SlideShare uma empresa Scribd logo
PROJETO UERJ
AULA 1
Quitéria Paravidino
Aula 1. ecologia
A Ecologia estuda os aspectos ambientais da vida.
Isso inclui as interferências humanas no ambiente.
Espécie População Comunidade
Fatores abióticos
Ecossistema
(ambiente)
Ecossistema Biosfera
Fatores abióticos
(Biótopo)
Fatores bióticos
(Comunidade)
Interações
Interações
interespecíficas
Interações
intraespecíficas
Biociclos
Terrestre
(epinociclo)
Marinho
(talassociclo)
Água doce
(limnociclo)
Biócoros
Floresta Campo Deserto
 Localização da
espécie em seu
ecossistema.
 Onde encontra
abrigo, alimentação
e reprodução.
 Modo de vida de
uma espécie em
seu habitat.
 Inclui tipo de
nutrição, interações
com o ambiente e
com outras
espécies, forma de
reprodução.
 Tem hábitos diurnos e
arborícolas.
 São onívoros.
 Peso: 360 a 710 g.
 Longevidade: 15 anos
 Vivem em grupos de até
8 indivíduos.
 São monógamos e fiéis.
 Período reprodutivo:
setembro a março.
 Gestação demora 4
meses e meio.
 Nº de filhotes: 1 a 3/ano.
 Cada espécie ocupa um nicho ecológico em
seu ambiente e tem um papel na manutenção
do equilíbrio ecológico – a homeostase
ambiental.
 Quando há sobreposição de nichos
ecológicos ocorre competição.
 Mecanismo de seleção natural.
 Produtores: são autótrofos, produzem
matéria orgânica. Plantas e algas.
 Consumidores: são heterótrofos, dependendo
direta ou indiretamente da matéria orgânica
produzida pelos autótrofos.Animais,
protozoários,...
 Decompositores: são heterótrofos especiais,
pois transformar matéria orgânica em matéria
inorgânica. Fungos e bactérias.
Aula 1. ecologia
Aula 1. ecologia
Aula 1. ecologia
Pirâmides ecológicas
 No estudo de um determinado ecossistema,
é fundamental estabelecer sua teia alimentar
principal, identificando as relações
alimentares entre os seres vivo
 Uma abordagem qualitativa.
 Também é importante uma avaliação
quantitativa do ecossistema, que mostre
como os diversos níveis tróficos estão
ocupados.
Pirâmide de nº ou frequência
Plantas  gafanhotos  aves  decompositores
3 Ipês  besouros  aves  decompositores
Aula 1. ecologia
Pirâmide de biomassa
 A biomassa é expressa em termos de
quantidade de matéria orgânica por unidade
de área, em determinado momento.
 O peso seco por unidade de área, representa
a biomassa do campo, que pode ser expressa
em g/m² ou em kg/m².
Capim  bois  onça  decompositores
Fitoplâncton  zooplâncton  decompositores
Aula 1. ecologia
Pirâmide de Energia
 1. (Uerj 2015) Considere dois ecossistemas, um
terrestre e outro marinho. Em cada um deles, é
possível identificar o nível trófico em que se
encontra a maior quantidade de biomassa por
unidade de área, em um determinado período.
Para o ecossistema terrestre e para o marinho,
esses níveis tróficos correspondem,
respectivamente, a:
a) produtores − produtores
b) consumidores primários − produtores
c) produtores − consumidores primários
d) consumidores primários − consumidores
primários
Ciclo do Nitrogênio
 Elemento de grande importância:
constitui proteínas, ácidos nucléicos e
ATP.
Aula 1. ecologia
Mutualismo bactérias x raízes
de leguminosas
 2- (2014) Em seu processo de fixação biológica, o
gás atmosférico nitrogênio é convertido em
compostos inorgânicos nitrogenados. Um exemplo
desse mecanismo de conversão ocorre na relação
simbiótica entre bactérias do gênero Rhizobium e
raízes de leguminosas.
 Indique duas vantagens dessa relação simbiótica,
uma para a planta e outra para a bactéria. Em
seguida, cite o íon nitrogenado usado
preferencialmente pelas plantas no processo de
fixação e nomeie uma das moléculas, encontradas
nas células vegetais, que incorpora esse íon.
 Planta: utilizar, em seu metabolismo, os compostos
nitrogenados produzidos pela bactéria.
 Bactéria: utilizar, para suas necessidades energéticas,
os carboidratos cedidos pela planta.
 Proteínas, aminoácidos, ácidos nucleicos ou bases
nitrogenadas.
 O ciclo do nitrogênio é extremamente
importante para os seres vivos. Esse
elemento faz parte de diversos compostos
orgânicos, como proteínas e ácidos nucleicos.
Na tabela, há exemplos de formas químicas
do nitrogênio incorporadas por alguns seres
vivos.
Seres
vivos
Composto nitrogenado
orgânico inorgânico
Plantas
aminoácidos
amônia ( NH3)
nitrato (NO3
-
)
bactérias
amônia (NH3)
nitrato (NO3
-
)
nitrito (NO2
-
)
animais -
 4. (Uerj 2014) No ciclo do nitrogênio, as
bactérias desnitrificantes estão relacionadas à
função apontada em:
a) conversão da amônia em nitrito
b) produção de nitrato a partir da amônia
c) liberação de gás nitrogênio para o ambiente
d) incorporação de nitrogênio molecular em
aminoácidos
Aula 1. ecologia
Ciclo do gás carbônico
Aula 1. ecologia
Aula 1. ecologia
Aula 1. ecologia
Origem dos gases estufa
Aula 1. ecologia
3- (Uerj.2014)
Nomeie as duas proteínas mais abundantes das fibras
musculares, responsáveis por sua contração. Explique,
ainda, a relação entre a expansão mundial dos rebanhos de
bovinos e o aumento do efeito estufa.
 Actina e miosina.
 Durante o processo de ruminação, bactérias
que vivem em mutualismo na pança dos
bovinos produzem gás metano como
resultado da fermentação da celulose. A
liberação desse gás na atmosfera, por um nº
cada vez maior de animais, contribui para o
aumento do efeito estufa.
Barra da Tijuca
Excesso de dejetos orgânicos
Proliferação de
algas e
cianobactérias
Proliferação de
consumidores
Águas turvas
Maior consumo de O2
Diminuição da taxa
de fotossíntese
Redução
da aeração
Morte dos seres
sensíveis
Aumento de
decompositores
aeróbios
Aumento da DBO
Desaparecimento
ou redução de
aeróbios
Aumento de
decompositores
anaeróbios
Liberação de H2S
 Com as chuvas intensas que caíram na cidade
do Rio de Janeiro em março de 2013, grande
quantidade de matéria orgânica se depositou
na lagoa Rodrigo de Freitas. O consumo
biológico desse material contribuiu para a
redução a zero do nível de gás oxigênio
dissolvido na água, provocando a
mortandade dos peixes.
 5. (Uerj 2014) Os dois principais grupos de
seres vivos envolvidos no processo de
diminuição da taxa de oxigênio disponível
são:
a) algas e bactérias
b) plantas e bactérias
c) algas e microcrustáceos
d) plantas e microcrustáceos
 6. (Uerj 2013) O esquema abaixo indica
etapas do ciclo do carbono em um
ecossistema lacustre. Os conjuntos A e B
representam importantes atividades
metabólicas encontradas em seres vivos
desse lago. Fotossíntese Respiração
 Considere as atividades metabólicas encontradas
em animais e em cianobactérias desse
ecossistema.
 Aponte quais desses seres vivos realizam tanto o
conjunto A quanto o conjunto B de atividades.
Justifique sua resposta, utilizando as
informações do esquema.
 Cianobactérias.
 Essas bactérias realizam tanto a respiração
quanto a fotossíntese, formando matéria
orgânica, liberando oxigênio e consumindo gás
carbônico e água nesse processo.
 7. (Uerj 2013) O processo de eutrofização
ocorrido em um determinado lago acarretou
alterações em diversos parâmetros medidos
na água, dentre eles, as concentrações de
nutrientes, de oxigênio dissolvido, de
organismos aeróbicos e de organismos
anaeróbicos.
 Observe os gráficos abaixo, que relacionam
as concentrações desses parâmetros e o
tempo no processo citado.
 O gráfico que
representa o processo
de eutrofização
ocorrido na água
desse lago está
indicado pela seguinte
letra:
a) W b) X
c) Y d) Z
 8. (Uerj 2012) O aumento da poluição
atmosférica, especialmente pelo acúmulo de
gases do efeito estufa, como o CO2 , tem
acarretado a elevação da temperatura global.
Alguns seres vivos, no entanto, apresentam
um metabolismo capaz de fixar esse gás em
matéria orgânica.
 Em condições ideais, o grupo de organismos
com maior capacidade de fixar CO2 é:
a) levedo b) bactéria
c) zooplâncton d) fitoplâncton
 9. (Uerj 2012) Em um ecossistema lacustre
habitado por vários peixes de pequeno porte,
foi introduzido um determinado peixe
carnívoro. A presença desse predador
provocou variação das populações de seres
vivos ali existentes, conforme mostra o
gráfico a seguir.
 A curva que indica a tendência da variação da
população de fitoplâncton nesse lago, após a
introdução do peixe carnívoro, é a identificada
por:
a) W b) X c) Y d) Z
 Ocupa somente 7% da superfície da Terra.
 Vegetação exuberante pois recebe muita luz e água
durante o ano.
 Folhas largas (latifoliadas) e perenes.
 Também chamada de floresta tropical perenifólia.
Floresta pluvial tropical
Aula 1. ecologia
 16- (2013) Considere três ecossistemas: deserto,
floresta tropical perenifólia e mar aberto.
 Os gráficos abaixo indicam as medidas obtidas
nesses ecossistemas em relação a três diferentes
parâmetros:
 Identifique o ecossistema correspondente à floresta
tropical perenifólia, justificando sua resposta.
 Identifique, também, qual é o ecossistema A e explique
por que a luz pode ser considerada o fator abiótico que
limita a produtividade primária líquida média neste
ecossistema.
 Ecossistema C. A floresta tropical perenifólia apresenta
maior PPL/m², pois as folhas largas de suas árvores têm
maior disponibilidade de água e luz.
 Mar aberto. A luz só consegue penetrar até a profundidade
de 200m, formando uma zona fótica estreita e, por isso,
diminuindo a taxa de fotossíntese.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Resumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Resumo fluxos de energia e ciclo de matériaResumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Resumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Nuno Coelho
 
Revisão ENEM - Ecologia (aula do dia 27.07)
Revisão ENEM - Ecologia (aula do dia 27.07)Revisão ENEM - Ecologia (aula do dia 27.07)
Revisão ENEM - Ecologia (aula do dia 27.07)
emanuel
 
Ecossistema
EcossistemaEcossistema
Ecossistema
N C
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Magali Feldmann
 
Aula ecologia.
Aula ecologia.Aula ecologia.
Aula ecologia.
Gov. Estado do Paraná
 
Resumo fluxo de energia e ciclo da matéria
Resumo fluxo de energia e ciclo da matériaResumo fluxo de energia e ciclo da matéria
Resumo fluxo de energia e ciclo da matéria
Lucca
 
Exercicios fotossintese primeiro ano
Exercicios fotossintese primeiro anoExercicios fotossintese primeiro ano
Exercicios fotossintese primeiro ano
Ionara Urrutia Moura
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Cecel Barros
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Carla Brites
 
Revisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enemRevisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enem
Estude Mais
 
Metabolismo de Lagos
Metabolismo de LagosMetabolismo de Lagos
Metabolismo de Lagos
Limnos Ufsc
 
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemasConceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Renata Lemos Garcia
 
Testes aval c-8-f
Testes aval c-8-fTestes aval c-8-f
Testes aval c-8-f
Dani Salazar
 
Fluxo de energia e ciclo de matéria
Fluxo de energia e ciclo de matériaFluxo de energia e ciclo de matéria
Fluxo de energia e ciclo de matéria
anacrmachado
 
fluxo de energia nos ecossistemas
fluxo de energia nos ecossistemasfluxo de energia nos ecossistemas
fluxo de energia nos ecossistemas
lpmir
 
Apostila de ecologia 1
Apostila de ecologia 1Apostila de ecologia 1
Apostila de ecologia 1
Juh Rodrigues
 
Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia   Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia
emanuel
 
Projeto enem biologia 30.10.2014
Projeto enem biologia 30.10.2014Projeto enem biologia 30.10.2014
Projeto enem biologia 30.10.2014
Nahya Paola Souza
 
conceitos em ecologia
conceitos em ecologiaconceitos em ecologia
conceitos em ecologia
Chiara Lubich
 
UNEB
UNEBUNEB

Mais procurados (20)

Resumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Resumo fluxos de energia e ciclo de matériaResumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Resumo fluxos de energia e ciclo de matéria
 
Revisão ENEM - Ecologia (aula do dia 27.07)
Revisão ENEM - Ecologia (aula do dia 27.07)Revisão ENEM - Ecologia (aula do dia 27.07)
Revisão ENEM - Ecologia (aula do dia 27.07)
 
Ecossistema
EcossistemaEcossistema
Ecossistema
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Aula ecologia.
Aula ecologia.Aula ecologia.
Aula ecologia.
 
Resumo fluxo de energia e ciclo da matéria
Resumo fluxo de energia e ciclo da matériaResumo fluxo de energia e ciclo da matéria
Resumo fluxo de energia e ciclo da matéria
 
Exercicios fotossintese primeiro ano
Exercicios fotossintese primeiro anoExercicios fotossintese primeiro ano
Exercicios fotossintese primeiro ano
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
 
Revisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enemRevisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enem
 
Metabolismo de Lagos
Metabolismo de LagosMetabolismo de Lagos
Metabolismo de Lagos
 
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemasConceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemas
 
Testes aval c-8-f
Testes aval c-8-fTestes aval c-8-f
Testes aval c-8-f
 
Fluxo de energia e ciclo de matéria
Fluxo de energia e ciclo de matériaFluxo de energia e ciclo de matéria
Fluxo de energia e ciclo de matéria
 
fluxo de energia nos ecossistemas
fluxo de energia nos ecossistemasfluxo de energia nos ecossistemas
fluxo de energia nos ecossistemas
 
Apostila de ecologia 1
Apostila de ecologia 1Apostila de ecologia 1
Apostila de ecologia 1
 
Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia   Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia
 
Projeto enem biologia 30.10.2014
Projeto enem biologia 30.10.2014Projeto enem biologia 30.10.2014
Projeto enem biologia 30.10.2014
 
conceitos em ecologia
conceitos em ecologiaconceitos em ecologia
conceitos em ecologia
 
UNEB
UNEBUNEB
UNEB
 

Semelhante a Aula 1. ecologia

Questões do ENEM (1).pptx
Questões do ENEM (1).pptxQuestões do ENEM (1).pptx
Questões do ENEM (1).pptx
MarianePatricioCosta
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Magali Feldmann
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Nanda Freitas
 
Aula Ecologia.ppt
Aula Ecologia.pptAula Ecologia.ppt
Aula Ecologia.ppt
celembio
 
Aula Ecologia energia básico para os ano
Aula Ecologia energia básico para os anoAula Ecologia energia básico para os ano
Aula Ecologia energia básico para os ano
TainTeixeiraBiolouka
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Andrey Moreira
 
Ciclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicosCiclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicos
Claudiney C. Rodrigues
 
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 01 2007
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 01 2007Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 01 2007
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 01 2007
elisamello
 
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 01 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 01 2007 RevisadoAulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 01 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 01 2007 Revisado
elisamello
 
C:\Fakepath\1 CiêNcias Do Ambiente Programa E Ecossistemas
C:\Fakepath\1 CiêNcias Do Ambiente Programa E EcossistemasC:\Fakepath\1 CiêNcias Do Ambiente Programa E Ecossistemas
C:\Fakepath\1 CiêNcias Do Ambiente Programa E Ecossistemas
guest5b12783
 
Ficha.Bio.10º.Leya.docx
Ficha.Bio.10º.Leya.docxFicha.Bio.10º.Leya.docx
Ficha.Bio.10º.Leya.docx
DinaBrtolo
 
Ficha.Bio.10º.Leya.docx
Ficha.Bio.10º.Leya.docxFicha.Bio.10º.Leya.docx
Ficha.Bio.10º.Leya.docx
DinaBrtolo
 
BIO UNO 550 páginas.pdf
BIO UNO 550 páginas.pdfBIO UNO 550 páginas.pdf
BIO UNO 550 páginas.pdf
ZeineSoares
 
Biomas e sucessão
Biomas e sucessãoBiomas e sucessão
Biomas e sucessão
Edu Rabelo
 
Quizz da biologia – 3ª série (ecologia, genética e evolução0
Quizz da biologia – 3ª série (ecologia, genética e evolução0Quizz da biologia – 3ª série (ecologia, genética e evolução0
Quizz da biologia – 3ª série (ecologia, genética e evolução0
Colégio Estadual Padre Fernando Gomes de Melo
 
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e EcossitemasConceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Antonio Fernandes
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Alessandra Tome
 
Educ amb-ciclos-biogeoquimicos
Educ amb-ciclos-biogeoquimicosEduc amb-ciclos-biogeoquimicos
Educ amb-ciclos-biogeoquimicos
alfred cutipa canaza
 
Ciclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicosCiclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicos
Werner Mendoza Blanco
 

Semelhante a Aula 1. ecologia (20)

Questões do ENEM (1).pptx
Questões do ENEM (1).pptxQuestões do ENEM (1).pptx
Questões do ENEM (1).pptx
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Aula Ecologia.ppt
Aula Ecologia.pptAula Ecologia.ppt
Aula Ecologia.ppt
 
Aula Ecologia energia básico para os ano
Aula Ecologia energia básico para os anoAula Ecologia energia básico para os ano
Aula Ecologia energia básico para os ano
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Ciclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicosCiclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicos
 
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 01 2007
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 01 2007Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 01 2007
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 01 2007
 
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 01 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 01 2007 RevisadoAulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 01 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 01 2007 Revisado
 
C:\Fakepath\1 CiêNcias Do Ambiente Programa E Ecossistemas
C:\Fakepath\1 CiêNcias Do Ambiente Programa E EcossistemasC:\Fakepath\1 CiêNcias Do Ambiente Programa E Ecossistemas
C:\Fakepath\1 CiêNcias Do Ambiente Programa E Ecossistemas
 
Ficha.Bio.10º.Leya.docx
Ficha.Bio.10º.Leya.docxFicha.Bio.10º.Leya.docx
Ficha.Bio.10º.Leya.docx
 
Ficha.Bio.10º.Leya.docx
Ficha.Bio.10º.Leya.docxFicha.Bio.10º.Leya.docx
Ficha.Bio.10º.Leya.docx
 
BIO UNO 550 páginas.pdf
BIO UNO 550 páginas.pdfBIO UNO 550 páginas.pdf
BIO UNO 550 páginas.pdf
 
Biomas e sucessão
Biomas e sucessãoBiomas e sucessão
Biomas e sucessão
 
Quizz da biologia – 3ª série (ecologia, genética e evolução0
Quizz da biologia – 3ª série (ecologia, genética e evolução0Quizz da biologia – 3ª série (ecologia, genética e evolução0
Quizz da biologia – 3ª série (ecologia, genética e evolução0
 
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e EcossitemasConceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Ecologia
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Educ amb-ciclos-biogeoquimicos
Educ amb-ciclos-biogeoquimicosEduc amb-ciclos-biogeoquimicos
Educ amb-ciclos-biogeoquimicos
 
Ciclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicosCiclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicos
 

Mais de Alpha Colégio e Vestibulares

Separação de misturas
Separação de misturasSeparação de misturas
Separação de misturas
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Estudo da Química
Estudo da QuímicaEstudo da Química
Estudo da Química
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Bioenergética i respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética i   respiração celular - aulas 31 e 32Bioenergética i   respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética i respiração celular - aulas 31 e 32
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Bioenergética respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética  respiração celular - aulas 31 e 32Bioenergética  respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética respiração celular - aulas 31 e 32
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianasBiologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino moneraBiologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Vírus - Tipos e Doenças Virais - Biologia A - Profª Lara
Vírus  - Tipos e Doenças Virais -  Biologia A - Profª LaraVírus  - Tipos e Doenças Virais -  Biologia A - Profª Lara
Vírus - Tipos e Doenças Virais - Biologia A - Profª Lara
Alpha Colégio e Vestibulares
 
O Sistema Endócrino
O Sistema EndócrinoO Sistema Endócrino
O Sistema Endócrino
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Diversidade da vida - Reinos e domínios
Diversidade da vida - Reinos e domíniosDiversidade da vida - Reinos e domínios
Diversidade da vida - Reinos e domínios
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Os vírus - características e ação
Os vírus  - características e açãoOs vírus  - características e ação
Os vírus - características e ação
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Gabarito caderno de exercícios 2
Gabarito caderno de exercícios 2Gabarito caderno de exercícios 2
Gabarito caderno de exercícios 2
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Gabarito Caderno de Exercícios 2
Gabarito Caderno de Exercícios 2Gabarito Caderno de Exercícios 2
Gabarito Caderno de Exercícios 2
Alpha Colégio e Vestibulares
 
A origem da vida
A origem da vidaA origem da vida
Sistemas de transporte
Sistemas de transporteSistemas de transporte
Sistemas de transporte
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e VerminosesProfª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
 Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Bioenergética II - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Bioenergética II  - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.Bioenergética II  - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Bioenergética II - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Alpha Colégio e Vestibulares
 

Mais de Alpha Colégio e Vestibulares (20)

Separação de misturas
Separação de misturasSeparação de misturas
Separação de misturas
 
Estudo da Química
Estudo da QuímicaEstudo da Química
Estudo da Química
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Bioenergética i respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética i   respiração celular - aulas 31 e 32Bioenergética i   respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética i respiração celular - aulas 31 e 32
 
Bioenergética respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética  respiração celular - aulas 31 e 32Bioenergética  respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética respiração celular - aulas 31 e 32
 
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianasBiologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
 
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino moneraBiologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
 
Vírus - Tipos e Doenças Virais - Biologia A - Profª Lara
Vírus  - Tipos e Doenças Virais -  Biologia A - Profª LaraVírus  - Tipos e Doenças Virais -  Biologia A - Profª Lara
Vírus - Tipos e Doenças Virais - Biologia A - Profª Lara
 
O Sistema Endócrino
O Sistema EndócrinoO Sistema Endócrino
O Sistema Endócrino
 
Diversidade da vida - Reinos e domínios
Diversidade da vida - Reinos e domíniosDiversidade da vida - Reinos e domínios
Diversidade da vida - Reinos e domínios
 
Os vírus - características e ação
Os vírus  - características e açãoOs vírus  - características e ação
Os vírus - características e ação
 
Gabarito caderno de exercícios 2
Gabarito caderno de exercícios 2Gabarito caderno de exercícios 2
Gabarito caderno de exercícios 2
 
Gabarito Caderno de Exercícios 2
Gabarito Caderno de Exercícios 2Gabarito Caderno de Exercícios 2
Gabarito Caderno de Exercícios 2
 
A origem da vida
A origem da vidaA origem da vida
A origem da vida
 
Sistemas de transporte
Sistemas de transporteSistemas de transporte
Sistemas de transporte
 
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e VerminosesProfª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
 
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
 Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
 
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
 
Bioenergética II - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Bioenergética II  - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.Bioenergética II  - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Bioenergética II - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
 

Último

Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
Faga1939
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
GrazielaTorrezan
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 

Aula 1. ecologia

  • 3. A Ecologia estuda os aspectos ambientais da vida. Isso inclui as interferências humanas no ambiente.
  • 4. Espécie População Comunidade Fatores abióticos Ecossistema (ambiente)
  • 5. Ecossistema Biosfera Fatores abióticos (Biótopo) Fatores bióticos (Comunidade) Interações Interações interespecíficas Interações intraespecíficas
  • 7.  Localização da espécie em seu ecossistema.  Onde encontra abrigo, alimentação e reprodução.
  • 8.  Modo de vida de uma espécie em seu habitat.  Inclui tipo de nutrição, interações com o ambiente e com outras espécies, forma de reprodução.
  • 9.  Tem hábitos diurnos e arborícolas.  São onívoros.  Peso: 360 a 710 g.  Longevidade: 15 anos  Vivem em grupos de até 8 indivíduos.  São monógamos e fiéis.  Período reprodutivo: setembro a março.  Gestação demora 4 meses e meio.  Nº de filhotes: 1 a 3/ano.
  • 10.  Cada espécie ocupa um nicho ecológico em seu ambiente e tem um papel na manutenção do equilíbrio ecológico – a homeostase ambiental.  Quando há sobreposição de nichos ecológicos ocorre competição.  Mecanismo de seleção natural.
  • 11.  Produtores: são autótrofos, produzem matéria orgânica. Plantas e algas.  Consumidores: são heterótrofos, dependendo direta ou indiretamente da matéria orgânica produzida pelos autótrofos.Animais, protozoários,...  Decompositores: são heterótrofos especiais, pois transformar matéria orgânica em matéria inorgânica. Fungos e bactérias.
  • 15. Pirâmides ecológicas  No estudo de um determinado ecossistema, é fundamental estabelecer sua teia alimentar principal, identificando as relações alimentares entre os seres vivo  Uma abordagem qualitativa.  Também é importante uma avaliação quantitativa do ecossistema, que mostre como os diversos níveis tróficos estão ocupados.
  • 16. Pirâmide de nº ou frequência Plantas  gafanhotos  aves  decompositores
  • 17. 3 Ipês  besouros  aves  decompositores
  • 19. Pirâmide de biomassa  A biomassa é expressa em termos de quantidade de matéria orgânica por unidade de área, em determinado momento.  O peso seco por unidade de área, representa a biomassa do campo, que pode ser expressa em g/m² ou em kg/m².
  • 20. Capim  bois  onça  decompositores
  • 21. Fitoplâncton  zooplâncton  decompositores
  • 24.  1. (Uerj 2015) Considere dois ecossistemas, um terrestre e outro marinho. Em cada um deles, é possível identificar o nível trófico em que se encontra a maior quantidade de biomassa por unidade de área, em um determinado período. Para o ecossistema terrestre e para o marinho, esses níveis tróficos correspondem, respectivamente, a: a) produtores − produtores b) consumidores primários − produtores c) produtores − consumidores primários d) consumidores primários − consumidores primários
  • 25. Ciclo do Nitrogênio  Elemento de grande importância: constitui proteínas, ácidos nucléicos e ATP.
  • 27. Mutualismo bactérias x raízes de leguminosas
  • 28.  2- (2014) Em seu processo de fixação biológica, o gás atmosférico nitrogênio é convertido em compostos inorgânicos nitrogenados. Um exemplo desse mecanismo de conversão ocorre na relação simbiótica entre bactérias do gênero Rhizobium e raízes de leguminosas.  Indique duas vantagens dessa relação simbiótica, uma para a planta e outra para a bactéria. Em seguida, cite o íon nitrogenado usado preferencialmente pelas plantas no processo de fixação e nomeie uma das moléculas, encontradas nas células vegetais, que incorpora esse íon.  Planta: utilizar, em seu metabolismo, os compostos nitrogenados produzidos pela bactéria.  Bactéria: utilizar, para suas necessidades energéticas, os carboidratos cedidos pela planta.  Proteínas, aminoácidos, ácidos nucleicos ou bases nitrogenadas.
  • 29.  O ciclo do nitrogênio é extremamente importante para os seres vivos. Esse elemento faz parte de diversos compostos orgânicos, como proteínas e ácidos nucleicos. Na tabela, há exemplos de formas químicas do nitrogênio incorporadas por alguns seres vivos.
  • 30. Seres vivos Composto nitrogenado orgânico inorgânico Plantas aminoácidos amônia ( NH3) nitrato (NO3 - ) bactérias amônia (NH3) nitrato (NO3 - ) nitrito (NO2 - ) animais -
  • 31.  4. (Uerj 2014) No ciclo do nitrogênio, as bactérias desnitrificantes estão relacionadas à função apontada em: a) conversão da amônia em nitrito b) produção de nitrato a partir da amônia c) liberação de gás nitrogênio para o ambiente d) incorporação de nitrogênio molecular em aminoácidos
  • 33. Ciclo do gás carbônico
  • 39. 3- (Uerj.2014) Nomeie as duas proteínas mais abundantes das fibras musculares, responsáveis por sua contração. Explique, ainda, a relação entre a expansão mundial dos rebanhos de bovinos e o aumento do efeito estufa.
  • 40.  Actina e miosina.  Durante o processo de ruminação, bactérias que vivem em mutualismo na pança dos bovinos produzem gás metano como resultado da fermentação da celulose. A liberação desse gás na atmosfera, por um nº cada vez maior de animais, contribui para o aumento do efeito estufa.
  • 42. Excesso de dejetos orgânicos Proliferação de algas e cianobactérias Proliferação de consumidores Águas turvas Maior consumo de O2 Diminuição da taxa de fotossíntese Redução da aeração Morte dos seres sensíveis Aumento de decompositores aeróbios Aumento da DBO Desaparecimento ou redução de aeróbios Aumento de decompositores anaeróbios Liberação de H2S
  • 43.  Com as chuvas intensas que caíram na cidade do Rio de Janeiro em março de 2013, grande quantidade de matéria orgânica se depositou na lagoa Rodrigo de Freitas. O consumo biológico desse material contribuiu para a redução a zero do nível de gás oxigênio dissolvido na água, provocando a mortandade dos peixes.
  • 44.  5. (Uerj 2014) Os dois principais grupos de seres vivos envolvidos no processo de diminuição da taxa de oxigênio disponível são: a) algas e bactérias b) plantas e bactérias c) algas e microcrustáceos d) plantas e microcrustáceos
  • 45.  6. (Uerj 2013) O esquema abaixo indica etapas do ciclo do carbono em um ecossistema lacustre. Os conjuntos A e B representam importantes atividades metabólicas encontradas em seres vivos desse lago. Fotossíntese Respiração
  • 46.  Considere as atividades metabólicas encontradas em animais e em cianobactérias desse ecossistema.  Aponte quais desses seres vivos realizam tanto o conjunto A quanto o conjunto B de atividades. Justifique sua resposta, utilizando as informações do esquema.  Cianobactérias.  Essas bactérias realizam tanto a respiração quanto a fotossíntese, formando matéria orgânica, liberando oxigênio e consumindo gás carbônico e água nesse processo.
  • 47.  7. (Uerj 2013) O processo de eutrofização ocorrido em um determinado lago acarretou alterações em diversos parâmetros medidos na água, dentre eles, as concentrações de nutrientes, de oxigênio dissolvido, de organismos aeróbicos e de organismos anaeróbicos.  Observe os gráficos abaixo, que relacionam as concentrações desses parâmetros e o tempo no processo citado.
  • 48.  O gráfico que representa o processo de eutrofização ocorrido na água desse lago está indicado pela seguinte letra: a) W b) X c) Y d) Z
  • 49.  8. (Uerj 2012) O aumento da poluição atmosférica, especialmente pelo acúmulo de gases do efeito estufa, como o CO2 , tem acarretado a elevação da temperatura global. Alguns seres vivos, no entanto, apresentam um metabolismo capaz de fixar esse gás em matéria orgânica.  Em condições ideais, o grupo de organismos com maior capacidade de fixar CO2 é: a) levedo b) bactéria c) zooplâncton d) fitoplâncton
  • 50.  9. (Uerj 2012) Em um ecossistema lacustre habitado por vários peixes de pequeno porte, foi introduzido um determinado peixe carnívoro. A presença desse predador provocou variação das populações de seres vivos ali existentes, conforme mostra o gráfico a seguir.
  • 51.  A curva que indica a tendência da variação da população de fitoplâncton nesse lago, após a introdução do peixe carnívoro, é a identificada por: a) W b) X c) Y d) Z
  • 52.  Ocupa somente 7% da superfície da Terra.  Vegetação exuberante pois recebe muita luz e água durante o ano.  Folhas largas (latifoliadas) e perenes.  Também chamada de floresta tropical perenifólia. Floresta pluvial tropical
  • 54.  16- (2013) Considere três ecossistemas: deserto, floresta tropical perenifólia e mar aberto.  Os gráficos abaixo indicam as medidas obtidas nesses ecossistemas em relação a três diferentes parâmetros:
  • 55.  Identifique o ecossistema correspondente à floresta tropical perenifólia, justificando sua resposta.  Identifique, também, qual é o ecossistema A e explique por que a luz pode ser considerada o fator abiótico que limita a produtividade primária líquida média neste ecossistema.  Ecossistema C. A floresta tropical perenifólia apresenta maior PPL/m², pois as folhas largas de suas árvores têm maior disponibilidade de água e luz.  Mar aberto. A luz só consegue penetrar até a profundidade de 200m, formando uma zona fótica estreita e, por isso, diminuindo a taxa de fotossíntese.