SlideShare uma empresa Scribd logo
Profª Paula Aragão 
paula.s.aragao@hotmail.com
INTRODUÇÃO 
 Durante muito tempo – Fungos – Vegetais 
 1969 – Reino Fungi
INTRODUÇÃO 
Fungos ≠ Plantas 
 Não sintetizam clorofila; 
 Não tem celulose na parede celular; 
 Não armazenam amido (reserva). 
Fungos = Animais 
 Presença de quitina na parede celular; 
 Armazenam glicogênio (reserva).
FUNGOS 
São seres eucarióticos; 
Unicelulares ou multicelulares; 
 Principais estruturas da célula fungica: 
parede celular, membrana citoplasmática, 
núcleo, ribossomos, mitocôndrias, RE e 
aparelho de Golgi.
ESTRUTURA CELULAR
Parede celular 
Membrana celular 
Núcleo 
Septo
Reino Fungi 
1) Introdução 
Estrutura geral de um fungo pluricelular 
As hifas são estruturas típicas dos fungos 
pluricelulares. 
As hifas surgem a partir dos esporos e 
crescem juntas e emaranhadas, 
constituindo uma massa de filamentos 
denominada micélio. 
Nos fungos o micélio pode ficar escondido 
abaixo da superfície do substrato 
(nutriente, solo, etc.), formando um micélio 
extenso... 
Ou pode aparecer na superfície, caso em 
que as hifas formam estruturas complexas, 
denominadas corpos de frutificação, 
como ocorre nos cogumelos e nas orelhas 
de pau.
Reino Fungi 
1) Introdução 
Estrutura geral de um fungo pluricelular (Corpos de Frutificação)
Reino Fungi 
1) Introdução 
Estrutura geral de um fungo pluricelular 
Classificação das Hifas 
1. Hifas cenocíticas ou asseptadas: filamento longo e multinucleado, onde 
os vários núcleos haplóides (n) ficam dispersos no citoplasma comum. 
2. Hifas Septadas: Corresponde a um filamento longo que é subdivido em 
compartimentos 
3. Dicarióticas: Possui dois tipos de núcleos haplóides geneticamente 
diferentes, dentro da mesma hifa. 
4. Monocariótica: Possui núcleos haplóides geneticamente idênticos, dentro 
da mesma hifa.
Reino Fungi 
1) Introdução 
Estrutura geral de um fungo pluricelular 
Classificação das Hifas 
Hifa cenocítica 
(asseptada) Hifa Septada
Reino Fungi 
1) Introdução 
Estrutura geral de um fungo pluricelular 
Classificação 
das Hifas 
núcleos haplóides 
geneticamente diferentes, 
dentro da mesma hifa. 
núcleos haplóides 
geneticamente 
idênticos, dentro da 
mesma hifa.
Reino Fungi 
1) Introdução 
Estrutura geral de um fungo unicelular 
Fungo unicelular saccharomyces serevisiae 
 Formados por uma única célula. 
 Não formam hifas nem micélios. 
 Geralmente possuem forma ovalada ou 
esférica. 
 São chamados genericamente de 
leveduras. 
 Muitas realizam fermentação na 
ausência de oxigênio. 
 Reproduzem assexuadamente por 
brotamento. 
 Principal representante: Saccharomyces 
cerevisae 
Brotos emergindo 
da célula
Reino Fungi 
1)Introdução 
Os principais grupos de fungos: 
1.Zygomycota (Zigomicetos) 
2.Ascomycota (Ascomicetos) 
3.Basidiomycota (Basidiomicetos) 
4.Deuteromycota (Deuteromicetos)
Reino Fungi 
1) Zygomycota (Os zigomicetos) 
Variedades de Zigomicetos
Reino Fungi 
1) Zygomycota (Os zigomicetos) 
Características 
 Não formam corpos de frutificação 
 Pluricelulares 
 Hifas cenocíticas (asseptadas) 
 Terrestres 
 Saprófagos (alimentam-se de matéria orgânica morta) 
 Principal representante: 
o Rhizopus sp. (bolor preto do pão) Desenvolve-se sobre pães, bolos, 
biscoitos e frutas envelhecidos.
Reino Fungi 
1) Zygomycota (Os zigomicetos) 
Reprodução Assexuada (mais comum) 
1. As hifas originam o esporângio. 
2. No interior dos esporângios são produzidos os esporos. 
3. Os esporos são carregados pelo vento. 
4. Ao caírem em ambiente favorável, germinam, produzindo novos micélios. 
Ambiente favorável 
Esporo em germinação 
Esporo 
Ar (vento) 
Micélios
Reino Fungi 
1) Zygomycota (Os zigomicetos) 
Reprodução Sexuada 
1. Hifas de tipos sexuais 
diferentes produzem ramos 
que crescem em direção ao 
outro. 
2. As extremidades se 
desenvolvem formando 
gametângios. 
3. Os gametângios e depois os 
gametas dentro deles se 
fundem. 
4. O zigoto resultante se 
desenvolve formando um 
esporângio (zigoesporângio) 
que ao amadurecer libera 
novos esporos. 
Meios 
e 
Fertilizaçã 
o 
+ 
-
Reino Fungi 
2) Ascomycota (Os ascomicetos) 
Variedades de Ascomicetos
Reino Fungi 
2) Ascomycota (Os ascomicetos) 
Características 
 Fungos uni ou pluriceulares. 
 Os pluricelulares formam corpo de frutificação denominado ascocarpo. 
 Os unicelulares são representados pelas leveduras saccharomices 
cerevisae. 
 Alguns são comestíveis (Trufas) 
 Alguns são utilizados na indústria de bebidas alcoólicas (saccharomices 
cerevisae). 
 Principais representantes: 
o Tuber sp. – Mais conhecidos como Trufas, são utilizados na culinária. 
o Peniciliium notatum – Obtenção do antibiótico penicilina. 
o Penicillium camembert – Produção do queijo camembert. 
o Penicillium roquefort – Produção do queijo roquefort. 
o Saccharomyces cerevisae – Produção de bebidas alcoólicas e fermento.
Reino Fungi 
2) Ascomycota (Os ascomicetos) 
Reprodução Assexuada – Brotamento em leveduras 
As leveduras, por mitose, gera novas 
células, brotos ou gemas. 
Ao se desenvolver o broto pode se 
separar de seu genitor. 
Ou permanecer unido anatomicamente 
formando uma colônia. 
Formação de novas células 
assexuadamente 
Levedura
Reino Fungi 
2) Ascomycota (Os ascomicetos) 
Reprodução Sexuada 
1. Fusão de hifas monocarióticas 
(plasmogamia), com formação 
de hifas dicarióticas. 
2. As hifas dicarióticas se 
desenvolvem e formam os 
corpos de frutificação 
(ascocarpo) 
3. No corpo de frutificação 
algumas hifas férteis fundem 
seus núcleos, formando um 
zigoto diplóide (2n) 
4. O zigoto se divide por meiose 
originando 4 células haplóide 
(n) e cada célula haplóide se 
divide por mitose formando 
no final oito esporos (n)
Reino Fungi 
3) Basidiomycota (Os basidiomicetos) 
Variedades de Basidiomicetos
Reino Fungi 
3) Basidiomycota (Os basidiomicetos) 
Características 
 Formam corpos de frutificação denominados basidiocarpos, mais 
popularmente conhecidos como cogumelos. 
 Possuem hifas septadas 
 Alguns eliminam substâncias mal cheirosas para atrair insetos, os quais 
dispersam seus esporos. 
 Alguns cogumelos possuem substâncias alucinógenas e são utilizados por 
tribos de indígenas em rituais religiosos. (GêneroPsilocybe). 
 Muitos são utilizados na gastronomia (champingnon). 
 Principais representantes: 
o Psilocybe mexicana – Alucinógeno 
o Agaricus campestris – Comestível, conhecido como champignon. 
o Polyporus sp. – Orelha de pau
Reino Fungi 
3) Basidiomycota (Os basidiomicetos) 
Reprodução Sexuada 
1. Germinação dos esporos e 
fusão dos micélios 
monocarióticos haplóides (n) 
2. Formação de hifas dicarióticas 
as quais formam o corpo de 
frutificação. 
3. Algumas hifas dicarióticas no 
corpo de frutificação se 
desenvolvem em basídios os 
quais fundem os núcleos 
formando um zigoto (2n). 
4. O zigoto (2n) sofre meiose 
originando 4 basidiósporos ou 
esporos (n). Estes quando 
amadurecem são liberados no 
ambiente reiniciando o ciclo.
Reino Fungi 
4) Deuteromycota (Os deuteromicetos)
Reino Fungi 
4) Deuteromycota (Os deuteromicetos) 
Características 
 Os fungos que ainda não foram classificados em nenhuma das três classes 
anteriores são reunidos neste grupo. 
 Os fungos deste grupo são chamados de “imperfeitos”, pois abriga espécies 
cuja posição taxonômica ainda não foi definida. 
 Uni ou pluricelulares. 
 São encontrados nos mais variados ambientes
Reino Fungi 
5) Importância dos Fungos 
a) Decomposição da Matéria Orgânica 
 Juntamente com as bactérias os fungos são os agentes decompositores da 
matéria orgânica morta (cadáveres e restos de animais e plantas). 
 As ser decomposta a matéria orgânica se transforma em matéria inorgânica 
e estes componentes inorgânicos são utilizados pelos produtores na 
produção de nova matéria orgânica. (ciclo da matéria). 
b) Gastronomia 
 Cerca de 200 tipos de cogumelos são utilizados na alimentação humana. 
 O champignon é um dos mais cultivados e possui grande valor econômico. 
 A levedura saccharomyces cerevisae é empregada na fabricação de 
bebidas alcoólicas e na produção de fermentos. 
 Os fungos Penicillium roquefort e Penicillium camembertii, são utilizados na 
fabricação de queijos tipo roquefort e camembert, os quais possuem grande 
valor econômico.
Reino Fungi 
5) Importância dos Fungos 
c) Parasitismo nos seres humanos (Micoses) 
 As principais micoses são: 
a) Candidíase (Causada pela espécie Candida albicans) 
o Sintomas: 
o Infecção vaginal que causa corrimento espesso tipo nata de leite e 
geralmente é acompanhado de coceira ou irritação intensa. 
o Sapinho: Surgimento de pontos brancos, escamosos, semelhantes a 
queijo, que cobrem toda ou parte da língua e das gengivas, a parte 
interna das bochechas e, às vezes, os lábios. 
b) Frieira ou Pé-de-atleta (Casada pelos fungos do gênero Tricophyton ) 
o Sintomas: 
o Aparecimento de bolhas e rachaduras especialmente na pele entre os 
dedos dos pés e muita coceira e ardor na região afetada.
Reino Fungi 
5) Importância dos Fungos 
c) Parasitismo em plantas 
I. Ferrugem 
i. Surgimento de lesões nas folhas causadas pela invasão do fungo que 
provocam a morte dos tecidos foliares. 
I. Esporão do centeio 
i. Causada por um fungo parasita que ataca o centeio, e do qual se extraem 
diversas substâncias de uso medicinal. 
ii. É um fungo conhecido por ser Alucinógeno, e usado para fabricar LSD.
Reino Fungi 
5) Importância dos Fungos 
d) Antibióticos 
 Os antibióticos, substâncias que matam bactérias, foram obtidos a partir de 
ascomicetos do gênero Penicillium, em 1928. Desde então os fungos têm sido 
utilizados constantemente na fabricação de medicamentos antimicrobianos. 
e) Associações Mutualísticas 
I. Micorrizas 
 Associação mutualística entre fungos e raízes de plantas. 
 O fungo obtém das raízes açúcares e aminoácidos e em troca, fornece 
sais minerais do solo que são fundamentais para o crescimento da 
planta. 
II. Líquens 
 São organismos resultantes da associação mutualística entre fungos e 
algas ou entre fungos e cianobactérias. 
 As algas ou cianobactérias realizam fotossíntese e fornecem ao fungo 
glicose e os fungos retribuem disponibilzando matéria inorgânica 
necessárias para a ocorrência da fotossíntese.
Reino Fungi 
5) Importância dos Fungos 
d) Antibióticos 
 Os antibióticos, substâncias que matam bactérias, foram obtidos a partir de 
ascomicetos do gênero Penicillium, em 1928. Desde então os fungos têm sido 
utilizados constantemente na fabricação de medicamentos antimicrobianos. 
e) Associações Mutualísticas 
I. Micorrizas 
 Associação mutualística entre fungos e raízes de plantas. 
 O fungo obtém das raízes açúcares e aminoácidos e em troca, fornece 
sais minerais do solo que são fundamentais para o crescimento da 
planta. 
II. Líquens 
 São organismos resultantes da associação mutualística entre fungos e 
algas ou entre fungos e cianobactérias. 
 As algas ou cianobactérias realizam fotossíntese e fornecem ao fungo 
glicose e os fungos retribuem disponibilzando matéria inorgânica 
necessárias para a ocorrência da fotossíntese.
Reino Fungi 
Exercícios de fixação
Reino Fungi
Reino Fungi 
UFMG 2004
Reino Fungi
BOA NOITE.... 
Beijinhos..... <3

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

REINO FUNGI 1.pdf
REINO FUNGI 1.pdfREINO FUNGI 1.pdf
REINO FUNGI 1.pdf
AnnaRaquelNunesSanch
 
1 introdução à botânica
1 introdução à botânica1 introdução à botânica
1 introdução à botânica
Cristóvão Lopes
 
Aula completa reino protista
Aula completa reino protistaAula completa reino protista
Aula completa reino protista
Nelson Costa
 
Reino dos fungos
Reino dos fungosReino dos fungos
Reino dos fungos
Leandro De Lima
 
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 002
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 002Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 002
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 002
Giovani de Oliveira Arieira
 
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
NAPNE
 
Virus e viroses
Virus e virosesVirus e viroses
Virus e viroses
Elizabete Costa
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
profatatiana
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
profatatiana
 
Aula 01 Introdução a Microbiologia
Aula 01   Introdução a MicrobiologiaAula 01   Introdução a Microbiologia
Aula 01 Introdução a Microbiologia
Tiago da Silva
 
Introdução à microbiologia
Introdução à microbiologiaIntrodução à microbiologia
Introdução à microbiologia
Renato Varges - UFF
 
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Bio
 
Biologia- Virus
Biologia- VirusBiologia- Virus
Biologia- Virus
Slides de Tudo
 
Nomenclatura taxonomia
Nomenclatura taxonomiaNomenclatura taxonomia
Nomenclatura taxonomia
Iuri Fretta Wiggers
 
Princípios de taxonomia
Princípios de taxonomiaPrincípios de taxonomia
Princípios de taxonomia
Universidade Federal do Oeste Pará
 
As Algas
As AlgasAs Algas
As Algas
thaysribeiro
 
Verminoses
VerminosesVerminoses
Verminoses
emanuel
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
Gabriel Lopes (Guma)
 
Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
Bio
 
Aula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia BásicaAula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia Básica
Jaqueline Almeida
 

Mais procurados (20)

REINO FUNGI 1.pdf
REINO FUNGI 1.pdfREINO FUNGI 1.pdf
REINO FUNGI 1.pdf
 
1 introdução à botânica
1 introdução à botânica1 introdução à botânica
1 introdução à botânica
 
Aula completa reino protista
Aula completa reino protistaAula completa reino protista
Aula completa reino protista
 
Reino dos fungos
Reino dos fungosReino dos fungos
Reino dos fungos
 
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 002
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 002Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 002
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 002
 
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
 
Virus e viroses
Virus e virosesVirus e viroses
Virus e viroses
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
 
Aula 01 Introdução a Microbiologia
Aula 01   Introdução a MicrobiologiaAula 01   Introdução a Microbiologia
Aula 01 Introdução a Microbiologia
 
Introdução à microbiologia
Introdução à microbiologiaIntrodução à microbiologia
Introdução à microbiologia
 
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
 
Biologia- Virus
Biologia- VirusBiologia- Virus
Biologia- Virus
 
Nomenclatura taxonomia
Nomenclatura taxonomiaNomenclatura taxonomia
Nomenclatura taxonomia
 
Princípios de taxonomia
Princípios de taxonomiaPrincípios de taxonomia
Princípios de taxonomia
 
As Algas
As AlgasAs Algas
As Algas
 
Verminoses
VerminosesVerminoses
Verminoses
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
 
Aula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia BásicaAula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia Básica
 

Semelhante a Reino fungi

Frente 3 Aula 6 Reino fungi.pptx
Frente 3 Aula 6 Reino fungi.pptxFrente 3 Aula 6 Reino fungi.pptx
Frente 3 Aula 6 Reino fungi.pptx
AlissonPedrosa3
 
Reino Fungi_-_características_gerais.pdf
Reino Fungi_-_características_gerais.pdfReino Fungi_-_características_gerais.pdf
Reino Fungi_-_características_gerais.pdf
germanohcb
 
Fungos -2.ppt
Fungos -2.pptFungos -2.ppt
Fungos -2.ppt
LinoReisLino
 
Aula 7º ano - Os Fungos.pptx
Aula 7º ano - Os Fungos.pptxAula 7º ano - Os Fungos.pptx
Aula 7º ano - Os Fungos.pptx
RodrigoLucas51
 
aula fungo terceiros para ensino médio e vestibulares
aula fungo terceiros para ensino médio e vestibularesaula fungo terceiros para ensino médio e vestibulares
aula fungo terceiros para ensino médio e vestibulares
ThomazLipparelli1
 
Ppoint.Fungos.2009 C Nat.#
Ppoint.Fungos.2009 C Nat.#Ppoint.Fungos.2009 C Nat.#
Ppoint.Fungos.2009 C Nat.#
Albano Novaes
 
Fungos
FungosFungos
5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
Pelo Siro
 
Fungos
FungosFungos
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
Rita Galrito
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
Aline Melo
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
kelvin45170
 
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 003
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 003Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 003
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 003
Giovani de Oliveira Arieira
 
fungos
fungosfungos
fungos
Dilo Nianga
 
5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
Pelo Siro
 
Aula reino-fungi
Aula reino-fungiAula reino-fungi
Aula reino-fungi
Adrianne Mendonça
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
Ikaro Slipk
 
Reinofungi
ReinofungiReinofungi
Reinofungi
Pelo Siro
 
Biologia - O Reino Fungi.
Biologia - O Reino Fungi.Biologia - O Reino Fungi.
Biologia - O Reino Fungi.
Julia Maldonado Garcia
 

Semelhante a Reino fungi (20)

Frente 3 Aula 6 Reino fungi.pptx
Frente 3 Aula 6 Reino fungi.pptxFrente 3 Aula 6 Reino fungi.pptx
Frente 3 Aula 6 Reino fungi.pptx
 
Reino Fungi_-_características_gerais.pdf
Reino Fungi_-_características_gerais.pdfReino Fungi_-_características_gerais.pdf
Reino Fungi_-_características_gerais.pdf
 
Fungos -2.ppt
Fungos -2.pptFungos -2.ppt
Fungos -2.ppt
 
Aula 7º ano - Os Fungos.pptx
Aula 7º ano - Os Fungos.pptxAula 7º ano - Os Fungos.pptx
Aula 7º ano - Os Fungos.pptx
 
aula fungo terceiros para ensino médio e vestibulares
aula fungo terceiros para ensino médio e vestibularesaula fungo terceiros para ensino médio e vestibulares
aula fungo terceiros para ensino médio e vestibulares
 
Ppoint.Fungos.2009 C Nat.#
Ppoint.Fungos.2009 C Nat.#Ppoint.Fungos.2009 C Nat.#
Ppoint.Fungos.2009 C Nat.#
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 003
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 003Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 003
Microbiologia Agrícola UFMT - Aula 003
 
fungos
fungosfungos
fungos
 
5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
 
5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
 
Aula reino-fungi
Aula reino-fungiAula reino-fungi
Aula reino-fungi
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Reinofungi
ReinofungiReinofungi
Reinofungi
 
Biologia - O Reino Fungi.
Biologia - O Reino Fungi.Biologia - O Reino Fungi.
Biologia - O Reino Fungi.
 

Último

UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 

Reino fungi

  • 1. Profª Paula Aragão paula.s.aragao@hotmail.com
  • 2. INTRODUÇÃO  Durante muito tempo – Fungos – Vegetais  1969 – Reino Fungi
  • 3. INTRODUÇÃO Fungos ≠ Plantas  Não sintetizam clorofila;  Não tem celulose na parede celular;  Não armazenam amido (reserva). Fungos = Animais  Presença de quitina na parede celular;  Armazenam glicogênio (reserva).
  • 4. FUNGOS São seres eucarióticos; Unicelulares ou multicelulares;  Principais estruturas da célula fungica: parede celular, membrana citoplasmática, núcleo, ribossomos, mitocôndrias, RE e aparelho de Golgi.
  • 6. Parede celular Membrana celular Núcleo Septo
  • 7. Reino Fungi 1) Introdução Estrutura geral de um fungo pluricelular As hifas são estruturas típicas dos fungos pluricelulares. As hifas surgem a partir dos esporos e crescem juntas e emaranhadas, constituindo uma massa de filamentos denominada micélio. Nos fungos o micélio pode ficar escondido abaixo da superfície do substrato (nutriente, solo, etc.), formando um micélio extenso... Ou pode aparecer na superfície, caso em que as hifas formam estruturas complexas, denominadas corpos de frutificação, como ocorre nos cogumelos e nas orelhas de pau.
  • 8. Reino Fungi 1) Introdução Estrutura geral de um fungo pluricelular (Corpos de Frutificação)
  • 9. Reino Fungi 1) Introdução Estrutura geral de um fungo pluricelular Classificação das Hifas 1. Hifas cenocíticas ou asseptadas: filamento longo e multinucleado, onde os vários núcleos haplóides (n) ficam dispersos no citoplasma comum. 2. Hifas Septadas: Corresponde a um filamento longo que é subdivido em compartimentos 3. Dicarióticas: Possui dois tipos de núcleos haplóides geneticamente diferentes, dentro da mesma hifa. 4. Monocariótica: Possui núcleos haplóides geneticamente idênticos, dentro da mesma hifa.
  • 10. Reino Fungi 1) Introdução Estrutura geral de um fungo pluricelular Classificação das Hifas Hifa cenocítica (asseptada) Hifa Septada
  • 11. Reino Fungi 1) Introdução Estrutura geral de um fungo pluricelular Classificação das Hifas núcleos haplóides geneticamente diferentes, dentro da mesma hifa. núcleos haplóides geneticamente idênticos, dentro da mesma hifa.
  • 12. Reino Fungi 1) Introdução Estrutura geral de um fungo unicelular Fungo unicelular saccharomyces serevisiae  Formados por uma única célula.  Não formam hifas nem micélios.  Geralmente possuem forma ovalada ou esférica.  São chamados genericamente de leveduras.  Muitas realizam fermentação na ausência de oxigênio.  Reproduzem assexuadamente por brotamento.  Principal representante: Saccharomyces cerevisae Brotos emergindo da célula
  • 13. Reino Fungi 1)Introdução Os principais grupos de fungos: 1.Zygomycota (Zigomicetos) 2.Ascomycota (Ascomicetos) 3.Basidiomycota (Basidiomicetos) 4.Deuteromycota (Deuteromicetos)
  • 14. Reino Fungi 1) Zygomycota (Os zigomicetos) Variedades de Zigomicetos
  • 15. Reino Fungi 1) Zygomycota (Os zigomicetos) Características  Não formam corpos de frutificação  Pluricelulares  Hifas cenocíticas (asseptadas)  Terrestres  Saprófagos (alimentam-se de matéria orgânica morta)  Principal representante: o Rhizopus sp. (bolor preto do pão) Desenvolve-se sobre pães, bolos, biscoitos e frutas envelhecidos.
  • 16. Reino Fungi 1) Zygomycota (Os zigomicetos) Reprodução Assexuada (mais comum) 1. As hifas originam o esporângio. 2. No interior dos esporângios são produzidos os esporos. 3. Os esporos são carregados pelo vento. 4. Ao caírem em ambiente favorável, germinam, produzindo novos micélios. Ambiente favorável Esporo em germinação Esporo Ar (vento) Micélios
  • 17. Reino Fungi 1) Zygomycota (Os zigomicetos) Reprodução Sexuada 1. Hifas de tipos sexuais diferentes produzem ramos que crescem em direção ao outro. 2. As extremidades se desenvolvem formando gametângios. 3. Os gametângios e depois os gametas dentro deles se fundem. 4. O zigoto resultante se desenvolve formando um esporângio (zigoesporângio) que ao amadurecer libera novos esporos. Meios e Fertilizaçã o + -
  • 18. Reino Fungi 2) Ascomycota (Os ascomicetos) Variedades de Ascomicetos
  • 19. Reino Fungi 2) Ascomycota (Os ascomicetos) Características  Fungos uni ou pluriceulares.  Os pluricelulares formam corpo de frutificação denominado ascocarpo.  Os unicelulares são representados pelas leveduras saccharomices cerevisae.  Alguns são comestíveis (Trufas)  Alguns são utilizados na indústria de bebidas alcoólicas (saccharomices cerevisae).  Principais representantes: o Tuber sp. – Mais conhecidos como Trufas, são utilizados na culinária. o Peniciliium notatum – Obtenção do antibiótico penicilina. o Penicillium camembert – Produção do queijo camembert. o Penicillium roquefort – Produção do queijo roquefort. o Saccharomyces cerevisae – Produção de bebidas alcoólicas e fermento.
  • 20. Reino Fungi 2) Ascomycota (Os ascomicetos) Reprodução Assexuada – Brotamento em leveduras As leveduras, por mitose, gera novas células, brotos ou gemas. Ao se desenvolver o broto pode se separar de seu genitor. Ou permanecer unido anatomicamente formando uma colônia. Formação de novas células assexuadamente Levedura
  • 21. Reino Fungi 2) Ascomycota (Os ascomicetos) Reprodução Sexuada 1. Fusão de hifas monocarióticas (plasmogamia), com formação de hifas dicarióticas. 2. As hifas dicarióticas se desenvolvem e formam os corpos de frutificação (ascocarpo) 3. No corpo de frutificação algumas hifas férteis fundem seus núcleos, formando um zigoto diplóide (2n) 4. O zigoto se divide por meiose originando 4 células haplóide (n) e cada célula haplóide se divide por mitose formando no final oito esporos (n)
  • 22. Reino Fungi 3) Basidiomycota (Os basidiomicetos) Variedades de Basidiomicetos
  • 23. Reino Fungi 3) Basidiomycota (Os basidiomicetos) Características  Formam corpos de frutificação denominados basidiocarpos, mais popularmente conhecidos como cogumelos.  Possuem hifas septadas  Alguns eliminam substâncias mal cheirosas para atrair insetos, os quais dispersam seus esporos.  Alguns cogumelos possuem substâncias alucinógenas e são utilizados por tribos de indígenas em rituais religiosos. (GêneroPsilocybe).  Muitos são utilizados na gastronomia (champingnon).  Principais representantes: o Psilocybe mexicana – Alucinógeno o Agaricus campestris – Comestível, conhecido como champignon. o Polyporus sp. – Orelha de pau
  • 24. Reino Fungi 3) Basidiomycota (Os basidiomicetos) Reprodução Sexuada 1. Germinação dos esporos e fusão dos micélios monocarióticos haplóides (n) 2. Formação de hifas dicarióticas as quais formam o corpo de frutificação. 3. Algumas hifas dicarióticas no corpo de frutificação se desenvolvem em basídios os quais fundem os núcleos formando um zigoto (2n). 4. O zigoto (2n) sofre meiose originando 4 basidiósporos ou esporos (n). Estes quando amadurecem são liberados no ambiente reiniciando o ciclo.
  • 25. Reino Fungi 4) Deuteromycota (Os deuteromicetos)
  • 26. Reino Fungi 4) Deuteromycota (Os deuteromicetos) Características  Os fungos que ainda não foram classificados em nenhuma das três classes anteriores são reunidos neste grupo.  Os fungos deste grupo são chamados de “imperfeitos”, pois abriga espécies cuja posição taxonômica ainda não foi definida.  Uni ou pluricelulares.  São encontrados nos mais variados ambientes
  • 27. Reino Fungi 5) Importância dos Fungos a) Decomposição da Matéria Orgânica  Juntamente com as bactérias os fungos são os agentes decompositores da matéria orgânica morta (cadáveres e restos de animais e plantas).  As ser decomposta a matéria orgânica se transforma em matéria inorgânica e estes componentes inorgânicos são utilizados pelos produtores na produção de nova matéria orgânica. (ciclo da matéria). b) Gastronomia  Cerca de 200 tipos de cogumelos são utilizados na alimentação humana.  O champignon é um dos mais cultivados e possui grande valor econômico.  A levedura saccharomyces cerevisae é empregada na fabricação de bebidas alcoólicas e na produção de fermentos.  Os fungos Penicillium roquefort e Penicillium camembertii, são utilizados na fabricação de queijos tipo roquefort e camembert, os quais possuem grande valor econômico.
  • 28. Reino Fungi 5) Importância dos Fungos c) Parasitismo nos seres humanos (Micoses)  As principais micoses são: a) Candidíase (Causada pela espécie Candida albicans) o Sintomas: o Infecção vaginal que causa corrimento espesso tipo nata de leite e geralmente é acompanhado de coceira ou irritação intensa. o Sapinho: Surgimento de pontos brancos, escamosos, semelhantes a queijo, que cobrem toda ou parte da língua e das gengivas, a parte interna das bochechas e, às vezes, os lábios. b) Frieira ou Pé-de-atleta (Casada pelos fungos do gênero Tricophyton ) o Sintomas: o Aparecimento de bolhas e rachaduras especialmente na pele entre os dedos dos pés e muita coceira e ardor na região afetada.
  • 29. Reino Fungi 5) Importância dos Fungos c) Parasitismo em plantas I. Ferrugem i. Surgimento de lesões nas folhas causadas pela invasão do fungo que provocam a morte dos tecidos foliares. I. Esporão do centeio i. Causada por um fungo parasita que ataca o centeio, e do qual se extraem diversas substâncias de uso medicinal. ii. É um fungo conhecido por ser Alucinógeno, e usado para fabricar LSD.
  • 30. Reino Fungi 5) Importância dos Fungos d) Antibióticos  Os antibióticos, substâncias que matam bactérias, foram obtidos a partir de ascomicetos do gênero Penicillium, em 1928. Desde então os fungos têm sido utilizados constantemente na fabricação de medicamentos antimicrobianos. e) Associações Mutualísticas I. Micorrizas  Associação mutualística entre fungos e raízes de plantas.  O fungo obtém das raízes açúcares e aminoácidos e em troca, fornece sais minerais do solo que são fundamentais para o crescimento da planta. II. Líquens  São organismos resultantes da associação mutualística entre fungos e algas ou entre fungos e cianobactérias.  As algas ou cianobactérias realizam fotossíntese e fornecem ao fungo glicose e os fungos retribuem disponibilzando matéria inorgânica necessárias para a ocorrência da fotossíntese.
  • 31. Reino Fungi 5) Importância dos Fungos d) Antibióticos  Os antibióticos, substâncias que matam bactérias, foram obtidos a partir de ascomicetos do gênero Penicillium, em 1928. Desde então os fungos têm sido utilizados constantemente na fabricação de medicamentos antimicrobianos. e) Associações Mutualísticas I. Micorrizas  Associação mutualística entre fungos e raízes de plantas.  O fungo obtém das raízes açúcares e aminoácidos e em troca, fornece sais minerais do solo que são fundamentais para o crescimento da planta. II. Líquens  São organismos resultantes da associação mutualística entre fungos e algas ou entre fungos e cianobactérias.  As algas ou cianobactérias realizam fotossíntese e fornecem ao fungo glicose e os fungos retribuem disponibilzando matéria inorgânica necessárias para a ocorrência da fotossíntese.
  • 32. Reino Fungi Exercícios de fixação