontece quando as células cancerosas entram na corrente sanguínea ou nos vasos linfáticos do corpo. Ao longo do tempo, os tumores irão substituir o tecido normal. Esse processo de disseminação do câncer é denominado metástase.
  • 7. Como os Cânceres se Diferenciam Independente do local para onde a doença de espalhou, o tipo de câncer leva o nome do local onde se originou. Por exemplo, o câncer de mama que se disseminou para o fígado é denominado câncer de mama metastático, e não câncer de fígado. Da mesma forma, o câncer de próstata que se espalhou para os ossos é chamado de câncer de próstata metastático, e não tumor ósseo. Diferentes tipos de câncer podem se comportar de formas distintas. Por exemplo, o câncer de pulmão e o câncer de pele são doenças muito diferentes, que se desenvolvem de formas diferentes e respondem a distintos tipos de tratamentos. Por essa razão os pacientes com câncer precisam receber o tratamento adequado para seu tipo de câncer.
  • 8. Entendendo os Diferentes Tipos de Câncer Os tipos de câncer podem ser agrupados em categorias mais amplas. As principais categorias de câncer incluem:  Carcinoma - Câncer que começa na pele ou nos tecidos que revestem ou cobrem os órgãos internos. Existe um número de subtipos de carcinoma, incluindo adenocarcinoma, carcinoma de células basais, carcinoma de células escamosas e carcinoma de células de transição.  Sarcoma - Câncer que começa no osso, cartilagem, gordura, músculo, vasos sanguíneos ou outro tecido conjuntivo ou de suporte.  Leucemia - Câncer que começa no tecido produtor de sangue, como a medula óssea, e provoca um grande número de células anormais do sangue produzidas e entrando no sangue.  Linfoma e Mieloma - Cânceres que começam nas células do sistema imunológico.  Cânceres do Sistema Nervoso Central - Cânceres que começam nos tecidos do cérebro e da medula espinhal.
  • 9. Tumores Benignos Nem todos os tumores são câncer. Os tumores que não são cancerosos são denominados benignos. Os tumores benignos podem causar problemas, como crescerem em demasia e pressionarem outros órgãos e tecidos saudáveis. Mas eles não podem invadir outros tecidos e órgãos. Dessa forma, eles não podem se espalhar para outras partes do corpo (metástase). Um tumor benigno que usualmente pode ser removido e que na maioria dos casos não volta a aparecer, não se espalha pelo corpo e não ameaça a vida do paciente. Uma sentença de morte, atualmente muitos pacientes são tratados com sucesso sobre tudo quando a doença é diagnosticada precocemente.
  • 10. O Câncer é Comum?Metade do total de homens e um terço do total de mulheres irão desenvolver câncer em algum momento de suas vidas. Hoje, milhões de pessoas estão vivendo com câncer ou tiveram câncer. O risco de desenvolver vários tipos de neoplasias pode ser reduzido com mudanças no estilo de vida de uma pessoa, por exemplo, não fumar, limitar o tempo de exposição ao sol, ser fisicamente ativo e manter uma alimentação saudável. Por outro lado, existem os exames de rastreamento que podem ser realizados para alguns tipos de câncer, para que possa ser realizado o diagnóstico precoce da doença, quando as chances de cura são melhores do que quando é diagnosticada em estágios mais avançados.
  • 11. É um proliferação incontrolável de células cutâneas anormais. É o tipo mais comum na população e divide-se em dois tipos: melanomas e não melanomas. Os melanomas são originados nas células produtoras de melanina, substância responsável pela pigmentação da pele. É considerada a forma mais série da doença cutânea. Já os não melanomas representam a maioria dos casos, cerca de 96%. As pessoas devem ficar atentas a qualquer lesão na pele que tenha um aspecto de nódulo, tumor ou parecido com alguma mancha. A maioria é causado pela irradiação solar, portanto, é imprescindível o uso de filtro solar. Câncer de Pele
  • 12. A próstata é um órgão situado entre a bexiga e a região pélvica, atravessada pela parte inicial da uretra (canal por onde passa a urina) e produz parte do líquido que forma o esperma. Esse é o mais comum câncer do tipo sólido entre os homens. As chances dele aparecer ficam maiores conforme a idade vai avançando. Os homens com mais de 50 anos devem fazer os exames preventivos pelo menos uma vez por ano. A doença pode ser diagnosticada por uma alteração no PSA, uma proteína da próstata. Se essa dosagem estiver acima do nível ideal pode indicar um problema no órgão. Esse tipo de câncer é dividido em três grupos, sendo o primeiro o mais agressivo, que necessita de um tratamento mais radical. O segundo é o intermediário e o último, mais comum entre os pacientes, é de baixo risco. Câncer de próstata
  • 13. O câncer colorretal é uma neoplasia que se origina em qualquer parte do cólon, reto ou canal anal. A doença começa na camada superficial do revestimento intestinal e com o tempo vai atingindo as camadas mais profundas. Esse tipo de câncer atinge pessoas de qualquer sexo e idade, mas é mais comum após os 50 anos. A maioria se inicia com uma lesão benigna que evolui lentamente até se transformar em um tumor maligno. Câncer de cólon e reto
  • 14. Esse tipo de câncer é altamente letal e frequente na população. Na região Sul, Sudeste e Centro-oeste do país, é um dos mais, perdendo apenas para os de pele e próstata. O Câncer de pulmão é uma doença que não apresenta sintomas em suas fases iniciais, tornando o diagnóstico mais difícil de ser feito e, por isso, a maioria descobre quando o câncer já está avançado. Câncer de pulmão
  • 15. Como em todos os outros tipos, as células possuem informações – os genes – que mostram como as tarefas devem ser realizadas. Quando esses genes são alterados, as células perdem sua função normal e passam a desenvolver atividades anormais, como um crescimento desorganizado, formando um tumor. A melhor forma de prevenir o câncer de mama é realizar os exames de mamografia regularmente. Se diagnosticado precocemente, as chances de cura chegam em até 95%. Câncer de mama
  • 16. Grande parte desse tumor ocorre na cama mucosa, de revestimento interna, surgindo na forma de irregulares lesões com ulcerações (rompimento do tecido). Conforme a evolução da doença, essas células cancerígenas vão gradualmente substituindo o tecido normal do órgão, migrando para outras partes, podendo até chegar em outros lugares do organismo. É o segundo tumor maligno mais frequente do mundo, tendo alta incidência no Leste Europeu, Japão e Américas do Sul e Central. O câncer de estômago se apresenta em três diferentes tipos: o adenocarcinoma – responsável por 95% dos tumores; linfoma – diagnosticado em 3%; e o leiomiossarcoma – com início em tecidos que dão origem aos músculos e aos ossos. Câncer de estômago
  • 17. DICAS PARA PREVENÇÃO DO CÂNCER  Pare de fumar!  Alimente-se de forma saudável  Evite bebidas alcoólicas  Pratique exercícios físicos  A mulher deve considerar a realização da mamografia aos 40 anos ou de acordo com orientação médica.  A mulher a partir dos 20 anos deverá submeter-se anualmente a um exame preventivo do colo do útero (Papanicolau).  O homem deverá fazer avaliação da próstata a partir dos 45 anos.  Evite exposição ao sol, principalmente das 10:00h às 16:00h  Use protetor solar.  Faça avaliação médica anual e participe de programa de oncologia preventiva.
  • 19. Participantes: 1ºD Vitória Braga Zapater Nº 35 Beatriz Lais Nº 01 Washington Wesley Nº 40 Gabrielli Pereira Nº 11 Celina Augusto Nº 05