SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Profa. Enfa. Esp. Thaina Jacome
MEDIDAS E ÍNDICES ANTROPOMÉTRICOS USADOS
• As medidas antropométricas aferidas ao nascimento são: peso,
comprimento, perímetro cefálico e perímetro torácico
• Essas medidas permitem estabelecer relações e índices
antropométricos, cuja principal vantagem em relação aos valores
isolados de peso ou de comprimento é a possibilidade de avaliar de
forma mais adequada o estado nutricional
• Isoladamente, o peso de nascimento é o dado antropométrico
mais utilizado para predizer o prognóstico de crescimento e de
saúde em curto e longo prazo;
• A frequência das indicações das
mensurações podem variar de acordo
com as necessidades de recém-
nascido.
• A realização das medidas antropométricas deve abordar não apenas
a acurácia das mensurações, como também a importância em prover
um ambiente adequado, levando em conta o reflexo de nossas ações
no desenvolvimento do neonato.
• Manter o ambiente adequado para a prática segura
• Testar previamente os equipamentos e materiais
necessários
• Realizar o procedimento com o apoio de outro
profissional
• Embrulhar o bebê e efetuar a contenção facilitada
• Se possível, permitir que os pais acompanhem o
procedimento
TÉCNICA DE AFERIÇÃO DO PESO DO RECÉM-NASCIDO
• Uso da balança digital
• Verificar se a balança está em superfície
plana, nivelada e sem obstruções
• Ligar a balança com o equipamento
vazio, apertar a tecla “iniciar” e aguardar
até aparecer 0000 no visor;
• Realizar a desinfecção do equipamento com quaternário de amônio
ou outro produto destinado a esta finalidade, de acordo com
protocolo institucional
• Higienizar as mãos
TÉCNICA DE AFERIÇÃO DO PESO DO RECÉM-NASCIDO
• Colocar um papel toalha sobre o equipamento e um cueiro/fralda
para embrulhar o bebê;
TÉCNICA DE AFERIÇÃO DO PESO DO RECÉM-NASCIDO
• Realizar a tara do equipamento com o
cueiro/fralda;
• Despir e embrulhar o recém-nascido
com o cueiro/fralda;
• Posicionar cuidadosamente o RN sobre a balança;
• Avaliar o peso indicado no visor, quando o visor parar de piscar
• Registrar o peso em gramas.
TÉCNICA DE AFERIÇÃO DO PESO DO RECÉM-NASCIDO
• Utilizar o estadiômetro para a mensuração do comprimento
• Posicionar o infantômetro sobre uma superfície plana e estável
• Despir o RN da cintura para baixo
TÉCNICA DE MENSURAÇÃO DO COMPRIMENTO
• Permanecer ao lado do equipamento e manter as pernas do
bebê esticadas e encostada na prancha com uma mão e mover
o cursor com a outra
• Manter, com auxílio de outro profissional, o alinhamento da
cabeça da criança de forma que a linha vertical entre o canal
auditivo e a parte inferior da órbita esteja perpendicular a placa
horizontal do equipamento (Plano Vertical).
TÉCNICA DE MENSURAÇÃO DO COMPRIMENTO
• Manter a cabeça posicionada, ombros e
quadril paralelos a cabeceira fixa; pernas e
pés devem ser segurados com movimentos
firmes e delicados para a mensuração
precisa
• Deslizar o cursor inferior até que toque os
pés da criança
TÉCNICA DE MENSURAÇÃO DO COMPRIMENTO
• Certificar que os pés estão em posição
anatômica
• Registrar a mensuração encontrada
após o cursor inferior ter sido
posicionado no último milímetro
completo
TÉCNICA DE MENSURAÇÃO DO COMPRIMENTO
TÉCNICA DE MENSURAÇÃO DO PERÍMETRO CEFÁLICO (PC)
• Utilizar fita métrica não extensível e
graduada em centímetros;
• Certificar-se que a fita está com a face
marcada em centímetros para o lado de
fora;
• Posicionar a fita acima da sobrancelha
na região da glabela (região frontal) e
posteriormente na proeminência
occipital;
• Manter ponto zero no lado da cabeça
do bebê, próximo de quem faz a
medida;
• Registrar a medida encontrada
TÉCNICA DE MENSURAÇÃO DO PERÍMETRO CEFÁLICO (PC)
TÉCNICA DE MENSURAÇÃO DO PERÍMETRO TORÁCICO (PT)
• Realizar a mensuração com o neonato em decúbito dorsal, tomando os
mamilos como ponto de referência
• Atentar para o ajuste da fita métrica.
Aula 02- Dados Antoprométricos do RN.pptx

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Aula 02- Dados Antoprométricos do RN.pptx

Desenvolvimento Estatura-Ponderal da Criança
Desenvolvimento Estatura-Ponderal da CriançaDesenvolvimento Estatura-Ponderal da Criança
Desenvolvimento Estatura-Ponderal da Criança
Rui Alves
 
Aula 2 __posicoes_para_exames
Aula 2 __posicoes_para_examesAula 2 __posicoes_para_exames
Aula 2 __posicoes_para_exames
Marci Oliveira
 
Outubro Rosa – Prevenção do CA de mama.pptx
Outubro Rosa – Prevenção do CA de mama.pptxOutubro Rosa – Prevenção do CA de mama.pptx
Outubro Rosa – Prevenção do CA de mama.pptx
RaianePereira17
 

Semelhante a Aula 02- Dados Antoprométricos do RN.pptx (20)

MANUSEIO MÍNIMO DO RECÉM-NASCIDO
MANUSEIO MÍNIMO DO RECÉM-NASCIDOMANUSEIO MÍNIMO DO RECÉM-NASCIDO
MANUSEIO MÍNIMO DO RECÉM-NASCIDO
 
slide_modulo_6.pdf
slide_modulo_6.pdfslide_modulo_6.pdf
slide_modulo_6.pdf
 
Cuidado ao Parto e Nascimento de Risco Habitual
Cuidado ao Parto e Nascimento de Risco HabitualCuidado ao Parto e Nascimento de Risco Habitual
Cuidado ao Parto e Nascimento de Risco Habitual
 
AULA 1.pptx promoção da saúde .material de apoio
AULA 1.pptx promoção da saúde .material de apoioAULA 1.pptx promoção da saúde .material de apoio
AULA 1.pptx promoção da saúde .material de apoio
 
Parto emergencial Silvio
Parto emergencial SilvioParto emergencial Silvio
Parto emergencial Silvio
 
Avaliação nutricional pré natal
Avaliação nutricional pré natalAvaliação nutricional pré natal
Avaliação nutricional pré natal
 
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método CanguruGarantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
 
Recepção e avaliação do recém-nascido.
Recepção e avaliação do recém-nascido.Recepção e avaliação do recém-nascido.
Recepção e avaliação do recém-nascido.
 
DNPM DESENVOLVIMENTO NEUROPISICOMOTOR EM CRIANÇAS
DNPM DESENVOLVIMENTO NEUROPISICOMOTOR EM CRIANÇASDNPM DESENVOLVIMENTO NEUROPISICOMOTOR EM CRIANÇAS
DNPM DESENVOLVIMENTO NEUROPISICOMOTOR EM CRIANÇAS
 
Adaptação e exame fisico RN_2018.pdf
Adaptação e exame fisico RN_2018.pdfAdaptação e exame fisico RN_2018.pdf
Adaptação e exame fisico RN_2018.pdf
 
NEONATOLOGIA AULA.pptx
NEONATOLOGIA AULA.pptxNEONATOLOGIA AULA.pptx
NEONATOLOGIA AULA.pptx
 
Desenvolvimento Estatura-Ponderal da Criança
Desenvolvimento Estatura-Ponderal da CriançaDesenvolvimento Estatura-Ponderal da Criança
Desenvolvimento Estatura-Ponderal da Criança
 
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e NascimentoCuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
 
cuidadornpar
cuidadornparcuidadornpar
cuidadornpar
 
Aula Saude da Mulher Puerpério.pptx
Aula Saude da Mulher Puerpério.pptxAula Saude da Mulher Puerpério.pptx
Aula Saude da Mulher Puerpério.pptx
 
admisao da gestante.pptx
admisao da gestante.pptxadmisao da gestante.pptx
admisao da gestante.pptx
 
Aula 2 __posicoes_para_exames
Aula 2 __posicoes_para_examesAula 2 __posicoes_para_exames
Aula 2 __posicoes_para_exames
 
Parto Espontâneo: por que esperar?
Parto Espontâneo: por que esperar?Parto Espontâneo: por que esperar?
Parto Espontâneo: por que esperar?
 
Outubro Rosa – Prevenção do CA de mama.pptx
Outubro Rosa – Prevenção do CA de mama.pptxOutubro Rosa – Prevenção do CA de mama.pptx
Outubro Rosa – Prevenção do CA de mama.pptx
 
O leite ideal para o recém-nascido pré-termo e a transição da sonda para o peito
O leite ideal para o recém-nascido pré-termo e a transição da sonda para o peitoO leite ideal para o recém-nascido pré-termo e a transição da sonda para o peito
O leite ideal para o recém-nascido pré-termo e a transição da sonda para o peito
 

Mais de THAINALIMA25 (8)

Aula 01.pptx
Aula 01.pptxAula 01.pptx
Aula 01.pptx
 
Aula 07- Administração de medicamentos em pediatria.pptx
Aula 07- Administração de medicamentos  em pediatria.pptxAula 07- Administração de medicamentos  em pediatria.pptx
Aula 07- Administração de medicamentos em pediatria.pptx
 
Aula 03- Dentição do Rn.pptx
Aula 03- Dentição do Rn.pptxAula 03- Dentição do Rn.pptx
Aula 03- Dentição do Rn.pptx
 
Aula 04- Alimentação da Criança e alimentação complementar.pptx
Aula 04-  Alimentação da Criança e alimentação complementar.pptxAula 04-  Alimentação da Criança e alimentação complementar.pptx
Aula 04- Alimentação da Criança e alimentação complementar.pptx
 
Aula 01- Crescimento e Desenvolvimento da Criança.pdf
Aula 01- Crescimento e Desenvolvimento da Criança.pdfAula 01- Crescimento e Desenvolvimento da Criança.pdf
Aula 01- Crescimento e Desenvolvimento da Criança.pdf
 
Aula 06- Prevenção de acidentes e violência.pptx
Aula 06- Prevenção de acidentes e violência.pptxAula 06- Prevenção de acidentes e violência.pptx
Aula 06- Prevenção de acidentes e violência.pptx
 
Aula- 05- Vacinas para Crianças.pptx
Aula- 05- Vacinas para Crianças.pptxAula- 05- Vacinas para Crianças.pptx
Aula- 05- Vacinas para Crianças.pptx
 
Aula 08- Derriareia e desidratação.pptx
Aula 08- Derriareia e desidratação.pptxAula 08- Derriareia e desidratação.pptx
Aula 08- Derriareia e desidratação.pptx
 

Último

01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
IANAHAAS
 
fratura e imobilização de membros superior e inferior
fratura e imobilização de membros superior e inferiorfratura e imobilização de membros superior e inferior
fratura e imobilização de membros superior e inferior
IvaneSales
 

Último (9)

Atividade sistema muscular.pdfatividfades
Atividade sistema muscular.pdfatividfadesAtividade sistema muscular.pdfatividfades
Atividade sistema muscular.pdfatividfades
 
Anatomia do Sistema Respiratorio função e movimentos musculares.
Anatomia do Sistema Respiratorio função e movimentos musculares.Anatomia do Sistema Respiratorio função e movimentos musculares.
Anatomia do Sistema Respiratorio função e movimentos musculares.
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
 
Puerpério normal e patológico em obstetrícia
Puerpério normal e patológico em obstetríciaPuerpério normal e patológico em obstetrícia
Puerpério normal e patológico em obstetrícia
 
fratura e imobilização de membros superior e inferior
fratura e imobilização de membros superior e inferiorfratura e imobilização de membros superior e inferior
fratura e imobilização de membros superior e inferior
 
Apresentação Saúde Mental para Adolescentes
Apresentação Saúde Mental para AdolescentesApresentação Saúde Mental para Adolescentes
Apresentação Saúde Mental para Adolescentes
 
Tecido_Nervoso.pptxsistema nervoso neuronios
Tecido_Nervoso.pptxsistema nervoso neuroniosTecido_Nervoso.pptxsistema nervoso neuronios
Tecido_Nervoso.pptxsistema nervoso neuronios
 
SISTEMA ARTICULAR.pptxarticulações sistemas
SISTEMA ARTICULAR.pptxarticulações sistemasSISTEMA ARTICULAR.pptxarticulações sistemas
SISTEMA ARTICULAR.pptxarticulações sistemas
 
TEORIA DE ENFERMAGEM DE IMOGENE M. KING.pptx
TEORIA DE ENFERMAGEM DE IMOGENE M. KING.pptxTEORIA DE ENFERMAGEM DE IMOGENE M. KING.pptx
TEORIA DE ENFERMAGEM DE IMOGENE M. KING.pptx
 

Aula 02- Dados Antoprométricos do RN.pptx

  • 1. Profa. Enfa. Esp. Thaina Jacome
  • 2. MEDIDAS E ÍNDICES ANTROPOMÉTRICOS USADOS • As medidas antropométricas aferidas ao nascimento são: peso, comprimento, perímetro cefálico e perímetro torácico • Essas medidas permitem estabelecer relações e índices antropométricos, cuja principal vantagem em relação aos valores isolados de peso ou de comprimento é a possibilidade de avaliar de forma mais adequada o estado nutricional
  • 3. • Isoladamente, o peso de nascimento é o dado antropométrico mais utilizado para predizer o prognóstico de crescimento e de saúde em curto e longo prazo; • A frequência das indicações das mensurações podem variar de acordo com as necessidades de recém- nascido.
  • 4. • A realização das medidas antropométricas deve abordar não apenas a acurácia das mensurações, como também a importância em prover um ambiente adequado, levando em conta o reflexo de nossas ações no desenvolvimento do neonato.
  • 5. • Manter o ambiente adequado para a prática segura • Testar previamente os equipamentos e materiais necessários • Realizar o procedimento com o apoio de outro profissional • Embrulhar o bebê e efetuar a contenção facilitada • Se possível, permitir que os pais acompanhem o procedimento
  • 6. TÉCNICA DE AFERIÇÃO DO PESO DO RECÉM-NASCIDO • Uso da balança digital • Verificar se a balança está em superfície plana, nivelada e sem obstruções • Ligar a balança com o equipamento vazio, apertar a tecla “iniciar” e aguardar até aparecer 0000 no visor;
  • 7. • Realizar a desinfecção do equipamento com quaternário de amônio ou outro produto destinado a esta finalidade, de acordo com protocolo institucional • Higienizar as mãos TÉCNICA DE AFERIÇÃO DO PESO DO RECÉM-NASCIDO
  • 8. • Colocar um papel toalha sobre o equipamento e um cueiro/fralda para embrulhar o bebê; TÉCNICA DE AFERIÇÃO DO PESO DO RECÉM-NASCIDO • Realizar a tara do equipamento com o cueiro/fralda; • Despir e embrulhar o recém-nascido com o cueiro/fralda;
  • 9. • Posicionar cuidadosamente o RN sobre a balança; • Avaliar o peso indicado no visor, quando o visor parar de piscar • Registrar o peso em gramas. TÉCNICA DE AFERIÇÃO DO PESO DO RECÉM-NASCIDO
  • 10.
  • 11. • Utilizar o estadiômetro para a mensuração do comprimento • Posicionar o infantômetro sobre uma superfície plana e estável • Despir o RN da cintura para baixo TÉCNICA DE MENSURAÇÃO DO COMPRIMENTO
  • 12. • Permanecer ao lado do equipamento e manter as pernas do bebê esticadas e encostada na prancha com uma mão e mover o cursor com a outra • Manter, com auxílio de outro profissional, o alinhamento da cabeça da criança de forma que a linha vertical entre o canal auditivo e a parte inferior da órbita esteja perpendicular a placa horizontal do equipamento (Plano Vertical). TÉCNICA DE MENSURAÇÃO DO COMPRIMENTO
  • 13. • Manter a cabeça posicionada, ombros e quadril paralelos a cabeceira fixa; pernas e pés devem ser segurados com movimentos firmes e delicados para a mensuração precisa • Deslizar o cursor inferior até que toque os pés da criança TÉCNICA DE MENSURAÇÃO DO COMPRIMENTO
  • 14. • Certificar que os pés estão em posição anatômica • Registrar a mensuração encontrada após o cursor inferior ter sido posicionado no último milímetro completo TÉCNICA DE MENSURAÇÃO DO COMPRIMENTO
  • 15.
  • 16. TÉCNICA DE MENSURAÇÃO DO PERÍMETRO CEFÁLICO (PC) • Utilizar fita métrica não extensível e graduada em centímetros; • Certificar-se que a fita está com a face marcada em centímetros para o lado de fora;
  • 17. • Posicionar a fita acima da sobrancelha na região da glabela (região frontal) e posteriormente na proeminência occipital; • Manter ponto zero no lado da cabeça do bebê, próximo de quem faz a medida; • Registrar a medida encontrada TÉCNICA DE MENSURAÇÃO DO PERÍMETRO CEFÁLICO (PC)
  • 18.
  • 19. TÉCNICA DE MENSURAÇÃO DO PERÍMETRO TORÁCICO (PT) • Realizar a mensuração com o neonato em decúbito dorsal, tomando os mamilos como ponto de referência • Atentar para o ajuste da fita métrica.