SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIDADE III
Quem está
manipulando as
Escrituras?
“Pelo que, tendo este ministério, segundo a
misericórdia que nos foi feita, não nos
desfalecemos; pelo contrário, rejeitamos as coisas
que, por vergonhosas, se ocultam, não andando
com astúcia, nem adulterando a Palavra de Deus,
antes nos recomendamos à consciência de todo
homem, na presença de Deus, pela manifestação
da verdade. 2ª Coríntios 4. 1 e 2
Quem está manipulando a Bíblia?
Sodoma: A Origem do mito
Tudo começou no período intertestamentário. O cânon bíblico
ainda não fora fechado de modo que alguns apócrifos
influenciaram o pensamento judaico. Um desses apócrifos é o
Testamento dos Doze patriarcas, que identifica o pecado de
Sodoma como a perversão da natureza (Nephtali 3.2)
Sodoma: A Origem do mito
Filo de Alexandria, historiador judeu-
helenista, difundiu tal ideia e reforçou
a interpretação equivocada sobre
Sodoma.
Séculos mais tarde, Tomás de Aquino
popularizou o termo Sodomita. Tal
interpretação persiste até hoje, embora
muitos teólogos respeitados já a
tenham abandonado por falta de provas
bíblicas.
“Compreender o Antigo Testamento em seu ambiente histórico, cultural,
social e político não é apenas necessário como também plausível. A leitura
do texto bíblico acompanhada de uma análise da cultura e dos costumes
dos povos bíblicos, além de enriquecer a interpretação da perícope
estudada, também se apresenta como um instrumento eficaz contra as
interpretações equivocadas, que evocam para os dias hodiernos, conceitos
e costumes pretéritos.”
A Família no Antigo Testamento, p. 19, CPAD
“Na sociedade patriarcal primitiva semita e mesopotâmica, as diferenças
sexuais influíam na hierarquia das relações sociais; os homens exerciam a
função de dominadores e as mulheres de dominadas. Era, na verdade,
uma relação de dominação-subordinação socialmente condicionada pela
distinção sexual entre homem e mulher.”
A Família no Antigo Testamento, p. 138, CPAD
Pontos importantes para a
interpretação bíblica:
A hermenêutica de Gênesis 19:
1º Ponto: o texto bíblico diz que todos os homens de
Sodoma cercaram a casa de Ló. Em qualquer
sociedade, os homossexuais são minoria, portanto,
aqueles homens, definitivamente, não eram
homossexuais. Sodoma não seria uma cidade tão
numerosa e próspera se ali houvesse apenas
homossexuais, na verdade, tal cidade nem existiria.
2º Ponto: Eles exigiam que os estrangeiros (Anjos em
forma humana) que ali estavam fossem postos para fora
a fim de que fossem abusados. (v. 5); sua intenção era
fazer o mal, humilhando os visitantes da forma mais vil
possível:
“... Não se pode imaginar desprezo maior das
práticas orientais de hospitalidade do que
submeter hóspedes de sexo masculino a
estupro por outros homens.”
Comentário Bíblico, Editora Vida Nova, SP, p.123
3º Ponto: Os sodomitas nutriam sentimento de
ódio aos estrangeiros (xenofobia). Ló também
era estrangeiro. Os sodomitas ameaçaram fazer
mais mal a ele que aos próprios visitantes (v. 9).
Eles chamaram Ló e lhe disseram: “Onde estão os homens que vieram
à tua casa ao cair da noite? Traze-os para fora. Queremos
descarregar sobre eles a nossa fúria homossexual!”
Gênesis 19.5
Bíblia Sagrada, Edições Loyola
“Enquanto se refaziam, os habitantes, os habitantes da cidade,
verdadeiros canalhas, cercaram a casa, batendo à porta. Disseram
ao ancião, dono da casa: “Manda para fora o homem que entrou
em tua casa para que dele abusemos”.
Juízes 19.22
Bíblia Sagrada, Edições Loyola
“Não se esqueçam das cidades de Sodoma e Gomorra, e as cidades
vizinhas, todas cheias de imoralidade de toda espécie, inclusive a
paixão de homens por outros homens.”
Judas 7
Bíblia Viva, Editora Mundo Cristão
O testemunho dos profetas
1. Ezequiel 16. 49 e 50.
2. Jeremias 23.14
3. Isaías 1.10, 16 e 17.
Todos os profetas
associam Sodoma e
Gomorra à falta de justiça,
à maldade e ao desamparo
aos necessitados.
O testemunho de Jesus
Quando, porém, entrardes numa cidade e não vos receberem, saí pelas
ruas e clamai: Até o pó da vossa cidade, que se nos pegou aos pés,
sacudimos contra vós outros. Não obstante, sabei que está próximo o
reino de Deus. Digo-vos que, naquele dia, haverá menos rigor para
Sodoma do que para aquela cidade.
Lucas 10. 10-12
Jesus confirma, mais uma vez, que o
pecado de Sodoma foi a rejeição ao
estrangeiro. Em suma: falta de
hospitalidade.
O que diz a antiga tradição judaica
“Os homens de Sodoma não se
orgulhavam de outra coisa senão da
fartura e da riqueza que possuíam [...].
E eles diziam: Se de nossa terra tiramos
pão e minério de ouro, para que
precisamos dos forasteiros? Não
precisamos que venha a nós qualquer
pessoa, pois vem apenas para tomar o
que é nosso. Apaguemos, pois, de
nossa terra as leis e costumes de ir e
vir.”
Midrash, San’hedrin 109 – A Lei da Torá,
Editora Sêfer, p. 46 (Documento extra
bíblico)
“O pecado de Sodoma e Gomorra é habitualmente identificado
com a prática do homossexualismo (sic) [...] contudo, os profetas
o associam à toda classe de desordens e natureza social. Em Is.
1.10-17;3.9, esse pecado é a injustiça; em Jr. 23.14, o adultério,
a mentira e o incitamento à maldade; em Ez. 16.49, o orgulho, a
vida fácil e a despreocupação com os pobres”.
Bíblia de Estudo Almeida
Boas Novas na
Teologia!
Quem está manipulando a Bíblia
“As práticas homossexuais são terminantemente proibidas!
O homossexualismo é um pecado terrível!”
Levítico 18.22
Bíblia Viva, Editora Mundo Cristão
“Quem praticar o homossexualismo será condenado à morte.
Só a morte deles faz justiça a eles.”
Levítico 20.13
Bíblia Viva, Editora Mundo Cristão
“Não serão permitidas prostitutas em Israel – nem homens nem
mulheres; muito menos com o pretexto de estarem prestando serviços
ao templo. Ninguém deverá apresentar ofertas ao senhor provenientes
dos lucros ganhos por prostitutas e homossexuais.”
Deuteronômio 23.17 e 18
Bíblia Viva, Editora Mundo Cristão
Primeiro texto bíblico a mencionar e condenar
claramente o ato sexual entre homens.
“Com homem não te deitarás, como se fosse mulher;
é abominação. 18.22”
”Se também um homem se deitar com outro homem,
como se fosse mulher, ambos praticaram coisa
abominável; serão mortos; o seu sangue cairá sobre
eles.” 20.13
Levítico: Os cananeus e a prostituição
cultual.
Existem vários pontos a se considerar
sobre esses versículos:
• Tais textos condenam a homoafetividade?
• Se existe condenação à homoafetividade, por que o
sexo entre mulheres não foi mencionado?
• Por que as igrejas cristãs tradicionais não defendem
a morte para os homossexuais?
• Por que tal ato é classificado como abominação?
• Por que o texto condena o papel passivo da relação
homossexual?
Levítico
1. Tais textos condenam a homoafetividade?
Não. A homossexualidade, como orientação sexual, não fazia
parte da compreensão da sociedade judaica da época. O
contexto de Levítico está distante do nosso em muitos
aspectos. Seu objetivo é proteger Israel das práticas sexuais
pagãs.
2. Se existe condenação à homoafetividade, por que
o sexo entre mulheres não foi mencionado?
As mulheres são mencionadas em todas as outras proibições
sexuais de Levítico, porém, o sexo entre elas não foi proibido,
pois, segundo a crença da época, as mulheres não possuíam
semente, isso era exclusividade dos homens.
A história de Onã, em Gênesis 38 exemplifica muito bem
esse fato. Havia uma razão especial para a proibição do sexo
entre homens, porém, esta não se relacionava à afetividade,
mas a perda da vida, representada pelo sêmen.
3. Por que as igrejas cristãs tradicionais não
defendem a morte para os homossexuais?
As Igrejas não defendem a morte para os gays hoje em
dia porque interpretam a Bíblia de forma seletiva, ou
seja, só utilizam os textos por partes, aquelas que
concordam com suas doutrinas. Usam a parte A e
desprezam a parte B do texto, ignorando, também, a
regra do paralelismo (semelhança entre textos
diferentes), algo desonesto para com a Bíblia, com a
Hermenêutica e com a Exegese.
4. Por que tal ato é classificado como
abominação?
O sexo entre homens em Levítico é chamado
de abominação porque tal palavra indica,
dentre outras coisas, rituais idolátricos, muitos
dos quais envolviam orgias as mais variadas.
5. Por que o texto condena o papel passivo da
relação homossexual?
A condenação ao sexo passivo (próprio da mulher)
associa o homem a um papel feminino, representando
ultraje e humilhação para ele. A identidade judaica era
patriarcal e androcêntrica, ou seja, centrada no homem, na
sua masculinidade e “superioridade”. A mulher, naquela
época, estava reduzida ao status de propriedade
masculina. A melhor forma de se humilhar um homem
nesse período era obrigá-lo a cumprir uma função feminina
e nada melhor que o sexo para representar isso. Fazer
isso voluntariamente desonrava o papel para o qual o
homem havia sido criado. Quando lemos as narrações de
Gênesis 19 e de Juízes 19, que relatam tentativas de
abuso sexual entre homens, essa verdade fica bem clara
As proibições contidas em Levítico 18
abrangem três aspectos diferentes: relações
sexuais entre pessoas com algum grau de
parentesco (6-18), relações sexuais
consideradas impuras (19 e 20) e relações
sexuais ligadas à idolatria (21-23). No Egito e
em Canãa, os monarcas mantinham relações
incestuosas para manter e consolidar o seu
poder político. Israel fora escolhido para ter
uma identidade nova, portanto, devia
preservar-se de tais práticas.
Cananeus e rituais religiosos
• As praticas relatadas em
Levíticos 18 eram costumeiras
naquele povo.
• As religiões cananeias
enfatizavam a capacidade
reprodutiva da terra, tudo estava
ligado à fertilidade da terra
• Isso explica os intercursos
sexuais em suas cerimônias.
• Prostituição Cultual
• Devoção aos deuses Moloque,
Milcom, Astarote e Baal.
“O judaísmo conhecia apenas duas
categorias de eunucos: Os ‘feitos pelo
homem’ (em hebraico sãrïs 'ãdhãm) e
aqueles que nasceram congenitamente
incapazes ou sem libido (instinto e
desejos sexuais) chamados de ‘natural’
ou ‘eunuco do sol’ (em hebraico sãrïs
hammâ)”.
Novo Testamento King James, Edição de estudo.
São Paulo. Abba Press, 2007, pág. 54
Boas Novas na
Teologia não inclusiva!
"Alguns homens, desde o seu
nascimento, têm uma natureza a afastar-
se das mulheres, e aqueles que o eram
naturalmente faziam bem em não se
casar. Estes, dizem, são os eunucos a
partir do nascimento.”
Stromata, III 1.1
O que diz a antiga tradição judaica?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O livro de rute
O livro de ruteO livro de rute
O livro de rute
mbrandao7
 
A primeira viagem missionaria de paulo
A primeira viagem missionaria de pauloA primeira viagem missionaria de paulo
A primeira viagem missionaria de paulo
Geysa Farias
 
Terceira viagem Paulo apresentaçao
Terceira viagem Paulo apresentaçaoTerceira viagem Paulo apresentaçao
Terceira viagem Paulo apresentaçao
LUCAS CANAVARRO
 
AS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO DE TARSO
AS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO DE TARSOAS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO DE TARSO
AS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO DE TARSO
Suely Anjos
 
Lição 4 - Amós - A Justiça Social como Parte da Adoração
Lição 4 - Amós - A Justiça Social como Parte da AdoraçãoLição 4 - Amós - A Justiça Social como Parte da Adoração
Lição 4 - Amós - A Justiça Social como Parte da Adoração
Ailton da Silva
 
A palestina nos tempos de jesus
A palestina nos tempos de jesusA palestina nos tempos de jesus
A palestina nos tempos de jesus
Anderson Santana
 
O mundo do AT completo
O mundo do AT completoO mundo do AT completo
O mundo do AT completo
Mauro RS
 
Redescobrindopaulo3
Redescobrindopaulo3Redescobrindopaulo3
Redescobrindopaulo3
Brian Kibuuka
 
Comentário: 30° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Comentário: 30° Domingo do Tempo Comum - Ano AComentário: 30° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Comentário: 30° Domingo do Tempo Comum - Ano A
José Lima
 
AMÓS-JUSTIÇA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAÇÃO
AMÓS-JUSTIÇA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAÇÃOAMÓS-JUSTIÇA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAÇÃO
AMÓS-JUSTIÇA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAÇÃO
Jefferson Rodrigues
 
A morte de satanás
A morte de satanásA morte de satanás
A morte de satanás
Diego Fortunatto
 
Profeta Oséias
Profeta OséiasProfeta Oséias
Profeta Oséias
Rodrigo Fragoso
 
A TERCEIRA VIAGEM MISSIONÁRIA
A TERCEIRA VIAGEM MISSIONÁRIAA TERCEIRA VIAGEM MISSIONÁRIA
A TERCEIRA VIAGEM MISSIONÁRIA
Enerliz
 
Rastros de luz 01
Rastros de luz 01Rastros de luz 01
Rastros de luz 01
MRS
 
As muitas mascaras de satanas
As muitas mascaras de satanasAs muitas mascaras de satanas
As muitas mascaras de satanas
Carlos Zimnerman
 
Romanos 11
Romanos 11Romanos 11
Romanos 11
danykz
 
História patriarcal
História patriarcalHistória patriarcal
História patriarcal
UEPB
 
Apostila exodo traduzido
Apostila exodo traduzidoApostila exodo traduzido
Apostila exodo traduzido
CETEPOL CENTRO TEOLOGICO
 
Comentário: Domingo da Epifania do Senhor - Ano A
Comentário: Domingo da Epifania do Senhor - Ano AComentário: Domingo da Epifania do Senhor - Ano A
Comentário: Domingo da Epifania do Senhor - Ano A
José Lima
 
36. O profeta Amós
36. O profeta Amós36. O profeta Amós

Mais procurados (20)

O livro de rute
O livro de ruteO livro de rute
O livro de rute
 
A primeira viagem missionaria de paulo
A primeira viagem missionaria de pauloA primeira viagem missionaria de paulo
A primeira viagem missionaria de paulo
 
Terceira viagem Paulo apresentaçao
Terceira viagem Paulo apresentaçaoTerceira viagem Paulo apresentaçao
Terceira viagem Paulo apresentaçao
 
AS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO DE TARSO
AS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO DE TARSOAS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO DE TARSO
AS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO DE TARSO
 
Lição 4 - Amós - A Justiça Social como Parte da Adoração
Lição 4 - Amós - A Justiça Social como Parte da AdoraçãoLição 4 - Amós - A Justiça Social como Parte da Adoração
Lição 4 - Amós - A Justiça Social como Parte da Adoração
 
A palestina nos tempos de jesus
A palestina nos tempos de jesusA palestina nos tempos de jesus
A palestina nos tempos de jesus
 
O mundo do AT completo
O mundo do AT completoO mundo do AT completo
O mundo do AT completo
 
Redescobrindopaulo3
Redescobrindopaulo3Redescobrindopaulo3
Redescobrindopaulo3
 
Comentário: 30° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Comentário: 30° Domingo do Tempo Comum - Ano AComentário: 30° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Comentário: 30° Domingo do Tempo Comum - Ano A
 
AMÓS-JUSTIÇA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAÇÃO
AMÓS-JUSTIÇA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAÇÃOAMÓS-JUSTIÇA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAÇÃO
AMÓS-JUSTIÇA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAÇÃO
 
A morte de satanás
A morte de satanásA morte de satanás
A morte de satanás
 
Profeta Oséias
Profeta OséiasProfeta Oséias
Profeta Oséias
 
A TERCEIRA VIAGEM MISSIONÁRIA
A TERCEIRA VIAGEM MISSIONÁRIAA TERCEIRA VIAGEM MISSIONÁRIA
A TERCEIRA VIAGEM MISSIONÁRIA
 
Rastros de luz 01
Rastros de luz 01Rastros de luz 01
Rastros de luz 01
 
As muitas mascaras de satanas
As muitas mascaras de satanasAs muitas mascaras de satanas
As muitas mascaras de satanas
 
Romanos 11
Romanos 11Romanos 11
Romanos 11
 
História patriarcal
História patriarcalHistória patriarcal
História patriarcal
 
Apostila exodo traduzido
Apostila exodo traduzidoApostila exodo traduzido
Apostila exodo traduzido
 
Comentário: Domingo da Epifania do Senhor - Ano A
Comentário: Domingo da Epifania do Senhor - Ano AComentário: Domingo da Epifania do Senhor - Ano A
Comentário: Domingo da Epifania do Senhor - Ano A
 
36. O profeta Amós
36. O profeta Amós36. O profeta Amós
36. O profeta Amós
 

Destaque

Exploração sexual
Exploração sexual  Exploração sexual
Exploração sexual
Jonathas Augusto
 
Exploração infantil
Exploração infantilExploração infantil
Exploração infantil
Anderson Mesquita
 
Juventude e exploração sexual
Juventude e exploração sexualJuventude e exploração sexual
Juventude e exploração sexual
Ana Paula Ribeiro de Oliveira
 
Planejamento de ponta a ponta
Planejamento de ponta a pontaPlanejamento de ponta a ponta
Planejamento de ponta a ponta
Natália Mateus
 
Breve histórico da escola bíblica dominical
Breve histórico da escola bíblica dominicalBreve histórico da escola bíblica dominical
Breve histórico da escola bíblica dominical
Amor pela EBD
 
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 1
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 1Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 1
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 1
Diego Viana Melo Lima
 
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 2
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 2Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 2
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 2
Diego Viana Melo Lima
 
O conselho de classe
O conselho de classeO conselho de classe
O conselho de classe
Ana Paula Baptista
 
EBD Palavra e Vida 2T2015.Aula 5: O céu realmente existe?
EBD Palavra e Vida 2T2015.Aula 5: O céu realmente existe?EBD Palavra e Vida 2T2015.Aula 5: O céu realmente existe?
EBD Palavra e Vida 2T2015.Aula 5: O céu realmente existe?
Andre Nascimento
 
Prostituição infantil
Prostituição infantilProstituição infantil
Prostituição infantil
nany1523
 
Exercício Planejando uma aula para EBD
Exercício Planejando uma aula para EBDExercício Planejando uma aula para EBD
Exercício Planejando uma aula para EBD
Amor pela EBD
 
Treinamento para diáconos
Treinamento para diáconosTreinamento para diáconos
Treinamento para diáconos
Carlos Cirleno Neves
 
Princípios de Liderança Eclesiástica
Princípios de Liderança EclesiásticaPrincípios de Liderança Eclesiástica
Princípios de Liderança Eclesiástica
João Carlos
 
Escola Dominical: uma nova concepção de ensino para uma nova realidade - Parte I
Escola Dominical: uma nova concepção de ensino para uma nova realidade - Parte IEscola Dominical: uma nova concepção de ensino para uma nova realidade - Parte I
Escola Dominical: uma nova concepção de ensino para uma nova realidade - Parte I
Amor pela EBD
 
Prostituição Infantil
Prostituição InfantilProstituição Infantil
Prostituição Infantil
Rodrigo Bona
 
O Propósito da Tentação
O Propósito da TentaçãoO Propósito da Tentação
O Propósito da Tentação
pralucianaevangelista
 
A relação ensino-aprendizagem na escola dominical
A relação ensino-aprendizagem na escola dominicalA relação ensino-aprendizagem na escola dominical
A relação ensino-aprendizagem na escola dominical
Amor pela EBD
 
Exploração sexual infantil: causas, consequências e políticas de enfrentamento
Exploração sexual infantil: causas, consequências e políticas de enfrentamentoExploração sexual infantil: causas, consequências e políticas de enfrentamento
Exploração sexual infantil: causas, consequências e políticas de enfrentamento
Breados Online
 
Treinamento de Professores - CFAPED - Ass.Deus Ministério de Cordovil-
Treinamento de Professores - CFAPED - Ass.Deus Ministério de Cordovil- Treinamento de Professores - CFAPED - Ass.Deus Ministério de Cordovil-
Treinamento de Professores - CFAPED - Ass.Deus Ministério de Cordovil-
Ana Paula Baptista
 
Por que esperar até o casamento?
Por que esperar até o casamento?Por que esperar até o casamento?
Por que esperar até o casamento?
Ascencio Ascenciano
 

Destaque (20)

Exploração sexual
Exploração sexual  Exploração sexual
Exploração sexual
 
Exploração infantil
Exploração infantilExploração infantil
Exploração infantil
 
Juventude e exploração sexual
Juventude e exploração sexualJuventude e exploração sexual
Juventude e exploração sexual
 
Planejamento de ponta a ponta
Planejamento de ponta a pontaPlanejamento de ponta a ponta
Planejamento de ponta a ponta
 
Breve histórico da escola bíblica dominical
Breve histórico da escola bíblica dominicalBreve histórico da escola bíblica dominical
Breve histórico da escola bíblica dominical
 
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 1
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 1Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 1
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 1
 
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 2
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 2Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 2
Treinando educadores para o ensino da palavra de Deus parte 2
 
O conselho de classe
O conselho de classeO conselho de classe
O conselho de classe
 
EBD Palavra e Vida 2T2015.Aula 5: O céu realmente existe?
EBD Palavra e Vida 2T2015.Aula 5: O céu realmente existe?EBD Palavra e Vida 2T2015.Aula 5: O céu realmente existe?
EBD Palavra e Vida 2T2015.Aula 5: O céu realmente existe?
 
Prostituição infantil
Prostituição infantilProstituição infantil
Prostituição infantil
 
Exercício Planejando uma aula para EBD
Exercício Planejando uma aula para EBDExercício Planejando uma aula para EBD
Exercício Planejando uma aula para EBD
 
Treinamento para diáconos
Treinamento para diáconosTreinamento para diáconos
Treinamento para diáconos
 
Princípios de Liderança Eclesiástica
Princípios de Liderança EclesiásticaPrincípios de Liderança Eclesiástica
Princípios de Liderança Eclesiástica
 
Escola Dominical: uma nova concepção de ensino para uma nova realidade - Parte I
Escola Dominical: uma nova concepção de ensino para uma nova realidade - Parte IEscola Dominical: uma nova concepção de ensino para uma nova realidade - Parte I
Escola Dominical: uma nova concepção de ensino para uma nova realidade - Parte I
 
Prostituição Infantil
Prostituição InfantilProstituição Infantil
Prostituição Infantil
 
O Propósito da Tentação
O Propósito da TentaçãoO Propósito da Tentação
O Propósito da Tentação
 
A relação ensino-aprendizagem na escola dominical
A relação ensino-aprendizagem na escola dominicalA relação ensino-aprendizagem na escola dominical
A relação ensino-aprendizagem na escola dominical
 
Exploração sexual infantil: causas, consequências e políticas de enfrentamento
Exploração sexual infantil: causas, consequências e políticas de enfrentamentoExploração sexual infantil: causas, consequências e políticas de enfrentamento
Exploração sexual infantil: causas, consequências e políticas de enfrentamento
 
Treinamento de Professores - CFAPED - Ass.Deus Ministério de Cordovil-
Treinamento de Professores - CFAPED - Ass.Deus Ministério de Cordovil- Treinamento de Professores - CFAPED - Ass.Deus Ministério de Cordovil-
Treinamento de Professores - CFAPED - Ass.Deus Ministério de Cordovil-
 
Por que esperar até o casamento?
Por que esperar até o casamento?Por que esperar até o casamento?
Por que esperar até o casamento?
 

Semelhante a QUEM ESTÁ MANIPULANDO AS ESCRITURAS?

A mentira chamada mormons resultados da pesquisa poligamia
A mentira chamada mormons  resultados da pesquisa poligamiaA mentira chamada mormons  resultados da pesquisa poligamia
A mentira chamada mormons resultados da pesquisa poligamia
Reilly Mendel
 
Amós
AmósAmós
Amós
s5cardoso
 
Lição 09 - Não adulterarás
Lição 09 - Não adulterarásLição 09 - Não adulterarás
Lição 09 - Não adulterarás
Pr. Andre Luiz
 
5 perseguições e defesa da fé-5ª aula
5  perseguições e defesa da fé-5ª aula5  perseguições e defesa da fé-5ª aula
5 perseguições e defesa da fé-5ª aula
PIB Penha
 
2 romanos.pptx
2 romanos.pptx2 romanos.pptx
2 romanos.pptx
PIB Penha - SP
 
O anticristo e a mulher de vermelho
O anticristo e a mulher de vermelhoO anticristo e a mulher de vermelho
O anticristo e a mulher de vermelho
Diego Fortunatto
 
Lesbianismo
LesbianismoLesbianismo
Homossexualismo à luz da biblia
Homossexualismo à luz da bibliaHomossexualismo à luz da biblia
Homossexualismo à luz da biblia
Robson Santana
 
Lição 4 - A Sutileza da Normalização do Divórcio.pptx
Lição 4  - A Sutileza da Normalização do Divórcio.pptxLição 4  - A Sutileza da Normalização do Divórcio.pptx
Lição 4 - A Sutileza da Normalização do Divórcio.pptx
Laurindo6
 
Sexo e poder
Sexo e poderSexo e poder
Sexo e poder
Isabel Vitória
 
Ult+325
Ult+325Ult+325
Ult+325
Francisco Sá
 
João batista
João batistaJoão batista
João batista
Waldir Calazans
 
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Gerson G. Ramos
 
O que a Bíblia diz sobre a homossexualidade e homofobia
O que a Bíblia diz sobre a homossexualidade e homofobiaO que a Bíblia diz sobre a homossexualidade e homofobia
O que a Bíblia diz sobre a homossexualidade e homofobia
Juraci Rocha
 
Concubinato brasil colonial
Concubinato brasil colonialConcubinato brasil colonial
Concubinato brasil colonial
Gisele Silva Teixeira
 
Estudo adicional_Viver como Cristo_732014
Estudo adicional_Viver como Cristo_732014Estudo adicional_Viver como Cristo_732014
Estudo adicional_Viver como Cristo_732014
Gerson G. Ramos
 
hermeneutica inclusiva o combate as seitas.pptx
hermeneutica inclusiva o combate as seitas.pptxhermeneutica inclusiva o combate as seitas.pptx
hermeneutica inclusiva o combate as seitas.pptx
Richard Sias
 
Lição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém
Lição 04- O Juízo de Judá e de JerusalémLição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém
Lição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém
Maxsuel Aquino
 
Escatologia
Escatologia  Escatologia
Escatologia
Jose Ventura
 
Ninrode uma proposta de caracterização.
Ninrode uma proposta de caracterização.Ninrode uma proposta de caracterização.
Ninrode uma proposta de caracterização.
Leonardo Holanda E Silva
 

Semelhante a QUEM ESTÁ MANIPULANDO AS ESCRITURAS? (20)

A mentira chamada mormons resultados da pesquisa poligamia
A mentira chamada mormons  resultados da pesquisa poligamiaA mentira chamada mormons  resultados da pesquisa poligamia
A mentira chamada mormons resultados da pesquisa poligamia
 
Amós
AmósAmós
Amós
 
Lição 09 - Não adulterarás
Lição 09 - Não adulterarásLição 09 - Não adulterarás
Lição 09 - Não adulterarás
 
5 perseguições e defesa da fé-5ª aula
5  perseguições e defesa da fé-5ª aula5  perseguições e defesa da fé-5ª aula
5 perseguições e defesa da fé-5ª aula
 
2 romanos.pptx
2 romanos.pptx2 romanos.pptx
2 romanos.pptx
 
O anticristo e a mulher de vermelho
O anticristo e a mulher de vermelhoO anticristo e a mulher de vermelho
O anticristo e a mulher de vermelho
 
Lesbianismo
LesbianismoLesbianismo
Lesbianismo
 
Homossexualismo à luz da biblia
Homossexualismo à luz da bibliaHomossexualismo à luz da biblia
Homossexualismo à luz da biblia
 
Lição 4 - A Sutileza da Normalização do Divórcio.pptx
Lição 4  - A Sutileza da Normalização do Divórcio.pptxLição 4  - A Sutileza da Normalização do Divórcio.pptx
Lição 4 - A Sutileza da Normalização do Divórcio.pptx
 
Sexo e poder
Sexo e poderSexo e poder
Sexo e poder
 
Ult+325
Ult+325Ult+325
Ult+325
 
João batista
João batistaJoão batista
João batista
 
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
 
O que a Bíblia diz sobre a homossexualidade e homofobia
O que a Bíblia diz sobre a homossexualidade e homofobiaO que a Bíblia diz sobre a homossexualidade e homofobia
O que a Bíblia diz sobre a homossexualidade e homofobia
 
Concubinato brasil colonial
Concubinato brasil colonialConcubinato brasil colonial
Concubinato brasil colonial
 
Estudo adicional_Viver como Cristo_732014
Estudo adicional_Viver como Cristo_732014Estudo adicional_Viver como Cristo_732014
Estudo adicional_Viver como Cristo_732014
 
hermeneutica inclusiva o combate as seitas.pptx
hermeneutica inclusiva o combate as seitas.pptxhermeneutica inclusiva o combate as seitas.pptx
hermeneutica inclusiva o combate as seitas.pptx
 
Lição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém
Lição 04- O Juízo de Judá e de JerusalémLição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém
Lição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém
 
Escatologia
Escatologia  Escatologia
Escatologia
 
Ninrode uma proposta de caracterização.
Ninrode uma proposta de caracterização.Ninrode uma proposta de caracterização.
Ninrode uma proposta de caracterização.
 

Mais de Carlos Cirleno Neves

Manual da visão
Manual da visão  Manual da visão
Manual da visão
Carlos Cirleno Neves
 
Como estudar a bíblia
Como estudar a bíbliaComo estudar a bíblia
Como estudar a bíblia
Carlos Cirleno Neves
 
Ativação ministerios
Ativação ministeriosAtivação ministerios
Ativação ministerios
Carlos Cirleno Neves
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
Carlos Cirleno Neves
 
Comunhão a inteligencia nos relacionamentos
Comunhão a inteligencia nos relacionamentosComunhão a inteligencia nos relacionamentos
Comunhão a inteligencia nos relacionamentos
Carlos Cirleno Neves
 
Treinamento obreiros e auxiliares
Treinamento obreiros e auxiliaresTreinamento obreiros e auxiliares
Treinamento obreiros e auxiliares
Carlos Cirleno Neves
 
Treinamento intercessão
Treinamento intercessãoTreinamento intercessão
Treinamento intercessão
Carlos Cirleno Neves
 
Treinamento cura e libertação
Treinamento cura e libertaçãoTreinamento cura e libertação
Treinamento cura e libertação
Carlos Cirleno Neves
 
Batalha espiritual
Batalha espiritualBatalha espiritual
Batalha espiritual
Carlos Cirleno Neves
 
Interpretando as escrituras modulo ***Teologia Inclusiva***
Interpretando as escrituras modulo ***Teologia Inclusiva***Interpretando as escrituras modulo ***Teologia Inclusiva***
Interpretando as escrituras modulo ***Teologia Inclusiva***
Carlos Cirleno Neves
 
INTRODUÇÃO A TEOLOGIA INCLUSIVA
INTRODUÇÃO A TEOLOGIA INCLUSIVAINTRODUÇÃO A TEOLOGIA INCLUSIVA
INTRODUÇÃO A TEOLOGIA INCLUSIVA
Carlos Cirleno Neves
 

Mais de Carlos Cirleno Neves (11)

Manual da visão
Manual da visão  Manual da visão
Manual da visão
 
Como estudar a bíblia
Como estudar a bíbliaComo estudar a bíblia
Como estudar a bíblia
 
Ativação ministerios
Ativação ministeriosAtivação ministerios
Ativação ministerios
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
 
Comunhão a inteligencia nos relacionamentos
Comunhão a inteligencia nos relacionamentosComunhão a inteligencia nos relacionamentos
Comunhão a inteligencia nos relacionamentos
 
Treinamento obreiros e auxiliares
Treinamento obreiros e auxiliaresTreinamento obreiros e auxiliares
Treinamento obreiros e auxiliares
 
Treinamento intercessão
Treinamento intercessãoTreinamento intercessão
Treinamento intercessão
 
Treinamento cura e libertação
Treinamento cura e libertaçãoTreinamento cura e libertação
Treinamento cura e libertação
 
Batalha espiritual
Batalha espiritualBatalha espiritual
Batalha espiritual
 
Interpretando as escrituras modulo ***Teologia Inclusiva***
Interpretando as escrituras modulo ***Teologia Inclusiva***Interpretando as escrituras modulo ***Teologia Inclusiva***
Interpretando as escrituras modulo ***Teologia Inclusiva***
 
INTRODUÇÃO A TEOLOGIA INCLUSIVA
INTRODUÇÃO A TEOLOGIA INCLUSIVAINTRODUÇÃO A TEOLOGIA INCLUSIVA
INTRODUÇÃO A TEOLOGIA INCLUSIVA
 

Último

Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo DiaFesta das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
André Luiz Marques
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdfEstudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
JaquelineSantosBasto
 
a futura religião da nova ordem mundial.
a  futura religião da nova ordem mundial.a  futura religião da nova ordem mundial.
a futura religião da nova ordem mundial.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicosSEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Salmo 91
Salmo 91Salmo 91
Salmo 91
Nilson Almeida
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 

Último (15)

Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo DiaFesta das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdfEstudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
 
a futura religião da nova ordem mundial.
a  futura religião da nova ordem mundial.a  futura religião da nova ordem mundial.
a futura religião da nova ordem mundial.
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicosSEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
 
Salmo 91
Salmo 91Salmo 91
Salmo 91
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 

QUEM ESTÁ MANIPULANDO AS ESCRITURAS?

  • 2. “Pelo que, tendo este ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita, não nos desfalecemos; pelo contrário, rejeitamos as coisas que, por vergonhosas, se ocultam, não andando com astúcia, nem adulterando a Palavra de Deus, antes nos recomendamos à consciência de todo homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade. 2ª Coríntios 4. 1 e 2
  • 4. Sodoma: A Origem do mito Tudo começou no período intertestamentário. O cânon bíblico ainda não fora fechado de modo que alguns apócrifos influenciaram o pensamento judaico. Um desses apócrifos é o Testamento dos Doze patriarcas, que identifica o pecado de Sodoma como a perversão da natureza (Nephtali 3.2)
  • 5. Sodoma: A Origem do mito Filo de Alexandria, historiador judeu- helenista, difundiu tal ideia e reforçou a interpretação equivocada sobre Sodoma. Séculos mais tarde, Tomás de Aquino popularizou o termo Sodomita. Tal interpretação persiste até hoje, embora muitos teólogos respeitados já a tenham abandonado por falta de provas bíblicas.
  • 6. “Compreender o Antigo Testamento em seu ambiente histórico, cultural, social e político não é apenas necessário como também plausível. A leitura do texto bíblico acompanhada de uma análise da cultura e dos costumes dos povos bíblicos, além de enriquecer a interpretação da perícope estudada, também se apresenta como um instrumento eficaz contra as interpretações equivocadas, que evocam para os dias hodiernos, conceitos e costumes pretéritos.” A Família no Antigo Testamento, p. 19, CPAD “Na sociedade patriarcal primitiva semita e mesopotâmica, as diferenças sexuais influíam na hierarquia das relações sociais; os homens exerciam a função de dominadores e as mulheres de dominadas. Era, na verdade, uma relação de dominação-subordinação socialmente condicionada pela distinção sexual entre homem e mulher.” A Família no Antigo Testamento, p. 138, CPAD Pontos importantes para a interpretação bíblica:
  • 7. A hermenêutica de Gênesis 19: 1º Ponto: o texto bíblico diz que todos os homens de Sodoma cercaram a casa de Ló. Em qualquer sociedade, os homossexuais são minoria, portanto, aqueles homens, definitivamente, não eram homossexuais. Sodoma não seria uma cidade tão numerosa e próspera se ali houvesse apenas homossexuais, na verdade, tal cidade nem existiria. 2º Ponto: Eles exigiam que os estrangeiros (Anjos em forma humana) que ali estavam fossem postos para fora a fim de que fossem abusados. (v. 5); sua intenção era fazer o mal, humilhando os visitantes da forma mais vil possível:
  • 8. “... Não se pode imaginar desprezo maior das práticas orientais de hospitalidade do que submeter hóspedes de sexo masculino a estupro por outros homens.” Comentário Bíblico, Editora Vida Nova, SP, p.123 3º Ponto: Os sodomitas nutriam sentimento de ódio aos estrangeiros (xenofobia). Ló também era estrangeiro. Os sodomitas ameaçaram fazer mais mal a ele que aos próprios visitantes (v. 9).
  • 9. Eles chamaram Ló e lhe disseram: “Onde estão os homens que vieram à tua casa ao cair da noite? Traze-os para fora. Queremos descarregar sobre eles a nossa fúria homossexual!” Gênesis 19.5 Bíblia Sagrada, Edições Loyola “Enquanto se refaziam, os habitantes, os habitantes da cidade, verdadeiros canalhas, cercaram a casa, batendo à porta. Disseram ao ancião, dono da casa: “Manda para fora o homem que entrou em tua casa para que dele abusemos”. Juízes 19.22 Bíblia Sagrada, Edições Loyola “Não se esqueçam das cidades de Sodoma e Gomorra, e as cidades vizinhas, todas cheias de imoralidade de toda espécie, inclusive a paixão de homens por outros homens.” Judas 7 Bíblia Viva, Editora Mundo Cristão
  • 10. O testemunho dos profetas 1. Ezequiel 16. 49 e 50. 2. Jeremias 23.14 3. Isaías 1.10, 16 e 17. Todos os profetas associam Sodoma e Gomorra à falta de justiça, à maldade e ao desamparo aos necessitados.
  • 11. O testemunho de Jesus Quando, porém, entrardes numa cidade e não vos receberem, saí pelas ruas e clamai: Até o pó da vossa cidade, que se nos pegou aos pés, sacudimos contra vós outros. Não obstante, sabei que está próximo o reino de Deus. Digo-vos que, naquele dia, haverá menos rigor para Sodoma do que para aquela cidade. Lucas 10. 10-12 Jesus confirma, mais uma vez, que o pecado de Sodoma foi a rejeição ao estrangeiro. Em suma: falta de hospitalidade.
  • 12. O que diz a antiga tradição judaica “Os homens de Sodoma não se orgulhavam de outra coisa senão da fartura e da riqueza que possuíam [...]. E eles diziam: Se de nossa terra tiramos pão e minério de ouro, para que precisamos dos forasteiros? Não precisamos que venha a nós qualquer pessoa, pois vem apenas para tomar o que é nosso. Apaguemos, pois, de nossa terra as leis e costumes de ir e vir.” Midrash, San’hedrin 109 – A Lei da Torá, Editora Sêfer, p. 46 (Documento extra bíblico)
  • 13. “O pecado de Sodoma e Gomorra é habitualmente identificado com a prática do homossexualismo (sic) [...] contudo, os profetas o associam à toda classe de desordens e natureza social. Em Is. 1.10-17;3.9, esse pecado é a injustiça; em Jr. 23.14, o adultério, a mentira e o incitamento à maldade; em Ez. 16.49, o orgulho, a vida fácil e a despreocupação com os pobres”. Bíblia de Estudo Almeida Boas Novas na Teologia!
  • 14. Quem está manipulando a Bíblia “As práticas homossexuais são terminantemente proibidas! O homossexualismo é um pecado terrível!” Levítico 18.22 Bíblia Viva, Editora Mundo Cristão “Quem praticar o homossexualismo será condenado à morte. Só a morte deles faz justiça a eles.” Levítico 20.13 Bíblia Viva, Editora Mundo Cristão “Não serão permitidas prostitutas em Israel – nem homens nem mulheres; muito menos com o pretexto de estarem prestando serviços ao templo. Ninguém deverá apresentar ofertas ao senhor provenientes dos lucros ganhos por prostitutas e homossexuais.” Deuteronômio 23.17 e 18 Bíblia Viva, Editora Mundo Cristão
  • 15. Primeiro texto bíblico a mencionar e condenar claramente o ato sexual entre homens. “Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; é abominação. 18.22” ”Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisa abominável; serão mortos; o seu sangue cairá sobre eles.” 20.13 Levítico: Os cananeus e a prostituição cultual.
  • 16. Existem vários pontos a se considerar sobre esses versículos: • Tais textos condenam a homoafetividade? • Se existe condenação à homoafetividade, por que o sexo entre mulheres não foi mencionado? • Por que as igrejas cristãs tradicionais não defendem a morte para os homossexuais? • Por que tal ato é classificado como abominação? • Por que o texto condena o papel passivo da relação homossexual? Levítico
  • 17. 1. Tais textos condenam a homoafetividade? Não. A homossexualidade, como orientação sexual, não fazia parte da compreensão da sociedade judaica da época. O contexto de Levítico está distante do nosso em muitos aspectos. Seu objetivo é proteger Israel das práticas sexuais pagãs. 2. Se existe condenação à homoafetividade, por que o sexo entre mulheres não foi mencionado? As mulheres são mencionadas em todas as outras proibições sexuais de Levítico, porém, o sexo entre elas não foi proibido, pois, segundo a crença da época, as mulheres não possuíam semente, isso era exclusividade dos homens. A história de Onã, em Gênesis 38 exemplifica muito bem esse fato. Havia uma razão especial para a proibição do sexo entre homens, porém, esta não se relacionava à afetividade, mas a perda da vida, representada pelo sêmen.
  • 18. 3. Por que as igrejas cristãs tradicionais não defendem a morte para os homossexuais? As Igrejas não defendem a morte para os gays hoje em dia porque interpretam a Bíblia de forma seletiva, ou seja, só utilizam os textos por partes, aquelas que concordam com suas doutrinas. Usam a parte A e desprezam a parte B do texto, ignorando, também, a regra do paralelismo (semelhança entre textos diferentes), algo desonesto para com a Bíblia, com a Hermenêutica e com a Exegese. 4. Por que tal ato é classificado como abominação? O sexo entre homens em Levítico é chamado de abominação porque tal palavra indica, dentre outras coisas, rituais idolátricos, muitos dos quais envolviam orgias as mais variadas.
  • 19. 5. Por que o texto condena o papel passivo da relação homossexual? A condenação ao sexo passivo (próprio da mulher) associa o homem a um papel feminino, representando ultraje e humilhação para ele. A identidade judaica era patriarcal e androcêntrica, ou seja, centrada no homem, na sua masculinidade e “superioridade”. A mulher, naquela época, estava reduzida ao status de propriedade masculina. A melhor forma de se humilhar um homem nesse período era obrigá-lo a cumprir uma função feminina e nada melhor que o sexo para representar isso. Fazer isso voluntariamente desonrava o papel para o qual o homem havia sido criado. Quando lemos as narrações de Gênesis 19 e de Juízes 19, que relatam tentativas de abuso sexual entre homens, essa verdade fica bem clara
  • 20. As proibições contidas em Levítico 18 abrangem três aspectos diferentes: relações sexuais entre pessoas com algum grau de parentesco (6-18), relações sexuais consideradas impuras (19 e 20) e relações sexuais ligadas à idolatria (21-23). No Egito e em Canãa, os monarcas mantinham relações incestuosas para manter e consolidar o seu poder político. Israel fora escolhido para ter uma identidade nova, portanto, devia preservar-se de tais práticas.
  • 21. Cananeus e rituais religiosos • As praticas relatadas em Levíticos 18 eram costumeiras naquele povo. • As religiões cananeias enfatizavam a capacidade reprodutiva da terra, tudo estava ligado à fertilidade da terra • Isso explica os intercursos sexuais em suas cerimônias. • Prostituição Cultual • Devoção aos deuses Moloque, Milcom, Astarote e Baal.
  • 22. “O judaísmo conhecia apenas duas categorias de eunucos: Os ‘feitos pelo homem’ (em hebraico sãrïs 'ãdhãm) e aqueles que nasceram congenitamente incapazes ou sem libido (instinto e desejos sexuais) chamados de ‘natural’ ou ‘eunuco do sol’ (em hebraico sãrïs hammâ)”. Novo Testamento King James, Edição de estudo. São Paulo. Abba Press, 2007, pág. 54 Boas Novas na Teologia não inclusiva!
  • 23. "Alguns homens, desde o seu nascimento, têm uma natureza a afastar- se das mulheres, e aqueles que o eram naturalmente faziam bem em não se casar. Estes, dizem, são os eunucos a partir do nascimento.” Stromata, III 1.1 O que diz a antiga tradição judaica?