SlideShare uma empresa Scribd logo
Prof. Rafael Rocha Santos Dias
Fundamentos da Eletroeletrônica
• Eletrostática
INTRODUÇÃO
• No século XVI, o inglês William Gilbert verificou que
além do âmbar, diversas substâncias se eletrizavam
ao ser atritada, ele chamou esses materiais de
elétricos.
• Em 1660, o cientista Otto Von Guericke (1602-1686)
inventou a primeira máquina eletrostática.
• Otto fez várias experiências com objetos, e descobriu
que alguns materiais eletrizados pela máquina
podiam repelir outros objetos.
INTRODUÇÃO
INTRODUÇÃO
• No século XVIII, o cientista inglês Stephen Gray
(1670-1736), após inúmeras experiências e
conceitos, criou a distinção entre os corpos que
conduziam corrente elétrica (condutores) e os que
não conduziam (isolantes).
• Charles François Dufay (1668-1739), notou que os
corpos poderiam ser eletrizados com cargas
diferentes.
• Em 1747, a ideia de carga positiva e negativa é
introduzida por Benjamin Franklin (1706-1790).
ÁTOMO
NÚCLEO
Átomo é a partícula que constitui a matéria, ou seja, é tudo
aquilo que possui massa e volume. É dividido basicamente em duas
regiões: o núcleo, de caráter positivo, e a eletrosfera, de caráter
negativo.
ELETROSFERA
ÁTOMO
O átomo,
apesar de não ser
perceptível a olho nu
ou com os melhores
instrumentos ópticos,
pode ser estudado e
compreendido por
meio de modelos, os
quais foram se
desenvolvendo
conjuntamente com a
ciência.
CARGA ELÉTRICA
• É uma propriedade ligada à natureza de um corpo
responsável pela interação elétrica entre os corpos,
ou seja, de atração e repulsão.
CARGA ELÉTRICA
• PORTADORES DE CARGA:
• Elétrons - que transportam carga negativa
• Prótons – que possuem carga positiva
CARGA ELÉTRICA
ÁTOMO TEM O MESMO NÚMERO
DE PRÓTONS E ELÉTRONS.
ÁTOMOS
NEUTROS
CARGA ELÉTRICA
ÍONS - Os íons são espécies químicas que possuem
carga elétrica e são formados por átomos neutros ao
receberem ou perderem seus elétrons.
• ÍON NEGATIVO – (ÂNION):
• ÁTOMOS QUE GANHAM ÉLETRONS
• ÍON POSITIVO – (CÁTION):
• ÁTOMOS QUE PERDEM ELÉTRONS
CARGA ELÉTRICA
CARGA ELÉTRICA
CARGA ELÉTRICA
Os íons são espécies químicas carregadas
eletricamente e são formados por átomos que perderam
ou receberam elétrons. Os cátions são íons positivos
derivados da perda de elétrons por átomos neutros. Já os
ânions são íons negativos formados pelo recebimento de
elétrons por átomos neutros.
As ligações iônicas são ligações químicas muito
fortes e formadas pela doação e pelo recebimento de
elétrons por um par cátion/ânion, que se mantêm unidos
pela forte interação eletrostática entre suas cargas.
CARGA ELÉTRICA
• PERDEU ELÉTRON • GANHOU ELÉTRON
PRINCÍPIOS DA ELETROSTÁTICA
• Princípio da Atração e Repulsão:
Polos iguais se REPELEM
PRINCÍPIOS DA ELETROSTÁTICA
• Princípio da Atração e Repulsão:
Polos diferentes se ATRAEM
Materiais Condutores e
Isolantes
A facilidade ou dificuldade dos elétrons livres se desprender e deslocar entre as
camadas de valência determina se o material é condutor ou isolante.
Átomos que possuem 1, 2 ou 3 elétrons
na camada de valência tem a facilidade de
ceder elétrons.
Átomos que possuem 5, 6 ou 7 elétrons na
camada de valência tem a facilidade de
receber elétrons.
Átomos que possuem 4 elétrons na camada de
valência não ganham e não perdem elétrons.
Condutores Isolantes
Semicondutores
Condutores
 Materiais que conduzem a eletricidade
 Os elétrons da última camada dos seus
átomos são fracamente ligados ao núcleo;
 Possuem muitos elétrons livres
Os elétrons da última órbita, ao receber energia, são libertados e tornam-se elétrons livres, cujos
movimentos são aleatórios. Isso significa que, nos condutores metálicos, a condução da eletricidade
dá-se pela movimentação dos elétrons livres
Isolantes
 Materiais que não conduzem a eletricidade
 Os elétrons são muito ligados ao núcleo nos átomos que compõem
o material
 Possuem poucos ou nenhum elétrons livres.
Os elétrons da última órbita estão fortemente ligados aos seus núcleos, ao receber energia térmica, apenas
alguns elétrons conseguem se libertar. Isso significa que, nos isolantes, a condução de eletricidade é
praticamente nula, devido a pouca existência de elétrons livres.
Condutores e Isolantes
PROCESSOS DE ELETRIZAÇÃO
Eletrização é o processo no qual um corpo,
inicialmente neutro, é eletrizado.
Neste processo os elétrons são adicionados ou
removidos de um corpo.
Existem três processos de eletrização:
• Atrito;
• Contato;
• Indução.
PROCESSOS DE ELETRIZAÇÃO
• ELETRIZAÇÃO POR ATRITO
Ocorre quando atritamos dois corpos de
substâncias diferentes (ou não), inicialmente
neutros, e haverá transferência de elétrons de
um corpo para o outro, de tal forma que um
corpo fique eletrizado positivamente (cedeu
elétrons), e outro corpo fique eletrizado
negativamente (ganhou elétrons)
• Ex: Lã e vidro
1. Inicialmente a lã e o vidro estão neutros e, portanto, em cada objeto
encontramos o mesmo número de prótons e elétrons.
2. Ao atritar os dois objetos os elétrons são transferidos do vidro para a lã.
3. Ao final do processo temos dois corpos eletrizados. O vidro carregado
positivamente e a lã negativamente.
ELETRIZAÇÃO POR ATRITO
1 2 3
SÉRIE
TRIBOELÉTRICA
A série triboelétrica é
uma tabela que indica se os
corpos ficarão positivos ou
negativos após o atrito. Cada
material irá perder elétrons se
for atritado com qualquer outro
material que possuir posição
inferior na tabela.
PROCESSOS DE ELETRIZAÇÃO
• ELETRIZAÇÃO POR CONTATO
Ocorre quando dois corpos são encostados
ou ligados por fios condutores, havendo a
passagem de elétrons de um corpo para outro.
PROCESSOS DE ELETRIZAÇÃO
• ELETRIZAÇÃO POR CONTATO
Eletrização por Contato
Ocorre quando dois objetos com cargas elétricas diferentes entram em
contato direto. Quando isso acontece, elétrons podem se transferir de um
objeto para outro, causando uma redistribuição de carga.
Eletrização por Indução
Ocorre sem um contato direto entre os objetos. Quando um objeto carregado é colocado
próximo a um objeto neutro, ele pode repelir ou atrair elétrons no objeto neutro sem que haja
contato físico entre eles. Isso resulta em uma redistribuição de cargas elétricas no objeto neutro,
criando uma separação de cargas, mas sem transferência líquida de elétrons entre os objetos.
PROCESSOS DE ELETRIZAÇÃO
• ELETRIZAÇÃO POR INDUÇÃO
A eletrização por condução consiste na
produção de cargas elétricas num condutor
inicialmente neutro quando aproximamos um
corpo eletrizado sem que haja contato.
PROCESSOS DE ELETRIZAÇÃO
• ELETRIZAÇÃO POR INDUÇÃO
Ao aproximar, por exemplo, um bastão carregado
negativamente de uma esfera de metal neutra, aquele atrairá
cargas positivas do metal, fazendo afastar o mesmo saldo de
cargas negativas. Para eletrizar então o condutor, basta aterrá-
lo, fazendo com que as cargas que não estão sendo atraídas
fluam para a Terra. Desconectando o fio terra e depois
afastando o primeiro corpo teremos o condutor eletrizado.
Note que a carga final do induzido sempre é contrária à
carga do indutor.
PROCESSOS DE ELETRIZAÇÃO
• ELETRIZAÇÃO POR INDUÇÃO
1 2
3 4
Processos de Eletrização
Corpos podem acumular cargas elétricas
após sofrer algum processo de eletrização,
geralmente gerada por atrito. Isso produz um
acumulo de cargas elétricas.
O contato desses corpos carregados com outros
corpos pode gerar descarga da eletricidade
acumulada. Isso pode causar problemas:
• Queima de componentes eletrônicos sensíveis
(processadores, memórias)
• Explosões quando em contato com material
combustível (caminhão de transporte de
combustível)
Pulseira antiestática
CARGA ELÉTRICA
CARGA ELÉTRICA
Eliminando as cargas opostas, sobrará a carga resultante.
Portanto, de quanto é esse valor numericamente?
CARGA ELÉTRICA
Após alguns experimentos foi encontrado o
seguinte valor para a carga do elétron:
PRINCÍPIOS DA CONSERVAÇÃO
DAS CARGAS ELÉTRICAS
“A soma algébrica das cargas dos corpos
constituintes de um sistema eletricamente
isolado é constante.”
PRINCÍPIOS DA CONSERVAÇÃO
DAS CARGAS ELÉTRICAS
PRINCÍPIOS DA CONSERVAÇÃO
DAS CARGAS ELÉTRICAS
CARGA ELÉTRICA
• CARGA ELEMENTAR:
• É o termo utilizado para qualificar uma carga que não poderia
ser mais dividida (menor carga elétrica encontrada na
natureza).
• Sendo a carga do elétron a menor quantidade de carga
elétrica existente na natureza, ela foi tomada como carga
padrão nas medidas de carga elétricas.
• No Sistema Internacional de Unidades, a unidade de medida
de carga elétrica é o Coulomb (C).
• Simbolicamente representada pela letra e.
• carga elementar: e = 1,6.10 - 19 C
• carga do elétron: - 1,6.10 - 19 C
• carga do próton: + 1,6.10 - 19 C
ELETRIZAÇÃO DOS CORPOS
CORPO NEUTRO
CORPO ELETRIZADO
NEGATIVAMENTE
CORPO ELETRIZADO
POSITIVAMENTE.
PRÓTONS = ELÉTRONS
PRÓTONS < ELÉTRONS
PRÓTONS > ELÉTRONS
ELETRIZAÇÃO DOS CORPOS
CARGA ELÉTRICA EM UM CORPO
Q = Carga elétrica (C)
N = Quantidade de carga elementar.
e = Carga elementar do elétron (1,6.10 - 19 C)
ELETRIZAÇÃO DOS CORPOS
CARGA ELÉTRICA EM UM CORPO
Aula 3 - Carga Elétrica e Eletrização.pptx
Exemplo - 1
ÁTOMO DE CÁLCIO
ÁTOMO DE CÁLCIO
Portanto, sabe-se que o átomo
de Cálcio possui 20 elétrons
Exemplo - 1
Agora considere que o Cálcio
perdeu 2 elétrons.
Assim, ele tornou-se o íon:
Logo, precisamos calcular o valor
da carga desse íon.
Exemplo - 1
Exemplo - 1
• Julgue Verdadeiro ou Falso os itens a seguir:
1. Um corpo que tem carga positiva possui mais prótons do que
elétrons;
2. Dizemos que um corpo é neutro quando ele possui o mesmo
número de prótons e de elétrons;
3. O núcleo do átomo é formado por elétrons e prótons.
Estão corretas as afirmativas:
a) 1 e 2 apenas
b) 2 e 3 apenas
c) 1 e 3 apenas
d) 1, 2 e 3
e) nenhuma.
Exemplo - 2
• Julgue Verdadeiro ou Falso os itens a seguir:
1. Um corpo que tem carga positiva possui mais prótons do que
elétrons;
2. Dizemos que um corpo é neutro quando ele possui o mesmo
número de prótons e de elétrons;
3. O núcleo do átomo é formado por elétrons e prótons.
Estão corretas as afirmativas:
a) 1 e 2 apenas
b) 2 e 3 apenas
c) 1 e 3 apenas
d) 1, 2 e 3
e) nenhuma.
Exemplo - 2
20Q NEUTRO
Exemplo - 3
20Q NEUTRO Qa + Qb Qa + Qb
2
Qa + Qb
2
Exemplo - 3
❑ Calcule a carga elétrica de um corpo que possui excesso
de 24 . 1012 elétrons. Considere o módulo da carga
elementar igual a 1,6 . 10-19 C.
Exemplo - 4
❑ Calcule a carga elétrica de um corpo que possui excesso
de 24 . 1012 elétrons. Considere o módulo da carga
elementar igual a 1,6 . 10-19 C.
Q = Carga elétrica (C) ???
N = Quantidade de carga elementar.
N = 24 . 1012 elétrons
e = Carga elementar (1,6.10 - 19 C)
Q = (-24 . 1012) .1,6.10 - 19
Q = -38,4.10-7
Exemplo - 4
Exemplo - 5
Exemplo - 5
Exemplo - 6
Exemplo - 6
Exemplo - 7
PARA FIXAÇÃO
Exemplo - 8
Exemplo - 8
❑ Uma esfera metálica tem carga elétrica negativa de valor
igual a 3,2 . 10-4 C. Sendo a carga do elétron igual a 1,6 10-19 C,
pode-se concluir que a esfera contém:
a) 2 . 1015 elétrons
b) 200 elétrons
c) um excesso de 2. 1015 elétrons
d) 2 . 1010 elétrons
e) um excesso de 2 . 1010 elétrons
Exemplo - 9
❑ Uma esfera metálica tem carga elétrica negativa de valor igual
a 3,2 . 10-4 C. Sendo a carga do elétron igual a 1,6 10-19 C,
pode-se concluir que a esfera contém:
a) 2 . 1015 elétrons
b) 200 elétrons
c) um excesso de 2. 1015 elétrons
d) 2 . 1010 elétrons
e) um excesso de 2 . 1010 elétrons
-3,2.10-4 = N.(-1,6.10 – 19
𝑁 =
3,2.10−4
1,6.10 – 19
𝑁 = 2.1015
(
Exemplo - 9
Exemplo - 10
Exemplo - 10
5C -3C 11C
Exemplo - 11
Exemplo - 11
Exemplo - 12
Exemplo - 13
Exemplo - 13
Exemplo - 14
O corpo tem o mesmo número de prótons e elétrons.
Logo ele está neutro (Não tem carga. Q = 0 C)
Exemplo - 14

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Aula 3 - Carga Elétrica e Eletrização.pptx

Apostila eletrostática
Apostila eletrostáticaApostila eletrostática
Apostila eletrostática
Marco Antonio Sanches
 
Eletrostática fundamentos
Eletrostática   fundamentosEletrostática   fundamentos
Eletrostática fundamentos
Marco Antonio Sanches
 
Apresentação ELETRICIDADE BÁSICA - ElectroengE.pdf
Apresentação ELETRICIDADE BÁSICA - ElectroengE.pdfApresentação ELETRICIDADE BÁSICA - ElectroengE.pdf
Apresentação ELETRICIDADE BÁSICA - ElectroengE.pdf
GustavoSousa736241
 
Processos de eletrização e Lei de Coulomb
Processos de eletrização e Lei de CoulombProcessos de eletrização e Lei de Coulomb
Processos de eletrização e Lei de Coulomb
O mundo da FÍSICA
 
Apostila de física do renato
Apostila de física do renato Apostila de física do renato
Apostila de física do renato
Wilson Tadeu Alves De Assis
 
eletricidade.pdfprofessorhistoriafisicauaiwiwiwiwisi
eletricidade.pdfprofessorhistoriafisicauaiwiwiwiwisieletricidade.pdfprofessorhistoriafisicauaiwiwiwiwisi
eletricidade.pdfprofessorhistoriafisicauaiwiwiwiwisi
kauannogueira700
 
ELETROSTÁTICA e FORÇA ELÉTRICA força eletrica .ppt
ELETROSTÁTICA e FORÇA ELÉTRICA força eletrica .pptELETROSTÁTICA e FORÇA ELÉTRICA força eletrica .ppt
ELETROSTÁTICA e FORÇA ELÉTRICA força eletrica .ppt
marioaraujorosas1
 
Apostila eja-3-serie-medio-20111
Apostila eja-3-serie-medio-20111Apostila eja-3-serie-medio-20111
Apostila eja-3-serie-medio-20111
Marcia Marcia.Cristina2
 
Eletrização
EletrizaçãoEletrização
Eletrização
07100097n36
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
Tiago Gomes da Silva
 
eletrostática
eletrostáticaeletrostática
eletrostática
Gabriel Henrike
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
Fabiane Gomes Coca
 
3º EM-FÍSICA
3º EM-FÍSICA3º EM-FÍSICA
3º EM-FÍSICA
Ana Paula C. Sousa
 
Eletrostática site
Eletrostática siteEletrostática site
Eletrostática site
fisicaatual
 
Eletrostática site
Eletrostática siteEletrostática site
Eletrostática site
fisicaatual
 
Eletriidade 1
Eletriidade 1Eletriidade 1
Eletriidade 1
Fabiana Gonçalves
 
Apostila de análise de circuitos elétricos
Apostila de análise de circuitos elétricosApostila de análise de circuitos elétricos
Apostila de análise de circuitos elétricos
luizgraf
 
Eletricidade capítulo 01
Eletricidade capítulo 01Eletricidade capítulo 01
Eletricidade capítulo 01
Antonio Tadeu Segat
 
Apostila eletricidade vol 1
Apostila eletricidade vol 1Apostila eletricidade vol 1
Apostila eletricidade vol 1
erickfurtado
 
Fundamentos eletroeletronica
Fundamentos eletroeletronicaFundamentos eletroeletronica
Fundamentos eletroeletronica
luizmavinier
 

Semelhante a Aula 3 - Carga Elétrica e Eletrização.pptx (20)

Apostila eletrostática
Apostila eletrostáticaApostila eletrostática
Apostila eletrostática
 
Eletrostática fundamentos
Eletrostática   fundamentosEletrostática   fundamentos
Eletrostática fundamentos
 
Apresentação ELETRICIDADE BÁSICA - ElectroengE.pdf
Apresentação ELETRICIDADE BÁSICA - ElectroengE.pdfApresentação ELETRICIDADE BÁSICA - ElectroengE.pdf
Apresentação ELETRICIDADE BÁSICA - ElectroengE.pdf
 
Processos de eletrização e Lei de Coulomb
Processos de eletrização e Lei de CoulombProcessos de eletrização e Lei de Coulomb
Processos de eletrização e Lei de Coulomb
 
Apostila de física do renato
Apostila de física do renato Apostila de física do renato
Apostila de física do renato
 
eletricidade.pdfprofessorhistoriafisicauaiwiwiwiwisi
eletricidade.pdfprofessorhistoriafisicauaiwiwiwiwisieletricidade.pdfprofessorhistoriafisicauaiwiwiwiwisi
eletricidade.pdfprofessorhistoriafisicauaiwiwiwiwisi
 
ELETROSTÁTICA e FORÇA ELÉTRICA força eletrica .ppt
ELETROSTÁTICA e FORÇA ELÉTRICA força eletrica .pptELETROSTÁTICA e FORÇA ELÉTRICA força eletrica .ppt
ELETROSTÁTICA e FORÇA ELÉTRICA força eletrica .ppt
 
Apostila eja-3-serie-medio-20111
Apostila eja-3-serie-medio-20111Apostila eja-3-serie-medio-20111
Apostila eja-3-serie-medio-20111
 
Eletrização
EletrizaçãoEletrização
Eletrização
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
 
eletrostática
eletrostáticaeletrostática
eletrostática
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
 
3º EM-FÍSICA
3º EM-FÍSICA3º EM-FÍSICA
3º EM-FÍSICA
 
Eletrostática site
Eletrostática siteEletrostática site
Eletrostática site
 
Eletrostática site
Eletrostática siteEletrostática site
Eletrostática site
 
Eletriidade 1
Eletriidade 1Eletriidade 1
Eletriidade 1
 
Apostila de análise de circuitos elétricos
Apostila de análise de circuitos elétricosApostila de análise de circuitos elétricos
Apostila de análise de circuitos elétricos
 
Eletricidade capítulo 01
Eletricidade capítulo 01Eletricidade capítulo 01
Eletricidade capítulo 01
 
Apostila eletricidade vol 1
Apostila eletricidade vol 1Apostila eletricidade vol 1
Apostila eletricidade vol 1
 
Fundamentos eletroeletronica
Fundamentos eletroeletronicaFundamentos eletroeletronica
Fundamentos eletroeletronica
 

Mais de RafaelRocha658505

Capacitores - Componente elétrico para armazenamento de carga elétrica
Capacitores - Componente elétrico para armazenamento de carga elétricaCapacitores - Componente elétrico para armazenamento de carga elétrica
Capacitores - Componente elétrico para armazenamento de carga elétrica
RafaelRocha658505
 
Associação de resistores - serie, paralelo e misto
Associação de resistores - serie, paralelo e mistoAssociação de resistores - serie, paralelo e misto
Associação de resistores - serie, paralelo e misto
RafaelRocha658505
 
Circuitos de portas logicas - Conversão de sistemas binarios e decimais
Circuitos de portas logicas - Conversão de sistemas binarios e decimaisCircuitos de portas logicas - Conversão de sistemas binarios e decimais
Circuitos de portas logicas - Conversão de sistemas binarios e decimais
RafaelRocha658505
 
Aula -Leis de OHM e Potencia Elétrica.pptx
Aula -Leis de OHM e Potencia Elétrica.pptxAula -Leis de OHM e Potencia Elétrica.pptx
Aula -Leis de OHM e Potencia Elétrica.pptx
RafaelRocha658505
 
Roteiro de prática utilizando kit arduíno
Roteiro de prática utilizando kit arduínoRoteiro de prática utilizando kit arduíno
Roteiro de prática utilizando kit arduíno
RafaelRocha658505
 
Aula - Operações com frações - Divisão, Subtração, Soma e Multiplicação
Aula - Operações com frações - Divisão, Subtração, Soma e MultiplicaçãoAula - Operações com frações - Divisão, Subtração, Soma e Multiplicação
Aula - Operações com frações - Divisão, Subtração, Soma e Multiplicação
RafaelRocha658505
 

Mais de RafaelRocha658505 (6)

Capacitores - Componente elétrico para armazenamento de carga elétrica
Capacitores - Componente elétrico para armazenamento de carga elétricaCapacitores - Componente elétrico para armazenamento de carga elétrica
Capacitores - Componente elétrico para armazenamento de carga elétrica
 
Associação de resistores - serie, paralelo e misto
Associação de resistores - serie, paralelo e mistoAssociação de resistores - serie, paralelo e misto
Associação de resistores - serie, paralelo e misto
 
Circuitos de portas logicas - Conversão de sistemas binarios e decimais
Circuitos de portas logicas - Conversão de sistemas binarios e decimaisCircuitos de portas logicas - Conversão de sistemas binarios e decimais
Circuitos de portas logicas - Conversão de sistemas binarios e decimais
 
Aula -Leis de OHM e Potencia Elétrica.pptx
Aula -Leis de OHM e Potencia Elétrica.pptxAula -Leis de OHM e Potencia Elétrica.pptx
Aula -Leis de OHM e Potencia Elétrica.pptx
 
Roteiro de prática utilizando kit arduíno
Roteiro de prática utilizando kit arduínoRoteiro de prática utilizando kit arduíno
Roteiro de prática utilizando kit arduíno
 
Aula - Operações com frações - Divisão, Subtração, Soma e Multiplicação
Aula - Operações com frações - Divisão, Subtração, Soma e MultiplicaçãoAula - Operações com frações - Divisão, Subtração, Soma e Multiplicação
Aula - Operações com frações - Divisão, Subtração, Soma e Multiplicação
 

Aula 3 - Carga Elétrica e Eletrização.pptx

  • 1. Prof. Rafael Rocha Santos Dias Fundamentos da Eletroeletrônica • Eletrostática
  • 2. INTRODUÇÃO • No século XVI, o inglês William Gilbert verificou que além do âmbar, diversas substâncias se eletrizavam ao ser atritada, ele chamou esses materiais de elétricos. • Em 1660, o cientista Otto Von Guericke (1602-1686) inventou a primeira máquina eletrostática. • Otto fez várias experiências com objetos, e descobriu que alguns materiais eletrizados pela máquina podiam repelir outros objetos.
  • 4. INTRODUÇÃO • No século XVIII, o cientista inglês Stephen Gray (1670-1736), após inúmeras experiências e conceitos, criou a distinção entre os corpos que conduziam corrente elétrica (condutores) e os que não conduziam (isolantes). • Charles François Dufay (1668-1739), notou que os corpos poderiam ser eletrizados com cargas diferentes. • Em 1747, a ideia de carga positiva e negativa é introduzida por Benjamin Franklin (1706-1790).
  • 5. ÁTOMO NÚCLEO Átomo é a partícula que constitui a matéria, ou seja, é tudo aquilo que possui massa e volume. É dividido basicamente em duas regiões: o núcleo, de caráter positivo, e a eletrosfera, de caráter negativo. ELETROSFERA
  • 6. ÁTOMO O átomo, apesar de não ser perceptível a olho nu ou com os melhores instrumentos ópticos, pode ser estudado e compreendido por meio de modelos, os quais foram se desenvolvendo conjuntamente com a ciência.
  • 7. CARGA ELÉTRICA • É uma propriedade ligada à natureza de um corpo responsável pela interação elétrica entre os corpos, ou seja, de atração e repulsão.
  • 8. CARGA ELÉTRICA • PORTADORES DE CARGA: • Elétrons - que transportam carga negativa • Prótons – que possuem carga positiva
  • 9. CARGA ELÉTRICA ÁTOMO TEM O MESMO NÚMERO DE PRÓTONS E ELÉTRONS. ÁTOMOS NEUTROS
  • 10. CARGA ELÉTRICA ÍONS - Os íons são espécies químicas que possuem carga elétrica e são formados por átomos neutros ao receberem ou perderem seus elétrons. • ÍON NEGATIVO – (ÂNION): • ÁTOMOS QUE GANHAM ÉLETRONS • ÍON POSITIVO – (CÁTION): • ÁTOMOS QUE PERDEM ELÉTRONS
  • 13. CARGA ELÉTRICA Os íons são espécies químicas carregadas eletricamente e são formados por átomos que perderam ou receberam elétrons. Os cátions são íons positivos derivados da perda de elétrons por átomos neutros. Já os ânions são íons negativos formados pelo recebimento de elétrons por átomos neutros. As ligações iônicas são ligações químicas muito fortes e formadas pela doação e pelo recebimento de elétrons por um par cátion/ânion, que se mantêm unidos pela forte interação eletrostática entre suas cargas.
  • 14. CARGA ELÉTRICA • PERDEU ELÉTRON • GANHOU ELÉTRON
  • 15. PRINCÍPIOS DA ELETROSTÁTICA • Princípio da Atração e Repulsão: Polos iguais se REPELEM
  • 16. PRINCÍPIOS DA ELETROSTÁTICA • Princípio da Atração e Repulsão: Polos diferentes se ATRAEM
  • 17. Materiais Condutores e Isolantes A facilidade ou dificuldade dos elétrons livres se desprender e deslocar entre as camadas de valência determina se o material é condutor ou isolante. Átomos que possuem 1, 2 ou 3 elétrons na camada de valência tem a facilidade de ceder elétrons. Átomos que possuem 5, 6 ou 7 elétrons na camada de valência tem a facilidade de receber elétrons. Átomos que possuem 4 elétrons na camada de valência não ganham e não perdem elétrons. Condutores Isolantes Semicondutores
  • 18. Condutores  Materiais que conduzem a eletricidade  Os elétrons da última camada dos seus átomos são fracamente ligados ao núcleo;  Possuem muitos elétrons livres Os elétrons da última órbita, ao receber energia, são libertados e tornam-se elétrons livres, cujos movimentos são aleatórios. Isso significa que, nos condutores metálicos, a condução da eletricidade dá-se pela movimentação dos elétrons livres
  • 19. Isolantes  Materiais que não conduzem a eletricidade  Os elétrons são muito ligados ao núcleo nos átomos que compõem o material  Possuem poucos ou nenhum elétrons livres. Os elétrons da última órbita estão fortemente ligados aos seus núcleos, ao receber energia térmica, apenas alguns elétrons conseguem se libertar. Isso significa que, nos isolantes, a condução de eletricidade é praticamente nula, devido a pouca existência de elétrons livres.
  • 21. PROCESSOS DE ELETRIZAÇÃO Eletrização é o processo no qual um corpo, inicialmente neutro, é eletrizado. Neste processo os elétrons são adicionados ou removidos de um corpo. Existem três processos de eletrização: • Atrito; • Contato; • Indução.
  • 22. PROCESSOS DE ELETRIZAÇÃO • ELETRIZAÇÃO POR ATRITO Ocorre quando atritamos dois corpos de substâncias diferentes (ou não), inicialmente neutros, e haverá transferência de elétrons de um corpo para o outro, de tal forma que um corpo fique eletrizado positivamente (cedeu elétrons), e outro corpo fique eletrizado negativamente (ganhou elétrons)
  • 23. • Ex: Lã e vidro 1. Inicialmente a lã e o vidro estão neutros e, portanto, em cada objeto encontramos o mesmo número de prótons e elétrons. 2. Ao atritar os dois objetos os elétrons são transferidos do vidro para a lã. 3. Ao final do processo temos dois corpos eletrizados. O vidro carregado positivamente e a lã negativamente. ELETRIZAÇÃO POR ATRITO 1 2 3
  • 24. SÉRIE TRIBOELÉTRICA A série triboelétrica é uma tabela que indica se os corpos ficarão positivos ou negativos após o atrito. Cada material irá perder elétrons se for atritado com qualquer outro material que possuir posição inferior na tabela.
  • 25. PROCESSOS DE ELETRIZAÇÃO • ELETRIZAÇÃO POR CONTATO Ocorre quando dois corpos são encostados ou ligados por fios condutores, havendo a passagem de elétrons de um corpo para outro.
  • 26. PROCESSOS DE ELETRIZAÇÃO • ELETRIZAÇÃO POR CONTATO
  • 27. Eletrização por Contato Ocorre quando dois objetos com cargas elétricas diferentes entram em contato direto. Quando isso acontece, elétrons podem se transferir de um objeto para outro, causando uma redistribuição de carga.
  • 28. Eletrização por Indução Ocorre sem um contato direto entre os objetos. Quando um objeto carregado é colocado próximo a um objeto neutro, ele pode repelir ou atrair elétrons no objeto neutro sem que haja contato físico entre eles. Isso resulta em uma redistribuição de cargas elétricas no objeto neutro, criando uma separação de cargas, mas sem transferência líquida de elétrons entre os objetos.
  • 29. PROCESSOS DE ELETRIZAÇÃO • ELETRIZAÇÃO POR INDUÇÃO A eletrização por condução consiste na produção de cargas elétricas num condutor inicialmente neutro quando aproximamos um corpo eletrizado sem que haja contato.
  • 30. PROCESSOS DE ELETRIZAÇÃO • ELETRIZAÇÃO POR INDUÇÃO Ao aproximar, por exemplo, um bastão carregado negativamente de uma esfera de metal neutra, aquele atrairá cargas positivas do metal, fazendo afastar o mesmo saldo de cargas negativas. Para eletrizar então o condutor, basta aterrá- lo, fazendo com que as cargas que não estão sendo atraídas fluam para a Terra. Desconectando o fio terra e depois afastando o primeiro corpo teremos o condutor eletrizado. Note que a carga final do induzido sempre é contrária à carga do indutor.
  • 31. PROCESSOS DE ELETRIZAÇÃO • ELETRIZAÇÃO POR INDUÇÃO 1 2 3 4
  • 32. Processos de Eletrização Corpos podem acumular cargas elétricas após sofrer algum processo de eletrização, geralmente gerada por atrito. Isso produz um acumulo de cargas elétricas. O contato desses corpos carregados com outros corpos pode gerar descarga da eletricidade acumulada. Isso pode causar problemas: • Queima de componentes eletrônicos sensíveis (processadores, memórias) • Explosões quando em contato com material combustível (caminhão de transporte de combustível) Pulseira antiestática
  • 34. CARGA ELÉTRICA Eliminando as cargas opostas, sobrará a carga resultante. Portanto, de quanto é esse valor numericamente?
  • 35. CARGA ELÉTRICA Após alguns experimentos foi encontrado o seguinte valor para a carga do elétron:
  • 36. PRINCÍPIOS DA CONSERVAÇÃO DAS CARGAS ELÉTRICAS “A soma algébrica das cargas dos corpos constituintes de um sistema eletricamente isolado é constante.”
  • 37. PRINCÍPIOS DA CONSERVAÇÃO DAS CARGAS ELÉTRICAS
  • 38. PRINCÍPIOS DA CONSERVAÇÃO DAS CARGAS ELÉTRICAS
  • 39. CARGA ELÉTRICA • CARGA ELEMENTAR: • É o termo utilizado para qualificar uma carga que não poderia ser mais dividida (menor carga elétrica encontrada na natureza). • Sendo a carga do elétron a menor quantidade de carga elétrica existente na natureza, ela foi tomada como carga padrão nas medidas de carga elétricas. • No Sistema Internacional de Unidades, a unidade de medida de carga elétrica é o Coulomb (C). • Simbolicamente representada pela letra e. • carga elementar: e = 1,6.10 - 19 C • carga do elétron: - 1,6.10 - 19 C • carga do próton: + 1,6.10 - 19 C
  • 40. ELETRIZAÇÃO DOS CORPOS CORPO NEUTRO CORPO ELETRIZADO NEGATIVAMENTE CORPO ELETRIZADO POSITIVAMENTE. PRÓTONS = ELÉTRONS PRÓTONS < ELÉTRONS PRÓTONS > ELÉTRONS
  • 41. ELETRIZAÇÃO DOS CORPOS CARGA ELÉTRICA EM UM CORPO Q = Carga elétrica (C) N = Quantidade de carga elementar. e = Carga elementar do elétron (1,6.10 - 19 C)
  • 42. ELETRIZAÇÃO DOS CORPOS CARGA ELÉTRICA EM UM CORPO
  • 44. Exemplo - 1 ÁTOMO DE CÁLCIO
  • 45. ÁTOMO DE CÁLCIO Portanto, sabe-se que o átomo de Cálcio possui 20 elétrons Exemplo - 1
  • 46. Agora considere que o Cálcio perdeu 2 elétrons. Assim, ele tornou-se o íon: Logo, precisamos calcular o valor da carga desse íon. Exemplo - 1
  • 48. • Julgue Verdadeiro ou Falso os itens a seguir: 1. Um corpo que tem carga positiva possui mais prótons do que elétrons; 2. Dizemos que um corpo é neutro quando ele possui o mesmo número de prótons e de elétrons; 3. O núcleo do átomo é formado por elétrons e prótons. Estão corretas as afirmativas: a) 1 e 2 apenas b) 2 e 3 apenas c) 1 e 3 apenas d) 1, 2 e 3 e) nenhuma. Exemplo - 2
  • 49. • Julgue Verdadeiro ou Falso os itens a seguir: 1. Um corpo que tem carga positiva possui mais prótons do que elétrons; 2. Dizemos que um corpo é neutro quando ele possui o mesmo número de prótons e de elétrons; 3. O núcleo do átomo é formado por elétrons e prótons. Estão corretas as afirmativas: a) 1 e 2 apenas b) 2 e 3 apenas c) 1 e 3 apenas d) 1, 2 e 3 e) nenhuma. Exemplo - 2
  • 51. 20Q NEUTRO Qa + Qb Qa + Qb 2 Qa + Qb 2 Exemplo - 3
  • 52. ❑ Calcule a carga elétrica de um corpo que possui excesso de 24 . 1012 elétrons. Considere o módulo da carga elementar igual a 1,6 . 10-19 C. Exemplo - 4
  • 53. ❑ Calcule a carga elétrica de um corpo que possui excesso de 24 . 1012 elétrons. Considere o módulo da carga elementar igual a 1,6 . 10-19 C. Q = Carga elétrica (C) ??? N = Quantidade de carga elementar. N = 24 . 1012 elétrons e = Carga elementar (1,6.10 - 19 C) Q = (-24 . 1012) .1,6.10 - 19 Q = -38,4.10-7 Exemplo - 4
  • 62. ❑ Uma esfera metálica tem carga elétrica negativa de valor igual a 3,2 . 10-4 C. Sendo a carga do elétron igual a 1,6 10-19 C, pode-se concluir que a esfera contém: a) 2 . 1015 elétrons b) 200 elétrons c) um excesso de 2. 1015 elétrons d) 2 . 1010 elétrons e) um excesso de 2 . 1010 elétrons Exemplo - 9
  • 63. ❑ Uma esfera metálica tem carga elétrica negativa de valor igual a 3,2 . 10-4 C. Sendo a carga do elétron igual a 1,6 10-19 C, pode-se concluir que a esfera contém: a) 2 . 1015 elétrons b) 200 elétrons c) um excesso de 2. 1015 elétrons d) 2 . 1010 elétrons e) um excesso de 2 . 1010 elétrons -3,2.10-4 = N.(-1,6.10 – 19 𝑁 = 3,2.10−4 1,6.10 – 19 𝑁 = 2.1015 ( Exemplo - 9
  • 72. O corpo tem o mesmo número de prótons e elétrons. Logo ele está neutro (Não tem carga. Q = 0 C) Exemplo - 14