SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
CENTRO ESPÍRITA VINHAS DO SENHOR
Grupo de Estudos
“Caminhando com o Espiritismo”
DEUS: inteligência suprema e a causa
primeira de todas as coisas
3º. caminhar
OBJETIVO GERAL
Possibilitar uma visão
compreensiva da concepção
espírita de Deus bem como
do significado da Fé à luz
do Espiritismo.
1 – Que é Deus?
Deus é a inteligência suprema, causa primeira
de todas as coisas.
2 – Que se deve entender por infinito?
O que não tem começo e nem fim; o desconhecido; tudo
o que é desconhecido é infinito.
3 – Poder-se-ia dizer que Deus é o infinito?
Definição incompleta. Pobreza de linguagem dos homens,
que é insuficiente para definir as coisas que estão
acima de sua inteligência.
Livro dos Espíritos. Cap. I. Allan Kardec
DEUS E O INFINITO
O QUE É DEUS?
“Ele é Um.
Criação de si próprio, donde
todas as coisas saíram;
Ele está nelas e as
desenvolve; nenhum mortal
jamais o viu,
mas Ele a todos observa.”
Livro: Depois da Morte. Léon Dennis
PROVAS DA EXISTÊNCIA DE DEUS
O homem possui um sentimento
instintivo da existência de Deus
4 - Onde se pode encontrar a prova da existência de
Deus?
... não há efeito sem causa. Procurai a causa de tudo o
que não é obra do homem, e vossa razão vos responderá.
Livro dos Espíritos. Cap.I.
ATRIBUTOS DA DIVINDADE
11 – Um dia será dado ao homem
compreender o mistério da
Divindade?
Quando seu espírito não estiver mais
obscurecido pela matéria e, pela sua
perfeição, estiver próximo dele,
então, ele o verá e o compreenderá.
Livro dos Espíritos. Cap.I.
QUAIS SÃO OS
ATRIBUTOS DA DIVINDADE?
É ONIPOTENTE- Se não tivesse poder soberano, haveria
alguma mais ou tão poderosa quanto Ele.
É SOBERANAMENTE JUSTO E BOM- A sabedoria providencial das leis
divinas se revela nas menores como nas maiores coisas.
É IMATERIAL- Se fosse matéria não seria imutável, estando
sujeito às transformações da matéria.
É ÚNICO- Se houvesse muitos deuses, não haveria unidade de
vistas nem de poder na organização do Universo.
DEUS É ETERNO- Se tivesse tido um começo, teria saído do
nada ou teria sido criado por um ser anterior.
É IMUTÁVEL- Se Ele estivesse sujeito a mudanças, as leis que regem o
Universo não teriam nenhuma estabilidade.
“O homem percebeu a existência de Deus
ao se questionar sobre a origem do universo e
sobre a vida, pois não consegue explicar a
origem de
tudo o que existe sem Ele”
A idéia de Deus é necessária
para o ser humano que por si só
não se auto-explica.
É uma idéia inata, como se Deus
pusesse sua marca na criatura.
Livro: Conhecendo o Espiritismo. Adenáuer Novaes
COMPREENSÃO DE DEUS
No princípio dos tempos, os “deuses” dividiram a Terra entre si de
acordo com suas respectivas dignidades [poderes e inclinações]
Platão (427-348 a.C.), no livro Timeo e Crítias
Houve fases na
humanidade em que se
viveu a litolatria
(culto a pedra, imagens, totenismo)
• Antropoformismo (Deus com
características humanas)
• Politeísmo (crença em vários
deuses)
• Deus único (particular)
• Deus criador (gerador do
mundo)
• Deus arquiteto (construtor do
mundo)
OUTRAS FORMAS NA COMPREENSÃO DE DEUS
Os doze deuses do
Olimpo
EROS-Deus do amor
OLIMPO
Festa para Apolo
OUTRAS FORMAS NA
COMPREENSÃO DE DEUS (cont.)
NO EGITO ANTIGO
Os egípcios eram politeístas (acreditavam
em vários deuses). Os deuses possuíam
poderes específicos e atuavam na vida das
pessoas. Havia também deuses que possuíam
o corpo formado por parte humana e parte
de animal sagrado.
Faziam rituais e oferendas aos deuses. Era
uma forma de conseguirem agrada-los,
conseguindo ajuda em suas vidas.
Outra característica importante da religião
egípcia era a crença na vida após a morte.
De acordo com esta crença, o morto era
julgado no Tribunal de Osíris. O coração era
pesado e, de acordo com o que havia feito
em vida, receberia um julgamento. Para os
bons havia uma espécie de paraíso, para os
negativos, Ammut devoraria o coração.
OUTRAS FORMAS NA
COMPREENSÃO DE DEUS (CONT.)
A cultura religiosa na Índia é bastante mitológica e há
uma sucessão de deuses e castas que compõem as
atividades sacerdotais e seus rituais. São ideias
complexas em relação a alma humana e ao universo.
O Hinduísmo admite a transmigração da alma e a
reencarnação. Deus Ganesha: prosperidade
Cultuam vários Deuses e Buda, que
ensinou que nada é permanente.
A situação humana e o sentido da vida
para os Budistas é tentar fugir ao
sofrimento e ganhar conhecimento.
Fugir do ciclo de reencarnação ou pelo
menos ter uma boa reencarnação
ganhando mérito. Se utilizam de muitos
textos sagrados.
OUTRAS FORMAS NA
COMPREENSÃO DE DEUS (CONT.)
CARMA: ações boas ou ruins geram
“sementes” na mente, que virão aflorar
nesta vida ou em um renascimento
subsequente.
OUTRAS FORMAS NA COMPREENSÃO DE DEUS (CONT.)
Deus Thor
A FÉ CEGA E A FÉ RACIOCINADA
Do mais pequenino inseto às leis que regem os mundos, tudo atesta um a
ideia diretora, uma soberana inteligência.
Livro Obras Póstumas. Allan Kardec
A Sarça Ardente de Moisés, no
monte Horebe, Deus se
manifesta e fala com ele. Ela
não se queima.
A FÉ CEGA E A FÉ RACIOCINADA(cont.)
Em lugar da fé cega, que anula a liberdade de pensar, ele disse:
Não há fé inabalável senão aquela que pode encarar a razão face a face,
em todas as épocas da Humanidade. À fé, é necessária uma base, e essa base é a
inteligência perfeita do que se deve crer; para crer, não basta ver, é preciso
sobretudo compreender.
Livro: Evangelho Segundo o Espiritismo
É, pois, com justiça que podemos considerar o Espiritismo como um dos
mais poderosos precursores da aristocracia do futuro, quer dizer, da
aristocracia intelecto-moral.
O Espiritismo, com efeito, não pede para ser aceito cegamente.. Ele
apela para a discussão e a luz
Livro: Obras Póstumas.
EVIDÊNCIAS DA EXISTÊNCIA DE
DEUS
“ONDE PODEMOS
ENCONTRAR A PROVA DA
EXISTÊNCIA DE DEUS?”
“- Numa máxima que aplicais às
vossas ciências:
Não há efeito sem causa
Procurai a causa de tudo o que
não é obra do homem, e vossa
razão vos responderá.”
Livro dos Espíritos. Q. 4 a 9
QUE DEFINIÇÃO SE PODE DAR DA
MORAL?
Livro dos Espíritos. Q. 629
A moral é a regra para se conduzir
bem, quer dizer a distinção entre o
bem e o mal. Ela se funda sobre a
observação da lei de Deus. O homem
se conduz bem quando faz tudo em
vista e para o bem de todos, porque,
então, ele observa a lei de Deus.
CLASSIFICAÇÃO ESPÍRITA:
Livro dos Espíritos questões 649 a 892
AS LEIS MORAIS
OBJETIVO DAS LEIS
INSTRUMENTOS PARA A HARMONIA
UNIVERSAL
A ação de Deus no Universo se dá por intermédio
de Suas leis, as quais atuam de forma harmônica e
constante
O funcionamento dessas leis,
independe das crenças ou ações
humanas. São leis gerais e
universais.
“Onde está escrita a lei de Deus?”
“A lei de Deus esta escrita na consciência do
homem, como a assinatura do artista na sua obra”
Livro dos Espíritos. Q. 621
O Universo conspira a
favor do ser humano
na medida em que ele
compreende as
LEIS DE
DEUS
DEUS ESTÁ DENTRO
DE NÓS
BIBLIOGRAFIA
• O Livro dos Espíritos – Allan Kardec
• O Evangelho segundo o Espiritismo – Allan Kardec
• Conhecendo o Espiritismo – Adenáuer Novaes
• Depois da Morte – Léon Dennis
• As Leis Morais da Vida – Rodolfo Calligaris
• Estudos Espíritas – Divaldo Franco- Joanna De’Angelis
• Evolução para o Terceiro Milênio – Carlos Rizzini
• A Lei de Deus – Pietro Ubaldi
AULA 08-06-2022.pptx - provas da existência de Deus

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a AULA 08-06-2022.pptx - provas da existência de Deus

A lei de deus revisitando pietro ubaldi 1
A lei de deus revisitando pietro ubaldi 1A lei de deus revisitando pietro ubaldi 1
A lei de deus revisitando pietro ubaldi 1Silvânio Barcelos
 
Genese cap 01 2e3 revisão a humanidade está evoluindo
Genese cap 01 2e3 revisão a humanidade está evoluindoGenese cap 01 2e3 revisão a humanidade está evoluindo
Genese cap 01 2e3 revisão a humanidade está evoluindoFernando A. O. Pinto
 
Os milagres e as predições
Os milagres e as prediçõesOs milagres e as predições
Os milagres e as prediçõesDalila Melo
 
O que é Deus? - 2a parte
O que é Deus? - 2a parteO que é Deus? - 2a parte
O que é Deus? - 2a partegrupodepaisceb
 
A Existência de Deus na Codificação
A Existência de Deus na CodificaçãoA Existência de Deus na Codificação
A Existência de Deus na Codificaçãoigmateus
 
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptxApresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptxMarta Gomes
 
Esde módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
Esde    módulo 03 - roteiro 01 - existência de deusEsde    módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
Esde módulo 03 - roteiro 01 - existência de deusElysio Laroide Lugarinho
 
"A Gênese," de Allan Kardec.
"A Gênese," de Allan Kardec."A Gênese," de Allan Kardec.
"A Gênese," de Allan Kardec.Rodrigo Curado
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espíritoBruno Cechinel Filho
 
Primeiro Módulo - Aula 2 - Deus e o infinito
Primeiro Módulo - Aula 2 - Deus e o infinitoPrimeiro Módulo - Aula 2 - Deus e o infinito
Primeiro Módulo - Aula 2 - Deus e o infinitoCeiClarencio
 
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
1.1 - Deus. Deus e o infinito. PanteísmoMarta Gomes
 
A Lei De Des E ProviêNcia Divina Pps
A Lei De Des E ProviêNcia Divina PpsA Lei De Des E ProviêNcia Divina Pps
A Lei De Des E ProviêNcia Divina Ppsjmeirelles
 

Semelhante a AULA 08-06-2022.pptx - provas da existência de Deus (20)

A lei de deus revisitando pietro ubaldi 1
A lei de deus revisitando pietro ubaldi 1A lei de deus revisitando pietro ubaldi 1
A lei de deus revisitando pietro ubaldi 1
 
Genese cap 01 2e3 revisão a humanidade está evoluindo
Genese cap 01 2e3 revisão a humanidade está evoluindoGenese cap 01 2e3 revisão a humanidade está evoluindo
Genese cap 01 2e3 revisão a humanidade está evoluindo
 
Os milagres e as predições
Os milagres e as prediçõesOs milagres e as predições
Os milagres e as predições
 
Existência de Deus
Existência de DeusExistência de Deus
Existência de Deus
 
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.docx
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.docxA_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.docx
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.docx
 
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.pdf
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.pdfA_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.pdf
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.pdf
 
O que é Deus? - 2a parte
O que é Deus? - 2a parteO que é Deus? - 2a parte
O que é Deus? - 2a parte
 
A Existência de Deus na Codificação
A Existência de Deus na CodificaçãoA Existência de Deus na Codificação
A Existência de Deus na Codificação
 
080806 le-parte i-cap.1
080806 le-parte i-cap.1080806 le-parte i-cap.1
080806 le-parte i-cap.1
 
080806 le-parte i-cap.1-de deus
080806 le-parte i-cap.1-de deus080806 le-parte i-cap.1-de deus
080806 le-parte i-cap.1-de deus
 
Existencia De Deus
Existencia De DeusExistencia De Deus
Existencia De Deus
 
Deus Nosso Pai
Deus Nosso PaiDeus Nosso Pai
Deus Nosso Pai
 
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptxApresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
 
Esde módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
Esde    módulo 03 - roteiro 01 - existência de deusEsde    módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
Esde módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
 
Revista conhecendo Deus
Revista   conhecendo DeusRevista   conhecendo Deus
Revista conhecendo Deus
 
"A Gênese," de Allan Kardec.
"A Gênese," de Allan Kardec."A Gênese," de Allan Kardec.
"A Gênese," de Allan Kardec.
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
 
Primeiro Módulo - Aula 2 - Deus e o infinito
Primeiro Módulo - Aula 2 - Deus e o infinitoPrimeiro Módulo - Aula 2 - Deus e o infinito
Primeiro Módulo - Aula 2 - Deus e o infinito
 
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
 
A Lei De Des E ProviêNcia Divina Pps
A Lei De Des E ProviêNcia Divina PpsA Lei De Des E ProviêNcia Divina Pps
A Lei De Des E ProviêNcia Divina Pps
 

Mais de FilipeDuartedeBem

AULA 2 - 22-03-2021.ppt professor Rivail
AULA 2 - 22-03-2021.ppt professor RivailAULA 2 - 22-03-2021.ppt professor Rivail
AULA 2 - 22-03-2021.ppt professor RivailFilipeDuartedeBem
 
modulo V - 2.pdf tomo I - comunicabilidade dos espíritos
modulo V - 2.pdf tomo I - comunicabilidade dos espíritosmodulo V - 2.pdf tomo I - comunicabilidade dos espíritos
modulo V - 2.pdf tomo I - comunicabilidade dos espíritosFilipeDuartedeBem
 
G6 - AULA 15.pdf esse g6 - aula 15 obsessões
G6 - AULA 15.pdf esse g6 - aula 15 obsessõesG6 - AULA 15.pdf esse g6 - aula 15 obsessões
G6 - AULA 15.pdf esse g6 - aula 15 obsessõesFilipeDuartedeBem
 
G6 - AULA 7.pdf ESDE G6 - MEDIUNIDADE de efeitos intelectuais
G6 - AULA 7.pdf ESDE G6 - MEDIUNIDADE  de efeitos intelectuaisG6 - AULA 7.pdf ESDE G6 - MEDIUNIDADE  de efeitos intelectuais
G6 - AULA 7.pdf ESDE G6 - MEDIUNIDADE de efeitos intelectuaisFilipeDuartedeBem
 
G6 - AULA 3.pdf - mediunidade e moralidade
G6 - AULA 3.pdf - mediunidade e moralidadeG6 - AULA 3.pdf - mediunidade e moralidade
G6 - AULA 3.pdf - mediunidade e moralidadeFilipeDuartedeBem
 
G6 - AULA 5.pdf esse g6 MEDIUNIDADE DE efeitos fisicos
G6 - AULA 5.pdf esse g6 MEDIUNIDADE DE efeitos fisicosG6 - AULA 5.pdf esse g6 MEDIUNIDADE DE efeitos fisicos
G6 - AULA 5.pdf esse g6 MEDIUNIDADE DE efeitos fisicosFilipeDuartedeBem
 
G6 - AULA 6.pdf estudo sistematizado da doutrina espirita
G6 - AULA 6.pdf estudo sistematizado da doutrina espiritaG6 - AULA 6.pdf estudo sistematizado da doutrina espirita
G6 - AULA 6.pdf estudo sistematizado da doutrina espiritaFilipeDuartedeBem
 
G6 - AULA 11.pdf fontes de comunicação espirita
G6 - AULA 11.pdf fontes de comunicação espiritaG6 - AULA 11.pdf fontes de comunicação espirita
G6 - AULA 11.pdf fontes de comunicação espiritaFilipeDuartedeBem
 
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6FilipeDuartedeBem
 
AULA 10.ppt - esse g1 - reinos da natureza
AULA 10.ppt - esse g1 - reinos da naturezaAULA 10.ppt - esse g1 - reinos da natureza
AULA 10.ppt - esse g1 - reinos da naturezaFilipeDuartedeBem
 
AULA 15.ppt estudo sistematizado da doutrina espirita
AULA 15.ppt estudo sistematizado da doutrina espiritaAULA 15.ppt estudo sistematizado da doutrina espirita
AULA 15.ppt estudo sistematizado da doutrina espiritaFilipeDuartedeBem
 
G6 - AULA 4 - MEDIUNIDADE COM JESUS.pdf
G6 - AULA 4 - MEDIUNIDADE COM JESUS.pdfG6 - AULA 4 - MEDIUNIDADE COM JESUS.pdf
G6 - AULA 4 - MEDIUNIDADE COM JESUS.pdfFilipeDuartedeBem
 
3o.Caminhar-Deus-02-08-2016.pptx
3o.Caminhar-Deus-02-08-2016.pptx3o.Caminhar-Deus-02-08-2016.pptx
3o.Caminhar-Deus-02-08-2016.pptxFilipeDuartedeBem
 
fluidocosmicouniversal-140416231307-phpapp01-convertido.pptx
fluidocosmicouniversal-140416231307-phpapp01-convertido.pptxfluidocosmicouniversal-140416231307-phpapp01-convertido.pptx
fluidocosmicouniversal-140416231307-phpapp01-convertido.pptxFilipeDuartedeBem
 
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptx
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptxfenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptx
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptxFilipeDuartedeBem
 
aula 2 Alan Kardek-convertido.pptx
aula 2 Alan Kardek-convertido.pptxaula 2 Alan Kardek-convertido.pptx
aula 2 Alan Kardek-convertido.pptxFilipeDuartedeBem
 

Mais de FilipeDuartedeBem (20)

AULA 2 - 22-03-2021.ppt professor Rivail
AULA 2 - 22-03-2021.ppt professor RivailAULA 2 - 22-03-2021.ppt professor Rivail
AULA 2 - 22-03-2021.ppt professor Rivail
 
modulo V - 2.pdf tomo I - comunicabilidade dos espíritos
modulo V - 2.pdf tomo I - comunicabilidade dos espíritosmodulo V - 2.pdf tomo I - comunicabilidade dos espíritos
modulo V - 2.pdf tomo I - comunicabilidade dos espíritos
 
G6 - AULA 15.pdf esse g6 - aula 15 obsessões
G6 - AULA 15.pdf esse g6 - aula 15 obsessõesG6 - AULA 15.pdf esse g6 - aula 15 obsessões
G6 - AULA 15.pdf esse g6 - aula 15 obsessões
 
G6 - AULA 7.pdf ESDE G6 - MEDIUNIDADE de efeitos intelectuais
G6 - AULA 7.pdf ESDE G6 - MEDIUNIDADE  de efeitos intelectuaisG6 - AULA 7.pdf ESDE G6 - MEDIUNIDADE  de efeitos intelectuais
G6 - AULA 7.pdf ESDE G6 - MEDIUNIDADE de efeitos intelectuais
 
G6 - AULA 3.pdf - mediunidade e moralidade
G6 - AULA 3.pdf - mediunidade e moralidadeG6 - AULA 3.pdf - mediunidade e moralidade
G6 - AULA 3.pdf - mediunidade e moralidade
 
G6 - AULA 5.pdf esse g6 MEDIUNIDADE DE efeitos fisicos
G6 - AULA 5.pdf esse g6 MEDIUNIDADE DE efeitos fisicosG6 - AULA 5.pdf esse g6 MEDIUNIDADE DE efeitos fisicos
G6 - AULA 5.pdf esse g6 MEDIUNIDADE DE efeitos fisicos
 
G6 - AULA 6.pdf estudo sistematizado da doutrina espirita
G6 - AULA 6.pdf estudo sistematizado da doutrina espiritaG6 - AULA 6.pdf estudo sistematizado da doutrina espirita
G6 - AULA 6.pdf estudo sistematizado da doutrina espirita
 
G6 - AULA 11.pdf fontes de comunicação espirita
G6 - AULA 11.pdf fontes de comunicação espiritaG6 - AULA 11.pdf fontes de comunicação espirita
G6 - AULA 11.pdf fontes de comunicação espirita
 
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6
 
AULA 10.ppt - esse g1 - reinos da natureza
AULA 10.ppt - esse g1 - reinos da naturezaAULA 10.ppt - esse g1 - reinos da natureza
AULA 10.ppt - esse g1 - reinos da natureza
 
AULA 15.ppt estudo sistematizado da doutrina espirita
AULA 15.ppt estudo sistematizado da doutrina espiritaAULA 15.ppt estudo sistematizado da doutrina espirita
AULA 15.ppt estudo sistematizado da doutrina espirita
 
G6 - AULA 4 - MEDIUNIDADE COM JESUS.pdf
G6 - AULA 4 - MEDIUNIDADE COM JESUS.pdfG6 - AULA 4 - MEDIUNIDADE COM JESUS.pdf
G6 - AULA 4 - MEDIUNIDADE COM JESUS.pdf
 
3o.Caminhar-Deus-02-08-2016.pptx
3o.Caminhar-Deus-02-08-2016.pptx3o.Caminhar-Deus-02-08-2016.pptx
3o.Caminhar-Deus-02-08-2016.pptx
 
AULA 1.pptx
AULA 1.pptxAULA 1.pptx
AULA 1.pptx
 
G6 - AULA 14.pdf
G6 - AULA 14.pdfG6 - AULA 14.pdf
G6 - AULA 14.pdf
 
fluidocosmicouniversal-140416231307-phpapp01-convertido.pptx
fluidocosmicouniversal-140416231307-phpapp01-convertido.pptxfluidocosmicouniversal-140416231307-phpapp01-convertido.pptx
fluidocosmicouniversal-140416231307-phpapp01-convertido.pptx
 
AULA COMPLEMENTAR.ppt
AULA COMPLEMENTAR.pptAULA COMPLEMENTAR.ppt
AULA COMPLEMENTAR.ppt
 
AULA 3.pptx
AULA 3.pptxAULA 3.pptx
AULA 3.pptx
 
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptx
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptxfenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptx
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptx
 
aula 2 Alan Kardek-convertido.pptx
aula 2 Alan Kardek-convertido.pptxaula 2 Alan Kardek-convertido.pptx
aula 2 Alan Kardek-convertido.pptx
 

Último

Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxManoel Candido Pires Junior
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Nilson Almeida
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfDaddizinhaRodrigues
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfFrancisco Baptista
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Fraternitas Movimento
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 

Último (7)

Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 

AULA 08-06-2022.pptx - provas da existência de Deus

  • 1. CENTRO ESPÍRITA VINHAS DO SENHOR Grupo de Estudos “Caminhando com o Espiritismo” DEUS: inteligência suprema e a causa primeira de todas as coisas 3º. caminhar
  • 2. OBJETIVO GERAL Possibilitar uma visão compreensiva da concepção espírita de Deus bem como do significado da Fé à luz do Espiritismo.
  • 3. 1 – Que é Deus? Deus é a inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas. 2 – Que se deve entender por infinito? O que não tem começo e nem fim; o desconhecido; tudo o que é desconhecido é infinito. 3 – Poder-se-ia dizer que Deus é o infinito? Definição incompleta. Pobreza de linguagem dos homens, que é insuficiente para definir as coisas que estão acima de sua inteligência. Livro dos Espíritos. Cap. I. Allan Kardec DEUS E O INFINITO
  • 4. O QUE É DEUS? “Ele é Um. Criação de si próprio, donde todas as coisas saíram; Ele está nelas e as desenvolve; nenhum mortal jamais o viu, mas Ele a todos observa.” Livro: Depois da Morte. Léon Dennis
  • 5. PROVAS DA EXISTÊNCIA DE DEUS O homem possui um sentimento instintivo da existência de Deus 4 - Onde se pode encontrar a prova da existência de Deus? ... não há efeito sem causa. Procurai a causa de tudo o que não é obra do homem, e vossa razão vos responderá. Livro dos Espíritos. Cap.I.
  • 6. ATRIBUTOS DA DIVINDADE 11 – Um dia será dado ao homem compreender o mistério da Divindade? Quando seu espírito não estiver mais obscurecido pela matéria e, pela sua perfeição, estiver próximo dele, então, ele o verá e o compreenderá. Livro dos Espíritos. Cap.I.
  • 7. QUAIS SÃO OS ATRIBUTOS DA DIVINDADE?
  • 8. É ONIPOTENTE- Se não tivesse poder soberano, haveria alguma mais ou tão poderosa quanto Ele. É SOBERANAMENTE JUSTO E BOM- A sabedoria providencial das leis divinas se revela nas menores como nas maiores coisas. É IMATERIAL- Se fosse matéria não seria imutável, estando sujeito às transformações da matéria. É ÚNICO- Se houvesse muitos deuses, não haveria unidade de vistas nem de poder na organização do Universo. DEUS É ETERNO- Se tivesse tido um começo, teria saído do nada ou teria sido criado por um ser anterior. É IMUTÁVEL- Se Ele estivesse sujeito a mudanças, as leis que regem o Universo não teriam nenhuma estabilidade.
  • 9. “O homem percebeu a existência de Deus ao se questionar sobre a origem do universo e sobre a vida, pois não consegue explicar a origem de tudo o que existe sem Ele” A idéia de Deus é necessária para o ser humano que por si só não se auto-explica. É uma idéia inata, como se Deus pusesse sua marca na criatura. Livro: Conhecendo o Espiritismo. Adenáuer Novaes
  • 10. COMPREENSÃO DE DEUS No princípio dos tempos, os “deuses” dividiram a Terra entre si de acordo com suas respectivas dignidades [poderes e inclinações] Platão (427-348 a.C.), no livro Timeo e Crítias
  • 11. Houve fases na humanidade em que se viveu a litolatria (culto a pedra, imagens, totenismo) • Antropoformismo (Deus com características humanas) • Politeísmo (crença em vários deuses) • Deus único (particular) • Deus criador (gerador do mundo) • Deus arquiteto (construtor do mundo)
  • 12. OUTRAS FORMAS NA COMPREENSÃO DE DEUS Os doze deuses do Olimpo EROS-Deus do amor OLIMPO Festa para Apolo
  • 13. OUTRAS FORMAS NA COMPREENSÃO DE DEUS (cont.) NO EGITO ANTIGO Os egípcios eram politeístas (acreditavam em vários deuses). Os deuses possuíam poderes específicos e atuavam na vida das pessoas. Havia também deuses que possuíam o corpo formado por parte humana e parte de animal sagrado. Faziam rituais e oferendas aos deuses. Era uma forma de conseguirem agrada-los, conseguindo ajuda em suas vidas. Outra característica importante da religião egípcia era a crença na vida após a morte. De acordo com esta crença, o morto era julgado no Tribunal de Osíris. O coração era pesado e, de acordo com o que havia feito em vida, receberia um julgamento. Para os bons havia uma espécie de paraíso, para os negativos, Ammut devoraria o coração.
  • 14. OUTRAS FORMAS NA COMPREENSÃO DE DEUS (CONT.) A cultura religiosa na Índia é bastante mitológica e há uma sucessão de deuses e castas que compõem as atividades sacerdotais e seus rituais. São ideias complexas em relação a alma humana e ao universo. O Hinduísmo admite a transmigração da alma e a reencarnação. Deus Ganesha: prosperidade
  • 15. Cultuam vários Deuses e Buda, que ensinou que nada é permanente. A situação humana e o sentido da vida para os Budistas é tentar fugir ao sofrimento e ganhar conhecimento. Fugir do ciclo de reencarnação ou pelo menos ter uma boa reencarnação ganhando mérito. Se utilizam de muitos textos sagrados. OUTRAS FORMAS NA COMPREENSÃO DE DEUS (CONT.) CARMA: ações boas ou ruins geram “sementes” na mente, que virão aflorar nesta vida ou em um renascimento subsequente.
  • 16. OUTRAS FORMAS NA COMPREENSÃO DE DEUS (CONT.) Deus Thor
  • 17. A FÉ CEGA E A FÉ RACIOCINADA Do mais pequenino inseto às leis que regem os mundos, tudo atesta um a ideia diretora, uma soberana inteligência. Livro Obras Póstumas. Allan Kardec A Sarça Ardente de Moisés, no monte Horebe, Deus se manifesta e fala com ele. Ela não se queima.
  • 18. A FÉ CEGA E A FÉ RACIOCINADA(cont.) Em lugar da fé cega, que anula a liberdade de pensar, ele disse: Não há fé inabalável senão aquela que pode encarar a razão face a face, em todas as épocas da Humanidade. À fé, é necessária uma base, e essa base é a inteligência perfeita do que se deve crer; para crer, não basta ver, é preciso sobretudo compreender. Livro: Evangelho Segundo o Espiritismo É, pois, com justiça que podemos considerar o Espiritismo como um dos mais poderosos precursores da aristocracia do futuro, quer dizer, da aristocracia intelecto-moral. O Espiritismo, com efeito, não pede para ser aceito cegamente.. Ele apela para a discussão e a luz Livro: Obras Póstumas.
  • 19.
  • 20. EVIDÊNCIAS DA EXISTÊNCIA DE DEUS “ONDE PODEMOS ENCONTRAR A PROVA DA EXISTÊNCIA DE DEUS?” “- Numa máxima que aplicais às vossas ciências: Não há efeito sem causa Procurai a causa de tudo o que não é obra do homem, e vossa razão vos responderá.” Livro dos Espíritos. Q. 4 a 9
  • 21. QUE DEFINIÇÃO SE PODE DAR DA MORAL? Livro dos Espíritos. Q. 629 A moral é a regra para se conduzir bem, quer dizer a distinção entre o bem e o mal. Ela se funda sobre a observação da lei de Deus. O homem se conduz bem quando faz tudo em vista e para o bem de todos, porque, então, ele observa a lei de Deus.
  • 22. CLASSIFICAÇÃO ESPÍRITA: Livro dos Espíritos questões 649 a 892 AS LEIS MORAIS
  • 23. OBJETIVO DAS LEIS INSTRUMENTOS PARA A HARMONIA UNIVERSAL A ação de Deus no Universo se dá por intermédio de Suas leis, as quais atuam de forma harmônica e constante O funcionamento dessas leis, independe das crenças ou ações humanas. São leis gerais e universais.
  • 24. “Onde está escrita a lei de Deus?” “A lei de Deus esta escrita na consciência do homem, como a assinatura do artista na sua obra” Livro dos Espíritos. Q. 621
  • 25. O Universo conspira a favor do ser humano na medida em que ele compreende as LEIS DE DEUS
  • 27. BIBLIOGRAFIA • O Livro dos Espíritos – Allan Kardec • O Evangelho segundo o Espiritismo – Allan Kardec • Conhecendo o Espiritismo – Adenáuer Novaes • Depois da Morte – Léon Dennis • As Leis Morais da Vida – Rodolfo Calligaris • Estudos Espíritas – Divaldo Franco- Joanna De’Angelis • Evolução para o Terceiro Milênio – Carlos Rizzini • A Lei de Deus – Pietro Ubaldi