SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE
PERNAMBUCO
DISCIPLINA: BIOFÍSICA E FÍSICA
PROFESSORA: MARGARETH MAYER
Cibely Souza
Diana Araújo
Karine Matos
Taciana Lemos
Renan Francisco

Recife, Setembro de 2013
São ondas mecânicas
que necessitam de um
meio material para se
propagarem.
 É o número de oscilações
por unidade de tempo.
 Som grave: Aquele que é
 Hertz,por uma fonte sonora
emitido simbolizado
por Hz, com baixa
que vibraque equivale a uma
oscilação
frequência. por segundo.
 Som agudo: O que vibra
com uma alta frequência.
 Sons: Frequências entre
20 Hz e 20.000 Hz.
Ultrassons: Frequências
acima de 20.000 Hz.
Infrassons: Frequências
abaixo de 20 Hz.
 Audição

 Equilíbrio
Orelha externa.
Inclui:
Como funciona?
 Pavilhão auricular
 Meato acústico externo captar as
O pavilhão auricular irá
 Membrana timpânica. serão
ondas sonoras, que
conduzidas pelo meato acústico
externo, até chegar à membrana
timpânica, que vibrará.
Orelha Média.
Como Funciona?
Inclui :
Estes três martelo estão
O ossículos
ligados à membrana
Obs. A tubaA bigornatimpânica
auditiva também está
e orelha interna, transmitindo a
presente na orelha estribo
média, mantendo
Ovibrações.
as aérea.
pressão
Orelha Interna.
Como Funciona?
Inclui:
o cóclea contendo
Asom é processado pela
cóclea e as informações que
fluidos.o equilíbrio são
afetam
Obs. Tal processo dispara uma reação
processadas pelos canais
química que transmite a mensagem
semicirculares.
para a extensão do cérebro
responsável por interpretar a audição.
A flexão dos cílios nos pontos de contato com a membrana tectórica
excita as células sensoriais, gerando impulsos nervosos nas
pequenas terminações nervosas filamentares da cóclea que enlaçam
essas células.
No cérebro:
Os impulsos nervosos
causados pela
transmissão do som
na orelha interna,
serão identificados,
interpretados e
discriminados pelo
córtex auditivo.
3
4

1

2
1. O som entra;
2. O fundo do copo vibra rapidamente;
3. A vibração é transmitida para o barbante que
vibra o fundo do segundo copo;
4. O som sai
Surdez de condução.
É aquela que afeta o ouvido externo ou médio e acontece
É causada por:
quando asTratamento:
ondas sonoras não são bem conduzidas para
o ouvido Excesso de cera no ouvido;
 interno.
 Remédios;
 Infecções no ouvido;
 Cirurgias;
 Imobilização de um ou mais
ossinhos do ouvido
Surdez Nervosa.
É a forma mais comum de surdez. As causas podem ser
Existem muitas causas da surdez do
várias desde problemas menores como diminuição na
nervo.
irrigação sangüínea do ouvido até mais sérias como
tumores cerebrais.
Duas das mais comuns são:
 Exposição à ruído de alta
intensidade ou sons altos.
 Presbiacusia (surdez pela idade)
Teste de Weber;
Um diapasão vibrante é colocado no plano
sagital em contato com a testa para verificar
ambos os ouvidos.
Teste de Rinne;
Ele compara a percepção dos sons transmitidos
pelo ar ou através da condução óssea do osso
temporal. Desta maneira, pode-se suspeitar se
tem perda auditiva condutiva.
Teste da Orelhinha;
Um teste simples feito 48 horas após o
nascimento do bebê pode detectar se ele
tem algum problema auditivo.
Consiste em:
Um microfone;
Um amplificador;
Um receptor;
Entrada do som;
Processamento;
O microfone capta osom; (energia acústica) que trafega no
Saída do som
Os Obs. O processo acontece muito rapidamente: existem
números binários são analisados e manipulados
ar. No amplificador a energia acústica é transformada
por um chip digital (DSP) para executar conversor
milhões de troca os sinais elétricos um ações em
em sinais elétricos. Uma vez convertida, aparelho auditivo a
O receptor cálculos ocorrendo no novamente
complexas e precisas. Esta série de número
cada são sinais
analógico ou digital (A/D) troca estesenviados peloé em
sinais acústicos, e estes segundo. elétricos
canal
então convertida novamente em sinais1´s).
elétricos
números binários ou até o tímpano.
auditivo dígitos ( 0´s e
pelo conversor analógico ou digital (A/D).
Não utilize cotonetes na limpeza do ouvido;
Evite o uso de fones de ouvido;
Não usar soluções ou remédios caseiros na
orelha;
Não faça lavagens na orelha sem orientação
médica;
Caso haja infecção ou perfuração do tímpano, não
molhe a orelha;
Não pingar medicamento sem orientação médica;
Ao primeiro sinal de dificuldade auditiva, dor ou
incômodo procure um médico;
AUDIOFLEXX. Disponível em: <http://audioflexx.com.br/audicao.php>.
Acesso em: 12 de Set. de 2013
GARCIA, E. A. C. Biofísica. 1ªed. São Paulo, Sarvier, 2002.
HENEINE, Ibrahim Felippe. Biofísica básica. Rio de Janeiro: Atheneu, 19842000. 391p.
MICROSOM. Disponível em: <http://www.microsom.com.br/aparelhosauditivos/como-funcionam-os-aparelhos-auditivos/>. Acesso em: 12 de Set. de
2013
OKUNO, Emico; CALDAS, Iberê Luiz; CHOW, Cecil. Física para ciências
biológicas e biomédicas. São Paulo: HARBRA, 1986. 490 p.
OTORRINOS HOSPITAL. Disponível em:
<http://www.otorrinoshospital.com.br/como-cuidar-da-sua-audicao.html>.
Acesso em: 12 de Set. de 2013
WEBARTIGOS. Disponível em:
<http://www.webartigos.com/artigos/biofisica-da-audicao/40489/>. Acesso
em: 12 de Set. de 2013
Biofísica da audição

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ondas Sonoras
Ondas SonorasOndas Sonoras
Ondas Sonoras
Rita Cunha
 
Acústica
AcústicaAcústica
Apresentação sistema auditivo
Apresentação sistema auditivoApresentação sistema auditivo
Apresentação sistema auditivo
Vanessa Paiva
 
A audição
A audição A audição
A audição
Ana Freitas
 
Tato
TatoTato
Verminoses
VerminosesVerminoses
Verminoses
emanuel
 
Estrutura auditiva e equilíbrio!
Estrutura auditiva e equilíbrio!Estrutura auditiva e equilíbrio!
Estrutura auditiva e equilíbrio!
Kaenna Santos
 
As ondas e o som
As ondas e o somAs ondas e o som
As ondas e o som
João Paulo Luna
 
Trabalho de Anatomia - Sistema Sensora
Trabalho de Anatomia - Sistema SensoraTrabalho de Anatomia - Sistema Sensora
Trabalho de Anatomia - Sistema Sensora
Mayara Felipe
 
Aula 08 sistema sensorial - anatomia e fisiologia
Aula 08   sistema sensorial - anatomia e fisiologiaAula 08   sistema sensorial - anatomia e fisiologia
Aula 08 sistema sensorial - anatomia e fisiologia
Hamilton Nobrega
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Catir
 
Anátomo fisiologia do ouvido
Anátomo fisiologia do ouvidoAnátomo fisiologia do ouvido
Anátomo fisiologia do ouvido
Karina Cunha
 
V.1 órgãos dos sentidos.
V.1 órgãos dos sentidos.V.1 órgãos dos sentidos.
V.1 órgãos dos sentidos.
Rebeca Vale
 
Ondas 9° ano cec
Ondas 9° ano cecOndas 9° ano cec
Ondas 9° ano cec
Sergio Madureira
 
Sistema Sensorial Completo
Sistema Sensorial CompletoSistema Sensorial Completo
Sistema Sensorial Completo
Renata Oliveira
 
Audição
AudiçãoAudição
Ondas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticasOndas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticas
Lucas Sabadini
 
Sistema sensorial humano
Sistema sensorial humanoSistema sensorial humano
Sistema sensorial humano
Elisa Margarita Orlandi
 
A pele é o sentido do tato
A pele é o sentido do tatoA pele é o sentido do tato
A pele é o sentido do tato
robertaoliva
 
9. Sistema nervoso
9. Sistema nervoso9. Sistema nervoso
9. Sistema nervoso
Luci Freitas
 

Mais procurados (20)

Ondas Sonoras
Ondas SonorasOndas Sonoras
Ondas Sonoras
 
Acústica
AcústicaAcústica
Acústica
 
Apresentação sistema auditivo
Apresentação sistema auditivoApresentação sistema auditivo
Apresentação sistema auditivo
 
A audição
A audição A audição
A audição
 
Tato
TatoTato
Tato
 
Verminoses
VerminosesVerminoses
Verminoses
 
Estrutura auditiva e equilíbrio!
Estrutura auditiva e equilíbrio!Estrutura auditiva e equilíbrio!
Estrutura auditiva e equilíbrio!
 
As ondas e o som
As ondas e o somAs ondas e o som
As ondas e o som
 
Trabalho de Anatomia - Sistema Sensora
Trabalho de Anatomia - Sistema SensoraTrabalho de Anatomia - Sistema Sensora
Trabalho de Anatomia - Sistema Sensora
 
Aula 08 sistema sensorial - anatomia e fisiologia
Aula 08   sistema sensorial - anatomia e fisiologiaAula 08   sistema sensorial - anatomia e fisiologia
Aula 08 sistema sensorial - anatomia e fisiologia
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Anátomo fisiologia do ouvido
Anátomo fisiologia do ouvidoAnátomo fisiologia do ouvido
Anátomo fisiologia do ouvido
 
V.1 órgãos dos sentidos.
V.1 órgãos dos sentidos.V.1 órgãos dos sentidos.
V.1 órgãos dos sentidos.
 
Ondas 9° ano cec
Ondas 9° ano cecOndas 9° ano cec
Ondas 9° ano cec
 
Sistema Sensorial Completo
Sistema Sensorial CompletoSistema Sensorial Completo
Sistema Sensorial Completo
 
Audição
AudiçãoAudição
Audição
 
Ondas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticasOndas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticas
 
Sistema sensorial humano
Sistema sensorial humanoSistema sensorial humano
Sistema sensorial humano
 
A pele é o sentido do tato
A pele é o sentido do tatoA pele é o sentido do tato
A pele é o sentido do tato
 
9. Sistema nervoso
9. Sistema nervoso9. Sistema nervoso
9. Sistema nervoso
 

Destaque

biofisica som
biofisica sombiofisica som
biofisica som
Adila Trubat
 
filogenia das algas
filogenia das algasfilogenia das algas
filogenia das algas
karinemc18
 
Radioatividade 15 08-13
Radioatividade 15 08-13Radioatividade 15 08-13
Radioatividade 15 08-13
karinemc18
 
Biofísica (eduardo ac garcia)
Biofísica (eduardo ac garcia)Biofísica (eduardo ac garcia)
Biofísica (eduardo ac garcia)
Anderson Santana
 
Aminoácidos e peptídios 2013
Aminoácidos e peptídios 2013Aminoácidos e peptídios 2013
Aminoácidos e peptídios 2013
karinemc18
 
EndNote X3 - carregamento por ligação de referências
EndNote X3 - carregamento por ligação de referênciasEndNote X3 - carregamento por ligação de referências
EndNote X3 - carregamento por ligação de referências
Bibliotecas da Universidade de Aveiro
 
fisica
fisicafisica
fisica
arelis15
 
Aula sintese proteica romero brandao - 2013
Aula   sintese proteica romero brandao - 2013Aula   sintese proteica romero brandao - 2013
Aula sintese proteica romero brandao - 2013
karinemc18
 
Biofísica
Biofísica Biofísica
Plano ensino ementa_quimica
Plano ensino ementa_quimicaPlano ensino ementa_quimica
Plano ensino ementa_quimica
angquisena
 
Operadores Booleanos
Operadores BooleanosOperadores Booleanos
Operadores Booleanos
guest517cb4
 
Membrana plasmática #1
Membrana plasmática #1Membrana plasmática #1
Membrana plasmática #1
icsanches
 
Efeitos biológicos das radiações (1)
Efeitos biológicos das radiações (1)Efeitos biológicos das radiações (1)
Efeitos biológicos das radiações (1)
karinemc18
 
Biofisica
BiofisicaBiofisica
Órgãos dos sentidos
Órgãos dos sentidos Órgãos dos sentidos
Órgãos dos sentidos
Matheus Faria do Valle
 
Membrana E Transporte
Membrana E TransporteMembrana E Transporte
Membrana E Transporte
Nutricionista
 
Biofísica das membranas
Biofísica das membranasBiofísica das membranas
Biofísica das membranas
karinemc18
 
Perda auditiva induzida_por_ruido_-_pair
Perda auditiva induzida_por_ruido_-_pairPerda auditiva induzida_por_ruido_-_pair
Perda auditiva induzida_por_ruido_-_pair
pamcolbano
 
Trabalho visao biofisica
Trabalho visao biofisicaTrabalho visao biofisica
Trabalho visao biofisica
Gabriela Tiburcio
 
Slide biofísica original
Slide biofísica  originalSlide biofísica  original
Slide biofísica original
Rafael Silva
 

Destaque (20)

biofisica som
biofisica sombiofisica som
biofisica som
 
filogenia das algas
filogenia das algasfilogenia das algas
filogenia das algas
 
Radioatividade 15 08-13
Radioatividade 15 08-13Radioatividade 15 08-13
Radioatividade 15 08-13
 
Biofísica (eduardo ac garcia)
Biofísica (eduardo ac garcia)Biofísica (eduardo ac garcia)
Biofísica (eduardo ac garcia)
 
Aminoácidos e peptídios 2013
Aminoácidos e peptídios 2013Aminoácidos e peptídios 2013
Aminoácidos e peptídios 2013
 
EndNote X3 - carregamento por ligação de referências
EndNote X3 - carregamento por ligação de referênciasEndNote X3 - carregamento por ligação de referências
EndNote X3 - carregamento por ligação de referências
 
fisica
fisicafisica
fisica
 
Aula sintese proteica romero brandao - 2013
Aula   sintese proteica romero brandao - 2013Aula   sintese proteica romero brandao - 2013
Aula sintese proteica romero brandao - 2013
 
Biofísica
Biofísica Biofísica
Biofísica
 
Plano ensino ementa_quimica
Plano ensino ementa_quimicaPlano ensino ementa_quimica
Plano ensino ementa_quimica
 
Operadores Booleanos
Operadores BooleanosOperadores Booleanos
Operadores Booleanos
 
Membrana plasmática #1
Membrana plasmática #1Membrana plasmática #1
Membrana plasmática #1
 
Efeitos biológicos das radiações (1)
Efeitos biológicos das radiações (1)Efeitos biológicos das radiações (1)
Efeitos biológicos das radiações (1)
 
Biofisica
BiofisicaBiofisica
Biofisica
 
Órgãos dos sentidos
Órgãos dos sentidos Órgãos dos sentidos
Órgãos dos sentidos
 
Membrana E Transporte
Membrana E TransporteMembrana E Transporte
Membrana E Transporte
 
Biofísica das membranas
Biofísica das membranasBiofísica das membranas
Biofísica das membranas
 
Perda auditiva induzida_por_ruido_-_pair
Perda auditiva induzida_por_ruido_-_pairPerda auditiva induzida_por_ruido_-_pair
Perda auditiva induzida_por_ruido_-_pair
 
Trabalho visao biofisica
Trabalho visao biofisicaTrabalho visao biofisica
Trabalho visao biofisica
 
Slide biofísica original
Slide biofísica  originalSlide biofísica  original
Slide biofísica original
 

Semelhante a Biofísica da audição

Edicao13 Declaracao De Guerra Ao Ruido
Edicao13 Declaracao De Guerra Ao RuidoEdicao13 Declaracao De Guerra Ao Ruido
Edicao13 Declaracao De Guerra Ao Ruido
Santos de Castro
 
Protecao henrique
Protecao henriqueProtecao henrique
Protecao henrique
Fernanda Checchinato
 
Som - Física - Documento completo
Som - Física - Documento completoSom - Física - Documento completo
Som - Física - Documento completo
danf97
 
Situação de aprendizagem grupo 3
Situação de aprendizagem grupo 3Situação de aprendizagem grupo 3
Situação de aprendizagem grupo 3
Mariana D Silva Mendonça
 
Atividade do grupo 5
Atividade do  grupo 5Atividade do  grupo 5
Atividade do grupo 5
Mariana D Silva Mendonça
 
PROTEÇÃO AUDITIVA .pptx
PROTEÇÃO AUDITIVA .pptxPROTEÇÃO AUDITIVA .pptx
PROTEÇÃO AUDITIVA .pptx
Junior Segurança
 
Treinamento de Proteção Auditiva 2023.pp
Treinamento de Proteção Auditiva 2023.ppTreinamento de Proteção Auditiva 2023.pp
Treinamento de Proteção Auditiva 2023.pp
ssuser238e8f
 
Saúde Auditiva
Saúde AuditivaSaúde Auditiva
Saúde Auditiva
andreleite41
 
Poluiosonora 090516115720-phpapp02
Poluiosonora 090516115720-phpapp02Poluiosonora 090516115720-phpapp02
Poluiosonora 090516115720-phpapp02
João Marques
 
Órgão sensorial - Audição
Órgão sensorial - AudiçãoÓrgão sensorial - Audição
Órgão sensorial - Audição
Francisco Erivan
 
A poluição sonora
A poluição sonoraA poluição sonora
A poluição sonora
Carlos Barros
 
PoluiçãO Sonora
PoluiçãO SonoraPoluiçãO Sonora
PoluiçãO Sonora
ecsette
 
ATUAÇÃO FONOAUDIOLOGIA NA ÁREA DA AUDIOLOGIA VOLTADA A SAÚDE DO TRABALHADOR
ATUAÇÃO FONOAUDIOLOGIA NA ÁREA DA AUDIOLOGIA VOLTADA A SAÚDE DO TRABALHADORATUAÇÃO FONOAUDIOLOGIA NA ÁREA DA AUDIOLOGIA VOLTADA A SAÚDE DO TRABALHADOR
ATUAÇÃO FONOAUDIOLOGIA NA ÁREA DA AUDIOLOGIA VOLTADA A SAÚDE DO TRABALHADOR
Unoeste
 
O som e a saúde
O som e a saúdeO som e a saúde
O som e a saúde
osomeasaude
 
Exposição ocupacional ao ruído em marmoria localizada no município de uberaba mg
Exposição ocupacional ao ruído em marmoria localizada no município de uberaba mgExposição ocupacional ao ruído em marmoria localizada no município de uberaba mg
Exposição ocupacional ao ruído em marmoria localizada no município de uberaba mg
Clailon Breno
 
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
Mara Pitrez
 
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
Mara Pitrez
 
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
Mara Pitrez
 
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
Mara Pitrez
 
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
Mara Pitrez
 

Semelhante a Biofísica da audição (20)

Edicao13 Declaracao De Guerra Ao Ruido
Edicao13 Declaracao De Guerra Ao RuidoEdicao13 Declaracao De Guerra Ao Ruido
Edicao13 Declaracao De Guerra Ao Ruido
 
Protecao henrique
Protecao henriqueProtecao henrique
Protecao henrique
 
Som - Física - Documento completo
Som - Física - Documento completoSom - Física - Documento completo
Som - Física - Documento completo
 
Situação de aprendizagem grupo 3
Situação de aprendizagem grupo 3Situação de aprendizagem grupo 3
Situação de aprendizagem grupo 3
 
Atividade do grupo 5
Atividade do  grupo 5Atividade do  grupo 5
Atividade do grupo 5
 
PROTEÇÃO AUDITIVA .pptx
PROTEÇÃO AUDITIVA .pptxPROTEÇÃO AUDITIVA .pptx
PROTEÇÃO AUDITIVA .pptx
 
Treinamento de Proteção Auditiva 2023.pp
Treinamento de Proteção Auditiva 2023.ppTreinamento de Proteção Auditiva 2023.pp
Treinamento de Proteção Auditiva 2023.pp
 
Saúde Auditiva
Saúde AuditivaSaúde Auditiva
Saúde Auditiva
 
Poluiosonora 090516115720-phpapp02
Poluiosonora 090516115720-phpapp02Poluiosonora 090516115720-phpapp02
Poluiosonora 090516115720-phpapp02
 
Órgão sensorial - Audição
Órgão sensorial - AudiçãoÓrgão sensorial - Audição
Órgão sensorial - Audição
 
A poluição sonora
A poluição sonoraA poluição sonora
A poluição sonora
 
PoluiçãO Sonora
PoluiçãO SonoraPoluiçãO Sonora
PoluiçãO Sonora
 
ATUAÇÃO FONOAUDIOLOGIA NA ÁREA DA AUDIOLOGIA VOLTADA A SAÚDE DO TRABALHADOR
ATUAÇÃO FONOAUDIOLOGIA NA ÁREA DA AUDIOLOGIA VOLTADA A SAÚDE DO TRABALHADORATUAÇÃO FONOAUDIOLOGIA NA ÁREA DA AUDIOLOGIA VOLTADA A SAÚDE DO TRABALHADOR
ATUAÇÃO FONOAUDIOLOGIA NA ÁREA DA AUDIOLOGIA VOLTADA A SAÚDE DO TRABALHADOR
 
O som e a saúde
O som e a saúdeO som e a saúde
O som e a saúde
 
Exposição ocupacional ao ruído em marmoria localizada no município de uberaba mg
Exposição ocupacional ao ruído em marmoria localizada no município de uberaba mgExposição ocupacional ao ruído em marmoria localizada no município de uberaba mg
Exposição ocupacional ao ruído em marmoria localizada no município de uberaba mg
 
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
 
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
 
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
 
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
 
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
áRea De Projecto Final AprsentaçãO 2009 2010
 

Último

A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 

Biofísica da audição

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DISCIPLINA: BIOFÍSICA E FÍSICA PROFESSORA: MARGARETH MAYER Cibely Souza Diana Araújo Karine Matos Taciana Lemos Renan Francisco Recife, Setembro de 2013
  • 2. São ondas mecânicas que necessitam de um meio material para se propagarem.
  • 3.  É o número de oscilações por unidade de tempo.  Som grave: Aquele que é  Hertz,por uma fonte sonora emitido simbolizado por Hz, com baixa que vibraque equivale a uma oscilação frequência. por segundo.  Som agudo: O que vibra com uma alta frequência.
  • 4.  Sons: Frequências entre 20 Hz e 20.000 Hz. Ultrassons: Frequências acima de 20.000 Hz. Infrassons: Frequências abaixo de 20 Hz.
  • 6. Orelha externa. Inclui: Como funciona?  Pavilhão auricular  Meato acústico externo captar as O pavilhão auricular irá  Membrana timpânica. serão ondas sonoras, que conduzidas pelo meato acústico externo, até chegar à membrana timpânica, que vibrará.
  • 7.
  • 8. Orelha Média. Como Funciona? Inclui : Estes três martelo estão O ossículos ligados à membrana Obs. A tubaA bigornatimpânica auditiva também está e orelha interna, transmitindo a presente na orelha estribo média, mantendo Ovibrações. as aérea. pressão
  • 9.
  • 10. Orelha Interna. Como Funciona? Inclui: o cóclea contendo Asom é processado pela cóclea e as informações que fluidos.o equilíbrio são afetam Obs. Tal processo dispara uma reação processadas pelos canais química que transmite a mensagem semicirculares. para a extensão do cérebro responsável por interpretar a audição.
  • 11.
  • 12. A flexão dos cílios nos pontos de contato com a membrana tectórica excita as células sensoriais, gerando impulsos nervosos nas pequenas terminações nervosas filamentares da cóclea que enlaçam essas células.
  • 13. No cérebro: Os impulsos nervosos causados pela transmissão do som na orelha interna, serão identificados, interpretados e discriminados pelo córtex auditivo.
  • 14.
  • 15. 3 4 1 2 1. O som entra; 2. O fundo do copo vibra rapidamente; 3. A vibração é transmitida para o barbante que vibra o fundo do segundo copo; 4. O som sai
  • 16. Surdez de condução. É aquela que afeta o ouvido externo ou médio e acontece É causada por: quando asTratamento: ondas sonoras não são bem conduzidas para o ouvido Excesso de cera no ouvido;  interno.  Remédios;  Infecções no ouvido;  Cirurgias;  Imobilização de um ou mais ossinhos do ouvido
  • 17. Surdez Nervosa. É a forma mais comum de surdez. As causas podem ser Existem muitas causas da surdez do várias desde problemas menores como diminuição na nervo. irrigação sangüínea do ouvido até mais sérias como tumores cerebrais. Duas das mais comuns são:  Exposição à ruído de alta intensidade ou sons altos.  Presbiacusia (surdez pela idade)
  • 18. Teste de Weber; Um diapasão vibrante é colocado no plano sagital em contato com a testa para verificar ambos os ouvidos.
  • 19. Teste de Rinne; Ele compara a percepção dos sons transmitidos pelo ar ou através da condução óssea do osso temporal. Desta maneira, pode-se suspeitar se tem perda auditiva condutiva.
  • 20. Teste da Orelhinha; Um teste simples feito 48 horas após o nascimento do bebê pode detectar se ele tem algum problema auditivo.
  • 21. Consiste em: Um microfone; Um amplificador; Um receptor;
  • 22. Entrada do som; Processamento; O microfone capta osom; (energia acústica) que trafega no Saída do som Os Obs. O processo acontece muito rapidamente: existem números binários são analisados e manipulados ar. No amplificador a energia acústica é transformada por um chip digital (DSP) para executar conversor milhões de troca os sinais elétricos um ações em em sinais elétricos. Uma vez convertida, aparelho auditivo a O receptor cálculos ocorrendo no novamente complexas e precisas. Esta série de número cada são sinais analógico ou digital (A/D) troca estesenviados peloé em sinais acústicos, e estes segundo. elétricos canal então convertida novamente em sinais1´s). elétricos números binários ou até o tímpano. auditivo dígitos ( 0´s e pelo conversor analógico ou digital (A/D).
  • 23. Não utilize cotonetes na limpeza do ouvido; Evite o uso de fones de ouvido; Não usar soluções ou remédios caseiros na orelha; Não faça lavagens na orelha sem orientação médica; Caso haja infecção ou perfuração do tímpano, não molhe a orelha; Não pingar medicamento sem orientação médica; Ao primeiro sinal de dificuldade auditiva, dor ou incômodo procure um médico;
  • 24. AUDIOFLEXX. Disponível em: <http://audioflexx.com.br/audicao.php>. Acesso em: 12 de Set. de 2013 GARCIA, E. A. C. Biofísica. 1ªed. São Paulo, Sarvier, 2002. HENEINE, Ibrahim Felippe. Biofísica básica. Rio de Janeiro: Atheneu, 19842000. 391p. MICROSOM. Disponível em: <http://www.microsom.com.br/aparelhosauditivos/como-funcionam-os-aparelhos-auditivos/>. Acesso em: 12 de Set. de 2013 OKUNO, Emico; CALDAS, Iberê Luiz; CHOW, Cecil. Física para ciências biológicas e biomédicas. São Paulo: HARBRA, 1986. 490 p. OTORRINOS HOSPITAL. Disponível em: <http://www.otorrinoshospital.com.br/como-cuidar-da-sua-audicao.html>. Acesso em: 12 de Set. de 2013 WEBARTIGOS. Disponível em: <http://www.webartigos.com/artigos/biofisica-da-audicao/40489/>. Acesso em: 12 de Set. de 2013