SlideShare uma empresa Scribd logo
FUNGOS
BIOLOGIA
Escola Estadual Elizabeth Evangelista Pereira
Professor: Joilson
Alunos: Jessica Gabrielle
Markelly
Maria luizza
Luana Alves
Claudio
Turma: 2°B
Introdução
 Durante muito tempo os fungos foram considerados
plantas, mas atualmente sabe-se que eles são tão
diferentes das plantas como dos animais, merecendo, por
isso, o seu próprio reino – Reino Fungi.
 Os fungos são eucariontes heterótrofos e incorporam os
alimentos por absorção, e podem ser uni ou multicelular.
São típicos de ambientes úmidos e quentes, e algumas
espécies são parasitas, são um importante grupo de
organismos, conhecendo-se mais de 77000 espécies, a
maioria das quais terrestres mais existem algumas
espécies aquáticas.
 Muitas espécies de fungos são saprófagas, ou seja que se
alimenta de material em decomposição.
 Mais nem todos os fungos são saprófagos,
alguns são parasitas que se alimentam de
substancias retiradas dos seres vivos.
 Os fungos parasitas provocam doenças, como
as micoses, que ocorrem na pele humana.
 Os fungos e as bactérias ocupam o nível de
decompositores em um ecossistema, sem a
atividade desses seres, o equilíbrio ecológico
estaria seriamente comprometido, pois a
decomposição repõe ao ambiente alguns
matérias necessários a sobrevivência.
Estrutura Básica de Um Fungo
Multicelular
 Os Fungos multicelulares são formados por filamentos
constituídos, geralmente, por quitina. Eles são
denominados hifas, uma hifa é um tubo microscópio, no
interior do qual se aloja a massa citoplasmática que
contem os núcleos, que juntas constituem uma rede de
filamentos chamados micélio, o micélio se desenvolve
sobretudo subterraneamente.
 Mas hifas férteis organizam, geralmente no meio aéreo,
uma estrutura chamada de corpo de frutificação.(
Cogumelo)
 Essa estrutura contém um "chapéu" portador de vários
esporângios. Cada esporângio é um estrutura produtora de
unidades de reprodução chamadas esporos. Uma vez
produzidos nos esporângios, os esporos são limitados no
Reino Fungi
 por exemplo; ao encontrar condições favoráveis, num certo
local, os esporos germinam e originam hifas que formarão
um novo fungo.
 As hifas e os esporos dos fungos possuem parede celular e
um material de reserva energética chamada glicogênio.
 As hifas podem ser:
 Hifas septadas: são divididas em compartimentos
separados por paredes celulares internas, chamadas
septos, cada compartimento contendo um ou mais núcleos.
 Hifas cenocíticas: não são compartimentadas. Os septos
têm poros que permitem a passagem de citoplasma,
organelas, e por vezes núcleos.
Reino Fungi
Fungos e mutualismo
 Alem de fungos saprófagos e os parasitas, existem
ainda aqueles que vivem em associações mutualística,
como à maioria dos liquens.
 Os liquens são seres vivos considerados especiais, pois
são formados por uma simbiose (relação de mutualismo
entre dois organismos onde há vantagens para ambos
indivíduos).
 A simbiose que forma os liquens ocorre entre uma alga
e um fungo.
 Nesta relação simbiótica a alga é responsável pela
produção de alimento orgânico e realização da
fotossíntese. Já o fungo, garante a proteção e um
ambiente adequado para o desenvolvimento da alga.
 Os liquens são resistentes e podem se
desenvolver em pedras e galhos e troncos de
árvores. Agüentam bem as mudanças de
temperatura, assim como o sol forte e a umidade.
 Nos liquens, a associação entre alga e fungo é tão
intima que ate a reprodução assexuada e feita em
conjunto por meio de estruturas chamas sorédios,
de maneira semelhante as bacteriorrizas (
associação entre bactérias e raízes) os fungos
podem se associar com raízes ( micorrizas ), o
interessante nisso é que as plantas que
apresentam micorrizas, água e os ais minerais
podem entrar na raiz através das hifas dos fungos.
 Sorédios são estruturas reprodutivas
dos liquens .
Reino Fungi
EXEMPLOS DE LIQUES
Os fungo e o ser humano
 Muitos fungos são comestíveis e utilizados na
alimentação humana. É o caso dos cogumelos,
como o champignon e o shitake.
 Outros fungos são utilizados na produção de
alimentos, como o pão, e em bebidas alcoólicas,
como o vinho e a cerveja.
 Na fabricação do pão são utilizadas as leveduras
também chamadas de fermento. Estes fungos
realizam um processo chamado fermentação,
através do qual produzem gás carbônico e álcool
etílico a partir do açúcar. O gás carbônico, liberado
neste processo, cria pequenas bolhas de gás no
interior da massa, fazendo com que o pão cresça e
fique fofinho.
 A produção de bebidas é realizada através da
fermentação de diferentes ingredientes. O vinho, por
exemplo, é fabricado a partir da fermentação da uva.
Já a cerveja é produzida através da fermentação da
cevada.
 Alguns fungos produzem compostos capazes de
matar bactérias. A partir destas substâncias são
fabricados antibióticos, como a penicilina, utilizada no
combate a doenças infecciosas causadas por bactérias
do gênero Streptococcus.
Reino Fungi
Reino Fungi
Micoses
 A micose é causada por mais de 100 espécies de
fungos que se alimentam de gordura e queratina
contidas no corpo. São infecções na pele que podem
ser superficiais ou profundas. No início, normalmente é
uma mancha vermelha e pode ser confundida com
alergia, gera desconforto, coceira e alteram
esteticamente a pele.
 Os fungos que causam essa doença são invisíveis a
olho nu, mas podem estar em diversos lugares, como
na praia, na piscina, nos animais de estimação, no
material da manicure e em outros objetos
compartilhados, e se proliferam com mais facilidade no
verão, período mais quente e úmido do ano.
Reino Fungi
Classificação e reprodução dos
fungos
 Os fungos são classificados em quatro subdivisões:
 Zigomicetos: vivem no solo, formam esporos
flagelados, reprodução sexuada sem formação dos
corpos de frutificação. Nesse grupo, encontram-se os
fungos que se associam com as raízes formando as
micorrizas, envolvidas na produção do molho shoyu,
hormônios anticoncepcionais e medicamentos anti-
inflamatórios.
 Ascomicetos – formam o asco, estrutura produtora de
esporos. O principal modo de reprodução dos
ascomicetos é o assexuado, sendo por brotamento nos
seres unicelulares e por esporulação nos pluricelulares.
Nesse grupo, encontram-se as leveduras, os fungos
 Basidiomicetos – são os mais conhecidos como os
cogumelos e orelhas-de-pau, alguns são comestíveis,
entretanto outros contêm substâncias alucinógenas,
outros atacam vegetais causando a doença
denominada ferrugem. Embora possam se reproduzir
assexuadamente, a reprodução sexuada é a mais
freqüente.
 Deuteromicetos – são também denominados fungos
imperfeitos, pois não realizam reprodução sexuada.
Muitas espécies são patogênicas como é o caso
daqueles que causam a fieira, candidíase, sapinho,
dentre outras.
 Os fungos reproduzem-se assexuada e
sexuadamente. A reprodução assexuada pode
ser:
 Brotamento (seres unicelulares),
 Fragmentação do micélio - onde um micélio
se fragmenta originando muitos outros.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reino plantae resumo
Reino plantae resumoReino plantae resumo
Reino plantae resumo
CARMELITAMATOS
 
Fungos
FungosFungos
Reino Protista
Reino ProtistaReino Protista
Reino Protista
tiago.ufc
 
Micologia e Reino Fungi
Micologia e Reino FungiMicologia e Reino Fungi
Micologia e Reino Fungi
Augusto Carvalho
 
Introdução à microbiologia
Introdução à microbiologiaIntrodução à microbiologia
Introdução à microbiologia
Renato Varges - UFF
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
Fatima Comiotto
 
Bacterias
BacteriasBacterias
Fungos
FungosFungos
Fungos
FungosFungos
Reino protista protozoarios
Reino protista protozoariosReino protista protozoarios
Reino protista protozoarios
Iuri Fretta Wiggers
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
Bruna Medeiros
 
Fungos
FungosFungos
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
Roberto Bagatini
 
Bactérias 7º Ano
Bactérias 7º Ano Bactérias 7º Ano
Bactérias 7º Ano
guest3519e1
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Celenterados
CelenteradosCelenterados
Celenterados
Altair Hoepers
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
profatatiana
 
Gimnospermas e angiosperma
Gimnospermas e angiospermaGimnospermas e angiosperma
Gimnospermas e angiosperma
Alpha Colégio e Vestibulares
 
2EM #28 Verminoses
2EM #28 Verminoses2EM #28 Verminoses
2EM #28 Verminoses
Professô Kyoshi
 
Reino plantae primeira aula
Reino plantae primeira aulaReino plantae primeira aula
Reino plantae primeira aula
Professora Raquel
 

Mais procurados (20)

Reino plantae resumo
Reino plantae resumoReino plantae resumo
Reino plantae resumo
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Reino Protista
Reino ProtistaReino Protista
Reino Protista
 
Micologia e Reino Fungi
Micologia e Reino FungiMicologia e Reino Fungi
Micologia e Reino Fungi
 
Introdução à microbiologia
Introdução à microbiologiaIntrodução à microbiologia
Introdução à microbiologia
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Bacterias
BacteriasBacterias
Bacterias
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Reino protista protozoarios
Reino protista protozoariosReino protista protozoarios
Reino protista protozoarios
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Bactérias 7º Ano
Bactérias 7º Ano Bactérias 7º Ano
Bactérias 7º Ano
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
Celenterados
CelenteradosCelenterados
Celenterados
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
 
Gimnospermas e angiosperma
Gimnospermas e angiospermaGimnospermas e angiosperma
Gimnospermas e angiosperma
 
2EM #28 Verminoses
2EM #28 Verminoses2EM #28 Verminoses
2EM #28 Verminoses
 
Reino plantae primeira aula
Reino plantae primeira aulaReino plantae primeira aula
Reino plantae primeira aula
 

Destaque

Reino Fungo
Reino FungoReino Fungo
Reino Fungo
Carlos A Tristtao
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Microbiologia Geral - Fungos
Microbiologia Geral - FungosMicrobiologia Geral - Fungos
Microbiologia Geral - Fungos
MICROBIOLOGIA-CSL-UFSJ
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
Ila25
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
kelvin45170
 
Trabalho pronto
Trabalho prontoTrabalho pronto
Trabalho pronto
2° Ta - cotuca
 

Destaque (6)

Reino Fungo
Reino FungoReino Fungo
Reino Fungo
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
Microbiologia Geral - Fungos
Microbiologia Geral - FungosMicrobiologia Geral - Fungos
Microbiologia Geral - Fungos
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Trabalho pronto
Trabalho prontoTrabalho pronto
Trabalho pronto
 

Semelhante a Reino Fungi

5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
Pelo Siro
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
Isabella Silva
 
5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
Pelo Siro
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
Lorena Siqueira
 
fungos
fungosfungos
fungos
Dilo Nianga
 
Aula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino FungiAula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino Fungi
Leonardo Kaplan
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
Isabella Silva
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
Isabella Silva
 
Avaliação parcial de biologia ii
Avaliação parcial de biologia iiAvaliação parcial de biologia ii
Avaliação parcial de biologia ii
Isabella Silva
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
Isabella Silva
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
Isabella Silva
 
REINO FUNGI
REINO FUNGIREINO FUNGI
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
eebniltonkucker
 
REINO FUNGI.ppt
REINO FUNGI.pptREINO FUNGI.ppt
REINO FUNGI.ppt
AdemirSantos70
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
Ikaro Slipk
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
Matheus Felipe
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
Rita Galrito
 
Reino dos fungos
Reino dos fungosReino dos fungos
Reino dos fungos
Leandro De Lima
 
Fungos
FungosFungos

Semelhante a Reino Fungi (20)

5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
 
5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
 
5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
fungos
fungosfungos
fungos
 
Aula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino FungiAula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino Fungi
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
 
Avaliação parcial de biologia ii
Avaliação parcial de biologia iiAvaliação parcial de biologia ii
Avaliação parcial de biologia ii
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
 
REINO FUNGI
REINO FUNGIREINO FUNGI
REINO FUNGI
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
REINO FUNGI.ppt
REINO FUNGI.pptREINO FUNGI.ppt
REINO FUNGI.ppt
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Reino dos fungos
Reino dos fungosReino dos fungos
Reino dos fungos
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 

Último

IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 

Último (20)

IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 

Reino Fungi

  • 2. BIOLOGIA Escola Estadual Elizabeth Evangelista Pereira Professor: Joilson Alunos: Jessica Gabrielle Markelly Maria luizza Luana Alves Claudio Turma: 2°B
  • 3. Introdução  Durante muito tempo os fungos foram considerados plantas, mas atualmente sabe-se que eles são tão diferentes das plantas como dos animais, merecendo, por isso, o seu próprio reino – Reino Fungi.  Os fungos são eucariontes heterótrofos e incorporam os alimentos por absorção, e podem ser uni ou multicelular. São típicos de ambientes úmidos e quentes, e algumas espécies são parasitas, são um importante grupo de organismos, conhecendo-se mais de 77000 espécies, a maioria das quais terrestres mais existem algumas espécies aquáticas.  Muitas espécies de fungos são saprófagas, ou seja que se alimenta de material em decomposição.
  • 4.  Mais nem todos os fungos são saprófagos, alguns são parasitas que se alimentam de substancias retiradas dos seres vivos.  Os fungos parasitas provocam doenças, como as micoses, que ocorrem na pele humana.  Os fungos e as bactérias ocupam o nível de decompositores em um ecossistema, sem a atividade desses seres, o equilíbrio ecológico estaria seriamente comprometido, pois a decomposição repõe ao ambiente alguns matérias necessários a sobrevivência.
  • 5. Estrutura Básica de Um Fungo Multicelular  Os Fungos multicelulares são formados por filamentos constituídos, geralmente, por quitina. Eles são denominados hifas, uma hifa é um tubo microscópio, no interior do qual se aloja a massa citoplasmática que contem os núcleos, que juntas constituem uma rede de filamentos chamados micélio, o micélio se desenvolve sobretudo subterraneamente.  Mas hifas férteis organizam, geralmente no meio aéreo, uma estrutura chamada de corpo de frutificação.( Cogumelo)  Essa estrutura contém um "chapéu" portador de vários esporângios. Cada esporângio é um estrutura produtora de unidades de reprodução chamadas esporos. Uma vez produzidos nos esporângios, os esporos são limitados no
  • 7.  por exemplo; ao encontrar condições favoráveis, num certo local, os esporos germinam e originam hifas que formarão um novo fungo.  As hifas e os esporos dos fungos possuem parede celular e um material de reserva energética chamada glicogênio.  As hifas podem ser:  Hifas septadas: são divididas em compartimentos separados por paredes celulares internas, chamadas septos, cada compartimento contendo um ou mais núcleos.  Hifas cenocíticas: não são compartimentadas. Os septos têm poros que permitem a passagem de citoplasma, organelas, e por vezes núcleos.
  • 9. Fungos e mutualismo  Alem de fungos saprófagos e os parasitas, existem ainda aqueles que vivem em associações mutualística, como à maioria dos liquens.  Os liquens são seres vivos considerados especiais, pois são formados por uma simbiose (relação de mutualismo entre dois organismos onde há vantagens para ambos indivíduos).  A simbiose que forma os liquens ocorre entre uma alga e um fungo.  Nesta relação simbiótica a alga é responsável pela produção de alimento orgânico e realização da fotossíntese. Já o fungo, garante a proteção e um ambiente adequado para o desenvolvimento da alga.
  • 10.  Os liquens são resistentes e podem se desenvolver em pedras e galhos e troncos de árvores. Agüentam bem as mudanças de temperatura, assim como o sol forte e a umidade.  Nos liquens, a associação entre alga e fungo é tão intima que ate a reprodução assexuada e feita em conjunto por meio de estruturas chamas sorédios, de maneira semelhante as bacteriorrizas ( associação entre bactérias e raízes) os fungos podem se associar com raízes ( micorrizas ), o interessante nisso é que as plantas que apresentam micorrizas, água e os ais minerais podem entrar na raiz através das hifas dos fungos.
  • 11.  Sorédios são estruturas reprodutivas dos liquens .
  • 14. Os fungo e o ser humano  Muitos fungos são comestíveis e utilizados na alimentação humana. É o caso dos cogumelos, como o champignon e o shitake.  Outros fungos são utilizados na produção de alimentos, como o pão, e em bebidas alcoólicas, como o vinho e a cerveja.  Na fabricação do pão são utilizadas as leveduras também chamadas de fermento. Estes fungos realizam um processo chamado fermentação, através do qual produzem gás carbônico e álcool etílico a partir do açúcar. O gás carbônico, liberado neste processo, cria pequenas bolhas de gás no interior da massa, fazendo com que o pão cresça e fique fofinho.
  • 15.  A produção de bebidas é realizada através da fermentação de diferentes ingredientes. O vinho, por exemplo, é fabricado a partir da fermentação da uva. Já a cerveja é produzida através da fermentação da cevada.  Alguns fungos produzem compostos capazes de matar bactérias. A partir destas substâncias são fabricados antibióticos, como a penicilina, utilizada no combate a doenças infecciosas causadas por bactérias do gênero Streptococcus.
  • 18. Micoses  A micose é causada por mais de 100 espécies de fungos que se alimentam de gordura e queratina contidas no corpo. São infecções na pele que podem ser superficiais ou profundas. No início, normalmente é uma mancha vermelha e pode ser confundida com alergia, gera desconforto, coceira e alteram esteticamente a pele.  Os fungos que causam essa doença são invisíveis a olho nu, mas podem estar em diversos lugares, como na praia, na piscina, nos animais de estimação, no material da manicure e em outros objetos compartilhados, e se proliferam com mais facilidade no verão, período mais quente e úmido do ano.
  • 20. Classificação e reprodução dos fungos  Os fungos são classificados em quatro subdivisões:  Zigomicetos: vivem no solo, formam esporos flagelados, reprodução sexuada sem formação dos corpos de frutificação. Nesse grupo, encontram-se os fungos que se associam com as raízes formando as micorrizas, envolvidas na produção do molho shoyu, hormônios anticoncepcionais e medicamentos anti- inflamatórios.  Ascomicetos – formam o asco, estrutura produtora de esporos. O principal modo de reprodução dos ascomicetos é o assexuado, sendo por brotamento nos seres unicelulares e por esporulação nos pluricelulares. Nesse grupo, encontram-se as leveduras, os fungos
  • 21.  Basidiomicetos – são os mais conhecidos como os cogumelos e orelhas-de-pau, alguns são comestíveis, entretanto outros contêm substâncias alucinógenas, outros atacam vegetais causando a doença denominada ferrugem. Embora possam se reproduzir assexuadamente, a reprodução sexuada é a mais freqüente.  Deuteromicetos – são também denominados fungos imperfeitos, pois não realizam reprodução sexuada. Muitas espécies são patogênicas como é o caso daqueles que causam a fieira, candidíase, sapinho, dentre outras.
  • 22.  Os fungos reproduzem-se assexuada e sexuadamente. A reprodução assexuada pode ser:  Brotamento (seres unicelulares),  Fragmentação do micélio - onde um micélio se fragmenta originando muitos outros.