SlideShare uma empresa Scribd logo
ESPECIAL LIDERANÇA

                                                                           A liderança aprendida




                                                          IMAGEM: KIPPER




                                                                           Os estudos sobre liderança não são convergentes
                                                                           sobre o que é liderança e como exercê-la. Ora a
                                                                           ênfase desses estudos é sobre a personalidade do
                                                                           líder, ora sobre o que ele faz, ora sobre as distintas
                                                                           combinações entre líder, liderados e situação. Este
                                                                           texto propõe uma compreensão sobre a liderança se-
                                                                           gundo a qual o líder deve responder a um ambiente
                                                                           de dilemas e contradições mediante a aquisição de
                                                                           competências sobre si mesmo, sobre seus liderados
                                                                           e sobre o contexto em que atua.


                                                                           por Sylvia Constant Vergara FGV-EBAPE


                  Liderança é um tema instigante: quase        Neste texto, são apresentados               terceiro, de que esses conhecimentos e
                  sempre está na pauta das discussões     três argumentos acerca desse tema.               habilidades resultam de aprendizagem
                  sobre negócios. Mas de onde viria a     Primeiro, o de que liderança é a                 contínua.
                  fascinação pelo tema? Provavelmente     competência para exercer influência
                  do desejo de se conhecer a essência     sobre indivíduos e grupos. Segundo,              O que é liderança. O mundo aca-
                  desse fenômeno complexo e ambíguo.      de que tal competência constitui um              dêmico buscou, sem cessar, descobrir
                  Afinal, o que é liderança? De que ela    conjunto de conhecimentos, habilida-             o que é liderança. Formulou várias
                  é composta?                             des e atitudes, expresso em ações. E,            teorias. Talvez a mais antiga seja a dos



                                                                                                                                    ©GV   executivo • 61




061-065.indd 61                                                                                                                                      1/12/07 6:33:37 PM
ESPECIAL LI D E RAN Ç A: A L I DERAN Ç A AP R E N D I DA



                  traços de personalidade. Quem seria              entre aquele que pretende influenciar     sejam obtidos. Os ingredientes que
                  líder? Aquele que nascesse com de-               e aquele que deve ser influenciado.       compõem essa competência estão na
                  terminados traços físicos, intelectuais,              A teoria dos estilos de liderança   aprendizagem contínua.
                  sociais e relacionados com a tarefa. Por         foi largamente utilizada em progra-           Há pessoas que, a despeito de
                  exemplo: deveria ter estatura alta, bela         mas de desenvolvimento gerencial.        ocuparem cargos de chefia, não exer-
                  aparência, força física etc. Contudo,            O objetivo era transformar pessoas       cem liderança. Fazem-se obedecidos,
                  se tentarmos enquadrar, nesta teoria,            em líderes democráticos e, ao mesmo      por exemplo, por coação ou interesse
                  personagens como Napoleão, Rosa de               tempo, voltados para a produtividade.    de quem é coagido. Há outros que, a
                  Luxemburgo e Ghandi, o resultado                 Mas, na prática, a teoria mostrou sua    despeito de não ocuparem cargos de
                  será decepcionante, servindo para                debilidade, dando ensejo a que vice-     chefia, lideram com freqüência. O ideal
                  nos mostrar apenas uma coisa: que                jasse uma outra teoria, segundo a qual   é ter um chefe líder. Melhor dizendo:
                  liderança não é inata. Se assim o fosse,         liderança é algo contingencial para      um gestor/líder, capaz de perceber que
                  quem possuísse determinados traços               a qual a expressão “tudo depende”        não só as empresas e seu ambiente
                  lideraria o tempo todo, a todos; quem            passou a valer.                          mudam, exigindo renovação constante
                  não os tivesse estaria fadado a ser                                                       de competência, como também que as
                  eternamente seguidor, e, obviamente,             Chefes e líderes. Livros e revistas      empresas, como qualquer coletividade,
                  não é isso que se observa no cotidiano           de negócios também se dedicaram ao       são movidas por cooperação e por con-
                  de nossas vidas.                                 tema. Com base na prática, indicam       flito, e é preciso saber lidar com essas
                        Mas a busca de entender o que              tipos de líder (o transformador, o       forças contraditórias.
                  é liderança não parou na teoria dos              educador, o visionário etc.) e apontam
                  traços. O próximo passo nessa his-               executivos que consideram líderes        Forças contraditórias. Como
                  tória foi dado pela teoria de que, se            de sucesso, suas características de      somos todos seres situados, isto é,
                  liderança não é inata, então ela pode            personalidade, seus modos de agir, os    vivemos em um determinado tempo
                  ser aprendida. O foco passou a ser em            ensinamentos que têm a dar etc.          e em um determinado espaço, con-
                  como escolher o melhor estilo de lide-                O que o ambiente acadêmico e o      vém analisarmos a influência que o
                  rar, e foram identificados três: o demo-          não-acadêmico parecem nos revelar é      ambiente exerce sobre a questão da
                  crático, o autocrático e o laissez-faire.        alguma confusão entre chefia e lide-      liderança, as forças que a mobilizam
                  Muitos consideravam que o melhor                 rança. De fato, tudo indica que não      e os conhecimentos, habilidades e
                  estilo era o democrático; no entanto,            há clareza quanto às características e   atitudes norteadores da ação que tal
                  situações do dia-a-dia demonstraram              diferenças entre esses dois conceitos.   ambiente cobra hoje da liderança.
                  que não é bem assim. Dependendo da               De todo modo, entendo por chefia a             Vivemos um mundo de partes in-
                  situação, o líder deveria ser autocráti-         competência que prioriza sistemas e      terdependentes, a tal “aldeia global” de
                  co e até laissez-faire.                          estruturas para alguém se fazer obe-     que nos falou o sociólogo canadense
                        Um entendimento é, então, in-              decido por indivíduos e grupos. Os       Marshall McLuhan há tantas décadas.
                  troduzido na teoria dos estilos de               ingredientes que compõem essa com-       Neste mundo de mudanças tão rápi-
                  liderança: não há o melhor estilo;               petência variam desde aspectos legais,   das, certamente a grande estrela é a
                  tudo depende do líder, dos seguidores            de modelagem organizacional, até         tecnologia. Celulares multifuncionais,
                  e da situação. É fácil reconhecer que            características de personalidade. Em     engenharia genética, mísseis inteligen-
                  determinados traços da personalidade             contrapartida, por liderança entendo     tes, microprocessadores, sensores a
                  de alguém podem, em função das ex-               a competência de alguém em exercer       laser, instrumentos de controle de alta
                  pectativas de seus seguidores, facilitar         influência sobre indivíduos e grupos,     precisão, cirurgias a distância e uma
                  a liderança. Mas podem, também,                  de modo que tarefas, estratégias,        lista sem fim que dá à tecnologia um
                  obstaculizar, se houver dissonâncias             missões sejam realizadas e resultados    lugar de destaque.



             62 • VOL.6 • Nº1 • JAN./FEV. 2007




061-065.indd 62                                                                                                                                    1/12/07 6:33:37 PM
Mas há uma outra lista, que pode-
                  mos acrescentar a essa primeira, que        Entendo por liderança a competência de alguém em exercer
                  inclui aspectos como os baixos índices
                  de desenvolvimento humano (IDH)             influência sobre indivíduos e grupos, de modo que tarefas,
                  de tantos países, incluindo o nosso, a      estratégias, missões sejam realizadas e resultados sejam
                  ausência de ética na política e também
                  nos negócios, as guerrilhas urbanas, a
                                                              obtidos. Os ingredientes que compõem essa competência estão
                  violência ao ambiente natural e tantos      na aprendizagem contínua.
                  elementos que não nos são motivo de
                  orgulho. Pois é precisamente nesse
                  ambiente de incontáveis contradições      à religião. Esta, como a mitologia, a    desafios com que líderes se defrontam
                  que se exerce hoje a liderança.           ciência, a filosofia, é uma avenida para   a cada dia. Por essa razão é que acre-
                       O mesmo tipo de contradição          se ter acesso ao conhecimento, porém,    dito na necessidade de um outro tipo
                  pode também ser encontrado nas pró-       ainda aqui nossos pés necessitam estar   de pensamento, aquele que o impor-
                  prias pessoas: é da condição humana o     no chão.                                 tante pensador francês Edgar Morin
                  sonho, o desejo, a idéia, a abertura, a        Se não precisa ser deus do Olim-    chamou de “pensamento complexo”.
                  criatividade e, também, a realidade, o    po ou do hinduísmo, de que precisa       O que seria tal pensamento?
                  desinteresse, o fato, o enraizamento, a   alguém que pretenda exercer lideran-
                  manutenção do status quo. Nesse con-      ça? Há quem diga que precisa, apenas,    O pensamento complexo. O ter-
                  texto de forças contraditórias, quais     ser uma pessoa e, como tal, fazer da     mo complexidade vem de complexus e
                  conhecimentos, habilidades, atitudes      aprendizagem contínua a fonte ines-      significa “aquilo que é tecido junto”.
                  deve ter alguém que pretenda exercer      gotável de conhecimentos e habilida-     A metáfora, aqui, é a do tecido, da
                  sua liderança?                            des que enriquecem suas condições        teia, da trama. O que é “tecido jun-
                                                            genéticas. Concordo plenamente com       to”? As questões políticas, culturais,
                  O exercício da liderança. Há              esse tipo de entendimento.               econômicas, tecnológicas, sociais, de-
                  quem diga que alguém que pretenda              Aprendizagem, em si, também         mográficas, psicológicas, ambientais,
                  exercer liderança precisa ser um deus     é tema fascinante, que nos remete à      enfim, questões com características
                  do Olimpo. Talvez até mesmo Zeus, o       questão do pensamento. Montaigne,        singulares. Qualquer gestor/líder sabe
                  maior de todos. É claro que se assim      pensador francês do século XVI, dizia    muito bem o quanto uma questão
                  fosse a liderança não passaria de         que “mais vale uma cabeça bem-feita      influencia a outra nos negócios e na
                  uma miragem. Não somos Zeus, que          do que bem cheia”. Se concordarmos       forma de liderar as pessoas para que
                  pertence à mitologia. Esta nos ajuda      com ele, teremos de admitir que uma      os negócios cheguem aos resultados
                  a dar explicações sobre o mundo, é        cabeça “bem-feita” implica perceber-     desejados.
                  uma das múltiplas avenidas para se        mos o quanto a construção do mundo            Vejamos, por ilustração, o caso
                  ter acesso ao conhecimento, mas as        e de nós mesmos foi alicerçada em um     chinês. Seus trabalhadores, caracteri-
                  explicações requerem, também, ter-        pensamento cada vez mais fragmenta-      zados por serem “mão-de-obra bara-
                  mos os pés no chão.                       do que ainda domina a humanidade,        ta”, estão deixando as empresas que
                       Há quem diga que alguém que          formatando, portanto, decisões e         precisam de pessoal mais qualificado
                  pretenda exercer liderança precisa ser    ações de gestores/líderes.               em uma situação muito difícil: na
                  Shiva, o deus hinduísta que descons-           E mais importante ainda: teremos    China, o ritmo do desenvolvimento
                  trói, que tudo transforma com sua         de admitir que esse tipo de pensamen-    econômico não se fez acompanhar da
                  dança. O mesmo se aplica aqui: nin-       to criou modelos mentais que hoje já     formação de pessoal. O sistema edu-
                  guém é como Shiva, o qual pertence        não conseguem mais responder aos         cacional está defasado em relação aos



                                                                                                                             ©GV   executivo • 63




061-065.indd 63                                                                                                                               1/12/07 6:33:38 PM
ESPECIAL LI D E RAN Ç A: A L I DERAN Ç A AP R E N D I DA



                  requisitos de uma economia globaliza-            habilidades necessários ao exercício      Ou como diria o poeta Fernando Pes-
                  da. Daí que empregados qualificados               da liderança por parte daqueles que       soa: “Eu sou do tamanho do que vejo
                  estejam migrando para empresas que               a almejam nesse ambiente turbulento       e não do tamanho de minha altura”. O
                  lhes oferecem melhores salários e                e contraditório em que vivemos hoje.      gestor/líder fará bem, então, se apren-
                  condições de trabalho.                           Argumento, a seguir, que tal aquisição    der a tirar lições das diferenças.
                       Como resultado, produtos chi-               e renovação são possíveis pela apren-          Se o pensamento complexo é o do
                  neses, caracterizados por serem                  dizagem de si mesmo, do outro e do        gestor/líder, este entende que, como as
                  baratos, estão recebendo pressão                 contexto, conduzindo à mudança de         pessoas a quem lidera, ele, líder, tam-
                  para terem seus preços aumentados.               comportamento.                            bém é dotado de objetividade e subje-
                  Com isso, aquele país está perdendo                                                        tividade, porque esses contrários são
                  a vantagem competitiva que vinha                 A aprendizagem de si mesmo.               próprios de qualquer ser humano. Se a
                  obtendo, neste quesito em particu-               Se o gestor/líder tem um pensamento       objetividade permite a socialização, a
                  lar, no mercado global. Empresas                 complexo, na busca da auto-apren-         subjetividade singulariza, constituin-
                  multinacionais na China buscam                   dizagem é capaz de admitir que o          do a individualidade humana.
                  reduzir seus lucros para manter o                conhecimento que ele (gestor/líder)
                  preço, frustrando as expectativas                tem das coisas é, como o de qualquer      A aprendizagem do outro. As
                  de acionistas, embora seja provável              ser humano, incompleto e que a cons-      pessoas às quais o gestor/líder lidera
                  que os custos estejam sendo repas-               ciência dessa incompletude, longe de      têm motivações, valores, expectativas
                  sados aos consumidores – com as                  ser um desastre, pode ser elemento        e histórias de vida diferentes umas das
                  conhecidas conseqüências que isso                estimulador da aquisição de novos         outras, e essa diferenciação necessita
                  obviamente produz.                               conhecimentos.                            ser levada em consideração. O que
                       Um pensamento complexo é                         Se o gestor/líder tem um pensa-      motiva um indivíduo pode não moti-
                  capaz de perceber que acionistas,                mento complexo, percebe que suas          var outro, logo, é preciso sensibilidade
                  sindicatos, fornecedores, clientes,              decisões e ações se baseiam em es-        do gestor/líder para captar essa dife-
                  consumidores, empregados, adminis-               tatísticas, formulações matemáticas,      renciação e transformar motivações
                  tradores, governo, empresa, sociedade            análise racional de causa e efeito, mas   em ações.
                  e meio ambiente estão todos ligados              igualmente em valores, crenças, moti-          No exercício de seu papel como
                  entre si e que a teia por eles tecida é          vações, expectativas, sensibilidades e    coach, ou como mentor natural, o
                  parcialmente responsável pela susten-            intuições que conformam o seu olhar       gestor/líder tem a oportunidade de
                  tabilidade econômica, social e ambien-           sobre um determinado fato; logo, a        aprender a lidar com a diversidade.
                  tal da empresa. Adicionalmente, esse             sua verdade pode não ser a verdade do     Coach é um mentor intencional que
                  tipo de pensamento facilita a aquisição          outro. A verdade, nos provoca a física    ajuda os liderados a se desenvolve-
                  e a renovação de conhecimentos e                 quântica, é a do olho do observador.      rem na carreira, a melhorarem seus
                                                                                                             desempenhos, a sistematizarem suas
                                                                                                             idéias, a fazerem escolhas cuidadosas,
                                                                                                             a se comprometerem com a empresa,
                    Precisamos hoje de gestores/líderes, capazes de perceber
                                                                                                             a expandirem sua visão de mundo, a
                    que não só as empresas e seu ambiente mudam, exigindo                                    serem éticos.
                    renovação constante de competência, como também que                                           Mentor natural é aquele que
                                                                                                             orienta, sugere, aconselha, provoca no
                    as empresas são movidas por cooperação e por conflito, e é                                liderado a possibilidade de um olhar
                    preciso saber lidar com essas forças contraditórias.                                     diferente sobre o mesmo problema,
                                                                                                             estimula o liderado a entrar em contato



             64 • VOL.6 • Nº1 • JAN./FEV. 2007




061-065.indd 64                                                                                                                                     1/12/07 6:33:38 PM
com o que ele (liderado) é e não so-
                  mente com o que faz. Serve de guia, de
                  exemplo, de provocador de reflexões,
                  de facilitador da aprendizagem. Apren-
                  de sobre o outro e sobre si mesmo – e
                  junto com outras pessoas.
                       O sociólogo norte-americano
                  Richard Sennett, que escreveu sobre a
                  corrosão do caráter no mundo capita-
                  lista atual, identifica quatro atributos
                  para o desenvolvimento saudável do
                  caráter de uma pessoa: lealdade, com-
                  prometimento, confiança e ajuda mú-
                  tua. Se focarmos no gestor/líder fica
                  fácil reconhecer a importância desses
                  atributos. Estou aqui me referindo à
                  lealdade e ao comprometimento com a
                  empresa que abriga líderes e liderados,
                  assim como à relação de confiança
                  que deve existir entre eles, ensejando
                  ajudas mútuas. A auto-aprendiza-          na mesma situação que gerou proble-       como um processo – e não como um
                  gem e a aprendizagem do outro são         mas e perplexidades, e que estes estão    produto acabado – que precisa res-
                  completadas com o que se espera de        também nas soluções.                      ponder às mudanças, umas velozes,
                  um gestor/líder: a aprendizagem do             O tempo-espaço atual, ou seja, o     outras nem tanto, que caracterizam o
                  contexto.                                 contexto ou ambiente no qual o ges-       tempo-espaço contemporâneo.
                                                            tor/líder está agora inserido, tem mui-        Esse processo fundamenta-se na
                  A aprendizagem do contexto.               to a lhe ensinar com o desemprego,        aprendizagem contínua do gestor/lí-
                  A aprendizagem do contexto permite        com a oferta de emprego para pessoas      der. Na perspectiva aqui utilizada, essa
                  ao gestor/líder compreender e atuar       detentoras de certas competências,        aprendizagem ocorre em três frentes: a
                  em um ambiente caracterizado por          com a degradação e a preservação          aprendizagem do gestor/líder sobre si
                  adaptabilidade e inovação, continui-      do meio ambiente, com a crescente         mesmo, sobre o outro e sobre o con-
                  dade e ruptura, certezas e riscos.        participação feminina no mercado de       texto. É claro que, para desenvolver-se
                       Assim, o gestor/líder é capaz de     trabalho, com o envelhecimento das        nessas três frentes de aprendizagem,
                  perceber que a empresa na qual ele        populações, enfim, com um conjunto         nosso gestor/líder não precisa ser um
                  exerce sua liderança molda as pessoas     de fatos e de tendências que caracteri-   herói; basta um pouco de empenho,
                  que nela trabalham e, inversamente,       zam o mundo contemporâneo.                sensibilidade e desejo de responder
                  que essas mesmas pessoas constroem                                                  à altura do que seu mundo lhe pede
                  a empresa; que a empresa à qual ele       Uma palavra final. Liderança é             hoje. Isso já será o suficiente.
                  empresta suas energias necessita de       a competência para exercer influência
                  ordem, portanto, de regras para todos,    sobre indivíduos e grupos. Como
                  mas também necessita de tolerância        tal, expressa-se em um conjunto de
                                                                                                      Sylvia Constant Vergara
                  com a desordem, pois esta permite a       conhecimentos, habilidades, atitudes,     Profa. Titular da FGV-EBAPE
                  criatividade; e que soluções existem      ações. Esse conjunto caracteriza-se       E-mail: vergara@fgv.br



                                                                                                                               ©GV   executivo • 65




061-065.indd 65                                                                                                                                 1/12/07 6:33:38 PM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

As 5 etapas da transformação cultural
As 5 etapas da transformação culturalAs 5 etapas da transformação cultural
As 5 etapas da transformação cultural
MrioKojima
 
Metamorfose organizacional
Metamorfose organizacionalMetamorfose organizacional
Metamorfose organizacional
Paulo Sanches
 
T39 tcc o efeito da cultura das empresas na liderança e no seu desempenho_ale...
T39 tcc o efeito da cultura das empresas na liderança e no seu desempenho_ale...T39 tcc o efeito da cultura das empresas na liderança e no seu desempenho_ale...
T39 tcc o efeito da cultura das empresas na liderança e no seu desempenho_ale...
DanianaSantos
 
Peter senge e a quinta disciplina
Peter senge e a quinta disciplinaPeter senge e a quinta disciplina
Peter senge e a quinta disciplina
renatoveiga96
 
Liderança e sua interferencia no trabalho em equipe nas organizações
Liderança e sua interferencia no trabalho em equipe nas organizaçõesLiderança e sua interferencia no trabalho em equipe nas organizações
Liderança e sua interferencia no trabalho em equipe nas organizações
rtyl
 
Lideranca-coaching
Lideranca-coachingLideranca-coaching
Lideranca-coaching
thiagobss
 
Livro - competências profissionais
Livro - competências profissionaisLivro - competências profissionais
Livro - competências profissionais
Alan Carreiro Almeida
 
Aula 2 cibercultura: informação e conhecimento
Aula 2 cibercultura: informação e conhecimentoAula 2 cibercultura: informação e conhecimento
Aula 2 cibercultura: informação e conhecimento
Carlos Alves
 
Artigo gestão-em-liderança-de-equipes
Artigo gestão-em-liderança-de-equipesArtigo gestão-em-liderança-de-equipes
Artigo gestão-em-liderança-de-equipes
Rafael Lial
 
A implementação da aprendizagem organizacional via projeto organizacional
A implementação da aprendizagem organizacional via projeto organizacionalA implementação da aprendizagem organizacional via projeto organizacional
A implementação da aprendizagem organizacional via projeto organizacional
Leonardo Sepulcri
 
Curso de chefia e liderança
Curso de chefia e liderançaCurso de chefia e liderança
Curso de chefia e liderança
Joao Balbi
 
Liderança - Introdução à Administração (IADM)
Liderança - Introdução à Administração (IADM)Liderança - Introdução à Administração (IADM)
Liderança - Introdução à Administração (IADM)
Erica Byanca
 
Guia do Gerente Responsável
Guia do Gerente ResponsávelGuia do Gerente Responsável
Guia do Gerente Responsável
Alain Winandy
 
Palestra Aprendizagem nas Organizações: O que eu tenho a ver com isso?
Palestra Aprendizagem nas Organizações: O que eu tenho a ver com isso?Palestra Aprendizagem nas Organizações: O que eu tenho a ver com isso?
Palestra Aprendizagem nas Organizações: O que eu tenho a ver com isso?
Fabiano Larentis
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
Adeildo Caboclo
 
Gestor de emoções humanizando as relações no ambiente de trabalho
Gestor de emoções   humanizando as relações no ambiente de trabalhoGestor de emoções   humanizando as relações no ambiente de trabalho
Gestor de emoções humanizando as relações no ambiente de trabalho
Jorge Lima
 
Aula 5 comportamento macroorganizacional
Aula 5   comportamento macroorganizacionalAula 5   comportamento macroorganizacional
Aula 5 comportamento macroorganizacional
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 

Mais procurados (17)

As 5 etapas da transformação cultural
As 5 etapas da transformação culturalAs 5 etapas da transformação cultural
As 5 etapas da transformação cultural
 
Metamorfose organizacional
Metamorfose organizacionalMetamorfose organizacional
Metamorfose organizacional
 
T39 tcc o efeito da cultura das empresas na liderança e no seu desempenho_ale...
T39 tcc o efeito da cultura das empresas na liderança e no seu desempenho_ale...T39 tcc o efeito da cultura das empresas na liderança e no seu desempenho_ale...
T39 tcc o efeito da cultura das empresas na liderança e no seu desempenho_ale...
 
Peter senge e a quinta disciplina
Peter senge e a quinta disciplinaPeter senge e a quinta disciplina
Peter senge e a quinta disciplina
 
Liderança e sua interferencia no trabalho em equipe nas organizações
Liderança e sua interferencia no trabalho em equipe nas organizaçõesLiderança e sua interferencia no trabalho em equipe nas organizações
Liderança e sua interferencia no trabalho em equipe nas organizações
 
Lideranca-coaching
Lideranca-coachingLideranca-coaching
Lideranca-coaching
 
Livro - competências profissionais
Livro - competências profissionaisLivro - competências profissionais
Livro - competências profissionais
 
Aula 2 cibercultura: informação e conhecimento
Aula 2 cibercultura: informação e conhecimentoAula 2 cibercultura: informação e conhecimento
Aula 2 cibercultura: informação e conhecimento
 
Artigo gestão-em-liderança-de-equipes
Artigo gestão-em-liderança-de-equipesArtigo gestão-em-liderança-de-equipes
Artigo gestão-em-liderança-de-equipes
 
A implementação da aprendizagem organizacional via projeto organizacional
A implementação da aprendizagem organizacional via projeto organizacionalA implementação da aprendizagem organizacional via projeto organizacional
A implementação da aprendizagem organizacional via projeto organizacional
 
Curso de chefia e liderança
Curso de chefia e liderançaCurso de chefia e liderança
Curso de chefia e liderança
 
Liderança - Introdução à Administração (IADM)
Liderança - Introdução à Administração (IADM)Liderança - Introdução à Administração (IADM)
Liderança - Introdução à Administração (IADM)
 
Guia do Gerente Responsável
Guia do Gerente ResponsávelGuia do Gerente Responsável
Guia do Gerente Responsável
 
Palestra Aprendizagem nas Organizações: O que eu tenho a ver com isso?
Palestra Aprendizagem nas Organizações: O que eu tenho a ver com isso?Palestra Aprendizagem nas Organizações: O que eu tenho a ver com isso?
Palestra Aprendizagem nas Organizações: O que eu tenho a ver com isso?
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
 
Gestor de emoções humanizando as relações no ambiente de trabalho
Gestor de emoções   humanizando as relações no ambiente de trabalhoGestor de emoções   humanizando as relações no ambiente de trabalho
Gestor de emoções humanizando as relações no ambiente de trabalho
 
Aula 5 comportamento macroorganizacional
Aula 5   comportamento macroorganizacionalAula 5   comportamento macroorganizacional
Aula 5 comportamento macroorganizacional
 

Semelhante a Artigo Liderança - A Liderança pode ser aprendida?

Modelos de liderança 2a aula - 17/02/2011
Modelos de liderança 2a aula - 17/02/2011Modelos de liderança 2a aula - 17/02/2011
Modelos de liderança 2a aula - 17/02/2011
Unip e Uniplan
 
Aula 3 lgc
Aula 3 lgcAula 3 lgc
Aula 3 lgc
Tuane Paixão
 
A liderança
A liderançaA liderança
A liderança
Filipe Simão Kembo
 
A liderança
A liderançaA liderança
A liderança
Filipe Simão Kembo
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
humberto145
 
Chefia e Liderança.pdf
Chefia e Liderança.pdfChefia e Liderança.pdf
Chefia e Liderança.pdf
Thiago Thome
 
Lideranca
LiderancaLideranca
teste
testeteste
Liderança e seus tipos, apresenta alguns aspectos de líderes.
Liderança e seus tipos, apresenta alguns aspectos de líderes.Liderança e seus tipos, apresenta alguns aspectos de líderes.
Liderança e seus tipos, apresenta alguns aspectos de líderes.
JosianeCrepaldi
 
TEXTO 1 - LIDERANÇA, IMAGINÁRIO E TECNOLOGIAS DE PREPARAÇÃO DE LÍDERES.pdf
TEXTO 1 - LIDERANÇA, IMAGINÁRIO E TECNOLOGIAS DE PREPARAÇÃO DE LÍDERES.pdfTEXTO 1 - LIDERANÇA, IMAGINÁRIO E TECNOLOGIAS DE PREPARAÇÃO DE LÍDERES.pdf
TEXTO 1 - LIDERANÇA, IMAGINÁRIO E TECNOLOGIAS DE PREPARAÇÃO DE LÍDERES.pdf
Gilberto Braga Pereira
 
Apresentacao dd1
Apresentacao dd1Apresentacao dd1
Apresentacao dd1
José Carlos Araújo Santos
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
mauricio souza
 
E-book de Liderança.pdf
E-book de Liderança.pdfE-book de Liderança.pdf
E-book de Liderança.pdf
AndrezaAlcantara
 
Afinal,quemmandaaqui
Afinal,quemmandaaquiAfinal,quemmandaaqui
Afinal,quemmandaaqui
Andy Willians
 
Liderança aulas 1, 2
Liderança   aulas 1, 2Liderança   aulas 1, 2
Liderança aulas 1, 2
Katiana Diniz
 
Liderança - administração do sentido - rae
Liderança - administração do sentido - raeLiderança - administração do sentido - rae
Liderança - administração do sentido - rae
allurerc
 
Modelos de liderança 3a aula 03/03/2011
Modelos de liderança 3a aula 03/03/2011Modelos de liderança 3a aula 03/03/2011
Modelos de liderança 3a aula 03/03/2011
Unip e Uniplan
 
13
13 13
Disciplina de Liderança
Disciplina de LiderançaDisciplina de Liderança
Disciplina de Liderança
faculdadeteologica
 
1_lideranca organizacional_educação-slide.pptx
1_lideranca organizacional_educação-slide.pptx1_lideranca organizacional_educação-slide.pptx
1_lideranca organizacional_educação-slide.pptx
CludiaLovato
 

Semelhante a Artigo Liderança - A Liderança pode ser aprendida? (20)

Modelos de liderança 2a aula - 17/02/2011
Modelos de liderança 2a aula - 17/02/2011Modelos de liderança 2a aula - 17/02/2011
Modelos de liderança 2a aula - 17/02/2011
 
Aula 3 lgc
Aula 3 lgcAula 3 lgc
Aula 3 lgc
 
A liderança
A liderançaA liderança
A liderança
 
A liderança
A liderançaA liderança
A liderança
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
Chefia e Liderança.pdf
Chefia e Liderança.pdfChefia e Liderança.pdf
Chefia e Liderança.pdf
 
Lideranca
LiderancaLideranca
Lideranca
 
teste
testeteste
teste
 
Liderança e seus tipos, apresenta alguns aspectos de líderes.
Liderança e seus tipos, apresenta alguns aspectos de líderes.Liderança e seus tipos, apresenta alguns aspectos de líderes.
Liderança e seus tipos, apresenta alguns aspectos de líderes.
 
TEXTO 1 - LIDERANÇA, IMAGINÁRIO E TECNOLOGIAS DE PREPARAÇÃO DE LÍDERES.pdf
TEXTO 1 - LIDERANÇA, IMAGINÁRIO E TECNOLOGIAS DE PREPARAÇÃO DE LÍDERES.pdfTEXTO 1 - LIDERANÇA, IMAGINÁRIO E TECNOLOGIAS DE PREPARAÇÃO DE LÍDERES.pdf
TEXTO 1 - LIDERANÇA, IMAGINÁRIO E TECNOLOGIAS DE PREPARAÇÃO DE LÍDERES.pdf
 
Apresentacao dd1
Apresentacao dd1Apresentacao dd1
Apresentacao dd1
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
E-book de Liderança.pdf
E-book de Liderança.pdfE-book de Liderança.pdf
E-book de Liderança.pdf
 
Afinal,quemmandaaqui
Afinal,quemmandaaquiAfinal,quemmandaaqui
Afinal,quemmandaaqui
 
Liderança aulas 1, 2
Liderança   aulas 1, 2Liderança   aulas 1, 2
Liderança aulas 1, 2
 
Liderança - administração do sentido - rae
Liderança - administração do sentido - raeLiderança - administração do sentido - rae
Liderança - administração do sentido - rae
 
Modelos de liderança 3a aula 03/03/2011
Modelos de liderança 3a aula 03/03/2011Modelos de liderança 3a aula 03/03/2011
Modelos de liderança 3a aula 03/03/2011
 
13
13 13
13
 
Disciplina de Liderança
Disciplina de LiderançaDisciplina de Liderança
Disciplina de Liderança
 
1_lideranca organizacional_educação-slide.pptx
1_lideranca organizacional_educação-slide.pptx1_lideranca organizacional_educação-slide.pptx
1_lideranca organizacional_educação-slide.pptx
 

Mais de Roni Chittoni

Quem está no comando? Qual o destino?
Quem está no comando? Qual o destino?Quem está no comando? Qual o destino?
Quem está no comando? Qual o destino?
Roni Chittoni
 
Artigo Liderança - Desenvolvimento moral de Piaget a Kohlberg
Artigo Liderança - Desenvolvimento moral de Piaget a KohlbergArtigo Liderança - Desenvolvimento moral de Piaget a Kohlberg
Artigo Liderança - Desenvolvimento moral de Piaget a Kohlberg
Roni Chittoni
 
Artigo Liderança - Poder e liderança
Artigo Liderança - Poder e liderançaArtigo Liderança - Poder e liderança
Artigo Liderança - Poder e liderança
Roni Chittoni
 
Artigo Liderança - Gestão estratégica de pessoas
Artigo Liderança - Gestão estratégica de pessoasArtigo Liderança - Gestão estratégica de pessoas
Artigo Liderança - Gestão estratégica de pessoas
Roni Chittoni
 
Pense "fora da caixa"
Pense "fora da caixa"Pense "fora da caixa"
Pense "fora da caixa"
Roni Chittoni
 
O nome do jogo é resultado
O nome do jogo é resultadoO nome do jogo é resultado
O nome do jogo é resultado
Roni Chittoni
 
The pleasure of finding things out
The pleasure of finding things outThe pleasure of finding things out
The pleasure of finding things out
Roni Chittoni
 
Mensagem a Garcia
Mensagem a GarciaMensagem a Garcia
Mensagem a Garcia
Roni Chittoni
 
O personagem corporativo
O personagem corporativoO personagem corporativo
O personagem corporativo
Roni Chittoni
 
O novo perfil do executivo
O novo perfil do executivoO novo perfil do executivo
O novo perfil do executivo
Roni Chittoni
 
Carreiras sem gravidade
Carreiras sem gravidadeCarreiras sem gravidade
Carreiras sem gravidade
Roni Chittoni
 
Parabéns, o emprego é seu.
Parabéns, o emprego é seu.Parabéns, o emprego é seu.
Parabéns, o emprego é seu.
Roni Chittoni
 

Mais de Roni Chittoni (12)

Quem está no comando? Qual o destino?
Quem está no comando? Qual o destino?Quem está no comando? Qual o destino?
Quem está no comando? Qual o destino?
 
Artigo Liderança - Desenvolvimento moral de Piaget a Kohlberg
Artigo Liderança - Desenvolvimento moral de Piaget a KohlbergArtigo Liderança - Desenvolvimento moral de Piaget a Kohlberg
Artigo Liderança - Desenvolvimento moral de Piaget a Kohlberg
 
Artigo Liderança - Poder e liderança
Artigo Liderança - Poder e liderançaArtigo Liderança - Poder e liderança
Artigo Liderança - Poder e liderança
 
Artigo Liderança - Gestão estratégica de pessoas
Artigo Liderança - Gestão estratégica de pessoasArtigo Liderança - Gestão estratégica de pessoas
Artigo Liderança - Gestão estratégica de pessoas
 
Pense "fora da caixa"
Pense "fora da caixa"Pense "fora da caixa"
Pense "fora da caixa"
 
O nome do jogo é resultado
O nome do jogo é resultadoO nome do jogo é resultado
O nome do jogo é resultado
 
The pleasure of finding things out
The pleasure of finding things outThe pleasure of finding things out
The pleasure of finding things out
 
Mensagem a Garcia
Mensagem a GarciaMensagem a Garcia
Mensagem a Garcia
 
O personagem corporativo
O personagem corporativoO personagem corporativo
O personagem corporativo
 
O novo perfil do executivo
O novo perfil do executivoO novo perfil do executivo
O novo perfil do executivo
 
Carreiras sem gravidade
Carreiras sem gravidadeCarreiras sem gravidade
Carreiras sem gravidade
 
Parabéns, o emprego é seu.
Parabéns, o emprego é seu.Parabéns, o emprego é seu.
Parabéns, o emprego é seu.
 

Artigo Liderança - A Liderança pode ser aprendida?

  • 1. ESPECIAL LIDERANÇA A liderança aprendida IMAGEM: KIPPER Os estudos sobre liderança não são convergentes sobre o que é liderança e como exercê-la. Ora a ênfase desses estudos é sobre a personalidade do líder, ora sobre o que ele faz, ora sobre as distintas combinações entre líder, liderados e situação. Este texto propõe uma compreensão sobre a liderança se- gundo a qual o líder deve responder a um ambiente de dilemas e contradições mediante a aquisição de competências sobre si mesmo, sobre seus liderados e sobre o contexto em que atua. por Sylvia Constant Vergara FGV-EBAPE Liderança é um tema instigante: quase Neste texto, são apresentados terceiro, de que esses conhecimentos e sempre está na pauta das discussões três argumentos acerca desse tema. habilidades resultam de aprendizagem sobre negócios. Mas de onde viria a Primeiro, o de que liderança é a contínua. fascinação pelo tema? Provavelmente competência para exercer influência do desejo de se conhecer a essência sobre indivíduos e grupos. Segundo, O que é liderança. O mundo aca- desse fenômeno complexo e ambíguo. de que tal competência constitui um dêmico buscou, sem cessar, descobrir Afinal, o que é liderança? De que ela conjunto de conhecimentos, habilida- o que é liderança. Formulou várias é composta? des e atitudes, expresso em ações. E, teorias. Talvez a mais antiga seja a dos ©GV executivo • 61 061-065.indd 61 1/12/07 6:33:37 PM
  • 2. ESPECIAL LI D E RAN Ç A: A L I DERAN Ç A AP R E N D I DA traços de personalidade. Quem seria entre aquele que pretende influenciar sejam obtidos. Os ingredientes que líder? Aquele que nascesse com de- e aquele que deve ser influenciado. compõem essa competência estão na terminados traços físicos, intelectuais, A teoria dos estilos de liderança aprendizagem contínua. sociais e relacionados com a tarefa. Por foi largamente utilizada em progra- Há pessoas que, a despeito de exemplo: deveria ter estatura alta, bela mas de desenvolvimento gerencial. ocuparem cargos de chefia, não exer- aparência, força física etc. Contudo, O objetivo era transformar pessoas cem liderança. Fazem-se obedecidos, se tentarmos enquadrar, nesta teoria, em líderes democráticos e, ao mesmo por exemplo, por coação ou interesse personagens como Napoleão, Rosa de tempo, voltados para a produtividade. de quem é coagido. Há outros que, a Luxemburgo e Ghandi, o resultado Mas, na prática, a teoria mostrou sua despeito de não ocuparem cargos de será decepcionante, servindo para debilidade, dando ensejo a que vice- chefia, lideram com freqüência. O ideal nos mostrar apenas uma coisa: que jasse uma outra teoria, segundo a qual é ter um chefe líder. Melhor dizendo: liderança não é inata. Se assim o fosse, liderança é algo contingencial para um gestor/líder, capaz de perceber que quem possuísse determinados traços a qual a expressão “tudo depende” não só as empresas e seu ambiente lideraria o tempo todo, a todos; quem passou a valer. mudam, exigindo renovação constante não os tivesse estaria fadado a ser de competência, como também que as eternamente seguidor, e, obviamente, Chefes e líderes. Livros e revistas empresas, como qualquer coletividade, não é isso que se observa no cotidiano de negócios também se dedicaram ao são movidas por cooperação e por con- de nossas vidas. tema. Com base na prática, indicam flito, e é preciso saber lidar com essas Mas a busca de entender o que tipos de líder (o transformador, o forças contraditórias. é liderança não parou na teoria dos educador, o visionário etc.) e apontam traços. O próximo passo nessa his- executivos que consideram líderes Forças contraditórias. Como tória foi dado pela teoria de que, se de sucesso, suas características de somos todos seres situados, isto é, liderança não é inata, então ela pode personalidade, seus modos de agir, os vivemos em um determinado tempo ser aprendida. O foco passou a ser em ensinamentos que têm a dar etc. e em um determinado espaço, con- como escolher o melhor estilo de lide- O que o ambiente acadêmico e o vém analisarmos a influência que o rar, e foram identificados três: o demo- não-acadêmico parecem nos revelar é ambiente exerce sobre a questão da crático, o autocrático e o laissez-faire. alguma confusão entre chefia e lide- liderança, as forças que a mobilizam Muitos consideravam que o melhor rança. De fato, tudo indica que não e os conhecimentos, habilidades e estilo era o democrático; no entanto, há clareza quanto às características e atitudes norteadores da ação que tal situações do dia-a-dia demonstraram diferenças entre esses dois conceitos. ambiente cobra hoje da liderança. que não é bem assim. Dependendo da De todo modo, entendo por chefia a Vivemos um mundo de partes in- situação, o líder deveria ser autocráti- competência que prioriza sistemas e terdependentes, a tal “aldeia global” de co e até laissez-faire. estruturas para alguém se fazer obe- que nos falou o sociólogo canadense Um entendimento é, então, in- decido por indivíduos e grupos. Os Marshall McLuhan há tantas décadas. troduzido na teoria dos estilos de ingredientes que compõem essa com- Neste mundo de mudanças tão rápi- liderança: não há o melhor estilo; petência variam desde aspectos legais, das, certamente a grande estrela é a tudo depende do líder, dos seguidores de modelagem organizacional, até tecnologia. Celulares multifuncionais, e da situação. É fácil reconhecer que características de personalidade. Em engenharia genética, mísseis inteligen- determinados traços da personalidade contrapartida, por liderança entendo tes, microprocessadores, sensores a de alguém podem, em função das ex- a competência de alguém em exercer laser, instrumentos de controle de alta pectativas de seus seguidores, facilitar influência sobre indivíduos e grupos, precisão, cirurgias a distância e uma a liderança. Mas podem, também, de modo que tarefas, estratégias, lista sem fim que dá à tecnologia um obstaculizar, se houver dissonâncias missões sejam realizadas e resultados lugar de destaque. 62 • VOL.6 • Nº1 • JAN./FEV. 2007 061-065.indd 62 1/12/07 6:33:37 PM
  • 3. Mas há uma outra lista, que pode- mos acrescentar a essa primeira, que Entendo por liderança a competência de alguém em exercer inclui aspectos como os baixos índices de desenvolvimento humano (IDH) influência sobre indivíduos e grupos, de modo que tarefas, de tantos países, incluindo o nosso, a estratégias, missões sejam realizadas e resultados sejam ausência de ética na política e também nos negócios, as guerrilhas urbanas, a obtidos. Os ingredientes que compõem essa competência estão violência ao ambiente natural e tantos na aprendizagem contínua. elementos que não nos são motivo de orgulho. Pois é precisamente nesse ambiente de incontáveis contradições à religião. Esta, como a mitologia, a desafios com que líderes se defrontam que se exerce hoje a liderança. ciência, a filosofia, é uma avenida para a cada dia. Por essa razão é que acre- O mesmo tipo de contradição se ter acesso ao conhecimento, porém, dito na necessidade de um outro tipo pode também ser encontrado nas pró- ainda aqui nossos pés necessitam estar de pensamento, aquele que o impor- prias pessoas: é da condição humana o no chão. tante pensador francês Edgar Morin sonho, o desejo, a idéia, a abertura, a Se não precisa ser deus do Olim- chamou de “pensamento complexo”. criatividade e, também, a realidade, o po ou do hinduísmo, de que precisa O que seria tal pensamento? desinteresse, o fato, o enraizamento, a alguém que pretenda exercer lideran- manutenção do status quo. Nesse con- ça? Há quem diga que precisa, apenas, O pensamento complexo. O ter- texto de forças contraditórias, quais ser uma pessoa e, como tal, fazer da mo complexidade vem de complexus e conhecimentos, habilidades, atitudes aprendizagem contínua a fonte ines- significa “aquilo que é tecido junto”. deve ter alguém que pretenda exercer gotável de conhecimentos e habilida- A metáfora, aqui, é a do tecido, da sua liderança? des que enriquecem suas condições teia, da trama. O que é “tecido jun- genéticas. Concordo plenamente com to”? As questões políticas, culturais, O exercício da liderança. Há esse tipo de entendimento. econômicas, tecnológicas, sociais, de- quem diga que alguém que pretenda Aprendizagem, em si, também mográficas, psicológicas, ambientais, exercer liderança precisa ser um deus é tema fascinante, que nos remete à enfim, questões com características do Olimpo. Talvez até mesmo Zeus, o questão do pensamento. Montaigne, singulares. Qualquer gestor/líder sabe maior de todos. É claro que se assim pensador francês do século XVI, dizia muito bem o quanto uma questão fosse a liderança não passaria de que “mais vale uma cabeça bem-feita influencia a outra nos negócios e na uma miragem. Não somos Zeus, que do que bem cheia”. Se concordarmos forma de liderar as pessoas para que pertence à mitologia. Esta nos ajuda com ele, teremos de admitir que uma os negócios cheguem aos resultados a dar explicações sobre o mundo, é cabeça “bem-feita” implica perceber- desejados. uma das múltiplas avenidas para se mos o quanto a construção do mundo Vejamos, por ilustração, o caso ter acesso ao conhecimento, mas as e de nós mesmos foi alicerçada em um chinês. Seus trabalhadores, caracteri- explicações requerem, também, ter- pensamento cada vez mais fragmenta- zados por serem “mão-de-obra bara- mos os pés no chão. do que ainda domina a humanidade, ta”, estão deixando as empresas que Há quem diga que alguém que formatando, portanto, decisões e precisam de pessoal mais qualificado pretenda exercer liderança precisa ser ações de gestores/líderes. em uma situação muito difícil: na Shiva, o deus hinduísta que descons- E mais importante ainda: teremos China, o ritmo do desenvolvimento trói, que tudo transforma com sua de admitir que esse tipo de pensamen- econômico não se fez acompanhar da dança. O mesmo se aplica aqui: nin- to criou modelos mentais que hoje já formação de pessoal. O sistema edu- guém é como Shiva, o qual pertence não conseguem mais responder aos cacional está defasado em relação aos ©GV executivo • 63 061-065.indd 63 1/12/07 6:33:38 PM
  • 4. ESPECIAL LI D E RAN Ç A: A L I DERAN Ç A AP R E N D I DA requisitos de uma economia globaliza- habilidades necessários ao exercício Ou como diria o poeta Fernando Pes- da. Daí que empregados qualificados da liderança por parte daqueles que soa: “Eu sou do tamanho do que vejo estejam migrando para empresas que a almejam nesse ambiente turbulento e não do tamanho de minha altura”. O lhes oferecem melhores salários e e contraditório em que vivemos hoje. gestor/líder fará bem, então, se apren- condições de trabalho. Argumento, a seguir, que tal aquisição der a tirar lições das diferenças. Como resultado, produtos chi- e renovação são possíveis pela apren- Se o pensamento complexo é o do neses, caracterizados por serem dizagem de si mesmo, do outro e do gestor/líder, este entende que, como as baratos, estão recebendo pressão contexto, conduzindo à mudança de pessoas a quem lidera, ele, líder, tam- para terem seus preços aumentados. comportamento. bém é dotado de objetividade e subje- Com isso, aquele país está perdendo tividade, porque esses contrários são a vantagem competitiva que vinha A aprendizagem de si mesmo. próprios de qualquer ser humano. Se a obtendo, neste quesito em particu- Se o gestor/líder tem um pensamento objetividade permite a socialização, a lar, no mercado global. Empresas complexo, na busca da auto-apren- subjetividade singulariza, constituin- multinacionais na China buscam dizagem é capaz de admitir que o do a individualidade humana. reduzir seus lucros para manter o conhecimento que ele (gestor/líder) preço, frustrando as expectativas tem das coisas é, como o de qualquer A aprendizagem do outro. As de acionistas, embora seja provável ser humano, incompleto e que a cons- pessoas às quais o gestor/líder lidera que os custos estejam sendo repas- ciência dessa incompletude, longe de têm motivações, valores, expectativas sados aos consumidores – com as ser um desastre, pode ser elemento e histórias de vida diferentes umas das conhecidas conseqüências que isso estimulador da aquisição de novos outras, e essa diferenciação necessita obviamente produz. conhecimentos. ser levada em consideração. O que Um pensamento complexo é Se o gestor/líder tem um pensa- motiva um indivíduo pode não moti- capaz de perceber que acionistas, mento complexo, percebe que suas var outro, logo, é preciso sensibilidade sindicatos, fornecedores, clientes, decisões e ações se baseiam em es- do gestor/líder para captar essa dife- consumidores, empregados, adminis- tatísticas, formulações matemáticas, renciação e transformar motivações tradores, governo, empresa, sociedade análise racional de causa e efeito, mas em ações. e meio ambiente estão todos ligados igualmente em valores, crenças, moti- No exercício de seu papel como entre si e que a teia por eles tecida é vações, expectativas, sensibilidades e coach, ou como mentor natural, o parcialmente responsável pela susten- intuições que conformam o seu olhar gestor/líder tem a oportunidade de tabilidade econômica, social e ambien- sobre um determinado fato; logo, a aprender a lidar com a diversidade. tal da empresa. Adicionalmente, esse sua verdade pode não ser a verdade do Coach é um mentor intencional que tipo de pensamento facilita a aquisição outro. A verdade, nos provoca a física ajuda os liderados a se desenvolve- e a renovação de conhecimentos e quântica, é a do olho do observador. rem na carreira, a melhorarem seus desempenhos, a sistematizarem suas idéias, a fazerem escolhas cuidadosas, a se comprometerem com a empresa, Precisamos hoje de gestores/líderes, capazes de perceber a expandirem sua visão de mundo, a que não só as empresas e seu ambiente mudam, exigindo serem éticos. renovação constante de competência, como também que Mentor natural é aquele que orienta, sugere, aconselha, provoca no as empresas são movidas por cooperação e por conflito, e é liderado a possibilidade de um olhar preciso saber lidar com essas forças contraditórias. diferente sobre o mesmo problema, estimula o liderado a entrar em contato 64 • VOL.6 • Nº1 • JAN./FEV. 2007 061-065.indd 64 1/12/07 6:33:38 PM
  • 5. com o que ele (liderado) é e não so- mente com o que faz. Serve de guia, de exemplo, de provocador de reflexões, de facilitador da aprendizagem. Apren- de sobre o outro e sobre si mesmo – e junto com outras pessoas. O sociólogo norte-americano Richard Sennett, que escreveu sobre a corrosão do caráter no mundo capita- lista atual, identifica quatro atributos para o desenvolvimento saudável do caráter de uma pessoa: lealdade, com- prometimento, confiança e ajuda mú- tua. Se focarmos no gestor/líder fica fácil reconhecer a importância desses atributos. Estou aqui me referindo à lealdade e ao comprometimento com a empresa que abriga líderes e liderados, assim como à relação de confiança que deve existir entre eles, ensejando ajudas mútuas. A auto-aprendiza- na mesma situação que gerou proble- como um processo – e não como um gem e a aprendizagem do outro são mas e perplexidades, e que estes estão produto acabado – que precisa res- completadas com o que se espera de também nas soluções. ponder às mudanças, umas velozes, um gestor/líder: a aprendizagem do O tempo-espaço atual, ou seja, o outras nem tanto, que caracterizam o contexto. contexto ou ambiente no qual o ges- tempo-espaço contemporâneo. tor/líder está agora inserido, tem mui- Esse processo fundamenta-se na A aprendizagem do contexto. to a lhe ensinar com o desemprego, aprendizagem contínua do gestor/lí- A aprendizagem do contexto permite com a oferta de emprego para pessoas der. Na perspectiva aqui utilizada, essa ao gestor/líder compreender e atuar detentoras de certas competências, aprendizagem ocorre em três frentes: a em um ambiente caracterizado por com a degradação e a preservação aprendizagem do gestor/líder sobre si adaptabilidade e inovação, continui- do meio ambiente, com a crescente mesmo, sobre o outro e sobre o con- dade e ruptura, certezas e riscos. participação feminina no mercado de texto. É claro que, para desenvolver-se Assim, o gestor/líder é capaz de trabalho, com o envelhecimento das nessas três frentes de aprendizagem, perceber que a empresa na qual ele populações, enfim, com um conjunto nosso gestor/líder não precisa ser um exerce sua liderança molda as pessoas de fatos e de tendências que caracteri- herói; basta um pouco de empenho, que nela trabalham e, inversamente, zam o mundo contemporâneo. sensibilidade e desejo de responder que essas mesmas pessoas constroem à altura do que seu mundo lhe pede a empresa; que a empresa à qual ele Uma palavra final. Liderança é hoje. Isso já será o suficiente. empresta suas energias necessita de a competência para exercer influência ordem, portanto, de regras para todos, sobre indivíduos e grupos. Como mas também necessita de tolerância tal, expressa-se em um conjunto de Sylvia Constant Vergara com a desordem, pois esta permite a conhecimentos, habilidades, atitudes, Profa. Titular da FGV-EBAPE criatividade; e que soluções existem ações. Esse conjunto caracteriza-se E-mail: vergara@fgv.br ©GV executivo • 65 061-065.indd 65 1/12/07 6:33:38 PM