SlideShare uma empresa Scribd logo
Ontologia
da
Colaboração

Mozart Claret
Por que colaborar ?
“Ninguem é perfeito mas uma equipe pode ser”
“O todo é maior do que a soma das partes”
As pessoas se tornam cada vez mais especializadas.
Geralmente a solução de um problema complexo requer uma
combinação de habilidades.
A formação de grupos possibilita a divisão de tarefas.

A diversidade de opiniões possibilita a análise de questões sob
diferentes pontos de vista.
Ontologia
Ontologia é a descrição de um domínio, negociada por uma
comunidade, para um determinado fim.
Utiliza símbolos para representar o conjunto de tarefas em foco.
Cria uma base terminológica comum.
Possibilita que agentes externos possam entender a visão da
comunidade sobre o domínio em questão.
É representada como uma rede semântica, com conceitos e
relacionamentos entre conceitos.
É um grafo, formado por nós e arestas, com um signicado associado a
cada um de seus elementos
Ontologia
Cada significado é processável.
Conceitos são conteúdos sobre os quais é possível associar uma
idéia.
É necessário o envolvimento da comunidade para sua construção.
Requer cuidado para que não seja inserido um viés de interpretação.
Sua construção deve ser um processo colaborativo
Ontologia
Ontologia sobre colaboração
É fundamental pois estrutura o conhecimento sobre o trabalho em
grupo.
Apoia o desenvolvimento e uso dos sistemas colaborativos.
Propaga e padroniza os significados para a nossa comunidade.
Segue o Modelo de Ellis e colaboradores(1991), segundo o qual o
trabalho em grupo é uma composição de comunicação, coordenação e
cooperação.

Se divide em quatro grandes blocos, um para formação de grupos e
um para cada elemento do Modelo 3C de Colaboração.
O Modelo 3C de colaboração
A colaboração pode ser decomposta em atividades e cada atividade
pode ser decomposta em subatividades com um planejamento,
participantes e metodologias próprios.
Cada uma destas subatividades possui necessidades distintas de
comunicação, coordenação e cooperação.
O Modelo 3C de colaboração
Formação de grupos
Por que os grupos se formam?

Quais são os principais elementos envolvidos na formação de grupos?
Existem duas maneiras de formar grupos:
Por iniciativa de uma entidade externa (determinação da chefia)
De forma espontânea (Wikipédia, Linux, Comunidades de Prática,
etc…)
Requer motivação e alinhamento dos objetivos
Envolve um nível de conhecimento e confiança entre os participantes.
Somente após a familiarização e o desenvolvimento de relação de
confiança, o trabalho em grupo acontece de forma produtiva.
Formação de grupos
Formação de grupos
Comunidades de Prática são grupos de pessoas com interesses
compartilhados, que se unem para trocar informações e experiências.
São muito importantes para o aprendizado e disseminação de
conhecimento.
Geralmente estes grupos não tem uma terefa a realizar, mas
compartilham o objetivo de discutir aspectos do seu trabalho ou área de
interesse.
Constituem um valioso recurso para o aprendizado dos participantes.
Elemento básico para um trabalho em grupo.
Processo de troca de informação entre duas ou mais partes.
Comunicação
Comunicação
O estabelecimento de uma linguagem ou protocolo compartilhado é
fundamental.
É preciso haver um certo nível de conhecimento compartilhado
chamado Senso Comum (Common Ground).
O Senso Comum garante que o conhecimento de todos os
participantes está suficientemente alinhado.
Jargões ou linguagens específicas dependem do senso comum
Comunicação
Pode ocorrer de forma síncrona ou assíncrona.
É afetada pelo meio de comunicação utilizado.
As tecnologias utilizadas para comunicação a distância ainda não
conseguem prover a mesma riqueza de informação que a interação face
a face.
Coordenação
Projetos são divididos em atividades e tarefas menores. Desta forma
os esforços podem ocorrer em paralelo tornando a realização do
trabalho mais eficiênte e eficaz.
A coordenação dos esforços é fundamental para que não ocorra
duplicação de trabalho.
É necessária porque existe uma interdependência entre as atividades
do grupo.
As tarefas precisam ser acompanhadas ao longo de sua execução.
As tarefas precisam ser acompanhadas ao longo de sua execução.
A organização do grupo envolve a definição de papeis.
Coordenação
A coordenação de um trabalho em grupo pode ser conduzida de
acordo com uma das seguintes maneiras:
Individualmente – Cada participante conduz sua parte do trabalho,
a soma das partes compõe o todo, e não há dependência entre as
partes (Construção de uma avião).
Com repasse de tarefas – As atividades dos participantes estão
interligadas e há necessidade de trocar ideias e passar tarefas e
resultados uns para os outros (um grande evento cultural e
artístico).
Orquestrado – Nesta forma de organização, as atividades são
mais interligadas e há dependência forte entre elas (operação de
uma plataforma de petróleo).
Coordenação
Cooperação
A atividade e as tarefas conjuntas, o espaço e os recursos disponíveis
são importantes para sua definição.
Com relação ao espaço de trabalho, os participantes podem estar:
No mesmo local, colocalizado – Fisicamente no mesmo local.
Distantes ou remotos – Fisicamente distantes.
A interação face a face é colocalizada e sincrona.

A interação colocalizada pode ser assíncrona (Turnos de um hospital).
O produto final da cooperação é um ou mais artefatos construídos
pelos participantes.
Cooperação
Ontologia sobre colaboração
Por meio da colaboração, duas ou mais pessoas motivadas trabalham
em conjunto.
O grupo é formado para alcançar um objetivo em comum.
A comunicação é um processo de troca de mensagens em que os
participantes negociam as tarefas que serão realizadas e assumem
compromissos.
A coordenação é um processo de organização de esforços, que divide
o trabalho em tarefas menores e articula as atividades dos participantes
para obter bons resultados e resolver conflitos.
Ontologia sobre colaboração
As tarefas são organizadas por meio de um plano de trabalho.
Cooperação é a produção de artefatos em um espaço compartilhado,
o que requer a utilização de recursos.
Sem motivação, comunicação,
dificilmente há colaboração.

coordenação

e

cooperação,

Os elementos interagem para viabilizar o trabalho em grupo.
Ontologia sobre colaboração
Existem dificuldades como distância, diferenças de fuso horário,
sincronismo na comunicação, diferentes formas de interpretação da
informação, objetivos conflitantes, diferenças políticas de crenças e de
interesses.
Situações de pressão social, inibição diante dos colegas e dificuldade
de lidar com a hierarquia do grupo são situações comuns.
Ontologia sobre colaboração
Referências
MARIANO PIMENTEL E HUGO FUKS - Sistemas Colaborativos;
HUGO FUKSO, ALBERTO BARBOSA RAPOSO, MARCO AURÉLIO
GEROSA E CARLOS JOSÉ PEREIRA LUCENA – O Modelo de
Colaboração 3C e a Engenharia de Groupware
Apresentação ontologia da colaboração

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho em equipe
Trabalho em equipeTrabalho em equipe
Trabalho em equipe
MATARANGAS
 
Oficina dinamica de grupo
Oficina dinamica de grupoOficina dinamica de grupo
Oficina dinamica de grupo
Anelita Costa Dos Santos
 
Projeto meio ambiente
Projeto meio ambienteProjeto meio ambiente
Projeto meio ambiente
Shirley Costa
 
EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A E...
EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A E...EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A E...
EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A E...
Silvia Marina Anaruma
 
Atividades e Jogos Lúdicos para Suas Aulas
Atividades e Jogos Lúdicos para Suas AulasAtividades e Jogos Lúdicos para Suas Aulas
Atividades e Jogos Lúdicos para Suas Aulas
Adilson P Motta Motta
 
Relações interpessoais
Relações interpessoaisRelações interpessoais
Relações interpessoais
progestaoanguera
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
20162016
 
Dinâmica da familia
Dinâmica da familiaDinâmica da familia
Dinâmica da familia
profcici
 
Motivação e inteligência emocional
Motivação e inteligência emocionalMotivação e inteligência emocional
Motivação e inteligência emocional
Cintia Meneghini
 
Palestra de networking e indicações profissionais
Palestra de networking e indicações profissionaisPalestra de networking e indicações profissionais
Palestra de networking e indicações profissionais
SBGC - Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento
 
PROJETO ESCOLAR AMBIENTAL COMUNITÁRIO
PROJETO ESCOLAR AMBIENTAL COMUNITÁRIOPROJETO ESCOLAR AMBIENTAL COMUNITÁRIO
PROJETO ESCOLAR AMBIENTAL COMUNITÁRIO
Universidade Estadual do Ceará
 
CURSO TRABALHO EM EQUIPE: NOSSA EQUIPE UM TIME DE CAMPEÕES - SÃO PAULO - SP -...
CURSO TRABALHO EM EQUIPE: NOSSA EQUIPE UM TIME DE CAMPEÕES - SÃO PAULO - SP -...CURSO TRABALHO EM EQUIPE: NOSSA EQUIPE UM TIME DE CAMPEÕES - SÃO PAULO - SP -...
CURSO TRABALHO EM EQUIPE: NOSSA EQUIPE UM TIME DE CAMPEÕES - SÃO PAULO - SP -...
Corporativa Brasil - Educação Empresarial
 
Apresentação da unidade cinco
Apresentação da unidade cincoApresentação da unidade cinco
Apresentação da unidade cinco
Andreá Perez Leinat
 
Dinamica de grupo ii
Dinamica de grupo  iiDinamica de grupo  ii
Dinamica de grupo ii
Silvana
 
Solidariedade
SolidariedadeSolidariedade
Solidariedade
Marta Santos
 
Metodologias sociais colaborativas
Metodologias sociais colaborativasMetodologias sociais colaborativas
Metodologias sociais colaborativas
Isabela Menezes
 
Familia
FamiliaFamilia
Dinâmicas de grupo
Dinâmicas de grupoDinâmicas de grupo
Dinâmicas de grupo
Daniela Sipert
 
Apostila dinâmica de espaço
Apostila   dinâmica de espaço Apostila   dinâmica de espaço
Apostila dinâmica de espaço
Robert Álefe
 
Superdicas de Networking
Superdicas de NetworkingSuperdicas de Networking
Superdicas de Networking
Lens & Minarelli
 

Mais procurados (20)

Trabalho em equipe
Trabalho em equipeTrabalho em equipe
Trabalho em equipe
 
Oficina dinamica de grupo
Oficina dinamica de grupoOficina dinamica de grupo
Oficina dinamica de grupo
 
Projeto meio ambiente
Projeto meio ambienteProjeto meio ambiente
Projeto meio ambiente
 
EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A E...
EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A E...EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A E...
EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A E...
 
Atividades e Jogos Lúdicos para Suas Aulas
Atividades e Jogos Lúdicos para Suas AulasAtividades e Jogos Lúdicos para Suas Aulas
Atividades e Jogos Lúdicos para Suas Aulas
 
Relações interpessoais
Relações interpessoaisRelações interpessoais
Relações interpessoais
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 
Dinâmica da familia
Dinâmica da familiaDinâmica da familia
Dinâmica da familia
 
Motivação e inteligência emocional
Motivação e inteligência emocionalMotivação e inteligência emocional
Motivação e inteligência emocional
 
Palestra de networking e indicações profissionais
Palestra de networking e indicações profissionaisPalestra de networking e indicações profissionais
Palestra de networking e indicações profissionais
 
PROJETO ESCOLAR AMBIENTAL COMUNITÁRIO
PROJETO ESCOLAR AMBIENTAL COMUNITÁRIOPROJETO ESCOLAR AMBIENTAL COMUNITÁRIO
PROJETO ESCOLAR AMBIENTAL COMUNITÁRIO
 
CURSO TRABALHO EM EQUIPE: NOSSA EQUIPE UM TIME DE CAMPEÕES - SÃO PAULO - SP -...
CURSO TRABALHO EM EQUIPE: NOSSA EQUIPE UM TIME DE CAMPEÕES - SÃO PAULO - SP -...CURSO TRABALHO EM EQUIPE: NOSSA EQUIPE UM TIME DE CAMPEÕES - SÃO PAULO - SP -...
CURSO TRABALHO EM EQUIPE: NOSSA EQUIPE UM TIME DE CAMPEÕES - SÃO PAULO - SP -...
 
Apresentação da unidade cinco
Apresentação da unidade cincoApresentação da unidade cinco
Apresentação da unidade cinco
 
Dinamica de grupo ii
Dinamica de grupo  iiDinamica de grupo  ii
Dinamica de grupo ii
 
Solidariedade
SolidariedadeSolidariedade
Solidariedade
 
Metodologias sociais colaborativas
Metodologias sociais colaborativasMetodologias sociais colaborativas
Metodologias sociais colaborativas
 
Familia
FamiliaFamilia
Familia
 
Dinâmicas de grupo
Dinâmicas de grupoDinâmicas de grupo
Dinâmicas de grupo
 
Apostila dinâmica de espaço
Apostila   dinâmica de espaço Apostila   dinâmica de espaço
Apostila dinâmica de espaço
 
Superdicas de Networking
Superdicas de NetworkingSuperdicas de Networking
Superdicas de Networking
 

Semelhante a Apresentação ontologia da colaboração

trabalho colaborativo
trabalho colaborativotrabalho colaborativo
trabalho colaborativo
ssuser6ee2851
 
Aprendizagem Colaborativa
Aprendizagem ColaborativaAprendizagem Colaborativa
Aprendizagem colaborativa em listas de discussão composta por profissionais d...
Aprendizagem colaborativa em listas de discussão composta por profissionais d...Aprendizagem colaborativa em listas de discussão composta por profissionais d...
Aprendizagem colaborativa em listas de discussão composta por profissionais d...
Ruy Ferreira
 
Coisas Boas 2007
Coisas Boas 2007Coisas Boas 2007
Coisas Boas 2007
SONIA BERTOCCHI
 
A Importância Das Competências Interdisciplinares para os Gerentes de Projetos
A Importância Das Competências Interdisciplinares para os Gerentes de ProjetosA Importância Das Competências Interdisciplinares para os Gerentes de Projetos
A Importância Das Competências Interdisciplinares para os Gerentes de Projetos
Helio Ferenhof, Dr. Eng, MBA, PMP, ITIL .'.
 
Aspectos Sociais em Design de Ambientes Colaborativos de Aprendizagem
Aspectos Sociais em Design de Ambientes Colaborativos de AprendizagemAspectos Sociais em Design de Ambientes Colaborativos de Aprendizagem
Aspectos Sociais em Design de Ambientes Colaborativos de Aprendizagem
TelEduc
 
Apresentação do módulo 5
Apresentação do módulo 5Apresentação do módulo 5
Apresentação do módulo 5
JoseCicero
 
Apresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativaApresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativa
comunidadedepraticas
 
Apresentacao Geral
Apresentacao GeralApresentacao Geral
Apresentacao Geral
Mônix Sousa
 
Trabalho Colaborativo
Trabalho ColaborativoTrabalho Colaborativo
Trabalho Colaborativo
Márcia Castilho de Sales
 
Síntese paradigmas das teorias da aprendizagem para o e-learning
Síntese paradigmas das teorias da aprendizagem para o e-learningSíntese paradigmas das teorias da aprendizagem para o e-learning
Síntese paradigmas das teorias da aprendizagem para o e-learning
Joaquim Guerra
 
Plataformas de Aprendizagem
Plataformas de AprendizagemPlataformas de Aprendizagem
Plataformas de Aprendizagem
augustodefranco .
 
Comunicação Organizacional e Gestão do Conhecimento
Comunicação Organizacional e Gestão do ConhecimentoComunicação Organizacional e Gestão do Conhecimento
Comunicação Organizacional e Gestão do Conhecimento
Rosângela Florczak
 
Redes De Cooperacao
Redes De CooperacaoRedes De Cooperacao
Redes De Cooperacao
João Lima
 
Apresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativaApresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativa
comunidadedepraticas
 
Trabalho colaborativo
Trabalho colaborativoTrabalho colaborativo
Trabalho colaborativo
Marcelo Paulino Costa
 
A arte de conhecer e conduzir os diferentes
A arte de conhecer e conduzir os diferentesA arte de conhecer e conduzir os diferentes
A arte de conhecer e conduzir os diferentes
Raquel Souza
 
Trabalho Colaborativo
Trabalho ColaborativoTrabalho Colaborativo
Trabalho Colaborativo
Márcia Castilho de Sales
 
Produto Final Do Trabalho Colaborativo
Produto Final Do Trabalho ColaborativoProduto Final Do Trabalho Colaborativo
Produto Final Do Trabalho Colaborativo
Sergio Lins
 
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
Neli Maria Mengalli
 

Semelhante a Apresentação ontologia da colaboração (20)

trabalho colaborativo
trabalho colaborativotrabalho colaborativo
trabalho colaborativo
 
Aprendizagem Colaborativa
Aprendizagem ColaborativaAprendizagem Colaborativa
Aprendizagem Colaborativa
 
Aprendizagem colaborativa em listas de discussão composta por profissionais d...
Aprendizagem colaborativa em listas de discussão composta por profissionais d...Aprendizagem colaborativa em listas de discussão composta por profissionais d...
Aprendizagem colaborativa em listas de discussão composta por profissionais d...
 
Coisas Boas 2007
Coisas Boas 2007Coisas Boas 2007
Coisas Boas 2007
 
A Importância Das Competências Interdisciplinares para os Gerentes de Projetos
A Importância Das Competências Interdisciplinares para os Gerentes de ProjetosA Importância Das Competências Interdisciplinares para os Gerentes de Projetos
A Importância Das Competências Interdisciplinares para os Gerentes de Projetos
 
Aspectos Sociais em Design de Ambientes Colaborativos de Aprendizagem
Aspectos Sociais em Design de Ambientes Colaborativos de AprendizagemAspectos Sociais em Design de Ambientes Colaborativos de Aprendizagem
Aspectos Sociais em Design de Ambientes Colaborativos de Aprendizagem
 
Apresentação do módulo 5
Apresentação do módulo 5Apresentação do módulo 5
Apresentação do módulo 5
 
Apresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativaApresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativa
 
Apresentacao Geral
Apresentacao GeralApresentacao Geral
Apresentacao Geral
 
Trabalho Colaborativo
Trabalho ColaborativoTrabalho Colaborativo
Trabalho Colaborativo
 
Síntese paradigmas das teorias da aprendizagem para o e-learning
Síntese paradigmas das teorias da aprendizagem para o e-learningSíntese paradigmas das teorias da aprendizagem para o e-learning
Síntese paradigmas das teorias da aprendizagem para o e-learning
 
Plataformas de Aprendizagem
Plataformas de AprendizagemPlataformas de Aprendizagem
Plataformas de Aprendizagem
 
Comunicação Organizacional e Gestão do Conhecimento
Comunicação Organizacional e Gestão do ConhecimentoComunicação Organizacional e Gestão do Conhecimento
Comunicação Organizacional e Gestão do Conhecimento
 
Redes De Cooperacao
Redes De CooperacaoRedes De Cooperacao
Redes De Cooperacao
 
Apresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativaApresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativa
 
Trabalho colaborativo
Trabalho colaborativoTrabalho colaborativo
Trabalho colaborativo
 
A arte de conhecer e conduzir os diferentes
A arte de conhecer e conduzir os diferentesA arte de conhecer e conduzir os diferentes
A arte de conhecer e conduzir os diferentes
 
Trabalho Colaborativo
Trabalho ColaborativoTrabalho Colaborativo
Trabalho Colaborativo
 
Produto Final Do Trabalho Colaborativo
Produto Final Do Trabalho ColaborativoProduto Final Do Trabalho Colaborativo
Produto Final Do Trabalho Colaborativo
 
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
Incubadora de Comunidade de Prática (CoP): Dias 09 e 10 de abril de 2007
 

Mais de Mozart Dornelles Claret

Apresentação cibercultura e os processos de gerenciamento de negocios bpm
Apresentação cibercultura e os processos de gerenciamento de negocios   bpmApresentação cibercultura e os processos de gerenciamento de negocios   bpm
Apresentação cibercultura e os processos de gerenciamento de negocios bpm
Mozart Dornelles Claret
 
Apresentação cidades inteligentes
Apresentação cidades inteligentesApresentação cidades inteligentes
Apresentação cidades inteligentes
Mozart Dornelles Claret
 
Apresentação cultura no ciberespaço
Apresentação cultura no ciberespaçoApresentação cultura no ciberespaço
Apresentação cultura no ciberespaço
Mozart Dornelles Claret
 
Apresentação democracia digital
Apresentação democracia digitalApresentação democracia digital
Apresentação democracia digital
Mozart Dornelles Claret
 
Apresentação economia e ciberespaço
Apresentação economia e ciberespaçoApresentação economia e ciberespaço
Apresentação economia e ciberespaço
Mozart Dornelles Claret
 
Apresentação metodologia de pesquisa científica em sistemas colaborativos
Apresentação metodologia de pesquisa científica em sistemas colaborativosApresentação metodologia de pesquisa científica em sistemas colaborativos
Apresentação metodologia de pesquisa científica em sistemas colaborativos
Mozart Dornelles Claret
 
Apresentação o uso das redes sociais no ambiente corporativo
Apresentação o uso das redes sociais no ambiente corporativoApresentação o uso das redes sociais no ambiente corporativo
Apresentação o uso das redes sociais no ambiente corporativo
Mozart Dornelles Claret
 
Apresentação patrimônio cultural
Apresentação patrimônio culturalApresentação patrimônio cultural
Apresentação patrimônio cultural
Mozart Dornelles Claret
 
Apresentação planejamento estratégico para si
Apresentação planejamento estratégico para siApresentação planejamento estratégico para si
Apresentação planejamento estratégico para si
Mozart Dornelles Claret
 
Apresentação colaboração em processo de negócio
Apresentação   colaboração em processo de negócioApresentação   colaboração em processo de negócio
Apresentação colaboração em processo de negócio
Mozart Dornelles Claret
 
Apresentação BPMS
Apresentação BPMSApresentação BPMS
Apresentação BPMS
Mozart Dornelles Claret
 

Mais de Mozart Dornelles Claret (11)

Apresentação cibercultura e os processos de gerenciamento de negocios bpm
Apresentação cibercultura e os processos de gerenciamento de negocios   bpmApresentação cibercultura e os processos de gerenciamento de negocios   bpm
Apresentação cibercultura e os processos de gerenciamento de negocios bpm
 
Apresentação cidades inteligentes
Apresentação cidades inteligentesApresentação cidades inteligentes
Apresentação cidades inteligentes
 
Apresentação cultura no ciberespaço
Apresentação cultura no ciberespaçoApresentação cultura no ciberespaço
Apresentação cultura no ciberespaço
 
Apresentação democracia digital
Apresentação democracia digitalApresentação democracia digital
Apresentação democracia digital
 
Apresentação economia e ciberespaço
Apresentação economia e ciberespaçoApresentação economia e ciberespaço
Apresentação economia e ciberespaço
 
Apresentação metodologia de pesquisa científica em sistemas colaborativos
Apresentação metodologia de pesquisa científica em sistemas colaborativosApresentação metodologia de pesquisa científica em sistemas colaborativos
Apresentação metodologia de pesquisa científica em sistemas colaborativos
 
Apresentação o uso das redes sociais no ambiente corporativo
Apresentação o uso das redes sociais no ambiente corporativoApresentação o uso das redes sociais no ambiente corporativo
Apresentação o uso das redes sociais no ambiente corporativo
 
Apresentação patrimônio cultural
Apresentação patrimônio culturalApresentação patrimônio cultural
Apresentação patrimônio cultural
 
Apresentação planejamento estratégico para si
Apresentação planejamento estratégico para siApresentação planejamento estratégico para si
Apresentação planejamento estratégico para si
 
Apresentação colaboração em processo de negócio
Apresentação   colaboração em processo de negócioApresentação   colaboração em processo de negócio
Apresentação colaboração em processo de negócio
 
Apresentação BPMS
Apresentação BPMSApresentação BPMS
Apresentação BPMS
 

Apresentação ontologia da colaboração

  • 2. Por que colaborar ? “Ninguem é perfeito mas uma equipe pode ser” “O todo é maior do que a soma das partes” As pessoas se tornam cada vez mais especializadas. Geralmente a solução de um problema complexo requer uma combinação de habilidades. A formação de grupos possibilita a divisão de tarefas. A diversidade de opiniões possibilita a análise de questões sob diferentes pontos de vista.
  • 3. Ontologia Ontologia é a descrição de um domínio, negociada por uma comunidade, para um determinado fim. Utiliza símbolos para representar o conjunto de tarefas em foco. Cria uma base terminológica comum. Possibilita que agentes externos possam entender a visão da comunidade sobre o domínio em questão. É representada como uma rede semântica, com conceitos e relacionamentos entre conceitos. É um grafo, formado por nós e arestas, com um signicado associado a cada um de seus elementos
  • 4. Ontologia Cada significado é processável. Conceitos são conteúdos sobre os quais é possível associar uma idéia. É necessário o envolvimento da comunidade para sua construção. Requer cuidado para que não seja inserido um viés de interpretação. Sua construção deve ser um processo colaborativo
  • 6. Ontologia sobre colaboração É fundamental pois estrutura o conhecimento sobre o trabalho em grupo. Apoia o desenvolvimento e uso dos sistemas colaborativos. Propaga e padroniza os significados para a nossa comunidade. Segue o Modelo de Ellis e colaboradores(1991), segundo o qual o trabalho em grupo é uma composição de comunicação, coordenação e cooperação. Se divide em quatro grandes blocos, um para formação de grupos e um para cada elemento do Modelo 3C de Colaboração.
  • 7. O Modelo 3C de colaboração A colaboração pode ser decomposta em atividades e cada atividade pode ser decomposta em subatividades com um planejamento, participantes e metodologias próprios. Cada uma destas subatividades possui necessidades distintas de comunicação, coordenação e cooperação.
  • 8. O Modelo 3C de colaboração
  • 9. Formação de grupos Por que os grupos se formam? Quais são os principais elementos envolvidos na formação de grupos? Existem duas maneiras de formar grupos: Por iniciativa de uma entidade externa (determinação da chefia) De forma espontânea (Wikipédia, Linux, Comunidades de Prática, etc…) Requer motivação e alinhamento dos objetivos Envolve um nível de conhecimento e confiança entre os participantes. Somente após a familiarização e o desenvolvimento de relação de confiança, o trabalho em grupo acontece de forma produtiva.
  • 11. Formação de grupos Comunidades de Prática são grupos de pessoas com interesses compartilhados, que se unem para trocar informações e experiências. São muito importantes para o aprendizado e disseminação de conhecimento. Geralmente estes grupos não tem uma terefa a realizar, mas compartilham o objetivo de discutir aspectos do seu trabalho ou área de interesse. Constituem um valioso recurso para o aprendizado dos participantes. Elemento básico para um trabalho em grupo. Processo de troca de informação entre duas ou mais partes.
  • 13. Comunicação O estabelecimento de uma linguagem ou protocolo compartilhado é fundamental. É preciso haver um certo nível de conhecimento compartilhado chamado Senso Comum (Common Ground). O Senso Comum garante que o conhecimento de todos os participantes está suficientemente alinhado. Jargões ou linguagens específicas dependem do senso comum
  • 14. Comunicação Pode ocorrer de forma síncrona ou assíncrona. É afetada pelo meio de comunicação utilizado. As tecnologias utilizadas para comunicação a distância ainda não conseguem prover a mesma riqueza de informação que a interação face a face.
  • 15. Coordenação Projetos são divididos em atividades e tarefas menores. Desta forma os esforços podem ocorrer em paralelo tornando a realização do trabalho mais eficiênte e eficaz. A coordenação dos esforços é fundamental para que não ocorra duplicação de trabalho. É necessária porque existe uma interdependência entre as atividades do grupo. As tarefas precisam ser acompanhadas ao longo de sua execução. As tarefas precisam ser acompanhadas ao longo de sua execução. A organização do grupo envolve a definição de papeis.
  • 16. Coordenação A coordenação de um trabalho em grupo pode ser conduzida de acordo com uma das seguintes maneiras: Individualmente – Cada participante conduz sua parte do trabalho, a soma das partes compõe o todo, e não há dependência entre as partes (Construção de uma avião). Com repasse de tarefas – As atividades dos participantes estão interligadas e há necessidade de trocar ideias e passar tarefas e resultados uns para os outros (um grande evento cultural e artístico). Orquestrado – Nesta forma de organização, as atividades são mais interligadas e há dependência forte entre elas (operação de uma plataforma de petróleo).
  • 18. Cooperação A atividade e as tarefas conjuntas, o espaço e os recursos disponíveis são importantes para sua definição. Com relação ao espaço de trabalho, os participantes podem estar: No mesmo local, colocalizado – Fisicamente no mesmo local. Distantes ou remotos – Fisicamente distantes. A interação face a face é colocalizada e sincrona. A interação colocalizada pode ser assíncrona (Turnos de um hospital). O produto final da cooperação é um ou mais artefatos construídos pelos participantes.
  • 20. Ontologia sobre colaboração Por meio da colaboração, duas ou mais pessoas motivadas trabalham em conjunto. O grupo é formado para alcançar um objetivo em comum. A comunicação é um processo de troca de mensagens em que os participantes negociam as tarefas que serão realizadas e assumem compromissos. A coordenação é um processo de organização de esforços, que divide o trabalho em tarefas menores e articula as atividades dos participantes para obter bons resultados e resolver conflitos.
  • 21. Ontologia sobre colaboração As tarefas são organizadas por meio de um plano de trabalho. Cooperação é a produção de artefatos em um espaço compartilhado, o que requer a utilização de recursos. Sem motivação, comunicação, dificilmente há colaboração. coordenação e cooperação, Os elementos interagem para viabilizar o trabalho em grupo.
  • 22. Ontologia sobre colaboração Existem dificuldades como distância, diferenças de fuso horário, sincronismo na comunicação, diferentes formas de interpretação da informação, objetivos conflitantes, diferenças políticas de crenças e de interesses. Situações de pressão social, inibição diante dos colegas e dificuldade de lidar com a hierarquia do grupo são situações comuns.
  • 24. Referências MARIANO PIMENTEL E HUGO FUKS - Sistemas Colaborativos; HUGO FUKSO, ALBERTO BARBOSA RAPOSO, MARCO AURÉLIO GEROSA E CARLOS JOSÉ PEREIRA LUCENA – O Modelo de Colaboração 3C e a Engenharia de Groupware