Parto emergencial Silvio

1.520 visualizações

Publicada em

Primeiros socorros em parto emrgencial

Publicada em: Saúde
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.520
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
68
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Parto emergencial Silvio

  1. 1. PRIMEIROS SOCORROSPRIMEIROS SOCORROS PARTO IMINENTE SILVIO
  2. 2. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Proporcionar aos participantes conhecimentos e habilidades que os capacitem a: 1. Reconhecer 3 (três) situações de Parto Iminente; Objetivos:
  3. 3. PRIMEIROS SOCORROS - HEMORRAGIAPRIMEIROS SOCORROS - HEMORRAGIA 2. Identificar os materiais utilizados para auxiliar no parto; 3. Indicar a maneira correta de transporte da Parturiente. Objetivos:
  4. 4. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO AVALIAÇÃO INICIAL DA GESTANTE A avaliação inicial de uma gestante é idêntica a todos as vítimas. Avaliados e corrigidos os problemas que ameaçam a vida de imediato, deverá o socorrista realizar uma entrevista com a parturiente, extraindo o maior número de dados possíveis, concomitantemente com a verificação dos sinais vitais. Introdução:
  5. 5. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO * Identificar-se como socorrista habilitado para prestar o socorro; Perguntar o nome e a idade da gestante; * Perguntar se é o primeiro filho? Se for primigesta, o trabalho de parto será mais duradouro. O tempo de trabalho de parto será mais curto a cada parto subseqüente; Entrevista:
  6. 6. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO * Realizou exame pré-natal? Onde? Quais as observações médicas a respeito? Há alguma complicação prevista?; * A que horas iniciaram-se as contrações?; * Qual o intervalo entre as contrações? (freqüência); * Qual a intensidade das contrações? (tempo de duração);
  7. 7. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO * Houve a ruptura da bolsa amniótica? (perda de líquido); * Aspecto do líquido perdido (coloração, consistência); * Avaliar a queixa da vítima, se existente, de forte vontade de evacuar, ou de que sente o bebê saindo pela vagina.
  8. 8. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO NÃO TOQUE A REGIÃO GENITAL DA GESTANTE DURANTE O EXAME FÍSICO. COM BASE NOS DADOS ACIMA O SOCORRISTA DECIDIRÁ PELA INSPEÇÃO FÍSICA VISUAL DA GESTANTE
  9. 9. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO 1. Presença de contrações uterinas de forte intensidade e freqüentes: 5 contrações no intervalo de 10 minutos com duração acima de 40 cada contração; 2. Sensação intensa de evacuar; 3. Visualização da cabeça do bebê no canal do nascimento (coroamento). SINAIS DE PARTO IMINENTE
  10. 10. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO IMPORTANTE: 1. Não permita que a parturiente vá ao sanitário. 2. Não impeça, retarde ou acelere o processo de nascimento. 3. O trabalho de parto é um processo lento que pode durar horas, não se restringindo apenas ao nascimento.
  11. 11. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO ASSISTÊNCIA AO PARTO Preparação da Parturiente O socorrista ao avaliar a vítima e constatar a necessidade de dar assistência ao parto no próprio local deverá adotar as providências listadas abaixo:
  12. 12. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO *Informe à parturiente ou ao seu responsável que o parto será iminente; * Nos casos em que não houver tempo para transportar ao hospital, obtenha autorização da parturiente ou de seu responsável para assisti-lo na própria residência; * Demonstre tranqüilidade informando-lhes que a equipe tem noções para a assistência ao parto e que dispõem de materiais e equipamentos adequados para isso;
  13. 13. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO * Assegure a privacidade da parturiente e escolha um local apropriado; * Mantenha, sempre que possível, um familiar junto da parturiente durante todo o atendimento; * Prepare o local onde a parturiente será posicionada. Dê preferência à superfície plana (cama) e cujo colchão não permita o afundamento do quadril;
  14. 14. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO *Solicite à parturiente que remova as roupas que possam impedir o nascimento, sem expô-la demasiadamente; * Solicite à parturiente que se deite; mantenha-se em posição ginecológica (joelhos flexionados e bem separados, e os pés apoiados sobre a superfície que está deitada); Traga-a para a parte inferior da cama.
  15. 15. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Coloque algo (uma almofada ou um cobertor dobrado) debaixo do ombro da mãe para manter o tórax ligeiramente elevado;
  16. 16. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO * Faça anti-sepsia da região genital e coxa da parturiente, com água e sabão ou gaze e soro fisiológico. * Utilize lençóis descartáveis ou toalhas limpas abaixo das nádegas, sobre as coxas e sobre o abdômen da parturiente, logo acima do umbigo; * Cubra o ânus da parturiente com uma dobra de lençol limpo ou gaze para evitar que secreções (fezes) eliminadas durante as contrações contaminem o recém-nascido;
  17. 17. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Posição dos lençõis
  18. 18. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Disponha os materiais do Kit de Parto próximo da parturiente; em seguida prepare o local para a recepção do RN; Clamps
  19. 19. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Pêra
  20. 20. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Lençóis descartáveis  
  21. 21. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Bisturi
  22. 22. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO -Despreze as luvas de procedimentos utilizadas na preparação da gestante e na disposição dos materiais. Calce luvas estéreis; -Os socorristas que tiverem contato direto com o RN deverão estar devidamente protegidos (máscara facial, óculos de proteção, avental de mangas longas e luvas estéreis);
  23. 23. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Socorrista devidamente protegido
  24. 24. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO AMPARO E RECEPÇÃO DO RECÉM- NASCIDO (RN) Durante a expulsão do RN, apóie sua cabeça, colocando a mão logo abaixo da mesma com os dedos bem separados. Apenas sustente o segmento cefálico, ajudando com a outra mão. Não tente puxá-lo; com os dedos em forma de gancho apóie a nuca e a mandíbula;
  25. 25. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO * Se o parto for expulsivo (a cabeça sai com violência), ampare com uma das mãos a cabeça do RN, e com os dedos da mão inferior apóie o períneo para evitar distensão brusca desta região; *Se o cordão umbilical estiver envolvendo o pescoço do RN (circular de cordão), libere-o com muito cuidado, com um dos dedos, da nuca em direção à face;
  26. 26. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO * Se a circular de cordão não puder ser liberada, e impedir o nascimento do bebê, posicione os “clamps” e seccione o cordão entre eles, com o devido cuidado para não lesar o RN; *Se o bebê nascer envolvido pelo saco amniótico, este pode ser rompido, fazendo-se uma prega com o dedo indicador e polegar rasgando-o;
  27. 27. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO *Em geral, a cabeça do RN apresenta-se com a face voltada para baixo e logo gira para a direita ou à esquerda. *Guie cuidadosamente a cabeça para baixo, sem forçá-la, facilitando assim a liberação do ombro superior, em seguida guie ligeiramente para cima, facilitando a saída de todo o corpo;
  28. 28. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO * Com os dedos indicador e médio, das duas mãos, em forma de “V”, pegar a cabeça pela mandíbula e região da base do crânio, tomando o cuidado de não pressionar o pescoço do RN;
  29. 29. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO *Com uma das mãos, apóie a cabeça; A outra mão escorrega pelo dorso e segura as pernas do RN, mantendo-o numa superfície, no mesmo nível da mãe. * Envolva, neste momento, imediatamente o RN com um cobertor evitando a hipotermia. Cubra principalmente a cabeça, deixando a face exposta.
  30. 30. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Cuidados com o RN
  31. 31. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO * IMPORTANTE 1ª MEDIDA AO NASCER: ENVOLVER O RN IMEDIATAMENTE COM LENÇOL PARA PREVENIR A HIPOTERMIA NO RN. Lembre-se de anotar a hora exata do nascimento.
  32. 32. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO TRATAMENTO PRÉ-HOSPITALAR DO RECÉM-NASCIDO • Limpe a face do RN com gaze estéril; • Utilize a pêra, para aspiração; • Lembre-se: quando se estimula a narina de um RN ocorre um reflexo inspiratório, portanto, a fim de evitar aspiração de secreções, aspire primeiro a boca do RN, posteriormente aspire as narinas.
  33. 33. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Assepsia com gaze estéril.
  34. 34. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Aspiração da cavidade bucal com pêra.
  35. 35. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Aspiração das narinas com pêra.
  36. 36. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO
  37. 37. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO
  38. 38. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO
  39. 39. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO
  40. 40. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO
  41. 41. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Avalie a respiração do bebê. Se o bebê não chora, estimule-o massageando com os dedos em movimentos circulares na região do dorso ou dê-lhe “tapinhas” com o dedo indicador na planta dos pés.
  42. 42. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Permaneça com o bebê no mesmo nível da mãe até o corte do cordão umbilical.
  43. 43. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO CORTE DO CORDÃO UMBILICAL Se o bebê chora seccione imediatamente o cordão. Se não chora, avalie a respiração e verifique a pulsação no cordão umbilical;
  44. 44. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO • Disponha os grampos (clamps) no cordão da seguinte forma: o primeiro grampo a cerca de 15 cm do bebê (mais ou menos 8 dedos), e o segundo grampo 4 cm após o primeiro (mais ou menos 2 dedos); seccione entre eles. • Utilizando o bisturi estéril do kit obstétrico, seccione o cordão na linha média entre os grampos. Utilize o bisturi de baixo para cima, evitando que o sangue que esteja represado entre os clamps o atinja em jato;
  45. 45. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO *Se após o corte do cordão umbilical ocorrer sangramento contínuo, coloque outro clamps junto ao anterior; *Envolva o coto umbilical com GAZE ESTÉRIL SECA; *Avalie o RN e procure por alterações, tais como: possíveis lesões durante o parto, lábio leporino e fenda palatina, ânus imperfurado, mau formação congênita de extremidades.
  46. 46. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO *Apresente o RN à mãe, permita que a mãe visualize a região genital do RN, decline o sexo (homem-mulher), declare as condições atuais do RN. Avalie a receptividade da parturiente ao RN. *Cubra por definitivo o RN e o identifique com filiação materna, data e hora do nascimento, local do nascimento e prefixo da viatura ou ambulância; *Monitore-o constantemente.
  47. 47. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO PROCEDIMENTOS NO PARTO SEM MATERIAL ESTERILIZADO Importante Na ausência de kit de parto com bisturi estéril para corte do cordão umbilical proceda como descrito abaixo. Aplique apenas os “clamps” se disponíveis ou faça um cordão com gaze estéril seca e aplique torniquetes (amarre firmemente) nos locais indicados para os grampos umbilicais;
  48. 48. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO *Não havendo a possibilidade de clampeamento ou torniquete, mantenha o bebê SEMPRE no mesmo nível da mãe enquanto se aguarda a dequitação da placenta. Havendo a dequitação da placenta, envolva-a em material estéril e posicione-a a cerca de 30 cm acima do nível do bebê; *Se não houver a dequitação da placenta no período de 15 minutos transporte ao hospital indicado pela Central de Operações.
  49. 49. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO JUSTIFICATIVA: Não havendo material esterilizado o corte do cordão umbilical não deve ser executado, evitando-se sua infecção (o principal risco é o tétano). O posicionamento no mesmo nível da mãe tem o objetivo de evitar hipovolemia ou hipervolemia no feto, caso o bebê seja posicionado, respectivamente, acima ou abaixo daquele nível antes da secção do cordão e de que este pare de pulsar.
  50. 50. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Dequitação da placenta: * Havendo a expulsão espontânea da placenta (aguarde no máximo 15 minutos após o nascimento), examine-a e guarde-a em um saco plástico apropriado para posterior avaliação pelo médico;
  51. 51. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Não remova o clamp; Não tracione o cordão umbilical durante a dequitação.
  52. 52. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO
  53. 53. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Controle do sangramento vaginal: - Utilize um absorvente higiênico ou material similar (compressa algodoada de gaze estéril); - Coloque o absorvente higiênico na abertura da vagina; - Oriente para que a parturiente abaixe as pernas e mantenha-as juntas sem apertá-las;
  54. 54. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Apalpe e massageie o abdômen da parturiente, abaixo do umbigo, à direita, fazendo movimentos circulares, com o objetivo de estimular a contração uterina (formação do Globo de Segurança de Pinard) e conseqüentemente a diminuição da hemorragia. Sinta o útero contraído;
  55. 55. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Controle de hemorragia MASSAGEM DO ÚTERO PÓS PARTO
  56. 56. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO SITUAÇÕES DE TRANSPORTE IMEDIATO Transportar imediatamente ao hospital a gestante que apresente algum dos seguintes problemas: 1. Hipertensão arterial; 2. Cardiopatias; 3. Hemorragias vaginais; 4. Líquido amniótico esverdeado (mecônio); 5. Prolapso de cordão; 6. Apresentação diversa da cefálica: pélvica, transversa ou pélvica.
  57. 57. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO FORMA DE TRANSPORTE Posicione a paciente em decúbito lateral esquerdo ou em DDH com deslocamento manual do útero para o lado esquerdo; JUSTIFICATIVA: aliviar a compressão sobre a veia cava inferior aumentando a circulação sangüínea materna. Evita-se conseqüentemente hipóxia no feto, o que levaria a sofrimento fetal, associado ao relaxamento do esfíncter anal, com a liberação de mecônio, devido à descarga adrenérgica.
  58. 58. PRIMEIROS SOCORROS - PARTOPRIMEIROS SOCORROS - PARTO Dúvidas???? Silvio (11) 97341-4478 silviosamu192@hotmail.com

×