SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA “LUIZ DE QUEIROZ”
HIDRÁULICA: EXERCÍCIOS
Sérgio Nascimento Duarte
Prof. Dr. – Dpto. de Eng. Rural
Tarlei Arriel Botrel
Prof. Livre Docente – Dpto. de Eng. Rural
Raquel Aparecida Furlan
Pós-Graduanda- Dpto. de Eng. Rural
Piracicaba, 1996
Exercícios de Condutos Forçados - Fórmulas para o Cálculo da perda de carga; adutoras por gravidade.
1) Caracterize o tipo de escoamento numa canalização de 10" de diâmetro que transporta 360.000 1/h de água à
20 graus C. Considere a viscosidade cinemática, à referida temperatura, 10-6
m2
/s.
2) Qual a máxima velocidade de escoamento de:
a) água;
b) óleo lubrificante SAE-30 à temperatura de 40 graus C, numa tubulação de 300 mm sob regime lamelar ?
Dados de viscosidade cinemática:
- água à 40 graus C = 0,66 x 10 m2/s
- óleo lubrificante SAE-30 à 40 graus C = 1,0 x 10-4
m2
/s
3) Uma tubulação de aço, com 10" de diâmetro e 1600m de comprimento, transporta 1.892.500 1/dia de óleo
combustível a uma temperatura de 25 graus C. Sabendo que a viscosidade cinemática ao referido fluido àquela
temperatura é da ordem de 0,00130 m2
/s, responda:
a) Qual o regime de escoamento a que está submetido o fluido em questão ?
b) Qual a perda de carga normal ao longo do referido oleoduto ?
4) Uma tubulação nova, de ferro fundido, de 0,150m de diâmetro, trabalha com água, à velocidade de 3m/seg,
sendo a temperatura de 1,7 graus C. Qual a perda de carga numa extensão de 600m ? Usar a Fórmula
Universal). Dado : L = 0,00025 m
5) Se a temperatura da água, no exercício 4, elevar-se a 80 graus C, qual será o novo valor da perda de carga ?
6) Uma canalização nova de 25 mm de diâmetro e 200 m de comprimento, feita de cimento amianto, conduz
água a uma temperatura igual a 20 graus de C e vazão de 1 l/s. Calcule a perda de carga através da Fórmula
Universal. Dado : ε = 0,000025 m.
7) Uma bomba deverá recalcar água a 20 graus C em uma canalização de ferro fundido com 250 mm de
diâmetro e 1.200m de comprimento, vencendo um desnível de 30m, da bomba ao reservatório superior. A
vazão é de 45 1/s. Qual deverá ser a pressão na saída da bomba? Usar a Fórmula Universal. Dado: ε = 0,0003.
8) Calcular a energia perdida pelo atrito em cv, num tubo, devido ao escoamento de 375 500 l/dia de óleo
combustível pesado. À temperatura de 33 graus C (ν = 0,0000777 m2
/s) através de uma tubulação nova de aço,
de 90 m de comprimento e 100 mm de diâmetro. (Usar a Fórmula Universal). Dado : ε = 0,00005; d.óleo =
0,902
9) Calcule a perda de carga localizada proporcionada pelo registro de gaveta semi-aberto no ponto 3 da figura
abaixo. (Use a Fórmula Universal para o cálculo da perda de carga ao longo da canalização; despreze as perdas
nas curvas).
Dados: Diâmetro da tubulação = 25 mm; ε = 0,000025 m; Q = 1,0 l/s; Pressão (1) = 6 Kgf/cm2
; Pressão (2) =
1 Kgf/cm2
; ν = 1,01 x 10-6
m2
/s.
10) A adutora de ferro fundido (ε = 0,4 mm ) da figura abaixo possui diâmetro igual a 100 mm, comprimento
igual a 500 m e conduz a água a uma temperatura de 20 graus C. Estime a perda de carga localizada
proporcionada pela válvula V para que a vazão seja de 12 l/s. (Usar a Fórmula Universal).
11) Uma canalização de ferro-fundido (ε = 0,00026 m) com 0,15 m de diâmetro e 360 m de extensão, escoa
água a uma temperatura de 26,5 graus C. Calcule a velocidade e a vazão, quando a perda de carga for de 9,3
m.c.a., através da Fórmula Universal.
12) Num conduto cilíndrico de ferro-fundido de diâmetro igual a 0,10 m de rugosidade absoluta ε = 0,00025 m,
está escoando água à temperatura e 4 graus C, com perda de carga unitária J = 0,0115 m/m. Pede-se a vazão,
através da fórmula Universal.
13) Se a temperatura da água, no exercício 12 elevar-se a 80 graus C, qual a vazão de escoamento, sob a
mesma perda de carga ?.
14) Um óleo cuja densidade é de 0,902 escoa-se por uma tubulação de vidro, de 1,20 m de comprimento e 6
mm de diâmetro, com a perda de carga de 162,5 mm de óleo. A descarga medida é de 184 g* em 5 min. Qual a
viscosidade do óleo em poises?
15) Uma tubulação nova de aço, de 200 mm, descarrega 8500m3/dia d'água à temperatura de 15,5 graus C.
Quanto conduzirá de óleo combustível médio, à mesma temperatura e sob a mesma carga?
Dados: óleo 15,5 graus C = 4,41 X 10-6
m2
/s, ε = 0,00005m
16) Calcular o diâmetro de um conduto cilíndrico longo, de aço, de comprimento 360m, de rugosidade uniforme
equivalentes 10 m, para a adução de água de 20 graus C (ν = 10-6
m2
/s) com a vazão de 12,0 m3
/s e sob a
diferença de carga piezométrica nas seções extremas de 3,9m.
17) calcular o diâmetro que deverá assumir uma canalização de cimento amianto para transportar 20 1/s de água
a 30 graus C, com uma perda de carga de 35 m em 1000m. (Usar a Fórmula Universal).
Dado: ε = 0,000025.
18) Calcular o diâmetro teórico através da fórmula universal. Dados: ε = 0,000046m; Q = 19 l/s; ν = 2,78
x10-6
m2
/s; hf = 6m; L = 1200m.
19) Calcule o diâmetro pela Fórmula de Poiseuille, verificando em seguida o número de Reynolds para se
assegurar que o movimento é laminar. Dados: Q = 100 1/s ; L = 10 Km; hf = 100m; ν(óleo) = 4 x 10-3
m2
/s
20) Qual o diâmetro de uma canalização para transportar 1.892.500 1/dia de óleo, à distância de 1600m com
uma provável perda por atrito no encanamento de 3,5 Kgf/cm2
? O óleo tem a densidade de 0,92 e a viscosidade
cinemática de 0,00130m2
/s.
2l) Dimensionar uma tubulação de PVC para transportar água do reservatório Rl ao ponto ( do esquema abaixo.
Dados: Q = 3 l/s; distância = 1000m.
OBS: Desprezar perdas de carga localizadas e usar a Fórmula de FLAMANT
22) A água é recalcada por um tubo novo de ferro galvanizado de 50 mm de diâmetro, para um reservatório
situado no sótão de um edifício. A pressão a saída da bomba e 14 Kgf/cm2
. Qual será a pressão num ponto
situado 75m acima quando a descarga for de 580 1/min? Usar a Fórmula de Flamant).
23) Calcule o diâmetro teórico da canalização da figura abaixo, pela fórmula de Flamant (b=0,000135), para
uma vazão de 4 1/s, de forma que a linha piezométrica mantenha-se paralela ao eixo da canalização.
24) Dois reservatórios que abastecem uma propriedade agrícola estão interligados por um encanamento de ferro
fundido usado (n=0,015), com 8 Km de comprimento. Um está localizado na cota 186,0 e outro na cota 166,0.
Pede-se:
a) o diâmetro teórico da tubulação para que o reservatório mais elevado forneça ao outro cerca de 2635 m3, em
12 horas de operação.
b) Fazer o ajuste para o diâmetro comerciai.
c) Calcular o tempo efetivo para o fornecimento do volume estabelecido no item "a", utilizando-se o diâmetro
comercial.
OBS.: Usar a Fórmula de Manning.
25) Uma bomba instalada na cota 200,0m recalca 30 1/s, através de uma tubulação com 0,15m de diâmetro e
800m de comprimento, para um 'reservatório cujo NA situa-se na cota 250,0m. Determinar a
pressão do conduto distante 600,0m da bomba e tendo cota igual a 240,0m. (Usar a Fórmula de Manning e
adotar n= 0,013).
26) Utilizando a equação de Hazen-Williams, calcular a vazão que pode ser obtida com uma adutora de ferro
fundido com 15 anos de uso (c=100), 200 mm de diâmetro e 3.200 1 de comprimento, alimentada por um
reservatório cujo nível na cota 338. O conduto descarrega à atmosfera na cota 290.
a) Desprezando a perda de carga localizada na salda do reservatório e a energia cinética.
b) Considerando a perda de carga localizada na salda do reservatório igual a 0,5 v2
/2g e a energia cinética
(v2
/2g).
27) Uma canalização de ferro fundido (c=- 100), de 1000 metros de comprimento e 200 mm de diâmetro que
conduz água por gravidade de um reservatório , possui na extremidade um manômetro e um registro-
, como mostra a figura abaixo. Sabendo-se que o manômetro acusa uma leitura de 2 Kgf/cm2
quando o registro
está totalmente fechado, calcule a vazão para uma leitura manométrica de 1,446 Kgf/cm2
. (Despreze as perdas
de carga localizadas e a energia cinética; use a equação de Hazen-Williams).
28) Num conduto de ferro fundido novo, de 200 mm de diâmetro, a pressão em A é de 2,4 Kgf/cm2
, e no ponto
B ê de 1,8 Kgf/cm2
. Sabendo-se que o ponto B está situado a uma distância de 1000m do ponto A, e mais
elevado 1,4m em relação a este, calcule:
a) O sentido do escoamento
b) a vazão
OBS:. Usar a Fórmula de Hazen-Williams
29) No ponto de uma tubulação de PVC de 100 mm de diâmetro, distante 610m do reservatório que o alimenta,
situado 42,70m do nível d'água deste reservatório, a pressão mede 3,5Kgf/cm2
. Qual a velocidade do
escoamento? (Usar Hazen-Williams).
30) Uma canalização nova de ferro fundido de 600 mm de diâmetro e 1600 m de comprimento, sai de um
reservatório e descarrega livremente no ar. Se o centro de sua boca estiver 3m abaixo do volume d'água no
reservatório e for ela assentada a declividade de 2 por 1000, qual será a descarga? (Usar Hazen-Williams).
31) Uma adutora de ferro fundido novo de 250 mm de diâmetro conduz uma vazão de 50 1/s. Estime qual será
a vazão após 40 anos de uso. (Usar a Fórmula de Hazen-Williams).
32) Por uma tubulação incrustada, em tubos de ferro fundido de 150 mm de diâmetro, a água circula com 2,44
m/s de velocidade média. Em um ponto deste conduto a pressão é de 27,36m, enquanto que no ponto B,
distante 30,51 e 0,92m abaixo de A, a pressão vale 23,80m. Qual o provável valor do coeficiente de atrito "c"
da fórmula de Hazen-Williams?
33) Os pontos A e B estão separados de 900m, numa tubulação nova de aço (c=130), de 250mm. B está 66m
acima de A. Sendo a descarga de 901/s, qual a pressão em A para que, em B, ela seja de 3,5 Kgf/cm2
? (Usar
Hazen-Williams)
34) Uma canalização de ferro fundido (c=100) de 1000m de comprimento e 200mm de diâmetro conduz água
de um reservatório até um ponto situado numa cota 20m abaixo. Na extremidade da canalização há um
manômetro para leitura da pressão e um registro para o controle da vazão, como mostra a figura abaixo.
Calcule a pressão a ser lida no manômetro, quando a vazão for a metade daquela que escoa com o registro
totalmente aberto. (Despreze as perdas localizadas e a energia cinética, use a fórmula de Hazen-Williams).
35) Uma tubulação de ferro fundido novo de 450 mm de diâmetro transporta 190 l/s. No ponto situado 305m à
jusante do reservatório de alimentação, o eixo do conduto está 24,4m abaixa do nível da água no citado
reservatório. Determinar a pressão neste ponto (Usar Hazen-Williams).
36) Uma canalização de ferro fundido novo, com 250mm de diâmetro é alimentada por um reservatório cujo
nível está na cota 220. Calcular a pressão no ponto de cota 180, a 1500m do reservatório, para ò vazão de 40
1/s. (Usar Hazen-Williams).
37) Calcule a pressão no saída da bomba da figura abaixo, para que o canhão hidráulico trabalhe dentro das
seguintes condições: Dados: Q =12,85 m3
/h ; Ps = 3 Kgf/cm2
; altura da haste = 3m; Tubulação de alumínio
(c=135), diâmetro igual ò 50mm e comprimento igual a 200m.
38) Um reservatório cujo nível d água está localizado no cota 100 abastece o ponto (1) a 1000m de distância,
localizado no cota 51, através de uma adutora de cimento amianto (C=140) de 100mm de diâmetro, com uma
pressão de chegada de 10 m.c.a., como mostra o esquema abaixo. Calcule o diâmetro teórico para que ò adutora
de PVC (C=150) abasteça o ponto (2) a 500m de distância, localizado no cota 61, com uma pressão de chegada
de 5 m.c.a., e com a metade da vazão da adutora que abastece o ponto (1). (Usar Hazen-
Willians)
39) Estime o valor da perda de carga através da:
a) Fórmula Universal;
b) Fórmula de Hazen-Williams;
c) Fórmula de Scobey;
d) Fórmula de Manning
Dados: - Fluido = água à 20 graus C
- Comprimento da tubulação = 500m
- Material = cimento amianto
- Diâmetro = 500 mm
- Velocidade = 0,5 m/s
40) Estime o valor da perda de carga através da:
a) Fórmula Universal;
b) Fórmula de Hazen-Williams;
c) Fórmula de Scobey;
d) Fórmula de Manning
Dados: - Fluido = água a 20 graus C;
- Comprimento da tubulação = 500m
- Material = cimento-amianto
- Diâmetro = 75 mm
- Velocidade = 3m/s
RESPOSTAS
1) Regime turbulento (Re = 501.275)
2) a) 0,0044 m/s; b) 0,67 m/s.
3) a) Regime laminar (Re = 84,46) b) 45,5 m.c.óleo
4) 42 m.c.a.
5) 41 m.c.a.
6) 41,6 m.c.a.
7) 34,4 m.c.a.
8) 0,67 cv.
9) 9,3 m.c.a.
10) 7,7 m.c.a.
11) 1,8 m/s; 32 1/s
12) 7,1 1/s
13) 7,4 1/s
14) 0,56 poise
15 ) 7,9x103
m3
/dia
16) 1,65 m
17) 109 mm
18) 167 mm
19) 638 mm (Re=50)
20) 266 mm
21) 50 mm
22) 2,56 Kgf/cm2
23) 54,9 mm
24) a) 344 mm; b) 350 mm; c) 11 horas e 30 min.
25) 1,75 Kgf/cm2
26) a) 41,89 l/s; b) 41,82 l/s
27) 24,46 l/s
28) 28,76 l/s (A para B)
29) 1,18 m/s
30) 471,5 l/s
31) 29,23 l/s
32) 64
33) 11,25 Kgf/cm2
34) 14,46 m.c.a.
35) 23,4 m.c.a.
36) 35,7 m.c.a.
37) 5,84 Kgf/cm2
38) 66,8 m
39) a) 0,20 m.c.a.; b) 0,22 m.c.a.; c) 0,24 m.c.a.; d) 0,20 m.c.a.
40) a) 54,4 m.c.a.; b) 56,7 m.c.a.; c) 57,6 m.c.a.; d) 89,1 m.c.a.
Fonte de consulta
- Hidráulica (King, Wisler; Woodburn)
- Condutos Forçados - Exercícios (E.E. UFMG - Departamento de Engenharia Hidráulica)
- Exercícios sobre Encanamentos (UFRJ - Departamento de Engenharia)
- O emprego da Fórmula Universal de perda de carga e as limitações das Fórmulas Empíricas (Tufi
Mamed Assy).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cálculo de bombas 5 (1)
Cálculo de bombas 5 (1)Cálculo de bombas 5 (1)
Cálculo de bombas 5 (1)
Jhonny Wladimir Peñaloza Cabello
 
3 lista-exercicio manometria
3 lista-exercicio manometria3 lista-exercicio manometria
3 lista-exercicio manometria
Marinaldo Junior
 
Relatorio pou 1
Relatorio pou 1Relatorio pou 1
Relatorio pou 1
marcelazmarques
 
Relatorio pou 3
Relatorio pou 3 Relatorio pou 3
Relatorio pou 3
marcelazmarques
 
Relatorio pou 2
Relatorio pou 2 Relatorio pou 2
Relatorio pou 2
marcelazmarques
 
Perdas de cargas em tubulações
Perdas de cargas em tubulaçõesPerdas de cargas em tubulações
Perdas de cargas em tubulações
Vivi Basilio
 
Exercício de bomba e sistema de recalque
Exercício de bomba e sistema de recalqueExercício de bomba e sistema de recalque
Exercício de bomba e sistema de recalque
Natalia Ferreira
 
Aula 6
Aula 6Aula 6
Exercícios.docxcinemática fluídos
Exercícios.docxcinemática fluídosExercícios.docxcinemática fluídos
Exercícios.docxcinemática fluídos
akhenatoni
 
Relatório de Experimento: Perdas de Carga Localizada.
Relatório de Experimento: Perdas de Carga Localizada.Relatório de Experimento: Perdas de Carga Localizada.
Relatório de Experimento: Perdas de Carga Localizada.
UFMT
 
expansao termica
expansao termicaexpansao termica
expansao termica
Auro Adonis Sanchez Santos
 
Hidraulica
HidraulicaHidraulica
Estática dos fluidos Aula 4
Estática dos fluidos Aula 4Estática dos fluidos Aula 4
Estática dos fluidos Aula 4
Alessandro Lisboa
 
Ifsp dinâmica dos fluidos
Ifsp dinâmica dos fluidosIfsp dinâmica dos fluidos
Ifsp dinâmica dos fluidos
Carlos Alberto Shigu Ueno
 
Resumo geral hidraulica
Resumo geral hidraulicaResumo geral hidraulica
Resumo geral hidraulica
Luis Eduardo Pinho
 
Ensaio de adensamento
Ensaio de adensamentoEnsaio de adensamento
Ensaio de adensamento
Ezequiel Borges
 
Lista 4
Lista 4Lista 4
Catalogo tecnico reservatorio_2012
Catalogo tecnico reservatorio_2012Catalogo tecnico reservatorio_2012
Catalogo tecnico reservatorio_2012
bene piscinas
 
Secao11 s1 Incropera
Secao11 s1 IncroperaSecao11 s1 Incropera
Secao11 s1 Incropera
Carlos Guttemberg
 
Prova de física resolvida escola naval 2012
Prova de física resolvida escola naval 2012Prova de física resolvida escola naval 2012
Prova de física resolvida escola naval 2012
Douglas Almeida
 

Mais procurados (20)

Cálculo de bombas 5 (1)
Cálculo de bombas 5 (1)Cálculo de bombas 5 (1)
Cálculo de bombas 5 (1)
 
3 lista-exercicio manometria
3 lista-exercicio manometria3 lista-exercicio manometria
3 lista-exercicio manometria
 
Relatorio pou 1
Relatorio pou 1Relatorio pou 1
Relatorio pou 1
 
Relatorio pou 3
Relatorio pou 3 Relatorio pou 3
Relatorio pou 3
 
Relatorio pou 2
Relatorio pou 2 Relatorio pou 2
Relatorio pou 2
 
Perdas de cargas em tubulações
Perdas de cargas em tubulaçõesPerdas de cargas em tubulações
Perdas de cargas em tubulações
 
Exercício de bomba e sistema de recalque
Exercício de bomba e sistema de recalqueExercício de bomba e sistema de recalque
Exercício de bomba e sistema de recalque
 
Aula 6
Aula 6Aula 6
Aula 6
 
Exercícios.docxcinemática fluídos
Exercícios.docxcinemática fluídosExercícios.docxcinemática fluídos
Exercícios.docxcinemática fluídos
 
Relatório de Experimento: Perdas de Carga Localizada.
Relatório de Experimento: Perdas de Carga Localizada.Relatório de Experimento: Perdas de Carga Localizada.
Relatório de Experimento: Perdas de Carga Localizada.
 
expansao termica
expansao termicaexpansao termica
expansao termica
 
Hidraulica
HidraulicaHidraulica
Hidraulica
 
Estática dos fluidos Aula 4
Estática dos fluidos Aula 4Estática dos fluidos Aula 4
Estática dos fluidos Aula 4
 
Ifsp dinâmica dos fluidos
Ifsp dinâmica dos fluidosIfsp dinâmica dos fluidos
Ifsp dinâmica dos fluidos
 
Resumo geral hidraulica
Resumo geral hidraulicaResumo geral hidraulica
Resumo geral hidraulica
 
Ensaio de adensamento
Ensaio de adensamentoEnsaio de adensamento
Ensaio de adensamento
 
Lista 4
Lista 4Lista 4
Lista 4
 
Catalogo tecnico reservatorio_2012
Catalogo tecnico reservatorio_2012Catalogo tecnico reservatorio_2012
Catalogo tecnico reservatorio_2012
 
Secao11 s1 Incropera
Secao11 s1 IncroperaSecao11 s1 Incropera
Secao11 s1 Incropera
 
Prova de física resolvida escola naval 2012
Prova de física resolvida escola naval 2012Prova de física resolvida escola naval 2012
Prova de física resolvida escola naval 2012
 

Destaque

Aula 09 mec fluidos 2012 05
Aula 09   mec fluidos 2012 05Aula 09   mec fluidos 2012 05
Aula 09 mec fluidos 2012 05
Gilson Braga
 
Hidraulica - Perda de carga exercicio
Hidraulica - Perda de carga exercicioHidraulica - Perda de carga exercicio
Hidraulica - Perda de carga exercicio
Carlos Elson Cunha
 
Resolucao de-exercicios-cap 2 - franco-brunetti
Resolucao de-exercicios-cap 2 - franco-brunettiResolucao de-exercicios-cap 2 - franco-brunetti
Resolucao de-exercicios-cap 2 - franco-brunetti
Argélio Paniago
 
Lista de exercícios
Lista de exercíciosLista de exercícios
Lista de exercícios
olivema91
 
Apostila manual de hidraulica azevedo netto
Apostila manual de hidraulica azevedo nettoApostila manual de hidraulica azevedo netto
Apostila manual de hidraulica azevedo netto
Higo Rafael
 
919 Questões de Física (resolvidas)
919 Questões de Física (resolvidas)919 Questões de Física (resolvidas)
919 Questões de Física (resolvidas)
Adriano Capilupe
 

Destaque (6)

Aula 09 mec fluidos 2012 05
Aula 09   mec fluidos 2012 05Aula 09   mec fluidos 2012 05
Aula 09 mec fluidos 2012 05
 
Hidraulica - Perda de carga exercicio
Hidraulica - Perda de carga exercicioHidraulica - Perda de carga exercicio
Hidraulica - Perda de carga exercicio
 
Resolucao de-exercicios-cap 2 - franco-brunetti
Resolucao de-exercicios-cap 2 - franco-brunettiResolucao de-exercicios-cap 2 - franco-brunetti
Resolucao de-exercicios-cap 2 - franco-brunetti
 
Lista de exercícios
Lista de exercíciosLista de exercícios
Lista de exercícios
 
Apostila manual de hidraulica azevedo netto
Apostila manual de hidraulica azevedo nettoApostila manual de hidraulica azevedo netto
Apostila manual de hidraulica azevedo netto
 
919 Questões de Física (resolvidas)
919 Questões de Física (resolvidas)919 Questões de Física (resolvidas)
919 Questões de Física (resolvidas)
 

Semelhante a Cap5

Cap4
Cap4Cap4
Lista de exercicios teorema de bernoulli
Lista de exercicios teorema de bernoulliLista de exercicios teorema de bernoulli
Lista de exercicios teorema de bernoulli
Juliana Boso Marques
 
Cap12
Cap12Cap12
Exercício de orifícios
Exercício de orifíciosExercício de orifícios
Exercício de orifícios
weder silva
 
Instituto fisica 2º ano
Instituto  fisica 2º anoInstituto  fisica 2º ano
Instituto fisica 2º ano
Raimundo Mizael Gonçalves da Luz
 
Perdas de carga em FG
Perdas de carga em FGPerdas de carga em FG
Perdas de carga em FG
Michael Fold
 
Perda de carga valterv.1
Perda de carga  valterv.1Perda de carga  valterv.1
Perda de carga valterv.1
Anderson Oliveira Santos
 
Lista de exercicios_cavitacao
Lista de exercicios_cavitacaoLista de exercicios_cavitacao
Lista de exercicios_cavitacao
BalaramaDasaPgm1
 
381903674 questoes-cap12-1
381903674 questoes-cap12-1381903674 questoes-cap12-1
381903674 questoes-cap12-1
WillianRossetto
 
7 Anlise de Energia dos Sistemas Abertos Exerccios.pptx
7 Anlise de Energia dos Sistemas Abertos Exerccios.pptx7 Anlise de Energia dos Sistemas Abertos Exerccios.pptx
7 Anlise de Energia dos Sistemas Abertos Exerccios.pptx
RobsonCunhadePaula
 
Exercicios hidraulicaprova1
Exercicios hidraulicaprova1Exercicios hidraulicaprova1
Exercicios hidraulicaprova1
Stefanny Costa
 
Exemplos 4
Exemplos 4Exemplos 4
4 exercícios de hidrodinâmica - 1 2014
4   exercícios de hidrodinâmica - 1  20144   exercícios de hidrodinâmica - 1  2014
4 exercícios de hidrodinâmica - 1 2014
Carolina Patricio
 
Revisão
RevisãoRevisão
Lista 3 hidráulica
Lista 3 hidráulicaLista 3 hidráulica
Lista 3 hidráulica
Giovanna Ortiz
 
2051 exercicios_mec_fluidos_nova versao - manometria exercicio 25
2051  exercicios_mec_fluidos_nova versao - manometria exercicio 252051  exercicios_mec_fluidos_nova versao - manometria exercicio 25
2051 exercicios_mec_fluidos_nova versao - manometria exercicio 25
SHEILA VIVIANE MARIA DOS SANTOS
 
REVISÃO DE TRANSFORMAÇÃO DE ESCALAS TERMOMÉTRICAS...
REVISÃO DE TRANSFORMAÇÃO DE ESCALAS TERMOMÉTRICAS...REVISÃO DE TRANSFORMAÇÃO DE ESCALAS TERMOMÉTRICAS...
REVISÃO DE TRANSFORMAÇÃO DE ESCALAS TERMOMÉTRICAS...
Mirian De Lima Mendes
 
Exercícios complementares - dilatação térmica + resolução
Exercícios complementares - dilatação térmica + resoluçãoExercícios complementares - dilatação térmica + resolução
Exercícios complementares - dilatação térmica + resolução
Matheus Alves
 
Exercicios ufba-mono-bifasico
Exercicios ufba-mono-bifasicoExercicios ufba-mono-bifasico
Exercicios ufba-mono-bifasico
Victor Hugo Vallejo Rendon
 
Exercicios de 12 a 15
Exercicios de 12 a 15Exercicios de 12 a 15
Exercicios de 12 a 15
zeramento contabil
 

Semelhante a Cap5 (20)

Cap4
Cap4Cap4
Cap4
 
Lista de exercicios teorema de bernoulli
Lista de exercicios teorema de bernoulliLista de exercicios teorema de bernoulli
Lista de exercicios teorema de bernoulli
 
Cap12
Cap12Cap12
Cap12
 
Exercício de orifícios
Exercício de orifíciosExercício de orifícios
Exercício de orifícios
 
Instituto fisica 2º ano
Instituto  fisica 2º anoInstituto  fisica 2º ano
Instituto fisica 2º ano
 
Perdas de carga em FG
Perdas de carga em FGPerdas de carga em FG
Perdas de carga em FG
 
Perda de carga valterv.1
Perda de carga  valterv.1Perda de carga  valterv.1
Perda de carga valterv.1
 
Lista de exercicios_cavitacao
Lista de exercicios_cavitacaoLista de exercicios_cavitacao
Lista de exercicios_cavitacao
 
381903674 questoes-cap12-1
381903674 questoes-cap12-1381903674 questoes-cap12-1
381903674 questoes-cap12-1
 
7 Anlise de Energia dos Sistemas Abertos Exerccios.pptx
7 Anlise de Energia dos Sistemas Abertos Exerccios.pptx7 Anlise de Energia dos Sistemas Abertos Exerccios.pptx
7 Anlise de Energia dos Sistemas Abertos Exerccios.pptx
 
Exercicios hidraulicaprova1
Exercicios hidraulicaprova1Exercicios hidraulicaprova1
Exercicios hidraulicaprova1
 
Exemplos 4
Exemplos 4Exemplos 4
Exemplos 4
 
4 exercícios de hidrodinâmica - 1 2014
4   exercícios de hidrodinâmica - 1  20144   exercícios de hidrodinâmica - 1  2014
4 exercícios de hidrodinâmica - 1 2014
 
Revisão
RevisãoRevisão
Revisão
 
Lista 3 hidráulica
Lista 3 hidráulicaLista 3 hidráulica
Lista 3 hidráulica
 
2051 exercicios_mec_fluidos_nova versao - manometria exercicio 25
2051  exercicios_mec_fluidos_nova versao - manometria exercicio 252051  exercicios_mec_fluidos_nova versao - manometria exercicio 25
2051 exercicios_mec_fluidos_nova versao - manometria exercicio 25
 
REVISÃO DE TRANSFORMAÇÃO DE ESCALAS TERMOMÉTRICAS...
REVISÃO DE TRANSFORMAÇÃO DE ESCALAS TERMOMÉTRICAS...REVISÃO DE TRANSFORMAÇÃO DE ESCALAS TERMOMÉTRICAS...
REVISÃO DE TRANSFORMAÇÃO DE ESCALAS TERMOMÉTRICAS...
 
Exercícios complementares - dilatação térmica + resolução
Exercícios complementares - dilatação térmica + resoluçãoExercícios complementares - dilatação térmica + resolução
Exercícios complementares - dilatação térmica + resolução
 
Exercicios ufba-mono-bifasico
Exercicios ufba-mono-bifasicoExercicios ufba-mono-bifasico
Exercicios ufba-mono-bifasico
 
Exercicios de 12 a 15
Exercicios de 12 a 15Exercicios de 12 a 15
Exercicios de 12 a 15
 

Último

Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 

Cap5

  • 1. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA “LUIZ DE QUEIROZ” HIDRÁULICA: EXERCÍCIOS Sérgio Nascimento Duarte Prof. Dr. – Dpto. de Eng. Rural Tarlei Arriel Botrel Prof. Livre Docente – Dpto. de Eng. Rural Raquel Aparecida Furlan Pós-Graduanda- Dpto. de Eng. Rural Piracicaba, 1996
  • 2. Exercícios de Condutos Forçados - Fórmulas para o Cálculo da perda de carga; adutoras por gravidade. 1) Caracterize o tipo de escoamento numa canalização de 10" de diâmetro que transporta 360.000 1/h de água à 20 graus C. Considere a viscosidade cinemática, à referida temperatura, 10-6 m2 /s. 2) Qual a máxima velocidade de escoamento de: a) água; b) óleo lubrificante SAE-30 à temperatura de 40 graus C, numa tubulação de 300 mm sob regime lamelar ? Dados de viscosidade cinemática: - água à 40 graus C = 0,66 x 10 m2/s - óleo lubrificante SAE-30 à 40 graus C = 1,0 x 10-4 m2 /s 3) Uma tubulação de aço, com 10" de diâmetro e 1600m de comprimento, transporta 1.892.500 1/dia de óleo combustível a uma temperatura de 25 graus C. Sabendo que a viscosidade cinemática ao referido fluido àquela temperatura é da ordem de 0,00130 m2 /s, responda: a) Qual o regime de escoamento a que está submetido o fluido em questão ? b) Qual a perda de carga normal ao longo do referido oleoduto ? 4) Uma tubulação nova, de ferro fundido, de 0,150m de diâmetro, trabalha com água, à velocidade de 3m/seg, sendo a temperatura de 1,7 graus C. Qual a perda de carga numa extensão de 600m ? Usar a Fórmula Universal). Dado : L = 0,00025 m 5) Se a temperatura da água, no exercício 4, elevar-se a 80 graus C, qual será o novo valor da perda de carga ? 6) Uma canalização nova de 25 mm de diâmetro e 200 m de comprimento, feita de cimento amianto, conduz água a uma temperatura igual a 20 graus de C e vazão de 1 l/s. Calcule a perda de carga através da Fórmula Universal. Dado : ε = 0,000025 m. 7) Uma bomba deverá recalcar água a 20 graus C em uma canalização de ferro fundido com 250 mm de diâmetro e 1.200m de comprimento, vencendo um desnível de 30m, da bomba ao reservatório superior. A vazão é de 45 1/s. Qual deverá ser a pressão na saída da bomba? Usar a Fórmula Universal. Dado: ε = 0,0003. 8) Calcular a energia perdida pelo atrito em cv, num tubo, devido ao escoamento de 375 500 l/dia de óleo combustível pesado. À temperatura de 33 graus C (ν = 0,0000777 m2 /s) através de uma tubulação nova de aço, de 90 m de comprimento e 100 mm de diâmetro. (Usar a Fórmula Universal). Dado : ε = 0,00005; d.óleo = 0,902 9) Calcule a perda de carga localizada proporcionada pelo registro de gaveta semi-aberto no ponto 3 da figura abaixo. (Use a Fórmula Universal para o cálculo da perda de carga ao longo da canalização; despreze as perdas nas curvas). Dados: Diâmetro da tubulação = 25 mm; ε = 0,000025 m; Q = 1,0 l/s; Pressão (1) = 6 Kgf/cm2 ; Pressão (2) = 1 Kgf/cm2 ; ν = 1,01 x 10-6 m2 /s.
  • 3. 10) A adutora de ferro fundido (ε = 0,4 mm ) da figura abaixo possui diâmetro igual a 100 mm, comprimento igual a 500 m e conduz a água a uma temperatura de 20 graus C. Estime a perda de carga localizada proporcionada pela válvula V para que a vazão seja de 12 l/s. (Usar a Fórmula Universal). 11) Uma canalização de ferro-fundido (ε = 0,00026 m) com 0,15 m de diâmetro e 360 m de extensão, escoa água a uma temperatura de 26,5 graus C. Calcule a velocidade e a vazão, quando a perda de carga for de 9,3 m.c.a., através da Fórmula Universal. 12) Num conduto cilíndrico de ferro-fundido de diâmetro igual a 0,10 m de rugosidade absoluta ε = 0,00025 m, está escoando água à temperatura e 4 graus C, com perda de carga unitária J = 0,0115 m/m. Pede-se a vazão, através da fórmula Universal. 13) Se a temperatura da água, no exercício 12 elevar-se a 80 graus C, qual a vazão de escoamento, sob a mesma perda de carga ?. 14) Um óleo cuja densidade é de 0,902 escoa-se por uma tubulação de vidro, de 1,20 m de comprimento e 6 mm de diâmetro, com a perda de carga de 162,5 mm de óleo. A descarga medida é de 184 g* em 5 min. Qual a viscosidade do óleo em poises? 15) Uma tubulação nova de aço, de 200 mm, descarrega 8500m3/dia d'água à temperatura de 15,5 graus C. Quanto conduzirá de óleo combustível médio, à mesma temperatura e sob a mesma carga? Dados: óleo 15,5 graus C = 4,41 X 10-6 m2 /s, ε = 0,00005m 16) Calcular o diâmetro de um conduto cilíndrico longo, de aço, de comprimento 360m, de rugosidade uniforme equivalentes 10 m, para a adução de água de 20 graus C (ν = 10-6 m2 /s) com a vazão de 12,0 m3 /s e sob a diferença de carga piezométrica nas seções extremas de 3,9m. 17) calcular o diâmetro que deverá assumir uma canalização de cimento amianto para transportar 20 1/s de água a 30 graus C, com uma perda de carga de 35 m em 1000m. (Usar a Fórmula Universal). Dado: ε = 0,000025. 18) Calcular o diâmetro teórico através da fórmula universal. Dados: ε = 0,000046m; Q = 19 l/s; ν = 2,78 x10-6 m2 /s; hf = 6m; L = 1200m.
  • 4. 19) Calcule o diâmetro pela Fórmula de Poiseuille, verificando em seguida o número de Reynolds para se assegurar que o movimento é laminar. Dados: Q = 100 1/s ; L = 10 Km; hf = 100m; ν(óleo) = 4 x 10-3 m2 /s 20) Qual o diâmetro de uma canalização para transportar 1.892.500 1/dia de óleo, à distância de 1600m com uma provável perda por atrito no encanamento de 3,5 Kgf/cm2 ? O óleo tem a densidade de 0,92 e a viscosidade cinemática de 0,00130m2 /s. 2l) Dimensionar uma tubulação de PVC para transportar água do reservatório Rl ao ponto ( do esquema abaixo. Dados: Q = 3 l/s; distância = 1000m. OBS: Desprezar perdas de carga localizadas e usar a Fórmula de FLAMANT 22) A água é recalcada por um tubo novo de ferro galvanizado de 50 mm de diâmetro, para um reservatório situado no sótão de um edifício. A pressão a saída da bomba e 14 Kgf/cm2 . Qual será a pressão num ponto situado 75m acima quando a descarga for de 580 1/min? Usar a Fórmula de Flamant). 23) Calcule o diâmetro teórico da canalização da figura abaixo, pela fórmula de Flamant (b=0,000135), para uma vazão de 4 1/s, de forma que a linha piezométrica mantenha-se paralela ao eixo da canalização. 24) Dois reservatórios que abastecem uma propriedade agrícola estão interligados por um encanamento de ferro fundido usado (n=0,015), com 8 Km de comprimento. Um está localizado na cota 186,0 e outro na cota 166,0. Pede-se: a) o diâmetro teórico da tubulação para que o reservatório mais elevado forneça ao outro cerca de 2635 m3, em 12 horas de operação. b) Fazer o ajuste para o diâmetro comerciai. c) Calcular o tempo efetivo para o fornecimento do volume estabelecido no item "a", utilizando-se o diâmetro comercial. OBS.: Usar a Fórmula de Manning. 25) Uma bomba instalada na cota 200,0m recalca 30 1/s, através de uma tubulação com 0,15m de diâmetro e 800m de comprimento, para um 'reservatório cujo NA situa-se na cota 250,0m. Determinar a pressão do conduto distante 600,0m da bomba e tendo cota igual a 240,0m. (Usar a Fórmula de Manning e adotar n= 0,013). 26) Utilizando a equação de Hazen-Williams, calcular a vazão que pode ser obtida com uma adutora de ferro fundido com 15 anos de uso (c=100), 200 mm de diâmetro e 3.200 1 de comprimento, alimentada por um reservatório cujo nível na cota 338. O conduto descarrega à atmosfera na cota 290. a) Desprezando a perda de carga localizada na salda do reservatório e a energia cinética.
  • 5. b) Considerando a perda de carga localizada na salda do reservatório igual a 0,5 v2 /2g e a energia cinética (v2 /2g). 27) Uma canalização de ferro fundido (c=- 100), de 1000 metros de comprimento e 200 mm de diâmetro que conduz água por gravidade de um reservatório , possui na extremidade um manômetro e um registro- , como mostra a figura abaixo. Sabendo-se que o manômetro acusa uma leitura de 2 Kgf/cm2 quando o registro está totalmente fechado, calcule a vazão para uma leitura manométrica de 1,446 Kgf/cm2 . (Despreze as perdas de carga localizadas e a energia cinética; use a equação de Hazen-Williams). 28) Num conduto de ferro fundido novo, de 200 mm de diâmetro, a pressão em A é de 2,4 Kgf/cm2 , e no ponto B ê de 1,8 Kgf/cm2 . Sabendo-se que o ponto B está situado a uma distância de 1000m do ponto A, e mais elevado 1,4m em relação a este, calcule: a) O sentido do escoamento b) a vazão OBS:. Usar a Fórmula de Hazen-Williams 29) No ponto de uma tubulação de PVC de 100 mm de diâmetro, distante 610m do reservatório que o alimenta, situado 42,70m do nível d'água deste reservatório, a pressão mede 3,5Kgf/cm2 . Qual a velocidade do escoamento? (Usar Hazen-Williams). 30) Uma canalização nova de ferro fundido de 600 mm de diâmetro e 1600 m de comprimento, sai de um reservatório e descarrega livremente no ar. Se o centro de sua boca estiver 3m abaixo do volume d'água no reservatório e for ela assentada a declividade de 2 por 1000, qual será a descarga? (Usar Hazen-Williams). 31) Uma adutora de ferro fundido novo de 250 mm de diâmetro conduz uma vazão de 50 1/s. Estime qual será a vazão após 40 anos de uso. (Usar a Fórmula de Hazen-Williams). 32) Por uma tubulação incrustada, em tubos de ferro fundido de 150 mm de diâmetro, a água circula com 2,44 m/s de velocidade média. Em um ponto deste conduto a pressão é de 27,36m, enquanto que no ponto B, distante 30,51 e 0,92m abaixo de A, a pressão vale 23,80m. Qual o provável valor do coeficiente de atrito "c" da fórmula de Hazen-Williams? 33) Os pontos A e B estão separados de 900m, numa tubulação nova de aço (c=130), de 250mm. B está 66m acima de A. Sendo a descarga de 901/s, qual a pressão em A para que, em B, ela seja de 3,5 Kgf/cm2 ? (Usar Hazen-Williams) 34) Uma canalização de ferro fundido (c=100) de 1000m de comprimento e 200mm de diâmetro conduz água de um reservatório até um ponto situado numa cota 20m abaixo. Na extremidade da canalização há um manômetro para leitura da pressão e um registro para o controle da vazão, como mostra a figura abaixo. Calcule a pressão a ser lida no manômetro, quando a vazão for a metade daquela que escoa com o registro totalmente aberto. (Despreze as perdas localizadas e a energia cinética, use a fórmula de Hazen-Williams).
  • 6. 35) Uma tubulação de ferro fundido novo de 450 mm de diâmetro transporta 190 l/s. No ponto situado 305m à jusante do reservatório de alimentação, o eixo do conduto está 24,4m abaixa do nível da água no citado reservatório. Determinar a pressão neste ponto (Usar Hazen-Williams). 36) Uma canalização de ferro fundido novo, com 250mm de diâmetro é alimentada por um reservatório cujo nível está na cota 220. Calcular a pressão no ponto de cota 180, a 1500m do reservatório, para ò vazão de 40 1/s. (Usar Hazen-Williams). 37) Calcule a pressão no saída da bomba da figura abaixo, para que o canhão hidráulico trabalhe dentro das seguintes condições: Dados: Q =12,85 m3 /h ; Ps = 3 Kgf/cm2 ; altura da haste = 3m; Tubulação de alumínio (c=135), diâmetro igual ò 50mm e comprimento igual a 200m. 38) Um reservatório cujo nível d água está localizado no cota 100 abastece o ponto (1) a 1000m de distância, localizado no cota 51, através de uma adutora de cimento amianto (C=140) de 100mm de diâmetro, com uma pressão de chegada de 10 m.c.a., como mostra o esquema abaixo. Calcule o diâmetro teórico para que ò adutora de PVC (C=150) abasteça o ponto (2) a 500m de distância, localizado no cota 61, com uma pressão de chegada de 5 m.c.a., e com a metade da vazão da adutora que abastece o ponto (1). (Usar Hazen- Willians) 39) Estime o valor da perda de carga através da: a) Fórmula Universal; b) Fórmula de Hazen-Williams; c) Fórmula de Scobey; d) Fórmula de Manning Dados: - Fluido = água à 20 graus C - Comprimento da tubulação = 500m - Material = cimento amianto - Diâmetro = 500 mm - Velocidade = 0,5 m/s 40) Estime o valor da perda de carga através da: a) Fórmula Universal; b) Fórmula de Hazen-Williams; c) Fórmula de Scobey; d) Fórmula de Manning Dados: - Fluido = água a 20 graus C; - Comprimento da tubulação = 500m
  • 7. - Material = cimento-amianto - Diâmetro = 75 mm - Velocidade = 3m/s RESPOSTAS 1) Regime turbulento (Re = 501.275) 2) a) 0,0044 m/s; b) 0,67 m/s. 3) a) Regime laminar (Re = 84,46) b) 45,5 m.c.óleo 4) 42 m.c.a. 5) 41 m.c.a. 6) 41,6 m.c.a. 7) 34,4 m.c.a. 8) 0,67 cv. 9) 9,3 m.c.a. 10) 7,7 m.c.a. 11) 1,8 m/s; 32 1/s 12) 7,1 1/s 13) 7,4 1/s 14) 0,56 poise 15 ) 7,9x103 m3 /dia 16) 1,65 m 17) 109 mm 18) 167 mm 19) 638 mm (Re=50) 20) 266 mm 21) 50 mm 22) 2,56 Kgf/cm2 23) 54,9 mm 24) a) 344 mm; b) 350 mm; c) 11 horas e 30 min. 25) 1,75 Kgf/cm2 26) a) 41,89 l/s; b) 41,82 l/s 27) 24,46 l/s 28) 28,76 l/s (A para B) 29) 1,18 m/s 30) 471,5 l/s 31) 29,23 l/s 32) 64 33) 11,25 Kgf/cm2 34) 14,46 m.c.a. 35) 23,4 m.c.a. 36) 35,7 m.c.a. 37) 5,84 Kgf/cm2 38) 66,8 m 39) a) 0,20 m.c.a.; b) 0,22 m.c.a.; c) 0,24 m.c.a.; d) 0,20 m.c.a. 40) a) 54,4 m.c.a.; b) 56,7 m.c.a.; c) 57,6 m.c.a.; d) 89,1 m.c.a. Fonte de consulta
  • 8. - Hidráulica (King, Wisler; Woodburn) - Condutos Forçados - Exercícios (E.E. UFMG - Departamento de Engenharia Hidráulica) - Exercícios sobre Encanamentos (UFRJ - Departamento de Engenharia) - O emprego da Fórmula Universal de perda de carga e as limitações das Fórmulas Empíricas (Tufi Mamed Assy).